Relatório revela que cresce em todo o mundo perseguição aos Cristãos.

No mundo ocidental a cristofobia é conduzida pelos esquerdistas, homossexuais, feministas, militantes ateus e pagãos. No oriente próximo a cristofobia é liderada pelos muçulmanos. Na Ásia profunda são os comunistas quem segue os passos do ateu genocida Mao Tse Tung na perseguição aos cristãos.

Curiosamente, estes mesmos grupos controlam a Europa Ocidental.

Não é difícil de imaginar, portanto, como vai ser o tratamento dos cristãos na Europa num futuro muito próximo.

Fonte.


Mapa revela regiões mais intolerantes ao Cristianismo.

Mapa revela regiões mais intolerantes ao Cristianismo.

Um relatório da Fundação “Ajuda à Igreja que Sofre” (AIS) revela que o número de violações à liberdade religiosa tende a aumentar, e que a intolerância em relação aos cristãos está crescendo, até mesmo nos países ocidentais.

No relatório de 2010 sobre a Liberdade Religiosa no Mundo, que analisa a situação em 194 países, a AIS considera particularmente preocupantes “as discriminações com base na religião, em especial na área de predomínio islâmico, e a hostilidade face à religião com motivações políticas”.

O documento elenca cerca de 20 países onde ocorrem “graves restrições ou muitos episódios de intolerância social ou legal ligados à religião”: Arábia Saudita, China, Coreia do Norte, Cuba, Egito, Índia, Irã, Iraque, Maldivas, Mianmar, Paquistão, Somália e Sudão, entre outros.

O relatório indica que Igreja foi praticamente extinta na Coreia do Norte, enquanto nas ilhas Maldivas, a prática do Cristianismo é proibida. A intolerância religiosa continua a aumentar e os cristãos têm sido as principais vítimas, segundo dados oficiais.

Dados da agência missionária de notícias FIDES, da Congregação para a Evangelização dos Povos, revelam que 75% das perseguições registradas têm como alvo os cristãos.

As perseguições acontecem por várias razões: ódio religioso, como no Iraque ou no Paquistão; ou motivos políticos, como na China e na Coreia do Norte, por exemplo, onde a comunidade cristã já foi praticamente extinta.

“Na Coreia do Norte, podemos falar de um dos casos mais extremos de extermínio da comunidade cristã. Neste momento, a Igreja não tem clero, a prática do culto é impossível e a comunidade católica não excede 200 fiéis, segundo a agência AsiaNews, especializada nessa área do mundo.”

Mais surpreendente é o caso das Maldivas: essa meta turística, muito procurada em virtude de suas praias paradisíacas, proíbe os cristãos de expressarem sua fé. (AF)

***

O escritor Guitton: “50 milhões de cristãos perseguidos no mundo”

“É difícil fazer estimativas precisas, mas de acordo com os relatórios internacionais, pode-se dizer que mais de 50 milhões de cristãos sofrem perseguição, desprezo e discriminação”. Isto é o que diz, numa entrevista à Agência Fides o intelectual francês René Guitton, autor do texto “Cristofobia” em Roma para apresentar o Relatório 2010 sobre a Liberdade Religiosa no mundo da fundação “Ajuda à Igreja que Sofre”.

Fides o entrevistou.

O que significa cristofobia?

É um neologismo, mas é fácil de entender: indica a exclusão, a fobia contra os cristãos. Quer significar um ódio contra os cristãos como tais. Na minha vida eu lutei contra todas as formas de comunitarismo, que gera a exclusão de outros. Mas a cristofobia é um fenômeno que cresceu especialmente nos últimos 10 anos: é por isso, eu criei essa palavra.

Então, é um fenômeno novo?

Podemos dizer que é novo, mas existe de forma oculta há séculos. Começou a se expressar de forma clara após a independência alcançada pelos países que foram colonizados, mas aumentou muito desde 11 de setembro por causa das minorias extremistas que são de matriz islâmica, hinduísta ou cometem abertamente a hostilidade e a violência contra a comunidade cristã. Por isso, pode ser considerado “novo”. A cristofobia explodiu mais uma vez, por exemplo, quando o Pastor Terry Jones na nos Estados Unidos ameaçou queimar o Alcorão. Até o Sínodo dos Bispos para o Oriente Médio foi considerado uma agressão aos grupos extremistas islâmicos. Qualquer coisa os cristãos façam ou dizem é um pretexto para a agressões. Podemos dizer que existe um ódio anti-cristão.

Você pode citar algumas cifras?

É muito difícil fazer isso, por causa das estimativas que são também bastante contraditórias sobre o mesmo número de minorias cristãs em vários países do mundo. No entanto, podemos dizer que os cristãos são vítimas de perseguições, desprezo e discriminações são mais ou menos 50 milhões no mundo inteiro.

