MITO: O cristianismo opõe-se à ciência

O temor do Senhor é o princípio da ciência
Provérbios 1:7

Uma das objecções mais comuns contra o cristianismo é a crença de que o mesmo é incompatível com o conhecimento científico. Mas será isto verdade?

A era da ciência tinha como um dos objectivos – supostamente – substituir a era da religião uma vez que a primeira fornece melhores explicações acerca do mundo natural onde vivemos. Já não “precisamos” de Deus uma vez que a ciência já nos explicou como é que as coisas realmente são.

A religião é “inimiga da ciência e da pesquisa” diz-nos o ateu Christopher Hitchens (God Is Not Great).

A lógica por trás desta acusação é mais ou menos esta: a religião odeia a ciência porque a religião é apenas uma questão de poder. Mal as pessoas aprendem acerca da forma como a natureza realmente funciona, elas não mais vão precisar de Deus e como tal elas não vão precisar de igrejas nem de líderes religiosos a dizerem-lhes o que fazer. Os líderes irão perder a sua influência e poder, e como tal, eles não podem permitir que tal aconteça.

Devido a isto, o ateu Clinton Richard Dawkins escreve:

Os místicos exultam-se com o mistério e querem que o mesmo permaneça um mistério. ….Um dos verdadeiramente maus efeitos da religião é que a mesma ensina-nos que existe virtude em não entender. (The God Delusion)

Tanto Dawkins como Hitchens declaram que a religião é inimiga da ciência. Segundo ambos, a ciência e a religião não podem coexistir pacificamente uma vez que elas oferecem explicações contrárias da realidade. Uma vez que apenas uma pode sobreviver, uma delas tem que deixar de existir, e devido a isso, elas estão numa luta de morte.

O exemplo que é oferecido com mais publicidade é, obviamente, o de Galileu Galilei. Embora este incidente não tenha sido algo menor, o mesmo não foi nada daquilo que os ateus nos dizem que foi. Verdadeiros erros foram feitos – científicos, teológicos e morais – e injustiças foram cometidas, e ninguém discorda com isso. Mesmo assim, um único evento histórico não anula o suporte entusiástico dado pela Igreja às ciências naturais durante 2 mil anos.

A imaginada hostilidade da religião às ciências naturais estende-se também a outras disciplinas. Christopher Hitchens diz:

A atitude da religião em relação à Medicina, tal como a mesma em relação à ciência, é sempre problemática e frequentemente muito hostil.


Hitchens acrescenta que a pesquisa médica só começou a florescer “quando os sacerdotes foram postos de lado com cotoveladas.”

Curiosamente, Hitchens dá o exemplo de Louis Pasteur como um exemplo de um cientista iluminado sem nunca revelar que Pasteur era um católico convicto.

Isto é normal entre os missionários ateus: como não tem a verdade do seu lado, eles distorcem os dados, ou escondem factos, como forma de avançar com o seu “evangelho”.

Um análise mais atenta aos factos históricos revela-nos uma realidade muito distinta daquela que nos é pintada pelos ateus.
A História mostra-nos que as ciências naturais cresceram a partir da cultura Cristã. Tal como o sociólogo Rodney Stark de forma tão convincente mostrou (For the Glory of God: How Monotheism Led to Reformations, Science, Witch-Hunts, and the End of Slavery), a ciência estava “por nascer” (eng: “still-born) nas grandes civilizações do mundo, excepto na civilização Cristã.Porque é que a ciência empírica e o método científico não se desenvolveram na China (com a sua sofisticada sociedade), na Índia (com as suas escolas filosóficas), na Arábia (com a sua Matemática avançada), no Japão (com os seus laboriosos artífices e com a sua tecnologia) ou na antiga Grécia ou em Roma?

A resposta é razoavelmente directa. A ciência floresceu em sociedades onde a mentalidade Cristã discerniu a natureza não só como um lugar ordenado, mas também como sendo o resultado do Poder Sobrenatural Dum Criador Inteligente. A ciência cresceu em lugares onde as pessoas assumiram que o mundo natural fosse inteligível, e que o mesmo tivesse a “assinatura” do Seu Autor.

Isto é muito importante, e facilmente se vê porquê: se tu acreditas que o universo é um lugar que opera de forma racional e organizada, a forma como tu fazes ciência vai ser bem diferente daquela que tu fazes se tu pensares que o universo é o resultado de forças caóticas, sem inteligência e sem planeamento. Se tu acreditas que o Criador é Inteligente e quer ser Conhecido pelo ser humano, então tu vais logicamente assumir que Ele terá posto na Sua Criação “parte de Si Mesmo” (tal como os artistas humanos colocam sempre algo deles mesmos nas suas obras de arte).

Se tu acreditas Num Criador Ordenado, Pessoal e Relacional, faz sentido assumires que o universo seja um lugar racional e inteligível. Se tu, por outro lado, és ateu e acreditas que o universo é o resultado de forças não inteligentes, então não faz sentido tu assumires que o universo seja um lugar racional.

Longe de ser um obstáculo à ciência, o solo Cristão foi o húmus necessário onde a ciência pôde enraizar.

O suporte não apologético do Cristianismo à ciência é nascido do contributo directo da Igreja à ciência. Tomando apenas como exemplo uma área – a astronomia – J.L. Heilbron, da Universidade da Califórnia-Berkeley, escreveu:

A Igreja Católica Romana deu mais ajuda financeira e suporte social para o estudo da Astronomia durante o período de seis séculos, desde a recuperação de conhecimento antigo durante a Idade Média até ao Iluminismo, que qualquer outra, e provavelmente, que todas as outras instituições.

Com isto em mente, a alegação de Hitchens de que “o direito de olhar através dos telescópios e especular acerca do resultado foi obstruído pela Igreja” parece ser insincero.

O que se diz sobre a Astronomia pode ser dito da Medicina, Física, Matemática e Química.
Tal como a igreja Cristã apadrinhou as artes, ela também suportou as pesquisas científicas. A visão da Igreja como sendo obscurantista e promotora da ignorância pura e simplesmente não corresponde à verdade histórica.

Alguns dos maiores cientistas da História – Newton, Pasteur, Galileu, Lavoisier, Kepler, Copérnico, Faraday, Maxwell, Bernard e Heisenberg – eram cristãos. A lista não termina aqui. Alguns cientistas de renome, como por exemplo, Nicolau Copérnico, eram padres Católicos!

