Nylon, Bactérias e Mitologia Evolutiva

As bactérias com capacidade de digerir o nylon foram descobertas nos anos 70. O nylon é uma substância feita pelo homem durante o século XX. Uma vez que as bactérias nunca tinham sido expostas ao nylon, será que a sua nova capacidade não demonstra de forma conclusiva um progresso evolutivo?

Infelizmente para os ateus, não.

A evolução (por vezes erradamente conhecida por “macroevolução”) é tipicamente descrita como um processo natural que gera novas estruturas biológicas a partir de matéria menos ordenada. Deste modo, reza o mito, e assumindo não só os mitológicos “milhões de anos”, mas também a selecção dos mais aptos duma população e as mutações aleatórias, criaturas “simples” como a bactéria terão sido transformadas em organismos complexos como as aves.

Este processo implica uma “história” do nosso passado biológico que não só contradiz as observações científicas, mas também contradiz a criação de formas de vida (completamente funcionais) como descrito pelO Criador no Livro de Génesis (ver 1:11-27).

Por outro lado, a adaptação (ou a erradamente chamada de “microevolução”) descreve a capacidade dos organismos de sofrerem mudanças através das gerações como forma de retirar o melhor do meio ambiente ou sobreviver melhor no mesmo. Contrariamente ao que alguns ateus evolucionistas imaginam, essas mudanças que se verificam nas formas de vida não são sem limites. Por mais que se faça reprodução selectiva com cavalos de corrida (como forma de produzir cavalos cada vez mais rápidos) existe uma barreira para além da qual os cavalos já não são biologicamente e fisiologicamente capazes de correr. Há um limite para as variações.

Todas as modificações que são observáveis gravitam sempre em torno de características base do dito organismo. Os cientistas criacionistas aceitam que as criaturas receberam de Deus a capacidade de se adaptar a diversos ecossistemas, mas as adaptações tem limites naturais, ou constrangimentos biológicos.

As adaptações em resposta ao meio ambiente são observáveis mas a evolução nunca foi observada.

Quando a Fé Evolucionista Distorce os Factos.

Muitos proponentes da teoria da evolução afirmam que as bactérias comedoras de nylon demonstram fortemente o tipo de evolução que pode gerar novas estruturas celulares e novos organismos1. No entanto, e como diz o Livro Santo em Provérbios 18:17, “O que primeiro começa o seu pleito, justo parece; mas vem o seu companheiro e o examina.”

Examinar apenas a característica visível e aparente pode ser enganador. Pesquisas recentes nos genes por trás desta característica indicam que nenhuma evolução ocorreu2. De facto, os genes da bactéria em questão mostram que houve uma degradação por via da mutação.

Ciência Analisa; Evolução Esfuma-se.

O gene que possibilita às bactérias a absorção do nylon está num pequeno “loop” de ADN modificável.3 Antes da sua mutação, este gene codificava para uma proteína chamada de EII, que possui a habilidade especial de quebrar proteínas pequenas e circularizadas. Apesar de ser sintético, o nylon é em muitos aspectos como uma proteína uma vez que o seu inventor (Wallace Carothers) modelou a fibra original baseando-se na química proteica conhecida.

Depois da mutação, a nova proteína EII foi capaz de interagir tanto com o nylon circular como o nylon recto/direito. Isto é um exemplo claro de uma perda de especificação que confere uma vantagem ao organismo. Uma analogia semelhante é a seguinte: imaginem que o interior de um cadeado está feito para um tipo de chaves específico. Por motivos não relevantes agora, o interior desse mesmo cadeado foi danificado de modo que mais chaves agora conseguem abri-lo. Agora, mais chaves podem interagir com esse cadeado de forma funcional, mas isso não é o resultado de “mais informação” ou de mais especificidade das chaves, mas sim da perda de especificidade do cadeado.

Conclusão:

A degeneração de um gene, mesmo que ofereça benefícios a bactéria, não explica a origem do mesmo gene. Não se esqueçam que o livro de Darwin chama-se “A Origem das Espécies” e não “A Modificação das Espécies”. Explicar como 2 gatos brancos dão à luz gatos pretos, branco e cinzentos não nos diz como é que os mesmos gatos se originaram. É importante nós cristãos mantermos o foco na “origem” e não na “variação” visto que os ateus evolucionistas tem o hábito de oferecer exemplos de “variação” como evidência para a origem.

Nós não podemos construir um novo cadeado danificando um cadeado já existente. As bactérias que digerem nylon são um exemplo de variação e não de evolução.

Este dado científico mostra também o Quão Benevolente o Criador é uma vez que Ele permitiu que as bactérias beneficiem com a degradação, e permitiu que os homens possam ter benefícios com as bactérias que reciclam lixo sintético de volta ao ecossistema.


