O papel da selecção natural no mundo real

Quando vejo os Teus céus, obra dos Teus Dedos, a lua e as estrelas que preparaste
Salmo 8:3

O livro “A Origem das Espécies Por Meio da Selecção Natural” tornou-se popular – e ainda é – porque tenta [sem sucesso] explicar a criação sem referência ao Criador – colocando no Seu lugar um fenómeno conhecido como selecção natural (ou “sobrevivência do mais apto”).

Hoje, se um evolucionista ateu e um criacionista se encontrassem lado a lado a observar uma bela flor – ou o vôo espectacular do beija-flor – eles teriam ideias bastante díspares em relação à origem de tais mecanismos. O ateu, limitado pela sua aderência ao naturalismo, não teria escolha senão em reconhecer o imaginado “poder ilimitado” da selecção natural afirmando algo do género:

A selecção, agindo sobre a variabilidade genética nas populações naturais, é responsável pela espantosa e aparente diversidade entre os animais e as plantas à nossa volta.

(Wen-Hsiung Li, Molecular Evolution, Sinauer, 1997, p. 432)

Mas estas alegações estão cheias de problemas científicos, tal como os próprios darwinistas modernos (neo-darwinistas) reconhecem. Numa admissão franca, um eminente evolucionista declarou:

No entanto, quando, em 1859 [Charles Darwin] publicou a Origem das Espécies, ele não tinha qualquer tipo de evidência inequívoca da existência da selecção [natural].

(Ernest Mayr, What Evolution Is, Basic Books, N.J., 2001, p. 1213. . Vêr também: Margulis & Sagan, Acquiring Genomes, Basic Books, 2002.)

Um professor da “Nottingham Trent University” questiona:

Mesmo que os neo-darwinistas estejam correctos, a que nível é que a selecção natural é suposta operar?

(Trevor Palmer, Controversy—Catastrophism and Evolution, Kluwer Academic, 1999)

Certamente que não é ao nível mais baixo:

A forma como a selecção natural opera ao nível molecular é ainda um problema enorme para a biologia evolutiva.

(Yokoyama, “Color vision of the Coelacanth,” Journal of Heredity, May/June 2000)

O falecido evolucionista Stephen Jay Gould descreveu os limites deste processo supostamente criativo:

A selecção natural é, portanto, um princípio de adaptação local e não um avanço ou progresso geral.

(Scientific American, Outubro 1994, p. 85)
E é exactamente esse o ponto que os criacionistas levantam contra a mitologia evolutiva. Os cientistas criacionistas não só não possuem qualquer tipo de argumento contra as palavras de Gould. como acrescentariam ainda que a selecção natural não tem nada a ver com a origem das espécies ou dos tipos básicos.

Outros biólogos evolucionistas concordam:

A selecção natural só pode operar sobre as propriedades biológicas que já existem [criação]; não pode criar propriedades que satisfaçam necessidades de adaptação.

(Noble, et al., Parasitology, sixth edition, “Evolution of Parasitism,” Lea and Febiger, 1989, p. 516)

Fonte

. . . .

Concluindo, sempre que um evolucionista apelar à selecção natural como agente criativo, podemos ter a certeza que estamos a falar com uma pessoa muito mal informada sobre aquilo que ela diz acreditar [ignorante].

Para nós cristãos, os limites das forças naturais não são problemáticos uma vez que nós sabemos que a natureza não se criou a ela mesma (Salmo 8:3-4).


About Mats

Salmo 139:14 - Eu Te louvarei, porque de um modo terrível e tão maravilhoso fui formado; maravilhosas são as Tuas obras
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , , , , . Bookmark the permalink.

11 Responses to O papel da selecção natural no mundo real

  1. escritosonline says:

    Há décadas que travo discussões com fanáticos da “pólvora seca” do Darwinismo sobre uma questão que me parece óbvia e que está muito claramente respondida na última citação deste “post”: a selecção natural ocorre sobre algo, ou seja, para haver selecção é necessário que exista algo para ser seleccionado. A selecção não é criação de nada.

