Hamas nas suas próprias palavras

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Islão, Religião and tagged , , , , , . Bookmark the permalink.

18 Responses to Hamas nas suas próprias palavras

  1. alogicadosabino says:

    O povo de Israel é uma evidência viva do Deus de Abraão. Sem Deus por trás, nunca o povo de Israel ainda existiria, dadas tantas perseguições que sofreu ao longo de toda a História.

    Like

  2. says:

    Estou confuso. Não foram os judeus que exigiram aos romanos que crucificassem Jesus Cristo? Não foi por isso que os judeus foram chacinados em Lisboa, nos pogroms de 1506, no Largo de S. Domingos? Ou os judeus só são o povo de Deus quando atiçados contra os muçulmados extremistas do Hamas? Os muçulmanos, não são eles também crentes e descendentes de Abraão? Não são todas estas as “religiões do Livro”? Ou não estamos a falar do mesmo Deus entre cristãos e judeus? E o Deus dos muçulmanos, será o mesmo? Mas afinal não são só os ateus que são maus? Outros crentes também podem ser maus? Qual o critério?…

    Like

  3. says:

    E o que tem o Hamas a ver com o darwinismo??!!!

    Like

  4. Valadimir says:

    O argumento de “alogicadosabino” também funciona para a Al-Qaeda.

    Se não, vejamos: Se, ao fim de tantos anos de perseguições de ameças por potências militares mundiais, ainda subsistem… então é porque o Deus deles os tem protegido. Sem Alá por trás, nunca a Al-Qaeda ainda existiria. A Al-Qaeda é a prova viva do poder de Alá!

    Deste tipo de raciocínio decorre que, se as actividades humanas — a sobrevivência de povos e de organizações, por exemplo — são o reflexo da protecção divina, então, pelos vistos, o Deus dos americanos e o Javé dos israelitas, juntos, têm sido impotentes para travar o Alá dos muçulmanos… Em que ficamos, qual é o mais forte? Quem é que tem razão?

    Esta lógica não é do sabino… é da batata.

    (Já agora, o exército do estado israelita nos seus ataques desproporcionados e cegos — ao longo de anos 50 anos de existência — já matou muitos mais civis palestinianos que os cobardes ataques da Al-Qaeda às Torres Gémeas e em todos os outros seus ataques infames juntos.)

    Like

  5. David says:

    Este vídeo também é muito elucidativo sobre a génese dos problemas na região: http://br.youtube.com/watch?v=3-Zj54kIHeE&feature=related

    Like

  6. alogicadosabino says:

    Zé, a tua confusão advém da falta de conhecimento bíblico.

    O facto dos judeus não terem aceite Cristo como o Messias já era profetizado muito antes de isso acontecer.

    Os judeus são o povo da promessa de Deus.

    Os muçulmanos são descendentes de Abraão, através de Ismael

    Todos os homens são maus porque todos temos uma natureza pecaminosa. Não são só maus aqueles que matam. Mentir, roubar, ter pensamentos impróprios também é mau. Não é o facto de se estar ligado a determinada posiçã religiosa/filosófic que determina quem é bom ou mau.

    Like

  7. alogicadosabino says:

    Valadimir, querer comparar as “perseguições” que os muçulmanos sofreram com as perseguições que os judeus sofreram é ou de quem não sabe o que está a dizer ou de quem sabe o que está a dizer mas faz-se de bobo.

    De entre todos aqueles que se opuseram a Israel, destaco:

    A Assíria, que subjugou Israel no século VIII A.C.

    A Babilónia, que assolou Jerusalém no século VI A.C.

    Antíoco Epifânio, no século II A.C., que tentou exterminar os judeus e a sua religião, torturando-os e matando-os.

    Os romanos, que voltaram a destruir Jerusalém em 70 D.C.

    Hitler, que dizimou milhões de judeus.

    Iraque, Jordânia, Síria, Líbano, Egipto, Arábia saudita e Iémen, que um dia apos a fundaçao do Estado de Israel, a 15 de Maio de 1948, declararam guerra aos judeus. Já deveriam saber que nada podem contra o Deus de Israel.

    E os eventos actuais.

    Infelizmente para todos eles, ninguém pode quebrar as promessas de Deus.

    Like

  8. alogicadosabino says:

    Valadimir, já agora gostaria de saber que “perseguições de ameças por potências militares mundiais” os palestinos sofreram

    Like

  9. Vladimir says:

    Perseguições são perseguições. Mortos são mortos. Não há perseguições mais perseguidas que outras. Não há mortos mais mortos que outros. Nem os mortos de um lado justificam a matança do outro. Já não deveríamos viver segundo a lei abjecta do “dente por dente, olho por olho”. Ou estamos a contar cadáveres para ver que mata mais e, portanto, é o pior? Ou quem foi perseguido mais vezes?

    Os humanos e os seus deuses matam e morrem. Muito! E sempre dizem que Deus está do seu lado. Quantos lados há? Quantos Deuses há? Qual o mais forte? Tanto é mau matar por um deus como por outro.

    Pelos vistos, o “Povo de Israel” também nada pode contra o Deus dos árabes e dos persas… Não consegue resolver os seus problemas… e, quando o tenta fazer, só aumenta o número de mortos inocentes. Lamentável, tantos mortos inocentes pelas balas dos protegidos de deus. É a lei da bala… É a lei do mais forte… é a lei da selva!

