Evolução produz conscientização da evolução

Uma das coisas mais espantosas da evolução, para além de espontaneamente gerar tudo, é a sua capacidade de criar autómatos conscientes que, por sua vez, se apercebem que eles – e tudo o resto – evoluíram.

Assim diz Alex Rosenberg no blogue do New York Times:

O livro “On the Origin of Species” revelou como os processos físicos por si só produzem a ilusão de design.

Variações aleatórias e a selecção natural são as fontes estritamente físicas da economia meios/fins da natureza que nos enganam e fazem-nos procurar um Designer.

Os naturalistas aplicaram este discernimento para revelar a natureza biológica das emoções humanas, percepção e cognição, linguagem, valores morais, laços sociais e instituições políticas.

A filosofia naturalista, por sua vez, retribuiu o favor ajudando a Psicologia, a Antropologia Evolutiva e a Biologia resolverem os seus problemas através de maior claridade conceptual em torno da função, adaptação, aptidão darwiniana e selecção individual versus selecção de grupo.

E aí temos. Rosenberg revela que ele nada mais é que o resultado dum processo físico que, mais tarde, o tornou consciente que ele é o resultado dum processo físico. Como se isso não fosse suficiente, os naturalistas aplicaram esta forma de pensar para revelar a origem das emoções, da moralidade e de tudo o resto.

Isto, sim, é o que se pode chamar Pesquisa Científica Sólida.

Fonte

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , , , , . Bookmark the permalink.

22 Responses to Evolução produz conscientização da evolução

  1. Douglas says:

    O Pior não é existir pessoas assim, mas sim o fato que empurram/ensinam nas escolas que o Universo, as Galáxias, os Planetas, as Estrelas, a Vida, o Código Genético, as Espécies, a Consciência, a Inteligência, as Morais, as Leis, etc formaram-se espontaneamente por Bilhões de Anos por processos puramente Naturais mesmo não tendo nenhuma evidência para tal afirmação, ao contrário, esses acontecimentos violam diretamente inúmeras leis físicas e biológicas, mas “Não podemos permitir um pé-divino na porta”. O Darwinismo/Evolucionismo não é uma hipótese testável e nem empiracamente observável, mas se a Ciência e a Educação Escolar não segue essa Doutrina, está sendo Religiosa, Fundamentalista, Anti-Científica, Ignorante, etc, etc.
    O que fizeram com a Educação e com a Ciência é realmente triste…

    Like

  2. Jorge Augusto says:

    Olá a todos .Primeiramente quero deixar bem claro que eu acredito em Deus,.Não sou um ateu que defende cegamente a evolução como obra do acaso .

    Mas o segundo ponto que é onde quero chegar , é , eu acredito que houve um processo de evolução e continua tendo ao decorrer de milênios

    .E seguramente Deus nos criou assim , e também criou os animais para que se adaptassem ao meio em que vivem , já que ocorreram mudanças climáticas , as mudanças morfológicas ( principalmente em nosso Q.I ) e as mudanças fisiológicas foram inevitáveis .

    Mas esse é um processo de adaptação que Deus criou , a evolução é pura responsabilidade de Deus para podermos viver melhor , nós podemos ficar dias sem comer , pois o nosso organismo é preparado para acumular e reter gordura , e através deste processo nós garantimos mais chances de sobrevivência caso ficássemos vários dias sem comer.

    Outro exemplo é o nosso fígado que é um órgão que se regenera automaticamente , os pulmões de um fumante também é um ótimo exemplo , assim que inalada a fumaça do cigarro que é altamente prejudicial , compulsoriamente os brônquios criam uma reação de defesa .

    Tudo isso é evolução , Há uns 200 anos uma gripe poderia matar uma pessoa com muita facilidade , mas no decorrer desses 200 anos o nosso organismo se ” adaptou ” ao vírus da gripe e criou defesas para aumentar nossa imunidade em relação a essa doença , e junto com o avanço da medicina , hoje é muito difícil alguém morrer de gripe .

    Isso tudo não é obra do acaso , Deus nos fez perfeitamente para nós nos adaptarmos ao mundo em que vivemos , ai esta o que os ateus chamam de evolução , mas eles se esquecem que nós não negamos esse processo de evolução , a final existe um processo de evolução , mas ele foi criado por Deus para o homem poder viver na terra .

