Biomecânica confirma Génesis

Ouvi, ó céus, e presta ouvidos, tu, ó terra, porque fala o Senhor:
Criei filhos, e exalcei-os; mas eles prevaricaram contra Mim.
Isaías 1:2

Uma vez que todas as disciplinas científicas estão de acordo com o modelo da criação, o estudo do fascinante do mundo da biomecânica não pode ser excepção. O escritor científico Bruce Fellman declara:

Os estudos em torno da biomecânica mostram como o design e a construção das plantas e dos animais obedecem as leis da Física e capitalizam com as mesmas.
(Fellman, B., “The Wonders of Biomechanics,” Funk & Wagnalls 1991 Science Yearbook, p. 85)

A estas palavras, o cientista criacionista acrescentaria que tal “design” requer um Brilhante Designer.

Uma das áreas da biomecânica é a fascinante construção dos ossos. Há alguns anos atrás o evolucionista Carl Welty escreveu “As Áves como Máquinas Voadoras(Birds as Flying Machines.” – Welty, C., “Birds as Flying Machines,” Vertebrate Structures and Functions, Scientific American, W.H. Freeman & Co. 1974, p. 66) onde fala das estrutura dos ossos das áves.

Deus criou as áves com ossos ocos de modo a dar força máxima para um peso menor. Por exemplo, o alcatraz pode ter até 2 metros de envergadura mas o seu esqueleto pesa apenas 0.113 quilos.

No seu artigo Welty tem a foto do osso da asa dum abutre exibindo a sua estrutura interna. Ele comenta:

Geometricamente falando, as ligações internas dos ossos são virtualmente idênticas às usadas nos alicerces Warren [ing: Warren truss] geralmente usados como componentes estruturais em aço.

Quando se compara a foto de Welty com a estrutura Warren no “Urquhart’s Civil Engineering Handbook” ficamos espantados coma a semelhante entre ambas.

A beleza da organização dos ossos trabeculares foi observada em 1866 pelo engenheiro suíço Karl Cullman quando este se deparou com a cabeça cortada dum fémur no laboratório dum colega e exclamou “Mas isso é o meu guindaste!

De facto, o padrão interno dos ossos seria muito semelhante ao padrão de guindastes que Cullman havia criado para docas de descarregamento (Summers, A., Natural History, Sept. 2001, p. 74).

A.G. Carnes-Smith, um químico da Universidade de Glasgow (Escócia) admite que o que nos impressiona nos seres vivos é a criatividade embutida, a aparência de terem sido arquitectados, pensados – de terem sido agregados com um propósito. A característica singular é a enorme falha entre as versões mais simples de organismos que se possam imaginar – tal como nós os conhecemos – e os componentes que, de modo razoável, a Terra possa ter gerado.

Mas o problema maior aparece porque a maior parte da complexidade parece ser necessária para a operacionalidade total do organismo (Cairns-Smith, A.G., Seven Clues to the Origin of Life, Cambridge University Press, 1985).

Os ossos são os tecidos dinâmicos, complexos e vivos dos vertebrados. Qual é a origem de tal tecido único que combina células vivas (osteócitos) com minerais (cálcio e fósforo)? O falecido Gordon Rattray Taylor, antigo conselheiro científico da BBC, disse o seguinte no seu livro:

É óbvio que a criação [sic] dos ossos requereu não uma mas uma série de mutações, todas elas integradas tendo em vista o mesmo propósito – algo incrível para ter ocorrido por acaso.

(Taylor, G.R., The Great Evolution Mystery, Secker & Warburg, London, 1983, p. 57)

Segundo o neo-darwinismo, as “criaturas mais antigas” da escala evolutiva – tais como os corais, os moluscos e as esponjas – não possuíam esqueleto (ossos) mas de repente, e de modo inexplicável, animais com esqueletos apareceram no registo fóssil. A Grolier Multimedia Encyclopedia de 1998, referindo-se ao aparecimento abrupto das classes de filo dos grupos superiores de animais nas camadas Câmbricas e Ordovicianas, declara:

Isto reflecte uma aquisição súbita de esqueletos por parte dos vários grupos, o que, por si só, constitui um problema.

Um problema para a teoria da evolução, entenda-se, uma vez que Génesis claramente declara que as formas de vida aparecerem nos espaço de 6 dias (e não com intervalos de milhões de anos entre si, como pensam alguns “cristãos”).

