Talibãs Enforcam Miúdo de 7 anos

E de pensar que há ateus que acreditam que as religiões são essencialmente iguais.
Acabo de ler que os talibãs enforcaram um miúdo de apenas 7 anos – ao que parece, culpado de o seu avô se ter manifestado contra os partidários dessa seita de criminosos – com o espantoso argumento de que a criança em questão teria feito espionagem a favor dos Estados Unidos e da Nato!

Matar a sangue frio um miúdo de 7 anos…

É certo que os talibãs são uma organização criminosa, terrorista e extremista, conhecida pelas inomináveis crueldades perpetradas contra a população do seu próprio país, pelos horríveis atentados que praticou e ainda pratica contra civis, mas também por ter barbaramente destruído símbolos religiosos e monumentos culturais de incalculável valor.

Quem esqueceu as infames lapidações de mulheres que cometeram o crime de sair à rua sem a companhia de um familiar ou de falar com um estranho?

Quem não recorda as duas monumentais estátuas de Budas – sem dúvida património da humanidade – que aqueles miseráveis biltres se permitiram destruir há uns anos?

Mas enforcar um rapaz de apenas 7 anos…

Se o Mal tem uma face, ela é a dos monstros que foram capazes de uma tal atrocidade. Poderia discorrer sobre as causas da guerra civil, desde as responsabilidades internacionais à cupidez da corrupção e aos criminosos e sujos negócios da droga, ou, ainda, sobre a loucura niilista que para todo o sempre amaldiçoará os talibãs.

Poderia, também, lembrar a estulta retórica dos nossos serôdios trotskistas e estalinistas, no seu incansável afã de atacarem tudo o que lhes lembre o Ocidente. Mas não vale a pena. Uma inocente criança de 7 anos foi enforcada numa árvore.

No ano 2010. Em pleno século XXI.

Sim, o Mal existe.

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Islão and tagged , . Bookmark the permalink.

23 Responses to Talibãs Enforcam Miúdo de 7 anos

  1. E esquerdistas neoateístas, como os da Esquerda Republicana, ainda acham que os americanos deviam sair do Afeganistão. Deixando as populações à mercê desses assassinos..

    A mesma coisa com Israel. Uma democracia que abre investigações internas quando se dão casos com os da flotilha turca, é atacada impediosamente pela comunidade internacional. Mas os que atacam os seus próprios cidadãos e militam no terrorismo sem nunca terem pedido perdão pelos seus crimes hediondos, são considerados valorosos combatentes e com estatuto de paridade nas negociações de “paz”.

    Lula da Silva, por exemplo, quer calar as críticas aos comportamentos homossexuais no Brasil, sob pena de prisão e multas, dizendo-se defensor dos direitos humanos.
    Mas depois apoia o Irão, que apedreja até à morte mulheres e homens por terem esses comportamentos.

    Eu não digo que os americanos ou israelitas sejam absolutamente bondosos e desinteressados. Mas basta perguntar a um iraquiano ou afegão comum como era a vida antes e depois da ocupação norte-americana. Os palestinianos podem-se queixar de muita coisa, mas se até podem ser eleitos para o parlamento israelita e criticar a existência do próprio estado de israel, porque não vão tentar criticar o Hamas ou outra organização assassina no seu próprio território, a ver o que lhes acontece?

    Like

  2. Mats says:

    E esquerdistas neoateístas, como os da Esquerda Republicana, ainda acham que os americanos deviam sair do Afeganistão.

    O esquerdismo vive num mundo pré-11 de Setembro, onde todo o conflito pode ser “resolvido” (uso esta palavra de forma bem vaga a là Chamberlain antes da 2ª Guerra) com o “diálogo” e “concessões”. Esta mentalidade não entende que há certas ideologias com as quais não se dialoga nem se fazem concessões: luta-se.

    Se alguém duvida disso, convido-o a visitar o museu Yad Vashem ou o sul do Sudão.

    Se o esquerdismo usasse 10% da energia que eles usam contra o Cristianismo, ou contra Israel, para lutar contra aqueles que enforcam crianças, ou aqueles que amarram bombas à cintura de miúdas e as enviam para se suicidarem entre judeus, o mundo seria um melhor lugar para viver.

    Se os americanos saem à pressa do Afeganistão, a carnificina que certamente vai ocorrer lá vai ser imputada aos americanos. Para os esquerdistas, há pessoas e ideologias que são sempre culpadas de todo o mal, mesmo que a sua intervenção na génese desse dito mal seja não existente.

