Resposta ao Ludwig Krippahl – 1

O ateu Ludwig Krippahl “descobriu” algumas das coisas que têm sido escritas aqui neste blog, e resolveu dar a sua opinião. Algumas das coisas que ele disse merecem ser comentadas.

«O Criacionismo e a Teoria da Evolução» é o título de um blog criacionista que descobri recentemente (1). O autor, anónimo, explica que «A discussão sobre a evolução e a criação não tem tanto haver (sic) com a ciência, mas sim com a moralidade que cada pessoa tem.»(2)

Tem alguma razão. O criacionismo não é uma proposta objectiva acerca dos factos; é uma tentativa de enganar os outros.

No entanto, o Ludwig não disse porque é que o criacionismo não é “objectivo”. Provavelmente o que o Ludwig quis dizer é “não é objecivo porque não está de acordo com a teoria da evolução”.
Segundo, o Ludwig não disse como é que o criacionismo Bíblico “tenta enganar os outros”.

Nota-se nas razões que propõe para os cientistas acreditarem na evolução:

Os cientistas ou os evolucionistas? Sim, a maioria dos cientistas acredita que os seres vivos criaram-se a si próprios, e que o mundo (e o universo) criou-se a si próprio, mas nem todos o cientistas suportam esa crença.
Não só existem muitos cientistas hoje que sabem que o mundo biológico foi originalmente criado por Deus, mas a esmagadora maioria dos cientistas que fundaram muitos dos ramos ciencia moderna eram Cristãos:

In his essay Of Atheism Sir Francis Bacon wrote: “I had rather believe all the fables in the Legend, and the Talmud, and the Alcoran, than that this universal frame is without a mind.”

Parafraseando: “Prefiro acreditar em fábulas do que acreditar que este universo veio a existir sem uma Mente.”
O sociólogo Rodney Stark investigou os individuos que fizeram as contribuições mais significativas durante os anos de 1543 até 1680, o período da Revolução científica.Na lista do Dr Stark, composta por 52 cientistas, apenas um era um céptico (Edmund Halley) e o outro (Paracelsus) era um panteísta. Os outros 50 eram cristãos, 30 dos quais poderiam ser caracterizados como cristãos devotos.

«1- São levados a acreditar que a evolução está certa […] (vivem numa atmosfera que assume a evolução como um facto mais que confirmado).> 2- Por motivos filosóficos.»>> Não. Por século e meio de evidências acumuladas que confirmaram alguns aspectos da teoria de Darwin, corrigiram outros, acrescentaram muita coisa e nos guiaram a uma teoria que permite compreender muito mais acerca de muito mais coisas que qualquer alternativa.

Depende do que o Ludwig consideram ser as alternativas. Se o Ludwig acha que não há alternativa à teoria da evolução, então, claro que esta “teoria” vai explicar “muito mais”. No entanto, a partir do momento em que nós consideramos uma alternativa à teoria da evolução, e rejeitando as “condições” impostas à priori (naturalismo), a teoria da evolução é claramente insuficiente.

Mas convinha perguntar ao Ludwig: há alternativa à teoria da evolução? Se sim, qual é? Se não, então deve ser essa a razão pela qual ela é tão “aceite”.

Da origem da vida à formação das espécies e dos mecanismos moleculares de mutação à evolução de órgãos complexos não há explicação alternativa para os dados que temos.

“Origem da vida”?! Devo dar os parabéns ao Ludwig porque ele, ao contrário de muitos outros darwinistas, sabe que a origem da vida está umbilicalmente ligada à teoria da evolução. O problema para o Ludwig é que a pesquisa sobre a origem da vida está totalmente “aos papéis”. Não há concordância entre os darwinistas sob como a vida surgiu na Terra.

A defunta experiência Miller e Urey já foi globalmente rejeita como não-realista. Como se isso não bastasse, o cientista cristão Louis Pasteur claramente mostrou que a vida vem da vida. Matéria sem vida (pedras, sais minerais, etc) não tem capacidade para gerar sistemas com vida.

