Será que Richard Dawkins tem o gene escravagista?


Aparentemente Richard Dawkins é apenas o último da longa linha de idiotas socialmente destrutivos com o nome de Dawkins , visto que já há um Dawkins do lado errado da História há séculos.

Ele faz campanha contra os “males da religião” e lecciona o mundo inteiro em torno da alegadas “virtudes” do “ateísmo”. Agora, Richard Dawkins, o grande activista secularista que visa acabar com a “intolerância e o sofrimento” tem que enfrentar uma revelação embaraçosa: ele é descendente de donos de escravos e o erário familiar foi comprado com a fortuna parcialmente adquirida com o trabalho forçado.

Um dos seus antepassados, Henry Dawkins, acumulou tanta riqueza que, aquando da sua morte (1744), a sua família possuía 1013 escravos na Jamaica.

A propriedade da família Dawkins, que consiste em 400 acres perto de Chipping Norton, Oxfordshire, foi parcialmente comprada com a riqueza acumulada através da plantação de açúcar e posse de escravos.

As posses em Norton Park, herdadas pelo pai de Richard Dawkins, não só continuam na família como têm o activista do neoateísmo como accionista e director de negócios associados.

No ano de 1796 o filho mais velho, James Dawkins (1760-1843), votou contra a proposta de Wilberforce em abolir a escravatura, ajudando a derrotar a medida pela margem de 4 votos. Em 1807 ele fez parte dum pequeno grupo de intransigentes que se opôs à “Slave Trade Act”, que aboliu a escravatura no Império Britânico

Acredita-se que ele tenha sido um dos 18 MPs que suportou uma emenda que visava adiar a implementação do Slave Trade Act por 5 anos. Foram derrotados pelos votos de 174 MPs.

Em assuntos envolvendo a religião, James Dawkins foi um forte oponente do “alívio Católico”, uma das medidas que removeu as restrições à adoração, posse de propriedade e direitos eleitorais dos Católicos.

* * * * * * * * * * *

Coitadinho do Richard Dawkins. Afinal o seu comportamento anti-social é apenas consequência dos genes escravagistas e intolerantes que ele herdou dos seus antepassados. Ele não em culpa de agir assim; os seus genes é que o forçam a ser assim.

“As vossas iniquidades, e juntamente as iniquidades dos vossos pais, diz o Senhor, que queimaram incenso nos montes, e me afrontaram nos outeiros; pelo que, lhes tornarei a medir as suas obras antigas no seu seio.” Isaías 65:7


About Mats

Salmo 139:14 - Eu Te louvarei, porque de um modo terrível e tão maravilhoso fui formado; maravilhosas são as Tuas obras
This entry was posted in Política, Religião, Sociedade and tagged , , , , , , , . Bookmark the permalink.

10 Responses to Será que Richard Dawkins tem o gene escravagista?

  1. Marcos says:

    Ao procura sites científicos dei de cara com esse site, vocês tentam confunde pessoas esclarecidas com tamanha mentiras, distorce a verdade para da sustentação a suas crenças, mas a maior piada de todas foi achar que são vitimas, pelo contrário são os mais preconceituosos. Ao invés de levanta mentiras e informações parciais deveriam volta a estudar e deixa a ignorância de lado.
    Tchau para você

    Like

  2. Cássio says:

    Era uma argumentação, uma exposição irrelevante, ou simplesmente desabafo? Não vejo qual o objetivo da postagem, Estou ainda imaginando se consegui isolar as bem as premissas:

    Os pais de Dawkins foram escravagistas.
    A teoria da evolução se baseia em hereditariedade.
    Logo, Dawkins deve ter um gene escravagista/intolerante? o.O

    Bem, se foi isso, pra assumir uma coisa dessas, primeiro o autor teria de provar que o comportamento escravagista está associado a um gene e que por isso os pais de Dawkins foram escravagistas (excluindo completamente a atuação do ambiente, que pode afetar a manifestação dos genes. Depois, teria de provar que estes mesmos genes estão presentes em Dawkins (pois por mais que espera-se isto, pode ter havido uma mutação ou a própria recombinação o ter tirado dos genes dos filhos). E por fim explicar em que a origem do dinheiro de Dawkins o faz está errado em sua argumentação sobre evolução.

