Crânio com 1,8 milhões de anos põe em causa história da evolução humana

CranioUm crânio com 1,8 milhões de anos descoberto na Geórgia em 2005 sugere que os primeiros hominídeos que povoaram o planeta poderiam pertencer não a diferentes espécies mas a apenas uma, segundo uma investigação publicada na Quinta-Feira na revista Science.

Um dos investigadores analisou esse crânio durante oito anos e fez uma descoberta que, segundo defende, pode reescrever a história evolutiva dos humanos.

O chamado “crânio 5” é “o mais completo” de um homem antigo que se encontrou no mundo, de acordo com o principal autor do estudo, David Lordkipanidze, investigador do Museu Nacional da Geórgia, em Tbilissi.

“Não estamos contra a ideia de que pode ter havido mais de uma espécie em algum momento há cerca de dois milhões de anos”, sustentou Christoph Zollikofer, do Instituto e Museu de Antropologia da Suíça, que ajudou a analisar o crânio, “mas simplesmente decidimos que não temos evidência fóssil suficiente”.

O estudo do “Crânio 5” e de restos de outros quatro hominídeos na mesma zona, em Dmanisi (Geórgia), fez pensar estes investigadores que fósseis reconhecidos como provenientes de espécies distintas como o “Homo habilis” e o “Homo erectus” poderiam ser realmente de uma mesma espécie.

Fonte

* * * * * * *

A teoria da evolução é a única teoria “científica” que sofre modificações profundas à medida que a ciência vai avançando.

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

25 Responses to Crânio com 1,8 milhões de anos põe em causa história da evolução humana

  1. dvillar51 says:

    “…espécies distintas como o “Homo habilis” e o “Homo erectus” poderiam ser realmente de uma mesma espécie.”

    Mas não é possível, isso já está se tornando fato corriqueiro.

    O que é surpreendente é a capacidade dos evolucionistas de acomodar essas descobertas dentro de suas fábulas.

    Sob o tapete evolucionista já não deve restar onde colocar tanta sujeira.

    Like

    • Sodré says:

      A teoria da evolução é a única teoria “científica” que sofre modificações profundas à medida que a ciência vai avançando.

      Pois é, mas nunca fora dos milhões de anos… e isso é mesmo o que realmente importa, o resto são pormenores… Neste caso há uma mera “sugestão” e pede-se mais evidência fóssil… Não é um “golo” para qualquer teoria alternativa à teoria da evolução. A simples expressão do título “cránio com 1,8 milhões de anos” já diz o que efetivamente conta.

      [[Pena é que essa suposta idade seja de validade científica nula]]

      Like

      • dvillar51 says:

        ” Pois é, mas nunca fora dos milhões de anos… e isso é mesmo o que realmente importa, o resto são pormenores…”

        Quer dizer que espécies consideradas distintas pelo credo evolucionista agora já “poderiam ser consideradas da mesma espécie”? Está sendo dito que a especiação (base do credo evo) é um mero “pormenor”?

        Sem especiação a árvore da vida (toda carcomida por térmitas) de Darwin desapareceria.

        A razão e a ciência devem ser protegidas dessas crendices.

        Like

  2. sidcleypereira says:

    Ha mais de dez anos tenho ouvido os criacionistas dizerem que o genero homo nao passa de um avariacao dentro da especie humana.Os evolucionistas descobriram algo que todos os criacionistas ja sabiam.

    Like

    • Azetech says:

      Com certeza. As previsões evolucionistas sempre são surpreendidos pela descoberta de novas evidências. Porém as previsões criacionistas sempre são corroboradas por elas.

      Like

    • Saga says:

      Pelo comentário do Sodré, veja que mesmo assim eles não admitem que o evolucionismo estava errado, são “apenas detalhes”. Mas se dias antes dessa descoberta o Sidcley dissesse que “esses fosseis diferentes do gênero homo não passavam de uma variação dentro da especie humana”, o Sodré te chamaria de ignorante, burro, anticientífico e tudo mais.

      Like

  3. Carlos says:

    Nossa, mas eu achava que tudo na evolução já era fato e incontestável!

