O colapso das mentiras em torno da evolução das aves

Há já algumas décadas que a comunidade evolutiva tem propagado a teoria de que os dinossauros evoluíram para pássaros.  De facto, se nós ouvirmos atentamente o que os evolucionistas escrevem nas seus jornais e artigos científicos, ainda veremos a teoria a ser pregado aqui e ali. Para aumentar o estatuto da teoria, os paleontólogos identificaram material (inglês: “fuzz”) que rodeia alguns fósseis de dinossauro como “proto-penas.” Durante anos fotografias de dinossauros “alados” voaram um pouco por todas as revistas evolutivas do mundo.Acontece que, embora esta teoria ainda esteja em circulação, e ainda seja defendida pelos evolucionistas menos informados, ela pura e simplesmente não pode ser verdadeira. O que se sabe é que já foram encontrados fósseis de aves totalmente funcionais e capazes de manter vôo constante em camadas datadas pelos evolucionistas como pertencentes a uma era ANTERIOR ao suposto desaparecimento dos dinossauros (usando os cientificamente irrelevantes “métodos de datação” dos evolucionistas).Em Agosto de 2012 no jornal online de biologia, PLOS: Biology, Lida Xing e os colegas escrevem um artigo com o título “Abdominal Contents from Two Large Cretaceous Compsognathids (Dinosauria: Theropoda) Demonstrate Feeding on Confuciusornithids and Dromaeosaurids” (2012).

Sem dúvida que este é um título pomposo, mas essencialmente o que ele significa é que esqueletos de dois dinossauros que viveram no período “cretáceo” alimentaram-se duma ave conhecida como Confuciusornis sanctus. Após análise, os dois fósseis de dinossauro foram identificados como Sinocalliopteryx gigas.

Segundo a linha temporal evolutiva, estes dinossauros viveram há cerca de 120 milhões de anos atrás, no entanto o Confuciusornis sanctus encontrado no estômago desta criatura tinha “o tamanho dum corvo, e era capaz de voar” (“Dinosaur Guts…,” 2012). Uma caracterização duma das fotos descreve o conteúdo do estômago como sendo um “esqueleto duma pequena ave dentro do estômago dum Sinocalliopteryx” (“Dinosaur Guts…”).

Os dinossauros não podem ter evoluído para pássaros porque, entre outras coisas, enquanto eles estavam vivos, eles alimentavam-se de pássaros!

John Ruben, professor de Zoologia  (Oregon State), resumiu de forma correcta o problema que este achado gera para a teoria da evolução:

“Para começar, as aves são encontradas em camadas fósseis anteriores aos dinossauros de quem supostamente descendem. Para além de existirem outras inconsistências nas teorias dinossauro-para-áves, este é um problema sério.” (“Discovery Raises New Doubts…,” 2009).

Sem dúvida que este achado é um problema sério para a teoria da evolução.

Esta situação ressalva um dos problemas sérios presentes nos vários aspectos da teoria da evolução, nomeadamente, o  acto dos seus pilares cardinais terem sido refutados pela ciência. No entanto, em vez de questionarem a teoria que  consistentemente lhe faz leva a ter “surpresas” com o registo fóssil, a maior parte dos evolucionistas apenas volta para os seus laboratórios, e como forma de harmonizar a ciência com a sua teoria, postula outro cenário igualmente improvável – e mais tarde refutado.

O problema não se encontra nas variadas interpretações da teoria da evolução mas na teoria em si. Não se dá o caso dos evolucionistas apenas se terem enganado no animal a partir do qual as aves evoluíram; o que se passa é que eles  erradamente pensam que as áves evoluíram de outro animal. A teoria em si é que está errada.

As aves não evoluíram dos dinossauros porque a evolução é uma explicação falsa.  Segundo a Lei da Biogénese, e segundo as evidências científicas à nossa disposição, (Miller, 2012), a explicação mais provável é a de Deus ter criado as aves  totalmente funcionais “no princípio.” Esta posição tem suportado o teste do tempo e certamente que não será suplantada por outra teoria.

Fonte

About these ads

Sobre Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
Esta entrada foi publicada em Biologia com as etiquetas , , , , . ligação permanente.

36 respostas a O colapso das mentiras em torno da evolução das aves

  1. Douglas diz:

    Muito Bom!
    No livro de Harun Yahya, possui algo sobre o Confuciusornis e sobre os fósseis de aves “completamente aves” na mesma camada do Archaeopteryx.
    Agora parece que as pesquisas avançaram e os paleontólogos encontraram elas ANTERIORMENTE aos dinossauros que elas descenderiam kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    E os problemas com o Evolucionismo somente se agravam cada vez mais…
    Mas eles não querem admitir o óbvio: Que o Jesus irá retornar em breve e julgar o Mundo. Eles simplesmente não querem admitir a existência de um Criador, pois eles sabem das implicações em suas vidas…

    Gosto

  2. reis diz:

    COMO CADA VEZ á mais métodos de estudo, as farsas uns dos outros se vão descobrindo, o homem sempre foi assim e vai continuar, é tudo nigócio, se vende muitos livros, o meu único livro de ciênciasé o livro que Darwin usou foi as Escrituras Sagradas, foi daqui que partio para as descobertas mundo afora e lá fez as suas elações, embora até muitas estão de acordo com a escritura.
    (Gênesis 1:24) . . .E Deus prosseguiu, dizendo: “Produza a terra almas viventes segundo as suas espécies, animal doméstico, e animal movente, e animal selvático da terra, segundo a sua espécie.. . .
    AQUI DIZ SEGUNDO A SUA ESPÉCIE, POIS E FOI, SEGUNDO DARWIN, ELES SE FORAM REPRODUZIREM E SE FORAM SAÍNDO DESTA E DAQUELA COR, SÓ O PROCESSO DE MUTAÇÃO NÃO SE ENCAIXA NA CRIAÇÃO, E ISTO É FÁCIL DE PROVAR.
    POR EXEMPLO, QUANTAS RAÇAS DE CÃES EXISTEM, SERÁ QUE FOI FEITO MUITOS, UM UM SÓ CASAL, SÃO PERGUNTAS QUEM TÊM RESPOSTA:segundo a sua espécie.. . .
    DEDUZEM COMO QUISEREM.
    (Gênesis 1:21) . . .E Deus passou a criar os grandes monstros marinhos e toda alma vivente que se move, que as águas produziram em enxames segundo as suas espécies, e toda criatura voadora alada segundo a sua espécie. . . .
    QUEM PRODUZIU AS ESPÉCIES, O CRIADOR OU OS ANIMAIS, A RESPOSTA ESTÁ NO VERSÍCULO, E MAIS UMA VEZ DARWIN A ONDE FOI BUSCAR A RESPOSTA ?
    CUMPRIMENTOS

    Gosto

  3. jephsimple diz:

    Eu li algo recentemente sobre o genoma das galinhas … elas possuem alguns genomas [ou mecanismos de defesa semelhantes ao dos mamiferos] encontrados nos mamíferos …

    “Os dinossauros não podem ter evoluído para pássaros porque, entre outras coisas, enquanto eles estavam vivos, eles alimentavam-se de pássaros!”

    Essa é muito boa …mas como bom sofistas que são os darwinistas fanáticos, cegos; vão nos entreter com boas história, muita magia.

    Outro ponto , dentro do darwinismo é muito provavel que uma transição de dinossauros para passaros produziria uma população menos apta, sendo assim é dificil acreditar que essa transição nonsense seguiria adiante. No mínimo deveria haver D.I,projeto,antevidência por trás desta transição, e não um relojoeiro cego,estúpido,retardado e idiota.

    os darwinistas assumem que o relojoeiro pode produzir , algo que fica no campo da fantasia da magia e não da ciência.

    Gosto

    • reis diz:

      Não acredito em evoluções, não á nada a comprovativo, é só teorias, e mais teorias, ora este diz que é assim, outro diz assado, uma vez vi um programa no Discovery, e um cientista mostrou como se fazia os testes de carbono, pois quando vi como, esta ciência de milhões foi tudo pelo cano abaixo, então ele pegou num osso, e pôs ás costas, e eu a pensar, olha vai fazer o teste, não atirou o osso daquele zona para fora, e foi pegar da terra que cobria o osso e foi fazer o teste, ora bolas, a terra é muito mais antiga do que o dinossauro, e ninguém sabe o motivo , ou de onde veio aquela terra, até poderia ser do dilúvio, porque tudo o que se tem encontardo até agora, tem sido é tudo dentro de fossés em lama seca ou rocha, não tem sido em vulcões, por isso não confio nestas histórias de milhões, milhões é uma eternidade, como não existe história antes da escrita , só podemos ficar é com palpites nada mais, e de palpites, que são as teorias, está o mundo cheio, isto é como algumas coisas que estava em museus, alguém foi lá examinar, e uma eram feitas de madeira, e outras feitas de gesso a imitar ossos, e uns tinha, os ossos das mãos nos pés, é só para ver como os cientistas também metem os pés pelas mãos, e andou os pequenos da escola a estudar as matérias deles como se fossem verdade, e afinal era uma bruta fraude, eu acredito é na criação, esta não é teoria é uma certeza.

      Gosto

  4. jephsimple diz:

    E os darwinistas como sempre, afinal esta em jogo não a realidade, não a ciência, esta em jogo o lado financeiro, o status acadêmico, inteiresses politicos, já estão se armando de novo sofima, 171 epistêmico, agora querem criar uma nova estória para o cambriano[uma evidência clara contra macroevolução;isto colocaria em dúvida o evolucionismo teísta, afinal a evolução não refuta um D.I nescessariamente].

    Enfim mais um show de magia naturalista.

    Quem quiser pode conferir alguma coisa aqui.

    http://www.evolutionnews.org/2012/10/cambrian_explos_1065451.html

    Estes naturalistas ateus fanáticos fizeram da mentira uma verdade.Pelo menos ao publico eles vendem suas mentiras como verdade.

    Gosto

  5. jephsimple diz:

    correção :

    Sofisma e não sofima.

    Gosto

  6. Azetech diz:

    Olá Mats, Jeph, e todos irmãos que frequentam este blog, tudo bem ?
    Estava navegando pela net e deparei com um argumento muito interessante de um evolucionista, onde me despertou uma dúvida.
    O Evolucionista chamava-se Ludwig.
    Segundo ele, uma evidência que desmascararia a crença na coluna geológica e nos supostos “milhões” de anos, seria a presença de um fóssil de um coelho em uma camada, que pertenceria no período pré-cambriano.
    Eu sei que esta argumento também é um próprio “tiro no pé” dos evolucionistas, visto que também não há nenhum registro fóssil de um celacanto ou Tuatara (e outros “fósseis vivos¨”) na mesma camada que se encontrariam os humanos. Sem contar é claro, o problema que eles possuem com fósseis poli-estratigráficos, como de árvores e baleias.