O que são as raízes da “cristofobia”?

A cristofobia surgiu principalmente naqueles países que obtiveram a independência depois dos anos 50 do século passado. Os ocidentais, colonizadores, foram identificados como cristãos, num amálgama cultural-religioso. Ainda hoje, essas razões são citadas pelos grupos extremistas islâmicos contra o Ocidente e se justificam atos de violência como resposta aos sofrimentos sofridos no passado. É certamente um raciocínio esquemático e simplista, mas é isso que é usado para culpar os cristãos e justificar a violência.

Acredita que seja possível uma “aliança de civilização” entre o cristianismo e islamismo?

Tudo começa a partir de um dado: O Ocidente é definido cristão e o Oriente muçulmano. Para estabelecer uma aliança, é preciso superar esse esquema e enfrentar os problemas a nível global, por exemplo, a nível de Nações Unidas. Se os cristãos defendem somente os cristãos, judeus protegem os judeus, e os muçulmanos protegem os muçulmanos, os obstáculos permanecem. É preciso tratar o problema da violência como um ato desumano, é preciso tutelar as minorias e todas as comunidades religiosas, e assim contribuir a reduzir as distância entre as diferentes comunidades. A aliança é possível se todos aprendem a defender os direitos humanos e a lutar contra as perseguições cometidas contra qualquer comunidade religiosa, e defender todas as minorias, que são atacadas, no Oriente e no Ocidente.

Entrevê alguma esperança?

A esperança vem do novo mundo, feito de migração e globalização. Nos Emirados Árabes Unidos, por exemplo, são construídas igrejas por causa da presença de imigrantes cristãos (principalmente das Filipinas e África). Esperamos e desejamos uma globalização da liberdade de consciência e de religião, uma globalização dos direitos. (PA)

Agência Fides

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Política, Religião, Sociedade and tagged , , , , , , , . Bookmark the permalink.

4 Responses to Relatório revela que cresce em todo o mundo perseguição aos Cristãos.

  1. Adalberto Felipe says:

    Cadê os ateus para comentarem sobre isso?

    Like

  2. Adalberto :

    É curioso notar – talvez fruto de mera coincidência – que os estados ateus, socialistas, em que se permitem casamentos gays, se imponha a ditadura homofóbica e se ensine à força a evolução nas escolas como o socialista Portugal, o ateu Reino Unido ou o Brasil liderado há anos por demo-socialistas não apareçam no mapa.

    Países tão perdidos, como o Mats bem assinalou, que em vez de acabarem com a prostituição as obrigam a andar com coletes refletores para – pasme-se!- não serem atropeladas. Como se a vida de tais mulheres valesse o esforço.

    Talvez seja engano.

    Os países em que os cristãos são perseguidos – e isso é terrível – não perseguem só cristãos. Perseguem ateus, homossexuais, mulheres, opositores ao regime – que o digam os Líbios -, minorias e sabe Deus quem mais.

    Podes ter a certeza que muitos deles são, ou eram que isto das revoluções no Islão não se sabe o que vai dar – governados por regimes religiosos.

    Os tais que tem certezas absolutas e que não caem no erro do relativismo moral como a ateia Suécia e a Maçonica França.

    Nem na integração de minorias sexuais ou religiosas como os perigosos evolucionistas-gaystapos-socialistas.

    Até põe refletores nas mulheres perdidas!

    Ahhh! a China e a Coreia do norte não são ditaduras religiosas.É verdade.
    Parece que estados laicos, sem democracia, não se distinguem muito de ditaduras religiosas.

    Se sobrepuseres ao mapa os países em que ateus, homossexuais, minorias, dissidentes e outros indesejáveis aos governo são perseguidos certamente a imagem será parecida.

    Nenhum deles terá – e isso é positivo – preocupação com o atropelamento de prostitutas.

    Exceto na Nigéria e noutros países da África onde as ditaduras local não perseguem Cristãos mas apenas homossexuais e Islâmicos. E é claro quem se opuser ao regime ou for de etnia diferente.

    Se calhar, digo eu, se muitos destes regimes praticassem o grande pecado de serem estados laicos, deixarem a religião ao cuidado de cada um, tentassem integrar as minorias – sejam elas religiosas, sexuais, étnicas ou o que quer que sejam – acabassem com o ensino religioso e pensassem menos nos deuses e mais nos seres humanos a coisa seria bem melhor.

    E, já que agora se não fosse pedir muito, que colocassem também refletores nas prostitutas.

    Não penses com isto que lamento menos ou mais a perseguição a um cristão no Egipto ou a execução de homossexuais na Nigéria.

    Nem tem perdão as leis infames de certos países Islâmicos contra as mulheres porque acham que um tal livro de há séculos diz que é assim absolutamente. Como a proibição da venda de anti-concepcionais nas Filipinas porque um Deus muito nosso conhecido parece que se aborrece com a coisa….

