A motivação do cientista criacionista James Maxwell

Through the creatures Thou hast made
Show the brightness of Thy glory.
Be eternal truth displayed
In their substance transitory.
Till green earth and ocean hoary,
Massy rock and tender blade,
Tell the same unending story:
We are truth in form arrayed.

Teach me thus Thy works to read,
That my faith,– new strength accruing–
May from world to world proceed,
Wisdom’s fruitful search pursuing
Till, thy truth my mind imbuing,
I proclaim the eternal Creed –
Oft the glorious theme renewing,
God our Lord is God indeed.

James Clerk Maxwell
Um dos maiores físicos
de todos os tempos (um criacionista)

Advertisement

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Ciência, Religião, Sociedade and tagged , , . Bookmark the permalink.

27 Responses to A motivação do cientista criacionista James Maxwell

  1. Sérgio Sodré says:

    Cientista criacionista parece mas não é um bloco único. Enquanto criacionista não é cientista pois a ciência só lida com as leis físicas e naturais e nunca com o transcendente ou sobrenatural, não há ciência criacionista. Após o trabalho como cientista pode-se ser de qualquer fé, mas não enquanto se efectuam experiências e cálculos. A ciência é ciência, o criacionismo, o ateísmo, o panteísmo, etc… são filosofia, fé… conforme os casos. Cientista criacionista, cientista ateu, cientista existencialismo, etc… tudo bem, mas não confundindo a natureza das coisas.

    Like

  2. Mats says:

    Sodré,

    Cientista criacionista parece mas não é um bloco único. Enquanto criacionista não é cientista pois a ciência só lida com as leis físicas e naturais e nunca com o transcendente ou sobrenatural,

    Isso não é ciência mas sim naturalismo. A ciência lida com tudo o que acontece no mundo natural, quer tenha origens naturais ou sobrenaturais.

    não há ciência criacionista.

    claro que há. Investiga “Baraminology”

    Like

  3. jonas says:

    O grande problema do Naturalismo é quando ele é filosófico e não metodológico.A verdadeira ciência deveria seguir as evidências aonde elas fossem dar,mas não é bem assim,pois ela está “sufocada” por uma cosmovisão materialista naturalista ideológica.Na questão da evolução humana ou antropogênese veja quanta superficialidade e “achismo”,sempre através dos “elos cada vez mais perdidos”.Li ontem na Science Daily,que pesquisadores Australianos estão botando fim a outro “processo imaginário da evolução” em relação ao Hobitt ou HomoFloresiensis descobertos nas Ilhas das Flores na Indonésia,que segundo os evolucionistas descendia dos Homo erectus.A Equipe chegou a conclusão após análises que este “ancestral” não passa de um Homo sapiens com cretinismo endêmico anão,devido a um hipotireoidismo congênito,muita vezes decorrente de uma carência de Iodo.Veja como uma cosmovisão amparada em um naturalismo filosófico leva há discrepância de tal envergadura.

    Like

  4. Maxwell também estudou a formação do sistema solar.

    Foi um grande cientista e um crente. Não me consta que fosse CTJ

    Como vês pode ser-se crente e fazer boa ciência.

    Newton e muitos outros cientistas foram crentes fervorosos mas souberam separar ciência de fé.

    Desde que, é claro, enquanto cientista não se introduzam convicções e efeitos não demonstrados.

    Fé e ciência não são inimigas. Muitos padres católicos , nomeadamente jesuítas que são a fina flor da inteligência da ICAR, tem trabalhos muito interessantes em evolução.

    E em ciência o argumento da autoridade não serve. A opinião de Einstein, Dawkings, Hawkings ou Newton vale o mesmo de outra pessoa qualquer.

    Valem são os trabalhos feitos.

    Like

  5. Sérgio Sodré says:

    “E em ciência o argumento da autoridade não serve. A opinião de Einstein, Dawkings, Hawkings ou Newton vale o mesmo de outra pessoa qualquer.”

    É que a “opinião” não é ciência mas Filosofia e as pessoas citadas são cientistas e não filosófos. Quando enveredam pela filosofia a sua opinião vale o mesmo de outra pessoa qualquer (não será bem assim, mas percebe-se a argumentação…).

