Será que a ciência genética confirma linha temporal Bíblica?

“Assim o Senhor os espalhou dali, sobre a face de toda a terra; e cessaram de edificar a cidade. Por isso, se chamou o seu nome Babel, porquanto ali confundiu o Senhor a língua de toda a terra, e dali os espalhou o Senhor sobre a face de toda a terra.” – Génesis 11:8-9

Cirurgião revela mais falhas na teoria da evoluçãoPesquisas importantes publicadas no Verão do ano passado (2012) descreveram variações do ADN nas regiões codificadoras de proteínas no genoma humano associadas ao crescimento populacional. Uma das conclusões da investigação foi a de que o genoma humano começou a diversificar de modo rápido ha não mais de 5000 anos atrás.1,2 Esta observação está muito próxima da linha temporal Bíblica no que toca a diversificação humana após o Dilúvio. Outro estudo ainda, este publicado na revista Nature, continha ainda mais dados extensivos e, sem ser a sua intenção, confirmou a história recente descrita no Livro de Génesis.3

As diferenças no ADN humano podem ser caracterizadas através das populações e grupos étnicos usando uma variedade de técnicas. Uma das tecnologias genéticas mais informativa é a análise das raras variações do ADN dentro das regiões codificadoras de proteína do genoma. A variabilidade destas regiões é menos frequente que as muito mais numerosas diferenças genéticas que ocorrem nas regiões reguladoras não-codificadoras. Os pesquisadores podemestatisticamente combinar esta informação com os dados demográficos derivados do crescimento populacional por todo o mundo como forma de gerar escalas de tempo relativas à diversificação genética humana.4

O que torna este tipo de pesquisa única é o facto dos cientistas evolucionistas normalmente incorporarem as hipotéticas escalas temporais que envolvem os imaginários “milhões de anos” – aceites segundo a autoridade dos paleontólogos – e outros cenários que dependem dessa visão da História, como forma de calibrar os modelos das modificações genéticas que ocorreram no passado. Estudos que têm como base a demografia e o uso da dinâmica da população mundialobservada não dependem desta crença [milhões de anos] e, como consequência, são mais fiáveis e mais realistas.Numa notícia contida na Science de 2012, os geneticistas analisaram as sequências de ADN de 15,585 regiões genéticas codificadoras de proteínas do genoma de 1,351 Euro-Americanos e 1,088 Afro-Americanos como forma de analisarem variações de ADN raras.1,2

Este novo estudo teve acesso a variações codificadoras raras presentes em 15,336 genes provenientes de mais de 6,500 humanos — quase três vezes mais dados que aqueles presentes no primeiro estudo.3 Um grupo de pesquisas distinto levou a cabo este novo estudo.

Os resultados da Nature transmitem uma confirmação espectacular das conclusões surpreendentemente Bíblicas do primeiro estudo. Estes cientistas confirmaram que o genoma humano começou a diversificar-se rapidamente a não mais de 5000 anos atrás. Paralelamente a isto, eles apuraram significativos níveis de variação a ser associados com a degradação do genoma humano, e não a um avanço progressivo evolutivo. Isto ajusta-se de modo perfeito com a pesquisa levada a cabo pelo geneticista da “Cornell University” John Sanford, que demonstrou através domodelo biologicamente realista de genética de populações, que os genomas, na verdade, passam por um processo chamado de “entropia genética”.5

Linha TemporalSegundo a Bíblia, a população pré-Diluviana foi reduzida aos 3 filhos de Noé e as suas esposas, gerando um “pescoço de garrafa” genético do qual descendem todos os seres humanos. Imediatamente após o evento do Dilúvio global, seria de esperar uma rápida diversificação que perdurasse até aos nossos dias. Segundo as Escrituras, isto teve início a não mais de 5000 anos atrás.

Seria normal esperarmos também que o genoma humano regredisse ou se degradasse à medida que de modo irreversível acumula erros genéticos através dos anos.

Agora, dois artigos científicos seculares confirmam estas previsões que têm como base a Palavra de Deus.

Referências

  1. Tomkins, J. 2012. Human DNA Variation Linked to Biblical Event Timeline. Creation Science Update. Posted on icr.org July 23, 2012, accessed December 31, 2012.
  2. Tennessen, J. et al. 2012. Evolution and Functional Impact of Rare Coding Variation from Deep Sequencing of Human Exomes. Science. 337 (6090): 64-69.
  3. Fu, W, et al. Analysis of 6,515 exomes reveals the recent origin of most human protein-coding variants. Nature. Published online before print, July 13, 2012.
  4. Keinan, A and A. Clark. 2012. Recent Explosive Human Population Growth Has Resulted in an Excess of Rare Genetic Variants. Science. 336 (6082): 740-743.
  5. Sanford, J. C. 2008. Genetic Entropy and the Mystery of the Genome, 3rd ed. Waterloo, NY: FMS Publications.

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia, Ciência and tagged , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

One Response to Será que a ciência genética confirma linha temporal Bíblica?

  1. Douglas says:

    Muito bom artigo.
    Parabéns Mats.
    Nós criacionistas estávamos com a razão o tempo todo, pois temos do nosso lado o Criador de todas as Coisas.

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s