Pode um darwinista ser um ambientalista?

À primeira vista a pergunta que serve de tópico a este post pode parecer sem sentido uma vez que a maioria dos ambientalistas subscreve a teoria de que o mundo biológico criou-se a si próprio. No entanto, convém ressalvar que acreditar numa coisa e viver de acordo com o que se acredita não existe no ateísmo.

Para melhor podermos responder à pergunta, vamos vêr em traços gerais o que é que significam o “ambientalismo” e o “darwinismo”.

O darwinismo é a crença de que o mundo biológico é o resultado de um processo aleatório, sem plano, sem direcção, sem propósito. O evolucionista G.G. Simpson diz:

“Man is the result of a purposeless and materialistic process that did not have him in mind. He was not planned. He is a state of matter, a form of life, a sort of animal, and a species of the Order Primates, akin nearly or remotely to all of life and indeed to all that is material.”

Dito de outra forma, o ser humano é apenas mais uma das formas de vida neste grandioso esquema da vida. Se assim é, o seu comportamento (as suas acções, as suas escolhas, o seu temperamento) são o resultado das mesmas forças naturais que controlam os “pensamentos” dos gatos, cães e crocodilos.

No entanto, eis o que os evolucionistas da Wikipédia dizem sobre o ambientalismo (cores postas por mim):

“O ambientalismo, movimento ecológico ou movimento verde consiste em diferentes correntes de pensamento de um movimento social, que tem na defesa do meio ambiente sua principal preocupação, demandando medidas de proteção ambiental, tais como medidas de anti-poluição. O ambientalismo não visa somente os problemas ligados ao meio ambiente. Ele vai muito além. Visa as atitudes a serem tomadas para uma possível diminução ou até mesmo solução deste.”

Reparem nas palavras que estão a vermelho. Elas são dirigidas a quem? Ao ser humano. Segundo o ambientalismo, portanto, o ser humano tem que ter a “preocupação” de “defender” e “proteger” o meio ambiente. Para isso, ele tem que condicionar as suas “atitudes” de forma a que elas estejam de acordo com o propósito de preservar o meio ambiente.

Mas se o homem é apenas mais um animal que existe no biosfera, donde é que vem a sua “preocupação” em proteger o meio ambiente? Porque é que o homem tem a obrigação de cuidar do mundo onde ele vive? Será que os gatos têm a preocupação em “proteger” o meio ambiente? Será que quando a quantidade de herbívoros dos quais ele se alimenta fica demasiado baixa, os leões das savanas africanas condicionam o seu comportamento de forma a preservá-los?

Ivan Couée, pesquisador na secção “Ecosistemas-Biodiversidade-Evolução” na “French National Center for Scientific Research”, compreendeu a contradição que existe entre o ambientalismo e a evolução e afirmou:

“Certas visões da natureza, como uma criação sagrada, um património precioso, como um sistema de funcionamento óptimo. podem justificar a conservação sistemática.”

Pergunta: Quem são aqueles que acreditam que a natureza é uma criação sagrada, um sistema originalmente feito com um design óptimo, e um património precioso?

Por outro lado, a biologia evolutiva fornece uma lição radical de modéstia não só ao ser humano, mas à própria natureza.”

Por outras palavras, nós podemos pensar que somos algo de especial, mas a “biologia evolutiva” (seja lá o que isso fôr) diz que não devemos pensar assim.

“O Caos, catástrofes históricas, alterações, heterogeneidade, processos aleatórios e flutuações erráticas deram origem à química da reprodução molecular que por sua vez gerou uma miríade de formas de vida.(…) Em stricto sensu, a consequência fundamental da biologia evolutiva pode ser que a biodiversidade e a conservação são palavras oximorónicas

Resumindo, a preocupação humana em proteger o meio ambiente é diametricamente oposta à crença de que o homem é apenas “mais um animal” da natureza.

Conclusão: Os evolucionistas não podem viver de acordo com as suas crenças, e as palavras do Ivan Couée assim o confirmam. Um evolucionista consistente nunca pode ser um ambientalista, e um ambientalista consistente nunca poder ser um evolucionista. Claro que evolucionistas consistentes não existem, e como tal muitos deles subescrevem o ambientalismo sem saberem que isso contradiz a sua fé em Darwin.

Sempre que ouvires darwinistas a afirmarem que o ser humano tem o imperativo moral de proteger o meio ambiente, isso é a Imagem de Deus neles a falar mais alto.

Do ponto de vista cristão faz todo o sentido nós cuidarmos da natureza. Deus criou o meio ambiente para o ser humano (e não o contrário), e como tal é nosso dever e obrigação cuidar daquilo que Deus nos deu.

A Bíblia é o único Fundamento ideológico consistente que suporta o verdadeiro movimento ambientalista.