    A Esquerda Republicana, sendo da esquerda, apoia o sacrifício do bom senso como forma de defender a ideologia. Aliás, como disse Evan Sayet numa apresentação na Heritage Foundation, o esquerdismo faz com que pessoas inteligentes tenham que se fazer burras. Se trabalhas num aeroporto, tens que abandonar o senso comum e acreditar que uma velhota sueca é tão capaz de levar a cabo ataques terroristas como 3 ou 4 homens de feição árabe, vestidos com rigor muçulmano e a gritarem “Mash’Allah” ou “insh’Allah” durante a sua conversa. Se és esquerdista, tens que acreditar que mal os EUA saiam do Afeganistão, o povo local vai-se dedicar à paz e a coesão social.

    Nós temos um exemplo do que acontece quando uma nação civilizada abandona uma zona de guerra à mercê de terroristas: sul do Líbano.

    Por mim, eu digo: tirem os americanos de lá, mas depois as pessoas que o propuseram assumam as consequências do que lá ocorrer.

    Like

  3. Jorge Gustavo says:

    E ainda querem dizer que o fanatismo religioso não causa males…

    Like

  4. Mats says:

    Jorge Gustavo,
    O que é “fanatismo religioso” ? Tens uma definição coerente desse termo?

    Like

  5. Jaime says:

    «Igrejas Evangélicas envolvidas em tortura e assassinato de centenas de crianças acusadas de serem bruxas», ler notícia em http://www.sott.net/articles/show/195077-Evangelical-Churches-involved-in-torture-and-murder-of-thousands-of-children-denounced-as-witches

    Like

  6. ND says:

    Interessante essa notícia, Jaime.
    Não acham Mats e Jairo?

    Like

  7. O problema do fanatismo religioso é que é difícil de combater de fora. A imensa maioria das pessoas que vive nos países Islâmicos são pessoas moderadas. Conheço bem pessoas de Marrocos que tem uma visão ocidental do mundo e que odeiam o que eles chamam os “barbudos”. Uma minoria mais ligada aos Xiitas radicais (nem todos os Xiitas são radicais) muito activos e que impõe o terror.

    O problema é que essas sociedades ainda não conseguiram lutar contra a influência da igreja. Nunca tiveram a revolução francesa e o anti-clericalismo do século XIX que afastou as igrejas do poder politico e económico.

    Nós no ocidente temos igrejas (parte da igreja católica, algum adventista, as testemunhas de jeová e algumas confissões evangélicas) que pregam algo de muito parecido com os radicais islâmicos : perseguição aos homossexuais, proibição da contracepção, repressão ao adultério, confusão entre o poder politico e as normas religiosas, intolerância religiosa, etc e etc.

    Felizmente cá estão arredados do poder.

    Penso que a imigração maciça para a Europa e Estados Unidos de jovens destes países terá como resultado uma “contaminação” na nossa cultura laica e humanista. Obviamente que os sectores mais conservadores tendem a radicalizar-se com fenómenos de terrorismo como reacção a esta abertura.

    Não me acredito é que intervenções militares possam impor a uma população uma mudança de atitude.

    A revolução laica e humanista tem de partir de dentro do próprio sistema. A internet terá um papel importante.

    Como sou optimista penso que em poucos anos alguns países irão começar a abrir-se e nesse caso desde que um caia o outros irão copiar o esquema.

    No entanto é preciso que se note que nós por cá na Europa demoramos muitos anos a colocar as religiões no seu devido local. E no Brasil ainda há uma grande quantidade de deputados evangélicos com poder politico real.

    O presidente Lula da Silva não teria sido eleito sem os evangélicos.

    Como a estrutura das igrejas Islâmicas é mais fluída que a monolítica igreja católica é possível que apeadas do poder politico comecem a capinar cada qual para o seu lado e que se fixem numa teologia qualquer da prosperidade e que se deixem de dogmas religiosos e se concentrem a dizimar os otários.

    Aqui na Europa , no Brasil, em Angola estas igrejas mais radicais já há algum tempo que se deixaram de ideologias ou teologias. O único objectivo que parecem ter é recolher o máximo de dinheiro dizendo o que quer que seja para agradar aos fiéis e fazê-los contribuir.

    No fundo nem são perigosas por aí além.