    Like

  2. Douglas says:

    Muito Bom!
    Ótimo comentário escritosonline.

    Like

  3. A teoria da evolução pode até ser popular, mas o livro não é.
    Nem sites ateus e evolucionistas costumam citar trechos do livro.
    Tão pouco escolas o usam para apoiar a teoria.
    Seria como ensinar o cristianismo sem usar a bíblia.

    Like

  4. 123qwe says:

    A seleção natural não foi criada para explicar tudo sobre a biologia. Não existe essa pretensão e a complexidade da biologia vai muito além. Colocar toda a culpa na seleção natural e assim desacreditar toda a biologia é irracional.

    Não podemos esquecer da mutação, por exemplo, que pode ser benéfica ou não.

    Os antibióticos que usamos hoje são cada vez menos eficientes e é possível explicar usando a biologia (ciência), e não a religião (dogma).

    Se você não acredita na ciência, então não vá ao médico, não tome vacina alguma e deixe qualquer doença que você pegar curar sozinha.

    Like

    • jephsimple says:

      “Se você não acredita na ciência, então não vá ao médico, não tome vacina alguma e deixe qualquer doença que você pegar curar sozinha.”

      Ainda usando este argumento ? …. Aqui ? …o.O

      Interessante vc citar as bactérias …os genes responsáveis pela resistência das tais bactérias ,são justamente os genes que mais mutam nas bactérias com a relação aos seus outros genes … mas se são apenas mutações ao acaso,randômicas ,sem antevidência,COGNIÇÃO então pq EXATAMENTE OS GÊNES QUE AS TORNAM RESISTENTE SÃO OS QUE MUTAM EM MENOR TEMPO[A CADA 6 SEMANAS] QUE O RESTANTE ?????

      Vocês não acreditam em dragões que cospem fogo né ?

      Like

  5. Guilherme Padovani says:

    Muitos evolucionistas sempre tentam, infantilmente, levar o debate para a idéia de que criacionistas são conta a ciência por ser contra a evolução. Mas o fato é que a própria ciência é contra a evolução, pois evolução não é ciência. Evolução é um conjunto de hipoteses especulativas e não observadas, que é usada como explicação daquilo que a ciência não consegue explicar de forma naturalista. Apela-se para a “evolução das lacunas” quando dizem que “o tempo e o acaso dão conta”, o que está totalmente contra tudo que é obsevado e rigorosamente documentado pela ciência.

    Que a verdadeira ciência supere esse nosso período de trevas, que vivemos devido ao fundamentalismo naturalista desenfreado. Deixando velhos dogmas ultrapassados (macro-evolução) e se atentando aos fatos.

    Like

  6. 123qwe says:

    Ciência e religião não podem coexistir, na minha opinião. Misturar aquilo que conhecemos (ciência) com aquilo em que acreditamos (religião) é errado.

    [[ Faz uma definição do que é “ciência” e diz como é que ela não pode coexistir com o Cristianismo. Depois disso, diz-me como é que Cristãos como Maxwell, FAraday, Pascal, Pasteur, Lineus, Galileu, Newton, Fancis Bacon e muitos outros conseguiram harmonizar a ciência com o CRISTIANISMO. Repara que eu estou a falar EXCLuSIVAMENTE do Cristianismo e não da “religião”. – Mats]]

    Sem a ciência, não teríamos telecomunicações, energia nuclear e vacinas. Negar a existência da ciência e desacreditá-la, mas ao mesmo tempo usar um telefone móvel é incoerente.

    [[Ninguém aqui nega a “existência da ciência”. O que nós dizemos é que a ciência est+a contra as alegações do evolucionismo. Vê se lês as coisas antes dedisparares palavras sem o mínimo nexo. ]]

    Voltando à seleção natural, aqui está um vídeo que explica melhor do que eu posso explicar. Caso o Blog bloqueie, procure no Youtube por “Quer que desenhe? Seleção Natural” postado pelo carlosruasvlog. O vídeo não é ofensivo, embora o título possa parecer.