    Já que o corpo é carnal então o corpo tem que se adaptar ao que é ” físico ”

    Os naturalistas acreditavam em um conceito muito antigo criado por filósofos gregos como Aristóteles , Sócrates e Platão , esse conceito era chamado de geração espontânea .

    E os ateus que se dizem ” tão sábios sobre a ciência ” e tão intolerantes com cientistas religiosos se esquecem que quem foi o alicerce para a teoria da evolução de Darwin , foi Louis Pausteur , que era cristão .E quem distorceu a teoria da evolução a levando para um campo criminatório foram ateus como Charles Darwin e Francis Galton ( que era primo de Charles Darwin , e foi justamente o Francis Galton quem a criou a Eugenia e limpeza racial que foi usada por Hitler na segunda guerra mundial ) .

    Então os estudos e ensinamentos de Louis Pausteur foram essenciais para a teoria da evolução , sem esses estudos Darwin não chegaria a completar sua teoria . Pausteur sempre foi cristão e nunca abandonou o cristianismo porque ele sabia que a evolução e a quimiosintese não eram obras do acaso , elas eram nada mais nada menos do que obras de Deus .

    “Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima” – Louis Pasteur

    Os ateus se esquecem de grandes cientistas religiosos , e falam de um pequeno número de cientistas ateus se gabando , como se ciência fosse exclusivamente para ateus .

    Albert Einstein ( deísta / judeu ? ), Alfred Adler ( cristão),Brian Swimme, Francis Collins,
    Galileu Galilei ( cristão ) ,Gregor Mendel,Gordon Allport,Isaac Newton ( cristão ) ,
    Ian Barbour,Johannes Kepler ,John Lennox,Ken Wilber, Louis Pausteur ( cristão ), -Michael Faraday,Max Planck,Nicolau Copérnico, Robert Winston ( judeu ) Robert Boyle,
    William Thomson Kelvin,William G. Pollard,

    Eu estou catalogando uma lista com 1000 cientistas que acreditavam em Deus , assim que eu terminar eu venho aqui e te passo , vou divulgar a todos os sites que sabem que ciência e Deus não devem ser separados.

    Ótimo , texto do site , eu sou daqueles leitores que sempre freqüentam o site mas nunca comentam , agora sempre que possível vou deixar um comentário .

    Like

  3. Dalton says:

    @Jorge

    Só não esqueça que a evolução que tu profere é a micro-evolução, observável e experimentada cientificamente, e não a macro-evolução (célula para baleia azul) que é a defendida por evolucionistas.

    Like

  4. Pedro says:

    Dalton,

    Então você concorda que a micro-evolução realmente existe? Pois saiba que a macro-evolução não é nada além de sucessivas (milhares) micro-evoluções.

    [[ “In 1980 about 150 of the world’s leading evolutionary theorists gathered at the University of Chicago for a conference entitled “Macroevolution.” Their task: “to consider the mechanisms that underlie the origin of species” (Lewin, Science vol. 210, pp. 883-887).

    “The central question of the Chicago conference was whether the mechanisms underlying microevolution can be extrapolated to explain the phenomena of macroevolution . . . THE ANSWER CAN BE GIVEN AS A CLEAR, NO.””

    Vê esta tradução: https://darwinismo.wordpress.com/2011/03/11/microevolucao-e-um-termo-desnecessario/

    — Mats]]

    Like

  5. Herberti says:

    Em teologia define-se a transcendência e a imanência divinas. A primeira nos ensina que o Criador é totalmente distinto de Sua criação e não parte dela. Já a imanência nos ensina que, por ser o Universo a criação de um Deus pessoal, Ele se manifesta e está presente em tudo o que foi criado, tal como é possível reconhecer um pintor apenas avaliando um quadro. A presença de Deus na natureza pode ser vista em cada um dos processos naturais do Universo. Mas também pode ser ignorada. Esta presença é, a rigor, indistinguível do próprio processo. Assim tudo se resume a uma cosmo-visão prévia. O raciocínio apresentado pelo sr. Alex Rosenberg é válido também para o teísta e pode ser adaptado: “O Universo nos engana dando a impressão de que tudo é aleatório e sem planejamento, mas na verdade ele foi criado por uma mente autoconsciente, e por isso é que podemos pensar sobre nós mesmos, sobre a realidade que nos cerca e sobre o Criador.”

