Protegendo a teoria da evolução

ProtegendoSerá que a teoria da evolução recebe tratamento especial nos meios académicos, revelando assim um viês científico? Nas linhas que se seguem vamos listar algumas coisas que só acontecem se a teoria da evolução (ou uma teoria que a suporte) está envolvida:

1) A Teoria Geral da Evolução (TGE) é promovida como uma teoria científica embora nenhum evolucionista seja capaz de mencionar o critério científico (testável, observável e duplicável) através do qual ela se tornou numa. Isto significa que a promoção da TGE foi algo necessário para ela, como forma de gerar a aparência de que ela é a teoria-rainha da ciência.

2) Quando algum tipo de evidência é revelada ao público, a TGE têm prioridade quando se trata de acomodar os dados com uma teoria. Ou seja, as únicas interpretações dos dados que são aceites são aquelas que estão de acordo com a teoria da evolução. Se algo não está de acordo com a TGE, então isso é rejeitado.

Se a teoria da evolução não estivesse a receber tratamento especial dentro do meio científico. a forma de interpretar as evidências seria mais ou menos assim: “Vamos ver qual é a teoria que melhor explica este dado, e prosseguímos por aí.” Mas isso não acontece porque nenhuma outra teoria tem permissão para competir com a TGE. Até variações da mesma teoria são rejeitadas.

3) A teoria da evolução recebe tratamento especial através de protecção especial. Não interessa se és um criacionista ou um ateu; se te atreves a colocar em causa a teoria da evolução, as consequências são essencialmente as mesmas:

* a) A tua reputação será destruída. As pessoas criarão sites, páginas de wiki, posts em blogues e fóruns – e até declarar coisas durante palestras públicas com o expresso propósito de te desacreditar.

* b) Vais ser ridicularizado, vão-te chamar nomes, vão-te demonizar, criar estereótipos de ti, atacar-te verbalmente, etc, etc.

* c) Vais ser perseguido pela internet uma vez que algumas pessoas que nutrem um ódio extremo não serão capazes de e controlar, e sentirão a necessidade constante de te mostrar o quanto que eles te odeiam por colocares em causa a teoria da evolução.

* d) Se tu és um ateu, e fazes o erro de questionar a teoria da evolução, perderás a tua credibilidade, reputação, e provavelmente o teu emprego.

Se isto não é tratamento especial, então os evolucionistas têm que ser capazes de apresentar ao mundo um lista de teorias científicas que, quando são questionadas, os cientistas que as questionam sofrem o mesmo. Eles não são capazes de apresentar essa lista porque a teoria da evolução é a única teoria que recebe tal tratamento especial.

Isto, naturalmente, levanta a questão do porquê os evolucionistas protegerem a teoria da evolução duma forma muito pouco científica:

1) Os evolucionistas gostam de alegar que a TGE é um facto confirmado, o que implica algum tipo de conhecimento absoluto. O método científico requer que nunca se assuma nada como verdade final (especialmente quando se trata de eventos que nunca foram observados). Deta forma, todas as evidências são analisadas como susceptíveis de se acomodarem a qualquer teoria que explique os dados de forma satisfatória.

Com a teoria da evolução, os dados ou se adaptam a ela ou os mesmos serão rejeitados

2) Promover uma teoria para um nível que ela não merece (teoria científica) faz com que os seus proponentes a defendam e a protejam de formas não-científicas (ridicularização, ataques verbais, etc….) na esperança de que as suas muitas falhas não sejam questionadas. Se a teoria fosse tão robusta como os seus defensores afirmam, os evolucionistas inundariam o mundo com tais evidências. Mas não é isso que observamos, o que confirma que as alegações em favor da TGE são largamente exageradas.