    Like

  6. jonas says:

    Sodré!
    SE tirassemos todas as “opiniões” que eu traduzo como especulações da ciência restaria muito pouco,somente a ciência metodologica, e quem sabe teríamos de jogar fora a metade de nossos livros ditos de “ciência”.

    Like

  7. Sérgio :

    É evidente que a opinião (doxa) dum eminente cientista, dum Papa ou de alguém claramente inteligente é de ter em conta.

    No entanto não é ciência (épistimé) que tem de ser fundamentada.

    Quando Hawkings ou o Papa falam de arte medieval é doxa. Achismo.

    Tendo em conta quem são até vou ouvir mas não fazem doutrina.

    As áreas deles são física e teologia.

    Like

  8. Mats says:

    João,
    Quando Hawking fala de Deus também é achismo ou não?

    Like

  9. Mats :

    É claro que sim.

    É a opinião dele.

    Like

  10. Darcy says:

    Sobre Hawking:

    “…em épocas anteriores, quando as pessoas em média sabiam mais filosofia, estas alegações seriam simplesmente risíveis, porque são afirmações filosóficas feitas por cientistas que têm pouca ou nenhuma formação filosófica. Assim, por mais brilhantes que sejam em seu próprio campo, Hawking e Mlodinow são leigos quando se trata dessa relevante questão. Mas vivemos em uma cultura cientificista. Quando um cientista fala, ele é considerado uma autoridade independente de qual seja o tema. E essa atitude reflete negativamente o nível educacional da população. Assim, a questão mais profunda para mim em tudo isso não é se o universo poderia vir a existir ou não a partir do nada, sem uma causa. Mas, sim, o cientificismo, que se situa no coração da cultura ocidental. Sempre acreditei que o naturalismo filosófico, com seu cientificismo injustificado, ajudou a criar uma cultura intelectual não apurada, e este caso é uma razão pela qual eu penso dessa forma.”

    J.P. Moreland

    Like

  11. Sérgio Sodré says:

    Seria interessante saber se as opiniões dos crentes sobre a filosofia religiosa de Hawking eram as mesmas quando este tinha uma posição mais próxima das suas,… ou se pelo contrário só agora “descobriram” as suas limitações filosóficas….
    Ainda assim, são mais preocupantes as limitações científicas e filosóficas de cientistas que tentam encaixar toda a história do Universo nuns meros 6000 anos bíblicos. Outros cientistas lançam a suspeita de que o fazem apenas para enriquecer em conferências promovidas por igrejas abastadas (li esta de raspão na obra “Morte por Buraco Negro” actualmente à venda).
    Digo isto porque fiquei algo indignado por no blog “perspectivas” ter sido feita uma insinuação sobre os lucros de Hawking e o seu novo livro,… como se não houvesse cientistas a publicar livros com orientações agradáveis aos crentes como forma de lucrar com esse mercado!

    Like

  12. Mats says:

    Sodré,

    Seria interessante saber se as opiniões dos crentes sobre a filosofia religiosa de Hawking eram as mesmas quando este tinha uma posição mais próxima das suas,… ou se pelo contrário só agora “descobriram” as suas limitações filosóficas….

    Quando Hawking começa a falar de Deus, ele já não está a fazer ciência, e isso é algo que qualquer cientista ou filósofo cristão te dirá.

    Ainda assim, são mais preocupantes as limitações científicas e filosóficas de cientistas que tentam encaixar toda a história do Universo nuns meros 6000 anos bíblicos.

    Não há “limitações científicas e filosóficas” quando se trata da verdade sobre as nossas origens. Afinal, foi debaixo da crença que o universo tem cerca de 6000/7000 anos que a ciência moderna floresceu.

    Se essa crença não foi problema para Newton, Galileu, Pascal, Maxwell, Faraday, Lineus, Mendel e muitos outros fundadores de importantes ramos da ciência, porque é que seria um problema para a ciência de hoje?

