A validade do “consenso científico” e da “revisão por pares”

Esta notícia é especialmente dedicada aos génios que depositam toda a sua fé no “consenso científico” e nas “revistas científicas”. Fonte: http://ow.ly/pvWZo
———-

Imagine só o seguinte experimento: Você escreve um trabalho científico falso, baseado em dados falsos, obtidos de experimentos sem validade científica, assinado com nomes falsos de pesquisadores que não existem, associados a universidades que também não existem, e envia esse trabalho para centenas de revistas científicas do tipo “open access” (que disponibilizam seu conteúdo gratuitamente na internet) para publicação. O que você acha que aconteceria?

Pois bem, um biólogo-jornalista norte-americano chamado John Bohannon fez exatamente isso e os resultados, publicados hoje pela revista Science, são aterradores (para aqueles que se preocupam com a credibilidade da ciência): ele escreveu um trabalho falso sobre as propriedades anticancerígenas de uma molécula supostamente extraída de um líquen e enviou esse trabalho para 304 revistas científicas de acesso aberto ao redor do mundo. Não só o trabalho era totalmente fabricado e obviamente incorreto, mas o nome do autor principal (Ocorrafoo Cobange) e da sua instituição (Wassee Institute of Medicine) eram fictícios. Apesar disso (pasmem!),  mais da metade das revistas procuradas (157) aceitou o trabalho para publicação. Um escândalo.

O que isso quer dizer? Quer dizer que tem muita revista “científica” por aí que não é “científica” coisíssima nenhuma. E que o fato de um estudo ter sido publicado não significa que ele esteja correto (pior, não significa nem mesmo que ele seja verdadeiro para começo de conversa). A ciência, assim como qualquer outra atividade humana, infelizmente não está isenta de falcatruas.

E o que isso não quer dizer? Não quer dizer que o sistema de open access seja intrinsecamente falho ou inválido. Certamente há revistas de acesso livre de ótima qualidade, como as do grupo PLoS, assim como há revistas pagas de baixa qualidade que publicam qualquer porcaria. Nenhum sistema é perfeito. Até mesmo a Science publica umas lorotas de vez em quando, assim como a Nature e outras revistas de alto impacto, que empregam os critérios mais rígidos de seleção e revisão. Além disso, o fato de uma revista ser gratuita não significa que ela não tenha revisão por pares (peer review) e outros filtros de qualidade. Assim, o que deve ser questionado não é a forma de disponibilizar a informação, mas a forma como ela é selecionada e apurada — em outras palavras, a qualidade e a confiabilidade da informação, não o seu preço.

O relato de Bohannon acaba de ser publicado no site da Science, dentro de um pacote de artigos intitulado Comunicação na Ciência: Pressões e Predadores.

Nessa mesma temática, a revista Nature publicou recentemente também uma reportagem sobre o escândalo envolvendo quatro revistas científicas brasileiras que foram flagradas praticando citações cruzadas — ou “empilhamento de citações”, em inglês –, esquema pelo qual uma revista cita a outra propositadamente diversas vezes, como forma de aumentar seu fator de impacto (e, consequentemente, o prestígio dos pesquisadores que nelas publicam). As revistas são ClinicsRevista da Associação Médica BrasileiraJornal Brasileiro de Pneumologia Acta Ortopédica Brasileira.

O esquema foi descoberto pela empresa Thomson Reuters, maior referência internacional na produção de estatísticas de publicação e citações científicas. Como punição, as quatro revistas tiveram seu fator de impacto suspenso por um ano. A reportagem pode ser lida neste link: http://www.nature.com/news/brazilian-citation-scheme-outed-1.13604

* * * * * * *

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , , . Bookmark the permalink.

20 Responses to A validade do “consenso científico” e da “revisão por pares”

  1. Caleb says:

    Finalmente isso foi provado.

    Like

    • Independentemente das fraudes e má-fé de alguns homens (inclusive homens de ciência), procurar desacreditar o valor do consenso científico e da revisão por pares apenas pode servir os burlões, vendedores da banha da cobra, astrólogos, quiromantes, e outros fomentadores da mentira, superstição e obscurantismo, que talvez gostassem de viver ainda na Idade Média… É um mau serviço ao progresso da Humanidade..

      [[Devemos, então, confiar num processo com 50% de margem de erro?]]

      Like

  2. caiman says:

    Já há muito tempo que se sabe que isto pode acontecer. Não é por acaso que são publicados estudos que criticam estudos anteriores. Isto acontece desde sempre. O ponto essencial da revisão por pares não é ser infalível. É a existência de um método sistemático de controlo de qualidade.