Referências:
1. Thwaites, W.M. 1985. New Proteins Without God’s Help. Creation/Evolution. 5 (2): 1-3.
2. Anderson, K.L, and G. Purdom. 2008. A Creationist Perspective of Beneficial Mutations in Bacteria. Proceedings of the Sixth International Conference on Creationism. Pittsburgh PA: Creation Science Fellowship and Dallas, TX: Institute for Creation Research, 73-86.
3. Yasuhira, K. et al, 2007. 6-Aminohexanoate Oligomer Hydrolases from the Alkalophilic Bacteria Agromyes sp. Strain KY5R and Kocuria sp. Strain KY2. Applied and Environmental Microbiology. 73 (21): 7099-7102.
Advertisement

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia, Ciência and tagged , , , , . Bookmark the permalink.

8 Responses to Nylon, Bactérias e Mitologia Evolutiva

  1. ND says:

    Já verificámos que existem 2 processos de evolução independentes à teoria darwinista: a deriva genética e a transmissão genética.

    para a transmissão genética bacterio
    http://en.wikipedia.org/wiki/Horizontal_gene_transfer
    verifica-se claramente que não segue os processos darwinistas

    destes 3 diferentes processos (que se complementam) verifica-se: evolução das espécies

    dificilmente poderás meter no mesmo saco cavalos e gatos com bactérias.

    Like

  2. Jefferson says:

    Não podemos confundir evolução com progresso. Portanto, degradação não implica a não-evolução. Organismos podem evoluir para algo prejudicial à própria existência. Os que se evoluírem para melhor adaptação, sobreviverão.
    A propósito, Origem das Espécies não significa origem da vida, mas justamente a origem da variedade de espécies, depois da vida. Darwin nunca tentou explicar a origem da vida conforme é induzido neste artigo. Por isso tal afirmação “Não se esqueçam que o livro de Darwin chama-se “A Origem das Espécies” e não “A Modificação das Espécies”. Explicar como 2 gatos brancos dão à luz gatos pretos, branco e cinzentos não nos diz como é que os mesmos gatos se originaram. ” não procede. Parece que quem afirmou isso realmente só leu o título e os comentários de terceiros, e não o conteúdo do mesmo. Ou que leu e não entendeu bulufas.

    Like

  3. Jefferson says:

    Errata: onde se lê “Os que se evoluírem para melhor adaptação, sobreviverão” leia-se “Os que evoluírem-se para melhor adaptação, sobreviverão”

    Like

  4. Mats says:

    Jefferson,

    Não podemos confundir evolução com progresso. Portanto, degradação não implica a não-evolução. Organismos podem evoluir para algo prejudicial à própria existência.

    Então não é evolução.

    Like

  5. PARÁBENS PELO SITE.
    DISCUSSÃO SEM MISTURAR A FÉ COM A TEORIA DA EVOLUÇÃO.
    FIQUEI FELIZ COM A MATURIDADE E SERENIDADE DOS ARTIGOS E TAMBÉM DE ALGUNS COMENTÁRIOS.
    SE VCS. PUDEREM COMENTAR, PORQUE NÓS HUMANOS, TEMOS ALGUMAS PARTES (DESCULPEM A COLOCAÇÃO, SOU DA ÁREA DE HUMANAS) DO CORPO, COMO MAMILOS MASCULINOS, DENTE DO SISO, APENDICE, QUE PARECEM NÃO TER IMPORTÂNCIA NA NOSSA VIDA.

    Like

    • Emanuel says:

      O “Apêndice” como os dentes do “siso” NUNCA foram inúteis, o 1°é o responsável pela flora bacteriana em nosso intestino, ele fornece SEGURANÇA à bactérias invasoras, o segundo, não é “microevolução”, se é que isso existe, mas degeneração.

      Like

  6. MVR says:

    SE VCS. PUDEREM COMENTAR, PORQUE NÓS HUMANOS, TEMOS ALGUMAS PARTES (DESCULPEM A COLOCAÇÃO, SOU DA ÁREA DE HUMANAS) DO CORPO, COMO MAMILOS MASCULINOS, DENTE DO SISO, APENDICE, QUE PARECEM NÃO TER IMPORTÂNCIA NA NOSSA VIDA.

    Exato… Apenas aparentam não ter importância/função. Vale lembrar que alguns destes podem ter se tornado obsoletos com o aumento da tecnologia humana, principalmente na área sanitária, diminuindo o risco causado por micro-organismos, mas de modo nenhum isto prova parentesco com outros animais, ou estes entre diferentes.

    Um exemplo é o apêndice.

    Like

  7. Leandro jun Soki Shibutani says:

    Olá! Li o texto, e é muito sucinto e gosto muito de ler sobre assuntos que embarcam sobre a ciência e fé. Gostaria que me disponibilizasses os artigos, ou até mesmo livros e textos que me conduzam a modelar argumentos que utilizem fatos científicos para contestar a teoria da evolução, favorecendo as verdades bíblicas. O máximo de material disponível seria útil a mim.

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s