Conclusão:

O Cristianismo não é contra a ciência, mas sim contra uma leitura absolutista da ciência. As ciências empíricas não podem fazer tudo e nem detém o monopólio da sabedoria e da verdade. Muitas questões importantes – provavelmente, as mais importantes – estão fora do âmbito da ciência.

Qual é o propósito da vida? Como é que nos devemos tratar uns aos outros? O que é que acontece quando morremos? Mesmo que um cientista trabalhe horas a fio no seu laboratório, os seus instrumentos nunca lhe vão revelar as respostas para estas perguntas. A ciência é a ferramenta errada para este tipo de trabalho. Nós não podemos descrever em termos científicos a beleza duma paisagem, o amor que sentimos pelos nosso filhos, e nem podemos responder às grandes questões da vida através da investigação científica.

Às vezes vale à pena perguntar se, apesar dos seus protestos, os ateus verdadeiramente querem avançar com um diálogo entre a ciência e o cristianismo. Hitchens diz que “todas as tentativas em se reconciliar a fé com a ciência estão condenadas ao fracasso e ao ridículo“. Se isto é o que é assumido à partida, não faz sentido continuar com o diálogo.

Aparentemente, a guerra entre a ciência e a fé Cristã originou-se não nos cristãos mas sim nos crentes ateus. Até parece que os ateus querem provar algo aos cristãos.

O que será?


About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Ciência, Religião and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink.

55 Responses to MITO: O cristianismo opõe-se à ciência

  1. Carlos says:

    Toda a argumentação me parece válida e bem estruturada, reflectindo algumas realidades históricas que passam despercebidas a muita gente que pensa que a ciência é/foi produzida por ateus e que a religião é hostil à ciência.
    E há que ter em conta que, hoje, o que há são ciências e a ideia de ciência não se realiza da mesma forma em cada uma delas e, em todas elas, o método científico, frequentemente, desemboca na autoridade e sufrágio dos autores, mais do que nas suas demonstrações.
    Por outro lado, as interrogações que se colocam no âmbito das religiões requerem respostas que as ciências nem sempre reconhecem não poder fornecer.
    Em vez disso, reduzem ou tratam o problema como se não existisse, como se existisse apenas o que elas conhecem e dentro dos limites desse conhecimento.
    Mas as ciências, por vias travessas, são quem mais contribui para a divulgação e o reconhecimento da importância da religião na vida das pessoas.

    Like

  2. Glauber says:

    Porque você não cita Giordano Bruno no seu “fabuloso” texto?

    Like

  3. malcan says:

    Giordano Bruno, aquele que foi condenado por heresia, e não por defender o heliocentrismo de Copernico?
    Dá uma lidinha no livro Science: A History 1543-2001, do escritor John Gribbin, pra depois vir chorar lagrimas de crocodilos.

    Like

  4. Glauber says:

    Sim, Giordano Bruno: que foi queimado vivo, nas “labaredas do senhor jesus, o bondoso”.

    Like

  5. Glauber says:

    Sou agnóstico, portanto um “herege” segundo sua seita cristã. Venha me queimar vivo, Oh, bondoso homem de Deus (aquele Deus bonzinho, que ama a todos, ele mesmo).

    Like

  6. Adalberto Felipe says:

    Venha me queimar vivo, Oh, bondoso homem de Deus (aquele Deus bonzinho, que ama a todos, ele mesmo).

    Deus não manda queimarem as pessoas vivas.

    Like

  7. Mats says:

    Giordano Bruno era um ocultista.

    Like

  8. malcan says:

    Sou agnóstico, portanto um “herege” segundo sua seita cristã. Venha me queimar vivo, Oh, bondoso homem de Deus (aquele Deus bonzinho, que ama a todos, ele mesmo).

    Perdeu no argumento principal e agora apela pra outro heim??? hahahahahahahahaha

    Like

  9. Glauber says:

    Argumento principal, caro cristão? Quer dizer que existe REALMENTE um motivo justo pra queimar uma pessoa viva?

    O Mats nem comento, é um caso perdido… Pra ele, e pra o Deus de vocês, por certo, o “ocultista” mereceu ser queimado vivo…. kkkkkk….

    Tá vendo os teus, Adalberto Felipe?!

    Like

  10. Mats says:

    GLauber,

    Argumento principal, caro cristão? Quer dizer que existe REALMENTE um motivo justo pra queimar uma pessoa viva?

    Se Deus não existe, não há problemas com isso, portanto, porque é que tu te preocupas?

    O Mats nem comento, é um caso perdido… Pra ele, e pra o Deus de vocês, por certo, o “ocultista” mereceu ser queimado vivo…. kkkkkk….

    Não disse que ele “mereceu” ser queimado vivo, mas sim uma das razões que o levou à fogueira. Contrariamente ao que te possam ter “ensinado”/indoutrinado, o Bruno não foi morto por causa da sua “ciência”.
    Segundo, se ele era assim tão “científico” como vocês dizem, porque é que ele se envolvia no ocultismo?

    O vosso Bruno era aquilo que hoje provavelmente se chamaria de um adivinho de revistas cor de rosa.

    Like

  11. Adalberto Felipe says:

    Argumento principal, caro cristão? Quer dizer que existe REALMENTE um motivo justo pra queimar uma pessoa viva?

    Glauber, por quê é que os ateus adoram pegar valores emprestados do cristianismo para depois criticar o mesmo? Um exemplo disso é o terremoto no Haiti em que vários sites ateus criticavam a Deus, sendo que esse terremoto só demonstra o que a bíblia diz no fim dos tempos (número de terremotos aumentando, pessoas blasfemando, acontecimentos ruins) e de acordo com o ateísmo evolucionista isso são coisas naturais e a “morte do mais fraco”.

    O Mats nem comento, é um caso perdido… Pra ele, e pra o Deus de vocês, por certo, o “ocultista” mereceu ser queimado vivo…. kkkkkk….

    A bíblia não diz que ocultistas tem que ser queimado vivos e sim para termos cuidado com pessoas assim.

    Tá vendo os teus, Adalberto Felipe?!

    ??????????????????????????????????

    Like

  12. Glauber says:

    Hum, quer dizer entao que o cristianismo inventou a empatia? Inventou os bons sentimentos? Compaixao, amor, etc foram inventados pelos cristãos? Argumento? Eu estou fazendo uma pergunta simples: Porque os líderes de sua religião queimam/queimaram pessoas vivas? Deus quer assim? Deus se regozija com isso? Deus fica com raivinha se PESSOA X for ligada ao xamanismo, ao candoble, ao budismo, etc?

