David Attenborough: “É difícil imaginar como é que isto evoluiu”

Um artigo publicado no The Guardian mostra uma discussão entre o ateu Richard Dawkins e Sir David Attenborough.

Descrevendo a transformação que a larva de libélula sofre até se tornar adulta, o par comentou:

DA: Eu sou um naturalista em vez dum cientista. Olhar para uma flor ou para um sapo sempre me pareceu a coisa mais interessante de se fazer. Outros há que afirmam que os seres humanos são muitos interessantes, e de facto o são, mas enquanto criança nós não estamos interessados na fisiologia da Tia Filomena; tu interessas-te em saber como é que uma larva de libélula se transforma numa libélula adulta.

RD: Sim, elas trazem consigo dois projectos distintos, dois programas diferentes.

DA: Eu nem queria acreditar! Lembro-me de uma vez perguntar a um adulto, “O que é que acontece dentro dum casulo?” e ele disse “Bem, a lagarta é completamente desmantelada até ficar parecida com uma sopa. Depois recomeça a sua reconstrução outra vez.” Eu lembro-me de dizer “Isso não deve estar certo.” Como procedimento, nós nem podemos imaginar como é que esse aparato evoluiu.

Mas, como nós todos sabemos, evolução via selecção natural e mutações aleatórias é verdade, independentemente das evidências. Sabemos de antemão que as evidências irão por fim ser consistentes com a evolução darwiniana porque o Darwinismo é um facto a priori.

Qualquer potencial dificuldade com a teoria da evolução tem que ser tomada como evidência da nossa “falta de imaginação” e não como um problema real com a teoria.

A teoria vem primeiro, e depois é que as evidências são analisadas.

Claro que os evolucionistas escondem-se do debate ao não dizerem como é que este sistema se originou mas sim mostrando o que acontece durante a metamorfose. Mas isso é uma ilusão evolutiva. Dizer como é que a transformação se verifica não diz como é que ela surgiu via mutação aleatória + selecção natural.

Mas quem é que pode criticar os evolucionistas? Com os avanços que a ciência tem tido ultimamente, está a ficar cada vez mais difícil acreditar que a vida criou-se a si mesma.

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , . Bookmark the permalink.

9 Responses to David Attenborough: “É difícil imaginar como é que isto evoluiu”

  1. jonas says:

    Mats!

    Eu sei que o assunto do post em questão é como Mutações aleatórias e Seleção Natural sob uma ” forma de informação hierarquica” formaram primeiro a larva de libélula e depois a sua fase adulta(milagre!),mas estou te enviando um assunto bem “quente” de “como erupções solares podem alterar o decaimento radioativo.”Interessante,pois parece-me que a ciência já tinha dado isto como “ponto pacífico” em que as taxas do decaimento radioatico seriam constantes.Veja nesse link abaixo.

    http://news.stanford.edu/news/2010/august/sun-082310.html

    Like

  2. Mats says:

    Jonas,
    Obrigado pelo linl! Vai ser útil…..

    Abraço.

    Like

  3. Sérgio Sodré says:

    “entre o ateu Richard Dawkins e Sir David Attenborough”. Que habilidade cheia de rancor e má-fé. Um grande cientista como Dawkins é o ATEU, ou uma espécie de sub-humano, não tem direito a ser tratado pelos seus títulos académicos. Já o opositor é o SIR, ou uma espécie de cavaleiro angélico.
    Depois os contra-argumentos do “ateu” são escondidos. Afinal para quê? para pôr Deus a fazer “milagres” com uma libelinha, reduzido à condição de ilusionista de circo. O casulo é uma revelação divina visando a conversão? O SIR está fascinado com as maravilhas da natureza, o que todos aplaudimos e concordamos, agora não acredito que ele ache que Deus agiu no casulo com algumas palavras mágicas… este post é mistificador.

    Like

  4. Mats says:

    Sodré,

    “entre o ateu Richard Dawkins e Sir David Attenborough”.

    Que habilidade cheia de rancor e má-fé. Um grande cientista como Dawkins é o ATEU, ou uma espécie de sub-humano, não tem direito a ser tratado pelos seus títulos académicos. Já o opositor é o SIR, ou uma espécie de cavaleiro angélico.

    Ambos são ateus, portanto o teu ponto não faz sentido.

    Depois os contra-argumentos do “ateu” são escondidos. Afinal para quê? para pôr Deus a fazer “milagres” com uma libelinha, reduzido à condição de ilusionista de circo. O casulo é uma revelação divina visando a conversão?

    O casulo é uma das muitas evidências cientificas que mostram o ridículo do ateísmo.

    O SIR está fascinado com as maravilhas da natureza, o que todos aplaudimos e concordamos, agora não acredito que ele ache que Deus agiu no casulo com algumas palavras mágicas… este post é mistificador.

    Pois, como ateu que é, o David deve acreditar que esta forma de vida, com dois planos de construção, veio a surgir como resultado de mutações aleatórias e selecção natural, o que é puro absurdo.

    Mas as pessoas são livres de acreditar em mitologia. Não são é livres de chamar à sua mitologia de “ciência”.

    Like

  5. jonas says:

    “agiu no casulo com umas palavras mágicas..”
    Percebestes muito bem,pois estas palavras ou letras mágicas são o código genético inserido no ser, que devido a Informação Ontogênica pode “construir” dois modelos tão diferentes.