    Mas minha questão, foi a seguinte:

    Se o Dilúvio soterrou milhares de animais, em um mesmo período (Gerando os registros fósseis), porque eles não se apresentaram “misturados” nas camadas que a lama criou? Porque então os fósseis se apresentam de formas separadas? Seria a densidade dos animais? (Os mais densos embaixo e os menos em cima?) Seria a localidade dos mesmos? Vocês sabem se algum cientista não contaminado pelo “vírus” naturalista (Vide cientistas criacionistas) já ofereceram alguma explicação para este problema?

    Ficarei no aguarde do retorno.

    Abraços, e que Deus os Abençoe!

    Diogo.

    Gosto

    • Mats diz:

      Eu acho que tem muito a ver com a densidade dos animais em si, mas pode haver outras explicações.

      Gosto

    • Ana Silva diz:

      Diogo:

      Penso que as várias teorias criacionistas que defendem a existência de um dilúvio universal apresentam uma justificação para distribuição dos animais por camadas, incluindo a teoria das hidroplacas (aliás creio ter lido algo sobre isso).

      A distribuição em camadas apenas devido à densidade talvez não seja uma boa justificação. Densidade não é igual a peso. A densidade é “igual” a massa/volume (massa a dividir pelo volume). Por exemplo, á água tem maior densidade que o azeite. Se eu misturar água com azeite, a água fica sempre no fundo do copo e o azeite no topo, mesmo que eu coloque dez vezes mais azeite do que água. Isto quer dizer que animais (do mesmo “tipo” ou não) com tamanhos muito diferentes deveriam ficar na mesma camada, desde que tenham a mesma densidade (visto que, para a mesma densidade, quanto maior o tamanho (volume) maior a a massa).

      Depois caso os animais ficassem separados em camadas diferentes conforme a densidade então existiriam camadas de “tipos” de animais. Por exemplo dinossauros e aves ficariam certamente separados em camadas distintas, porque as aves têm (com algumas excepções) menor densidade do que dinossauros (e outros animais terrestres). A menor densidade das aves é necessária para que estas possam voar. Ora aves têm sido encontradas nas camadas onde existem dinossauros, contrariando esta hipótese.

      (Outro exemplo interessante quanto à densidade dos animais é o dos morcegos, que para voarem também têm uma menor densidade que outros mamíferos mais “possantes”. Se a densidade fosse um factor importante na distribuição dos fósseis de morcegos então estes estariam em camadas diferentes, separadas das camadas de outros mamíferos)

      Gosto

      • reis diz:

        Ana Silva , cara Sra, tens 100% de razão, é pena que numa era tão avançada como a nossa, as pessoas ainda andam atrás de (teorias, palpites, ideias, carbonos, e ???????????)
        (Gênesis 1:11) . . .Faça a terra brotar relva, vegetação que dê semente, árvores frutíferas que dêem fruto segundo as suas espécies,. . .

        ((( segundo as suas espécies))), a natureza é que produziu as espécies, e o Darwin concorda
        (Gênesis 1:11, 12) . . .E assim se deu. 12 E a terra começou a produzir relva, vegetação que dava semente segundo a sua espécie. . .
        O que diz aqui, que foi Deus que fez as espécies, ou a terra que as fez…
        é só puxar um pouco pela cuca e l a´chegamos, o que existe é interptretações a mais arespeito daquilo que lêem sem pensar para meditar e refletir naquilo que lêem.

        Produzam as águas um enxame de almas viventes e voem criaturas voadoras sobre a terra, na face da expansão dos céus.” 21 E Deus passou a criar os grandes monstros marinhos e toda alma vivente que se move, que as águas produziram em enxames segundo as suas espécies, e toda criatura voadora alada segundo a sua espécie
        Quem é que produz de novo ??? (((Produzam as águas )))

        Produza a terra almas viventes segundo as suas espécies, animal doméstico, e animal movente, e animal selvático da terra, segundo a sua espécie.” (((Produza a terra ))))

        Temos que racicionar antes de interpretar.
        (2 Pedro 1:20, 21) 20 Pois sabeis primeiramente isto, que nenhuma profecia da Escritura procede de qualquer interpretação particular. 21 Porque a profecia nunca foi produzida pela vontade do homem, mas os homens falaram da parte de Deus conforme eram movidos por espírito santo.
        E o mal deste mundo, é que é muitos a puxar a água para outos lados, e depois foge tudo á realidade e fica tudo torcido, tudo está aqui estas origens dos cientistas que querem ser sábios, mas apenas só nas suas mentes corrompidas pelas más interpretações.

        Gosto

    • jephsimple diz:

      Olá Diogo,

      Eu confesso que neste assunto específico [geologia,arqueologia] eu sou neófito,

      Realmente fico tbm a procura de explicação razoável … eu tenho algo em meu blog sobre o dilúvio,no caso não se trata de fósseis ,é sobre utensílios encontrados em diversas camadas diferentes.

      http://jephmeuspensamentos.wordpress.com/e-desenterrado-o-diluvio-werner-keller/

      Um Abraço.