    Sabe porque vocês nao respondem? Porque vocês sabem, ainda que la no fundo, que isso é barbárie, que isso nao difere em nada de qualquer rito sangrento que exista na Terra. Seus hipocritas…

    Voces sao risíveis…

    Like

  13. Mats says:

    Glauber,

    Hum, quer dizer entao que o cristianismo inventou a empatia? Inventou os bons sentimentos? Compaixao, amor, etc foram inventados pelos cristãos?

    Não, mas quer dizer que se Deus não existe. não há forma de se justificar comportamentos empáticos, compassivos, e amorosos.

    Porque os líderes de sua religião queimam/queimaram pessoas vivas?

    Porque é que perguntas isso, como se dentro do ateísmo isso fossel alguma coisa de mal? Se Deus não existe. não há problemas em queimar pessoas vivas. É a sobrevivência do mais apto, amigo.

    Sabe porque vocês nao respondem? Porque vocês sabem, ainda que la no fundo, que isso é barbárie, que isso nao difere em nada de qualquer rito sangrento que exista na Terra. Seus hipocritas…

    Nõs respondemos voltando a pergunta contra o teu ateísmo. Se Deus não existe. não tens razões para te preocupares com a morte de inocentes.

    Like

  14. malcan says:

    “Nõs respondemos voltando a pergunta contra o teu ateísmo. Se Deus não existe. não tens razões para te preocupares com a morte de inocentes.”

    Ainda mais com a morte de um ocultista, que era um ignorante, não havia enxergado que seguia superstições sem sentido.

    Like

  15. Glauber says:

    “Ainda mais com a morte de um ocultista, que era um ignorante, não havia enxergado que seguia superstições sem sentido.”

    HAHAHAHHA….

    Like

  16. Mats says:

    Glauber,
    Deduzo que não tens resposta.

    Like

  17. malcan says:

    Devia ter escrito no final que fui ironico, já que estava imitando um ateu. Ou desenhado um ateu dizendo a frase, ai ele entendia.

    Like

  18. Mats says:

    Malcan,
    O Glauber agora vai desaparece durante alguns dias e depois volta com os mesmos argumentos já refutados.

    Like

  19. Glauber says:

    Sim sim…. vocês “”refutam”” meus argumentos com suas falácias. KKKKK…. você ainda me deve um monte de resposta, mas você é escorregadio. Fujão!!

    Like

  20. Mats says:

    Glauber,
    Mas tu ainda nos deves um monte de respostas, e respostas bem mais fundamentais àquilo que tu assumes. Como ateu, não tens bases para criticar comportamentos morais alheios, uma vez que o ateísmo aceita todos os comportamentos.

    Like

  21. Glauber says:

    … uma vez que o ateísmo aceita todos os comportamentos.

    Tirou isso dá sua cabecinha criativa? Talvez tenha sido uma mensagem divina, quem sabe.

    Like

  22. Glauber says:

    Voce nao conhece nenhuma outra forma de debate, que nao seja através de falácias, como a citada acima. Voce torna SUA VERDADE PESSOAL como uma verdade absoluta, o que o torna um leviano e, quiçá, um fanfarrão.

    Like

  23. Adim says:

    Clauber

    ´´… uma vez que o ateísmo aceita todos os comportamentos.
    Tirou isso dá sua cabecinha criativa? Talvez tenha sido uma mensagem divina, quem sabe.“

    E isso não é verdade?
    O fato de Ateus não suportarem a mera existecia da religião, em especial o cristianismo, não passa de uma de muitas contradições dessa filosofia.
    Inves de soltar piadinhas CRETINAS conteste, com argumentos se puder, essa afirmação.
    Quais comportamentos não são aceitos pela filosofia Ateista?

    Voce nao conhece nenhuma outra forma de debate, que nao seja chegar acusando falsamente e xingando? Vc não tem arguentos honestos?
    Se o Mats realmete cometeu falancias APONTE-AS, se puder.

    Seu Fanfarrão.

    Like

  24. Ateus falando de moral é tão bonitinho… mas sem sentido.
    Lógica mínima e emoção ao máximo.

    Viver uma cosmovisão pantanosa como o ateísmo é intelectualmente frustrante.

    Like

  25. Mats says:

    GLauber,

    Tu tens estada muito nervoso nos últimos comentários. Passa-se algo?

    “uma vez que o ateísmo aceita todos os comportamentos.”

    Tirou isso dá sua cabecinha criativa? Talvez tenha sido uma mensagem divina, quem sabe.

    É uma das consequências do ateísmo. Se Deus não existe, todosos comportamentos morais são igualmente válidos, incluído a pedofilia e a homossexualidade.

    Voce nao conhece nenhuma outra forma de debate, que nao seja através de falácias

    Cabe-te a ti mostrar a “falácia” e refutar a minha alegação. Chamar-me nomes não é solução, amigo.

    como a citada acima. Voce torna SUA VERDADE PESSOAL como uma verdade absoluta, o que o torna um leviano e, quiçá, um fanfarrão.

    Não, eu nao torno uma “verdade pessoal” numa “verdade absoluta”.

    Like

  26. fabenrik says:

    Não é qualquer um que tem saco de ficar debatendo com alguém fujão e escorregadio durante quase dois meses para arrancar alguma coisa…

    Motivos para o ateísmo não aceitar todos os comportamentos morais:
    – Os oriundos de pressuposto que divindades existem não são aceitos por não poder ser provado, logo não pode ser validado, é tão válido e infantil quanto a crença em Papai Noel e tão válido quanto, isto é, deve ficar no lugar dele e dar tanta importância quanto, e quem crê não deve ser levado a sério, toda alegação deve ser passado pelo rigor científico, a religiosidade não é algo que não se possa medir e contraprovar, se essa minha alegação neste parágrafo não fosse verdade, se devessemos guardar um espaço para a religiosidade, adorariamos ainda o fogo e o trovão, mesmo sabendo que tratam-se de puras reações químicas, que não tem nada de divino e que não atendem desejos;

    – Moralidade, não foi inventada pela religião, muito menos pelo cristianismo, logo em relação a outras religiões o cristianismo é tão absoluto quanto, isto é, não existe o absoluto que esperam que tenha, isto é um argumento de pura fé, sem razão alguma;

    – Se qualquer deus existe não há razões para se importar com seres humanos, a não ser que seu deus mande, e somente estamos seguros enquanto vcs acham que ele quer que seja assim, porém é instável, seu deus não tem obrigação de agradar nenhum ser humano, logo a hora que desejar pode mudar as coisas, e segundo a crença religiosa, não somos nada em relação a uma divindade e nem devemos contestá-lo. Logo devemos obediência cega, mesmo que esta acarrete em consequências reais imediatas prejudiciais a alguém. Pessoas no mundo inteiro matam ou até fazem coisas boas em nome do mesmo deus, diga-me quem são vcs para dizer que quem mata está errado? Que autoridade terá para parar alguém que acaba de anunciar que o mesmo deus, que compartilham como verdade, acabou de anuncia que todas as pessoas que não creêm devem ser mortas? Somente argumentos de fé virão como resposta a esse meu argumento.

