Causas do Ateísmo

Este site enumera algumas das razões para o ateísmo.

1. Rebelião.

2. Depravidade Moral

3. Superficialidade

4. Erro

5. Igrejas estatais

6. Má relação com a figura paterna

7. Divisão na religião

8. Paz, prosperidade e conhecimento (progresso)

9. Más experiências com teístas.

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged . Bookmark the permalink.

22 Responses to Causas do Ateísmo

  1. Joaquim Coelho says:

    Falta uma, aliás o ponto único porque sou ateu: não acredito no sobrenatural nem em nada que não tenha evidências fisicas ou que no minimo possam ser inferiveis por resultados indirectos e que se repitam sempre.
    Não sou teista por este motivo.

    Não gosto das igrejas ou cultos (nenhum) pela sua pretensa moralidade e pelo querer impor as suas “verdades” e convicções.

    Preferia os deuses greco-romanos, pelo menos as deusas.

    O que entendes por depravidade moral ?
    Será o oposto das práticas “moralistas” de pregadores evangélicos e de padres com atitudes pedófilas, como acontece com frequência ?

    O que são igrejas estatais na maioria das democracias ocidentais ?

    O ponto 8 é um louvor ao ateísmo ?

    Já agora mesmo que por absurdo existisse um deus qualquer eu não seria religioso pois não estaria disposto a subtmer-me as regras que ele muito bem quisessse.

    Like

  2. Mats says:

    Joaquim,
    A tua resposta engloba quase todos os pontos das causas do ateísmo:

    Falta uma, aliás o ponto único porque sou ateu: não acredito no sobrenatural nem em nada que não tenha evidências fisicas ou que no minimo possam ser inferiveis por resultados indirectos e que se repitam sempre.
    Não sou teista por este motivo.

    Essa “razão” está englobada no ponto 4 (“Erro”). Tu exiges continua manifestação sobrenatural para acreditar que Deus existe, mas a existência de eventos sobrenaturais não é evidência suficiente para a existência de Deus. Porquê? Porque os demónions também podem causar eventos sobrenaturais (como Fátima, e outros). Portanto a tua resposta confirma o ponto 4 (“Erro”).

    Não gosto das igrejas ou cultos (nenhum) pela sua pretensa moralidade e pelo querer impor as suas “verdades” e convicções.

    Esta resposta está englobada no ponto 9 (“Más experìências cm teístas”).

    Preferia os deuses greco-romanos, pelo menos as deusas.

    Ponto 2 (“Depravidade moral”).

    O que entendes por depravidade moral ?
    Será o oposto das práticas “moralistas” de pregadores evangélicos e de padres com atitudes pedófilas, como acontece com frequência ?

    Ponto 9 (“Más experiências com teístas”).

    O que são igrejas estatais na maioria das democracias ocidentais ?

    Tipo igreja católica em Portugal.

    O ponto 8 é um louvor ao ateísmo ?

    Não. Esse ponto diz que em tempos de paz, prosperidade, e progresso científico, as pessoas acham que Deus é irrelevante.

    Já agora mesmo que por absurdo existisse um deus qualquer eu não seria religioso pois não estaria disposto a subtmer-me as regras que ele muito bem quisessse.

    Isto confirma o ponto 1 (“Rebeliáo”).

    Like

  3. Joaquim Coelho says:

    Fico feliz por englobar todos os pontos.
    Assim posso ter uma vida livre e escolher as minhas convicções morais.
    Se tenho uma relação com uma mulher que se esgotou mudamos os dois (ainda bem que sou depravado).
    Não me preocupo com a morte pois não acredito na vida depois dela.
    Sou livre para pensar e não seguir cegamente um livro absurdo (e já agoar chato como a potassa)

    Fátima é uma treta. Mesmo que existisse tal personagem (virgem (será?) Maria ) porque escolheria Portugal e uns pastores ainda crianças e analfabetos (infelizmente era tipico do regime religisoso que havia) e optava por pairar sobre uma oliveira com as ramas a fazerem-lhe cocegas na sola dos pés em vez de se sentar coomodamente e convocar os habitantes da região para uma palestra ?
    E já agora porque dizer que salazar é que era a salvação ?
    Tretas. É por esta e por outras que ainda me convenço mais de estar certo. Evenho de uma familia relativamente religiosa.

    Dizes: “Tu exiges continua manifestação sobrenatural para acreditar que Deus existe” . Falso exijo manifestações naturais ou comprovaveis.

    ”Más experìências cm teístas”
    Falso. nem boas nem más. Não gosto de igrejas como não gosto de ditaduras nem de nada que formate o meu pensamento sem bases crediveis.
    Gosto ser livre. Nunca pertenci a uma igreja. Não gosto do que sei dela, mas não é por isso que sou ateu. Repito sou ateu pela definição inerente: não acredito em deus.

    Preferia os deuses greco-romanos, pelo menos as deusas.
    Ponto 2 (”Depravidade moral”).
    Sim gosto de mulheres. Fico contetnte por me achares depravado moral por isso. Não tenho problemas com a nudez das mulheres nem com praticas sexuais menos ortodoxas.
    Assim passo a ser duplo ateu.

