“O meu fóssil é melhor que o teu!”

Evolucionistas a discutirem entre si é uma imagem que para muitos darwinistas é um choque. Pelo que deduzo das suas palavras, discutir sobre os méritos e fraquezas da teoria da evolução, é (a seu vêr) discutir sobre a Lei da Gravidade ou discutir sobre outra Lei científica amplamente estabelecida.

As respostas típicas são (primeiro) negar que tais discussões se verifiquem, mas depois, (esmagados pelas evidências) aceitar que elas de facto existem, mas que tais debates não são sobre nada fundamental em relação a teoria, mas sim sobre “detalhes mínimos”. Nós todos sabemos que detalhes mínimos são esses: “como“, “onde“, “porquê“, “quando“, e “quem“. Tirando isso, os darwinistas estão todos “de acordo”.

Recentemente, o Dr. Chris Beard, paleontólogo do “Pittsburgh’s Carnegie Museum of Natural History”, recebeu atenção nacional nos EUA quando ele vigorosamente negou que o fossil com o nome de “Ida” seja um “elo perdido” entre o ser humano e o seu alegado parente primata.

Ele estava certo em negar a relevância da Ida na alegada evolução humana, no entanto convém ressalvar que ele não o fez por acreditar que o ser humano não evoluiu de primatas, e muito menos o fez por aceitar o facto da evolução violar leis da Biologia e Genética e ser cientificamente impossível.

Aparentemente, o motivo por trás da sua rejeição deve-se ao facto de ele estar na posse de um fóssil que ele afirma ser o candidato mais apropriado a ser o “elo perdido”.

O escritor da Associated Press Michael Casey falou sobre o fóssil que o Dr. Beard e a sua equipa encontraram em Myammar. A equipa encontrou pedaços de mandíbulas que eles afirmaram pertencerem a 10-15 indivíduos diferentes. De acordo com o Dr. Beard, esta nova criatura, nomeada de Ganlea megacanina, viveu na Ásia há 38 milhões de anos atrás. Conjuntamente, o Dr. Beard e a sua equipa afirmam que “o desgaste nos dentes caninos sugerem que esta criatura, fisicamente parecida com um macaco e habitante de árvores, usava os dentes caninos como forma de abrir frutos tropicais para atingir o seu interior“.

[Reparem no pormenor: dentes caninos, que supostamente servem para rasgar a carne, evoluíram para comer…. fruta. No entanto, os ateus ficam chocados (chocados!) quando lhes dizemos que os leões, tigres e outros animais que hoje chamamos de “carnívoros” já tinham dentes caninos desde o momento em que o Senhor Jesus Cristo os criou (embora originalmente fossem herbívoros). Aparentemente, os caninos evoluíram para comer carne, excepto quando evoluíram para comer fruta.]

O que é que o Dr. Beard está a sugerir com este achado? Ele está a desafiar a popular crença de que o homem evoluiu no continente africano. (Lembrem-se deste ponto da próxima vez que um ateu evolucionista nos disser que a “ciência” mostra que o homem “veio de África“)

O Dr. Beard afirmou:

Embora nós achêmos que a discussão esteja muito perto de estar definida em termos absolutos, este novo fóssil Ganlea definitivamente ajuda-nos a afirmar que, quando nós olhamos o mais para trás possível no tempo, o ascendente comum de macacos, humanos e outros símios estava na Ásia e não em África.

É fácil descortinar a tensão a amontoar entre os darwinistas à medida que eles lutam entre si para poderem publicitar os seus recentes achados

A rejeição da Ida por parte do Dr. Beard, e a sua tentativa de promover o seu fóssil, é evidente pelas seguintes palavras:

Mesmo nós não tendo um esqueleto completo como eles tiveram, e mesmo nós não querendo declarar que Ganlea seja um elo perdido, nós sabemos que Ganlea é mais relacionada com os nossos antepassados [primatas] do que a Ida.

Não é preciso pesquisar muito para se encontrar evolucionistas que discordem com Beard e a sua equipa. John Fleagle, paleontólogo da “Stony Brook University” , observou que não só os fósseis “não acrescentam nada de novo” à ideia da evolução humana, como notou que, sem um crâneo, a equipa de Beard não acrescentou nada de conclusivo para o debate.