3) Ao fazer com que as pessoas fiquem receosas de criticar a teoria da evolução, e ao defendê-la da forma como a defendem, os evolucionistas fazem com que a TGE se torne infalsificável – o que rapidamente nos mostra que não é ciência. Isto acontece porque os evolucionistas recusam-se a seguir os passos que todas as teorias científicas seguem, garantido que a teoria fique fora da esfera científica (mas dentro da filosófica ou religiosa).

Ao violarem os passos científicos que eles dizem seguir, os evolucionistas entram em contradição com a sua profissão de fé em favor do método científico, coisa que eles acusam os críticas de fazer.

Modificado a partir do original

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , , , , . Bookmark the permalink.

65 Responses to Protegendo a teoria da evolução

  1. jephsimple says:

    Excelente artigo!Se um evo não entender isso, não sei oque tal pessoa entende sobre o racional.

    Oras,

    Os evolucionistas deveriam demonstrar de forma testável,lógica que sua posição de fato é melhor explicação que design inteligente.Simplesmente negar o designer não é uma justificativa válida,racional.O evolucionista tem que demonstrar que design inteligente é um péssimo candidato para o que encontramos na biosfera, ao passo que que acidentes,aleatoriedade,eventos estocásticos são racionalmente a melhor explicação.

    Se o evolucionista não consegue falsear sua posição, como ele grita ao mundo que o D.I é pseudocientífico e TE é pura ciência.

    Parece que falta a alguns evos usarem mais a inteligencia.

    Like

  2. jephsimple says:

    Enquanto o naturalismo, a TE tem apenas pessoas a defender essa posição onde NÃO EXISTE NENHUM DESIGNER.

    A natureza grita: Nós Temos Um Designer!!!!!

    Vejam a superioridade do design “natural” aqui: http://www.evolutionnews.org/2013/11/bad_design_debu078801.html

    Eis alguns trechos:

    …(…)”Em um artigo publicado na edição de novembro 4-8 online do Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS) , a equipe informou que essas forças extras não são um desperdício, afinal: elas permitem que os animais aumentarem a estabilidade e capacidade de manobra, um feito que é muitas vezes descrito como impossível nos livros de engenharia. ”

    “Uma das coisas que eles ensinam em engenharia é que você não pode ter ambos, a estabilidade e capacidade de manobra, ao mesmo tempo”, comenta Noah Cowen, professor associado de engenharia mecânica na universidade. Há uma troca, você quer um ou outro…(…)”

    (…)…” Quando um animal ou veículo é estável, ele resiste a mudanças de direcção. Por outro lado, se é manipulável, claro que, geralmente tem a capacidade de alternar rapidamente. Os engenheiros presumem que um sistema pode invocar uma propriedade ou outra -. Mas não ambas. No entanto, alguns animais parecem produzir uma exceção à regra. “Os animais são muito mais inteligentes com seus mecânicos do que costumamos perceber”, disse Cowan. “Ao usar um pouco de energia extra para controlar as forças opostas que criam durante essas pequenas mudanças na direção, os animais parecem aumentar a estabilidade e capacidade de manobra quando nadam, correm ou voam.”

    Like

    • jephsimple says:

      Errata: >elas permitem os animais a aumentarem> elas permitem que os animais aumentarem.

      Like

    • jeshsimple,

      A natureza grita: Nós Temos Um Designer!!!!! (?)

      Não.. a Natureza esclarece; Nós somos o Designer!

      2Aquele que não se ergue o suficiente para ver Deus e a Natureza como um só não conhece nenhum deles”. – J.W.Goethe

      Like

      • jephsimple says:

        Deus e natureza não são um só.A natureza depende de Deus para existir, Deus não depende da natureza para existir. A natureza é simplesmente a palavra de Deus..É como uma dimensão. Para o naturalismo a natureza é a única dimensão que existe.

        Portanto eu discordo de Goethe.