    Like

  6. Jorge Augusto says:

    Olá Dalton !!!

    Eu gosto bastante da ideia de evolução de Francis Collins ( Cristão e diretor do projeto Genoma humano , para desespero dos ateus rs rs rs ) . Ele defende que realmente existe uma forte evolução ( mas não como os evolucionistas imaginam ) , que todo esse processo evolucionário depende do meio em que se vive .
    E mais uma vez para desespero dos ateus não foi Darwin o pioneiro na teoria da evolução , foi um teólogo cristão , Agostinho de Hipona . O raciocínio de Agostinho é bem direto , Deus criou o universo com leis , e graças as leis de Deus ,as espécies se desenvolveram e se adaptaram ao meio em que viviam . Outro que defende essa ideia é Robert Winston , biólogo judeu , em um trecho do seu livro instinto humano ele diz .
    ” Não quero de modo algum negar que ouve uma evolução , mas a ciência não explica tudo e se faz parecer arrogante , e essa evolução surgiu graças a uma força divina , o universo é um projeto impressionante e lindo , de racionalidade física e povoado por criaturas que possuem inteligência divina , o universo é o resultado de um ato puro da criação divina , assim como a evolução ”
    Graças as leis de Deus e não obra do acaso .
    Abraços !!!

    Like

  7. jonas says:

    Creio que os termos micro evolução e adaptação estão intimamente ligados,pois como as microevoluções não tem o “poder” de transmutar,assim as adaptações também não,e portanto são sinônimas.Exemplo está que até hoje trabalhos com as bactérias sofrendo anos de mutações continuam bactérias.
    A questão fundamental é que a Informação prescritiva(informação que veicula instruções) já está alocda no Genoma do ser,possibilitando assim as mudanças necessárias conforme o Meio exige.
    Há limites nestas adaptações,que impossibilitam a criação de novos Planos corporais,pois estes demandam de Informação Ontogênica,o que é uma outra categoria de Informação.
    O simplismo é uma atributo do Evolucionismo,tudo isso no afã de corroborar a Teoria,que de científica está muito longe de ser assim considerada.

    Até agora não vimos cientificamente provado que um Australlupithecus se tranformou num Antropólogo Inglês!

    Like

  8. Dalton says:

    Sequer temos evidência de mutação benéfica.

    Like

  9. jonas says:

    Uma boa analogia para entender as mutações seria trocar em uma sentença a as letras desta, comprometendo a sintaxe desta sentença e a sua compreensão.
    Da mesma forma alterações randômicas nos Genes prejudicam a função destes,provocando quebra de otimização.
    Mutações implicam em perda de informação genética e problemas hereditários.O exemplo evolucionista para mutação benéfica é pífio,pois na anemia falciforme que é um dos seus exemplos prediz a morte de 25% dos filhos e outros 25% podem ter malária.Então que mutação benéfica é esta que não evita 100% a malária e ainda provoca a morte dos descendentes.

    Like

  10. jonas says:

    Aqui vai um belo exemplo do que as mutações aleatórias,o tempo e a Seleção natural podem fazer,segundo os evolucionistas!

    http://www.dnatube.com/video/104/ATP-synthase-structure-and-mechanism

    Esta nano-máquina(cabem 120.000 delas na cabeça de uma alfinete) termodinamicamente falando,tem uma eficiência de quase 100% na transdução mecano-química na hidrólise da molécula de ATP.

    Like

  11. Rômulo says:

    Dalton,

    Na realidade há exemplos de mutações benéficas bastante citados pelos evolucionistas como “prova” da filosofia da macro-evolução. São as mutações em genes que codificam para sistemas metabólicos distintos de micro-organismos e que os permitem sobreviver aos antimicrobianos.

    Citando as serino-betalactamases (grupo de enzimas que inativam betalactâmicos), as quais sofreram uma cadeia de mutações pontualmente rastreáveis para serem os agentes selecionadores de bactérias resistentes ao grupo dos antimicrobianos betalactâmicos.

