Dawkins finalmente encontra alguém com quem debater

A Wendy Wright informou o Ray Comfort que ela não sabia que o professor Militante Evolucionista seria o “entrevistador”. Ou seja, isto foi mais uma emboscada por parte dos militantes ateus liderados por Dawkins.

O que não deixa de ser curioso é que o “corajoso” do Dawkins não aceite debater com criacionistas que saibam com quem vão debater, mas não tenha problemas em emboscar mulheres.

Acho que isto define bem o tipo de pessoa que ele é.


About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , . Bookmark the permalink.

5 Responses to Dawkins finalmente encontra alguém com quem debater

  1. George da Silveira says:

    UM IDIOTA!

    Like

  2. Mike says:

    A mulher perguntou pro Dawkins qual a evidencia da macroevolução, e ela disse que o registro fossil não confirma a evolução…Dawkins sabia disso e apelou pro dna…a similaridade do dna humano com o dos chimpanzés…como se similaridade implicasse em ancestralidade…e ele esqueçe tb as diferenças…os ratos tem similaridade de 90 por cento com o dna humano, as bananas possuem 50 por cento…sera que Dawkins sugere que somos parentes das bananas e dos ratos tb?

    Se a similaridade significa a ancestralidade as diferenças significam que não ha ancestralidade? 2 pesos e 2 medidas?

    É obvio que as diferenças são muito mais gritantes que as semelhanças…

    E o Dawkins sempre usando palavras bombasticas pra impressionar os desavisados…

    “Veja a quantidade MASSIVA DE EVIDENCIAS DA EVOLUÇÃO”

    É sabemos a quantidade massiva de evidencias que existe no registro fossil, principalmente no pré-cambriano…

    Like

    • agart says:

      Olá Mike,
      Sou cristão e assim como você não gosto das baixarias do Dawkins, Acho que não é uma boa estratégia criticar o conceito de ancestralidade comum, afinal é uma ideia que faz sentido do ponto de vista evolucionista. Mesmo como cristão entendo que o simples fato de todos os seres vivos possuírem dna do mesmo tipo com versões diferenciadas é suficiente para nos colocar na mesma família (sim, somos parentes afastados dos ancestrais das bananas), entretanto isto não desmerece em nada a criação, pelo contrário. É racionalmente sustentável que a microevolução é um recurso de ajuste fino da biodiversidade e que a macroevolução é falsa (se tratando na realidade de fenômenos criativos sobrenaturais). Portanto é viável que um peixe ande em terra firme e vire um anfíbio, que o este vire réptil e que o réptil vire lobo e que o lobo(Pakicetus) se transforme em golfinho e baleia em menos de 5 milhões (milagre) de anos se assim for da vontade de Deus.

      Like

      • Vitor Silva says:

        Eu tenho dois dispositivos móveis, um Smartphone e um Tablet, ambos com sistema operativo Android.
        – Um tem 10 polegadas, nenhum botão físico na parte frontal, apenas 1 câmara e ligação Wi-fi e 32GB de capacidade de armazenamento, pesa mais de meio quilo.
        – O outro tem 4,7 polegadas, tem 3 botões físicos à frente, câmara à frente e atrás, wi-fi e 3G e possui 16 GB de capacidade de armazenamento, este pesa perto de 130 gramas.

        Eles são dispositivos fisicamente bem distintos. Se eu comparar o código fonte do sistema operativo que comanda ambos os dispositivos, eles seguramente terão mais de 90% das suas instruções partilhadas.

        Alguns podem achar nessa similaridade uma prova de que o smartphone (mais pequeno) deu origem ao seu primo Tablet (maior) via processos evolutivos.

        Outros juram a pés juntos que isso é apenas o fruto do trabalho da mesma equipa de programadores da Google, que ->inteligentemente<- utilizam código já existente, para adicionar ou remover capacidade de processamento ao que já existe por forma a que o novo dispositivo funcione de acordo com as necessidades e funções desenhadas pelo seu projectista.

        Perspectivas. Mas uma é um "bocadinho" mais lógica que a outra…

        Like

      • Maria Teodósio says:

        Vítor, está a pegar em dois exemplos isolados.
        O que nós vemos nos seres vivos é um padrão genealógico e hierárquico geral.
        Podem-se agrupar as espécies mais semelhantes em géneros, os géneros mais parecidos em famílias, as famílias em ordens, ordens em classes, etc.
        Se lhe der para isso, veja este texto (http://ktreta.blogspot.pt/2007/04/miscelnea-criacionista-rvore-da-vida.html) e este site (http://www.talkorigins.org/faqs/comdesc/section1.html).
        Nesse seu exemplo, não me parece que possa fazer um padrão como esse, considerando o código e “morfologia” para uma data desses objectos ou para quaisquer outros que tenha em casa.

        Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s