    Ponto 9 (”Más experiências com teístas”).
    Não. Apenas indica que tanto faz ser teista ou ateu para ter comportamentos morais que na minha perpectiva (e neste caso da generalidade da sociedade moderna ) são errados.
    Ser religioso não faz uma pessoa boa (ou má). Ser ateu não faz uma pesso má (ou boa).

    “Tipo igreja católica em Portugal.”
    Errata: a igreja católica já não é uma igreja estatal (FELIZMENTE!)
    As igrejas protestantes, Jeovás, daquele padre brasileiro que não me lembro o nome, anglicanas, judaiscas, islâmicas, hindus e outras, são tão más ou piores que a cristã católica.
    Aliás, apesar de todos os males a católica actual ainda consegue ser a menos intolerante.

    “Não. Esse ponto diz que em tempos de paz, prosperidade, e progresso científico, as pessoas acham que Deus é irrelevante.”
    Deus é irrelevante em qualquer situação, como qualquer entidade inexistente.
    O problema é quando o relevam.

    Isto confirma o ponto 1 (”Rebeliáo”).
    Não. Significa que tenho caeça para pensar por mim e que tomo as minhas decisões pelas minhas análises.
    Se sou contra as práticas de Hitler, Estaline, Mao, Salazar não é por rebelião é por convicção profunda de que estão erradas.

    PS. Escrevi este post sem reflectir muito e sem ofensa, apenas me apeteceu brincar no inicio. Se alguma palavra for ofensiva para a tua crença peço que elimines este post. Não gosto de entrar em polemicas religiosas quando entram na convicção pessoal de cada um, que mesmo não acreditando, respeito. Mas optei por escrever pois também o post em si é um pouco provocador.

    Like

  4. alogicadosabino says:

    “Gosto ser livre. Nunca pertenci a uma igreja.”

    eu frequento uma igreja evangelica e sou livre…

    “Será o oposto das práticas “moralistas” de pregadores evangélicos e de padres com atitudes pedófilas, como acontece com frequência ?”

    Na minha opinião até pode ser. Mas lá estás tu a olhar para humanos falíveis. Nenhum deles diz que é perfeito ou que nunca vai errar contra Deus. Eu estou aqui e, provavelmente, todos os dias faço coisas que vão contra a minha fé, consciente ou inconscientemente. Nenhum de nós está a dizer que quem crê em Deus é moralmente melhor que os outros. Apenas dizemos que é por isso mesmo que necessitamos do perdão do Deus que nos criou.

    Like

  5. Joaquim Coelho says:

    “eu frequento uma igreja evangelica e sou livre”

    Desculpa, mas não me parece que quem acredita cegamente num livro sem o questionar, não pode ser verdadeiramente totalmente livre.

    Quem pensa, vou fazer ou não fazer isto, para agradar a Deus.
    Isto é assim porque é a palavra de Deus e logo correcta, sem a questionar.

    Ou seja, uma parte substancial da tua vida e das tuas opções é condicionada e/ou influenciada pelo facto de acreditares de olhos fechados na Biblia.

    Nem questionas, nem perguntas porquê, porque a melhor resposta para ti é: está na biblia.

    Não penso que quem procede assim está a ser absolutamente livre. É verdade que a escolha é livre. Mas depois o caminho já não é tão livre.

    Eu não tenho um camiho definido. Quando chego a um cruzamente escolho em função dos dados que tenho e por vezes da intuição ou do acaso.

    Como diria o grande poeta José Régio:
    Não, não vou por aí! Só vou por onde
    Me levam meus próprios passos…

    Não sei por onde vou,
    Não sei para onde vou
    – Sei que não vou por aí!

    (O poema é tão maravilhoso que não resisto a transcreve-lo todo.)

    Cântico Negro

    “Vem por aqui” – dizem-me alguns com os olhos doces
    Estendendo-me os braços, e seguros
    De que seria bom que eu os ouvisse
    Quando me dizem: “vem por aqui!”
    Eu olho-os com olhos lassos,
    (Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)
    E cruzo os braços,
    E nunca vou por ali…

    A minha glória é esta:
    Criar desumanidade!
    Não acompanhar ninguém.
    – Que eu vivo com o mesmo sem-vontade
    Com que rasguei o ventre à minha mãe

    Não, não vou por aí! Só vou por onde
    Me levam meus próprios passos…

    Se ao que busco saber nenhum de vós responde
    Por que me repetis: “vem por aqui!”?

    Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
    Redemoinhar aos ventos,
    Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,
    A ir por aí…

    Se vim ao mundo, foi
    Só para desflorar florestas virgens,
    E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!
    O mais que faço não vale nada.

    Como, pois sereis vós
    Que me dareis impulsos, ferramentas e coragem
    Para eu derrubar os meus obstáculos?…
    Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avós,
    E vós amais o que é fácil!
    Eu amo o Longe e a Miragem,
    Amo os abismos, as torrentes, os desertos…

    Ide! Tendes estradas,
    Tendes jardins, tendes canteiros,
    Tendes pátria, tendes tectos,
    E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios…
    Eu tenho a minha Loucura !
    Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,
    E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios…

    Deus e o Diabo é que guiam, mais ninguém.
    Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;
    Mas eu, que nunca principio nem acabo,
    Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.

