Sub-código Genético Descoberto: Teoria da Evolucão Enfraquecida; Criação Bíblica Fortalecida

Os programadores estão bem cientes do que são sub-rotinas. Um programa pode muito bem invocar outros programas que por sua vez retornam resultados ao programa principal. Isto é muito anos 60.

O software modular actual não só responde dinamicamente a partir de fontes díspares como também responde a reacções a partir de sinais inicializadores embebidos. Eles invocam rotinas escritas em outros códigos e linguagens.

Actualmente está-se a descobrir que o código genético é muito mais avançado do que a imagem que os anos 60 tinham do ADN, do RNA e das proteínas – O Dogma Central, como é conhecido. Pesquisadores europeus descobriram novas sequências informáticas e “o seu papel no controle das expressões genéticas.” A Science Daily reportou o trabalho do Departamento de Ciência Computacional (DCC) de ETH (Zurique) e do Instituto Suíço de Bioinformática (ISB). Pesquisadores tem-se debruçado sobre a “possibilidade de sub-códigos genéticos na informação genómica.

Um dos problemas do Dogma Central era entender a forma como o processo de tradução [genética] era regulado. As células tem que responder rapidamente a estímulos e a riscos. O que é que determina quais os genes a ligar ou desligar e a que taxa é que os produtos proteicos são produzidos?

Os pesquisadores da ETH e da ISB identificaram agora um novo sub-código que determina a que taxa certos produtos tem que ser feitos pela célula. Esta informação tem várias implicações interessantes.Primeiro, isto oferece novas perspectivas sobre a forma como a maquinaria de descodificação funciona.

Segundo, e pragmaticamente, isto torna possível ler a informação relativa as taxas expressão genética directamente nas sequências genómicas, enquanto que até agora esta informação só poderia ser obtidas através de laboriosas e dispendiosas experimentações tentativas, tais como os “microarrays“.

A célula tem que responder rapidamente a lesões tais como a destruição de ADN e venenos potentes como o arsénico. Este novo sub-código permite-nos saber quais os genes que são inicializados rapidamente logo após estas ofensas, e quais são os que melhor se exprimem mais lentamente. Um dos benefícios deste estudo é o de que nós, agora, podemos obter esta informação usando apenas uma análise das sequências codificadoras“, afirmou a Drª Gina Cannarozzi.

O acesso a novos níveis de informação genética armazenada em sub-códigos pode também proporcionar um novo olhar sobre os processos de tradução no ribossomo, afirmou o artigo. Pode permitir aos cientistas descobrir como é que o ribossomo “sabe” a que taxa ele deve reciclar os seus RNA-de-transferência (tRNA) de forma a atingir uma melhor operacionalidade.

Conclusão:

O artigo nada disse sobre a teoria da evolução. Surpreendidos? Claro que não.

Se as mutações aleatórias eram marginalmente toleradas nos dias do Dogma Central, elas vão ser mais dificilmente mantidas (como agentes criadores) agora que sabemos que o sistema de informação genético envolve código dentro de outro código e níveis hierárquicos de informação.

Os evolucionistas vão lidar com mais esta descoberta científica da mesma forma que eles lidam com outras evidências científicas que mostram a insuficiência das forças naturais como agentes criativos: escondendo o mitológico processo evolutivo por trás dos milhões de anos. Eles vão responder e dizer que, embora nunca tenhamos observado forças não inteligentes a gerar sistemas de informação, isso não invalida que isso tenha acontecido há….”milhões de anos atrás”.

Se duvidam disto, tentem usar mais este dado científico em blogs ateus, e vejam o apelo constante aos milhões de anos a aumentar à medida que se revela a maciça capacidade informativa do ADN.

Enquanto que a teoria da evolução e o ateísmo são impedimentos para o avanço da ciência, a visão cristã do mundo é a que melhor se harmoniza com os dados da ciência.

Isso não é algo marginal na discussão “evolução versus criação”, mas sim algo que seria de esperar se a Bíblia realmente fosse o que ela diz se si mesma: A Palavra do Criador.

Digno és, Senhor, de receber glória, e honra, e poder; porque Tu criaste todas as coisas, e por Tua vontade são e foram criadas.

Revelação 4:11

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , . Bookmark the permalink.

3 Responses to Sub-código Genético Descoberto: Teoria da Evolucão Enfraquecida; Criação Bíblica Fortalecida

  1. ND says:

    E sobre a Bíblia falou? Claro que não. Surpreendidos? Claro que não! E porquê? Porque também não existe nenhuma relação! Eh! Pá! Que porreiro que é estabelecer não-relações

    Like

  2. Mats says:

    Nuno Dias,

    E sobre a Bíblia falou? Claro que não. Surpreendidos? Claro que não! E porquê? Porque também não existe nenhuma relação! Eh! Pá! Que porreiro que é estabelecer não-relações

    Lá estás tu a opôr a Bíblia à teoria da evolução. Não vês que ao fazeres isso dás a impressão que a evolução é para os ateus o que a Bíblia é para os cristãos? ou será que é isso mesmo que queres dizer?

    Não falou sobre a Bíblia, mas falou em coisas que estão de acordo com a mesma. Falou em informação, códigos, rotinas e sub-rotinas, sistemas de controle e tudo o mais.

    A Bíblia diz que a biosfera é o resultado da Inteligência Infinita de Deus, e não o resultado das forças aleatórias da natureza. A ciência confirma a primeira.

    Segundo, vocês é que dizem que “nada na Biologia faz sentido sem ser à luz da evolução”, no entanto, os biólogos fazem o seu trabalho alegremente sem levar em conta esse mito ateu. Não se vê logo que a teoria da evolução é irrelevante para a ciência?

    Esse era o ponto do artigo.

    Like

  3. Douglas says:

    Depois os Ateus se dizem ”Intelectuais”

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s