Gregor Mendel a Descendência Comum Universal

ADN Azul

Este artigo dará uma visão básica de algumas partes da Biologia Criacionista. A maior parte da biologia evolutiva que supostamente confirma a descendência comum universal depende de nada mais que conjecturas e argumentos falaciosos.

Este artigo não só irá explorar o ADN, como também debruçar-se sobre o trabalho do criacionista Gregor Mendel e sobre a Lei da Biogénese. (…)

* O que é a Descendência Comum Universal?

 A Descendência Comum Universal é a parte da teoria da evolução que afirma a descendência comum de todas as formas de vida provenientes dum único ancestral.

* O Que é o ADN?

O ADN (Ácido Desoxirribonucleico) é uma molécula que possui todas as instruções para a formação e funcionamento dum organismo. A quantidade de informação numa única molécula de ADN é massiva. Se todo o ADN das tuas células fosse descodificado, unido e alinhado, ele estender-se-ia por uma distância de cerca de 2 metros. Se todo o ADN presente no teu corpo fosse alinhado, ele estender-se-ia da Terra até a Lua 500,000 vezes. Obra do acaso? Acho que não. ~* A Lei da Biogénese

 A Lei da Biogénese afirma que, na natureza, a vida biológica só pode vir de outra vida biológica. Isto significa que a vida não se pode originar de matéria sem vida. Quando este argumento científico é levantado, o evolucionista imediatamente levanta objecções e afirma que “Isso é a Abiogénese!” (isto é, que a vida se originou de matéria sem vida), e afirmar que isso é outro tópico. Mas o facto que eles tentam evitar é que a sua teoria da descendência comum universal é impossível se a abiogénese não ocorreu.Actualmente, e quando se fala na origem da vida, os evolucionistas só aceitam a abiogénese. Infelizmente para eles, todas as evidências científicas estão de acordo com a Lei da Biogénese, promulgada pelo cientista criacionista Louis Pasteur. Alegações de que se criou “vida” no laboratório são, na melhor das hipóteses, extrapolações. A experiência Miller-Urey criou aminoácidos, mas para que haja vida é preciso muito mais do isso (e é preciso um tipo específico de aminoácidos).

Para além de tentarem separar a sua teoria da evolução da origem da vida, os evolucionistas levantam também outra objecção:

1. “As primeiras células auto-replicantes não são assim tão complicadas, e como tal é possível que a vida se tenha originado de matéria sem vida

Mentiroso evolucionistaEste é um dispositivo de resgate. Note-se que o argumento é uma recuo para o domínio do possível, não oferecendo qualquer evidência para a tese de que a vida é possível  – enquanto que a tese de que, na natureza, a vida biológica só pode vir de outra vida biológica está bem fundamentada pelas evidências uma vez que é precisamente isto que nós observamos diariamente.

Os apoiantes da teoria da evolução deveriam aprender a distinguir entre a conjectura e a evidência. Existem hipóteses em torno da forma como isto [abiogénese] pode ter ocorrido, mas nenhuma delas tem em seu favor qualquer tipo de evidência para além do em cima mencionado “é possível”. Pior ainda, não há qualquer tipo de evidência que suporte a tese de que isto é de facto possível.

Os evolucionistas e os ateus afirmam que a sua posição é consequência das evidências empíricas, mas objecções tão frágeis demonstram precisamente o contrário.

Gregor Mendel

Embora o seu trabalho não tenha recebido muito reconhecimento até a sua morte (2), Gregor Mendel foi um monge Augustino austríaco que se tornou mundialmente famoso por ser o fundador da genética. Foi ele que deu o seu nome às Leis [da Genética] de Mendel.As pesquisas de Mendel foram fortemente eclipsadas pela teoria da evolução de Charles Darwin embora o modelo de Mendel esteja muito mais suportado pelas observações científicas. Mendel apurou que de geração para geração os genes apenas se recombinam e as diferentes combinações na ordem dos genes produzem a ampla variedade da vida. Mendel observou também que, apesar da enorme variabilidade das formas de vida, existem limites para as variações. (3)

Conclusão:

Eles voluntariamente ignoram isto: que, pela palavra de Deus, já desde a antiguidade existiram os céus e a terra, que foi tirada da água e no meio da água subsiste"De forma geral, as evidências em favor da descendência comum universal consistem em nada mais que conjecturas. É bastante comum os evolucionistas exibirem exemplos irrelevantes de variações mínimas, e usá-las em favor da sua teoria, colocando de lado o facto do modelo Criacionista mão negar essas mesmas pequenas modificações. Aliás, o modelo Criacionista depende e muito da capacidade dos seres vivos de sofrer variações dentro do mesmo tipo básico visto que todas as formas de vida hoje existentes são descendentes desses tipos básicos originalmente criados na semana da Criação.

Afirmar que as pequenas mutações empiricamente observadas servem de evidência exclusiva para a teoria da evolução (mas não para a criação) é uma falácia com o nome de “afirmando uma disjunção”. Isto ocorre quando é afirmado que só uma conclusão é possível a partir da evidências quando existem pelo menos duas conclusões possíveis.

Referências:
1. In the Beginning, by Walt Brown Ph. D

2. http://www.icr.org/article/4126/

3. http://www.cs.unc.edu/~plaisted/ce/mutation.html

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

8 Responses to Gregor Mendel a Descendência Comum Universal

  1. Douglas says:

    Muito bom.
    Poderiam ter extendido ainda mais as falhas da teoria da Evolução.

    Like

  2. Lá está um post com que concordo. Não há nenhuma teoria sobre a origem da vida. Há hipóteses não confirmadas.

    Afirmar que os primeiros seres vivos tiveram uma origem ou outra é mera questão de opinião.

    Todas as hipóteses, enquanto hipóteses, são todas aparentemente não comprovadas.

    Like

  3. Érick says:

    “É bastante comum os evolucionistas exibirem exemplos irrelevantes de variações mínimas, e usá-las em favor da sua teoria, colocando de lado o facto do modelo Criacionista mão negar essas mesmas pequenas modificações.”

    Ok, não sei qual material você leu pra afirmar isso, mas aqui vai alguns links sobre variações acima do nível taxonômico família:

    http://www.plosone.org/article/info%3Adoi%2F10.1371%2Fjournal.pone.0033683;jsessionid=E4E007B3FAC50B3B0C7C2B8B0CBE3F83#pone-0033683-g002

    http://www.nature.com/nature/journal/v393/n6687/fig_tab/393753a0_ft.html

    http://www.talkorigins.org/features/whales/

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s