Cozinhar fez de nós humanos

Causadores de evolução
Se tu és uma daquelas pessoas que gosta de queimar coisas, não te preocupes; estás apenas a exibir o teu passado evolutivo. Pelo menos é isso que duas reportagens científicas afirmam.

A New Scientist tem um comentário a dois novos livros:
Fogo: A faísca que iniciou a evolução humana (Frances D. Burton) e
Apanhando Fogo: Como o acto de cozinhar fez de nós humanosby (Richard Wrangham).

Saswato R. Das assimilou a mensagem dos livros, e como tal intitulou o seu comentário de “Como o fogo fez de nós humanos”

O mito da evolução é assim postulado:

O antropólogo Frances Burton sugere que o acto de controlar o fogo conduziu a evolução humana. Há milhões de anos atrás, os nossos ancestrais podem ter superado o seu medo de fogo ao encontrarem delícias gastronómicas queimadas pelo fogo – se calhar houve um animal que acidentalmente cozinhou num fogo florestal. Com o passar dos tempos, eles aprenderam como manter a chama acesa (alimentando-lhe com ramos), como usar o fogo para demover predadores, e como usar o fogo para produzir calor e luz.

Esta familiaridade com o fogo, afirma Burton, mudou o ciclo hormonal que depende da claridade e da escuridão: a luz das fogueiras noturnas pode ter causado mudanças no fluir noturno da melatonina [Nos humanos, a melatonina tem sua principal função em regular o sono; ou seja, em um ambientes escuros e calmos, os níveis de melatonina do organismo aumentam, causando o sono.]

Com o passar do tempo, isto mudou a taxa e o padrão do crescimento dos nossos ancestrais, bem como a regulação e activação de genes, conduzindo ultimamente a nós.

O escritor do artigo Saswato Das não disse o porquê dos macacos não estarem a repetir esta actividade em tempos recentes.

Em relação ao segundo livro, Das disse que “embora evidência arquelógica para esta teoria ainda esteja por encontrar, Wrangham construiu um argumento convincente” ao afirmar que o acto culinário transformou um macaco num humano .

Saswato Das terminou o artigo com prosa colorida:

Estes livros fascinantes mostram como a evolução biológica humana pode não ter sido apenas uma questão de Biologia, e, como afirma Wrangham, ‘nós humanos somos macacos culinários, as criaturas da chama’.

A minha resposta a isto é: “Fala por ti!”

Conclusão:
Obviamente que o 1 de Abril chegou mais tarde para o Das e os outros contadores de mentiras. O acto de controlar o fogo causou a evolução apenas e só na mitologia darwinista. O argumento mais forte contra este mito é dito pelos próprios evolucionistas uma vez que a “evidência arquelógica para esta teoria ainda esteja por encontrar“.

Como se isto não fosse suficiente, convém lembrar que aquilo que nós aprendemos não vai alterar em nada a nossa informação genética. Uma pessoa pode tocar piano a vida toda, mas isso não vai mudar a informação genética que ela vai passar aos descendentes. Os filhos vão ter que aprender tudo de novo.

Quanto ao sermos “filhos da chama“, de alguma forma, isto é verdade, mas não da forma que os evolucionistas pensam. Efésios 2:3 diz que:

Entre os quais todos nós, também, antes andávamos, nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como os outros também.

Por natureza, nós todos somos filhos da ira a partir do momento que pecamos. No entanto Deus enviou o Seu Filho Jesus para que nós possamos evitar a ira de Deus (o fogo eterno). A Bíblia diz em 1 Tessalonicenses 5:9 que:

Porque Deus não nos destinou para a ira, mas para a aquisição da salvação, por nosso Senhor Jesus Cristo

O Apóstolo Paulo contrapõe “salvação” com “ira”, o que parece indicar que a ira da qual Deus nos salvou é aquela para nós iríamos se não fossêmos salvos, nomeadamente, o fogo do inferno.

Deus diz ainda em 1 Tessalonicenses 1:10 que:

E esperar dos céus o Seu Filho, a quem ressuscitou dos mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura

A ira futura, a mesma que aqueles que estão salvos nunca vão experimentar como mencionado em 1 Tess 5:9, nada mais é que o justo castigo eterno que Deus vai dar todos aqueles que rejeitam a Revelação a que eles tiveram acesso. Nenhuma pessoa salva vai experimentar a ira futura, portanto a ira futura só pode ser o inferno.