Segundo, o Ludwig agora diz que “não há explicação alternativa“, mas em cima disse que a teoria da evolução é “uma teoria que permite compreender muito mais acerca de muito mais coisas que qualquer alternativa
Mas em quê é que ficamos? Há alternativa à teoria da evolução ou não?

E são muitos. Dois milhões de espécies conhecidas, cinco milhões de genes sequenciados, cinquenta mil estruturas de proteínas, incontáveis fósseis, e tudo explicado de forma a encaixar com a física, a geologia, a astronomia, a química e assim por diante.

Nada disto confima a crença de que a vida biológica originou apenas devido à interacção das leis da física e da química. Muito pelo contrário, a complexidade irredutível dos vários sistemas biológicos apontam para o Criador.

No entanto, seria bom se o Ludwig nos mostrasse a lei natural capaz de gerar todos aqueles sistemas biológicos.

> E a evolução é um facto confirmado.


Nada poderia estar mais longe da verdade. Até hoje, o que é empiricamente verificado é gatos a darem à luz gatos, cães a darem à luz cães, pombos a darem à luz pombos, etc, etc. Até hoje, não houve uma única variação a esta lei Divina.

A teoria da evolução, no entanto, diz que a “milhões de anos atrás” os macacos surgiram daquilo que não era um macaco, as aves evoluiram dos répteis, as baleias evoluiram de um qualquer animal terreste, e tudo o resto.

Os dados empíricos (aquilo que vêmos a acontecer em frente aos nossos olhos) claramente não suporta esta crença.

Escreve que «quando questionados sobre o que é que [os darwinistas] têm em mente com evolução, invariavelmente eles falam de variação genética.»(3)

Invariavelmente porque é essencialmente isso.

Não, não é. O facto de gatos brancos darem à luz gatos pretos, cinzentos ou castanhos (variação genética) não explica de onde é que os gatos surgiram originalmente.

Se a tua teoria diz que pode explicar a origem dos sistemas biológicas, então tens que dar evidências disso. Mostrar o que acontece a esses sistemas quando eles já existem não explica a sua origem.

É mesma coisa que se eu disser que eu consigo ir a Lua a pé, e usar como evidência disso eu poder ir daqui até à casa do meu vizinho da frente. Ilógico.

Tal como a velocidade é a variação da posição de um corpo em função do tempo, a evolução é a variação da distribuição de características hereditárias numa população ao longo do tempo.


Definição vazia, e sem valor científico algum.

Podes vêr isso se eu disser “A evolução é a teoria que diz que os filhos vão ser genéticamente diferentes dos pais“. Sim, e depois?

Variação é uma coisa que já se conhecia antes de Darwin. O próprio Darwin usou o exemplo da variação nos cães como exemplo de como as espécies podem variar com o tempo. No entanto, o facto de as espécies poderem variar dentro de um campo genético limitado não é evidência de que se uma mosca variar durante milhões de anos, ela pode se tornar numa águia.

Esta variação é um facto e a teoria da evolução é a única explicação que temos que esclarece os mecanismos desta variação.

Sim, a variação é um facto empírico, mas não, a teoria da evolução não é confirmada só porque gatos brancos dão luz gatos pretos.

Além disso, o criacionismo e a teoria do “Design Inteligente” (DI) incorporam em si a variação genética. Portanto, como a variação é aceite por teorias opostas, ela não pode ser usada como evidência exclusiva para só uma delas. Se a variação confirma a teoria da evolução, então também confirma o criacionismo e o DI.

Para o final, o Ludwig aludiu ao problema do Mal, mas não comentou. Como ele não comentou, eu também não vejo necessidade em expandir sobre isso.

Romanos 1:22: Julgando-se a si mesmo como sábios, tornaram-se loucos.

Deus seja louvado.

Advertisements

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Ciência and tagged . Bookmark the permalink.