    – Se o ateísmo está certo existem razões de sobra para nos importarmos com seres humanos, primeiramente pelo motivo de sermos seres sociais e termos instintivamente a noção de precisarmos um do outro, idéia de coletividade. Segundo, filosoficamente, por termos noção de somente termos um vida, portanto desejamos fazê-la durar o máximo que for possível, e nisto está incluso o medo de consequências reais de nossos atos;

    – Se qualquer divindade existe somente devemos ter medo de consequências reais se o mesmo deus não nos conceder mais o dom da vida eterna se não atendermos sua vontade, outra situação instável, somente estamos seguros enquanto seu deus não escolhe quem terá a vida eterna, e que deva matar alguém para conseguir a vida eterna, e existem muitos deuses conceituais por aí, que não se satisfazem em deixar de conceder a vida eterna, para quem não está lhe obedecendo ameaçam com castigo eterno. Só a fé que seu deus é bom não o deixará de ser que pode contradizer isso, porém fé é acreditar sem provas;

    – Alguns argumentos acima, o amigo Mats misturou tudo que conhecia para descontar o tapão que tomou no rosto, devido ao amigo Glauber jogar na cara todas as descrepâncias de sua crença, misturando a TE das espécies com comportamento moral, e para quem tem ao menos o ensino fundamental aqui, sabemos que o livro de Darwin trata somente de explicações de ordem biológica para tratar do surgimento da diversidade biológica na Terra, nada de filosofia. Acrescento que podemos nos importar duplamente com uma vida perdida devido ao domínio religioso nas leis regidas em uma sociedade, a primeira é pelo fato de por sermos ateus, se algum dia isso conseguisse ser restaurado poderíamos ser algo dessas mesmas descrepâncias, e por segundo por ser uma vida, alguém que não a aproveitou e tirada por um outro ser humanos que sofria de alguma patologia, crendo que seus delírios eram verdades absolutas, sendo uma evidência clara que a religiosidade é perigosa.

    Fabenrik
    ateu e atoa

    Like

  27. Mats says:

    Fabenrik,

    Motivos para o ateísmo não aceitar todos os comportamentos morais:
    – Os oriundos de pressuposto que divindades existem

    Mas para o ateísmo todos os comportamentos são válidos. Porque é que rejeitas os comportamentos que emanam da crença em Deus, se o teu ateísmo validatodas as escolhas comportamentais?

    Como ateu, tu podes não concordar com o cristão, mas como ateu, não podes impedir o cristão de fazer escolhas que contradigam as tuas.

    Lembra-te: o teu ateísmo diz que não há forma absoluta para se classificar comportamentos. Como tal, para o ateísmo, todos os comportamentos tem o mesmo peso.

    Like

  28. fabenrik says:

    Ah Mats vc está totalmente me zoando, está de brincadeira comigo!
    Vc nem leu o que eu falei!
    Refutes o que eu disse e pare de fazer pergunta que acabei de responde!
    Tá com preguiça ou não tem como argumentar, não responda então. Fica feio dar essas respostas de papagaio.
    O tipo de pensamento que valida todos os comportamentos, é o agnosticismo, larga essa bíblia e vai estudar direito as outras visões antes de criticar.
    Aff!

    Fabenrik
    ateu e atoa

    Like

  29. fabenrik says:

    Se julgo que divindades não existem como vou achar normal alguém viver sob esses dogmas, rapaz? Achava que poderia dar resposta melhor!

    Like

  30. Mats says:

    Fabenrik

    Se julgo que divindades não existem como vou achar normal alguém viver sob esses dogmas, rapaz? Achava que poderia dar resposta melhor!

    Precisamente por não acreditares em Deus tu não tens razão para te opores aos comportamentos alheios. Se o teu ateísmo está certo, então não há forma absoluta para se separar o “bom” comportamento do “mau” comportamento, e como tal, tu não tens bases para julgar as escolhas morais dos outros.

    Like

  31. Glauber says:

    Pelo jeito, os colegas cristãos não sabem o significado das palavras, mas nao vou perder tempo explicando. Tem até dicionário on-line para os nao-preguiçosos.

    Quanto ao Adim, eu nao preciso te dar explicação nenhuma, se quiser, existem posts desde o começo do ano, para você ler e se posicionar. Chegar aqui de pára-quedas e fora do contexto torna sua opinião vazia.

    “… Não, mas quer dizer que se Deus não existe. não há forma de se justificar comportamentos empáticos, compassivos, e amorosos.”

    Quanto ao Mats, fique tranquilo, meu caro, foi apenas uma falta de paciencia temporaria, afinal depois que você cita isso acima (mais conhecido como sua verdade pessoal ou falácia), todos os argumentos em sequencia se perdem no espaço. Você tem a famosa “leitura seletiva”, você só responde aquilo que te convém… Aqueles pontos que você nao sabe como explicar, você foge, vide as perguntas sobre os comportamentos dos seus líderes religiosos.

    Tenho absoluta certeza que nao lestes nem 5% do fabenrik, nem do medeia, nem de tantos outros que apontam as suas falácias, e as barbáries de sua religião, da bíblia, dos cristãos, do seu Deus.

    Você é tão ateu quanto eu, apenas sou ateu em relação a um Deus a mais do que você.

    Like

  32. Mats says:

    Quanto ao Mats, fique tranquilo, meu caro, foi apenas uma falta de paciencia temporaria, afinal depois que você cita isso acima (mais conhecido como sua verdade pessoal ou falácia), todos os argumentos em sequencia se perdem no espaço. Você tem a famosa “leitura seletiva”, você só responde aquilo que te convém…

    Sim, só respondo as coisas relevantes para a discussão.

    Aqueles pontos que você nao sabe como explicar, você foge, vide as perguntas sobre os comportamentos dos seus líderes religiosos.