    Afinal, se a origem/passado obscuro de algo invalida sua posição atual, poderíamos pesquisar sobre a origem e manuntenção do Cristianismo ao longo dos últimos milênios… O primeiro concílio convocado por Constantino (e seus motivos para convocá-lo), a intolerância da Inquisição, as Cruzadas… Por mais imorais que sejam, estes fatos não invalidam o posicionamento da Igreja hoje, pois uma idéia correta pode surgir num meio incorreto (apesar de eu não acreditar nos seus dogmas), e eu sei disto. Apenas estou demonstrando como funciona a falácia genética ou da irrelevância, utilizada no texto, pois quem bem diz uma coisa (sobre Dawkins), poderia dizer a outra (sobre o Cristianismo).

    Like

  3. A argumentação são vários tiros nos pés:

    primeiro tiro: na época a escravatura não era vista como um crime. Esta consciência de horror à escravatura ainda não existia. Durante toda a história da humanidade a escravatura ra algo de natural e moralmente correta. O que nos leva ao :

    segundo tiro no pé: a Bíblia não reprova a escravatura. Muito antes pelo contrário. A lei do VT regulamenta-a e até permite aos pais vender os filhos desobedientes como escravos. No NT não há qualquer reprovação expressa à escravatura. Os próprios patriarcas tinham filhos das escravas virgens (menores de idade? deram o seu consentimento?) e este comportamento – atualmente muito reprovável – foi aprovado. E não nos esqueçamos que a tal lei foi dada, pelo que contam, diretamente por Jeová a Moisés….

    Terceiro tiro no pé: a moral e ética atuais além de reprovar a escravatura, o abuso sexual de pessoa dependente também reprova fortemente o castigo dos descendentes pelas faltas ou crimes dos seus antepassados.

    Se em épocas antigas era norma moral castigar os filhos pelos crimes dos pais ou avós ou por pura e simplesmente pertencerem à tribo errada (de alguma raça de víboras) a norma vigente repudia fortemente qualquer discriminação ou punição por ser neto de fulano ou beltrano.

    Moral da história :

    Na época deste antepassado do Dawkings havia muitas pessoas – e com uma grande certeza antepassados nossos – que praticavam a escravatura, queimavam bruxas, perseguiam pessoas doutras religiões, eram homofóbicos, racistas e que achavam que as mulheres eram inferiores aos homens. Não se ensaiariam nada para enviar uma filha para a reclusão dum convento por esta se recusar a casar com o noivo escolhido pelo pai.

    Isso fazia dessas pessoas más?

    Não. Era a moral da época e não podemos julgar as pessoas do passado pela nossas normas morais. Mudam-se os tempos mudam-se os costumes.

    Só faria sentido criticar o comportamento esclavagista dum patriarca Bíblico se ele tivesse acesso a normas morais absolutas. Assim ele saberia que a escravatura era errada. Como saberia que os filhos não devem ser culpados pelos crimes dos pais, que o abuso sexual de menores é errado, etc e etc.

    No tempo dos patriarcas era o próprio Jeová que regulamentava a escravatura. Ia lá o pobre do patriarca descobrir por si só que estava a cometer algo de horroroso?

    E o tal tetravó do dawkings era bastante religioso. Ele até nem gostava dos papistas (católicos romanos) pelo que devia ser um fervoroso protestante.

    P.S:

    Há alguma norma no NT ou no VT que proíba expressamente a escravatura? Algo assim com o mesmo peso da proibição das mulheres falarem nas igrejas ou quanto à homossexualidade ?