    A “coisa” é mais ou menos parecida com árvore de ancestrais produzida pelas análises comparativas de morfologia. Ex.: enzima A > enzima B [= enzima A +/- 1 a.a.] > enzima C [= enzima A +/- 2 a.a. ou enzima B +/- 1 a.a.]. Isto é, à medida que tais representantes são isolados e sequenciados, são postos à comparação com enzimas já existentes.

    Confira em .
    Aqui podemos conferir as variações (mutações pontuais de aminoácidos) que determinado grupo de betalactamases (tipo SHV, TEM, OXA, CTX, KPC, GES…) aceita, ou seja, permanece funcional e apresenta novas características (ex. hidrolisa agentes antimicrobianos betalactâmicos mais modernos). Assim, enzimas que foram isoladas na década de 50, hidrolisavam os primeiros betalactâmicos (ex. penicilinas); enzimas da década de 70, betalactâmicos de 2a. ou 3a. geração (ex. cefalosporinas); e as enzimas das últimas décadas, hidrolisam antimicrobianos de última geração (ex. carbapenêmicos).

    Enfim, esta recuperação sistemática de bactérias que produzem betalactamases mutadas e adaptadas aos novos antimicrobianos que às pressionam seletivamente, sugere um melhoramento através de mutações pontuais e benéficas.

    Like

  12. jonas says:

    O interessante que essas mutações” benéficas” ocorrem mais em seres de complexidade menor(bactérias e virus).No ser humano onde o numero de células especializadas e também a Informação é absurdamente maior não vemos tais “benefícios”,quanto mais estas mutações gerarem novos Planos Corporais,que é o que mais interessaria a Evolução.
    Bactérias continuam bactérias,e isso é “constrangedor” para a tão propalada evolução.
    As analises comparativas morfologicas são limitadas quando comparadas com o aparato informativo,que traduzem a extrema complexidade funcional desta informação.Creio que este mecanismo mutacional” benéfico” fica mais para um processo adaptativo prescritivo,do que aleatoriedade trazendo teleologia.

    Like

  13. Rômulo says:

    Certo, ao que me parece também, as mutações que conhecemos em seres complexos são todas prejudiciais. Estão aí os resultados do primeiro século de pesquisas (inteligentemente direcionadas) com a “Drosophila”. Os sistemas de correção de DNA são muito mais eficientes organismos complexos.

    Existe uma teoria de um mecanismo evolucionário (mais um) que crê que os organismos poderiam manter certas mutações não prejudiciais sem corrigí-las. Tal mecanismo chamar-se-ia “neutralismo”. Com isso, evolucionistas tentam dizer que, em determinado ambiente, tais mutações acumuladas, mas silenciosas, poderiam conferir vantagem evolutiva.
    Jonas, não precisas nem exigir tanto com “planos corporais”, não há evidências de que mutações cumulativas e sequenciais poderiam gerar nem mesmo uma nova rota metabólica, por exemplo. Por enquanto, somente se conhece o melhoramento (adaptação) de produtos já funcionais.

    Realmente não se sabe se tais mutações, normalmente resultantes da falta de fidelidade das topoisomerases (enzimas que copiam DNA), são realmente aleatórias ou há mecanismos que “acentuem” a expressão de novas enzimas hiper-mutadas, para enfim, aquelas que se adequarem possam dar alguma vantagem ao micro-organismo.

    Mas existem também dados bem desconcertantes sobre mecanismos de resistencia em micro-organismos. Por exemplo, a betalactamase de espectro estendido (ESBL) do tipo TEM-116, foi caracterizada lá pela década de 80, alguns anos após o lançamento das cefalosporinas de 3a. geração (antimicrobiano do grupo dos betalactamicos), no entanto, foi encontrada em substrato de leito oceânico datado (C14) de 10.000 anos. Qualquer coisa que signifique esta idade, certamente é muito anterior ao lançamento das cefalosporinas. Portanto, a informação já existia antes!

    Existem vários relatos da presença de betalactamases em bactérias preservadas laboratorialmente, também em corpos de pessoas congeladas no séc. XIX, em amostras fecais de comunidades que nunca entraram em contanto com antibióticos, em bactérias do solo de ambientes virgens, … Parte da explicação destes achados se baseia no fato de que betalactâmicos são produzidos por micro-organismos ambientais (como o fungo Penicillium do Alexander Fleming, lembram?) e, portanto, por estarem em contato “desde sempre”, tiveram “x” anos para “criaram” suas defesas (as betalactamases).