    Ah, que ninguém me dê piedosas intenções!
    Ninguém me peça definições!
    Ninguém me diga: “vem por aqui”!
    A minha vida é um vendaval que se soltou.
    É uma onda que se alevantou.
    É um átomo a mais que se animou…
    Não sei por onde vou,
    Não sei para onde vou
    – Sei que não vou por aí!

    Like

  6. alogicadosabino says:

    “Nem questionas, nem perguntas porquê”

    quem te disse que não? A minha relação com o Cristianismo não é a mesma que era quando eu tinha 10 anos, apesar de já ir à igreja com essa idade e ouvir as historias da biblia. Mas fui crescendo, fui vivendo, fui experimentando até que…

    “porque a melhor resposta para ti é: está na biblia.”

    Eu posso-te dar um copo com um líquido amarelo e dizer para tu provares porque é mt bom. Tu dizes que não queres porque parece mijo. Mas eu garanto-te que não é mijo, é uma bebida muito boa. Tu decides provar e no primeiro gole cospes tudo e dizes: Isto é mijo pá. E eu digo-te: pois é, porque provaste pudeste garantir. Se não provasses ficavas na dúvida. Não sei se me fiz entender.

    Posso-te garantir que não sofro danos físicos nem psicológicos por acreditar em Deus. Se eu achasse que acreditar em Deus me fazia mal já tinha arredado pé.

    Outra coisa… se há gente como nós que abre blogues para falar da evolução e da criação e de Deus é apenas por amor a ti, pois sem Cristo estás a caminhar para o precipício

    Like

  7. José Ferreira says:

    Eu também me declaro ateu, Não pelos motivos mencionados acima e sim pela implausibilidade da existência de deus.
    Sou ateu porque não consigo imaginar um deus atraz de tantos erros e crimes cometidos pelo cristianismo (Hipácia, Joana D’arc, Girodano Bruno, Galileu Galilei, caça às bruxas…)
    Sou ateu porque elegi o espírito científico e seu método da prova como sendo mais eficiente. Podem até dizer o contrário, mas ciência e religião foram, são e sempre serão incompatíveis entre si. A base da religião é a fé enquanto a base da ciência é a dúvida. Eu não acredito em uma teoria científica, eu adoto-a enquanto ela for aplicável. E quando surgir outra que supere-a, eu a descarto. Na religião isso nem é possível imaginar, Segue um livro há mais de 2 mil anos sem questioná-lo, Suspeito até que este mesmo livro nem seja lido, e se for com certeza ele nãe é interpretado.
    Sou ateu porque vejo o quanto a ciência melhorou a a condição e qualidade da vida no planeta terra.
    Não sou ateu por revolta, não posso me revoltar contra algo que não considero a sua existência.
    Essa lista de motivos para o ateísmo é mesmo uma piada, coisa dirigida para quem acredita e não para quem pensa. Para ser ateu, uma condição fundamental é pensar. Se não tiver essa condição resta a segunda opção. Crer.
    Sou ateu convicto e com muito orgulho.

    Like

  8. Mats says:

    Olá José.

    Eu também me declaro ateu, Não pelos motivos mencionados acima e sim pela implausibilidade da existência de deus.

    Isso está englobado no ponto 4 (“Erro”). A existência só é implausível se rejeitares as evidências.

    Sou ateu porque não consigo imaginar um deus atraz de tantos erros e crimes cometidos pelo cristianismo (Hipácia, Joana D’arc, Girodano Bruno, Galileu Galilei, caça às bruxas…)

    Isso está englobado no ponto 9 (“Más experiências com teístas”).

    Sou ateu porque elegi o espírito científico e seu método da prova como sendo mais eficiente.

    Isso está englobado no ponto 4 (“Erro”). A ciência é a última coisa que se poderia usar contra Deus, uma vez que a ciência só é possível se Deus existe.

    Podem até dizer o contrário, mas ciência e religião foram, são e sempre serão incompatíveis entre si.

    “Erro”.
    Tens que dizer qual é a ciência que tens em mente e qual é a religião que tu achas que está contra a “ciência”:.
    Os fundadores da maior parte dos ramops científicos modernos eram cristãos e/ou criacionistas.

    A base da religião é a fé enquanto a base da ciência é a dúvida.

    “Erro”:
    Mais uma vez, tens que dizer qual é a religião que tens em mente.
    Segundo, a base da ciência não é a dúvida, mas sim a fé nas leis que operam no mundo material.

    Eu não acredito em uma teoria científica, eu adoto-a enquanto ela for aplicável.

    Totalmente irrelevante, uma vez que ninguém aqui está a atacar a ciência, mas sim o ateísmo.

    E quando surgir outra que supere-a, eu a descarto.

    Mesmo a teoria da evolução?

    Na religião isso nem é possível imaginar,

    Que religião?

    Segue um livro há mais de 2 mil anos sem questioná-lo,

    “Erro”.
    O processo de se questionar a Bíblia assume coisas que só são garantidas se a Bíblia fôr verdade. Ela assume que o nosso processo mental é válido, e de alguma forma ele tem alguma correspondência com o mundo à volta.
    Essas posições de fé são garantidas pela Bíbliai ao afirmar que o Mesmo Deus que criou o universo criou-nos á Sua Imagem. Portanto, se eu quiser questionar a Bíblia, eu tenho que usar outra coisa que a minha mente.