    Resumindo:

    Parece que os nossos estados, mesmo dominados pela tal internacional Gay-evolucionista-comunista – e com o apoio de organizações tenebrosas como o MIT, a UNICEF, A Nasa, e sabe mais Deus quem – ainda batem os recordes de tolerância e integração. E baseados em valores relativistas, cujos sabemos bem são o caminho da perdição das almas e deboche do corpo. E caminho certo para o inferno.

    Até com os Gays!

    Pasme-se!

    Assunto em que Allá e o Deus dos Cristãos, segundo os entendidos, tanto comungam. Na repulsa bem entendido.

    Like

  3. Mats says:

    João Melo,

    É curioso notar – talvez fruto de mera coincidência – que os estados ateus, socialistas, em que se permitem casamentos gays, se imponha a ditadura homofóbica e se ensine à força a evolução nas escolas como o socialista Portugal, o ateu Reino Unido ou o Brasil liderado há anos por demo-socialistas não apareçam no mapa.

    Portugal e o Brasil não são países ateus. Onde é que viste tamanho erro?

    Segundo, a Inglaterra está cheia de casos de perseguição aos cristãos.

    Países tão perdidos, como o Mats bem assinalou, que em vez de acabarem com a prostituição as obrigam a andar com coletes refletores para – pasme-se!- não serem atropeladas. Como se a vida de tais mulheres valesse o esforço.

    Se vale o esforço, acabem com a prostituição.

    Os países em que os cristãos são perseguidos – e isso é terrível – não perseguem só cristãos.

    O texto não diz que só os cristãos são perseguidos. Além disso o facto de (alegadamente) perseguirem outras religiões não justifica o seu anti-Cristianismo.

    Perseguem ateus, homossexuais, mulheres, opositores ao regime – que o digam os Líbios -, minorias e sabe Deus quem mais.

    A Suécia, a Inglaterra, a Alemanha e muitos outros países perseguem os cristãos mas não perseguem homossexuais e ateus.. Aliás, não me lembro de ouvir uma história de “perseguição e matança de ateus”.

    Podes ter a certeza que muitos deles são, ou eram que isto das revoluções no Islão não se sabe o que vai dar – governados por regimes religiosos.

    Tipo a China e a Coreia do Norte, certo?

    Ahhh! a China e a Coreia do norte não são ditaduras religiosas.É verdade. Parece que estados laicos, sem democracia, não se distinguem muito de ditaduras religiosas.

    É ao contrário. Parece que o movimento político com o nome de Islão não se distingue muito dos outros movimentos políticos totalitários. Se calhar isso explica o porquê de Hitler ter gostado tanto do Islão: é a ideologia política totalitária perfeita.
    Ah, e a China não é um estado laico. Nem o é a Coreia do Norte. São ditaduras Anti-Cristãs ateístas.

    Se sobrepuseres ao mapa os países em que ateus, homossexuais, minorias, dissidentes e outros indesejáveis aos governo são perseguidos certamente a imagem será parecida.

    Há perseguição de ateus na China e na Coreia do NOrte? Essa é nova.

    Like

  4. Mars :

    Em relação ao Reino Unido:

    A Rainha é a chefe da Igreja e do estado. É corada pelo numero dois da igreja o Bispo de Cantuária.

    Nem pode o rei casar-se com uma divorciada porque por ser a cabeça da igreja Anglicana…se neste país há perseguição a Cristãos valha-nos Deus e um burro aos coices.

    Óbviamente que a lei civil tem de ser seguida. E se uma dada confissão que se diz Cristã, por crer que um qualquer interdito é aplicado a todos, violar a lei é, obviamente punida. Como é normal num estado de direito democrático.

    Já apontaste um exemplos de “perseguição” a Cristãos quando na realidade se tratam de meras intrações à lei geral:

    Um hotel que discrimina clientes sem avisar que se trata dum hotel temático e que só aceita certo tipo de pessoas (swingers, lésbicas, casais hetero, casais em lua de mel, pessoas com mais de 65 anos, não admite crianças, apenas judeus ortodoxos ou testemunhas de jeová.) Claro que viola a lei se não se apresentar como tal. Um resort não temático pode ser acusado de discriminação se não aceitar pessoas sem justificação.

    E não há nada que justifique a perseguição por motivos políticos, sexuais, religiosos ou doutra natureza qualquer.

    Continuo com bastante esperança que alguns dos países islâmicos se tornem democracias como nós. Sei que não vai ser fácil…mas a esperança é a última a morrer.

    Pode ser que os clérigos xiitas copiem o modelo da IURD e se deixem de bombas e véus e se virem para a guita

    O Bispo Macedo já prepara o contrato de franchasing…

    Aínda vamos andar a tecer encómios à Al-IURD….;)

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s