A circularidade dos evolucionistas

RatoUma descoberta científica impactante levada a cabo há alguns anos ressalvou mais uma vez a irracionalidade inerente à falaciosa e vacilante teoria da evolução. Durante uma expedição à Ásia, o reformado professor de ciência David Redfield (Florida State University) capturou as primeiras fotos do rato das rochas do Laos, que se pensava extinto há mais de 11 milhões de anos. Os restos fossilizados, recolhidos previamente de sítios tais como Paquistão, Índia, Tailândia, China e Japão, eram usados como forma de confirmar que este era o último parente duma extinta família de roedores conhecida por Diatomyidae.

Mas agora chegou-nos a surpresa: mais um alegado “ancestral” é eliminado da esfarrapada árvore evolutiva.

Observemos estas duas contrastantes, conflitantes, mutuamente exclusivas abordagens aos dados observados:

  • 1. Evolução: Todos os animais que observamos hoje em dia são formas avançadas de precursores ancestrais, todos eles descendentes dum único ancestral. À medida que formas mais avançadas evoluíram através da adaptação, seleecção natural, sobrevivência do mais apto, e mutação genética, as formas de vida mais antigas foram naturalmente substituídas pelas novas, levando à extinção das primeiras. Os fósseis, que têm milhões de anos de idade, representam formas de vida que foram os precursores evolutivos das formas de vida actuais mas que se extinguiram há muito tempo atrás.
  • 2. Criação: Deus criou um espectro de animais durante os seis dias da Semana da Criação. Enquanto se reproduziam de acordo com o seu “tipo” . . . estes animais foram criados com o potencial genético para produzir uma variedade de outras espécies, dando assim origem à diversidade que hoje existe. Durante  o tempo que foi passando, e muito devido aos factores ambientais, muitos animais tornaram-se extintos. No entanto, houve espécies que escaparam à detecção humana durante séculos, só sendo descobertos em áreas remotas.

Qual destas duas hipótes melhor se ajusta aos factos? Obviamente, a última.

De forma consistente, os evolucionistas encontram-se na embaraçosa posição de descobrir que o alegado ancestral evolutivo das formas de vida actuais, que supostamente se extinguiu há “milhões de anos” atrás, se encontra vivo. Eles vêem-se forçados a cobrir o seu rasto inventando termos sem sentido e auto-contraditórios para identificar estas “anomalias” – neste caso, o termo inventado foi “fóssil vivo.” Mas isto é o mesmo que um quadrado redondo.

Os filósofos e os lógicos qualificam tal postura dúplice de irracional e “contradição lógica.” Os evolucionistas, por outro lado, chamam a isso de “ciência”.

Fonte

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink.

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s