    Suspeito até que este mesmo livro nem seja lido, e se for com certeza ele nãe é interpretado.

    Estás a falar de experiências pessoais?

    Sou ateu porque vejo o quanto a ciência melhorou a a condição e qualidade da vida no planeta terra.

    A ciência, não o ateísmo.

    Não sou ateu por revolta, não posso me revoltar contra algo que não considero a sua existência.

    “Erro”.
    Toda a gente sabe que Deus existe, e portanto o ateu vive em revolta contra Alguém que ele sabe que existe. Como é que eu sei que toda a gente sabe que Deus existe? Eu sei porque toda a gente vive assumindo coisas que só fazem sentido se Deus existir.

    Essa lista de motivos para o ateísmo é mesmo uma piada, coisa dirigida para quem acredita e não para quem pensa.

    “Erro”.
    Acreditar e pensar não são mutuamente exclusivas.

    Para ser ateu, uma condição fundamental é pensar.

    Mas pensar seria impossível, ou injustificável, se o ateísmo fosse verdade. Pensar assume que o nosso cérebro é mais do que uma amálgama de químicos que se auto-organizou por acaso (sem design). No entanto, se o ateísmo é verdade, então o nosso cérebro nada mais é que uma amálgama de químicos que se auto-organizou por acaso (sem design).

    Portanto, tu ao pensares, estás a fazer uma coisa que contradiz o teu ateísmo. Tens duas escolhas:
    1. Ou deixas de pensar para estares de acordo com o ateísmo
    2. Ou então aceitas que a tua mente não é o resultado de forças impessoais da natureza, mas sim o resultado de Deus a ter criado à Sua Imagem e Semelhança.

    Em que é que ficámos, José?

    Se não tiver essa condição resta a segunda opção. Crer.
    Sou ateu convicto e com muito orgulho.

    Se o ateísmo é verdade, o orgulho é apenas um alinhamento químico que acontece no teu corpo que produz a sensação de “orgulho”.

    Like

  9. João Gabriel says:

    “não acredito … em nada que não tenha evidências fisicas ou que no minimo possam ser inferiveis por resultados indirectos e que se repitam sempre”

    Joaquim, poderias oferecer-me uma “evidência física” ou uma “inferência por resultado indirecto e que se repita sempre” da frase “não acredito em nada que não tenha evidências fisicas ou que no minimo possam ser inferiveis por resultados indirectos e que se repitam sempre”? Se falhares em apresentar essa “evidência física” e/ou “inferência por resultado indirecto e que se repita sempre” da própria frase, então não podes acreditar nela, uma vez que disseste, “não acredito em NADA que…”, etc.

    Além disso, eu gostaria que definisses “evidência” e que depois fornecesses “evidência física” ou uma “inferência por resultado indirecto e que se repita sempre” da própria definição de “evidência”. Se falhares em oferecer “evidência física” ou uma “inferência por resultado indirecto e que se repita sempre” da própria definição de “evidência”, então não podes acreditar em “evidência” (seja de que tipo seja).

    Aguardo uma resposta.

    Like

  10. alogicadosabino says:

    João Gabriel,

    O Joaquim já cá não anda há muito tempo 😦

    Like

  11. José Ferreira says:

    Olá Mats,
    “Isso está englobado no ponto 4 (”Erro”). A existência só é implausível se rejeitares as evidências.“
    Considero a existência de deus a assim como considero a existência de fadas, gnomos e extraterrestres, etc… As evidências são as mesmas. Nem mesmos nos lugares mais prováveis eu tive evidência da sua existência.
    “Isso está englobado no ponto 4 (”Erro”). A ciência é a última coisa que se poderia usar contra Deus, uma vez que a ciência só é possível se Deus existe.
    Devemos salientar que deus foi usado inúmeras vezes contra a ciência, essa postura atrasou de forma proposital o desenvolvimento humano, exemplo: abolição da escravatura. Quanto menos esclarecido é um povo, mais fácil é manipulá-lo. Quem lida com ciência sabe que a fé não determina nada no seu resultado.
    Tens que dizer qual é a ciência que tens em mente e qual é a religião que tu achas que está contra a “ciência”:.
    Os fundadores da maior parte dos ramops científicos modernos eram cristãos e/ou criacionistas.
    Ciência a meu ver. É o método que descreve um fato físico ou químico e prova por meios claros como isso acontece. E pode repetir isso quantas vezes forem necessárias. Religiões são todas as seguem a bíblia, isso engloba muita gente. Não estou disposto a fazer distinção.
    Mais uma vez, tens que dizer qual é a religião que tens em mente.
    Segundo, a base da ciência não é a dúvida, mas sim a fé nas leis que operam no mundo material.
    Na questão defini o que significa religião. Ninguem precisa ter fé no eletromagnetismo, gravidade, força eletrofraca ou eletroforte. Elas podem ser verificadas e quantificadas.
    “Totalmente irrelevante, uma vez que ninguém aqui está a atacar a ciência, mas sim o ateísmo.”
    Aliás, atacar é uma ação comum entre os criacionista quando nao ataca os ateus, ataca as Torres Gêmeas em troca do paraiso. Um ateu não se sujeitaria a isso. Só mesmo alguem com um cérebro lavado por uma idéia imbelcil seria capaz disso. E a ciência tem uma origem pagã, assim como os criacionistas a definiram nos seus primórdios.
    “Mesmo a teoria da evolução?”
    Sem dúvida. Porque ela deveria ser a exceção?
    “Que religião?”
    Repetitivo, enfadonho, enchimento de texto, truque primário. Descrito ateriormente.
    “O processo de se questionar a Bíblia assume coisas que só são garantidas se a Bíblia fôr verdade. Ela assume que o nosso processo mental é válido, e de alguma forma ele tem alguma correspondência com o mundo à volta.
    Essas posições de fé são garantidas pela Bíbliai ao afirmar que o Mesmo Deus que criou o universo criou-nos á Sua Imagem. Portanto, se eu quiser questionar a Bíblia, eu tenho que usar outra coisa que a minha mente.”
    Eu nao tenho nenhum livro que seja classificado de verdadeiro, a blíblia estaria em último lugar, Eu a tenho como o livro das angústias humanas. Um livro de contos. Quem a define como livro da verdade não sou eu.
    “Estás a falar de experiências pessoais?
    Estou falando das pessoas que o invocam como se todas as respostas estivessem nela.
    “A ciência, não o ateísmo.”
    Invoco a ciência porque vivo dela, como ateu encontrei nela sintonia com o meu modo de pensar. E as duas coisas estão intimamente ligadas à minha personalidade. Trabalho para empresas que praticam ciência. Não dependo de fé para praticar o meu trabalho. Preciso de certeza comprovada. Não iludo ninguem.
    “Toda a gente sabe que Deus existe, e portanto o ateu vive em revolta contra Alguém que ele sabe que existe. Como é que eu sei que toda a gente sabe que Deus existe?”
    O fato de me considerar ateu, não me tira a condição de ser gente, É isso que pensa? Ou não pensa quando escreve? Nos dois casos a conclusão é assombrosa. Sei que deus não existe e ponto final.
    “Mas pensar seria impossível, ou injustificável, se o ateísmo fosse verdade.”
    O ateismo não se propoe a ser verdade. É simplemente não acreditar em deus. Tenho esse direito? Deixarei de ser classificado como gente?

    Like

  12. Mats says:

    “Isso está englobado no ponto 4 (”Erro”). A existência só é implausível se rejeitares as evidências.“

    Considero a existência de deus a assim como considero a existência de fadas, gnomos e extraterrestres, etc… As evidências são as mesmas.

    “Erro”.
    A existência do Deus Criador não é suportada nem refutada pela existência ou inexistência de fadas, gnomos ou ETs. Estás a usar o argumento falacioso do falso dilema.

    Nem mesmos nos lugares mais prováveis eu tive evidência da sua existência.

    “Erro”. AS evidências para a existência de Deus extendem-se por Geológicas (Dilúvio), Biológicas (falta de força natural com poder para criar a vida a partir da matéria morta), históricas, arqueológicas, filosóficas e pessoais.
    A rejeição destas linhas de evidências é sinónimo de muitas coisas. Racionalidade não é uma delas.


    “Isso está englobado no ponto 4 (”Erro”). A ciência é a última coisa que se poderia usar contra Deus, uma vez que a ciência só é possível se Deus existe.

    Devemos salientar que deus foi usado inúmeras vezes contra a ciência,

    Contra qual “ciência”?

    essa postura atrasou de forma proposital o desenvolvimento humano, exemplo: abolição da escravatura.

    A maior parte dos movimentos abolicionistas dos EUA e da Inglaterra eram liderados por cristãos. ALiás, só a Bíblia serve de fundamento para a abolição da crença que existem seres humanos inferiores e outros superiores. A teoria da evolução foi usada como forma de justificar o racismo (Ota Benga).

    Quanto menos esclarecido é um povo, mais fácil é manipulá-lo.

    Nisso concordo. Talvez por isso é que os evolucionistas não estejam interessados em sujeitar a sua fé em Darwin a escrutínio científico.

    Quem lida com ciência sabe que a fé não determina nada no seu resultado.

    Claro que determina. Se tu não tiveres fé que as leis da ciência vão operar no futuro da mesma forma que operaram no passado, vai ser difícil fazer ciência. Mas se Deus não existe, não há justificação nenhuma para se esperar que o mundo exiba racionalidade e intelegibilidade.

    Tens que dizer qual é a ciência que tens em mente e qual é a religião que tu achas que está contra a “ciência”:. Os fundadores da maior parte dos ramops científicos modernos eram cristãos e/ou criacionistas.

    Ciência a meu ver. É o método que descreve um fato físico ou químico e prova por meios claros como isso acontece. E pode repetir isso quantas vezes forem necessárias. Religiões são todas as seguem a bíblia, isso engloba muita gente. Não estou disposto a fazer distinção.