    Como ateu que és, não tens fundamento para te preocupares com os comportamentos alheios. Já te disse porquê.

    Tenho absoluta certeza que nao lestes nem 5% do fabenrik, nem do medeia, nem de tantos outros que apontam as suas falácias, e as barbáries de sua religião, da bíblia, dos cristãos, do seu Deus.

    Mas se o ateísmo está certo, não há problemas com as “barbáries” da minha religião. Ainda não aceitas isso?

    Se Deus não existe, todos os comportamentos são válidos.

    Você é tão ateu quanto eu, apenas sou ateu em relação a um Deus a mais do que você.

    Eu não sou ateu uma vez que eu acredito em Deus.

    Like

  33. fabenrik says:

    Mats, não tenho um posicionamento neutro com relação à religiosidade amigo, está me confundindo com agnóstico!
    Vai estudar um pouquinho o que significam as palavras de nossa língua mater.
    Faça um favor tbm de refutar tudo que te falei ou dê-se por vencido.

    Fabenrik
    ateu e atoa

    Like

  34. Glauber says:

    Voce não acredita em THOR, logo voce é ateu.
    Você não acredita em ALÁ, logo você é ateu.
    Você não acredita em SHIVA, logo você é ateu.
    Você não acredita em ZEUS, logo você é ateu.
    Você não acredita em AMON-RA, logo você é ateu.
    .
    .
    Você acredita em DEUS.

    Eu não acredito em THOR, logo sou ateu.
    Eu não acredito em ALÁ, logo sou ateu.
    Eu não acredito em SHIVA, logo sou ateu.
    Eu não acredito em ZEUS, logo sou ateu.
    Eu não acredito em AMON-RA, logo sou ateu.
    .
    .
    Eu não acredito em DEUS, logo sou ateu.

    Nosso ateísmo é discrepante apenas em relação a UM. Mas você é ateu também.

    Like

  35. Adalberto Felipe says:

    Glauber,

    Você é tão ateu quanto eu, apenas sou ateu em relação a um Deus a mais do que você.

    (…)

    Voce não acredita em THOR, logo voce é ateu.
    Você não acredita em ALÁ, logo você é ateu.
    Você não acredita em SHIVA, logo você é ateu.
    Você não acredita em ZEUS, logo você é ateu.
    Você não acredita em AMON-RA, logo você é ateu.
    .
    .
    Você acredita em DEUS.

    Eu não acredito em THOR, logo sou ateu.
    Eu não acredito em ALÁ, logo sou ateu.
    Eu não acredito em SHIVA, logo sou ateu.
    Eu não acredito em ZEUS, logo sou ateu.
    Eu não acredito em AMON-RA, logo sou ateu.

    Falácia do Dicto Simpliciter.

    Isso tá me lembrando aquela velha frase que os ateus vivem recitando na internet, mais ou menos assim: “Todos somos ateus. Só não acredito em um Deus a mais do que você. Quando descobrir porquê não acredito no seu deus, vai entender porquê não acredito no seu.”

    Se é assim, Glauber, um bebê que acabou de nascer é um pedófilo, porque ele só abusou de uma criança a menos do que um pedófilo, ou então é um assassino, pois ele só assassinou uma pessoa a menos do que um assassino. De boa, a primeira parte dessa frase é tão ridícula, que nem dá para acreditar na quantidade de ateus que ainda recitam ela no maior cinismo.

    Por quê você não busca saber porquê acreditamos em Deus, ao invés de Ala, Shiva, Zeus ou Amon-Ra? Uma dica: veja as “obras” de cada um desses deuses, a quantidade de pessoas que acreditam neles, como são as nações das pessoas que acreditam nesses deuses aí, se há profecias cumpridas, o que estão sendo cumpridas por eles.

    Like

  36. Adalberto Felipe says:

    Eu não acredito em DEUS, logo sou ateu.

    Me parece que você falou num tópico aí que é agnóstico.

    Like

  37. Glauber says:

    Foi so um exemplo, Adalberto. E sim, eu sou agnostico.
    Conhece a hipotese de descartes sobre Deus? Serio, religiao a parte, é um pensamento interessante, apesar de nao provar nem deixar de provar nada.

    Like

  38. Glauber says:

    Nostradamus tem profecias cumpridas… devo venerá-lo?
    Quantidade de gente? Entao religião católica deveria ser pelo menos a 3ª ou 4ªda lista, correto?

    Like

  39. Adalberto Felipe says:

    Foi so um exemplo, Adalberto

    Mais foi um exemplo com falácias, Glauber e de boa, essa frase é muito ultrapassada.

    Conhece a hipotese de descartes sobre Deus? Serio, religiao a parte, é um pensamento interessante, apesar de nao provar nem deixar de provar nada.

    Depende, Glauber, você quer que prove através da ciência? A ciência não prova que Deus existe e nem o que é bom ou o que é ruim e os ateus certamente sabem disso.

    Nostradamus tem profecias cumpridas… devo venerá-lo?

    Quais profecias?
    Nostradamus não falava coisa com coisa, não deu nenhuma mensagem positiva ao mundo e se envolvia com o ocultismo, coisas que não levam a lugar nenhum na vida.

    Quantidade de gente? Entao religião católica deveria ser pelo menos a 3ª ou 4ªda lista, correto?

    Unir esses fatores que pedi e conta com a ajuda de quem realmente acredita em Deus para você tirar algumas conclusões sobre isso.

    Like

  40. Adalberto Felipe says:

    Por falar em Nostradamus, acho curioso como esses canais de TV específicos para ciência e história como Discovery Channel e History Channel dão tanta atenção a Nostradamus, discos voadores, lendas, ocultismo e dão atenções parciais a bíblia (isto quando não falam mal).

    Like

  41. Glauber says:

    Adalberto,

    A hipótese de Descartes é a seguinte:

    “PODE DEUS CRIAR UMA PEDRA QUE NÃO CONSEGUE LEVANTAR?”

    1. Deus não pode criar uma pedra que não pode levantar, logo NAO É ONIPOTENTE;
    2. Deus pode criar uma pedra que não consegue levantar, logo NÃO É ONIPOTENTE;
    3. Deus NÃO É ONIPOTENTE.

    Deixando um pouco de lado o religioso, você não acha que é um raciocínio interessante?

    Like

  42. fabenrik says:

    Isso tá me lembrando aquela velha frase que os ateus vivem recitando na internet, mais ou menos assim: “Todos somos ateus. Só não acredito em um Deus a mais do que você. Quando descobrir porquê não acredito no seu deus, vai entender porquê não acredito no seu.”