    Like

    • “Nossa, mas eu achava que tudo na evolução já era fato e incontestável!” Carlos,

      Não, não é, se você quer certezas incontestáveis tem mesmo de se agarrar à religião…, Como disse Pontiac “A Ciência tem provas sem certeza, a Teologia tem certezas sem provas.”

      [[Mas o Carlos nao está a falar da ciência mas da teoria da evolução. Que coisa vocês evolucionistas confundirem uma co ma outra.]]

      Like

      • jephsimple says:

        Sodré,

        Então Sodré,

        Estás a nos dizer que os milhões de anos são evidência de evolução cega, irracional, estúpida ?Ou será que o tempo não é intrínseco a evolução burra,cega,sem direção, estúpida,sem sentido,sem propósito.

        E aquela fé irracional, irrefutável: não sabemos hoje, como processos estúpidos, irracionais,sem direção,não guiados,cegos causaram informação complexa especificada, nem como fez todos os sistemas vivos, mas temos fé que teremos uma explicação, e teremos evidências. Bom, diante das câmeras, da plateia eles dizem: Evolução é um fato!Teu primo é um macaco, e você negro[eu sou negro] é mais chegado dele.

        Like

    • Francisco Ferreira 5ºC Monserrate says:

      então deves ler o meu comentário abaixo

      Like

  4. caiman says:

    “A teoria da evolução é a única teoria “científica” que sofre modificações profundas à medida que a ciência vai avançando.”

    Isto é patentemente falso. Diversas teorias tiveram profundíssimas alterações ao longo da (curta) história da ciência. Um exemplo é a teoria da gravidade. A teoria originalmente formulada por Newton previa que a gravidade era uma força gerada por objectos com massa. Einstein formulou uma segunda teoria da gravidade, dizendo que esta tinha origem não em forças convencionais, mas sim na distorção do espaço provocado pela massa dos objectos. Finalmente surgiu ainda uma terceira teoria da gravidade, que envolve interacções entre partículas quânticas como a fonte da gravidade. Para explicar a gravidade, existiram três grandes e muito bem desenvolvidas teorias.

    A teoria da evolução não é muito diferente. E de certa forma até se pode considerar uma teoria mais robusta que a teoria da gravidade, uma vez que cerca de metade da teoria (a parte da selecção natural) não sofreu grandes modificações no último século (as maiores alterações à teoria têm-se verificado ao nível do mecanismo responsável pela hereditariedade).

    Like

    • Mats says:

      Só um evolucionista para considerar a teoria da evolução mais robusta que a teoria da gravidade (sendo que nós observamos com os nossos olhos os efeitos da gravidade, mas ninguém viu um animal a dar à luz algo que não fosse da mesma espécie, e ninguém viu répteis a evoluírem para pássaros, ou animais terrestres para baleias.

      A teoria da evolução tem sofrido muitos revezes científicos ao longo dos anos. Por exemplo, antigamente os evolucionistas pensavam que existiam mais de 100 órgãos vestigiais, mas a ciência tem destruído esse mito. Os evolucionistas olhavam para o Piltdown Man como verdadeiro, mas hoje sabemos que era uma fraude feita por um evolucionista.

      Mais grave ainda, Stephen Jay Gould fez uma teoria que tentava explicar as descontinuidades no registo fóssil (confirmando o que os cientistas criacionistas sempre disseram em relação à ausência duma linhagem clara nos fósseis) mas tudo o que fez foi atrair a ira dos outros evolucionistas, ao revelar ao mundo que a crença fundamental da teoria (para além do naturalismo) está cientificamente errada.

      Portanto, “A teoria da evolução é a única teoria “científica” que sofre modificações profundas à medida que a ciência vai avançando”. Deve ser por isso que os evolucionistas fazem todos os esforços para que ninguém saiba de teorias alternativas; é mais fácil manipular as pessoas quando elas estão mal informadas.

      Like

      • caiman says:

        Mats,

        Confunde a teoria em si, com as consequências e previsões feitas com ela (que se baseiam não apenas na teoria, mas noutros pressupostos também). Uma teoria só nos apresenta um mecanismo da natureza. Não faz qualquer previsão. As previsões (ou interpretações) são feitas com base na teoria e em diversos outros pressupostos (que podem estar errados, naturalmente). É muito mais difícil criar pressupostos correctos para a teoria da evolução do que para a teoria da gravitação. E é muito mais díficil criar experiências para demonstrar a teoria da evolução do que a teoria da gravitação.

