Sinais de stop genéticos impossibilitam evolução

E, naquele dia, Eu separarei a terra de Gosen, em que meu povo habita, a fim de que nela não haja enxames de moscas, para que saibas que Eu Sou o Senhor, no meio desta terra.
Êxodo 8:22

As moscas da fruta, sujeitas a mais de um século de intensa investigação, não cessam de revelar segredos. Num estudo publicado em 1980, o cerne dos genes da mosca da fruta foi alterado, um a um, e a resultante pletora de moscas mortas provou que não havia espaço para a adição das mutações fundamentais para a evolução.

Os pesquisadores descobriram agora outra forma de desmantelar a mosca. A diferença é que em vez de se removerem genes, os cientistas removeram sinais de “stop” genéticos.

Os genes, que são sequências de ADN que codificam proteínas, são uma minoria do ADN total das moscas e dos humanos. O gene da mosca da fruta que os pesquisadores analisaram (com o nome de polo) possui dois sinais de stop. Estes marcam os sítios do ADN onde a cópia deve parar de modo a que o RNA mensageiro resultante e as proteínas tenham o tamanho certo.

Suspeitava-se que o sinal de stop duplicado servia de segurança dupla para que o gene fosse copiado de forma correcta. Devido a isso, os investigadores removeram o segundo sinal de stop, assumindo que o mesmo seria supérfluo.

No entanto, de acordo com notícia proveniente do Instituto Português de Biologia Molecular e Celular “os resultados foram surpreendentes e mais dramáticos do que seriam de esperar”.

A coordenadora da equipa de pesquisa, Alexandra Moreira, disse:

Quando construímos a mosca usando apenas o primeiro sinal de stop, os resultados são letais. . . . Quando o segundo sinal de stop é removido, as moscas da fruta nasciam com um abdómen mal formado e o resultado foram insectos mortos.

A pesquisa fornece dois argumentos em favor da Ciência da Criação – argumentos que também mostram que as moscas nunca poderiam ser o resultado de um processo fundamentado na tentativa e erro.

  • Primeiro, em adição ao código para as proteínas transportada nos genes, esta sequência de stop genético é necessária para que qualquer mosca da fruta possa sobreviver. Por outras palavras, os genes e o ADN regulador fazem parte do sistema tudo-ou-nada.

Esta aparato está em contradição directa com a noção evolucionista da mosca ser o produto de um acréscimo gradual das suas partes. Se a mosca só funciona com os dois sinais de stop genéticos, então quando ela apareceu na Terra, ela já os possuía (isto é, foi criada assim).

Alexandra Moreira afirmou que ambos os sinais de stop são requeridos para que haja “uma regulação eficiente dos níveis das proteínas resultantes.” O número correcto de proteínas tem que ser expresso durante o desenvolvimento embrionário.

  • Segundo, estes resultados são acrescentados à sempre-crescente lista de sequências de ADN reguladoras que não codificam para proteínas mas são mesmo assim vitais.

Aparentemente, uma vasta maioria do genoma dos organismos está altamente regulada e densamente cheia de informação, e, desde logo, incapaz de tolerar muitas mutações sem se deteriorar. Isto é exactamente o contrário de que seria de esperar se a evolução fosse o caminho através do qual as formas de vida vieram a existir.

Sem as evolutivamente necessárias mas cientificamente inexistentes mutações acrescentadoras de informação genética, o suposto “motor” da evolução depara-se com uma parede para além da qual não consegue atravessar.

Da mesma forma que o volante condiciona a direcção para onde o carro caminha, o número e a posição dos sinais de stop genéticos no ADN da mosca regulam a produção de proteínas durante o seu desenvolvimento. Em ambos os casos, a remoção do sistema regulador faz com que o sistema inteiro se torne inútil (tentem conduzir um carro sem forma de regular a sua direcção).

Conclusão:

Da mesma forma que os efeitos da remoção do volante dum carro demonstra que mesmo é o resultado de engenharia propositada, a remoção de apenas um destes sinais de stop da mosca demonstra que toda a mosca é sem dúvida o resultado de engenharia propositada.

Até hoje ainda não foi encontrado Melhor Candidato para o posição de Engenheiro Biológico que o Deus da tradição Judaico-Cristã.

Fonte


“Eu fiz a terra, o homem e os animais que estão sobre a face da terra, pelo Meu Grande Poder e com o Meu Braço Estendido, e a dou àquele que Me agrada em Meus Olhos.”
Jeremias 27:5

Darwin disse que se houvesse um sistema natural que não pudesse ser o resultado de um processo gradual, a sua teoria teria que ser rejeitada.

Pois bem; a ciência já demonstrou a existência de muitos sistemas que nunca poderiam ser o resultado dum processo gradual e faseado. Não está na hora dos evolucionistas reconhecerem o erro e rejeitarem a mitologia neodarwinista?

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Bíblia, Biologia and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink.

3 Responses to Sinais de stop genéticos impossibilitam evolução

  1. O caráter dos darwinistas é adaptável, os que não consideram a assertiva darwinista serão extintos e os neodarwinistas são tão flexíveis quanto a moral pode ser…
    excelente o seu post.
    Abraços

    Like

  2. Welton says:

    WELTON
    Interessante ninguém comenta nadah, kkk
    Mats, sempre olho seu blog, fico fascinado com o que vejo, vc tem outros blogs, ou outras redes sociais como msn, orkut, e-mail??

    [[ http://abortoemportugal.blogspot.com/

    http://perigoislamico.blogspot.com/

    http://ohomossexualismo.blogspot.com/

    http://omarxismocultural.blogspot.com/ ]]

    Like

  3. Welton says:

    Achei muito interessante este post, é tão claro…. E como diz no final já está mais do que na hora de colocarem pra todos conhecerem que a mitologia neodarwinista está errada, o que falta pra eles reconhecerem o erro?

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s