A Bíblia fala dum dilúvio global ou local?

Tartarugas fossilizadas: Evidência em favor do Dilúvio de NoéEmbora tenha sido algo consensual dentro do mundo Cristão durante mais de 1900 anos, existem actualmente  existem duas posições díspares em relação ao Dilúvio que ocorreu nos dias de Noé:

  • Existem Cristão que defendem que o Dilúvio Bíblico ou foi algo mitológico ou foi um evento local ou regional.
  • Outros há que seguem a interpretação que a Igreja sempre teve, e aceitam o Dilúvio como um evento gigantesco que afectou o mundo inteiro, causando convulsões tectónicas e efusões vulcânicas na crosta terrestre que alteraram permanentemente a topografia do globo.

Eis aqui algumas razões Bíblicas que dão apoio a segunda interpretação e refutam a primeira:

DiluvioO Senhor Jesus Cristo acreditava que a Bíblia Hebraica reporta um dilúvio global – e não um evento localizado. Ele disse que “o dilúvio e os levou a todos(Mateus 24:39). Os antropólogos evolucionistas acreditam que o ser humano encontrava-se espalhado por todo o mundo, no momento em que os Cristãos afirmam ter sido a altura em que o cataclisma ocorreu.  Devido a isso, um Dilúvio antropologicamente universal requereria um Dilúvio geograficamente universal.

O Apóstolo Pedro acreditava num cataclismo hidráulico global. “Pelas quais coisas pereceu o mundo [do grego, kosmos] de então, coberto [katakluzo] com as águas do dilúvio.(2 Pedro 3:6) O mundo foi definido no verso anterior como “os céus e a terra”.

O Apóstolo Pedro disse também que “[Deus] não perdoou ao mundo antigo, mas guardou a Noé, pregoeiro da justiça, com mais sete pessoas, ao trazer o dilúvio [kataklusmos] sobre o mundo dos ímpios” (2 Pedro 2:5).

O registo do Dilúvio presente na Bíblia Hebraica, que tanto o Senhor Jesus como o Apóstolo Pedro aceitavam como evento histórico real (e não um mito ou uma “alegoria”), claramente ensina um Dilúvio global. Por exemplo. o registo coloca grande ênfase na universalidade do Dilúvio com a frase “E as águas prevaleceram excessivamente sobre a terra; e todos os altos montes que havia debaixo de todo o céu, foram cobertos” com a água do Dilúvio.

Como é que Noé conseguiu colocar todos aqueles animais dentro da Arca?Uma vez que “expirou toda a carne que se movia sobre a terra, tanto de ave como de gado e de feras, e de todo o réptil que se roja sobre a terra, e todo o homem(Génesis 7:21), Noé e os seus filhos tiveram que construir a enorme embarcação como forma de preservar a vida animal para o mundo pós-diluviano – uma arca que facilmente se vê ter sido mais do que suficiente para albergar um par de cada tipo de animal terrestre que existia na altura (exceptuando os insectos).

Tal arca seria absurdamente desnecessária se o Dilúvio fosse local e não global.

Deus prometeu “que não será mais destruída toda a carne pelas águas do dilúvio; e que não haverá mais dilúvio, para destruir a terra.(Génesis 9:11); esta promessa tem sido mantida até aos dias de hoje uma vez que nunca mais houve um dilúvio global.

No entanto, aqueles que defendem que o Dilúvio dos dias de Noé foi um evento local – uma enchente local – estão a acusar Deus de “mentiroso” porque durante os últimos 4000 anos que passaram desde o Dilúvio de Noé, têm havido várias enchentes locais, e cheias localizadas.

Conclusão:

O Cristão que aceita a inspiração Divina da Bíblia não tem margem de manobra para qualificar o Dilúvio como um evento “local”, ou para qualificá-lo como “mito” ou “alegoria”; não só a Palavra de Deus é clara nesse ponto, como o Senhor Jesus e os Apóstolos defendiam um Dilúvio global.

Se tu por acaso fazes parte duma congregação que nega a universalidade do Dilúvio, talvez seja a hora de buscar outra congregação.