    Se é assim, Glauber, um bebê que acabou de nascer é um pedófilo, porque ele só abusou de uma criança a menos do que um pedófilo, ou então é um assassino, pois ele só assassinou uma pessoa a menos do que um assassino. De boa, a primeira parte dessa frase é tão ridícula, que nem dá para acreditar na quantidade de ateus que ainda recitam ela no maior cinismo.

    Por quê você não busca saber porquê acreditamos em Deus, ao invés de Ala, Shiva, Zeus ou Amon-Ra? Uma dica: veja as “obras” de cada um desses deuses, a quantidade de pessoas que acreditam neles, como são as nações das pessoas que acreditam nesses deuses aí, se há profecias cumpridas, o que estão sendo cumpridas por eles.

    Não sou o ser supremo em matemática, mas percebo uma falta de lógica quando vejo uma.
    O certo é que um assassino é inocente para todas as outras pessoas exceto que ele matou.
    A palavra ateu já bem acompanhada de um prefixo que indica negação.

    Faltou matemática e português aí…
    Veja neste exemplo de lógica amigo Adalberto:
    Assassino está para Imaginável,
    assim como Não-assassino está para Inimaginável.
    Isto é, o que assassina está para o que imagina,
    assim como não assassino está para o que não imagina.

    O Teísta está para o Mobilizado,
    assim como o Ateísta está para o Imobilizado.
    Isto é, o que acredita está para o que se move,
    assim como o que não acredita está para o que não se move.

    Um bebê que nasce é Não assassino em relação à todas as pessoas
    em comparação com um assassino, exceto para a que ela matou.

    Desculpe mais meus dois anos dando aula de matemática não me deixam ver isso e ficar quieto, espero que não esteja confirmando o que nós ateus costumamos dizer, que para ser religioso tem que agir de desonestidade intelectual. Espero que possa reconhecer o equívoco, afinal só terá ligação com sua crença se assim o desejar.

    Falando do último parágrafo de sua citação: todos esses questionamentos que fez, muitos sabemos que não é verdade, pode acompanhar uma série que tenho em meu blog que se chama “Onde está deus?”, onde demonstro exatamente isso, que existem lugares sem o seu deus que vão mal, e existem lugares sem o seu deus que vão bem. Exemplos são países na África e países na Europa e na Ásia, os da África vivem em situações precárias e péssimas, e o valor de PIB desses países são baixíssimos, porém o Japão e outros países Europeus e Asiáticos estão no topo de listas de PIB, e o Brasil que tem maioria cristã e não é nem primeiro e nem último, está crescendo. Conclusão: são países em situações distintas, umas ruíns, outras muito boas, algumas medianas, e não há relação nenhuma com a existência de divindades.
    Quantidade de pessoas que acreditam não diz nada tbm, sua própria religião/crença/verdade já foi minoria no mundo. As pessoas acreditam que tem profecias cumpridas por esses deuses e que os mesmos fazem milagres da mesma forma ou até melhor que o seu. O que torna-o tão merecedor quanto os outros de existir, e menos que um que eu invente, pois eu existo e é possível avaliar se estou sofrendo de alguma esquizofrenia ou coisa parecida.

    Like

  43. Mats says:

    Glauber.
    Ateu é que acredita que não existe NENHUM DEUS em lugar nenhum do universo, ou fora dele. Eu sei que existe Deus, e portanto, não sou ateu.

    Faberik

    Mats, não tenho um posicionamento neutro com relação à religiosidade amigo

    Eu não disse que tinhas, mas sim que o teu ateísmo não tem legitimidade para criticar quem é religioso.

    Vai estudar um pouquinho o que significam as palavras de nossa língua mater.
    Faça um favor tbm de refutar tudo que te falei ou dê-se por vencido.

    Já está refutado há muito tempo. Se tu não acreditas em Deus então não tens bases para criticar as escolhas morais de outros.

    Pensa assim: imagina que não há forma absoluta de se medir comprimentos e distâncias. Eu chego perto de ti e digo que eu meço 1,88. Tu perguntas “Como é que sabes?”. Eu digo “Ora, eu usei a minha forma de medição pessoal”.

    Entretanto, tu pegas naquilo que tu usas para medir, e descobres que afinal eu tenho 1,90 e não 1,88. A pergunta que se levanta é: qual das duas formas de medir deve ser levada como absoluta? A minha ou a tua?

    Agora transporta as coisas para o mundo moral. Tu tens a tua forma pessoal de “medir” comportamentos” e eu tenho a minha. Como tu dizes que não há forma absoluta de se medir quais são os comportamentos “certos” e “errados”, então aquilo que tu acreditas é tão válido como quem acredita no contrário.

    Claro que como ateu tu dizes que “és contra a religião”; mas o que não te apercebes é que a partir do momento que eliminas Deus da questão, todas as escolhas morais tornam-se igualmente válidas. E porquê? Porque não há forma absoluta de se classificar comportamentos, para além das opiniões pessoais..

    Agora tu vais voltar a fazer o mesmo erro e dizer que “como ateu, sou contra a religião”. Tudo bem, mas isso é a tua escolha pessoal e não algo absoluto. Dentro do ateísmo, ser-se contra a “religião” é tão válido como “ser-se a favor da religião”.

    Se não há “Régua Moral” para medir comportamentos morais então todos os comportamentos morais tem o mesmo valor quer sejam os baseados no ateísmo ou no cristianismo.

    Enquanto tu não me disseres o porquê de assumires que as tuas escolhas se aplicam a quem não em não tem fé no ateísmo, tudo o que disseres são só opiniões pessoas não vinculativas para mim.

    Like

  44. fabenrik says:

    Achar que refutou é bem diferente de refutar.

    Bem, vamos lá!

    Quanto ao fato de ser ateu em relação as outras religiões, não vejo formas do que vc disse ser relevante, pois o seu deus para vc é real e os outros fictícios, enganação, charlatanismo, e não se vê indiferente em relação à isso. Eu sei que seu deus manda que faça isso. Porém se ele fosse indiferente a isso tbm, no caso das escolhas das outras pessoas. Primeiramente acharia quem segue e respeita os pedidos (que não são escolhas morais, são pedidos/exigências/ameaças e os deuses podem mudar isso a hora que desejarem, sem se importar com o ser humano, assim como o livro religioso que segue descreve, e todos os outros tbm, nenhum deus deve satisfação ao humano-conceitos deturpados, como em tudo na religião).
    Vamos acrescentar que vc tenha que viver pelas escolhas da maioria, como é a sociedade.
    E que a maioria quer coisas que o seu deus não gosta, e vc apoia, seguindo-o.
    Logicamente por julgar escolhas irreais e inválidas vai querer mudar.
    Assim se posiciona o ateu, ele quer mudar o mundo para poder viver pelas escolhas ateístas, que não incluem existência de divindades e tudo que disso gera é inválido até que se prove o contrário.

