Olhos da Mosca Inspiram Melhores Camaras de Filmar

Os evolucionistas estão sempre a lembrar que a evolução é um processo de má qualidade. As dores nas costas, o dente do siso sem função alguma, a cablagem “invertida” das nossas retinas são, dizem-nos os evolucionistas, consequências da inépcia da evolução. Dificilmente isto é o tipo de coisas que um arquitecto iria copiar. Gostarias de voar num avião cujo design tivesse sido inspirado por tal processo casual? Claro que não.

E quem é que pode discutir com a lógica dos evolucionistas? Se a vida é o resultado da aleatoriedade conjunta entre as leis da termodinâmica, movimento, electromagnetismo, gravidade e tudo o mais, então nós dificilmente esperaríamos que algo funcionasse muito bem.

Mas se isto é verdade, o que dizer do design deslumbrante presente na natureza? Se a evolução é um péssimo designer, então o que é que podemos dizer das muitas complexidades biológicas? De facto, o design dos sistemas biológicos não só é incrivelmente complexo (tanto assim que nós ainda estamos a tentar percebe-lo) como também é bastante útil.

A Biologia está a produzir uma vasta gama de designs e estruturas que encontram uma variedade de aplicações práticas. Nos campos da engenharia actual existe um ênfase no design-inspirado-na-biologia. Cursos, livros escolares e conferências contemporâneas progressivamente olham para a Biologia em busca de ideias e sinergias.

Pesquisadores militares, por exemplo, há anos que estão focados nesta área. Se o bio-sonar do morcego pode executar medições muitas vezes mais acertadas que o nosso melhor equipamento militar, então vamos descobrir como é que eles o fazem. Semelhantemente, se os morcegos podem gerar imagens visuais em poucos segundos e simultâneamente resolver equações geométricas de forma a capturar as suas presas, então é sem surpresa que os militares estejam interessados.

De facto, a Biologia oferece uma rica lista de produções “high-tech”. Considerem as capacidades superiores de processamento de imagem das moscas. Como foi explicado por alguém, os “olhos da incómoda mosca possuem um plano importante no que toca à criação de melhores câmaras de filmar, sistemas militares de detecção de alvos e equipamento de vigilância.” As potenciais aplicações são significativas e inclui a área comercial (câmaras fotográficas e de filmar), a área da segurança (melhorar a detecção de movimentos em áreas sombrias) e a área militar (melhoria da detecção de alvos).

Os evolucionistas alegam que a evolução gerou as maravilhas biológicas como o bio-sonar dos morcegos e a visão das moscas. Eles afirmam que um processo de má qualidade não direccionado e descuidado conseguiu ser mais inteligente que os nossos melhores cientistas e engenheiros. Isto, vez após vez. De acordo com o Darwinismo, as estruturas biológicas sem função conhecida são imprestáveis e sinais óbvios de um processo inepto e não direccionado. Mas as estruturas biológicas com um design soberbo são, por outro lado, o resultado de variações biológicas não direccionadas como as mutações.

Afirmar que o sistema sonar do morcego ou a visão das moscas é o resultado do processo evolutivo é mais especulação do que explicação. De facto, isto é uma forma bonita de dizer as coisas. Quão ridículo seria afirmar que o mais avançado e complexo design deve ter emergido como consequência de mudanças biológicas não direccionadas. Uma sequência de mutações conseguiu, por acaso, produzir o mais preciso sistema sonar conhecido pela humanidade.

Isto é tão ridículo que os evolucionistas evitam falar muito disto nestes termos.

Isto é a sua teoria, mas mais frequentemente eles usam a menos ridícula linguagem Lamarckiana. Os designs, dizem eles, emergiram como consequência de pressão selectiva. Esta explicação viola o seu próprio princípio de que a mudança biológica não pode ser iniciada ou gerada como resposta a uma necessidade. De acordo com a evolução, a mudança biológica tem que ser não direccionada. A selecção desempenha o seu papel apenas depois da mudança ter ocorrido, e não antes.

O gradualismo também não resolve o problema. Construir um bio-sonar e processadores avançados de imagem (uma mutação não direccionada de cada vez) não é melhor que tudo de uma vez. Em ambos os casos a mudança biológica não direccionada tem que chegar ao mesmo design fenomenal.

O gradualismo, no entanto, acrescentou o peso de ter que existir uma longa série de fósseis intermédios que conduziram ao design actual. Não há evidência para a existência de tal sequência, mas nós temos que acreditar que ela existe.

Tudo isto é espectacular, se levarmos em conta que a evolução é um processo de má qualidade.


About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia, Ciência and tagged , , , , . Bookmark the permalink.

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s