Fonte

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Antropologia, Bíblia, Geologia and tagged , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

10 Responses to A Bíblia fala dum dilúvio global ou local?

  1. Duarte Rego says:

    Olá Mats.
    Eu também partilho da mesma sua opinião, embora ainda não estudasse o assunto de forma muito profunda.
    Gostaria de lhe fazer uma pergunta que talvez saia um pouco do escopo do assunto do post.

    O que você acha sobre a ideia da Pangeia (divisão dos continentes)? Você é de opinião que a terra quando foi tirada da água(2Pedro 3:5) era de um único bloco “continental” ?

    Um abraço e muito obrigado desde já.

    Like

    • Mats says:

      Duarte,

      O que você acha sobre a ideia da Pangeia (divisão dos continentes)? Você é de opinião que a terra quando foi tirada da água(2Pedro 3:5) era de um único bloco “continental” ?

      Sim, eu até agora não vi nada que contradiga essa posição.

      Like

      • sergiosodre@sapo.pt says:

        E em 6000 anos surgiram 7 continentes…, apenas porque choveu durante 40 dias?

        Like

      • Mats says:

        Mais um comentário demagogo teu e nunca mais comentas aqui. Nenhum Cristão diz que surgiram 7 continentes SÓ porque choveu durante 40 dias. Lê o relato do Dilúvio e tenta entender o que está lá escrito antes de comentares de forma pouco inteligente e muito pouco adulta.

        Like

  2. Dalton says:

    Eu não entendi… como é que um dilúvio que cobre a maior das montanhas pode ser local?

    Like

    • Paulo says:

      A verdadeira personalidade cristã é constituída de vários aspectos que vão desde as boas obras até uma fé fundamentada nas escrituras. Aceitar que o dilúvio foi um fato, não um mito e que foi um evento global e não uma inundação regional é apenas um dos aspectos dessa personalidade.
      O que se expõe nesse texto bem elaborado é justamente a falta de fé de alguns que se dizem cristãos. Então, caro Dalton, você tem razão quando não entende como um dilúvio local poderia cobrir todas as montanhas mais altas.
      Um dilúvio local também não exigiria a construção de uma arca para sobrevivência.
      Entendeu agora? Um abraço.

      Like

  3. acredito de fato e de verdade em um diluvio global, pois ate a ciencia pode comprovar a quantidade de foceis encontrados em lugares imaginaveis grutas de sal em lugares remots e em alturas onde a água do diluvio alcansou..creio em um Deus todo poderoso e se ele ordenou a noé fazer a arca , ele com certeza garantia o resto. tudo sempre esteve no controle dele e sempre estara , ele é o oleiro e faz do barro oque ele quiser ele é senhor e DEUS todo poderoso..

    Like

  4. Rafael says:

    Como assim? Se minha congregação não crer que o diluvio foi global tenho que procurar outra? Não importa de ela me ajudou na pobreza, me suportou nos pecados, cuidou de minha família na dor? Mas se não crer no diluvio global tenho que trocar de igreja? Sugiro que repensem este conselho, pois ele só reforça a doutrina e esfria relacionamentos, teologia deve unir as pessoas em Cristo, e não separa-las por pontos de vista diferentes.

    Like

    • Lucas says:

      Como assim? Se minha congregação não crer que o diluvio foi global tenho que procurar outra?

      Exactamente.

      Não importa de ela me ajudou na pobreza, me suportou nos pecados, cuidou de minha família na dor?

      Se ela fizer isso tudo, e ensinar que dois homens se podem “casar”, vais continuar nessa “igreja”?

      Mas se não crer no diluvio global tenho que trocar de igreja? Sugiro que repensem este conselho, pois ele só reforça a doutrina e esfria relacionamentos

      De que valem os “relacionamentos” baseados na doutrina errada? Os muçulmanos também têm “relacionamentos” mas a sua doutrina está errada.

      teologia deve unir as pessoas em Cristo, e não separa-las por pontos de vista diferentes.

      Quem nega as Palavras de Cristo não pode ter união com Ele, e Ele ensinou um Dilúvio global. DA mesma forma, se alguém te chamasse de mentiroso, tu não haverias de querer ter qualquer tipo de amizade com essa pessoa.

      Liked by 1 person

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s