        Desde os seus primórdios, a teoria da evolução tem tido um único mecanismo de selecção de características (a selecção natural). Este mecanismo pouco ou nada se alterou desde a sua formulação original. Gradualmente têm sido introduzidas na teoria diversas alterações ao outro mecanismo descrito: a hereditariedade. Isto é que é a teoria da evolução. A teoria da evolução não é mais nada do que estes dois mecanismos, e um deles não sofre grandes alterações há cerca de um século. Contraste com as teorias da gravidade que apresentam cada uma um mecanismo completamente distinto (forças geradas pela massa, distorções do espaço e interações entre partículas). Cada teoria da gravidade é radicalmente diferente das outras.

        Em resumo:
        Hereditariedade+Selecção Natural = Teoria da Evolução
        Dinossauro que se transforma gradualmente em pássaro = uma POSSÍVEL INTERPRETAÇÃO da teoria da evolução.
        É importante não confundir as duas.
        Se amanhã descobrirem a prova cabal de que os pássaros tiveram origem num asteroide qualquer, isso não invalida a teoria da evolução. Invalida apenas uma das muitas interpretações possíveis da teoria.

        Like

      • Mats says:

        Desde os seus primórdios, a teoria da evolução tem tido um único mecanismo de selecção de características (a selecção natural).

        Selecção natural, para além de ter sido promulgada ANTES de Darwin (e por um criacionista), não é evolução. A evolução precisa da selecção natural, mas só ela não produz qualquer tipo de modificação que contradiga o criacionismo.

        https://darwinismo.wordpress.com/2012/06/23/o-papel-da-seleccao-natural-no-mundo-real/

        https://darwinismo.wordpress.com/2011/09/21/alfred-wallace-rejeitou-seleccao-natural-como-mecanismo-suficiente/

        Este mecanismo pouco ou nada se alterou desde a sua formulação original. Gradualmente têm sido introduzidas na teoria diversas alterações ao outro mecanismo descrito: a hereditariedade. Isto é que é a teoria da evolução. A teoria da evolução não é mais nada do que estes dois mecanismos, e um deles não sofre grandes alterações há cerca de um século.

        A teoria da evolução é muito mais do que selecção natural e hereditariedade. Aliás, se a teoria fosse só isso, não existiriam cientistas ateus a afirmar que a teoria da evolução é claramente insuficiente.

        Lembra-te duma coisa muito importante: a teoria da evolução tem como propósito primário rejeitar a noção de Deus como o Criador. Daí se infere que se a teoria da evolução torna Deus irrelevante como o Criador, então a teoria tem que explicar aquilo que nós atribuímos a Deus.

        A teoria da evolução, de grosso modo, erradamente “ensina” que as forças naturais, por si só, podem transformar um réptil numa áve, um animal terrestre numa baleia e peixes em pescadores. Qualquer coisa a menos que isto está de acordo com o criacionismo Bíblico. Tu não podes usar como evidência exclusiva para a vossa teoria da evolução fenómenos que 1) foram inicialmente propostos por criacionistas (Mendel por exemplo), e 2) fenómenos que não fazem o que a teoria supostamente consegue explicar.

        Like

      • caiman says:

        Mats,

        “a teoria da evolução tem como propósito primário rejeitar a noção de Deus como o Criador.”

        Nunca vi qualquer formulação da teoria da evolução que declarasse esse objectivo. E olhando para a teoria, não vejo NADA que rejeite um Deus Criador. Apenas vejo a descrição de dois mecanismos: um hereditário e um de selecção das características herdadas.

        PS
        “Tu não podes usar como evidência exclusiva para a vossa teoria da evolução fenómenos que 1) foram inicialmente propostos por criacionistas (Mendel por exemplo),”

        Porque não? Toda a ciência se constrói em cima do trabalho de quem nos precedeu, independentemente daquilo em que acreditavam. Einstein desprezava a mecânica quântica, no entanto o seu trabalho (quer a teoria da relatividade, quer o efeito fotoeléctrico) foi essencial no desenvolvimento desta área do saber. Em ciência, não interessa as convicções pessoais de cada um. Ou os propósitos com que as teorias foram formuladas. Apenas interessa o que estas teorias dizem.