    Like

  14. jonas says:

    Rômulo!
    Já percebestes que á “algo de podre no reino da Dinamarca”(evolução), isto é, a Informação complexa,especificada e prescritiva alocada na célula que é negada,e denuncia que Inteligência ou uma Mente estavam na sua gênese.
    A Informação gerada em uma célula é algo absurdamente intricada e complexo em relação aos recursos computacionais ou de informação que temos hoje a nossa disposição.Os padrões de Design de Informação de uma célula são semelhantes aos padrões de Design que hoje engenheiros de computação usam,só que muito,muito mais avançados e otimizados.

    Alguns padrões de Design na célula são: a Correção de errros,como num modelo de correção ortográfica;a Informação aninhada,onde informação é “escondida” dentro de outra informação;a Informação Ontogênica,onde níveis de informação hierarquicos são expressos,e tantos outros,porém como falei anteriormente muito mais avançados e otimizados que os nossos padrões usados na área computacional.

    Já as mutações podem ser por erros nas cópias,mutagênicos quimicos,virus,exposição a radiações ou também por hipermutação(adaptação do sistema imunológico a novos invasores:será que seria isto uma mutação ou resposta adaptativa de uma informação já alocada no Dna;)e estas como falastes com grau para a desorganização de um genoma,que levaria a perda de sua operacionalidade e funcionalidade de maneira otimizada.
    Quando “visualizamos” o mundo nanobiológico,em que a especificidade(dobradura,forma) de uma proteína é fundamental para cumprir a função,entendemos como é essencial a Informação correta,e isto mutações aleatórias e seleção não tem ,onde função é tudo.

    Os Evolucionistas mal informados costumam simplificar a Informação celular confundindo-a com a Informação de Shannon(que não requer significado),mas Informação celular é funcional(requer significado) e também prescritiva,onde esta veicula ou transmite instruções.

    A Biologia Molecular é linda e fantástica,estamos apenas nos primórdios do conhecimento sobre todo este mundo operacional e informativo ou como queiram,esta cidade higthtech chamada célula.A cada descoberta,novas frentes de conhecimento deverão ser “visualizadas” para compreender um pouquinho mais desta nanomaravilha,onde a Informação é a chave ou o mistério a ser desvendado.

    Veja o campo da Epigenética,onde Informação é passada a outras gerações sem precisar modificar Genes,simplesmente radicais acoplados a cromatina a tornam mais propicia ou não a transcrição de Genes.
    Interessante que toda esta organização veio da não organização ou da aleatoriedade de mutações e seleção,onde não propósito ou teleologia.

    Procurar uma agulha em um” palheiro” onde esta agulha está é até legítimo(demora,mas acha),mas quando neste “palheiro” não tem agulha,então será imposssível achar.Procurar aleatoriedade onde há designo,é um trabalho desestimulante e não profícuo,atrazando a ciência em “visões” estapafúrdias para negar o óbvio ululante,VIDA É INFORMAÇÃO!

    Legal que gostas também da àrea Biológica.Abraços.

    Like

  15. jonas says:

    Mats!
    Chegou algum comentário meu dirigido ao Rômulo?

    Like

  16. jonas says:

    Rômulo!
    Só retificando;topoisomerases são enzimas( proteínas) que ajudam na replicação do Dna.As Rna,s Polimerases transcrevem a fita simples de Dna,e elas podem gerar cópia com erros dos nucleotídeos ou bases apesar do aparato de correção(70 proteínas).

    Este vídeo mostra como as enzimas ou proteínas precisam ser específicaspara cumprirem a sua função.

    Like

  17. Rômulo says:

    Certo, Jonas.

    Confundi-me quando falei topoisomerases (DNA girase). São, claro, as polimerases, em especial a III, que replicam as fitas.

    Já achaste um vídeo na rede de um modelo demonstrando a DNA-Polimerase III replicando as fitas contínua e descontínua? É impressionante e ainda mais se pensarmos que neste vídeo, o processo está muito mais lento do que o natural.