    É preferível ter um controlo de qualidade que falha de vez em quando, do que não ter nenhum controlo de qualidade.

    [[Mas que “controlo de qualidade” é esse onde METADE da suposta “revisão por pares” falha por completo? Um processo com uma margem de erro de 50% é fiável na tua opinião?]]

    Like

    • caiman says:

      Repare que 50% continua a ser mais do que 100%.

      Quando se tem zero controlo de qualidade, qualquer coisinha, por mais falível que seja, é sempre uma melhoria.

      Para além de que a publicação científica tem um segundo mecanismo de controlo de qualidade: as publicações posteriores. As publicações posteriores podem perfeitamente “desancar” e desacreditar as publicações erradas que tenham passado pelo crivo da revisão por pares. Isto já aconteceu muitas vezes no passado. Estes dois métodos de controlo de qualidade complementam-se, reduzindo a probabilidade de publicações erradas ou fraudulentas. Naturalmente, não é perfeito, mas é sem dúvida melhor do que nada.

      [[Claro. Note-se que eu não sou contra a revisão de pares, mas sim contra a vossa devoção religiosa em relação a mesma. Vocês olham para a revisão de pares como régua absoluta em relação ao que é e não é ciência, mas esse procedimento, embora tenha os seus méritos, enquanto for feito por seres humanos nunca merecerá a adoração que vocês nutrem por ele]]

      Like

      • caiman says:

        Repare que 50% continua a ser mais do que *0%*.

        Assim é que é.

        [[ haha Só mesmo um evolucionista para ter fé religiosa num “procedimento científico” com uma margem de erro que pode chegar aos 50%. ]]

        Like

    • TrollAteu says:

      Só uma questão Mats,

      esse valor dos 50% é obtido porque metade das revistas aceitaram publicar a matéria?

      [[O texto diz: “Apesar disso (pasmem!), mais da metade das revistas procuradas (157) aceitou o trabalho para publicação. Um escândalo.” ]]

      Like

      • TrollAteu says:

        Portanto daí extrapolas que revisão por pares é somente eficaz 50% das vezes?

        [[Daí extrapolo que um sistema de “verificação” e análise que pode ter uma taxa de insucesso na ordem dos 50% não merece a devoção religiosa que lhe é conferida pelos evolucionistas. ]]

        Like

  3. O principal problema das pessoas que creem eu “Deus” não é ficar discutindo com ateus e agnósticos se ele existe ou não. Se têm provas de sua existência ou não. E sim perceber que a comunidade criacionista não o conhece.
    É um fato incontestável de que existem várias vertentes sobre o mesmo “Deus”. É incontestável que as várias denominações de religiões veem “Deus” de uma maneira um tanto quanto particular. Que as várias denominações de religiões interpretam a bíblia de maneira diversa. Exemplo: nos estados Unidos os escravocratas utilizavam (e talvez até ainda utilizem) para justifica a propriedade de escravos. E eles eram crentes em “Deus”. Existem crentes que dizem que a bíblia não nega a evolução, mas a explica, existem aqueles que dizem que a bíblia descreve os dinossauros. Existem aqueles crentes que afirmam que o pecado original foi o sexo. Alguns judeus até afirmam que não houve o pecado original: “E assim ela comeu da árvore, e convenceu Adão a fazer o mesmo. Quando D’us perguntou a Adão: “Tu comeste da árvore?” – não foi uma repreensão ou censura. Ele estava admirando a sabedoria de Adão em ter tomado a decisão correta. Adão, em sua inocência, admitiu que fora a sabedoria de Eva, não a sua. “Ela deu-me o fruto da árvore, e eu comi.” http://www.chabad.org.br/biblioteca/artigos/AdaoEva/home.html
    Vocês mesmos já devem ter lido todo tipo de interpretação para cada versículo da bíblia, e certamente não concordam com uma ou outra. Eu não preciso ficar enumerando todas estas as diversas interpretações, as quais vocês mesmo já leram e da qual discordam de morte! Os exemplos são inúmeros. E todos afirmam que “é preciso apenas interpretar a bíblia corretamente”!!
    Não vou sequer comentar das centenas de contradições existentes na bíblia que ateus e agnósticos apontam, mas sim, perguntar.. se a “palavra de “Deus” é tão clara, e ele mandou que fosse escrita para que todos soubessem a verdade, por que existe tanta confusão na sua leitura objetiva? Interpretações sempre existirão e jamais serão sanadas. Nenhuma “corrente doutrinária” jamais predominará sobre outra. Essas confusões existirão para sempre. Por que então “Deus” não se importa com essas interpretações erradas sobre a “sua palavra”. Por que ele deixa seu povo na ignorância?