    É importante fazer a distinção, porque, tal como já te disse, a maior parte dos cisntistas do passado, aqueles que fundaram muitos dos ramos da ciência moderna, seguiam a Bíblia. Eles não viram contradição entre a sua fé em Deus e os dados observados.

    Tens que definir qual é a ciência que tens em mente, e qual é a religião.

    Segundo, a base da ciência não é a dúvida, mas sim a fé nas leis que operam no mundo material.

    Na questão defini o que significa religião. Ninguem precisa ter fé no eletromagnetismo, gravidade, força eletrofraca ou eletroforte. Elas podem ser verificadas e quantificadas.

    Mas como é que sabes que elas vão funcionar no futuro tal como funcionaram no passado?

    “Totalmente irrelevante, uma vez que ninguém aqui está a atacar a ciência, mas sim o ateísmo.”

    Aliás, atacar é uma ação comum entre os criacionista quando nao ataca os ateus, ataca as Torres Gêmeas em troca do paraiso.

    Lá estás tu a equivaler muçulmanos com cristãso. Por isso é que eu te pedi para definires qual é a religião que tens em mente.
    O facto de terrorristas muiçulmanos atacarem pessoas inocentes não é evidência contra o criacionismo, obviamente.

    Um ateu não se sujeitaria a isso.

    CLaro que não. Um ateu pode muito bem fazer o que o ateu Stalin fez, e arrebanhar uma quantidade de pessoas, e mandá-las para os gelos dos gulags. Ou então fazer o que o ateu Mao Tse Tung fêz, e matar todos os que não concordem com ele. TUdo depende do ateu que tu tens em mente.

    E a ciência tem uma origem pagã, assim como os criacionistas a definiram nos seus primórdios.

    Deves estar a falar de outra ciência, porque a ciência moderna, aquela que te permite usar computadores, tem fundamentos judaico-cristãos. Não é por acaso que a revolução científica aconteceu na europa cristã.

    “O processo de se questionar a Bíblia assume coisas que só são garantidas se a Bíblia fôr verdade. Ela assume que o nosso processo mental é válido, e de alguma forma ele tem alguma correspondência com o mundo à volta.
    Essas posições de fé são garantidas pela Bíbliai ao afirmar que o Mesmo Deus que criou o universo criou-nos á Sua Imagem. Portanto, se eu quiser questionar a Bíblia, eu tenho que usar outra coisa que a minha mente.”

    Eu nao tenho nenhum livro que seja classificado de verdadeiro, a blíblia estaria em último lugar, Eu a tenho como o livro das angústias humanas.

    Isso assume que há algum problema com “angústias humanas”.

    “Toda a gente sabe que Deus existe, e portanto o ateu vive em revolta contra Alguém que ele sabe que existe. Como é que eu sei que toda a gente sabe que Deus existe?”
    O fato de me considerar ateu, não me tira a condição de ser gente, É isso que pensa? Ou não pensa quando escreve? Nos dois casos a conclusão é assombrosa. Sei que deus não existe e ponto final.

    Sabes que Deus não existe, mas ajes e vives como se ele existisse.
    Todo o ser humano foi criado à Imagem DO Mesmo Deus, e como tal não há seres e pessoas inferiores que as outras. Somos todos iguais em dignidade valor e direitos.

    “Mas pensar seria impossível, ou injustificável, se o ateísmo fosse verdade.”

    O ateismo não se propoe a ser verdade. É simplemente não acreditar em deus. Tenho esse direito? Deixarei de ser classificado como gente?

    Se o ateísmo fôr verdade, a definição de quem é “gente” é muito relativa.

    Like

  13. João Gabriel says:

    José e Mats,

    Peço perdão por estar a intrometer-me na discussão, mas apenas queria comentar um ponto do José.

    Ele afirma que “O ateismo não se propoe a ser verdade. É simplesmente não acreditar em deus.” Eu gostaria de saber do José, o que ele quer dizer pela frase “não se propõe ser verdade”. Uma vez que o José parece definir “ateísmo” como sendo “simplesmente não acreditar em Deus”, então, quando ele diz que o “ateísmo não se propõe a ser verdade”, ele estará a dizer que a proposição “É simplesmente não acreditar em deus”, “não se propõe a ser verdade”.

    Aguardarei uma resposta do José.

    Obrigado.

    Like

  14. José Ferreira says:

    Olá João Gabriel.
    Concordo que não tenha sido claro na minha colocação, vou tentar fazê-lo agora.
    Os criacionistas têm um ser sobrenatural e um livro que devem ser seguidos e tidos como verdade. Um ateu como eu, não tem este ser e nem livro de condutas . Isso não implica em dizer que não tenha ética ou valores morais. Devemos considerar que o pensamento ateu, é diverso por não ter um centro unificador (Igreja ou bíblia). Eu, particularmente, centro minha filosofia no humanismo e procuro fazer uma leitura isenta do que a natureza pode me dizer. Não tenho deus, contudo, tenho um respeito muito grande pela vida e pelo ser humano.
    João, Eu como ateu, não quera impor o meu pensamentos à outras pessoas, como fazem as religiões. Exprimo minha opinião de uma maneira honesta e sincera sem querer convencer ou converter a ninguem.
    Tenho uma “conciência” que está presente comigo em tempo integral e me cobra postura, honestidade e acima de tudo humanidade. Embora, exerça o livre pensamento, não pratico o vale tudo como pensa preconceituosamente, os que não o exercem. Sou capaz de amar e controlar meus impulsos destrutivos, e ví ao longo da minha vida que pessoas pretensamente guiadas por deus cometeram crimes bárbaros contra a humanidade. Exemplo: Hitler, Mussolini, Sadam Hussem, Kolmeini etc.
    Temos que adimitir que o ser humano é egoísta e instintivamente tende a ser posessivo e quando contrariado tende a ser destrutivo se não educado.
    Espero ter-lhe esclarecido.