      Gosto

  7. Ana Silva diz:

    Mats:

    “Os dinossauros não podem ter evoluído para pássaros porque, entre outras coisas, enquanto eles estavam vivos, eles alimentavam-se de pássaros.”

    Esta frase baseia-se pelo menos em duas falácias:

    (1) A noção (que se encontra subentendida no texto) de que existiram apenas “grupos” definidos de dinossauros ao longo do tempo e que não foram aparecendo espécies novas de dinossauros enquanto outras desapareceram.

    (2) A noção de que duas espécies, uma espécie “original” e uma espécie que tenha evoluído a partir da primeira (a “original”) não possam coexistir no tempo e no espaço.

    Ambas as noções são contrariadas pela existência de animais como o náutilo, o caranguejo-ferradura, os tubarões e os crocodilos que, se não me falha a memória, foram contemporâneos dos dinossauros e ainda “cá estão”. E não contrariam a Evolução, porque esta teoria defende a sobrevivência das espécies mais adaptadas ao meio-ambiente em que vivem, e espécies bem adaptadas não necessitam de “evoluir”, podendo manter-se “iguais” por milhões de anos.

    “Já foram encontrados fósseis de aves totalmente funcionais e capazes de manter voo constante em camadas datadas pelos evolucionitas como pertencentes a uma era anterior ao suposto desaparecimento dos dinossauros”. É verdade. Os fósseis mais antigos de aves que se conhecem têm perto de 150 milhões de anos e os dinossauros desapareceram do registo sólido há cerca de 65 milhões de anos. Ou seja, aves e dinossauros conviveram durante pelo menos 85 milhões de anos. Este facto é conhecido há vários anos pela comunidade científica. Também não põe em causa, por si só, a Evolução, pelo que escrevi neste comentário.

    Gosto

    • Lord Saga diz:

      Ana,
      É muito relevante sim.
      Demonstra que as hipóteses de quem descendeu de quem e gerou quem, tão muito na base de tiro no escuro.

      E esse negócio de “já sabíamos” não cola assim não. Era muito mais interessante para a teoria de que não existissem aves por esta época, que surgissem depois.

      Gosto

  8. Azetech diz:

    Mats
    Tu poderias conseguir um post em seu blog relacionado a este assunto? Poderias oferecer, pela cosmovisão criacionista, o motivo pelo qual os fósseis ficaram “separados” nas colunas geológicas criadas pelo dilúvio?
    Tenho certeza que este assunto será de grande valia para nós cristãos.

    Abraços,
    Diogo.

    Gosto

    • reis diz:

      claro que houve o dilúvio, e não foi só os 40 dias e noites.

      a arca esteve sobre a água quase seis meses, ele tiveram que usar o que podiam para se aguetarem lá dentro, e como houve muitas mortandades, imagina cerca de seis meses cadáveres de mamíferos, dinossauros a passear quilómetros a onde foram parar. vejamos o relato bíblico.

      Gênesis 8:1-5) . . .Depois disso, Deus lembrou-se de Noé e de todo animal selvático, e de todo animal doméstico que estava com ele na arca, e Deus fez passar um vento sobre a terra e as águas começaram a baixar. 2 E fecharam-se os mananciais da água de profundeza e as comportas dos céus, e assim se conteve o aguaceiro [vindo] dos céus. 3 E as águas começaram a retirar-se de cima da terra, recuando progressivamente; e ao fim de cento e cinqüenta dias, as águas tinham diminuído. 4 E no sétimo mês, no dia dezessete do mês, a arca veio a pousar nos montes de Ararate. 5 E as águas continuaram a diminuir progressivamente até o décimo mês. No décimo mês, no primeiro do mês, apareceram os cumes dos montes.
      Aos poucos a ciência se vai chegando para a verdade escritural.

      “A escrita de palavras corretas de verdade” ***
      O profeta Noé e os sete outros passageiros com ele, que sobreviveram ao dilúvio global há quarenta e três séculos passados, falaram todos o mesmo idioma na arca em que foram preservados vivos. Tratava-se do mesmo idioma falado pelo primeiro casal humano, apenas ampliado durante os 1.656 anos desde a criação do primeiro homem até o Dilúvio. Após aquele Dilúvio, depois de Noé e os outros sobreviventes terem saído da arca, no monte Ararate, no sudoeste da Ásia, Deus falou com eles por meio do seu anjo. Fez aparecer um símbolo de paz, o arco-íris, e deu-lhes uma mensagem de paz.
      e nos tempos que vivemos vai vir mais um cataclismo parecido.
      (2 Pedro 3:5-7) . . .Pois, segundo o desejo deles, escapa-lhes este fato, de que desde a antiguidade havia céus, e uma terra sobressaindo compactamente à água e no meio da água, pela palavra de Deus; 6 e, por esses [meios], o mundo daquele tempo sofreu destruição, ao ser inundado pela água. 7 Mas, pela mesma palavra, os céus e a terra que agora existem estão sendo guardados para o fogo e estão sendo reservados para o dia do julgamento e da destruição dos homens ímpios.
      Aqui não posso explicar nada ciêntifico, mas só factos já comprovados.