    Like

    • Mats says:

      se a “palavra de “Deus” é tão clara, e ele mandou que fosse escrita para que todos soubessem a verdade, por que existe tanta confusão na sua leitura objetiva?

      Explica como é que a confusão HUMANA anula a Sabedoria Divina.
      Se duas pessoas discordarem dos achados de Mendel, isso é problema com Mendel, com os seus achados ou com as pessoas que os lêem?

      Sinceramente, há argumentos que eu ainda me admiro que pessoas supostamente inteligente ainda fazem.

      Like

  4. Saga says:

    Antonio Carlos de Carvalho

    [1] Quer dizer que as “interpretações” que negam que a Bíblia condena o homossexualismo e que diz que Deus aceita o casamento gay são válidas?

    [2] Se toda interpretação tem mérito, sendo iguais entre si, as próprias interpretações que vemos ateus fazendo criticando a Bíblia podem estar erradas, quer dizer, elas não são superiores as interpretações de crentes, é assim, se temos interpretações diferentes, então na verdade os ateus não estão achando nenhuma falha na Bíblia, pois a interpretação contrária é tão válida quanto a dos ateus, assim todos ficam empatados.

    Isso que você falou anula a pretensão dos ateus manusearem a Bíblia, pois não poderão chegar a uma conclusão verdadeira, os ateus assim como todos os outros religiosos ficarão todos empatados, sem nenhuma interpretação sendo melhor que a outra. Ao todas serem válidas, na prática, nenhuma tem valor.

    Essas “centenas de contradições” existem mesmo ou são apenas a interpretação do ateu/agnóstico sobre as palavras que leu?

    [3] Esse teu relativismo nega o ateísmo, pois o ateísmo faz afirmações diretas, se você é relativista não pode ao mesmo tempo aceitar que os ensinos do ateísmo são verdadeiros.

    Like

    • “Não vou sequer comentar das centenas de contradições existentes na bíblia que ateus e agnósticos apontam”.
      Por que você finge não entender que eu não falei dos ateus e agnósticos no meu comentário?? E de que comentei somente sobre “OS QUE ACREDITAM EM DEUS”?
      Judeus acreditam em “Deus”. Evangélicos acreditam em “Deus”. Católicos acreditam em “Deus”. Se você irá negar que existem “centenas de contradições” entre vocês crentes, você não estará sendo honesto. Talvez você creia que Jesus nasceu de uma virgem e foi mandado por “Deus” para salvar a raça humana do pecado original. Mas existem outras pessoas (judeus) que também creem em “Deus” e que não acreditam em nada disso. Isso é um problema de você crentes. Não me inclua nessa.
      Esqueça que eu sou agnóstico. Eu não dou a mínima para o que a bíblia diz. Não quero saber se a bíblia condena ou não o homossexualismo. Apenas não entendo que vocês tenham tantas provas da existência de “Deus” para mostrar aos ateus e não conseguem convencer a outras pessoas que creem na mesma bíblia que vocês de que Jesus era o filho de Deus. Ou vice-versa, se vocês forem judeus!
      Entenda, eu não estou falando do que ateus acham sobre o que está escrito na bíblia. E sim do que vocês crentes acham. Das suas diferentes interpretações antagônicas sobre coisas que devem ser importantes para quem crê. Jogue as “interpretações dos ateus no lixo”, pois ateu não tem interpretação sobre a bíblia, na verdade, ateu não acredita em nenhuma palavra da bíblia que não seja um fato histórico comprovado, em suma, ateu não acredita na bíblia! Não é esse o ponto.
      Como você disse, “Se toda interpretação tem mérito, sendo iguais entre si, as próprias interpretações que vemos ateus fazendo criticando a Bíblia podem estar erradas, quer dizer, elas não são superiores as interpretações de crentes, é assim, se temos interpretações diferentes, então na verdade os ateus não estão achando nenhuma falha na Bíblia, pois a interpretação contrária é tão válida quanto a dos ateus, assim todos ficam empatados”.
      Penso que melhor seria escrever desta forma:
      Se toda interpretação tem mérito, sendo iguais entre si, as próprias interpretações que vemos crentes de outras denominações, ou judeus, ou católicos, fazendo podem estar erradas, quer dizer, elas não são superiores as interpretações de uns em relação aos outros, é assim, se temos interpretações diferentes, então na verdade os crentes não estão achando nenhuma falha na interpretação do outro crente, pois a interpretação contrária de uns é tão válida quanto a de outros, assim todos ficam empatados”.
      Sim, vocês crentes estão todos empatados. Assim, posso concluir que os crentes não sabem se Jesus é o Messias. E isso, por que Deus quer que seja assim. Realmente, qual a utilidade de um ateu manusear a bíblia, se nem vocês crentes conhecem seu “Deus”?
      E mais…
      “3] Esse teu relativismo nega o ateísmo, pois o ateísmo faz afirmações diretas, se você é relativista não pode ao mesmo tempo aceitar que os ensinos do ateísmo são verdadeiros.”. Sim, foi o que eu já disse no ano passado aos que escrevem nesse site. Se eu sou relativista não posso ao mesmo tempo aceitar que os ensinos do ateísmo são verdadeiros, assim como os do teísmo.” No meu caso específico, só posso me confrontar com os ensinamentos da ciência, pois me deparo com eles o tempo todo, e jamais com os religiosos, com os quais nunca me deparei.