    Também não acredito que os fenômenos adaptativos dos sistemas imunológicos sejam resultado de hipermutações não-controladas.
    Por exemplo, em micro-organismos (Salmonella e Pseudomonas) estão estudando um mecanismo complexo que faz com que essas bactérias troquem porções dos LPS (lipopolissacarídeos que ficam na membrana externa e servem como epítopos antigênicos de reconhecimento para sistemas imunológicos) para não serem mais reconhecidas pelas defesas do hospedeiro. A Pseudomonas também se utiliza desses mecanismos para apresentar resistência a antibióticos também (polimixinas que se ligam aos LPS).

    Na realidade, acho difícil que qualquer situação que leve a célula a um grande empreendimento não seja controlado por ela. Um aspecto bastante interessante para se pensar são as diversas formas de câncer. Para uma célula perder o controle de suas funções, tamanho, metabolismo, duplicação, senso espacial, etc. tem que haver uma sequência de erros muito graves. Parece-me estranho que, com tanta frequência, tenhamos tamanha coincidência (puro achismo meu), pois todos aqueles sistemas de controle teriam que falhar ao mesmo tempo, sei não…

    Quanto à precisão da informação genética e a “montagem” pós-traducional (dobraduras e recortes) das proteínas, isso realmente é fascinante. Lembro-me de uma doença chamada mucoviscidose ou fibrose sística que causa falhas sistêmicas em diversas glândulas secretórias. Existem uma série de mutações catalogadas no gene que codifica uma proteína que é encaminhada para a membrana para a função de regulador de um canal iônico (Cl- e Na+). Cada mutação provoca algum tipo de mal funcionamento. Mas o intessante é que, além do controle para prevenir as mutações, há um controle da qualidade na proteína final que é feito por outras proteínas (chalconas), as quais “medem” a modelagem 3D da estrutura final. Esse controle é bastante rígido e, em situções normais, chega a rejeitar 90% dos produtos gerados pelo cDNA. A falha neste controle final, também é causa de “lançar ao mercado” reguladores com mal funcionamento…

    Parece-me que falta o pessoal descobrir ainda se há algum tipo de “re-call” biológico. He, he…

    Like

  18. jonas says:

    Rômulo!
    Vejo que tens interesse nos processos ou sistemas Biológicos da célula,e como eles desempenham suas funções para a homeostasia celular.
    Quando falaste do dobramento(folding) das proteínas,o nome correto da proteína que auxilia no seu dobramento e recorte é chaperonas(chalconas são cetonas insaturadas) mas isso acontece quando tantos são os “atores” no palco da vida.

    Quando uma nova cadeia de aminoácidos acaba de ser montada no final da linha de montagem de um ribossoma,é exposta a danos devido a enorme atividade do citoplasma,então precisa de um lugar “tranquilo” e este é as chaperonas ou chaperones.
    Este sistema funciona como uma maquina de dois tempos com dois temporizadores(proteínas GroEl-Groes),tem forma de barril e não é uma cavidade passiva.São dois anéis em forma de “barril”,onde os anéis estão cravejados de “circuítos eletrônicos empilhados” cis-trans.Quando estes anéis estão empilhados formam esta cavidade em forma de barril,tendo no seu topo anexado uma proteína(Groes) que forma uma “tampa” protetora.
    Para se ter uma analogia,devemos visualizar uma camera de descompressão,onde não poderemos ficar por muito tempo,e isto os seres humanos controlam,mas estas máquinas nanomomeculares “cegas e sem propósito” como as fazem?A resposta advém de elas tem dois temporizadores(GroEl-Groes) que operam de forma independente e quando trabalham em conjunto otimizam o tempo em que a proteína esárá em seu interior,para proceder a dobra ou o recorte.

    O fantástico em tudo este processo é que as proteínas poderiam se dobrar em bilhões de formas “não nativas”,mas a proteína busca a energia mínima local para se conformar na forma nativa e funcional.Há uma otimização quantitativa algo universal(princípio da ação mínima).
    Veja,a presença de uma ação mínima local,reduz o espaço de conformação e acelera a busca de conformação para contatos dentro de uma cadeia energéticamente favorável.Isto é absurdamente maravilhoso!
    Ainda,isto de faz num tempo estimado de 50 a 500 picossegundos(trilhonéssimo de seg) e a forma que pode ser observado é que existem lasers com uma velocidade de femtonssegundos(quatrilhões de segundo).