    Like

  8. Mats says:

    João,

    Nós no ocidente temos igrejas (parte da igreja católica, algum adventista, as testemunhas de jeová e algumas confissões evangélicas) que pregam algo de muito parecido com os radicais islâmicos

    Depende do que entendes por “muito parecido”.

    perseguição aos homossexuais

    Nos países muçulmanos, os homossexuais são mortos. É isso que se passa nos círculos evangélicos ou católicos?

    proibição da contracepção

    Depende do método da contracepção”.

    repressão ao adultério

    Mas os muçulmanos nao são contra o adultério. No islão tu podes ter até 4 concubinas MAIS 4 “mulheres”. Além disso o profeta do islão, a dada altura, legalizou uma coisa chamada de “Nikah al´mutah” que é um “casamento temporário”. É adultério sob outro nome.

    confusão entre o poder politico e as normas religiosas

    Que confusão?

    ntolerância religiosa

    Do mesmo modo, eu vejo muitas semelhanças entre os ateus e os muçulmanos:
    1. ataques aos cristãos
    2. censura de demonstrações públicas de cristianismo.
    3. Desrespeito pelas figuras religiosas cristãs (veja-se o que a playboy fez há pouco tempo)
    4. Actos violentos (veja-se Stalin e Mao Tse Tung)
    5. Instalação das suas crenças como religiões oficiais (na europa é o ateísmo)

    etc, etc..

    Like

  9. Mats says:

    Nuno e Jaime,
    Sim a notícia é triste e deprimente. Mas repara que o ateu não tem ponta por onde pegar porque para ele, crianças podem ser mortas se os pais bem entenderem na forma de assassínio legalizado (aborto).

    Portanto, enquanto que o Cristianismo condena o que os pais e pastores locais fazem, o ateísmo aceita o seu comportamento como “direito reprodutivo”.

    Like

  10. Jaime says:

    «Pregador cristão pede a morte dos homossexuais», ler notícia em http://www.mpacuk.org/story/101209/christian-preacher-calls-killing-homosexuals.html

    Like

  11. ND says:

    nunca li em nenhum livro de Dawkins semelhante:

    2 Reis 2
    Então subiu dali a Betel; e, subindo ele pelo caminho, uns meninos saíram da cidade, e zombavam dele, e diziam-lhe: Sobe, calvo; sobe, calvo!
    E, virando-se ele para trás, os viu, e os amaldiçoou no nome do SENHOR; então duas ursas saíram do bosque, e despedaçaram quarenta e dois daqueles meninos.

    Like

  12. Adalberto Felipe says:

    ND

    A resposta para isso que você falou está aqui: http://crentinho.wordpress.com/2006/11/04/sera-que-deus-odeia-as-criancinhas/

    Like

  13. Dias, quando é que a referência da minha crítica foi o islão por oposição ao cristianismo?

    Eu apenas critiquei os que defendem a saída dos americanos do Afeganistão e Iraque e os que pretendem calar as críticas aos comportamentos homossexuais mas são amigos de quem mata homossexuais.

    Portanto, poupa lá a ironia:

    “Interessante essa notícia, Jaime.
    Não acham Mats e Jairo?”

    Não tenho problemas nenhuns em criticar igrejas evangélicas ou que se dizem como tal ( seria díficil alguém baseado no EVANGELHO CRISTÃO defender coerentemente o homícidio). Ainda ontem eu e o Mats falávamos aqui do Bispo Macedo que promove o aborto. E não foi para o defender.

    Se quiseres debate à Sporting-Benfica, lança assuntos do Sporting e do Benfica a discussão. Eu sou do Sporting, o Mats é do Benfica; provavelmente irás apreciar a conversa naturalmente facciosa. Fora isso, é um pouco triste vires com essa ideia de que já nos apanhaste quando, por criticarmos as práticas talibãs e a cumplicidade moral dos esquerdistas, nos confrontas com crimes cometidos por cristãos.

    Like

  14. Mats :

    Eu não disse que a prática cá é a mesma. Cá há divisão entre estado e religião. Quando não havia havia a inquisição e tudo…

    O espírito de intolerância é o mesmo. Seja Pol Pot, Hitler, o Islão ou o Cristianismo.

    E repara que o comunismo e o nazismo foi o que mais se assemelhou ao espírito religioso.

    As sociedades mais livres e que mais respeitam a pessoa humana são as sociedades laicas, democráticas e orientadas por ética humanista.

    Este tipo de sociedade é óptima para viver mas um pesadelo para nazis, comunistas e fanático religiosos.