      Like

      • Ismael says:

        Hilário,

        Que confusão, esses seus argumentos “sentimentais”.

        “ah esse seu Deus…”

        Vai plantar flores, aí você distingue terra de rocha, minhocas de serpentes…

        Distingua! Quer ensinar aqueles que crêem e conhecem a Deus, como se deve crer? Quer nos distinguir? Ou mesmo faz exposições esdrúxulas comparando com falácias. Vai, não precisamos de seus argumentos.

        Distingua as coisas!

        Like

      • Eu também vou cometer uma falácia contra você e vou dizer: como se pode levar a sério um sujeito que começa seu comentário (se é que se pode chamá-lo assim) com a palavra “Hilário”.
        Chamar de hilário o meu comentário é fazer uso da falácia “ad hominem”, em que aquele que deveria contra-argumentar ataca a pessoa que apresentou um argumento e não o argumento que apresentou. (aulinha grátis).
        Quanto a ensinar a crentaiada a crer… sim!!!! Eu quero ensiná-los a crer, sim. Quaisquer que sejam as fantasias em que forem crer, baseadas em um único “livro”, devem crer na mesma coisa. Não pode o tal livro ensinar que uma coisa é e não é ao mesmo tempo (Jesus é ou não o tal Messias?).
        Você apenas fez o que outros já fizeram: fugiu do tema. Você não consegue admitir que seu “Deus” ou “Du’s” é incompetente ao escolher interlocutores incompetentes e incapazes de escrever um livro com conceitos e ensinamentos unívocos.
        PS. Para quem se diz inteligente e não consegue compreender o verdadeiro significado deste texto, explicamos: – quando se diz que “Deus ou Du’s” é incompetente ao escolher os que iriam escrever seus ensinamentos, estamos dizendo que se “Deus ou Du’s” é onisciente, onipotente e onipresente, ele jamais iria fazer escolhas erradas, logo, ou “Deus ou Du’s” não é onisciente, onipresente ou onipotente e a bíblia está errada, ou ele não existe. Seja mais honesto da próxima vez, se houver.

        Like

      • Silenciou-se, Ismael????
        Essa questão é fundamental e não há mesmo respostas criacionistas plausíveis.
        A única resposta de um agnóstico, plausível, é a obviedade: ele não existe!

        [[O agnóstico não sabe se Deus existe.(Mats)]]

        Like

    • Saga,
      a sua pergunta abaixo:
      [1] Quer dizer que as “interpretações” que negam que a Bíblia condena o homossexualismo e que diz que Deus aceita o casamento gay são válidas?
      apenas reforça o que eu afirmei: por que a bíblia não é clara quanto à homossexualidade? Por que vocês crentes tem de ficar escrevendo longos tratados sobre a condenação da bíblia ao que vocês chamam de “homossexualismo”.
      E por que mesmo aquele que condena o homossexualismo é obrigado a definir o “tipo penal”, porém abolindo a “pena” descrita na bíblia (de morte)? Ou seja, hoje em dia vocês dizem que, segundo a bíblia, a homossexualidade é pecado, mas são “obrigados” a dizer que não se aplica mais a pena de morte à questão.
      Levítico 20:13
      “Se um homem se deitar com outro homem como quem se deita com uma mulher, ambos praticaram um ato repugnante. Terão que ser executados, pois merecem a mor­te.”
      A bíblia é tão confusa, que alguns homossexuais evangélicos usam ´parte deste versículo para justificar a prática homossexual “Começaram a cometer atos indecentes, homens com homens, e receberam em si mesmos o castigo merecido pela sua perversão.”. Ou seja, ao praticar o “homossexualismo” a pena já estaria implícita no próprio ato carnal.
      Logo, existem crentes que usam a bíblia para condenar o “homossexualismo” e existem crentes que a usam para justifica a homossexualidade.
      O que eu acho sobre isso não interessa. A questão aqui é a ambiguidade contida nos versos bíblicos e a “passividade” (sem ironia) de “Deus” sobre este quadro.
      Quanta confusão.. e nem tente negar isso.

