Animais em risco de extinção renascem em Chernobyl

E Deus os abençoou, dizendo:
Frutificai e multiplicai-vos, e enchei as águas nos mares; e as aves se multipliquem na terra.

Génesis 1:22


Os animais continuam a obedecer à sua “grande comissão” de povoar a Terra. Se os animais podem fazer isto no espaço de 25 anos, imaginem o que eles não poderiam fazer nos anos que se seguiram ao Dilúvio, quando só havia 8 seres humanos em toda a Terra.
Animais em risco de extinção renascem em Chernobyl

O desastre em Chernobyl equivaleu a 400 bombas iguais à de Hiroshima. As radiações depositaram-se na região. Os humanos tiveram de sair e os animais reclamaram o seu espaço. Uns falam em paraíso na Terra, outros que as radiações prejudicam a fauna e flora.

Imagine-se um lugar sem pessoas, sem pesticidas, sem indústria, sem trânsito, onde os animais vivem em total liberdade e reclamam aquilo que um dia chegou a ser deles. Esse lugar existe: é numa zona que abrange a Ucrânia e a Bielorrússia, mas só é assim porque, em 1986, ocorreu lá o maior desastre nuclear de sempre.

A radiação de Chernobyl, que impediu os humanos de voltarem à região, não afectou o espírito curioso dos animais, que invadiram as cidades e as casas onde as pessoas viviam. Há até 14 espécies em vias de extinção que estão a usar esta região livre de pessoas para renascerem.

No dia 26 de Abril de 1986, o quarto reactor da central nuclear de Chernobyl, no norte da Ucrânia, explodiu, o que resultou na libertação de material radioactivo e a subsequente evacuação da região. Mais de 135 mil pessoas tiveram de abandonar as suas casas. O que não fez caso foi a fauna (e também a flora) que, sem humanos, também não tinha quem a impedisse de vaguear à vontade pela zona. Foi assim que surgiu o boom de biodiversidade na região.

Animais como o lince, bufos- -reais, garças-brancas, cisnes, ursos e lobos introduziram-se na zona deserta próxima de Chernobyl. Sem quem os cace, os lobos formaram matilhas. A cadeia alimentar fortaleceu-se, pois tudo voltou ao ritmo normal da natureza. Voltou a ver-se javalis na zona, e até os cisnes voltaram para nidificar.

Vendo tal biodiversidade, o homem resolveu dar uma ajuda e introduziu lá animais. O caso de maior sucesso é o do cavalo de Przewalski, o equídeo mais próximo do cavalo original, que transportou as tropas de Átila, o Huno, e que estava em perigo de extinção. Aliás, foram 14 as espécies em perigo que conseguiram reaparecer na região “nuclear”. Na Bielorrússia, a zona foi já considerada, oficialmente, reserva natural.

Apesar disso, há quem considere que as radiações estão a prejudicar a fauna e a flora – estudos indicam que são precisos 900 anos para eliminar qualquer rasto de partículas nucleares de Chernobyl. Os vários estudos são inconclusivos, mas… os animais não se importam.

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , . Bookmark the permalink.

6 Responses to Animais em risco de extinção renascem em Chernobyl

  1. wallacevidal says:

    Leia o pequeno texto do site acima, seja orgulhoso e não acredita na evolução

    Like

  2. Mats says:

    Wallace,
    Leste bem o texto que citaste?

    Segundo os cientistas, as pesquisas sugerem que os fungos estão utilizando um pigmento, a melanina, da mesma forma que as plantas usam a clorofila. Sendo assim, os fungos teriam sofrido mutações que o tornaram capazes de fazer, uma espécie de “radiossíntese”, transformando radiação (a única coisa presente no lugar) em energia.

    Ou seja, usam uma molécula que JÁ TINHAM para uma nova função. Se isso é evolução, então se eu usar o meu teclado como martelo, então isso também é “evolução”: lol

    Mas olha uma coisa importante:

    Felizmente, sem radioatividade para “comer”, não se dariam bem fora da usina.

    Ou seja, esta mutação causou que esta forma de vida ficasse mais frágil do que aqueles que existem no meio ambiente.

    Queres mesmo defender que uma criatura mais frágil que a ancestral “evoluiu”?

    hmmm acho que não.

    Like

  3. wallacevidal says:

    Sim. Que problema você vê nisso, Mats?

    É que na mente de vocês, a evolução SEMPRE irá deixar a criatura mais forte. Isso é uma alienação que alguém colocou na cabeça de vocês. Se isso fosse verdade, o tigre dente de sabre não teria deixado ancestrais mais fracos.

    A evolução não resume-se em ficar mais forte. Resume-se em ficar mais hábil ao hambiente que vive.

    E a sua analogia do teclado/martelo foi rídicula, mas eu já esperava isso.

    Like

  4. wallacevidal says:

    Não véi, vou até copiar o que você escreveu, para você não apagar depois, porque ficou RÍDICULO.

    Eu — “Segundo os cientistas, as pesquisas sugerem que os fungos estão utilizando um pigmento, a melanina, da mesma forma que as plantas usam a clorofila. Sendo assim, os fungos teriam sofrido mutações que o tornaram capazes de fazer, uma espécie de “radiossíntese”, transformando radiação (a única coisa presente no lugar) em energia.”

    Mats — “Ou seja, usam uma molécula que JÁ TINHAM para uma nova função. Se isso é evolução, então se eu usar o meu teclado como martelo, então isso também é “evolução”: lol”

    Muita gente vai ri disso. Tenho que “alastrar”. kkkkkkkkk

    Like

  5. mathyca says:

    eu queria saber qual á biodiversidade de um animal?

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s