      Gosto

    • Cícero diz:

      Diogo, não ficaram tão “separados” assim.
      Os fósseis encontrados podem ser de qualquer período; como este osso de dino achado a 4 mts. de profundidade no Ceará, que pode ter milhares em vez de “milhões de anos” então. Note que é apenas osso mesmo; se fosse um fóssil estaria incrustado em algum sedimento (rocha) e não seria nada impossível ossos de mamíferos superiores estar próximo a este OSSO!
      http://www.sobral24horas.com/2012/09/atencao-em-iraucuba-numa-escavacao-de.html

      Gosto

  9. Azetech diz:

    Ana Silva

    “”” Penso que as várias teorias criacionistas que defendem a existência de um dilúvio universal apresentam uma justificação para distribuição dos animais por camadas, incluindo a teoria das hidroplacas (aliás creio ter lido algo sobre isso). “””

    Sim, está certa. A teoria das hidroplacas refere-se a isolamento geográfico como uma das causas da separação estratigráfica dos fósseis.
    Segundo a teoria, no continente unificado (Pangeia) os animais se apresentavam em localizações diferentes. Quando houve-se o dilúvio, estes animais foram soterrados em regiões diferentes, explicando então o motivo pelo qual uma trilobita (um animal marinho) jamais estaria próximo a um coelho (Animal terrestre), por exemplo, afinal seria muito difícil um coelho estar no mesmo ambiente da trilobita.
    Esta hipótese eu até acho válida, visto que também não há nenhum registro fóssil de um celacanto com um mamífero, na mesma camada, por exemplo. Se o registro fosse fiel a tempo, teríamos celacantos, tuataras e outros “fósseis vivos” nas mesmas camadas dos animais hoje existentes.

    Referente a hipótese da densidade dos animais, também acho válida e te explicarei o porque:
    Como na época do dilúvio, as forças das marés, frequentemente agitavam a lama, os animais por possuiam suas estruturas diferentes (Pois as classes de animais possuem suas “carnes” diferentes) iriam se alocando de acordo com sua densidade juntamente com a densidade da lama, pois assim como a lama possuía densidade diferente uma das outras, depositando a mais densa no fundo e a menos no topo, o mesmo ocorreu com os os animais soterrados nesta lama, ou seja, o mais denso no fundo e o menos no topo.

    Eu sei que densidade é diferente de peso, e por isso que os animais foram separados não pelo seu tamanho, mas sim pela sua estrutura baseada em sua composição.

    Gosto

    • Azetech diz:

      Ana Silva

      Na minha opinião, creio que estes dois fatores foram responsáveis pela separação dos fósseis. Tanto o ambiente geográfico que estes animais se encontraram como a densidade de suas estruturas.

      Mas eu gostaria de ter mais respaldo para garantir meu veredicto, então este foi o motivo pelo qual pedi ajuda ao Mats , visto que eles está relacionado diretamente a estudos científicos.

      Abraços,
      Diogo.

      Gosto

    • Ana Silva diz:

      Diogo:

      “Quando houve-se o dilúvio, estes animais [“trilobita (um animal marinho)” e “coelho (animal terrestre)”] foram soterrados em regiões diferentes, explicando então o motivo pelo qual [um] jamais estaria próximo a [outro]. Afinal seria muito difícil um coelho estar no mesmo ambiente da trilobita.”

      Na verdade, tendo em conta a libertação violenta de águas subterrâneas proposta pela teoria das hidroplacas, eu esperaria uma maior mistura entre fósseis de animais terrestres e animais marítimos. Actualmente existem várias cadeias montanhosas a menos de 50 km da costa. Penso que a violência da libertação das águas subterrâneas e as tempestades geradas por este fenómeno teriam força suficiente para fazer a água varrer várias dezenas de quilómetros, passando facilmente por cima de montanhas, e permitindo a mistura de animais de habitats diferentes. Mas é só uma opinião.

      Alias, como a teoria das hidroplacas defende que antes do dilúvio a Terra era muito “plana” e que as montanhas só se formaram com a libertação das águas subterrâneas, é ainda mais aceitável que as águas varressem vários quilómetros de terra trazendo consigo animais marinhos e arrastando animais terrestres. Nesse caso teria de haver mistura.

      Gosto

      • reis diz:

        Srª ANA, ESTÁS CORRETA EM GRANDE PARTE DESTE RACIOCÍNIO.
        NÃO FOI SÓ O TEMPO DA CHUVA, FAZENDO ´SO AS CONTAS AOS 40 DIAS A CHUVER É UM MÊS E+ 10 DIAS, SÓ A ISTO, JÁ AQUI JÁ ROLA MUITOS CADAVERES E LAMA, MAIS DE UM MÊS, AGORA SOMANDO MAIS 150 DIAS DA ARCA NA ÁGUA ATÉ AS ÁGUAS COMEÇAREM A BAIXAR, FAZ UMA ANÁLIZE MENTAL, E DEPOS COMEÇOU LENTAMENTE A ÁGUA A BAIXAR, O MONTE ARARATE TEM CERCA DE 5 MIL METROS DE ALTURA, AQUI POUSOO A ARCA, SAÍ OS ANIMAIS, MAS EM OUTRAS PARTES DO GLOBO É SÓ MORTOS A PASSEAR NA ÁGUA ATÉ AO SEU POUSO FINAL DE DESCANÇO, ESTAMOS AQUI A FALAR EM CERCA DE 6 MESES, MEIO ANO, MAS NÃO ESTÁ AQUI + OS 40 DIAS DO DILÚVIO, AGORA VÊ O ESPÓLIO ARQUEOLÓGICO PARA ONDE FOI E EM QUE CIRCUNSTÂNCIAS, POR ISSO QUANDO OUVIRES UM CIENTISTA FALAR, ELE SÓ VAI AO MUNDO IMÁGINÁRIO, NÃO AVALIA ESTES FACTORES IMPORTANTES, E ACABA AQUELAS COISAS EM (((ESPECULAÇÃO, TEORIAS, DÚVIDAS, ETC))) E AFINAL, PESANDO OS FACTORES E AS TRANSFORMAÇÕES E DEFORMAÇÕES DO PRÓPRIO PLANETA E DAS PLACAS TECTÓNICAS, O PLANETA ANTIGO DESAPARECEU, AGORA VIVEMOS NOUTRO PLANETA PINTADO DE NOVO E RASGADO POR CANIONS E VALES DAS MESMAS ÁGUAS QUE OS MOLDARAM, ÉM POR ISSO, QUE CERTOS DESERTOS JÁ FORAM O LEITO DO FUNDO MARINHO, SINAL QUE OUVE PLACAS QUE LEVANTARAM COM O PESO EXCESSIVO DA ÁGUA, E OUVE CONTINENTES QUE DESAPARECERAM POSSÍVELMENTE A TÃO FAMAOSA ATLÂNTIDA, ENFIM TUDO MUDOU.
        CUMPRIMENTOS