    Conseguem convencer uma minoria mas são ignorados pela imensa maioria.

    Repara que em Portugal e Espanha a maioria da população diz-se cristã no entanto o bom senso das pessoas prevalece sobre as superstições e a maioria das pessoas pratica sexo seguro (preservativo), utiliza métodos anticoncepcionais, tenta não discriminar os homossexuais e faz uma vida normal.

    Colocam os deuses no seu devido lugar, que é o foro mais intimo, e fazem a sua vida norteadas por princípios humanistas.

    E o que é interessante é que conseguimos elevados níveis económicos, respeito pelas minorias (até pelas mais esdrúxulas) e liberdade de expressão.

    Like

  15. ND says:

    @Adalberto
    Interessante essas interpretações. Dou-te o benefício da dúvida relativamente à idade, quanto ao resto, resta-me ficar a pensar qual seria a tua interpretação se idêntico sucedesse nos dias de hoje.
    O quanto admissível é a carnificina, na mente de um cristão, se for ordenada por Deus.

    Like

  16. Mats says:

    Jaime e Nuno,
    Citar eventos de pessoas que se chamam de cristãs a suportar comportamentos não cristãos não justifica o ateísmo. Se vocês colocam essas referências, façam-no como evidência para uma alegação vossa.
    Por exemplo, se eu chegar aqui e começar a citar o Dawkins e o que ele diz em suporte das prácticas de Hitler, isso vai ser inúcuo se eu não o fizer dentro de uma alegação. No entanto, se eu disser que o ateísmo justifica qualquer tipo de comportamento, e depois citar o Dawkins, as coisas já ficam mais lógicas.

    Portanto, vocês são livres de colocar aqui eventos onde pessoas que se identificam como cristãs fazem coisas que vocês arbitrariamente classificam de “más”, mas se não o fizerem dentro de um argumento, as vossas “evidências” caem em saco roto.

    Quanto aos “cristãos” que pedem a morte de pessoas apanhadas em actos homossexuais: do ponto de vista cristão, isto não é promovido. Ou seja, não há nada na Nova Aliança que suporte este tipo de legislação civil. NA Lei Civil que Deus deu a Israel, há 3,500 anos atrás, de facto era imposta a pena capital a todos os que fossem apanhados em actos homossexuais. Mas quem é que vos disse que a Lei Civil de há 3,500 se aplica a hoje?

    Segundo, vocês que defendem a morte de bebés inocentes acham mesmo que tem moral para apontar o dedo à Lei civil de países africanos que pedem a morte de pessoas culpadas do (segundo a sua lei) crime da homossexualidade?

    Portanto:
    1. Façam as vossas alegações e fundamentem-nas
    2. Digam-nos qual é o fundamento ateu para levantar oposição à penal capital para os sodomitas.
    3. Digam o porquÊ de defenderem a morte de bebés inocentes, mas rejeitarem a morte de adultos culpados.

    Like

  17. Mats says:

    Nuno

    O quanto admissível é a carnificina, na mente de um cristão, se for ordenada por Deus.

    Ou se for ordenada pelo Estado (aborto).

    Like

  18. Mats says:

    João Melo,

    Eu não disse que a prática cá é a mesma. Cá há divisão entre estado e religião. Quando não havia havia a inquisição e tudo…

    Nos países ateus não havia união entre estado e religião mas havia inquisições. Aliás, as inquisições ateístas causaram a morte de milhões em menos de 100 anos, enquanto que a inquisição “cristão” causou a morte a menos de 3,000 em 400 anos. Nem se compara.

    O espírito de intolerância é o mesmo. Seja Pol Pot, Hitler, o Islão ou o Cristianismo.

    Pol Pot era ateu.

    E repara que o comunismo e o nazismo foi o que mais se assemelhou ao espírito religioso.

    Não foi não. Tal como disse o Luciano no seu blog, o comunismo e o nazismo são centrados no homem, mas o cristianismo é centrado em Deus. O comunismo e o nacional socialismo estão mais perto do humanismo secular do que od cristianismo tradicional.

    As sociedades mais livres e que mais respeitam a pessoa humana são as sociedades laicas, democráticas e orientadas por ética humanista.

    Tal como a Suécia, onde um cristão pode ir preso por dizer que a homossexualidade é pecado?

    Este tipo de sociedade é óptima para viver mas um pesadelo para nazis, comunistas e fanático religiosos.

    E bebés no ventre, cristãos, judeus e tudo o mais.

