Bebés defendem-se do sistema imunitário materno

Salmo 139:13
Pois possuíste os meus rins;
entreteceste-me no ventre de minha mãe.

Quando alguém recebe um órgão pertencente a outra pessoa, a mesma tem que ingerir drogas suficientemente poderosas para impedir a rejeição do dito órgão. Isto acontece porque o corpo onde foi implantado o órgão reconhece que o mesmo não é “seu”, e portanto trata-o como se fosse um “invasor” a ser destruído.

Isto levanta um problema: Porque é que o sistema imunitário da mulher grávida não reconhece o seu próprio filho como sendo distinto do seu corpo? Sendo um ser humano com uma composição genética herdada tanto do pai como da mãe, ele é distinto da sua mãe.

Alguns cientistas teorizam que a placenta é uma barreira física entre o bebé e o sistema imunitário da mãe. Outros, porém, acreditam que o bebé de alguma forma “esconde-se” do sistema imunitário da mãe. Uma terceira teoria afirma que o sistema imunitário da mãe é de alguma forma “obrigado” a tolerar a criança não nascida.

Pesquisas levadas a cabo pelos cientistas da “Medical College of Georgia” em Augusta, Geórgia, suportam esta terceira alternativa. Foi descoberto que a placenta produz um enzima (IDO) que opera de forma a suprimir as células da sistema imunitário materno. Mais precisamente, o bebé ainda por nascer produz a enzima correcta de forma a impedir que o sistema imunitário da mãe o ataque. Isto, claro, como efeito de milhões de mutações aleatórias filtradas pela sempre atenta selecção natural.

Os cientistas afirmam que esta descoberta pode servir de inspiração para a produção de novas drogas médicas que sirvam para tratar doenças relativas ao sistema auto-imunitário, bem como para tratar situações de rejeição de órgãos doados.

Conclusão:

Este sistema tinha que estar 100% operacional desde que apareceu na Terra uma vez que um bebé que não tivesse o enzima para combater o sistema imunitário da progenitora, morreria. O enzima não poderia ser um qualquer, mas apenas e só o enzima certo para combater o sistema de auto-defesa da mãe. A mãe, como é óbvio, também esteve num útero e como tal tinha que ter o mesmo enzima.

Os adivinhos evolucionistas, obviamente, não têm qualquer explicação naturalista e aleatória para a origem deste sistema, mas eles continuam a acreditar (por fé) que a evolução explica a sua origem. Cientificamente falando, é mais lógico inferir que este sistema interdependente apareceu na Terra completamente funcional (sem nenhuma evolução gradual) uma vez que o gradualismo mataria o bebé.

Ou o sistema está lá por inteiro ou não funciona.

Biblicamente falando, isto é mais uma evidência para o que o Rei David disse:

Salmo 139:14 Eu Te louvarei, porque de um modo terrível e tão maravilhoso fui formado; maravilhosas são as Tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem.

O sistema de auto-defesa que os bebés possuem mostra ainda mais o Génio Infinito do Criador, o Senhor Jesus Cristo.

Como é normal, a teoria da evolução é totalmente desnecessária para a medicina, biologia e todas as áreas científicas que envolvam o estudo das formas de vida.

…………………………………………..

PS: Se vocês virem “refutações” ateístas a este post, ou a outro post que aponta para a interdependência entre sistemas biológicos, façam esta pergunta a vocês mesmos:

Será que esta resposta mostra como é que o dito sistema surgiu como resultado de forças aleatórias, ou será que esta refutação apenas explica como é que o sistema funciona?

Eu digo isto porque, quando os ateus evolucionistas tentam refutar o que a ciência tem mostrado, os blogues evolucionistas invariavelmente evitam explicar a origem aleatória, não-inteligente, natural dos supracitados sistemas, e confundem os leitores com descrições sobre o funcionamento dos mesmos.

Mas reparem que o ponto de discórdia entre os cientistas evolucionistas e os cientistas criacionistas não é o funcionamento mas a origem da diversidade. Tanto os criacionistas como os evolucionistas estão de acordo em relação ao funcionamento.

Portanto, fiquem atentos à ilusão que os evolucionistas fazem. Sem dúvida que irão notar que as “explicações” dos mesmos são tudo menos algo que confirme os poderes criativos das forças aleatórias . Provavelmente eles precisem de um “jeitinho evolutivo”?*

* Referência à seguinte frase presente neste post do Ludwig:

Foi possivelmente isto que induziu Haeckel a dar um “jeitinho” aos desenhos, convencendo-o que o embrião revivia formas ancestrais.”


Vêr Também:


About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , , , , . Bookmark the permalink.

13 Responses to Bebés defendem-se do sistema imunitário materno

  1. Dalton says:

    Nem o funcionamento, Matts.
    A grande maioria das explicações que vi do evolucionismo foram contos de fadas…. “A girafa precisava comer folhas altas, então ela esticou seu pescoço durante 8 milhões de anos até conseguir…”. Totalmente deplorável e sem lógica alguma.
    Eles não tem como explicar somente como se origina a mutação benéfica, mas também como ela se propaga entre os descendentes progressivamente, como essa mutação/variação de espécie não se perde com o cruzamento com as espécies “não-evoluídas”, vixe, um monte de coisas.

    Like

  2. Matheus says:

    Muito bom! muito bom mesmo! Parabéns!!!

    Like

  3. jefferson says:

    mais uma vez!É preciso muita imaginação para sustentar essa teoria.
    Eu gostaria de saber como o cérebro humano “evoluiu”?
    Em uma discussão ,um neo-ateu me indicou um artigo.Mas logo na introdução do assunto da suposta evolução cerebral,eu li: não sabemos porque exatamente o cererebro humano evoluiu como evoluiu,o maximo que eu li,foram as explicações funcionais do cérebro humano,e comparação do homem com outros seres vivos,como a agua-viva.
    Esse artigo dos bebês é excelente!