No verdadeiro sentido da palavra, e contrariamente à mensagem que chega ao público, os evolucionistas estão divididos em relação às crenças mais básicas em torno da sua mitologia evolutiva.

Conclusão:

Esta guerra de fósseis entre os evolucionistas mostra-nos que estão em jogo forças não-científicas muito poderosas dentro da comunidade científica em geral, e dentro da comunidade evolucionista em particular.

Primeiramente, estas discussões mostram que os factos e os dados científicos nem sempre são a força condutora no que toca às “conclusões científicas”. Em muitos casos, é apenas o desejo de fama, prestígio ou subsídios estatais que catalisam o ímpeto de pesquisar.

Outra coisa que se pode depreender deste debate entre evolucionistas é que o conceito de “evolução humana” é tão vago e nebuloso que a comunidade evolucionista nem sequer está de acordo nos postulados cardinais da teoria. Como os seres humanos não evoluíram, a falta de concordância darwinista em aspectos fundamentais da sua teoria faz todo o sentido. Uma coisa é haver desacordo em questões periféricas mas outra coisa é haver desacordo nos pilares de uma crença.

Terceiro: nós podemos confiadamente afirmar que mais cedo ou mais tarde, outro “elo perdido” vai fazer manchete dos jornais, sendo seguidamente promovido como a “prova” da evolução humana. Este tipo de “lógica” evolucionista já decorre há mais de um século, no entanto todos os chamados “elos perdidos” foram descartados pelo “elo perdido” seguinte. No passado, os chamados “elos” ou foram mostrados como fraudes evolucionistas, ou foi descoberto que eram ossos de um animal normal, ou ossos de uma pessoa.

Quantas vezes é que os novos achados vão ter que ser provados como falsos para se rejeitar por completo a absurda ideia da evolução humana? Ganlea, Ida, Piltdown Man, Hobbit Man, Nebraska Man, Lucy e todos os outros fósseis usados pelos darwinistas não provam que o ser humano evoluiu.

De facto, o observador honesto é forçado pela falta de evidências a concluir que o ser humano não evoluiu de primatas. O ser humano sempre foi um ser humano.

Para nós cristãos, as guerras entre os evolucionistas sobre a imaginada evolução humana é uma fonte de constante confirmação da Bíblia. Aquilo que Deus disse há séculos atrás está em perfeito acordo com as observações, e em perfeito acordo com as evidências arqueológicas.

O ser humano foi criado, amaldiçoado (devido ao pecado) e salvo pelo Senhor Jesus Cristo. Rejeitando esta Verdade Universal, o homem fica à deriva espiritual e científica e a total mercê de qualquer vento de doutrina (Efésios 4:14).

Isaías 45:22
Olhai para Mim, e sereis salvos, vós, todos os termos da terra; porque Eu sou Deus, e não há outro.

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Paleontologia and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink.

14 Responses to “O meu fóssil é melhor que o teu!”

  1. Ricardo Reno says:

    Mats,

    Reparem no pormenor: dentes caninos, que supostamente servem para rasgar a carne, evoluíram para comer…. fruta. No entanto, os ateus ficam chocados (chocados!) quando lhes dizemos que os leões, tigres e outros animais que hoje chamamos de “carnívoros” já tinham dentes caninos desde o momento em que o Senhor Jesus Cristo os criou (embora originalmente fossem herbívoros). Aparentemente, os caninos evoluíram para comer carne, excepto quando evoluíram para comer fruta.]

    Mats,

    Inúmeras vezes você deixou claro que sabe das intenções de deus e o que ele “pensa”. Posto isto, embora eu não seja um exegeta , você pode indicar o versículo da bíblia onde diz, e prova que: leões, tigres etc eram herbívoros?
    Eu já vi até prova de que o paraíso é mais quente que o inferno segundo a bíblia, mas leão herbívoro?

    Like

  2. Mats says:

    Ricardo Reno,

    você pode indicar o versículo da bíblia onde diz, e prova que: leões, tigres etc eram herbívoros?

    “E a todo o animal da terra [isto é, leões, tigres etc] , e a toda a ave dos céus, e a todo o réptil da terra, em que há alma vivente, toda a erva verde será para mantimento. E assim foi.”
    Génesis 1:30

    Mais uma coisa: eu “sei” o que Deus pensa porque acredito na Sua Revelação.