Portanto, uma vez que todos nós mentimos, roubamos, somos idólatras, blasfemos, cobiçamos, e muitas outras coisas, sim, nós somos por natureza “filhos da chama” (filhos da ira). No entanto para todos aqueles que sabem que estas coisas são erradas, e querem do fundo do coração mudar de vida, Deus preparou um caminho para evitarmos essa mesma chama eterna (inferno). Esse Caminho não é feito de pedra ou de areia, mas sim Feito de Espírito (João 4:24).

Esse Caminho é o Senhor Jesus Cristo, o Criador de todas as coisas.

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia, Ciência and tagged , , . Bookmark the permalink.

3 Responses to Cozinhar fez de nós humanos

  1. Melissa says:

    Tenho um questionamento: somos filhos da ira apenas quando pecamos. Portanto, enquanto sendo bons, estamos seguindo os ditames da criação de Deus. O homem criou o mal, portanto. Mas quem nos criou foi Deus. Deus, nosso Pai, enquanto onisciente, sabia que havia nos criado com a possibilidade de criarmos o mal e Lhe virarmos as costas. No entanto, se Ele nos criou com essa faculdade, foi porque nos incutiu o livre-arbítrio, a liberdade, pela qual, através do mal uso, criamos o próprio mal.

    Entretando, itero: Deus, enquanto máxime onisciente, sabia das possibilidades bestiais da Sua criação. Por que, então, Ele nos criaria com um potencial tão destrutivo? Pela liberdade? Mas na Sua onipotência seria muito simples criar uma liberdade que não gerasse o mal nem a ira, já que Ele é o Todo Poderoso e gerador de toda a Graça. Como o homem poderia criar o mal sem o consentimento do próprio Criador? Tudo que nós fazemos é limitado pelo que o próprio Senhor criou, pois, se assim não fosse, então também seríamos criadores, o que seria uma blasfêmia impossível.

    Eu sei que os caminhos Dele são tortuosos e muito além da minha limitada compreenção, mas realmente se faz necessário mutilar crianças, por exemplo, por um desígnio? Por que permitir isso? Não seria mais fácil ter nos criado com um potencial menos brutal? Por que não o fez?

    Like

  2. Ebite says:

    Análise muito interessante, alguns pontos do artigo são ineditos para minha convicção aceca dos assuntos evolucionistas. Muito grato.

    Like

  3. Mats says:

    Entretando, itero: Deus, enquanto máxime onisciente, sabia das possibilidades bestiais da Sua criação. Por que, então, Ele nos criaria com um potencial tão destrutivo?

    Oi Melissa. Obrigado pelas tuas perguntas, as quais eu vou tentar responder o melhor que sei. Tudo aquilo que te vou dizer é a minha percepção das Escrituras, e como tal posso estar errado.
    Deus não nos criou com potencial destrutivo, mas com potencial de livre arbítrio. O mau exercício do livre arbítrio é que gerou o potencial destrutivo (a inabilidade humana de não pecar). Quando Deus acabou a Sua criação, não havia mal algum em nenhuma parte do universo (Gen 1:31).

    Mas na Sua onipotência seria muito simples criar uma liberdade que não gerasse o mal nem a ira, já que Ele é o Todo Poderoso e gerador de toda a Graça.

    Neste domínio de existência, e na forma como nós estamos, se Deus criasse o ser humano sem a capacidade de escolher o mal, ele não seria verdadeiramente livre. Seria um robô.

    Como o homem poderia criar o mal sem o consentimento do próprio Criador?

    Deus deixa o homem crie o mal que ele quer porque 1) o homem está a exercer o seu livre arbítrio e 2) Deus vai, um dia, resolver todo o mal que o homem alguma vez fez (Rev 21:4)

    Tudo que nós fazemos é limitado pelo que o próprio Senhor criou, pois, se assim não fosse, então também seríamos criadores, o que seria uma blasfêmia impossível.

    O facto de sermos limitados em termos de podr não invalida que tenhamos o livre arbítrio de executar o mal com o poder que têmos.

    Eu sei que os caminhos Dele são tortuosos e muito além da minha limitada compreenção, mas realmente se faz necessário mutilar crianças, por exemplo, por um desígnio?

    É o homem que mutila as crianças como expressão da sua livre vontade.

    Por que permitir isso?

    Porque Deus não vai interferir com as escolhas dos homens.

    Não seria mais fácil ter nos criado com um potencial menos brutal? Por que não o fez?

    Tal como disse em cima, o potencial brutal é consequência das más escolhas do homem, e não da criação perfeita de Deus.

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s