        Like

      • Mats says:

        Mats,

        “a teoria da evolução tem como propósito primário rejeitar a noção de Deus como o Criador.”

        Nunca vi qualquer formulação da teoria da evolução que declarasse esse objectivo.

        Pois, tens que seguir o que os evolucionistas sempre disseram:

        1) “Gould argues that Darwin’s theory is inherently anti-plan, anti-purpose, anti-meaning (in other words, is pure philosophical materialism). Also, that Darwin himself knew this very well and meant it to be so.” – http://creation.com/charles-darwins-real-message-have-you-missed-it

        2) ‘Christianity has fought, still fights, and will continue to fight science to the desperate end over evolution, because evolution destroys utterly and finally the very reason Jesus’ earthly life was supposedly made necessary. Destroy Adam and Eve and the original sin, and in the rubble you will find the sorry remains of the Son of God. If Jesus was not the redeemer who died for our sins, and this is what evolution means, then Christianity is nothing.’ – (G. Richard Bozarth, ‘The Meaning of Evolution’, American Atheist, p. 30. 20 September 1979.)

        3) http://bevets.com/evolution.htm#atheism

        E olhando para a teoria, não vejo NADA que rejeite um Deus Criador. Apenas vejo a descrição de dois mecanismos: um hereditário e um de selecção das características herdadas.

        Esses mecanismos 1) não são a totalidade da teoria da evolução e 2) ambos foram inicialmente desenvolvidos por criacionistas. Logo, não podes usar como “definição” da TdE fenómenos que são aceites por criacionistas e evolucionistas.

        A teoria da evolução postula que a diversidade biológica é o efeito de forças não-inteligentes, aleatórias e sem plano ou direcção. É essa definição (a verdadeira) que é atacada aqui.

        PS
        “Tu não podes usar como evidência exclusiva para a vossa teoria da evolução fenómenos que 1) foram inicialmente propostos por criacionistas (Mendel por exemplo),”

        Porque não?

        Porque se ambos os lados da barricada estão de acordo com a selecção natural como fenómeno real, e com a genética de Mendel (criacionista) tu não podes usurpar isso para a tua teoria, e depois dizer que o facto de gatos darem à luz gatos refuta o criacionismo.

        Like

      • Ademir says:

        Muito boa sua argumentação, Mats.

        Like

      • caiman says:

        Mats,

        1) Isto trata-se apenas da opinião pessoal de Gould. Como disse acima, em ciência é irrelevante as opiniões ou motivações pessoais. Só interessa o texto da teoria.

        2) “‘Christianity has fought, still fights, and will continue to fight science to the desperate end over evolution, because evolution destroys utterly and finally the very reason Jesus’ earthly life was supposedly made necessary.”

        Mais uma vez isto é apenas a opinião de alguém. Não faz parte da teoria. Em lado nenhum a teoria da evolução fala sobre o sacrifício de Jesus Cristo.

        3) “Esses mecanismos [hereditariedade e selecção natural] 1) não são a totalidade da teoria da evolução e 2) ambos foram inicialmente desenvolvidos por criacionistas. Logo, não podes usar como “definição” da TdE fenómenos que são aceites por criacionistas e evolucionistas.”

        Aqui está enganado. Qualquer teoria científica é apenas a descrição de um mecanismo natural. Em resposta ao ponto 1): Se espremer a teoria da evolução aos seus componentes essenciais verá que a teoria se resume apenas a estes dois mecanismos: a hereditariedade e a selecção natural. Se estes mecanismos existirem, seja a sua origem natural, artificial, ou divina, então a teoria da evolução verifica-se.

        Este é um dos motivos pelo qual considero que não faz sentido utilizar a teoria da evolução para provar a não existência de Deus. A teoria não depende da existência ou não-existência de uma entidade Divina. Depende, isso sim, da existência destes dois mecanismos, que tanto podem ter origem natural como origem divina.