    Like

  15. João Gabriel says:

    Olá José.

    Antes de mais queria agradecer-te a resposta e o esclarecimento. Contudo, se me permitires, eu gostaria de comentar alguns pontos da mesma.

    A certa altura referes que “Isso (i.e., o facto de seres ateu e não teres esse ser sobrenatural e livro de condutas) não implica em dizer que não tenha ética ou valores morais”. Eu certamente que concordo que “tens ética” e “valores morais”; isso não está em questão, e muitas vezes é aqui que reside a confusão quando se examina esta questão. O que o Mats quer dizer é que os ateístas falham em prover um fundamento, uma justificação racional adequada, para essa “ética” e “valores morais”.

    Por exemplo, mais adiante dizes: “Não tenho deus, contudo, tenho um respeito muito grande pela vida e pelo ser humano.” Mais uma vez, isto não está em questão. Não duvido que respeites a vida e o ser humano. Agora, uma questão importante, no presente contexto, seria: “DEVES ter respeito pela vida e pelo ser humano?” Creio que responderás com um enfático “sim”. Mas então, chegará a pergunta que demanda de ti uma razão (uma explicação racional) para o “deves”: “PORQUE deves ter respeito pela vida pelo ser humano?”

    Mais uma vez, obrigado pela tua atenção, e aguardarei uma resposta.

    Like

  16. José Ferreira says:

    Olá, João.
    “PORQUE deves ter respeito pela vida pelo ser humano?”
    Ao meu ver. Estamos aqui neste planeta há milhões de anos, quem sabe há bilhões numa escalada evolutiva lenta e gradual. Não temos noção exata da nossa origem, nem sabemos pra onde estamos caminhando. Os crentes justificam suas inquetações existencias em deus. Ateus como eu, não tem esse abrigo. No entanto precisamos de motivos para existir e continuar a escalada. Temos por fim que escolher valores que devam nortear nossa caminhada. O respeito à vida é um deles que torna-se nescessário. Esse respeito tambem deve-se ao fato de que julgo que temos um ancestral comum. Desrespeitando à vida estamos desrespeitando à nossa origem. Penso assim. Repito, não quero convencer a ninguém. Tenho meios de viver exercendo o meu talento. Digo isso porque tenho um exemplo claro na minha vizinhaça de uma família inteira em que ninguem trabalha e vivem promover curas em nome de Jesus. Fundaram uma igreja particular e vivem a arrecadar dízimo de ignorantes e tolos. A mim mesmo já tentaram converter e prometeram até que naquela noite eu teria um encontro com Cristo. Isso é honesto? Deveria eu contribuir para a disseminação dessa idéia? Tudo isso em nome de deus. E quem não os apoiam é declarado da parte do demônio quando não, o própio demônio.
    Isso me inquieta e me afasta desse terreno de charlatões.

    Like

  17. Olá José.

    Tu dizes que “Temos por fim que escolher valores que devam nortear nossa caminhada” e que “O respeito à vida é um deles que torna-se nescessário”.

    Eu entendo disso que tu respeitas a vida (quer a tua, quer a do teu semelhante, quer outras formas de vida) porque é um valor necessário para nortear a tua caminhada (caminhada essa cujo fim não sabes qual é).

    Uma série de questões são pertinentes nesta altura. As mesmas pretendem mostrar que, pela tua resposta, apenas andaste um ou mais passos para trás, mas a questão em essência permanece não respondida:

    1) Dadas as pressuposições da tua cosmovisão humanista, porque “temos” que escolher “valores que devam nortear a nossa caminhada”?

    2) Dadas essas pressuposições, quem determina que o respeito pela vida é um valor?

    3) Porque é o respeito pela vida um valor “necessário” para “nortear a caminhada”?

    4) Dadas as tuas pressuposições, pode indivíduo X chegar e, por necessidade, considerar a sua vida como algo valioso, respeitando-a, mas considerar as demais como não-valiosas, e por isso, desrespeitá-las?

    5) E se fôr ao contrário, sendo que indivíduo X é altruísta, e decide sacrificar a sua vida em prol de outras vidas. Qual das “vidas” ele deve necessariamente respeitar mais?

    6) A frase, “tenho um respeito muito grande pela vida e pelo ser humano”, pressupõe que o ser humano tem algum direito à vida? Dadas as pressuposições da tua cosmovisão, porque um ser humano tem algum direito à vida em primeiro lugar, ou porque não?

    Posso estar a cometer algum equívoco na forma como interpretei o que disseste. Se assim fôr, aguardarei novos esclarecimentos.

    Obrigado.