        Gosto

  10. Azetech diz:

    Mats

    Estava a pesquisar sobre o assunto na net e encontrei uma suposta pesquisa realizada por Leonard Brand da Universidade de Cornell. Segundo esta suposta experiencia, ele pegou 2 galões de água e ligou esses galões através de um cano. Ele encheu um dos galões com água e colocou vários tipos de solo no outro. Depois pegou diferentes grupos de animais mortos (peixes, anfíbios, répteis, mamíferos) de vários tamanhos e colocou nos galões.
    Assim, ele começou a simular a maré baixa e a maré alta (compressão e descompressão) como se ocorressem num período de aproximadamente 330 dias. A “engenhoca” de Brand funcionava mais ou menos como uma balança. No final do experimento constatou-se que a lama nos galões formava camadas estratigráficas exatamente iguais às que os geólogos encontram na natureza. E o mais interessante foi a posição em que os animais ficaram nessas camadas:
    – Anfíbios (fundo do tanque)
    – Repteis (logo acima dos anfíbios)
    – Mamíferos (logo acima dos repteis)
    – Aves (na parte superior do tanque)
    A mesma seqüência encontrada hoje.
    Isso, em tese, corroboraria a hipótese das coluna geológica terem se formado durante o dilúvio.
    Porém pesquisando na internet, não encontrei a fonte desta suposta experiência.

    Como tú estás envolvido neste meio, poderia me ajudar a encontra-la?
    Gostaria de analisar melhor esta experiência.

    Abraços,
    Diogo.

    Gosto

  11. Douglas diz:

    Eu ia postar a mesma coisa que voce Diogo, mas parece que vc foi mais rapido kkkkkkkkkkk
    Mas mesmo assim, se quiserem saber mais sobre as camadas geologicas e suas inumeras “falhas” que nao sao muito comentadas, vou passar um video.

    Gosto

    • reis diz:

      gosto muito de arqueologia, porque também já o fui, fui arqueólogo subaquático, por isso os arqueólogos são os maoires amigos das escrituras sagradas, mas também ás vezes se enganam com alguns raciocinios ,não somos perfeitos.
      uma coisa é certa, nunca posso contar com datações corretas seja lá daquilo que for, porque em milénios, muitas químicas foram perdidas, devido ao envelhecimento das mesmas. e devido a camadas de solo que dali naãeram e lá foram parar.
      porque é que ás vezes se encontra conchas do mar em desertos e cumes de montanhas, porque houve montanhas que eram submersas e hoje estão á vista, e outras que nunca mais regressaram, porque antes de haver terra, este planeta era só água, mas os niveis de água não eram tão altos, com o dilúvios, o planeta ficou com a´gua a mais , parte dela está nos pólos retida, e a outra está no mar, e tudo o que era baixo lá ficou no mar.
      analizemos certos factores bíblicos para entender melhor certas coisas.
      Jó10:26: “Marcou um limite circular sobre a superfície das águas, onde a luz e as trevas se confinam”. Nota: Como poderia Jó ter feito tal alegação, se até pouco tempo se acreditava que a terra era quadrada? Tehilin (SL) 104:3 “És tu que pões nas águas os vigamentos da tua morada”
      No tocante a camada de ozônio, camada esta que permite a vida no nosso planeta. O Eterno a fez com uma proporção incrível; Imagine uma maçã e a casa que a protege. Bom, com a mesma proporção da casca de uma maçã, a terra tem “sua casca”, a camada de ozônio.
      A camada de ozônio circunda toda a Terra
      Versos 9,10: “E disse Elohim: Ajuntem-se num só lugar as águas que estão debaixo do céu (Expansão), e apareça o elemento seco. E assim foi. Chamou Elohim ao elemento seco terra, e ao ajuntamento das águas mares. E viu Elohim que isso era bom”.
      Nota: Pela primeira vez aparecem as porções de terra seca sobre nosso planeta. Estas porções dividem os mares e formam os continentes que temos. Somente agora podemos retratar Mayim (águas) como Mar (Ian). Obs: Não confundir com as águas dos Shamaym que a Ruach Elohim se movia!
      Versos 11,12: “E disse Elohím: Produza a terra erva verde, erva que dê semente, árvore frutífera que dê fruto segundo a sua espécie [Leminóh], cuja semente está nela sobre a terra; e assim foi. E a terra produziu erva, erva dando semente conforme a sua espécie, e a árvore frutífera, cuja semente está nela conforme a sua espécie; e viu Elohím que era bom. E foi a tarde e a manhã, o dia terceiro” Nota: Aqui temos a Lei da Similaridade e a Lei da Geratividade: a) – Lei da Geratividade: A palavra direcionada a algo gerando algo; b) – Lei da Similaridade: O produto gerado não vive sem o que o gerou!
      No versículo onze, percebemos o princípio da Lei da Geratividade, quando Elohim direciona sua palavra/ordem para a terra e esta prontamente o obedece. Elohim não gera de si erva verde, Ele outorga a terra essa responsabilidade que é produzir erva verde que dê semente.
      aqui é preciso entender uma coisa que os cientistas se enganam muitas vezes , o Criador fez a terra, mas as espécies que existem na terra, ele ordenou que a própria a terra as produzi-se, e isto tem dadao muitas dores de cabeça aos cientisatas por causas de lerem as escrituras e não entenderem o que la´está escrito, o criador não andou a fazer um casal de cada peixe, o mar é que os produzio, ao que os evolucionistas dizem ser mutações, ou que é totalmente oposto, a natureza concebeu os embriões para a vida na sua própria espécie.
      E disse Elohim : Produza a terra relva, ervas que dêem semente… A terra, pois, produziu relva, ervas que davam semente ((segundo as suas espécies”))
      Também podemos aplicar a segunda Lei, que é o da similaridade (O produto gerado não vive sem o que o gerou). Como a erva originou-se da terra, logo a mesma possui a mesma genética e, por conseguinte, não vive sem ela.
      Enfim usando a lógica lá chegamos.