    Like

  4. Karina says:

    Mats, eu sempre lembro de minha professora de ginástica.

    Ela tinha um sério problema ao engravidar: o colo do útero precisava ser costurado nas primeiríssimas semanas (1º mês), caso contrário acontecia um parto hiper-prematuro (aborto espontâneo).

    E assim ela teve quatro gravidezes, duas vingaram, duas não foram descobertas a tempo.

    E aí chegou uma época em que ela começou a ter problemas no sistema nervoso: o corpo dela paralisava de uma hora para outra do lado direito. Ela chegou a cair algumas vezes durante as aulas.

    Passaram uns dois ou três meses, os médicos não chegavam a um consenso, desconfiavam de uma bactéria. E, de uma hora para outra, os problemas cessaram.

    Então eles descobriram o seguinte: durante a doença, ela engravidou, e à medida que o bebê foi desenvolvendo, o corpo dela conseguiu expulsar a bactéria que estava alojada no sistema nervoso, justamente por esses ajustes imunológicos da gravidez.

    Ela ficou maravilhada, pois em circunstâncias normais ela teria perdido o bebê, dado o tempo da gestação!!

    Mas, como diriam os conto-de-fadistas, foram milhões de anos de evolução para que ESSE bebê ajudasse ESSA mãe a combater ESSA bactéria específica…

    Like

  5. matheus says:

    Mas e se o sietma existia em macacos dos quais teriamos evoluidos? Como me explicas ?

    [[Será que temos evoluído dos macacos? — Mats]

    Like

  6. Pedro says:

    Matheus,

    A TE não diz que evoluímos dos macacos.

    Like

  7. matheus says:

    Sim, ela afirma que evoluímos de ancestrais comuns dos macacos…

    Like

  8. matheus says:

    Tá bom, reformulando…. E se o sistema existia em especies dos ancestrais os quais evoluímos….

    Like

  9. Douglas says:

    SÓ PARA VOCÊS VEREM COMO A MÍDIA É TENDENCIOSA :

    http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI5351599-EI8147,00-Penas+de+dinossauros+foram+preservadas+em+ambar.html

    Repare nessa parte:
    O ornitólogo Richard Prum, da Universidade de Yale – não envolvido diretamente com a pesquisa -, afirma à Science que McKellar e seus colegas apresentaram “uma excitante e ampla amostra de penas”. Contudo, ele diz que é difícil afirmar que algumas das estruturas são protopenas, já que faltam alguns detalhes característicos – como um pequeno pedaço de osso ou uma amostra de pele, o que deixa a possibilidade de que elas não sejam relacionadas aos dinossauros. As amostras, inclusive, podem estar relacionadas a algo totalmente desconhecido que não havia sido preservado em fósseis anteriormente.

    Ou seja o paleontólogo pegou penas em Ambar e publicou que os dinossauros eram ”emplumados” sem nem ao menos ossos e partes de dinossauros com as penas. Está cada vez mais difícil acreditar em Evolucionistas.

    Like

  10. jefferson says:

    Matheus,

    A TE não diz que evoluímos dos macacos.
    ..não evoluimos junto..afinal o papai de um é o papai de outro!ou não? o ancestral ão é o mesmo?

    Like

  11. Karina says:

    Matheus, se esse sistema existe desde os ancestrais comuns aos macacos, então não houve evolução, e o nosso sistema reprodutivo (gestação, parto…) deveria ser idêntico ao dos macacos.

    Like

  12. Douglas says:

    Não sei porque os Evolucionistas falam que ”viemos de um ancestral comum do homem e do chimpanzé” . É a mesma coisa dizer que viemos de um tipo de macaco , oras.
    Nossa bacia é praticamente idêntica com a do orangotango, muito mais do que a do chimpanzé, e nem por isso ele anda ereto ou viemos de um ancestral dele …
    Os Suricatos são bípedes e possuem polegar opositor . Nosso pé é idêntico ao do urso polar, nossas mãos são idênticas ao do Guaxinim, nossa Genética é muito parecida com a do camundongo (mais que a do chimp.) e nosso cérebro é do mesmo tamanho do golfinho .
    Só porque nossos traços do rosto são mais parecido com os do Gorila, do Chimpanzé e do Bonobo dizem que viemos de um ancestral dele …
    No reino animal a inteligencia do chimpanzé (e outros macacos) não tem nada de especial em relação aos outros animais, muitos animais são até mais inteligentes que esses macacos .

    Like

  13. Jefferson criacionista says:

    Douglas
    Eu tbm não sei discernir que diferença faz…afinal ancestral é o mesmo que avós,antepassados…e se vieram do mesmo ancestral,caramba!ou o ancestral era macaco ou ele era lá sei eu oque,já que humano não era(segundo a crença evolucionista)..eles só não explicam como isso aconteceu!foi de forma assexuada?um macho e uma femea evoluiu junto,pra dar tudo certo?
    Eu li um artigo muito interessante :Lobos e Cães: Um Caso de Ancestral Comum (http://www.universocriacionista.com.br/content/blogcategory/11/32/)Em certa parte o artigo diz:
    “….É importante salientar que em todos esses experimentos não se observou o aparecimento de novo material genético (o que provaria a teoria da evolução). Portanto, chamar o processo observável da variação de uma carga genética como sendo evolução é um êrro groceiro de terminologia. Evolução significa aprimoramento genético e não variação do material genético já existente por meio de recombinação.”

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s