8 Responses to Resposta ao Ludwig Krippahl – 1

  1. Já percebi que entendes que a teoria da evolução não é cristã e por isso recusa-la. Mas a cristandade é menor que a humanidade; ou seja, há muitas pessoas que não acreditam em Cristo nem, sequer, na totalidade da Bíblia: Este livro não lhes diz nada. Acreditam noutros deuses, têm outra fé.
    Como consegues convencer estas pessoas da tua razão, que Deus, o Deus da Bíblia, criou o mundo em 7 dias, etc.?

    Like

  2. Mats says:

    Caro Zé Dias,

    Já percebi que entendes que a teoria da evolução não é cristã e por isso recusa-la.

    Eu recuso a teoria da evolução por muitos motivos, não só religiosos, mas sim, a teoria é obviamente anti-cristã. Os seus fundadores não foram tímidos em dizer que a teoria é um ataque à crença em Deus.

    No entanto, a ciência tem mostrado que aquilo que os evolucionistas usam ou usavam como evidências não é suficiente para comprovar o mecanismo. Um bom livro para aprofundar um pouco o nível de conhecimento sobre as insuficiências do darwinismo é o livro “Evolution: A Theory in Crisis” (Michael Denton). Nesse livro o Dr Denton lista várias problemas dentro da teoria. Se puderes, compra-o.

    Mas a cristandade é menor que a humanidade; ou seja, há muitas pessoas que não acreditam em Cristo nem, sequer, na totalidade da Bíblia: Este livro não lhes diz nada. Acreditam noutros deuses, têm outra fé.
    Como consegues convencer estas pessoas da tua razão, que Deus, o Deus da Bíblia, criou o mundo em 7 dias, etc.?

    Antes de mais, Deus criou o universo em seis dias, não sete (Êxodo 20:11).

    Segundo, eu não consigo convencer ninguém a acreditar na Bíblia. Esse trabalho é feito pelO Espírito de Deus. A nossa missão é só para partilhar o conhecimento de Deus. Após isso, as pessoas responderão consoante aquilo que elas quiserem.

    Terceiro, existem muitas linhas de evidência que fazem com que a Biblia seja Um Livro Único, desde a sua preservação, a sua natureza profética, o seu poder transformador e muito mais. No entanto, deixa-me deixar-te com um pensamento:

    No Livro do profeta Daniel, capítulo 9 versículo 25, está escrito que o Messias haveria de aparecer na Terra de Israel antes da destruição do Segundo Templo. Ora, o Templo foi destruído no ano 70A.D, e é um dado confirmado que o Livro de Daniel foi escrito ANTES do ministério do Senhor Jesus Cristo. A pergunta que eu gostaria de fazer é: como é que Daniel sabia disto ANTES de estas coisas acontecerem?

    A resposta mais lógica é “Deus revelhou-lhe”. Portanto se naquilo que podemos testar historicamente, a Bíblia está certa, então naquilo que não podemos testar empiricamente não há razão para não aceitarmos.

    Deus não pede uma fé cega, mas uma fé racional. A fé do Cristão na Bíblia é uma fé, mas é uma fé racional.

    Like

  3. Joaquim Coelho says:

    Adoro este argumento muito usado pelos criacionistas: “Nada poderia estar mais longe da verdade. Até hoje, o que é empiricamente verificado é gatos a darem à luz gatos, cães a darem à luz cães, pombos a darem à luz pombos, etc., etc.”

    Pois se víssemos isso acontecer era uma prova que a teoria da evolução estava errada, pois a selecção implica gerações: de milhares até milhões de anos. (Como o homem não faz registos há tanto tempo, logo…)

    Que sejas feliz com o teu criacionismo do qual não há a mínima prova directa ou indirecta, não me preocupa nada.

    Já quando usam argumentos falaciosos e falsos para atacar o evolucionismo já me chateia.