      Gosto

  12. jephsimple diz:

    Mats,

    Boa a nova roupa do blog!

    Gosto

  13. jephsimple diz:

    Ana,
    Boa tarde,

    “e espécies bem adaptadas não necessitam de “evoluir”

    Quem SABE que os bem adaptados não PRECISAM evoluir?Os genes?E evoluir em que sentido?

    Lembrando que evoluir é simplesmente MUDAR e NADA MAIS,considerando a hipótese darwiniana.

    De novo eu cito os arganazes como exemplo, se formos considerar morfologicamente, os arganazes não “necessitam” evoluir [um racicínio circular;como eles não mudaram, então são bem adaptados... eles não mudam... Pq são bem adaptados...Pq não mudam...Tautologia];os arganazes não “nescessitam” evoluir … Vamos lá …a taxa mutacional dos arganazes é elevadíssima, existem discrepâncias enormes entre espécies diferentes de arganazes,isso claro considerando o lado genético,porém as variadas espécies de arganazes são extremamente parecidas, só um exame acurado de dna para identificar as diferentes espécies,[os arganazes se relacionam com sua espécie correta]

    Vê :
    1)Os arganazes estão a evoluir de forma muito rapida.

    2)Os arganazes não evoluem.

    1) e 2) são verdadeiros ..isso diz alguma coisa sobre a hipótese darwiniana provocada por um “relojoeiro cego”?

    Sobre os mais aptos:
    Os pobres em termos darwinianos são menos aptos que os ricos, porém os pobres deixam mais descendentes que os ricos[que tem acesso a uma vida de melhor qualidade,em quase todos os sentidos; saúde, moradia, alimentação e etc]que deixam menos descedentes.

    Depois a aptdão de uma espécie ,por exemplo um chimpanzé,não explica pelo sugimento da aptidão, o surgimento do chimpanzé, ou seja vc não pode querer explicar o surgimento do chimpanzé pela aptdão que ele tem ou passa a ter , uma vez que com ou sem aptidão chimpanzés estão a evoluir para …. chimpanzés!

    O máximo que pode ocorrer é os chimpanzes serem extintos, ao invés de deixarem de ser chimpanzés.

    Este é um ponto que levanto, o outro é que o DI não é anti-evolução.Ou seja mesmo que fosse verdade que as espécies mudam para uma completamente diferente de seus descentdentes antigos, não quer dizer que não poderia ter havido projeto por traz desta evolução.

    A outra hipótese é que não houve projeto nenhum, e nem há projeto nenhum …então eu fico a esperar o que algo sem projeto pode produzir mesmo se lhe dermos bilhões de anos.Eu fico procurando uma hipótese reproduzivel,testável onde se dispense a inteligência ,um projeto, um objetivo.

    Gosto

  14. Azetech diz:

    Mats

    “””Diogo, ainda estou a procura de alguma informação a esse nível, mas essa experiência é muito interessante”””

    A fonte da pesquisa citada pela pessoa que descreveu esta experiência é esta:

    Brand, Leonard. 1979. “Vertebrate Taphonomy: The Difficulties in Becoming a Fossil”. Unpublished paper. Results of a flotation experimento on a small sample of animal carcasses.

    Infelizmente não consegui encontrar este E-Book na Net. Mas se tu conseguires, ficarei muito grato se indicares, pois este estudo será de grande valia para mim.

    Abraços,
    Diogo.