    Like

  13. Sérgio Sodré says:

    Mats,
    Não foi (não terá sido mesmo?) problema para os cientistas que mencionas porque são anteriores à moderna cosmologia iniciada por Einstein. Hoje também os 6000-7000 anos não são um problema para nenhum verdadeiro cientista… mas por motivos obviamente diferentes (já nem lhes passa pela cabeça), como bem sabes mas não consegues reconhecer.
    Bastaria haver alguma possibilidade dos 6000-7000 anos para assitirmos a debates regulares sobre essa mesma possibilidade… Não há, nem há nenhuma terrível e diabólica conspiração do mundo científico, universidades, observatórios astronómicos, etc… para todos difundirem deliberadamente a mentira à população, em nome de quê? Não faz absolutamente nenhum sentido!

    Like

  14. Mats says:

    Sodré,

    Não foi (não terá sido mesmo?) problema para os cientistas que mencionas porque são anteriores à moderna cosmologia iniciada por Einstein.

    Concordas comigo então. Aqueles cientistas fizeram excelente trabalho científico (incluindo cosmologia) e nenhum do seu trabalho foi posto em causa por saberem que o universo não tem milhões de anos.
    O facto de serem anteriores à cosmologia de Einstein não anula o que eu disse.

    Hoje também os 6000-7000 anos não são um problema para nenhum verdadeiro cientista… mas por motivos obviamente diferentes (já nem lhes passa pela cabeça)

    Passa pela cabeça de imensos cientistas o facto da Terra ter menos de 10,000 anos, como suporta a Bíblia. Aparentemente, eles fazem o seu trabalho alegremente. Porque será?

    Bastaria haver alguma possibilidade dos 6000-7000 anos para assitirmos a debates regulares sobre essa mesma possibilidade…

    Mas tem havido imensos debates entre criacionistas e evolucionistas acerca da idade da Terra. Queres que te mande alguns links? O Duane Gish, por exemplo, era um mestre do debate. Walt Brown é outro físico que providencia imensos factos que refutam a cosmologia evolucionista.

    Não há, nem há nenhuma terrível e diabólica conspiração do mundo científico, universidades, observatórios astronómicos, etc… para todos difundirem deliberadamente a mentira à população, em nome de quê?

    Estás a ser ingénuo ou estás a tentar enganar. Então não fazes ideia nenhum dos motivos que levam a que cientistas com uma determina ideologia naturalista repitam as mesmas mentiras vezes sem conta como forma de passarem a mensagem de que “não há nenhuma conspiração”?

    Há cientistas que perderam o seu emprego por criticarem a teoria da evolução. Também não soubeste disso? Há pessoas que temem pela vida profissional e tem que esconder o facto de acreditarem em Deus e saberem que há evidências que confirmem Génesis.

    Há uma conspiração entre um segmento da população científica tendo em vista a rejeição de qualquer facto que ataque paradigma naturalista. Isso é sabido até demais.

    Like

  15. Sérgio Sodré says:

    Mats,
    Há um tipo de pessoas que tende a ver o mundo a história à luz da TEORIA DA CONSPIRAÇÃO e isso é quase uma patologia. em fóruns de História tenho lido as coisas mais incríveis. Há sempre quem se julge na posse de uma verdade qualquer que só ele sabe… Acredito que certos objectivos políticos levaram a impor certas orientações “científicas” em regimes totalitários de forte ideologia. Agora no Ocidente demo-liberal os cientistas não são obrigados a seguir orientações desse tipo, pelo menos na extraordinária dimensão que pareces supor.

    Quanto aos cientistas anteriores a Einstein que referes, e aos erros deste, é preciso ver que o facto de terem feito grandes descobertas que fizeram avançar a ciência não impede que tenham incorrido em erros colossais. O que importa para o seu reconhecimento foram as suas contribuições únicas e valorosas… não foram grandes por aceitarem os 6000 anos, aí ainda seguiam o espírito do seu tempo… é só isso.

    Like

  16. Sérgio Sodré says:

    Mats,
    Só para ilustrar o que quero dizer. Se fores à parte de ciência de uma livraria em Portugal, como a FNAC, verás livros científicos de crentes e de descrentes sobre temas similares. todos se podem expressar. As próprias editoras são plurais. Ninguém pode afirmar que as teses de cada um lhes foram impostas por outrem quando redigiram as suas obras.