        Afinal creio nas escrituras, e elas dizem; no princípio CRIOU Deus os céus e a terra…

        Oras se a natureza é Deus , como um só , ela é eterna , e é tolice dizer, sustentar que ela foi criada. Tolice é dizer que algo eterno teve um princípio, foi criado. …. o.O

        Like

  3. Este post faz algum sentido. Perante as diversas hipóteses que há para explicar o registo fóssil e diversidade dos seres vivos não se pode escolher uma sem observar as outras.
    As três hipóteses em causa eram a hipótese de Lamark, a evolução de Darwin e a hipótese das criações múltiplas.

    Por volta da metade do século XIX a hipótese que mais parece estar de acordo com as observações é a T.E.

    Parece ser coerente com as observações e resultados de todos os ramos da ciência conhecida.

    Claro que haverá quem não acredite na T.E., que a terra é redonda ou que esta se mova.

    É um direito básico a liberdade de crença.

    Há um astrólogo brasileiro, um tal Olavo de Carvalho, que é céptico da relatividade e afirma que tem uma alternativa.

    Há criacionistas da terra jovem que são cépticos da tectónica de placas e apresentam uma tal de hidroplacas.

    Os cientologistas também tem as suas crenças.

    Isto até é interessante, como a astrologia, mas o seu lugar na academia é nas ciências sociais.

    Agora quanto a un certo gozo tens razão. Se o Olavo de Carvalho ou o inventor das hidroplacas fosse defender a tese era engraçado gravar e colocar no youtube.

    Claro que não são tolos e não se sujeitam a uma figurinha assim.

    Se o estudo destas crenças pode ter interesse para a sociologia já não me parece útil que um astrólogo faça palestras numa faculdade de astronomia ou um Mormon uma palestra numa faculdade de História sobre a colonização das Américas.

    Cada macaco no seu galho.

    E se quiseres ver o que é humor a sério escreve uma carta a defender o dilúvio universal para a faculdade de história da universidade católica de s.paulo. Há lá muitos padres jesuítas que tem un senso de humor normalmente muito fino.

    Até era uma experiência gira. Fundamenta a coisa com as hidroplacas.

    Like

    • jephsimple says:

      “Por volta da metade do século XIX a hipótese que mais parece estar de acordo com as observações é a T.E.”

      Fica meu comentário acima.E gostaria de saber quando, qual a data, qual o papel mostrando que TE foi falseada, que o DI foi refutado de forma racional,lógica,matemática, científica,confirmando assim a TE.

      Isso é estranho pq, por exemplo, evo previa que não encontraríamos função no DNA-Lixo, ou encontraríamos pouca função, e que isso era evidência de ausência de design inteligente, enquanto o DI previa o oposto.Funções seriam encontradas em breve.

      Não sei a que observação tu te referes João… Sinceramente.

      Os animais , os seres vivos,mesmo aqueles que se mostravam, ou ao nossos “olhos” pareciam mais simples, tem se demonstrados mais complexos.

      Oras a TE não tem nenhuma previsão???

      Oras, Se de fato a TE se ajusta aos fatos, então é porque ela postula uma causa.E é sabido que trata-se de causas não inteligentes.Causas não inteligentes produzem eventos/objetos sem D.I.

      Parece que vcs nem sabem diferenciar D.I e ausência de DI o.O. E afirmam que a TE está de acordo com as observações???

      Like

  4. dvillar51 says:

    “* b) Vais ser ridicularizado, vão-te chamar nomes, vão-te demonizar, criar estereótipos de ti, atacar-te verbalmente, etc, etc.”

    O cientista Marcos Eberlin foi “chutado” e xingado em um debate, simplesmente por ter contestado, cientificamente, o status quo que o darwinismo desfruta.

    http://evolutionacademy.bio.br/2013/04/16/resposta-final-do-dr-eberlin-ao-debate-proposto-por-ele/

    Like

      • dvilllar says:

        Maria Teodósio

        “Eu acho que é melhor ler a história toda:”

        Eu li a história toda, ou quase toda.