    Like

  18. alogicadosabino says:

    José Ferreira,

    Disseste: “Um ateu como eu, não tem este ser e nem livro de condutas . Isso não implica em dizer que não tenha ética ou valores morais.”

    Como o João bem referiu, a questão não é tu teres ou não teres valores éticos e/ou morais. Não duvidamos que tenhas. A questão é saber em que te baseias para os teres. Se Deus não existe, então não existem valores absolutos. Se não existem valores absolutos, a moralidade e a ética é aquilo que cada um faz, enquando indivíduo ou enquanto sociedade. Por que razão a tua moralidade deve ser considerada melhor ou mais correcta do que a de outro? É isso que queremos saber.

    “Eu como ateu, não quera impor o meu pensamentos à outras pessoas, como fazem as religiões.”

    Nenhum criacionista te quer impor religião. O acreditar em Jesus como salvador não é algo que deva ser imposto, tal como o próprio disse.

    “e ví ao longo da minha vida que pessoas pretensamente guiadas por deus cometeram crimes bárbaros contra a humanidade. Exemplo: Hitler, Mussolini, Sadam Hussem, Kolmeini etc.”

    Reparei como ardilosamente escusaste-te de referir nomes como Stalin, Mao, Fidel Castro ou Ceaucesku, cujos regimes tinham por base o ateísmo.

    “Temos que adimitir que o ser humano é egoísta e instintivamente tende a ser posessivo e quando contrariado tende a ser destrutivo se não educado.”

    Isto é verdade e acontece porque temos uma natureza pecaminosa, herdada de Adão e Eva. Ninguém ensina os filhos a mentir e a roubar mas eles acabam por mentir e roubar. Precisamos do perdão de Deus para voltarmos a estar em comunhão com Ele. Jesus é a ponte para Deus.

    Abraço José

    Like

  19. José Ferreira says:

    Olá Sabino,

    Por que razão a tua moralidade deve ser considerada melhor ou mais correcta do que a de outro? É isso que queremos saber.

    Em nenhum momento eu afirmei que a minha ética é melhor ou pior do que a de quem quer que seja. Fiz escolha pelo livre pensamento. Ao longo da vida ví pessoas que ajiam de forma contraditória com o que diziam. Não quero convercer a ninguem, apenas não sou absolutista. Essa conduta me guiou até aqui. Aprendí a perder como algo inerente à vida. Aprendí a suportar esperas, ainda que elas nunca ocorram. Não acredito em paraiso após a morte. Isso não me faz desesperado, entendo que ter vivido já é um grande privilégio diante dos que nunca nasceram. Isso por si só me inspira a ser e a fazer outros seres felizes.

    Nenhum criacionista te quer impor religião. O acreditar em Jesus como salvador não é algo que deva ser imposto, tal como o próprio disse.

    Essa afirmação é uma falácia. Qualquer pessoa comum é capaz de constatar que pessoas religiosas batem nas portas das casas para arrebatar pessoas para suas igrejas. Trazem panfletos, bíblias e argumentos que não são nem deles própios. Isso é mentira?

    Reparei como ardilosamente escusaste-te de referir nomes como Stalin, Mao, Fidel Castro ou Ceaucesku, cujos regimes tinham por base o ateísmo.

    As pessoas citadas acima foram tão montruosas quanto aos religiosos que citei, foram corrompidos pela sêde de poder, queriam impor as suas verdades como único caminho, Eu defendo o oposto. Cada pessoa tem seu valor individual. Ditadores tanto ateus quanto religiosos se julgam donos das verdades que lhes convêm. Desta forma quiseram atingir os fins pelos meios. Se quer me associar a stalinista, mauistas, fidelistas. Saiba que eu os repudio. Sou ateu e não tenho do que me envergonhar disso. Não estou aqui para dizer amem para ninguém. Curioso é que todos eles tiveram um fim tão miserável quanto ao horror que eles impuseram à humanidade. Eles foram vítimas dos seus própios egoismos, Não aprenderam a postergar seus sonhos. Elegeram valores errôneos. Se eu nao respondi a questão, deve se ao fato de não achá-la pertinente. Espero tê-lo feito enteder.

    Devo informar que se não respondí às questões acima; deve se ao fato de achá-las muito extensas e pouco pertinentes. A cada afirmação que faço, gera questionamentos intermináveis que crescem em progressão geométrica
    Agradeço-o por ter concordado comigo quanto ao egoismo humano. Divergimos apenas quanto à sua origem.

    Abraço Sabino!

    Like

  20. Jéee says:

    Eh isso aí Josée…

    Like

  21. Plínio says:

    Para mim crer em Deus é algo totalmente racional… Sem certeza racional não existe certeza de fé, existe fideísmo.

    Like

  22. Sérgio Sodré says:

    As aparições de Fátima são obra de demónios? Total absurdo antinacional que também já ouvi a adventistas e outras crenças inventadas na América. Os demónios americanados e seus sequazes é o nos devem preocupar a nós portugueses. Deixem lá as tretas dos ianques e suas seitas, ao menos Fátima é NOSSA, talvez se vocês, os que são portugueses, chamassem diabos aos disparates e crendices de OUTROS vos ficasse melhor…

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s