    [[A selecção natural foi aludida mais de 20 anos ANTES de Darwin por um CRIACIONISTA. Portanto, mostrares que a selecção natural opera não nos diz como é que a mesma gerou a complexidade da biosfera.
    Selecção natural SELECCIONA, não CRIA. Não te esqueças deste ponto muito importante. – Mats]]

    Like

  7. 123qwe says:

    “Faz uma definição do que é “ciência” e diz como é que ela não pode coexistir com o Cristianismo.”
    Eu escrevi *na minha opinião*. Existem cientistas das mais diversas religiões produzindo trabalhos científicos, mas isso é problema deles. Obviamente religião qualquer que seja não impede a pessoa de estudar, trabalhar etc. Eu sou contra misturar ciência (conhecimento) com religião (dogma).

    [ Eu também sou contra o misturar de dogmas evolutivos com a ciência. – Mats]

    “O que nós dizemos é que a ciência est+a contra as alegações do evolucionismo. Vê se lês as coisas antes disparares palavras sem o mínimo nexo.”
    Wikipédia: Seleção natural é um processo da evolução proposto por Charles Darwin para explicar a adaptação e especialização dos seres vivos conforme evidenciado pelo registro fóssil. Outros mecanismos de evolução incluem deriva genética, fluxo gênico e pressão de mutação.

    [[ O conceito da selecção natural foi aludido 25 anos ANTES DE DARWIN. Tu lês as coisas que tem escrevem? Para além do conceito não ser original seu, o próprio fenómeno é insuficiente para explicar a ORIGEM dos diferentes tipos de animais.]]

    Wikipédia: Em seu modelo explicativo, a seleção natural não precisa de uma intervenção divina como variável independente, o que provoca reação de diversos grupos religiosos.

    [[ Lá estás tu a usar o termo “religiosos”. Como este blogue é Cristão, então cingi-te ao Cristianismo. Segundo, a selecção natural – que, repito FOI ALUDIDA 25 ANOS ANTES DE DARWIN E POR UM CRIACIONISTA – não explica a origem das formas de vida.]]

    “Portanto, mostrares que a selecção natural opera não nos diz como é que a mesma gerou a complexidade da biosfera.”

    Simples, como mencionei antes, mutação.

    [[ Mutações, tal como a selecção natural, só operam naquilo que já existe. ]]

    Like

  8. jephsimple says:

    É simples assim … se um determinado ser vivo sobrevive ,por exemplo um lobo ao passo que um coelho é extinto … Os lobos que sobreviveram continuarão a dar… lobos [mesmo os cães sofrendo seleção artificial ,são lobos] …
    ,ORAS A SELEÇÃO NATURAL ELIMINOU O COELHO E MANTEVE O LOBO.
    É de tamanha irracionalidade,wishful thinking, afirmar que “lobos” mutaram para jubartes,e nenhum ancestral intermediário sobreviveu ou deixou rastros no R.F… beira a loucura .

    É simples assim…mesmo os arganazes possuindo uma das mais altas variações genéticas eles continuam a dar …. arganazes … mesmo as bactérias possuindo as mais altas taxas de “mutações” … elas continuam a dar…. bactérias e continuam a serem unicelulares ,oras não existe a menor razão pra se acreditar na baboseira de que seres unicelulares saltam para seres pluricelulares ,pra piorar por processos não guiados,cegos sem ação inteligente … a nivel molecular ,químico, isto é pura idiotice .

    É simples assim … lagartos que se isolaram geneticamente … continuam a dar lagartos … dizer que uma espécie se isola e depois muta para uma ave[por exemplo] de forma lenta e gradual sem antevidência,sem planejamento,por processos não guiados é pura fantasia,paleofantasia.Um ato de fé afirmar isto como fato da TE tanto quanto a lei da gravidade.

    Os “evos” não tem nada para nos apresentar ,senão o que Darwin nos apresentou há 150 anos atrás : TENTILHÕES EVOLUEM PARA … hum … TENTILHÕES!