    Like

  4. Cássio says:

    @joao de melo de souza

    Procure em Êxodos 21:2-11). Acharás regras bem específicas sobre como lidar com escravos hebreus e vender sua filha. Em 21:20-21, há declarações mais específicas: você pode espancar seu escravo, desde que ele não morra vítima das pancadas. Em diversos outros lugares da bíblia é possível encontrar referências à escravidão, é só procurar. O VT é recheado de exemplos.
    Não acho que Deus estivesse contra, mas talvez alguém que realmente conheça a bíblia e a tome como base da moral possa explicar melhor. Ou mostrar a proibição mais adiante.

    Like

  5. Cícero says:

    João,

    a Bíblia não reprova a escravatura. Muito antes pelo contrário. A lei do VT regulamenta-a e até permite aos pais vender os filhos desobedientes como escravos. No NT não há qualquer reprovação expressa à escravatura

    No VT o sistema judaico de escravos era o mais benéfico e justo naquelas culturas antigas (um costume da época), sendo tratados com respeito, e eram estrangeiros ou cativos de guerras, mas não judeus. Pelo contrário a Bíblia diz: “Quando também teu irmão empobrecer, estando ele contigo, e vender-se a ti, não o farás servir como escravo …Porque são meus servos, que tirei da terra do Egito; não serão vendidos como se vendem os escravos.” Lv 25:39,42.

    Na verdade, foi a aplicação dos princípios bíblicos que derrotou a escravidão, começando na Inglaterra e outros países.
    No NT os ensinos de Jesus e apóstolos rejeitam de forma clara direta/indireta esta prática, com os ensinos de amor, justiça, bondade e liberdade.

    A libertação de Israel, que era escravo no Egito, tornou-se modelo de libertação de todos os escravos.
    O NT diz que todas as classes sociais em Cristo são iguais perante Deus Gl 3:28, e proíbe duramente este sistema maligno de comércio de almas e corpos humanos.Ap 18:13 com terrível juizo sobre eles Ap 17:18.

    Certamente os Dawkins não queriam nem saber de Bíblia …

    Like

  6. Rafael Kuhl says:

    Estava realizando um trabalho e acabei entrando nesse site, para minha infelicidade. Vocês simplesmente não entendem nada sobre evolução, ciência, darwinismo e as idéias de Dawkins. São muito intolerantes e mesquinhos para julgar o passado dele, vejam o que ele é hoje, apenas um dos maiores intelectuais da atualidade.

    Like

  7. Para quem não seja descendente de famílias de camponeses ou famílias pobres, é muito provável que já tenha tido antepassados/ familiares que tenham tido escravos. Ter escravos nessa época, pelo menos em Inglaterra, nada tinha de ilegal e, visto ser tão comum ter escravos provavelmente nem seria considerado imoral (o que muitas pessoas provavelmente considerariam imoral era a forma como os escravos de outros eram tratados e não ter escravos). É preciso ter em conta o contexto histórico dos acontecimentos.
    Além de tudo o que foi dito, nada do que o Richard Dawkins fez ou disse demonstra que este é a favor de qualquer tipo de escravatura. Ele condena-a, visto que intitulou um dos seus documentários de “Slaves to superstition”. Mas é claro que para os criacionistas é muito mais fácil faltar ao respeito aos cientistas do que refutar a ciência.

    Like

  8. Marcelo says:

    Os súditos de Dawkins ficaram brabinhos, mas a reportagem está fazendo é usar o raciocínio do próprio Dawkins, o assassino de fetos com down.

    Like

  9. Sodré says:

    É pura ignorância confundir genealogia com genética… E nada há de “embaraçoso” em conhecer o que for possível sobre os nossos antepassados…, mais “embaraçoso” deveria ser nada saber sobre os nossos avós…(daí talvez a “raivinha” mesquinha dos ignorantes da sua família relativamente àqueles sabem alguma coisa sobre as suas raízes).
    OK! Os Dawkins foram “alguém” e então? Qual o problema? Isso é uma simples curiosidade histórica…

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s