    Carniceiros é o que eles são, todos esses extremistas. Todos eles sem excepção! Que se escudam por trás de Deus(es) e da vida de inocentes para fazer o seu trabalho sujo…

    E as promessas dos deuses, infelizmente, são pagas com o nosso sangue humano… Belos deuses, belas promessas, belos povos eleitos…

    * * *

    Os judeus são o povo da promessa de Deus… Mas, por terem renegado Jesus, os cristãos os chacinaram e expulsaram de Portugal e de Espanha… Felizmente o deus dos judeus protegeu-os do deus dos cristãos! E hoje o deus dos judeus opõem-se ao deus dos muçulmanos que, por sua vez, apoia os árabes que os querem aniquilar… E tu, que és adepto do deus dos cristãos, sais em defesa do deus dos judeus, dizendo que é também o teus Deus… Meus Deus!…

    Like

  10. Vladimir says:

    Isto é um exercício teórico: Se os muçulmanos, que têm indubitavelmente sofrido ataques militares de “potências militares mundiais”, ainda sobrevivem, então é porque, à semelhança do “povo de Israel”, devem estar muito bem apoiados pelo seu deus. Sem Alá por trás, nunca o islamismo ainda existiria, dadas tantas perseguições e ataques que sofreram ao longo de toda a sua história.

    Ou seja, o argumento “Deus está do lado deles” aplica-se, pois, a ambos os lados… Como se aplica a ambos… não faz sentido invocá-lo para estabelecer uma diferença entre as facções do conflito. A diferença terá de estar noutra questão qualquer.

    Que bom e misericordioso é Deus (qualquer um deles) que extermina todos (os povos) que não o amam. Parece-me mais um comportamento humano, vil, ciumento e mesquinho que um comportamento divino…

    Vem a mim, submete-te, e serás poupado. Rebela-te, discorda e levarás porrada (pragas, dilúvios e outras armas de destruição em massa) até à aniquilação total! Não é preciso ser deus para ter pensamentos destes… Coisas destas surgem todos os dias no Telejornal…

    Repara bem nas tuas palavras, Sabino. Estás a argumentar a favor da aniquilação de inocentes — à bomba, à fome e à sede — por causa do comportamento de um punhado de criminosos extremistas. E punhados de criminosos extremistas — como os do Hamas — também os há em Israel. Em vez de apelares à Paz e ao entendimento entre os seres humanos (teus irmãos, igualmente filhos de deus), e de fazeres algo por isso, tentas justificar com a protecção divina actos que terão como resultado a morte de centenas de inocentes.

    Pára, Sabino, leva a mão ao coração e reflecte sobre as tuas palavras (e as destes posts que apoias) cheias de vingança e de rancor.

    Vê: http://br.youtube.com/watch?v=3-Zj54kIHeE&feature=related

    Like

  11. alogicadosabino says:

    “Pelos vistos, o “Povo de Israel” também nada pode contra o Deus dos árabes e dos persas…”

    Até agora tem podido. Os arabes é que são os agressores, os israelitas têm-se defendido. O facto é que nunca ninguém vai conseguir destruir o povo de israel. Aponta o que eu digo!

    Like

  12. Vladimir says:

    Não está em discussão a destruição de povo nenhum, apenas a irracionalidade de argumentos do tipo: “Se não desapareceram é porque deus os apoia”.

    Não desejo o desaparecimento de ninguém. Repudio a morte de inocentes de ambos os lados. Abomino toda a espécie de extremismo fundamentalista.

    http://br.youtube.com/watch?v=3-Zj54kIHeE&feature=related

    Like

  13. Salomé says:

    “Os arabes é que são os agressores, os israelitas têm-se defendido.”

    Boa argumentação cristã! Parabéns! Eles começaram, vamos dar cabo deles! Mais parece uma rixa de recreio da escola primária!

    Onde está a filosofia pacifista e apaziguadora do “dá a outra face”, do “quem nunca pecou que atire a primeira pedra”? Ou isso só se aplica a situações teóricas? Quando na prática é necessário apaziguar, conversar, chegar a acordos, mostrar pela compreensão e pela perseverança que a paz é o melhor caminho, mesmo que isso nos custe o sangue dos nossos entes queridos… aí, que se dane, ataca-se porque eles atacaram primeiro! Viva a vingança e a ira dos humanos! Corra em cascata o sangue dos nossos inimigos!

    Não basta dizer-se que se é cristão. É necessário viver e actuar de acordo com os princípios mais básicos da ética cristã: apaziguar, salvaguadar a paz, promover aconcórdia.

    Like

  14. Mats says:

    Salomé,
    Israel não é um país cristão, caso não soubesses.
    Segundo, segundo o direito internacional, Israel tem todo o direito de se defender quando uma força inimiga ataca os seus civis.
    Ou será que Israel não pode se defender?

    Like

  15. alogicadosabino says:

    Salomé,

    eu não estou a dizer que apoio as guerras. Aquilo que eu disse vem no seguimento da conversa, naturalmente.

    Agora, estou completamente de acordo que Israel se defenda. Se é atacado, tem todo o direito de se defender.

    Interessante como as lágrimas de crocodilo só surgem para se referir aos ataques de Israel. Não te ouço a fazeres referência ao facto de ter sido o Hamas a iniciar os confrontos.

    Like

  16. Beowulf says:

    É, mas aos cubanos defenderem-se do ataque de um ditador que usurpou o poderà força já não é permitido, e são assassinos e tal! Isto está lindo!!!

    Like

  17. Mats says:

    Beowulf.
    Batista era um ditador, mas isso não justifica o terrorrismo de Che Guevara.

    Like

  18. Beowulf says:

    E o terrorismo de Truman em Hiroshima e Nagasaki? O que justifica?

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s