    Like

  17. Mats says:

    Sodré,

    Já leste sobre o que aconteceu ao Stephen Meyer quando ele publicou um artigo científico a criticar a teoria da evolução? O editor dessa revista foi vítima de perseguição ideológica e chegou a ver o seu acesso à espécimens reduzido por isso.

    Isto, claro, apesar do tal artigo ter passado pelos mesmos caminhos que todos os artigos passam. Os defensores do paradigma evolucionista fizeram saber através dos seus actos que não toleram que se use a ciência para se atacar a teoria da evolução.

    O mesmo aconteceu com o astro-físico Guillermo Gonzalez quando chegou a altura de lhe darem “tenure”. Foi-lhe recusado porque ele é um dos cientistas que defende que a origem do universo é melhor explicada como o efeito de Uma Força Inteligente em opisição à forças aleatórias, sem plano e sem direcção.

    Como estes dois há muitos; é só uma questão de procurares por “perscution against darwin doubters”.

    Há uma “conspiração” para rejeitar ideologicamente qualquer teoria que afecte a teoria da evolução, e isso está amplamente documentado.

    Like

  18. Sérgio Sodré says:

    Mats,
    Só agora dei conta e li atentamente o vasto e excelente artigo “Design Inteligente” da Wikipédia. Dá resposta às questões que têm sido levantadas neste blog, nomeadamente ao problema de se o DI é ou não ciência a importância que tal deve ter para o ensino nas escolas.
    Li o artigo devido às trocas de impressões aqui e porque estava a entrar em confusão devido a ter lido vários textos em que DI era traduzido por Desígnio Inteligente e isso não bem o mesmo que Desenho Inteligente embora a palavra em inglês dê para ambos.
    Lê o artigo com atenção e pacentemente (o artigo é longo) e verás que há lá muitas respostas para o debate aqui levantado…

    Like

  19. Mats says:

    Sodré,
    Já li o artigo pró-evolucionista da Wikipedia e não pude deixar de vêr a quantidade de falsas declarações que lá estão. Só o facto de chamrem do DI de “pseudo-ciência” mostra bem quem escreve os ditos artigos.

    Aliás, foi o óbvio facciosismo da wikipédia que gerou o nascimento da conservapedia. Vê neste último um dos artigos que se chama “Wikipedia bias” ou coisa parecida, e vê o porquê de mais e mais pessoas perderem confiança na wikipedia nos assuntos ideologicamente relevantes.

    Like

  20. Sérgio Sodré says:

    Mats,
    “Só o facto de chamrem do DI de “pseudo-ciência” mostra bem quem escreve os ditos artigos”.

    Mas o artigo explica detalhadamente porque a DI falha como ciência. Não se trata de uma afirmação gratuita, está vastamente explicada em diversos critérios que a DI não cumpre.

    Like

  21. Mats says:

    Sodré,
    Deixa-me mostrar aqui algumas das falsidades do artigo da Wikipedia:

    This modern formulation of the idea was developed by a group of American creationists who revised their argument in the creation–evolution controversy to circumvent court rulings that prohibit the teaching of creationism as science.

    Isto é totalmente falso. A noção de “design inteligente” já vem desde o tempo de Paley, há mais de 2 séculos.

    Proponents argue that intelligent design is a scientific theory.[1] However, in so doing, they seek to fundamentally redefine science to include supernatural explanations.

    Mas a ciência nunca rejeitou explicações sobrenaturais. O naturalismo é que rejeita explicações sobrenaturais.

    The unequivocal consensus in the scientific community is that intelligent design is not science

    wow! O infalível consenso também condenou o católico Galileu mas todos sabemos quem tinha razão.
    O consenso evolucionista também pensava o apêndice era um órgão sem função mas a ciência já destruiu esse mito.

    The U.S. National Academy of Sciences has stated that “creationism, intelligent design, and other claims of supernatural intervention in the origin of life or of species are not science because they are not testable by the methods of science.

