Juiz Espanhol Determina que Invasão de Igreja Católica Por Parte de Muçulmanos Não Viola Lei Que Proíbe Ofender Sentimentos Religiosos

Usando a mesma lógica, podemos determinar que matar judeus apenas e só porque são judeus não constitui anti-semitismo.

Claro que se a situação fosse inversa, os esquerdistas que controlam a Espanha não teriam problemas em punir os autores do crime. Mas como os esquerdistas são mais anti-cristãos que anti-religiosos, e como a presença maciça de muçulmanos na Espanha lhes permite usá-los contra a fé abraçado pela esmagadora maioria dos espanhóis, os socialistas espanhóis podem desculpar os crimes dos muçulmanos contra os católicos.

Matthew Cullinan Hoffman, correspondente na América Latina
CORDOBA, Espanha, 10 de novembro de 2010 (Notícias Pró-Família) — Um juiz espanhol deu como decisão que uma violenta ocupação da Catedral de Córdoba por parte de um grupo de muçulmanos em março deste ano não violou a lei da nação que proíbe ofender sentimentos religiosos.
De acordo com o serviço noticioso Europa Press, o juiz que ocupa o assento do Quarto Tribunal de Instrução de Córdoba decidiu que a incursão na catedral, que culminou num ataque contra vários guardas e um policial, foi meramente uma “desordem pública” e não tinha a intenção de ofender os sentimentos religiosos de ninguém.
“Não há tanto uma intenção minimizar ou ferir os sentimentos religiosos da religião católica tanto quanto uma tentativa de favorecer, sem mencionar impor com clareza, num falso gesto de tolerância, a possibilidade de realizar uma reunião religiosa conjunta [na catedral]”, o juiz declarou. “Não houve ação para desmerecer ou desacreditar a religião católica, mas em vez disso foi uma ação em favor de um uso conjunto [do espaço da catedral]”.

Mas esse “favor” já tinha sido rejeitado pelos católicos, portanto, o que os muçulmanos fizeram foi um crime de ódio contra os católicos.

Os muçulmanos espanhóis há muito tempo exigem o direito de realizar reuniões religiosas islâmicas na Catedral de Córdoba, que foi demolida pelos muçulmanos no oitavo século e substituída com uma mesquita depois que eles conquistaram a área. A catedral foi reconstruída no século XIII depois que os cristãos reconquistaram Córdoba. Contudo, boa parte da arquitetura original da mesquita foi deixada intacta.

Os muçulmanos apenas “exigem” usar este espaço católico para as suas rezas apenas e só porque tem em mente a futura transformação da igreja em mesquita.

Apesar de uma proibição contra reuniões islâmicas na catedral, um grupo de aproximadamente cem muçulmanos da Áustria entrou no prédio durante a Semana Santa, em 31 de março, liderado por um imame e ostentando walkie-talkies.

Portanto, ignoraram as leis espanholas e prosseguiram em fazer aquilo que já lhes tinha sido proibido.

Depois que começaram a realizar os ritos da religião islâmica eles foram confrontados pelos guardas de segurança e pela polícia, vários dos quais sofreram ferimentos após serem atacados por oito membros do grupo, um dos quais estava brandindo uma faca. Os oito agressores foram presos, embora o resto tivesse sido liberado depois de serem removidos a força da catedral.
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/nov/10111001.html

Pouco a pouco a mitologia islâmica vai pervertendo as leis do mundo civilizado de modo a obter impunidade para si. Os esquerdistas europeus, voluntariamente ignorantes da natureza política do islamismo, continuam a conceder-lhe privilégios e benesses na esperança de poderem controlar os muçulmanos para o avanço do socialismo.

O que eles não sabem é que os muçulmanos não são assim tão controláveis. Vejam o exemplo das queima de carros na França e da total ingovernabilidade da 3ª maior cidade sueca, Malmöe.

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Islão, Política, Sociedade and tagged , , , , , . Bookmark the permalink.

8 Responses to Juiz Espanhol Determina que Invasão de Igreja Católica Por Parte de Muçulmanos Não Viola Lei Que Proíbe Ofender Sentimentos Religiosos

  1. Nuno Dias says:

    Mas esse “favor” já tinha sido rejeitado pelos católicos,
    Uma chatice. Uma chatice quando o futuro de monumentos de património mundial podem ser decididos com argumentos de a minha fé é melhor do que a tua.

    The site was primarily a pagan temple, then a Visigothic Christian church, before the Umayyad Moors at first converted the building into a mosque, and then built a new mosque on the site. … After the Spanish Reconquista, it once again became a Roman Catholic church. wikipedia

    Parece-me que o principal argumento para os cristãos terem direito sobre a Catedral/Mesquita é o de ter em tempos sido uma igreja e actualmente ser um símbolo cristão. Tendo em conta que o argumento de “ter em tempos sido” é pura e simplesmente ridículo resta o direito sobre uso no passado recente. Parece-me justo.
    Curioso haver quem não pense desta forma relativamente a Israel…

    Vejam o exemplo das queima de carros na França e da total ingovernabilidade da 3ª maior cidade sueca, Malmöe.
    http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Lisboa&Concelho=Loures&Option=Interior&content_id=1728055
    devem ter todos a mesma religião…

    Campanha publicitária ateísta: Sem religiões não existia este problema.