        Em relação ao ponto 2), já lhe respondi acima. A ciência constrói-se em cima do trabalho dos que nos precederam. Isto é independente do que eles pensavam ou acreditavam. Maxwell, que revolucionou o electromagnetismo, limitou-se a compilar várias pequenas teorias que tinham sido postuladas anteriormente. De forma similar, a teoria da evolução pouco mais é do que a compilação de outras descobertas científicas. As “grandes” teorias de grande âmbito (por exemplo: gravitação, modelo padrão, relatividade, termodinâmica, electromagnetismo, etc) tendem a ser isso mesmo: aglomerados de pequenas leis e teorias.

        Like

      • Mats says:

        1) Isto trata-se apenas da opinião pessoal de Gould. Como disse acima, em ciência é irrelevante as opiniões ou motivações pessoais. Só interessa o texto da teoria.

        Em ciência não, mas na teoria da evolução, sim. Gould tem razão no que diz.

        2) “‘Christianity has fought, still fights, and will continue to fight science to the desperate end over evolution, because evolution destroys utterly and finally the very reason Jesus’ earthly life was supposedly made necessary.”

        Mais uma vez isto é apenas a opinião de alguém. Não faz parte da teoria. Em lado nenhum a teoria da evolução fala sobre o sacrifício de Jesus Cristo.

        Se a evolução aconteceu, então o Senhor Jesus Cristo morreu em vão. Esta citação prévia está certíssima. Mas tu tens a tua opinião pessoal, e tens o direito a tê-la. Não podes é tentar ignorar o facto da teoria da evolução, tal como entendida por quem a promove, tem claras ramificações ideológicas.

        3) “Esses mecanismos [hereditariedade e selecção natural] 1) não são a totalidade da teoria da evolução e 2) ambos foram inicialmente desenvolvidos por criacionistas. Logo, não podes usar como “definição” da TdE fenómenos que são aceites por criacionistas e evolucionistas.”

        Aqui está enganado. Qualquer teoria científica é apenas a descrição de um mecanismo natural. Em resposta ao ponto 1): Se espremer a teoria da evolução aos seus componentes essenciais verá que a teoria se resume apenas a estes dois mecanismos: a hereditariedade e a selecção natural.

        Na verdade, a teoria resume-se ao naturalismo.

        Se estes mecanismos existirem, seja a sua origem natural, artificial, ou divina, então a teoria da evolução verifica-se.

        Agora é só uma questão de levar essas crenças e mostrá-las aos ateus que usam a teoria da evolução contra a ideia de Deus-Criador. Não é curioso isso acontecer em todas as gerações, desde que a teoria foi promulgada? Incrível como as “opiniões pessoais” desses grandes evolucionistas do passado estavam de acordo entre si, e em desacordo com o que tu defendes. Em quem é que devemos acreditar: naqueles que fundaram a teoria e a tem promulgado estes anos todos, ou em ti, que dizes que a teoria da evolução não é uma arma do ateísmo (coisa que quase todos os ateus sabem que é)?

        Mas como eu já disse, a teoria da evolução é muito mais do que selecção natural e hereditariedade. Se fosse só isso, não teríamos cientistas ateus (isto é, sem motivações religiosas) a criticar a teoria.

        Este é um dos motivos pelo qual considero que não faz sentido utilizar a teoria da evolução para provar a não existência de Deus.

        Quando a teoria é bem definida, faz todo o sentido. Vocês evolucionistas é que mudam as definições como forma de evitar a refutação.

        A teoria não depende da existência ou não-existência de uma entidade Divina. Depende, isso sim, da existência destes dois mecanismos, que tanto podem ter origem natural como origem divina.

        Depende, mas não se extingue a esses mecanismos. Os evolucionistas dizem que Deus não é necessário para explicar a diversidade da vida, mas depois dizem que a teoria da evolução “nada diz sobre Deus”. Ou seja, primeiro dizem que existe uma explicação anti-Deus, e depois dizem que a teoria é “neutral”.

        Em relação ao ponto 2), já lhe respondi acima. A ciência constrói-se em cima do trabalho dos que nos precederam. Isto é independente do que eles pensavam ou acreditavam. Maxwell, que revolucionou o electromagnetismo, limitou-se a compilar várias pequenas teorias que tinham sido postuladas anteriormente. De forma similar, a teoria da evolução pouco mais é do que a compilação de outras descobertas científicas. As “grandes” teorias de grande âmbito (por exemplo: gravitação, modelo padrão, relatividade, termodinâmica, electromagnetismo, etc) tendem a ser isso mesmo: aglomerados de pequenas leis e teorias.