    Fabenrik
    ateu e atoa

    Like

  45. Mats says:

    Quanto ao fato de ser ateu em relação as outras religiões, não vejo formas do que vc disse ser relevante

    Ateus acreditam que nenhum Deus existe em lugar nenhum, nem nunca existiu, nem vai existir. O teísta acredita que Deus existe. Portanto, eu não sou ateu. Não sei de forma mais simples isto pode ser dito.

    Vamos acrescentar que vc tenha que viver pelas escolhas da maioria, como é a sociedade. E que a maioria quer coisas que o seu deus não gosta, e vc apoia, seguindo-o. Logicamente por julgar escolhas irreais e inválidas vai querer mudar.

    Mas quem decide o que é “irreal” e “inválido” ?

    Assim se posiciona o ateu, ele quer mudar o mundo para poder viver pelas escolhas ateístas

    Mas uma das “escolhas ateístas” é a de que não há Ponto de Referência para a moral, e como tal, as “escolhas ateístas” são tão válidas como as “escolhas budistas” ou as “escolhas animistas” ou ainda as “escolhas do pai de santo”.

    No mundo ateu todos os comportamentos morais são igualmente válidos.

    Like

  46. Adalberto Felipe says:

    Glauber,

    Já ouvi essa tal hipótese em muitos sites ateus, mas não sabia que era de Descartes.

    Sobre isso, muita gente não percebe, mas é uma falácia chamada “Falácia das premissas contraditórias”.

    Sabe, vários sites listam falácias, mas curiosamente essa não é listada em sites da língua portuguesa pelo que vi, pois ela é a resposta para essa questão e aplica perfeitamente ao que muitos ateus tentam falar.

    Como Deus é onipotente (irresistível), tal objeto não pode existir, pois assim, Deus não seria onipotente e o contrário também é verdadeiro.

    Isso é uma falácia que pega muita gente, tá me lembrando aquela da Matrix que circula como corrente em e-mails por aí.

    Like

  47. Adalberto Felipe says:

    fabenrik

    O certo é que um assassino é inocente para todas as outras pessoas exceto que ele matou.
    A palavra ateu já bem acompanhada de um prefixo que indica negação.

    De modo algum. Se for provado o assassino não é inoscente para nenhuma outra pessoa (a não ser para essas mulheres que infelizmente preferem cafajestes – coisa comum de se ver aqui no Brasil).

    A palavra ateu já bem acompanhada de um prefixo que indica negação.

    Faltou matemática e português aí…
    Veja neste exemplo de lógica amigo Adalberto:
    Assassino está para Imaginável,
    assim como Não-assassino está para Inimaginável.
    Isto é, o que assassina está para o que imagina,
    assim como não assassino está para o que não imagina.

    fabenrik, essa pode ser a sua lógica, mas por definição um assassino é simplesmente alguém que mata uma pessoa. Se uma pessoa não mata a outra ela não pode ser considerada um assasino e se usarmos a lógica daquela frase que muitos ateus a recitam: “Todos somos ateus por acreditar em um deus a menos”, então posso falar que um bebê que acaba de nascer é um assassino também por só assassinar uma pessoa a menos que um assassino.

    Um bebê que nasce é Não assassino em relação à todas as pessoas
    em comparação com um assassino, exceto para a que ela matou.

    Nossa, quem dera se aqui no Brasil pensassem assim nos tribunais. É o que falei anteriormente: um assassino é alguém que mata alguém e se for comprovado obviamente ele vai preso, porque outras pessaos conseguiram provar, ora.

    Desculpe mais meus dois anos dando aula de matemática não me deixam ver isso e ficar quieto, espero que não esteja confirmando o que nós ateus costumamos dizer, que para ser religioso tem que agir de desonestidade intelectual. Espero que possa reconhecer o equívoco, afinal só terá ligação com sua crença se assim o desejar.

    fabenrik, toma cuidado, já ouviu falar que o dinheiro e o poder podem corromper as pessoas? o mesmo acontece com o conhecimento. Muita gente coloca o conhecimento acima de Deus, usa o conhecimento para distorcer e enganar as pessoas e a si mesmo.

    Falando do último parágrafo de sua citação: todos esses questionamentos que fez, muitos sabemos que não é verdade, pode acompanhar uma série que tenho em meu blog que se chama “Onde está deus?”, onde demonstro exatamente isso, que existem lugares sem o seu deus que vão mal, e existem lugares sem o seu deus que vão bem. Exemplos são países na África e países na Europa e na Ásia, os da África vivem em situações precárias e péssimas, e o valor de PIB desses países são baixíssimos, porém o Japão e outros países Europeus e Asiáticos estão no topo de listas de PIB

    Quais países da África são cristãos?

    Os países da Europa, que sempre foram cristãos, estão cada vez mais caminhando para uma ditadura mulçumana. Há até estudos que boa parte da Europa vai estar islamizada daqui a uns 50 anos, já há atentados terroristas, gente inocente morrendo (posso passar alguns artigos se quiser sobre isso).

    Outra coisa: você já ouviu falar da janela 10 / 40?

    É um termo criado para designar as nações localizadas entre os graus 10 e 40 do norte da linha do equador. São nessas regiões que predominam nações onde o cristianismo tem dificuldade para penetrar e o curioso disso é que a maioria dessas nações são compostas por desertos, regiões instáveis, cheias de atentados terroristas, torturas, pobreza, etc.

    Quantidade de pessoas que acreditam não diz nada tbm, sua própria religião/crença/verdade já foi minoria no mundo. As pessoas acreditam que tem profecias cumpridas por esses deuses e que os mesmos fazem milagres da mesma forma ou até melhor que o seu.

    Sobre a quantidade depende: quantas pessoas você vê acreditam em Thor, em monstro espaguete, bule voador, na garagem?

    As pessoas acreditam que tem profecias cumpridas por esses deuses e que os mesmos fazem milagres da mesma forma ou até melhor que o seu. O que torna-o tão merecedor quanto os outros de existir, e menos que um que eu invente, pois eu existo e é possível avaliar se estou sofrendo de alguma esquizofrenia ou coisa parecida.