    Agora tudo este processo fenomenal “apareceu” aleatóriamente,ao acaso e sem propósito,segundo os evolucionistas.Então quem precisa ter mais fé?Aqueles que apelam para um design e propósito ou aqueles que apelam para as forças cegas.

    Teria mais a falar sobre o assunto,mas esta resposta está extensa.
    Procure aprofundar este assunto,a ciência está de “joelhos” diante de tamanha otimização quali e quantitativa em máquinas nanomoleculares.
    Abraços,continue pesquisando e estudando pois somente a Verdade nos libertará desta opressão dogmática chamada Evolucionismo.

    Like

  19. jonas says:

    Rômulo!
    Quando falas em “chalconas” é chaperonas,que são proteínas fantasticas.
    Quando uma cadeia nova de amonoácidos tem sua montagem finalizada na linha de montagem do ribossoma,é exposta a danos decorrentes a enorme atividade no citoplasma,então precisa de um lugar tranquilo para dobrar-se.

    As proteínas Chaperonas ou Chaperones(GroEl-Groes,chamadas de camarin das proteínas)são um sistema que funciona como uma máquina de dois tempos,com dois temporizadores(relógio altamente especializado)que controlam o processo.
    São dois anéis em forma de barril,cravejados de “circuítos eletrônicos empilhados” chamados cis-trans.Quando empilhados formam uma cavidade “tranquila” nesta forma de barril,onde no seu topo tem uma “tampa” protetora que é a proteína Groes.

    Para uma analogia,pense numa camera de descompressão,onde nela não podemos ficar muito tempo,com o risco de morrermos.Nas chaperonas há o uso de dois temporizadores(GroEl-Groes) que trabalham de forma independente,e quando atuam de forma conjunta,otimizam o tempo em que a proteína fica em seu interior para dobrar-se ou ser recortada.

    O fantástico em tudo isto,é que a proteína busca a energia mínima,que leva a otimização quantitativa,algo universal.A presença de uma energia mínima local,reduz o espaço de conformação e acelera a busca da conformação nativa(funcional) que é energéticamente favorável.
    Outro “milagre” é o tempo em que tudo isto se processa,50 ma 500 picossengundos(trilhonézimo de segundo).

    Após esta pequena exposição de evidências,qual será a infer~encia mais plausível;será aquela em que processos cegos,sem propósito “formaram” este sistema otimizado quali e quantitativamente?
    Ou uma Mente ou Inteligência ou DEUS como queira,que através de designo e antevidência e informação prescritiva criou tais sistemas?

    Abraços,continue aprofundando-se na Biologia Molecular,pois ela nos leva a Verdade fundamental dos processos e sistemas biológicos,que sem dúvida desaguam na Informação complexa,especificada e prescritiva.

    Like

  20. jonas says:

    Mats!

    mandei duas respostas ao Rômulo e nenhuma chegou!

    Like

  21. Rômulo. says:

    Claro, Jonas! Chaperonas! Vou falando tudo de cabeça sem dar uma revisada. Meu orientador é que testava a atividade antimicrobiana de algumas chalconas…

    Conforme você foi descrevendo, fui relembrando todo esquema. Acho que está descrito naquele famoso “Alberts”.

    Cara. Eu não consigo conceber a biologia molecular sem um Designer.

    Like

  22. jefferson says:

    Os evolucionistas estão com um probleminha com as penas do pavão
    http://designinteligente.blogspot.com/2008/04/seleco-sexual-falsificada-no-caso-das.html
    “Os darwinistas tem que pensar muito bem sobre a forma como eles fazem ciência.Este é um claro exemplo de como uma hipótese darwinista tornou aceite,como verdade científica apesar de AGORA ter sido REFUTADA por alguma investigação EMPÍRICA RIGOROSA(…)”
    E como sempre,isso não será colocado nos livros de biologia do ensino médio…a teoria continuará lá,sendo ensinada como verdade,como fato,e as evidências contra ela serão empurradas para debaixo do tapete.

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s