    1. Primeiro leia com atenção a evolução das espécies (aposto que ainda não leu, ou então não percebeu nada)

    2. Um contraditório às atordoadas ID está aqui: http://www.evo.bio.br/LAYOUT/BEHE.html

    Acerca da ciência e cristãos: muitos cientistas são cristãos e até criacionistas e não há mal quanto a isso. Se as suas teorias forem cientificamente válidas óptimo.

    A religião cristã da idade média foi um obstáculo à ciência. A ciência árabe e chinesa foram muito mais evoluídas nesse período obscuro da inquisição.

    É verdade que a origem da ciência moderna no ocidente veio dos cristãos e da igreja (muitos cientistas eram padres ou religiosos), mas não tem nada de estranho:1. eram quase os únicos (junto com alguma nobreza) a ter acesso ao saber, á escrita e leitura. 2. Na altura para aí 99% seriam cristãos.
    Mas o desenvolvimento da sociedade e da ciência teve um nome:

    Iluminismo
    “O Iluminismo representa a saída dos seres humanos de uma tutelagem que estes mesmos se impuseram a si. Tutelados são aqueles que se encontram incapazes de fazer uso da própria razão independentemente da dilecção de outrem. É-se culpado da própria tutelagem quando esta resulta não de uma deficiência do entendimento mas da falta de resolução e coragem para se fazer uso do entendimento independentemente da direcção de outrem. Sapere aude! Tem coragem para fazer uso da tua própria razão! – esse é o lema do Iluminismo”.

    Conceito bem pouco do gosto da Igreja, para quem o iluminismo foi quase a origem dos males do homem. Então não há quem diga que se deve pensar com a sua cabeça e não cingir-se a um livro já fora de prazo.

    Like

  4. Mats says:

    Adoro este argumento muito usado pelos criacionistas: “Nada poderia estar mais longe da verdade. Até hoje, o que é empiricamente verificado é gatos a darem à luz gatos, cães a darem à luz cães, pombos a darem à luz pombos, etc., etc.”

    Pois se víssemos isso acontecer era uma prova que a teoria da evolução estava errada, pois a selecção implica gerações: de milhares até milhões de anos. (Como o homem não faz registos há tanto tempo, logo…)

    Então se não é empiricamente testável, não é ciência. A ciência lida com coisas que podem ser testadas, verificadas, muitas vezes repetidas em situações controladas. Se a evolução “demora milhões de anos”, logo está fora do campo de teste empírico, e desde logo, está fora do domínio da ciência.

    Que sejas feliz com o teu criacionismo do qual não há a mínima prova directa ou indirecta, não me preocupa nada.

    Claro que há provas. O facto de existir vida é uma evidência para a existência de Deus, uma vez que não existe força natural alguma capaz de criar seres vivos a partir da matéria morta.

    A religião cristã da idade média foi um obstáculo à ciência. A ciência árabe e chinesa foram muito mais evoluídas nesse período obscuro da inquisição.

    E é por isso que o mundo árabe e o mundo chinês estão tão mais avançado cientificamente que o mundo ocidental, certo?

    Segundo, o religião cristã na idade média cometeu muitos erros, mas um desses erros não foi impedir as pessoas de conhecer o mundo natural. Muito pelo contrário, a revolução científica aconteceu na europa cristã precisamente devido àquilo que foi descoberto e testado durante a idade média.

    É verdade que a origem da ciência moderna no ocidente veio dos cristãos e da igreja (muitos cientistas eram padres ou religiosos), mas não tem nada de estranho:1. eram quase os únicos (junto com alguma nobreza) a ter acesso ao saber, á escrita e leitura. 2. Na altura para aí 99% seriam cristãos.

    Obrigado por concordares que a maioria dos cientistas responsáveis pela revolução cietifica eram cristãos. Não há muitos ateus dispostos a aceitar esse facto histórico. Os ateus comunistas da China até chegaram ao ponto de dizer que Isaac Newton apenas se tornou religioso quando já era velho e senil!