    Mas na bíblia há diversas profecias, cumpridas de formas fantásticas e várias outras coisas que confirmam a sua Palavra! A vinda de Jesus, evidências do dilúvio, nomes de tribos antiguíssimas que lembram os nomes dos netos e bisnetos de Noé (e até relatos extra-bíblicos sobre eles), relatos extra-bíblicos de cidades e personagens bíblicos (alguns dos quais já foram mostrados aqui e em outros sites criacionistas), evidências de que as línguas surgiram de uma vez, como a humanidade vai estar no fim dos tempos (II Timóteo 3.2-4), várias coisas que mostram como são pessoas que mechem com coisas erradas, como ir em frente na vida, ser salvo, são muitas cosias!

    Like

  48. Adalberto Felipe says:

    Glauber,

    Só mais uma coisa: você falou: “E sim, eu sou agnostico.

    Por quê você não desacredita em Deus?

    Like

  49. Glauber says:

    Adalberto,

    Nós conversamos sobre isso em outro post, lembra? Te postei até uma graduação de credo… Eu sou o nível 6 pois todo cientista ou simpatizante coerente deve sempre deixar um espaço aberto para outras opiniões e outras descobertas.

    Assim a ciência funciona. Ela é crítica dela mesma. É ela quem descobre seus próprios erros e acertos. Assim se desenvolve o processo científico.

    Eu sou agnóstico de nível 6, segundo aquela ‘tabela’ que te mostrei. O nível 7 é o oposto absoluto do fanático religioso, o que não é bom. Fanatismo nunca é bom. E não é assim que a ciência funciona, ao menos os cientistas DE VERDADE.

    Like

  50. Mats says:

    Glauber
    Quem é que define quem é um “fanático religioso”? O ateu?

    Like

  51. Adalberto Felipe says:

    Glauber,

    Lembro, mas como falei aquilo não é oficial, pois a definição de agnóstico é quem acredita e nem desacredita e o que se vê os agnósticos estão muito mais do lado dos ateus.

    Sobre a ciência, concordo com o 2º parágrafo que você falou, mas não vou colocar a ciência acima de Deus. A teoria da evolução exclui Deus sim, por mais que os ateus queiram vir com desculpas, sem contar que a ciência pode muito bem ser usada para o mal. Negar a evolução não me torna anti científico, pois nem a biologia, muito menos a ciência se resume a isso.

    Certa vez, o Padre Quevedo que é muito famoso aqui no Brasil, falou que o diabo se esconde em coisas mínimas na vida e por mais que não pareça para ateus e agnósticos ele pode se esconder por traz da ciência também e influenciar a cabeça de várias pessoas… uma das maiores provas disso são o fanatismo que muitos tem, os xingamentos, as censuras, o extremismo, que muitos dos ateus e agnosticos tem quando questionamos a evolução, o fato de dos ateus e agnósticos só focarem no cristianismo também.

    Já que você é agnóstico, você entraria por exemplo em um fórum ateu e os questionaria? O fabenrik se define como ateu (e atoa – apesar de que pelo que vi, mesmo com muitas discordâncias, como pessoa ele não parece ser, embora muitos ateus sejam), será que você o questionaria também e discordaria de algumas coisas que ele e outros ateus dizem?

    Ter 100% de certeza que Deus (e eu tenho) existe não me torna fanático religioso. Acredito sim que ele criou o mundo. Acredito que Ele está bem acima da ciência, ainda mais da “ciência” hoje em dia (1 Tm 6:20-21). Acredito que ele pode todas as coisas e criou o universo que há nele.

    Como? A bíblia fala dá detalhes.
    Dúvidas sobre isso? Vá em frente e busque a resposta, não deixe nunca a fé se abalar pela falsamente chamada ciência e pelo ateísmo e não busque nunca se afastar de Deus, pois mesmo que se saiba em detalhes como Deus criou o universo e tudo que há nele, ninguém jamais poderá reproduzir nada do que Ele criou e as tentativas de fazer isso só causam desgraças, vide o que Deus teve que fazer no princípio, em que Deus criou o homem e mesmo assim Deus viu coisas horrendas acontecerem, vide também a torre de Babel, o afastamento de Israel de Deus, os países comunistas, o que está acontecendo hoje em dia com o mundo cada vez mais se afastando de Deus, etc.

    Like

  52. fabenrik says:

    Boa pergunta, Mats:
    O que é um fanático?
    O que é um cristão fanático?
    O que é um ateu fanático?
    Seria interessantíssimo saber suas definições.
    Eu não venho aqui para pregar o ateísmo em um blog cristão, eu venho para “abrir minha cabeça”, para ouvir opiniões diferentes, corroboras meus pensamentos tbm, logicamente. Não acho que vou convencer ninguém, gosto mais de ver até onde resistem, até onde vão suas respostas.
    Gostaria muito que suas convicções abrissem espaço para que pudessem fazer o mesmo que faço, mas não vejo isso.
    Obrigado pelo comentário Adalberto, a referência que dou ao à toa é de liberdade, sem dogmas.
    E gosto tbm de vir aqui para ver até onde vai de fato o conhecimento de suas próprias crenças e onde começa fé (acreditar sem provas). Tento trazer alguns questionamentos que eu acharia interessantíssimo se eu fosse cristão.
    Venho não me abitolar em apenas uma visão, por mais que subestime suas fontes.
    Como já disse antes, e acho que foi nesse mesmo tópico, acho que o mundo precisa disso e enquanto tiver isso será um lugar bom para se viver, que são pessoas com opiniões diversas, tenho sim uma repulsa a certezas absolutas, eu já fui assim e até entendo o que leva a que pensem assim, mas hoje em dia vejo como estava equivocado, em ser absolutista e não abrir espaço para duvidas, e consegui chegar a esse nível vindo aqui. Vejo muita coisa na religião e no comportamento das pessoas com relação a mesma que discordo e tenho certeza que não sou só eu, e tenho mais certeza ainda que existem pessoas inclusive dentro da mesma que recriminam muito do que recrimino.

    Fabenrik
    ateu e atoa

    Like

  53. nicolas says:

    gente fanatica do caramba 2.000 de religiao nos levou a idade media 200 anos de ciencia fomos a lua e exlorando marte entao so porque te contaram sobre a biblia ja vai acreditando tipico de seu conhecimento metodico de acreditar que tudo e ato de deus

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s