    Like

  2. Sérgio Sodré says:

    – Tendo em conta que o argumento de “ter em tempos sido” é pura e simplesmente ridículo resta o direito sobre uso no passado recente. Parece-me justo. Curioso haver quem não pense desta forma relativamente a Israel…-

    O passado recente é mesmo o único direito que assiste a Israel. Especialmente o reconhecimento da ONU… O antigo Israel nada tem a ver com o moderno, excepto no mito das origens e nas semelhanças da religião.

    Like

  3. Mats says:

    NUno Dias,

    Campanha publicitária ateísta: Sem religiões não existia este problema.

    Eu vou mais longe: sem pessoas não existiria este problema. Vamos matar todos os seres humanos!

    Além disso, sem o cristianismo podemos ter coisas como gulags e Holodomor, portanto não sei se os ateus querem isso.

    Like

  4. Belisarius says:

    A Espanha era cristã e depoia de uma série de deslocamentos militares e populacionais ocorridos a partir do esforço iniciado em 711, quando tropas muçulmanas vindas do Norte de África, lideradas pelo general Tárique, cruzaram o mar Mediterrâneo, na altura do estreito de Gibraltar, e entraram na península Ibérica, vencendo Rodrigo, o último rei visigodo da Hispânia, na batalha de Guadalete.

    Pois bem: A Reconquista durou toda a Idade Média e só terminou no início da Idade Moderna, em 1492, quando os muçulmanos foram definitivamente expulsos pelos Reis Católicos, Fernando e Isabel.

    Portanto, os muçulmanos não tem o que reinvindicar nessa situação da Igreja em Córdoba, afinal, eles invadiram um país alheio (em 711) e depois foram expulsos (em 1492). Se construiram alguma coisa na Espanha nesse periodo não foi a pedido dos espanhóis, afinal, eles eram invasores, e invasores não são bem vindos.

    Like

  5. Mats says:

    Muito bem dito, Belisarius.

    Mas repara que para os esquerdistas tudo o que os cristãos dizem está errado por defeito. Se os cristãos dizem que a igreja de Córdova era originalmente uma igreja antes de ser invadida e transformada em mesquita, os militantes ateus põe-se do lado do muçulmanos apenas e só porque estes estão contra os cristãos.

    Por isso é que a Europa secular está a ser conquistada sem armas pelos muçulmanos, enquanto que os EUA mais cristãos ainda oferecem alguma resistência à islamização.

    Mas, para nós cristãos, tudo o que acontece neste mundo é temporário. O que interessa é a eternidade.

    Like

  6. Sérgio Sodré says:

    “Portanto, os muçulmanos não tem o que reinvindicar nessa situação da Igreja em Córdoba, afinal, eles invadiram um país alheio (em 711) e depois foram expulsos (em 1492).”

    O argumento é bom, mas a verdade é que seria válido para todo o espaço geográfico ocupado a partir da terra de origem do isalmismo (a Península Arábica). todo o Norte de África era cristão e também o Próximo Oriente. O planalto iraniano era zaratustrista. O Norte do Indostão era budista e hindu…
    Sim, em 1492 a Ibéria foi libertada… mas em 1415 os Portugueses tinham começado a libertação do Norte de África ao tomarem Ceuta, que pertencera precisamente ao Reino visigótico… o que é por vezes esquecido…E porque ninguém fala da opressão de Constantinopla… que só não foi libertada devido aos Britânicos e Franceses não terem deixado os Russos terminar o seu trabalho nos Balcãs antes da 1ª Guerra?
    Se os islamitas consideram como suas todas as terras que UM DIA foram por eles ocupadas… Então os cristãos dos diversos ramos têm todo o direito a pensar do mesmo modo. A conclusão disto não pode ser boa!

    Like

  7. Sérgio Sodré says:

    Mats,
    “Mas, para nós cristãos, tudo o que acontece neste mundo é temporário. O que interessa é a eternidade.”

    Falas com razão da decadência actual de grande parte dos ateus (não todos), mas acabas com uma frase que bem revela a actual decadência equivalente dos cristãos (não todos). Se é como dizes acima… então por que razão os cristãos devem resistir?

    Like

  8. Sérgio Sodré says:

    “Campanha publicitária ateísta: Sem religiões não existia este problema.”

    Não vale a pena criticar algo que é evidente… mas o verdadeiro problema reside numa eventual quebra da unidade civilizacional que resulta de, no mesmo país, existirem diversas religiões com peso semelhante. Uma coisa é integrar minorias religiosas outra são as tensões derivadas de divisão civilizacional no seio da mesma sociedade, isso espoleta conflitos futuros… ainda por cima quando cada facção alega razões históricas… A Espanha pode tornar-se um ponto de “Choque de Civilizações” ?

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s