    Like

  3. Ana Silva says:

    Mats:

    Os leões, os tigres e outros carnívoros não são os únicos animais com dentes caninos. A morsa, o porco e até o cavalo (embora, aparentemente apenas os machos) têm caninos. E claro nós (humanos) e os macacos.

    O desgaste de um dente é uma indicação da forma como esse dente é utilizado. O desgaste de um canino num animal que se alimenta de frutas de casca dura será diferente do desgaste de um canino num animal que se alimente de carne de caça.

    Mas tem razão: os ateus não deviam ficar chocados quando lhes é dito “que os leões, tigres e outros animais que hoje chamamos de “carnívoros” já tinham dentes caninos desde o momento em que o Senhor Jesus Cristo os criou” (estou aqui um pouco confusa, segundo a Bíblia não foi Deus que criou todos os animais?).

    Penso que o que choca os ateus é a ideia de Deus criar animais com uma dentição perfeitamente adaptada para comer caça, se os mesmos animais só podiam comer erva. Esta situação levanta duas questões possíveis.
    1.Será que Deus já sabia à priori que Eva e Adão iriam cair na tentação da serpente?
    2. Será que Deus reajustou a dentição dos animais após a Queda, para lhes permitir sobreviver com a nova dieta?

    Coloco estas questões porque desconfio que se Deus criou os leões, tigres e outros carnívoros com a dentição que têm actualmente, estes animais passaram fome até à Queda.

    Já agora outra questão: Deus criou os carnívoros com os sistemas digestivos que eles têm actualmente? É que o sistema digestivo de um carnívoro não tem grande capacidade para digerir erva ou outras plantas. Ou talvez Deus tenha adaptado a erva às características dos animais antes da Queda.

    Like

  4. Ana Silva says:

    Mats:

    Na passagem que apresenta, Génesis 1:30 a Vulgata diz: “e a todos os animais da terra e a todas as aves do céu, e a tudo o que se move sobre a terra, e em que há alma vivente, para que tenha de comer. E assim se fez.”

    Qual a versão da Bíblia que cita?

    Like

  5. Mats says:

    Ana, você acredita que e’ possível saber qual e’ a dieta dum animal apenas olhando para a sua dentição?

    Se sim, então explique os herbívoros com caninos. Se nao, entao estamos de acordo.

    Deus sabia desde o principio que o homem seria desobediente, e como tal criou as formas de vida antecipando isso.

    Ha relatos de leões que eram herbívoros. Aparentemente o seu aparelho digestivo não se queixava.

    Like

  6. Jonas says:

    Mats!

    Veja este “dente de sabre” herbívoro e tantos outros exemplos de carnívoros alimentados extritamente com frutas e verduras.

    http://paleontografia.blogspot.com/2011/03/descoberta-nova-especie-de-herbivoro.html

    Deixo um pensamento de Demóstenes para pelo menos aplacar a minha perplexidade quanto ao “empirismo” empregado pelos paleontólogos evolucionistas:”PENSA-SE COMO SE VIVE!” Demóstenes.

    Like

  7. Ana Silva says:

    Mats:

    Pode-se descobrir a dieta geral de um animal com vários anos analisando a sua dentição. Conforme o tipo de comida assim será o desgaste que os dentes apresentam. Um animal que se alimenta principalmente de erva terá um desgaste de dentes diferente de um animal que se alimenta de carne crua, que tem de rasgar. E um animal que se alimenta de frutos com casca dura terá um desgaste dos dentes diferente dos dois exemplos anteriores. Este facto é independente do tipo de dentes apresentado pelo animal.

    Os omnívoros têm caninos. E alguns herbívoros também. Embora muitos herbívoros não tenham caninos ou tenham caninos incipientes. Porque é que alguns herbívoros têm caninos não sei bem. Mas têm.

    “Deus sabia desde o princípio que o homem seria desobediente, e como tal criou as formas de vida antecipando isso.” Não percebo a lógica desta afirmação. Se Deus sabia que o Homem ia desobedecer porquê apresentar-lhe uma tentação no Eden?

    Nota: Os relatos dos leões herbívoros são interessantes. O que eles comiam? Viviam soltos ou em cativeiro? Tinham uma dieta exclusiva de vegetais ou também comiam carne?