    Segundo, o facto de para aí 99% serem cristãos não invalida o meu ponto inicial.

    Mas o desenvolvimento da sociedade e da ciência teve um nome:
    Iluminismo

    Historicamente falso, como confirmado em cima.

    “O Iluminismo representa a saída dos seres humanos de uma tutelagem que estes mesmos se impuseram a si. Tutelados são aqueles que se encontram incapazes de fazer uso da própria razão independentemente da dilecção de outrem.

    Mas se Deus não existe, e se nós somos apenas matéria química, não há razão nenhuma para confiar na nossa razão. Aliás, foi isso que o darwinista Haldane disse:

    If my mental processes are determined wholly by the motions of atoms in my brain, I have no reason to suppose that my beliefs are true … and hence I have no reason for supposing my brain to be composed of atoms.

    Do ponto de vista materialista/naturalista/ateísta não há razão nenhuma para se confiar na razão. No entanto, se os seres humanos foram criados à Imagem de Deus, e a nossa forma de racicionar reflecte a Dele, então nós podemos confiar nos nossos processos mentais.
    Basicamente, o cristianismo é a “cama” onde a ciência pôde “dormir” e prosperar, enquanto que o ateísmo é uma visão do mundo que não justifica a ciência.
    Repito, é por isso que a ciência moderna, aquela que os ateus acham que se deve ao ateísmo, surgiu na Europa Cristã.

    Like

  5. Devo concluir então que o criacionismo apenas explica a origem da vida dos cristãos? Se não consegues convencer os outros a acreditar na bíblia, também não os consegues convencer que a tua teoria é verdadeira. Mas eles também fazem parte da Humanidade.
    Estou um bocado baralhado.

    Like

  6. Mats says:

    Não consigo convencer os outros porque não tenho poder para isso, não porque as evidências não são suficientes. Como o povo diz, podes levar um cavalo ao rio, mas não podes obrigá-lo a beber. Ele bebe se quiser. Similarmente, Deus deixou-nos muitas evidências para que nós soubessemos que Ele existe. O problema é que para algumas pessoas, a existência de Deus não é uma coisa que eles queiram, muito devido ao estilo de vida que levam.

    Segundo, a Bíblia explica as origens de toda a vida.

    Like

  7. Nuno says:

    Caro “Mats”,

    Eu uso todos os dias modelos evolutivos para fazer investigação. Modelos esses que permitem fazer genómica comparativa e testar hipóteses sobre evolução de proteínas, genes e outras moléculas. Esses modelos permitem comparar a informação genómica associada a organismos cujo antepassado comum existiu presumivelmente há dezenas ou por vezes centenas milhões de anos.

    Admitamos, por hipótese, que eu amanhã tinha um acesso de fé criacionista e resolvia repudiar a teoria da evolução. Como sugere que eu fizesse o meu trabalho? Em que teoria devem sustentar o seu trabalho os milhares de cientistas que trabalham na área da Biologia e usam constantemente genómica comparativa para fazer pesquisa fundamental e aplicada que eventualmente nos permite compreender melhor os processos biológicos e, por vezes, melhorar a qualidade de vida das pessoas possibilitando o desenvolvimento de medicamentos ou outras terapias?

    A história da criação do mundo em seis dias é muito bonita sim senhor, os senhores que a escreveram há milhares de anos tinham de facto uma imaginação prodigiosa, mas isso não me ajuda nada. Porque ninguém pode basear o seu trabalho científico em mitos da criação.

    Com todo o respeito pelas suas crenças religiosas, sugiro que adopte uma leitura menos literal dos seus textos sagrados. Outros que antes de si olharam para a Bíblia viram nela também a prova de que a terra seria plana ou que o Sol rodaria em torna dela e foram, subsequentemente, obrigados a rever as suas interpretações.

    Like

  8. Douglas says:

    Muito Boa sua ”Refutacao” Mats
    Continue assim

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s