        Talvez seja você quem não tenha lido, pois meu comentário tem mais de um ano.

        Provavelmente você tentou e também não conseguiu acessar o link que eu forneci no comentário feito há cerca de um ano e meio.

        Isso é bastante estranho, pois quando forneci o link o objetivo era mostrar como se comportam, num debate público, os cientistas do Evolutionacademy: truculentos, prepotentes e arrogantes. Inclusive os comentários pareciam vir de pessoas doentes e fanáticas; era ofensas e choradeiras intermináveis.

        Mais sugestivo ainda é que hoje, 07/05/15,na página inicial do Evolutionacademy ainda haja o link, com destaque, para esse debate, OCORRIDO HÁ QUASE 2 ANOS.

        Curiosamente alguns links desapareceram.

        Confiram:

        link da Maria Teodósio
        http://evolutionacademy.bio.br/blog/2013/04/17/bobo-chato-feio-e-cara-de-mamao/

        link que eu forneci
        http://evolutionacademy.bio.br/2013/04/16/resposta-final-do-dr-eberlin-ao-debate-proposto-por-ele/

        Nesse último endereço, na época do debate, estava quase que um desabafo do dr. Eberlin, mostrando o comportamento de um bando de “ateus mirins” aliados a “cientistas” jihadistas (nada que se assemelhasse ao que se esperaria de profissionais respeitosos da ciência).

        O que restou nas páginas do debate parece ter sido selecionado pelos tais cientistas, para que ficassem falsas impressões aos leitores atuais.

        Basta ver o título do texto ao qual o link fornecido pela Maria Teodósio nos encaminha:

        BOBO, CHATO, FEIO E CARA-DE-MAMÃO…

        Isso é coisa de cientista sério?

        Like

      • dvilllar says:

        Maria Teodósio

        “Eu acho que é melhor ler a história toda”

        E mais esta história também:

        Após 20 anos consecutivos de governos vermelhos no Brasil …

        Futuros cientistas brasileiros queimam a Bíblia.

        Já disseram que a história se repete.

        Não é a toa que o Brasil é merecidamente desprezado mundo afora.

        Vamos acompanhar para ver se não foi uma jogada premeditada dos comunistas ateus no poder.

        Like

  5. Jephsimple.

    O criacionismo e o DI aparecem já no seculo XX.

    O criacionismo começa por um movimento que visa proibir o ensino da TE. Apenas no ensino médio. Não se preocupam muito com as universidades. Como é óbvio. Tiveram algum sucesso originalmente e conseguiram a proibição em alguns estados americanos.

    Quando a proibição foi levantada tentaram fazer do YEC uma ciência.

    Isto mostrou ser tarefa impossível. Reduzir a história da terra a seis mil anos, fosse qual fosse a área da ciência escolhida era impossível.

    Surje assim o DI que postula o seguinte:

    A terra tem milhões de anos e a TE está correcta. No entanto certas estruturas não foram fruto só de mecanismos de selecção natural mas parecem indiciar um propósito inteligente.

    Mesmo que o DI fosse verdade não era compatível com as hipóteses da terra jovem.

    O DI nada obsta à ciência moderna : terra e universo antigos, selecção natural, transformação dos seres vivos,longos períodos geológicos, etc e etc que colidem frontalmente com a terra com os seis mil anos.

    Mesmo que se demonstrasse que o DI era uma melhor explicação que a TE, que não incorpora o factor agente inteligente, seria tão contrário à hipótese do relato do Génesis ser verdade como a TE ou a hipótese das criações e extinções sucessivas.

    Não é ?

    Like

    • jephsimple says:

      João já ouvi esta posição outras vezes.Penso como Behe, evolução,tempo, são posições razoáveis, (sou relativamente cético e ignorante quanto ao tempo,mesmo o bíblico)

      Minha pergunta é :

      Quando o DI foi refutado?Por quem?Cade os papéis?Se o naturalismo sabe diferenciar DI e ausência de DI, então ele é capaz de demonstrar de forma logica,testável que I.C e I.R são melhor explicados por causas não inteligentes do que por causas inteligentes.