    A origem da vida não é testável pelos métodos da ciência. Alguém consegue repetir esse evento? A transformação de um réptil numa áve nunca foi observada nem pode ser repetida em condições controladas. O mesmo para a imaginada evolução dum animal terreste numa baleia, o mesmo para a o aparecimento do sonar dos golfinhos e dos morcegos, o mesmo para o aparecimento da sexualidade, e muitas outras coisas que não podem ser testadas pelo método científico mas que são aceites pelos evolucionistas como “factos”.

    E a maior mentira de todas:

    The intelligent design movement has not published a properly peer-reviewed article in a scientific journal

    Isto é tão obviamente falso que nem sei como refutar. Eis aqui uma lista de artigos publicados que foram sujeitos revisão de pares:

    Peer-Reviewed & Peer-Edited Scientific Publications Supporting the Theory of Intelligent Design (Annotated).

    Tu como homem inteligente já deverias saber que em certos tópicos a Wikipedia não é de confiança.

    Estes são apenas alguns erros que o site tem. Poderia-se fazer uma lista bem maior mas acho que já viste como eles são facciosos.

    Like

  22. Sérgio Sodré says:

    Mats,
    E a maior mentira de todas:

    The intelligent design movement has not published a properly peer-reviewed article in a scientific journal
    Isto é tão obviamente falso que nem sei como refutar. Eis aqui uma lista de artigos publicados que foram sujeitos revisão de pares:

    Julgo haver uma alusão que não seria uma verdadeira revisão de pares no sentido em que apenas adeptos do DI foram consultados, ou é possível refutar isso?

    A afirmação de que a ciência aceita explicações sobrenaturais não me parece que esteja de acordo com o método científico (aliás também definido no artigo). A ciência visa o mundo natural, o sobrenatural é campo para a teologia e outra similares. A ciência procura a explicação natural para fenómenos que aparentam ser sobrenaturais. Não estou a ver o que queres dizer quando ligas ciência e sobrenatural, execepto se usares o termo ciência num sentido excessivamente lato. Desde que se trate um domínio da realida usando uma metodologia temos uma ciência? Se assim for então a astrologia ou a quiromância também são ciências… o que não é aceite pela comunidade científica mundial.

    Like

  23. Mats says:

    Sodré,

    Julgo haver uma alusão que não seria uma verdadeira revisão de pares no sentido em que apenas adeptos do DI foram consultados, ou é possível refutar isso?

    Como é que os membros da Wikipedia sabem disso se há artigos científicos que nem revelaram quem foram os revisores? Por exemplo, o artigo do Dr Stephen Meyer não revela os revisores. Como é que podes concordar com a alusão da Wikipedia em tal ponto se ninguém sabe quem eram?

    Vês como a Wikipedia não é de confiança nesse tema?

    A afirmação de que a ciência aceita explicações sobrenaturais não me parece que esteja de acordo com o método científico (aliás também definido no artigo).

    Não há nada no método científico que rejeita hipóteses ou eventos com causas “sobrenaturais”. O que interessa é que o tal evento “sobrenatural” deixe evidências no mundo natural.

    Tudo aquilo que acontece no mundo natural e sujeito ao estudo através do método científico, mesmo eventos com origens em outra dimensão da existência.

    A ciência visa o mundo natural, o sobrenatural é campo para a teologia e outra similares.

    A ciência ESTUDA o mundo natural mas o facto de estudar o mundo natural não implica que só aceita causas “naturais”.

    Nós seres humanos somos capazes de detectar o efeito de outras inteligências. Isso é feito constantemente na arqueologia quando se estudam artefactos que podem ou não ser o efeito de design inteligente.
    Se Deus é um Ser Inteligente, e se Ele opera no mundo natural, então nós como seres inteligentes somos capazes de detectar os efeitos da Sua Inteligência.

    A ciência procura a explicação natural para fenómenos que aparentam ser sobrenaturais.

    Não, esse não é o propósito da ciência.

    Não estou a ver o que queres dizer quando ligas ciência e sobrenatural, execepto se usares o termo ciência num sentido excessivamente lato.

