Do “homo Habilis” ao “homo Sexualis”

Artigo Original Dentre as muitas bizarrices da teoria evolucionista, uma delas refere-se à estranha tentativa de se tentar “usar” Darwin a fim de explicar os mais variados tipos de comportamentos humanos. Especificamente em relação à homossexualidade, por exemplo, embora tal comportamento em termos evolutivos não apresente nenhuma “vantagem” (os homossexuais não geram filhos), já deram um jeito de “encontrar” nele um fundamento adaptativo e genético.Atribuindo-lhe um caráter adaptativo, E. O. Wilson justifica-o afirmando que a sociedade humana ancestral estava organizada em unidades familiares inimigas. Algumas dessas unidades eram formadas exclusivamente por heterossexuais; outras unidades continham membros homossexuais que agiam como “ajudantes” na caça e na criação e cuidados das crianças.

Ou seja, os homossexuais embora não tivessem filhos ajudavam a criar seus parentes geneticamente próximos. Desta forma, tal comportamento favorecia seus genes já que quanto maior a quantidade de parentes que ajudassem a criar, maior a probabilidade de transmitirem genes parecidos aos seus.

Desta forma, as unidades que incluíam homossexuais acabaram prevalecendo sobre as que eram heterossexuais, o que explicaria a sobrevivência dos supostos “genes da homossexualidade” (GOULD, “A Falsa Medida do Homem“, p. 349).

Todavia, segundo Stephen Jay Gould trata-se de uma estratégia perigosa, uma vez que não existe comprovadamente nenhum gene da homossexualidade.

Assim, estando a especulação genética errada, o tiro pode sair pela culatra:

“Se se defende um argumento dizendo que as pessoas foram diretamente programadas para ele, como se pode continuar a defendê-lo caso a especulação esteja errada? O comportamento passaria a ser “não-natural” e digno de condenação. O melhor é ficar resolutamente com a posição filosófica da liberdade humana: o que adultos livres fazem entre si, em particular, é problema deles. Não precisa ser justificado — nem deve ser condenado — pela especulação genética” (GOULD, “Darwin e os Grandes Enigmas da Vida“, p. 265).
Advertisement

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Pecado, Sociedade and tagged , . Bookmark the permalink.

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s