      E se naturalismo pode falsear isto!Responda a isso de forma objetiva. o.O

      Comparar a mecânica do universo com os seres vivos é duro!

      Ficar a falar de seres é um espantalho, parece que o que você não está a entender é que estamos falando sobre causa, se esta causa implica em um ser , ou seres isto a princípio é irrelevante, como tu mesmo diz, não podemos explicar tudo dentro da ciência operacional, DI também sofre com as limitações da ciência operacional.

      Like

  6. Ainda sobre a complexidade irredutível.

    O movimento dos corpos celestes varia em velocidade e direcção constantemente. Logo precisa de uma intervenção inteligente e constante para se manter na órbita. Uma variação mesmo que mínima que não seja a correcta acabava com a órbita.

    Logo postulamos uns seres sobre naturais que regulam constantemente, de forma inteligente e com um fim o movimento dos corpos celestes.

    Milhões de gotas de chuva aleatorias atravessadas por luz não iriam duma forma natural formar um arco-íris. Para desenhar um arco-íris são necessários conhecimentos de geometria.

    Logo além da entidade reguladora dos planetas há outra que fabrica arco-íris.

    O problema do DI é que cai no Deus das lacunas.

    Em ciência quando não se sabe explicar diz-se que não se sabe explicar. Atribuir ao martelo de Thor ou a Jeová não vem acrescentar informação.

    Isso já passa para o domínio da fé.

    Certamente um historiador cristão acredita que a Nossa Senhora ascendeu aos céus em corpo e alma.

    Acredita por fé o que lhe dá uma certeza infinitamente maior que o terramoto de Lisboa ter sido em 1755.

    Não o irá defender como facto histórico.

    Um biólogo cristão tem a certeza absoluta que o livre árbitrio foi dado à humanidade por intervenção de Deus.

    São domínios diferentes. O biólogo enquanto biólogo estuda a evolução humana. Como crente tem a certeza da fé da Assunção da Virgem Maria.

    Não vai misturar os dois mundos.

    O da fé que é o das certezas absolutas do da ciência em que a única certeza absoluta e’ que não há certezas absolutas, excepto se existirem evidências contrárias🙂

    Like

    • Adalberto Felipe says:

      Ainda sobre a complexidade irredutível.
      O movimento dos corpos celestes varia em velocidade e direcção constantemente. Logo precisa de uma intervenção inteligente e constante para se manter na órbita. Uma variação mesmo que mínima que não seja a correcta acabava com a órbita.
      Logo postulamos uns seres sobre naturais que regulam constantemente, de forma inteligente e com um fim o movimento dos corpos celestes.
      Milhões de gotas de chuva aleatorias atravessadas por luz não iriam duma forma natural formar um arco-íris. Para desenhar um arco-íris são necessários conhecimentos de geometria.
      Logo além da entidade reguladora dos planetas há outra que fabrica arco-íris.

      Uau, o João quer comparar fenômenos fáceis de explicar (apesar de não conseguirem explicar quem criou as leis físicas e químicas que produzem esses fenômenos) e com uma enorme diferença entre a complexidade dos seres, com coisas bem complexas que é a vida.

      O problema do DI é que cai no Deus das lacunas.

      O problema da TE é que cai no naturalismo.

      Em ciência quando não se sabe explicar diz-se que não se sabe explicar. Atribuir ao martelo de Thor ou a Jeová não vem acrescentar informação.
      Isso já passa para o domínio da fé.

      Atribuir a causas naturais também não: isso já passa para o domínio da fé.

      Certamente um historiador cristão acredita que a Nossa Senhora ascendeu aos céus em corpo e alma.
      Acredita por fé o que lhe dá uma certeza infinitamente maior que o terramoto de Lisboa ter sido em 1755.
      Não o irá defender como facto histórico.