    Eu não preciso de “ligar” ciência com o “sobrenatural” uma vez que o “sobrenatural” nunca esteve afastado da ciência. Tudo aquilo que acontece no mundo natural pode ser estudado pela ciência. ou estudamos as causas ou os efeitos, mas a ciência não está nem nunca esteve “desligada” do sobrenatural.

    A questão não é se é “sobrenatural” ou não mas se aconteceu ou não.

    Desde que se trate um domínio da realida usando uma metodologia temos uma ciência?

    Não.
    Desde que faça alegações cujos efeitos ou as causas podem ser testadas, então pode ser ciência. O design inteligente é ciência porque esta de acordo com as evidências científicas.
    Repara que o DI não diz “foi Deus Quem criou” mas sim “este sistema é o resultado de actividade inteligente”. “Quem” é a Inteligência é algo que vai para além da teoria.

    Se assim for então a astrologia ou a quiromância também são ciências…

    A ciência pode testar e falsificar as alegações da astrologia, tal como a ciência testou e validou as alegações do DI.

    Sérgio, eu não preciso de te dizer isto. Tu olhas para o nosso sistema de visão, com a sua complexidade e especificidade, e tu sabes que a visão teve Uma Causa Inteligente. Achas que um sistema não-inteligente como a evolução tem a capacidade de gerar sistemas de visão mais complexos que as nossas melhores cameras?

    Achas isso lógico?

    Like

  24. Icarus says:

    “A origem da vida não é testável pelos métodos da ciência. Alguém consegue repetir esse evento? ”

    Ainda não.. Mas será que no futuro, não podemos conseguir? 🙂

    Like

  25. Sérgio Sodré says:

    Mats,
    O exemplo do olho humano já não é um bom exemplo. Há provas de que olhos defeituosos conseguem alguma visão bem como se conhecem sistemas de visão pouco desenvolvidos de certos animais pouco evoluidos. Há razões para crer que a evolução do olho será compreendida, talvez o sistema de “andaimes” de que o artigo DI da WIk fala venha a ser parte da solução. Hoje os adeptos do DI estão a incidir mais em questões microscópias (criação/transmissão de informação, DNA, etc..)…

    Não concordo com a forma como referes que a ciência não é uma questão de ter mais ou menos cientistas de um lado ou de outro. É verdade que quando há uma grande descoberta o descobridor pode estar longo tempo em minoria até a sua posição prevalecer (ex: Copérnico) e aí a lógica da “votação” não leva ao progresso. Todavia, isso é completamente diferente de haver um pequeno numero de cientistas ligados a igrejasque não aceitam as teses claramente predominates na comunidade científica (ex: idade do Universo), até porque todo o mundo já percebeu que não vai haver nenhum regresso às teorias dos 6000-7000 anos por parte dos cientistas. Não é um fenómemo comparável com Galileu ou Copérnico. Também julgo que não irá haver retrocesso na descoberta da evolução humana, mas apenas cada vez maiores corecções a Darwin com base na descoberta de novas leis naturais e não no triundo do DI como ciência.
    O problema da transformação do ser inanimado em vida animada está a ser estudado com cada vez melhores teorias e será descoberto. O problema da consciência está em profundo estudo (já comprei o Livro da consciência do nosso António Damásio). A Física Quântica está a avançar profundamente na “matéria” anterior aos átomos.
    Nada disto matará Deus, mas afectará profundamente o tipo de imagem de Deus que a Bíblia ensina, principalmente se for vista literalmente. A Igreja Católica de há muito que percebeu isso mas as evangélicas não e isso será um factor decisivo para o seu enfraquecimento junto da opinião pública mais esclarecida em face da resistência católica aos novos tempos… Excepto se houver um grande e próximo retrocesso civilizacional ligados aos efeitos do fim do petróleo, alterações climáticas… Entretanto, novas visões (na verdade mergulhando em tradições antigas) do que seja Deus vão inevitavelmente desenvolver-se entre a Humanidade e serão elas quem enfrentará o ateísmo. Julgo eu que esse é o futuro.

