É a universalidade do sentimento religioso uma evidência forte contra o ateísmo?

Por Richard Allen Greene

Um estudo maciço levado a cabo junto das mais varadas culturas do mundo apurou que a fé religiosa é natural, até instintivo, no ser humano. Roger Triggm, professor na Universidade de Oxford, afirmou:

Temos tendência para ver propósito no mundo. Vemos operacionalidade. Pensamos que algo se encontra por lá, mesmo que não sejamos capazes de a observar. … Toda esta forma de pensar tem tendência a acumular-se até desenvolver-se uma forma de pensar religiosa.

Trigg é co-director do projecto de Oxford (com a duração de 3 anos) que incorporou mais de 40 estudos distintos levados a cabo por dezenas de pesquisadores observando países desde a China até a Polónia, passando pelos Estados Unidos e a Micronésia.

Homem OrandoEstudos levados a cabo por todo o mundo apuraram resultados similares, incluindo a amplamente disseminada crença em algum tipo de vida depois da morte e uma tendência instintiva para sugerir que os fenómenos naturais têm um propósito. Trigg afirma que “para as crianças, em particular, era muito fácil pensar duma forma religiosa”. Mas o estudo apurou que mesmo os adultos eram muito susceptíveis por atribuir a um Agente Invisível a responsabilidade por um evento natural.

Segundo Justin Barrett, o outro co-director do projecto, o estudo não diz nada sobre a existencia de Deus, deuses ou se existe algum tipo de vida depois da morte.

Este projecto não tem como finalidade prover a existência de Deus ou a existência de deuses. Só porque uma forma de pensar é mais fácil para o ser humano não significa que é a verdadeira forma de pensar, nem que é um facto.

Trigg vai mais longe e afirma que tanto ateus como os religiosos podem usar este estudo em seu favor. Segundo Trigg, o famoso secularista Richard Dawkins “pode aceitar os nossos estudos e afirmar que nós temos que ultrapassar esta fase da nossa vida.” Mas as pessoas com fé religiosa podem alegar que a universalidade do sentimento religioso server o propósito de Deus.

Os religiosos podem dizer coisas como “Se Deus existe . . . então Ele criaria em nós uma inclinação natural de O buscar.”

Trigg acrescenta que o bem-sucedido estudo pode não tomar uma posição no que toca à existência de Deus, mas ele tem implicações profundas para a liberdade religiosa:

Se nós temos algo que se encontra tão enraizado na natureza humana, contrariá-lo é de qualquer forma não permitir que os seres humanos realizem os seus interesses básicos. Existe um impulso muito forte para olhar para a religião como algo privado.

Trigg discorda desta opinião e acrescenta:

[A religião] não é algo do interesse de alguns mas sim algo que faz parte da natureza básica do ser humano. Isto mostra que ela é mais universal, prevalecente e profundamente enraizada, e isto é algo que tem que ser considerado. Não se pode fingir que ela não está lá.

O estudo, com o nome de “Cognition, Religion and Theology Project”, sugerem fortemente que a religião não enfraquecerá com o tempo, afirmou Trigg:

A tese da secularização dos anos 1960, a meu ver, estava irremediavelmente condenada ao fracasso.

Fonte: http://ow.ly/oZzbg

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

2 Responses to É a universalidade do sentimento religioso uma evidência forte contra o ateísmo?

  1. Darcy says:

    Mats,

    “E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações. Então, virá o fim.” Mat. 24:14

    Pedindo sua licença para divulgar aqui o que acontece em Brasília:

    http://www.portalucob.org.br/download/arquivos/13082013113336.pdf

    O evento de ontem pode ser visto aqui: aovivo.adventistas.org

    O encerramento poderá ser visto hoje (22/9), às 19h (horário de Brasília), direto da Esplanada dos Ministérios, pelo mesmo link: aovivo.adventistas.org

    Muito obrigado.

    Um abraço a todos!

    Like

    • O sentimento ou inclinação religiosa não tem de ser teísta e muito menos tem de se identificar com qualquer das religiões oficiais até hoje instiuídas entre a humanidade.
      No limite, a impulso religioso, a necessidade de adorar, até pode ser canalizada para organizações estritamente materialistas e respetivos líderes “infalíveis”…que também nos prometem outros “paraísos”.
      Inicialmente, seria a própria Natureza e suas forças a ser considerada sagrada. O “salto” para o transcendente é posterior…

      Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s