      Certamente um historiador ateu acredita que o comunismo ainda vai dar certo, que o cristianismo vai ser combatido ou que o naturalismo explica tudo! Acredita por fé e lhe dá uma certeza infinitamente maior que o terremoto de Lisboa ter sido em 1755.

      Um biólogo cristão tem a certeza absoluta que o livre árbitrio foi dado à humanidade por intervenção de Deus.
      São domínios diferentes. O biólogo enquanto biólogo estuda a evolução humana. Como crente tem a certeza da fé da Assunção da Virgem Maria.
      Não vai misturar os dois mundos.

      Biologia não se resume só a TE.

      Não vá misturar o naturalismo com ciência também.

      O da fé que é o das certezas absolutas do da ciência em que a única certeza absoluta e’ que não há certezas absolutas, excepto se existirem evidências contrárias

      Essa frase é tão bonitinha na teoria, a qual os ateus adoram gritar aos quatro ventos: “na ciência não tem nada de certezas absolutas”.

      Mas parecem ter certeza absoluta de que o naturalismo é a base para a ciência, que o criacionismo não é científico e que não há evidências contrárias a TE, a qual o João Melo vê nesse blogue e se cala, apesar de vir repetindo as mesmas coisas de vez enquanto por aqui e quando é respondido a altura, se cala, não é, João Melo?🙂

      http://alogicadosabino.wordpress.com/2009/12/05/a-biblia-e-os-dinossauros-parte-10-as-evidencias-controversas/#comment-9778

      Like

      • Sodré says:

        “quando é respondido a altura, se cala”…
        As teorias criacionistas já começarem a ganhar prémios Nobel ? Antes disso não falem de “respostas à altura”….

        [[Mostra-me aí os Prémios Nobel que foram ganhos apenas e só devido à crença de que répteis evoluíram para pássaros, que animais terrestres evoluíram para baleias e que o mundo vivo é o resultado de forças aleatórias, caóticas, sem guia e sem inteligência no controle.]]

        Like

      • O conhecimento de que humanos, ratos e leveduras são relacionados em termos de parentesco e que a selecção natural teve um papel crucial ao preservar certos genes (genes conservados) foi fundamental para que Leland Hartwell ganhasse um Prémio Nobel em 2001 (1).

        1. http://ncse.com/rncse/25/3-4/evolution-is-winner-breakthroughs-prizes

        Tal como disse o Sodré, as teorias criacionistas já começarem a ganhar prémios Nobel ? Antes disso não falem de “respostas à altura”.

        [[Lista aí o Prémio Nobel conquistado por motivos de fé na teoria da evolução.]]

        Like

      • Por motivos de fé? Nenhum (note bem a palavra “fé”). Mas devido a descobertas, as quais só foram possíveis devido ao conhecimento da nossa evolução, aí está um exemplo: Leland Hartwell, prémio Nobel da medicina e fisiologia em 2001.

        Like

      • Carlos says:

        Pelo que sei de fisiologia, não é preciso saber de evolução nenhuma. Em que me ajuda a entender a fisiologia sabendo que em milhões de anos alterações aleatórias que não são previsíveis pela razão, surgida ao acaso, mudaram e mudarão meu objeto de estudo?
        Só é preciso entender muito de química orgânica e dos processos bioquímicos. E isto foi e é estudado sem se preocupar se um processo desconhecido é capaz de criar em milhões de anos novas reações, cada vez mais especializadas e com maior custo energético.
        Na verdade é estudando a bioquímica de processos fisiológicos que muitos passaram a desacreditar na evolução.

        Like

      • Maria Teodósio says:

        Carlos, basta aceder ao endereço que indiquei para verificar que os conhecimentos sobre evolução foram necessários para as pesquisas deste cientista.