    Conseguem convencer uma minoria mas são ignorados pela imensa maioria.

    Mas os esquerdistas NUNCA são a maioria. Vocês enganam a maioria fazendo passar a mensagem que são a maioria, mas vocês são uma minoria em quase todos os países. O que se passa é que em muitos países a maioria está injustificadamente intimidada pela minoria. É uma ocupação do tipo que a que os alemães fizeram à França.

    Repara que em Portugal e Espanha a maioria da população diz-se cristã no entanto o bom senso das pessoas prevalece sobre as superstições e a maioria das pessoas pratica sexo seguro (preservativo), utiliza métodos anticoncepcionais, tenta não discriminar os homossexuais e faz uma vida normal.

    Talvez isso explique a degradação do casamento, o aumento dos filhos de mães solteiras e o declínio da moralidade.

    Colocam os deuses no seu devido lugar, que é o foro mais intimo, e fazem a sua vida norteadas por princípios humanistas.

    Com os resultados que todos sabemos.

    E o que é interessante é que conseguimos elevados níveis económicos,

    Desde quanto que sucesso económico é sinal de moralidade aceitável? Os mafiosos também podem ser ricos, mas isso não justifica a Máfia.

    Like

  19. ND says:

    Segundo, vocês que defendem a morte de bebés inocentes acham mesmo que tem moral para apontar o dedo à Lei civil de países africanos que pedem a morte de pessoas culpadas do (segundo a sua lei) crime da homossexualidade?

    Penso que ainda não encontraste ninguém a concordar com a prática do aborto, antes a o tolerar perante a alternativa.
    Penso que ainda não encontraste ninguém a concordar com práticas abomináveis como o exemplo que deste.
    Mas também penso que tens muita intolerância ao acusar religiões opostas às tuas sem olhares para o teu umbigo e sem te permitires olhares para aspectos culturais das sociedades.

    Like

  20. gnomo says:

    Nuno,

    Ora nem mais. Se um muçulmano faz algo abominável, a culpa é do Islão.
    Se um cristão faz algo abominável, é porque não era um cristão a sério.
    Até concordo com a última, mas dá bem para ver como o Mats não consegue ser minimamente imparcial a julgar seja quem for.

    Like

  21. Mats says:

    Penso que ainda não encontraste ninguém a concordar com a prática do aborto, antes a o tolerar perante a alternativa.

    A alternativa perante o aborto é deixar viver o bebé. Ou mata ou deixa viver. Tu dizes “mata”, certo?

    Mas também penso que tens muita intolerância ao acusar religiões opostas às tuas sem olhares para o teu umbigo e sem te permitires olhares para aspectos culturais das sociedades.

    Mas acusar as religiões contrárias à minha (como o ateísmo e o islamismo) não é sinal de “intolerância”.

    Ora nem mais. Se um muçulmano faz algo abominável, a culpa é do Islão.

    Se o islão lhe diz para fazer isso, então é.

    Se um cristão faz algo abominável, é porque não era um cristão a sério.

    Tal como quando um ateu faz algo de mal (Stalin e Mao) isso nada tem a ver com o ateísmo (supostamente). Quando “cristãos” matam, então a culpa é sempre do Cristianismo.
    Dois podem jogar este jogo.

    Até concordo com a última, mas dá bem para ver como o Mats não consegue ser minimamente imparcial a julgar seja quem for.

    Não existe “imparcialidade” em lugar nenhum do mundo.

    Like

  22. gnomo says:

    Mats,

    “Se o islão lhe diz para fazer isso, então é.”

    E depois tens os muçulmanos que acham que essas “ordens” devem ser lidas no contexto da época em que o corão foi escrito. Hmm… Onde é que eu já vi isto?

    “Não existe “imparcialidade” em lugar nenhum do mundo.”

    E isso é que está mal.

    Like

  23. Mats says:

    Gnomo,

    “Se o islão lhe diz para fazer isso, então é.”

    E depois tens os muçulmanos que acham que essas “ordens” devem ser lidas no contexto da época em que o corão foi escrito. Hmm… Onde é que eu já vi isto?

    Todos os livros devem ser lidos no contexto da época em que foram escritos, ou não?
    Mas isso não invalida que se o Qur’an diga para matar os infiéis como mandamento prescritivo e eterno, então os aqueles que o fazem estão de acordo com o seu livro “sagrado”.

    Vocês ateus também tentam desculpar o racismo de Darwin dizendo que ele era um “produto da época”.

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s