    Like

  8. Mats says:

    Ana Silva,

    Pode-se descobrir a dieta geral de um animal com vários anos analisando a sua dentição. Conforme o tipo de comida assim será o desgaste que os dentes apresentam.

    Não é bem isso que foi perguntado. A questão é: um animal que tenha caninos é forçosamente um carnívoro?

    “Deus sabia desde o princípio que o homem seria desobediente, e como tal criou as formas de vida antecipando isso.”

    Não percebo a lógica desta afirmação. Se Deus sabia que o Homem ia desobedecer porquê apresentar-lhe uma tentação no Eden?

    Porque o livre arbítrio só o é se houver a possibilidade de ter uma verdadeira alternativa.

    Nota: Os relatos dos leões herbívoros são interessantes. O que eles comiam? Viviam soltos ou em cativeiro? Tinham uma dieta exclusiva de vegetais ou também comiam carne?

    http://www.animalliberationfront.com/Saints/Authors/Stories/LittleTyke.htm

    Like

  9. Ana Silva says:

    Mats:

    (desculpe a demora na resposta, que terá de ser breve)

    Um animal que tenha caninos não é forçosamente um carnívoro. Pelo que li até os cavalos têm caninos.

    O post sobre a leoa Little Tyke é muito interessante. Mas, como desconfiava vivia em cativeiro, não tinha uma dieta exclusiva de vegetais (porque, embora não comendo carne, bebia leite e comia ovos) e comia vegetais cozidos. Little Tyke não sobreviveria sem apoio humano.

    Like

  10. Mats says:

    Ana Silva,

    Ainda bem que estamos de acordo que a existência de caninos não é forma absoluta para se saber a dieta dum animal. Há muitos evolucionistas que ainda não aceitam isso, e ficam pasmados (pasmados!) quando Deus lhes diz que antes do Dilúvio os animais eram herbívoros.

    Like

  11. Ana Silva says:

    Mats:

    Os “evolucionistas” não ficam pasmados com a existência de herbívoros com caninos! Aceitam esse facto muito bem, a menos que o desconheçam. E se não o conhecem só precisam de ser esclarecidos (“uma imagem vale mais do que mil palavras”).

    E duvido que pasmem “ quando Deus lhes diz que antes da Queda [e não o Dilúvio, ou estou enganada?] os animais eram herbívoros”. Porque ou não acreditam no Deus da Bíblia (e como tal não aceitam que o que vem narrado na Bíblia é Verdade Absoluta) ou porque conhecem bem a fisiologia dos carnívoros e as diferenças entre os sistemas digestivos dos carnívoros, dos omnívoros e dos herbívoros.

    Tendo em conta todo o sistema digestivo dos carnívoros (e não só os dentes!), a ser verdade que os animais carnívoros se alimentaram de plantas até à Queda, tiveram de ter apoio divino para digerir a sua dieta. Os dentes eram o menor dos seus problemas.

    Like

  12. Mats says:

    Ana Silva

    Os “evolucionistas” não ficam pasmados com a existência de herbívoros com caninos!

    Eu também não disse isso, Ana. Leu bem o que eu disse?

    O que eu disse é que os evolucionistas ficam pasmados quando Deus lhes diz que os animais eram herbívoros antes do Dilúvio porque (segundo os evolucionistas) o caninos do leão, por exemplo, não são suportam a noção de uma dieta herbívora.

    Essa crença evolucionista é claramente falsa porque nós temos animas hoje que têm caninos e são herbívoros.

    Like

  13. daus says:

    O fossil ida é IGUAL a um Lêmure U.U

    Like

  14. Leonardo Ramalho says:

    A verdade é que não há provas da evolução e sim evidências para a formulação da teoria.
    Sendo as provas observáveis apenas das adaptações, e assim pela lógica, uma suposta evolução.
    A mudança de espécie ainda é um mistério empírico, não há dados onde possamos confiar totalmente.
    O método científico assim não está estabilizado, cabendo uma análise lógica-filosófica da mesma.
    Porém se formos partir por este rumo, abrimos a porta para as outras teorias terem a mesma equivalência.
    e no ponto lógico-filosófico, o design faz muito mais sentido.

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s