Argentina: Feministas atacam Católicos

Mais um exemplo do que o futuro reserva aos cristãos, e também do verdadeiro sentimento que as feministas tem em relação a quem se oponha ao assassínio de bebés (aborto). Talvez as feministas apenas se estejam a revoltar contra 2000 anos de ataques e perseguições e….e… (inserir desculpa esfarrapada aqui).
Sobre a Defesa da Catedral de Neuquen

Neste vídeo, que a mídia nacional preferiu ignorar na época, é mostrada uma manifestação ocorrida no dia 17 de agosto de 2008, na cidade de Neuquén, Argentina.

Ne período ocorreu um evento chamado “Encuentro Nacional de Mujeres”, de tom feminista. O movimento pregava palavras de ódio a religiosos e gritos de ofensa a qualquer um que fosse contra o aborto. O grupo também era composto de lésbicas.

Estavam planejados atos de vandalismo contra a Catedral de Neuquén, e vários jovens católicos perceberam a armação e então fizeram um cordão de isolamento na frente da Catedral. Enquanto faziam orações, sofriam ofensas e manifestações de violência psicológica por parte das feministas.

E, como tenho mostrado aqui neste blog, em vários exemplos, a mente esquerdista não é normal, e passa a encarar qualquer que não pense como eles como um inimigo, a ponto de merecer cusparada na cara. Vejam, aos 4:15 do vídeo, um jovem católico recebendo um cuspe no rosto de uma das manifestantes.

As manifestantes também arrancaram dos católicos uma grande faixa com as cores da bandeira argentina e queimaram.

Durante as ofensas, os jovens ignoraram as provocações e continuaram rezando, o que parecia aumentar ainda mais o ódio das feministas da manifestação, como se pode ver no vídeo.

Ainda que em situação de superioridade moral, pois a violência partiu apenas das esquerdistas, fica bem claro como a mera atitude de postura ereta dos cristãos é suficiente para causar ódio nos anti-religiosos. Isso, aliás, explica muito da postura neo ateísta.

Supondo agora que a não reação tenha sido uma versão literal do “oferecer a outra face”, e, se ao invés de um cuspe, a manifestante resolvesse dar um tiro na cara do garoto? Enfim, a partir do momento que a não reação é legitima, tudo é permitido, certo?

Enfim, o vídeo fica como um alerta. A não-reação tende a ter consequências mais desastrosas. O caso da Catedral de Nauquén (omitido, convenientemente, pela mídia) é apenas um aperitivo perto do que vai ocorrer SE NÃO existir uma reação enérgica dos líderes religiosos. Simples assim.

E as regras do jogo estão clara: (1) contra os religiosos, tudo é permitido, (2) tudo que for feito contra eles será inclusive omitido, para evitar punições dos culpados, (3) até por que, se tudo contra os religiosos é permitido, não existe culpa para anti-religiosos, (4) enquanto não reagirem, os anti-religiosos podem fazer cada mais contra eles.

A regra é clara. Se os cristãos mansos continuarem a ir por esse caminho, no futuro cuspe na cara será um afago perto do que está por ocorrer.

É simplesmente o ato de observar os fatos como eles ocorrem e não como gostaríamos que fossem. A realidade às vezes é cruel, mas ignorá-la é ainda pior.

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Pecado, Sociedade and tagged , , , . Bookmark the permalink.

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s