. . .

Como seria de esperar, os evolucionistas desdobram-se desesperadamente para fornecer explicações 100% naturalistas para a origem de estruturas tão complexas como os esqueletos e os ossos que fazem parte deles. Eles [os evolucionistas] preferem venerar a criação e não o Criador (Romanos 1:25). O evolucionista G.V. Lauder escreve sobre este assunto no segundo capítulo do seu livro “Adaptation” declarando:

Sem dúvida que a explicação mecanicista da Darwin para a origem o design orgânico foi uma enorme conquista intelectual.

(Rose, M.R. and Lauder, G.V., Adaptation, Academic Press, Inc. 1996)

Lauder prossegue afirmando que a “selecção” [natural] é a razão por trás da “manifesta complexidade dos organismos“.

No entanto, e como é normal na religião evolucionista, pelos menos 4 outros biólogos evolucionistas discordam com a crença de Lauder, e , na 6ª edição do seu texto,  afirmam que:

A selecção natural só pode operar nas propriedades biológicas que já existem; ela [a selecção natural] não gera características de modo a suprir necessidades adaptativas.

(Noble, Noble, Schad & MacInnes, Parasitology, Lea & Febiger, 1989, p. 516)

Ou seja, a selecção natural nunca pode ser usada como explicação para a origem de propriedades biológicas uma vez que a selecção natural, como o próprio nome indica, selecciona. Para haver selecção, tem que haver o que seleccionar.

Conclusão:

A biomecânica é apenas mais outra área da ciência que revela a Criativa Mão de Deus. Que pena que para a maior parte dos cientistas o naturalismo esteja acima da verdade.

Fonte


About Mats

Salmo 139:14 - Eu Te louvarei, porque de um modo terrível e tão maravilhoso fui formado; maravilhosas são as Tuas obras
This entry was posted in Biologia, Ciência and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink.

7 Responses to Biomecânica confirma Génesis

  1. hansnery says:

    E os pinguins e suas asas que não o fazem voar?

    Like

  2. Douglas says:

    Realmente Maravilhosa A Criação…

    Like

  3. Douglas says:

    Imagine o quão Maravilhoso deve ser O Criador de todas essas coisas…

    Like

  4. Darcy says:

    Mats,

    Obrigado por mais um post revelador.

    “Por exemplo, o alcatraz pode ter até 2 metros de envergadura mas o seu esqueleto pesa apenas 0.113 quilos.”

    Tanto o design interno quanto o design externo (a beleza e funcionalidade do formato das penas, a elegância do voo…) rendem glória ao Criador. Vejam que imagem:

    http://fotosnatureza.blogs.sapo.pt/4971.html

    “…voem as aves acima da terra no firmamento do céu.” Gênesis 1:20

    “Ó Senhor, quão variadas são as tuas obras! Todas as coisas fizeste com sabedoria.” Salmo 104:24

    As bênçãos de Deus sobre sua vida e a dos amigos visitantes. Bom dia!

    Like

  5. jonas says:

    A pseudo visão cientifica da Seleção Natural “cega” a compreensão contemporânea das novas evidências detectadas na Genética , Biologia celular,molecular e do desenvolvimento,onde a cognição celular é vindicada pela adaptação funcional celular.

    A visão reducionista que preconiza que o Universo não continha nada além da “sopa de quarks'” no Big bang e que agora ele contém galáxias,planetas,gatos cães e nós através da “união” aleatória de particulas conduzidas gravitacionalmente,é pobre e carente no contexto da justificação teórica e científica.
    Dizer que os seres vivos já estavam lá no primeiro femtosegundo do Big bang escondidos em algum lugar da Equação de Schrodinger e necessitando apenas de 13 bilhões de anos,é um nonsense.
    As evidências da Física,Biologia e Quimica contemporâneas,corroboram a visão da Criação através de uma “Mente” em que a Teleologia é o artista principal.
    DEUS através de SUA onipotência e Sabedoria conduz este Universo através das Leis por ELE constituídas.

    A Emergência que diz, que o Todo não é a soma de todas as partes,abre espaço para a cognição como essência da Vida.
    A Informaçâo complexa e especificada que está na célula,não deixa espaço para a aleatoriedade.

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s