    Like

  6. Sérgio Sodré says:

    Esse código genético não é fornecido directamente por Deus à libelinha. Os cientistas exlicam que parte de 4 bases químicas identificadas como a adenina, a guanina, a citosina e a timina.
    A ciência não pode dar explicações de natureza sobrenatural senão não seria ciência. É um erro agitar a vossa ideia de Deus de cada vez que a ciência ainda não explicou um determinado facto integralmenste e sabendo de antemão que a ciência nunca explicará tudo, como é evidente. Com essa vossa posição Deus é transformado num mero DEUS DAS LACUNAS que recua de cada vez que a ciência dá um passo em frente, embora eu julgue que, por esse método, irá sempre recuando mas nunca será “apanhado”.
    Quando se descobrir completamente como se processa o problema do casulo de libelinha vocês farão “recuar” Deus para novas posições. É um erro pensar Deus nesses termos. O primarismo religioso é a grande fonte da reacção que gera o ateísmo.

    Like

  7. jonas says:

    Sodré!
    O que me impressiona nos naturalistas é o simplismo com que tratam questões relacionadas a vida e a informação inserida nela.Se a informação complexa e especificada que está presente nas celulas fosse somente determinada por oxireduções,ligações intermoleculares(forças de van der Waal.dipolo-dipolo) então já estaria tudo explicado naturalmente.Mas a informação tem uma natureza distinta e não material.A informação é não material(transcende a matéria).A informação genética necessária para codificar estruturas complexas(libélula)na verdade necessita de informação que organiza as forças naturais que a rodeia e não ao contrário.A informação não é definida pelo material que a compõem.Somente os quatro nucleotídeos não compõem a informação necessária para a “montagem” desse ser,mais ainda em dois passos completamente diferentes.Isto é fruto da Informação Ontogênica que está inserida nos códigos e em planos superiores da Informação.Exemplo que sempre dou é a montagem de um computador,em que há diversos níveis hierárquicos de informação(intruções de montagem dos componentes,componente elétrico,circuito eletrico e intruções superiores de montagem) .O seu reducionismo e simplismo mediante tal realidade é sim o seu deus das lacunas.Só para exemplificar mais seu simplismo:a informação do dna é essencial para construir a proteína,mas ela em si mesma não define como as proteínas se organizarão em tipos de celulas,tecidos,orgãos e planos corporais.Toda nossa experiência cotidiana continuada e repetitiva nos diz que informação(códigos) é sempre fruto de atividade consciente,o que mutação aleatória e Seleção natural não a pode explicar(informação).Então não sei onde está alocado o primarismo,por isso esta é a reação daqueles que duvidam de um paradigma falido chamado naturalismo.Estou a falar empiricamente sobre questões absolutamente constrangedoras para o naturalismo como esta:De onde veio a Informação complexa e especificada?Forcas Naturais?Mutações?Seleção Natural?ou uma Mente Inteligente?Veremos quais as”novas posições” que este naturalismo travestido de ciência assumirá.Estou muito confortável em seguir as evidências onde elas forem dar,pois a ciência(não o naturalismo) devidamente estabelecida(sem preconceitos) e a Biblia corretamente interpretada não entrarão em contradição.Há limites até para a própria ciência,pois não poderá “entender o antes do Big Bang” e também a vida em sua origem e recriação no evento inicial.Há muito mais mistérios entre o céu e a terra do que nós imaginamos,mas isto não deve atravancar de seguir as evidências sem preconceitos,pois a Verdade sempre estará a porta de quem a procura com humildade,conhecendo as limitaçõe humanas no tempo,espaço,perspicásia e inteligência. Quem viver verá!

    Like

  8. Sérgio Sodré says:

    Jonas,
    Na sua intervenção está a defender uma intervenção permanente, directa de Deus na evolução de cada libelinha? Ou está a defender que Deus criou leis naturais ainda não completamente decifradas pela ciência para montagem do ser e transmissão da informação? A complexidade do problema em questão obriga a um participação constante de Deus de ordem sobrenatural, ou somente uma definição deste da forma como a natureza deve evoluir por si?

    hoje fiquei espantado com o que li na “Epopeia de Gilgamesh” cujo texto definitivo se fixou em 2110 – 2000 a.C. tornando-o no mais antigo livro da humanidade (tanto quanto julgo saber). Está escrito:
    “Nada permanece (e dá alguns exemplos) Só a crisálida da libélula é que solta a sua larva e vê o sol na sua glória. Desde os tempos antigos que nada permanece….etc.”. É absolutamente extraordinário, colocaram um texto sobre a questão da libélula e esse mistério já espantava os homens há 4000 anos, até mais porque antes do texto havia uma antiga tradição dos primeiros sumérios, talvez mais 500 anos para trás.
    Estou a terminar a leitura, amanhã lerei o capítulo sobre o Dilúvio, a muito velha história suméria que os hebreus reconstruiram e incluiram na sua Biblia muitos séculos depois…

    Like

  9. jonas says:

    Sodré!
    Eu entendo que a “criação” de um código para a formação de seres com abundante diversidade necessita de uma atividade consciente,o que as Leis naturais nunca farão como o que falei na minha resposta”que é a Informação que organiza as forças naturais que a rodeiam,e não o contrário.”Leia com mais atenção.

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s