        Como o conceito da selecção natural e o estudo da genética foram inicialmente promulgados por pessoas que acreditavam na Criação Bíblica (e não na teoria da evolução correctamente definida), é bem complicado vocês dizerem que esses mesmos mecanismos (que esses cientistas investigaram) jogam contra a noção de Deus como o Criador.

        Mas olha, se a selecção natural e a hereditariedade “provam” a teoria da evolução, então o facto dos animais se reproduzirem segundo a sua espécie “prova” o criacionismo.

        Like

  5. Francisco Ferreira 5ºC Monserrate says:

    pois mas parece que os cientistas se enganaram!!! Há 1.7 500 mil anos nasceu o homo sapiens sapiens e esse é o tipo de homens que hoje existe depois desta fase nós só evoluímos no pensamento e na fabricação e roupas e máquinas. Por isso pode-se concluir que os humanos evoluíram de macacos para humanos mas a partir de um certo tempo nós só evoluímos no pensamento e adaptação do meio ambiente o para enfim; acompanharmos a nossa posição física intelectual e mentalmente.
    Ex: As motos e os automóveis são uns excelentes exemplos daquilo que eu estou a falar.

    Like

    • dvillar51 says:

      “… mas a partir de um certo tempo nós só evoluímos no pensamento e adaptação do meio ambiente…

      Creio que aí está se confundindo “evolução de pensamento” com “evolução de meios para concretizar pensamentos”.

      A história registra a existência de pessoas muito inteligentes, independente da época em que viveram. O homem antigo realizou grandes feitos em diversas áreas, mas a história não proporciona visão completa e real de tudo.

      O que propiciou mudanças rápidas no progresso humano, basicamente, foram a invenção do livro e a Revolução Industrial. Após esses dois eventos, o que tem se desenvolvido com rapidez, se comparado a antiguidade, é “o acúmulo, organização, distribuição e preservação do conhecimento adquirido”.

      Acredito ser extremamente injusto dizer que a inteligência humana moderna é superior à antiga. Às vezes a arqueologia traz à luz feitos humanos que supostamente não poderiam ter sido realizados naquele período, com as técnicas daquela época (isso, de certa forma, exigiria mais inteligência dessas mentes “primitivas”).

      Like

    • dvillar51 says:

      pois mas parece que os cientistas se enganaram!!!

      Enganos são fatos triviais dentro da irmandade “científica” evolucionista.

      Like

    • jephsimple says:

      Francisco,

      “Por isso pode-se concluir que os humanos evoluíram de macacos para humanos”

      E os negros, aborígenes seriam os mais chegados dos macacos do que as demais raças de humanos … não é mesmo Darwin?Não é mesmo Hitler?

      Oras se isso é verdade, que evoluímos de ancestrais de macacos, qual o erro objetivo de Darwin e Hitler?

      Um evo sempre foge disso, se vale de seu cérebro para aplicar 171 epistêmico.

      Like

  6. jephsimple says:

    [Caro] Caiman disse:

    “Este é um dos motivos pelo qual considero que não faz sentido utilizar a teoria da evolução para provar a não existência de Deus.”

    Se és um evolucionista teísta até entendo tal afirmação, embora não sei se és cristão evolucionista [o que seria um pseudocristão]. Depois deveríamos saber que tipo de evolução tu crês.

    Pois a evolução naturalista se baseia na inexistência de qualquer designer que seja.

    Enfim eles usam sua crença na inexistência de designer para sustentar a TE… E tautologicamente, creem na TE como evidência da inexistência de designer.

    A resposta está nos dados e na razão.

    Like

  7. Isso não poderia ser uma fraude de um cientista criacionista para combater a teoria evolucionista?
    Ademais, “O estudo do “Crânio 5” e de restos de outros quatro hominídeos na mesma zona, em Dmanisi (Geórgia), fez pensar estes investigadores que fósseis reconhecidos como provenientes de espécies distintas como o “Homo habilis” e o “Homo erectus” poderiam ser realmente de uma mesma espécie.” Poderiam….. Como se vê, os cientistas nunca erram quando é conveniente para os criacionistas.

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s