      Like

  5. jephsimple says:

    Não sei mas o consenso naturalista deve CRER que a natureza é idiota [Para nós que cremos num Deus Pessoal e Inteligente obviamente não].

    A natureza tem demonstrado que ela não tem nada de IDIOTA, ESTUPIDO, LIXO.

    Os evos tem fé nos erros, como algo despropositado, como mero acaso de uma natureza sem sentido em existir, senão que ela simplesmente existe, e tudo oq parece design inteligente é ilusão .

    mas ciência de verdade sempre caminha para verdade. A “ciência” naturalista continuará a fixar em seu mundo de negação . Estão limitados a isso, e sua “ciência”JAMAIS vai ultrapassar a negação do Designer , do design inteligente, design intencional.

    Caro naturalista, agora tu entendes que tua ciência é isso .. negar em absoluto designer, DI, planejamento, intenção, função real, soluções reais… tudo para ti não tem um sentido alem de que o designer não existe … então toda sofisticação e engenharia da natureza é ABSOLUTA ilusão.

    Mas para alem dessa caixinha fisicalista e materialista podemos ir além e aprender muito com as biomoléculas.

    http://www.evolutionnews.org/2013/10/mistakes_by_des077901.html

    Like

  6. jephsimple says:

    O naturalismo[vê que minha crítica não é as pessoas] é algo deprimente, triste, um sofisma, uma clara inspiração do diabo, pois ele é o pai das coisas deprimentes,podres, sofismas, enganos, erros, mentiras, contradições, burrice…

    “Naturalismo – a doutrina de que não há nada além da ordem física e, certamente, nada de sobrenatural – é um conceito incorrigivelmente incoerente, e que é em última análise, indistinguível de puro pensamento mágico. A própria noção de natureza como um sistema fechado, totalmente auto-suficiente é claramente aquele que não pode ser verificada, por dedução ou empiricamente, a partir de dentro do sistema da natureza. É uma conclusão metafísica (o que quer dizer ‘extra-natural “) sobre a totalidade da realidade, que nem a razão nem a experiência legitimamente garante. Não pode mesmo definir-se dentro dos limites de seus próprios termos, porque a suficiência total de explicações “naturais” não são um fenômeno natural identificável, mas apenas um julgamento arbitrário.” [David Bentley Hart]

    _____________________________________________________________________________

    A crença de que o universo é “um sistema fechado, totalmente auto-suficiente “agora é falsificado pela não-localidade quântica.

    Isto é deveras interessante : http://phys.org/news/2010-11-physicists-loopholes-violating-local-realism.html

    Isto também : http://physicsworld.com/cws/article/news/2010/dec/15/quantum-theory-survives-latest-challenge

    Que Cristo Jesus livre os naturalistas sinceros … que eles se livrem desse sofisma , desse câncer, isto que destrói suas existências .

    Like

    • dvillar51 says:

      jeph,

      “Naturalismo – a doutrina de que não há nada além da ordem física……”

      Não, não é só uma doutrina: é a mais destrutiva das RELIGIÕES imaginada pela mente humana.

      É a religião de alguns “cientistas” e “educadores”, que impuseram e oficializaram o ENSINAMENTO DE SUAS CRENÇAS em nossas escolas.

      Segundo esses fanáticos, essa religião tem bases na “ciência”. (?)

      Tragicômico

      Like

      • jephsimple says:

        Dvillar
        “É a religião de alguns “cientistas” e “educadores”, que impuseram e oficializaram o ENSINAMENTO DE SUAS CRENÇAS em nossas escolas.”

        Concordo com isso.Por isso os pais cristãos devem tomar cuidado com o que seus filhos estão aprendendo nas aulas de biologia.

        Like

      • dvillar51 says:

        É incrível, mas a ilustração fraudulenta do Haeckel (morfologia embrionária) ainda está nos livros, até mesmo numa apostila do Objetivo, que minha filha cursa atualmente.

        Isso não é educação, é doutrinamento marxista(Deus tem de ser “eliminado” de qualquer forma).

        Se tiver tempo de uma olhada

        http://pos-darwinista.blogspot.com.br/2006/01/o-mec-no-adverte-os-livros_113810633961166619.html

        Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s