        Like

      • Carlos says:

        “Hartwell gambled that over the course of evolution, certain genes would be so important that natural selection would conserve their key features, making them recognizable even between yeast and humans.”

        Há muitos mecanismos idênticos nos animais, assim como também há em muitas máquinas. Nem por isso digo que um relógio ao longo de milhares de anos se transformou numa caixa de marchas.
        Genes parecidos significam apenas isto: genes parecidos. Falar que eles se mantiveram inalterados ao longo de um processo evolutivo ou que eles surgir ao acaso em mais de uma ocasião é apenas especulação. Pelo menos é se não for explicitado com evidências o caminho que este gene percorreu.

        “Evolution, in addition to being solid science, provides us with a practical and powerful tool-kit. Applied techniques based on evolution play central roles in the biotechnology industry, and in recent advances in genomics and drug discovery. Bioinformatics, the application of computers to biology and one of the hottest career opportunities in science, is full of evolution-based computer code. Tens of thousands of researchers in the multibillion-dollar field of biomedical research and development use evolution-based discoveries and concepts as a routine part of their important work.

        For instance, our interpretation of the human genome is largely based on comparisons to genomes of other species. Coincidentally, the statement by President George W Bush in support of teaching “intelligent design” (see p 13) occurred just weeks before the publication of the chimpanzee genome, work led by Washington University’s Genome Sequencing Center. ”

        Afirmações vazias de que evolução é ciência e que foi necessária para várias descobertas, mas sem mostrar o porque… Comparar genes em nada dizem que eles tem origens comuns. Carros, aviões, caminhões e navios são todos projetados. E posso compará-los a vontade para desenvolver novas coisas. Existe a engenharia reversa, onde ao se pegar um produto de um concorrente ou de um inimigo depara-se com várias tecnologias conhecidas, mas que podem ser comparadas com as já conhecidas. Também se testa a funcionalidade de uma máquina com protótipos em escala reduzida que não implementem nada além do que é necessário ao teste. Por exemplo para testar a aerodinâmica de um avião só se precisa do corpo, nada de eletrônica e propulsão. E com isto pode-se comparar o funcionamento do complexo baseado no simples. E tudo isto é sabidamente projetado. Não há um que diga que as características do corpo de um avião foram evoluídas ao acaso de um modelo menor que não voava.

        Like

    • jephsimple says:

      João,

      Tenho que ressaltar que apesar de nossas divergências…

      Obrigado por vc debater.Ressalto que nunca percebi desrespeito de sua parte.

      Então fico grato!

      Like

  7. Um historiador ateu é obrigatoriamente comunista ?

    Valha-me Deus e um burro ao coices.
    Alguns comunistas eram ateus, alguns alemães eram nazis e alguns cristãos eram inquisidores.
    Não significa que todos os ateus sejam comunistas, todos os alemães nazi e nem todos os católicos querem queimar judeus e cataros.

    Há boas e más pessoas independentemente da sua fé, nacionalidade ou falta de fé.

    Tens de ter cuidado com as generalizações.

    Repara que quanto à TE poder ser ou não uma boa teoria nem temos de fazer raciocínios muito complicados.

    Basta perguntarmos :

    Os pressupostos da TE, longos períodos de tempo, registo fóssil, idade antiga do universo, formação lenta das cadeias montanhosas, etc e etc são compatíveis ou não com outras áreas do saber ?

    A resposta é claramente sim.

    Seja qual for a ciência que escolhas todas, e por métodos muito diferentes, te afirmam com um grande grau de certeza que sim.

    A terra parece muito, mas mesmo muito antiga.

    Assim parece ser logo descartada qualquer hipótese que proponha uma terra com seis mil anos.

    Esta hipótese é descartada por todas as ciências conhecidas.

    Assim o que nos resta ?

    Aparentemente apenas a Te. Não conheço outra teoria alternativa

    Like

    • Adalberto Felipe says:

      Um historiador ateu é obrigatoriamente comunista ?