    Gosto

  15. jephsimple diz:

    Eu queria postar algo sobre os peer review…

    Alguns naturalistas fanaticos acusam o D.I. e o Criacionismo [mais ainda] de não ter uma publicação peer review em revistas importantes como a nature, a science daily por exemplo.

    Isso é uma arbitrariedade contra a ciência , eu concordo com os peer review, porem não é pq a nature ou outra que seja não os aceita, que os profissionais de areas específicas não estão fazendo ciência operacional…

    E eu encontrei isto :

    1) Em 1981, a Nature rejeitou um papel feito pelo bioquímico Robert H. Michell na sinalização de reacção por hormonas. Este trabalho já foi citado mais de 1.800 vezes.

    (2) Em junho de 1937, a Nature rejeitou carta de Hans Krebs que descreve o ciclo do ácido cítrico. Krebs ganhou o 953 Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina por esta descoberta.

    (3) A Nature rejeitou inicialmente um artigo sobre o trabalho para o qual Harmut Michel ganhou o 1988 Prémio Nobel da Química, que foi identificado pelo Instituto de Informação Científica como um documento-base e amplamente citado.

    (4) Um papel de Michael J. Berridge, rejeitada em 1983 pela Nature , classifica, no número 275 em uma lista dos artigos mais citados de todos os tempos. Ele tem sido citado mais de 1.900 vezes.[4]

    [4]Juan Miguel Campanario, “Not in our Nature ,” Nature , Vol 361:488 (February 11, 1993).

    Outro exemplo é Günter Blobel, que em uma entrevista coletiva dada logo após ele ter sido agraciado com o Prêmio Nobel de Medicina, disse que o principal problema encontra em sua pesquisa é” quando suas bolsas e artigos são rejeitados porque alguns usuário estúpido rejeita-os para adesão dogmática a velhas idéias. ” De acordo com o New York Times , estes comentários “atraiu aplausos das centenas de colegas simpáticos e cientistas mais jovens no auditório.”

    Enfim eu sou a favor dos papeis revisados, mas sou a favor da liberdade acadêmica, sem preconceitos, sem jogos de interesses políticos,financeiros, a ciência não pode ficar sujeita aos caprichos humanos,a subjetividade, ela tem que ser imparcial,seguir os dados aonde quer que eles nos levem!

    É isso!

    Gosto

  16. Roberto diz:

    Que nojo ver um bando de gente que nunca entrou em um laboratório, que nunca publicou um artigo, que pouco conhecem do método científico, que não são formados nem possuem conhecimento em química, física, biologia ou geologia, chamando cientistas de mentirosos, acusando-os de 171s epistêmicos, entre tantas outras acusações. Na Fiocruz estamos desenvolvendo uma pesquisa com o genoma do Aedes, em busca de uma possível vacina. A análise molecular indica que ocorreu uma divergência há mais ou menos 13 mil anos entre os concestrais. Óbvio que sou um mentiroso. 13 mil anos??? A Terra tem só 6 mil, não é? Dado o nível dos comentários, boa parte do pessoal aqui deve ter estudado em escolas públicas de péssima qualidade. Uma pergunta para o dono da página: como você se sente sabendo que você é um inútil, que nunca via fazer nada de bom para a humanidade, e supre essa angústia despejando para os ignorantes seu desconhecimento em biologia, bioquímica, genética, filogenia, bioestatística, além de toda a química, física e geologia? Como você se sente que uma pesquisa que usa como base a evolução vai ajudar a desenvolver uma vacina? Você não vai usá-la, vai? Isso te tornaria um hipócrita. Bando de escrotos safados e pilantras.

    Gosto

    • Azetech diz:

      Mats

      Viu só Mats,apenas por não possuir a FÉ em Charles Darwin. és um imbecil, malfeitor e dissemina a ignorância.
      Só faltava o “digníssimo” Roberto chama-lo criminoso e tentar te prender.
      LOL ;-)

      Gosto

      • Mats diz:

        Sim, parece que sou mesmo um vilão de todo o tamanho. O nosso crime? Não ter fé que répteis evoluam para pássaros.

        Gosto

    • Régerson diz:

      Pelo nível do comentário do Roberto, provavelmente ele é o filho do ajudante do ajudante de laboratório que trabalha na Fiocruz [Fundação Oswaldo Cruz], que se diga de passagem é uma instituição brasileira de pesquisa séria e bem conceituada a nível internacional [Site oficial da Fiocruz: http://portal.fiocruz.br/pt-br%5D. O senhor Roberto logo de início em seu comentário deixa bem claro seu preconceito e agressividade fazendo uso em seu texto de várias falácias como: Argumento ad hominem e argumento ad baculum, ou seja, ele ataca as pessoas e as aterroriza com as supostas consequências se não adotarem o seu ponto de vista. Seria sempre interessante que quando alguém faz um questionamento, que desse a fonte referida do estudo e quando fosse contrapor algum conhecimento, debatesse a ideia e não atacasse as pessoas, afinal de contas, estamos num mundo até então livre, onde podemos contrapor ideias e que vença a melhor [ideia, argumento, etc].

      Gosto

  17. Sebastião Monteiro diz:

    A fé não é de todos, nunca vão ter a mente de Cristo porque estão condenados a morrerem nas trevas. E Como amo a Jesus !!!!!!! todos os dias temos novas revelações de Jesus Cristo.
    Um abraço a todos tenham fé ou não.

    Gosto

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s