O grilo e o seu alarme ultra-sónico

O morcego voa silenciosamente através da escuridão, invisível para todos menos para aqueles que conseguem detectar o seu radar ultra-sónico. Que hipóteses tem um grilo voador nocturno de escapar aos dentes do morcego?

bat alarmSe estivéssemos no Lugar do Criador, o que é que faríamos para tentar equilibrar a balança e dar algumas hipóteses de sobrevivência ao pobre grilo? A solução mais óbvia é criar o grilo de forma que ele fique sempre “em casa” à noite. Mas esta opção não permitira ter um grilo que consiga fazer vida nocturna. Outra opção seria dar ao grilo a capacidade de ouvir o radar do morcego em acção mas isto por si só não seria suficiente.

A solução que o Criador inventou como forma de preservar a existência do grilo revela mais uma vez a Excelência Criativa de Deus. Ele construiu o grilo com um detector de morcegos mono-celular conectado ao seu sistema nervoso. O detector é activado pela mesma frequência que o morcego usa para a sua detecção de insectos.

Quando o sistema soa o alarme (e é activado), a célula dispara 500 impulsos por segundo (!) o que causa a que o grilo voe em direcção contrária à fonte da frequência ultra-sónica.

Mas“, alega o evolucionista “se o grilo estiver pousado no chão e detectar o ultra-som, isso vai causar a que ele corra de forma desenfreada ou que levante vôo e coloque-se mais vulnerável ao ataque no morcego. Isto é péssimo design!!

Calma, amigo evolucionista; afinal de contas, “Haveria coisa alguma difícil ao SENHOR?” (Génesis 18:14)

O mais impressionante facto de engenharia biológica àcerca deste detector de morcegos é que ele só funciona se o grilo estiver em pleno vôo – e desde logo, mais vulnerável aos ataques dos morcegos. Quando o insecto está a salvo dos morcegos – a descansar, escondido, a comer ou em higiene pessoal – o sistema de detecção de morcego não dispara nenhum sinal de alarme.

Conclusão:

Esta elegância detalhada colocada dentro dos grilos para a sua protecção (e sobrevivência) é um testemunho poderoso para a preocupação que Deus tem pela vida biológica. Embora a maior parte dos sistemas de defesa das formas de vida só tenham começado a ser usados depois da Queda, Deus, que “chama as coisas que não são como se já fossem” (Romanos 4:17), configurou geneticamente todas estas estruturas logo no princípio da Criação.

O que o ser humano deve levar em conta é: se Deus Se preocupa desta forma com um modesto insecto, quão grande não será a Sua preocupação para com a mais preciosa das Suas criações, nomeadamente, o Homem.

Tenho-vos dito isto, para que em Mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas, tende bom ânimo, Eu venci o mundo.
João 16:33

Nota: Shreeve, James. 1985. “The great cricket escape.” Science 85, May. p. 83.

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink.

One Response to O grilo e o seu alarme ultra-sónico

  1. maria kaylane santos cruz says:

    eu estava procurando a pesquisa do grilo mas eu queria saber onde o grilo mora eu nao gostei

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s