    Like

  26. Sérgio Sodré says:

    Resistência católica: quero dizer capacidade de adaptação e evolução em face dos desafios da comunidade científica de ponta. A Igreja Católica percebeu que é preciso evoluir e adaptar-se ou então é a morte por falta de credibilidade junto da opinião pública mais esclarecida, e a Igreja sabe que não deve incidir no povo menos culto pois isso não tem futuro.

    Um católico não deixa a sua fé se se provar que o homem evoluiu de um antepaasado comum aos grandes símios, e um evangélico? como reagiria? Aqui está a resposta para a questão do enfraquecimento das igrejas evangélicas que este blog levantou algures…

    Like

  27. Mats says:

    Sodré,

    O exemplo do olho humano já não é um bom exemplo. Há provas de que olhos defeituosos conseguem alguma visão bem como se conhecem sistemas de visão pouco desenvolvidos de certos animais pouco evoluidos.

    1. A existência de olhos defeituosos que consigam ter alguma visão não nos diz como é que os olhos funcionais evoluíram através de um processo sem inteligência acumulando mutações aleatórias através dos milhões de anos.

    2. O facto de conhecermos diferentes sistemas de visão existentes no mundo natural (todos eles perfeitamente funcionais e sem evidência de serem “intermédios”) não confirma a evolução. Vocês não podem confirmar a vossa tese mostrando vários tipos de olhos. A vossa tese tem é que mostrar como é que UM sistema de visão veio a surgir através de forças naturais.

    Isso é completamente diferente de haver um pequeno numero de cientistas ligados a igrejas que não aceitam as teses claramente predominates na comunidade científica (ex: idade do Universo)

    Copérnico também estava ligado a igrejas (era padre) e fi contra o consenso científico da altura. Concordas?
    O facto de estar ou não ligado a igrejas é irrelevante. O que interessa é o que as evidências mostram. Copérnico viu que as evidências contradiziam o consenso, portanto foi em frente. Os cientistas que atacam a teoria da evolução (alguns deles ateus) olham para a teoria da evolução e vão em frente com as críticas.

    até porque todo o mundo já percebeu que não vai haver nenhum regresso às teorias dos 6000-7000 anos por parte dos cientistas.

    1) tu sabes disso e 2) é irrelevante. Mesmo que a comunidade científica continue a acreditar que a Terra tem milhões de anos, isso não se torna verdade só porque a maioria pensa assim.

    Não é um fenómemo comparável com Galileu ou Copérnico.

    Claro que é.

    Também julgo que não irá haver retrocesso na descoberta da evolução humana

    Já está a haver. Sabias que a árvore da vida de Darwin está a ser alvo de ataques por outros evolucionistas?

    O problema da transformação do ser inanimado em vida animada está a ser estudado com cada vez melhores teorias e será descoberto.

    Não, não será. Não há força não inteligente com capacidade de criar sistemas de informação. A informação é algo que uma ou mais inteligências preparam para outras inteligências. A infrutífera busca dos evolucionistas vai ser uma perda de tempo (e dinheiro público).

    Nada disto matará Deus, mas afectará profundamente o tipo de imagem de Deus que a Bíblia ensina, principalmente se for vista literalmente.

    Não há nada na interpretação contextual (e não “literal”) da Bíblia que contradiga as observações científicas.

    A Igreja Católica de há muito que percebeu isso mas as evangélicas

    Há muitos católicos que subscrevem o criacionismo Bíblico. Além disso, a posição da Igreja Católica é mais próxima do Design Inteligente que da versão ateísta (a ensinada nas escolas) da teoria da evolução.

    não e isso será um factor decisivo para o seu enfraquecimento junto da opinião pública mais esclarecida em face da resistência católica aos novos tempos…

    Se isso fosse verdade. então as igrejas que mais aceitam a evolução (e outras doutrinas naturalistas) deveriam ser as mais vibrantes e fortes. O que acontece é exactamente on contrário: as “igrejas” que concordam com a teoria da evolução são as que estão a sofrer uma hemorragia de crentes. Repara na irrelevância que se tornou a Igreja de Inglaterra. Esta é a “igreja” mais evolucionista que existe no mundo. É também uma das mais degeneradas.

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s