Génesis 2:15 Tomou, pois, o Senhor Deus o homem, e o pôs no jardim do Édem para o lavrar e guardar.

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Bíblia, Ciência and tagged , , . Bookmark the permalink.

4 Responses to Pode um darwinista ser um ambientalista?

  1. alogicadosabino says:

    É o ambientalismo e a necessidade de protecção das espécies em extinção. Por quê proteger espécies em extinção? É estar a opor-se à selecção natural e, por conseguinte, a atrasar o processo evolutivo.

    Ainda bem que os evolucionistas não vivem de acordo com as suas crenças.

    Like

  2. Ruben Heleno says:

    sim e não. Um evolucionista pode acreditar que a evolução conduziu à biodiversidade actual e ver que o ambiente está a ser degradado com prejuízo claro para toda as espécies incluindo a sua. Nessa perspectiva um evolucionista pode ser um ambientalista que quer preservar a sua especie.
    Mas tens toda a razão em dizer que a maior motivação para a conservação da natureza vem do reconhecimento do valor intrínseco de toda a criação (“E viu Deus que era bom”) e que cuidar do planeta é (ou devia ser) uma preocupação de cada cristão.

    Like

  3. Darjo says:

    Mats,

    Não há necessidade de publicar este comentário. Ia apenas sugerir que visitasse o link abaixo

    Abraço!

    http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos.asp?cod=523FDS001

    Like

  4. Yuri says:

    Quero comentar o que pensei enquanto lia.

    -Primeiro:
    O homem é sim um animal como todos os outros. Mas não devemos usar a seguinte frase “os outros animais não se preocupam em defender e proteger o meio ambiente” como argumento, dizendo que o homem é o unico que defende e protege o meio ambiente. A verdade é que todo ser vivo, que não seja o homem, vive sempre em harmonia, sem causar desequilibrios naturais. Logo, está preservando, mesmo que por instinto. Até o que nos parece catastrofico é obra do ciclo infinito da natureza (podemos tomar como exemplo os cataclismos). Mas a degradação acelerada, a fuga dos padróes naturais do planeta, é o homem que faz. Ele é o unico responsavel pelo desequilibrio. Se não houvesse o homem o planeta nunca se desequilibraria, tudo faria parte de um processo natural… sempre.
    Dizer que “A preocupação humana em proteger o meio ambiente é diametricamente oposta à crença de que o homem é apenas “mais um animal” da natureza” é errada, pois o homem pode muito bem observar o planeta em que vive e a maneira como sobrevivem os outros seres vivos para viver de forma harmoniosa, sem degradar o meio ambiente. Basta espelhar-se no obvio, observar, pensar, querer, assim como ja faziam alguns povos antigos. O problema é que o homem NÃO QUER! Isso muda tudo. Ele quer mais: quer comer muito, ter grandes moradias, e coisas que agradem seus olhos, padroes de beleza criados por ele, possuir grandes espaços de terra, ser dono, mandar. Os outros animais tem só o necessario, essa é a diferença. A inteligencia do homem não só é capaz de permitir que ele viva como parte integrante e harmoniosa de um sistema natural permanente, pode também desenvolver, ao longo do tempo, virtudes que os outros animais não tem, por serem irracionais.

    -Segundo:
    Do meu ponto de vista a afirmação que diz que “Deus criou o meio ambiente para o ser humano” também está equivocada se pensarmos em alguns fatores:
    De onde surgiu essa afrimção? Quem disse? Um homem?
    Acho que nesta questão é relativa de acordo com a fé de cada um (que deve ser respeitada).
    Deus criou tudo, inclusive o homem, que surgiu numa determinada epoca de evolução da Terra. Antes dele, e até certo ponto de sua existencia, todos viviam em harmonia sempre, pois mesmo o homem ainda agia por instinto.
    Depois houveram descobertas, criações, civilizações, etc.
    Crer que o homem tem o meio ambiente para si, mesmo que para zelar por ele, é contraditorio. O unico responsavel pelos problemas da natureza, como ja disse, é o homem. Assim posso concluir que o homem deve zelar por si mesmo, e proteger sua propria mente de seu ego, pois antes do homem ninguem zelava pelo planeta. Antes dele ser, o mundo já era.

    -Terceiro:
    Na bíblia diz “Tomou, pois, o Senhor Deus o homem, e o pôs no jardim do Édem para o lavrar e guardar”. Entende-se que Deus quer do homem sabedoria para agir de forma pacifica e harmoniosa sobre a Terra, e não que ele possui o meio ambiente. A Terra é só uma passagem. Um planeta, numa galaxia, dentre outras milhares, em anos luz de quilmetros afora.

    Esse é meu ponto de vista 🙂

    Deus vos abençoe!

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s