    Mas claro, a filosofia materialista e naturalista negará o quanto puder todas as evidências contra suas fantasias ,negará,se oporá o quanto puder ao designer real …mas o tempo é soberano …não há mentira que resista ao tempo ,cedo ou tarde a verdade aparece! …. e o D.I sim é fato … é inevitável …

    Like

  9. 123qwe says:

    “Eu também sou contra o misturar de dogmas evolutivos com a ciência. – Mats”
    Ciência (sujeita a alterações) não se confunde com religião (dogma, ou seja, imutável).

    “Para além do conceito não ser original seu, o próprio fenómeno é insuficiente para explicar a ORIGEM dos diferentes tipos de animais.”
    Nunca afirmei que o conceito original é meu, tampouco neguei que a Seleção Natural foi aludida 25 anos antes de Darwin.
    Wikipédia em inglês sobre Edward Blyth: However, he never actually used the term “natural selection”. (Blythe nunca usou o termo “Seleção Natural”). Ou seja, o termo Seleção Natural é do Darwin e não do Blyth.
    Wikipédia em inglês sobre Edward Blyth (ficaria muito grande copiar tudo): Darwin held the opposite view, and did not read Blyth until after formulating his own theory. (Darwin tinha uma ideia oposta a de Blyth e somente leu a obra de Blyth *após* publicar a sua teoria).
    Mutação como já mencionei é uma das origens de animais (não somente) diferentes. Algumas vezes a mutação é fatal, em outras não é.

    “Lá estás tu a usar o termo “religiosos”. Como este blogue é Cristão, então cingi-te ao Cristianismo.”
    Wikipédia: Cristianismo é uma *religião* abraâmica monoteísta centrada na vida e nos ensinamentos de Jesus de Nazaré, tais como são apresentados no Novo Testamento.
    O termo é do Wikipédia.

    “Mutações, tal como a selecção natural, só operam naquilo que já existe.”
    Correto, mas são coisas distintas.

    Like

    • Mats says:

      123qwe,

      “Eu também sou contra o misturar de dogmas evolutivos com a ciência. – Mats”

      Ciência (sujeita a alterações) não se confunde com religião (dogma, ou seja, imutável).

      Exacto. Por isso é que não se deve misturar a ciência com os dogmas da evolução (religião).

      “Para além do conceito não ser original seu, o próprio fenómeno é insuficiente para explicar a ORIGEM dos diferentes tipos de animais.”

      Nunca afirmei que o conceito original é meu, tampouco neguei que a Seleção Natural foi aludida 25 anos antes de Darwin.

      Eu não disse que era teu. Eu disse que não é de Darwin.

      Wikipédia em inglês sobre Edward Blyth: However, he never actually used the term “natural selection”. (Blythe nunca usou o termo “Seleção Natural”). Ou seja, o termo Seleção Natural é do Darwin e não do Blyth.

      Por isso é que eu disse que O CONCEITO da selecção natural precede Darwin. Entendes a diferença entre CONCEITO e TERMO ?

      Darwin held the opposite view, and did not read Blyth until after formulating his own theory. (Darwin tinha uma ideia oposta a de Blyth e somente leu a obra de Blyth *após* publicar a sua teoria).

      Isso é um mito:

      Loren Eisely has shown in Darwin and the Mysterious Mr. X. that not only was it obvious that Darwin had been quite familiar with Blyth’s writings but that Darwin was to use many of Blyth’s ideas years later on when writing his Origin, yet he had given Blyth little or no acknowledgment.

      http://www.questiondarwin.com/blyth.html

      Darwin sabia do trabalho do criacionista Edward Blyth mas nunca lhe deu crédito. Darwin foi assim, um dos primeiros grandes mentirosos da já de si longa lista de mentirosos evolucionistas.

      Mutação como já mencionei é uma das origens de animais (não somente) diferentes. Algumas vezes a mutação é fatal, em outras não é.

      Mutações não são suficientes para explicar a ORIGEM dos tipos básicos.

      Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s