      Não necessariamente, mas a recíproca quase sempre é verdadeira.

      Valha-me Deus e um burro ao coices.
      Alguns comunistas eram ateus, alguns alemães eram nazis e alguns cristãos eram inquisidores.
      Não significa que todos os ateus sejam comunistas, todos os alemães nazi e nem todos os católicos querem queimar judeus e cataros.
      Há boas e más pessoas independentemente da sua fé, nacionalidade ou falta de fé.

      Mesmo se tivesse errado, saiba que fui irônico e agi com sarcasmo igual você tanto age nesse blogue… se você pode ser assim, por que eu não posso?

      Se você pode vir com achismos como: “os evangélicos e adventistas pretendem separar-se doutras confissões cristãs e a posição criacionista da terra jovem é um dos meios.”, por que eu não posso vir também? Os direitos são iguais!

      Na verdade, burro aos coices é você, além de hipócrita, que gosta de vir com ironias e sarcasmos aqui, mas não gostou quando fiz o mesmo com você. Vem com o mesmo assunto há mais de quatro anos e ao invés de debater, se cala, retira e faz vista grossa ao naturalismo filosófico, conforme já demonstrei em posts antigos seu.

      Seu objetivo não é a busca da verdade e sim de negar o criacionismo sempre e excluir Deus do debate de qualquer maneira, ao invés de debater e contestar coisas que já foram respondidas.

      Repara que quanto à TE poder ser ou não uma boa teoria nem temos de fazer raciocínios muito complicados.
      Basta perguntarmos :
      Os pressupostos da TE, longos períodos de tempo, registo fóssil, idade antiga do universo, formação lenta das cadeias montanhosas, etc e etc são compatíveis ou não com outras áreas do saber ?
      A resposta é claramente sim.

      Errado, ao criticar ou defender algo na ciência, podemos fazer vários outros raciocínios, desde o menos complicado ao mais complicado.

      Basta perguntarmos:

      A datação realmente funciona? O naturalismo é ciência? O que dizer dos vários povos antigos que relatam um dilúvio bíblico? O que dizer de fósseis encontrados em montanhas? O que dizer do problema do horizonte? E as evidências que apontam para muita coisa que a bíblia diz? E algumas perguntas sobre a datação que o Mats fez que você não respondeu?

      E por aí vai…

      ”Seja qual for a ciência que escolhas todas, e por métodos muito diferentes, te afirmam com um grande grau de certeza que sim.”

      Afirmar é uma coisa, não importa quantos afirmam. Provar é outra.

      ”A terra parece muito, mas mesmo muito antiga.
      Assim parece ser logo descartada qualquer hipótese que proponha uma terra com seis mil anos.
      Esta hipótese é descartada por todas as ciências conhecidas.
      Assim o que nos resta ?
      Aparentemente apenas a Te.

      Sobre a antiguidade da terra, esse blogue, bem como outros já está cansado de falar. Não se faça de bobo.

      Like

      • Eu não te chamei asinino e muito menos escoicinhante.

        Valha-me Deus e um burro aos coices é uma expressão não ofensiva.

        Ok ?

        Like

      • Azetech says:

        João Melo

        (…) burro aos coices é uma expressão não ofensiva.

        Em Portugal talvez não, porém no Brasil estes termos são bem pejorativos.

        Like

  8. Jephsimple:

    Penso que é muito difícil testar s hipótese de haver intervenções inteligentes pontuais.

    É possível que assim tenha sido.

    Será que há 65 MA alguém mandou um meteorito para acabar com os dinossauros e abrir o caminho para a evolução dos mamíferos e consequentemente para nós ?

    Não parece ser possível testar.

    Será que a vida e o universo foram criados com um propósito ?

    Até pode ser que sim.

    O problema é que acrescentar criadores com um propósito não vem acrescentar informação.

    Como eu disse do movimento dos corpos celestes. O movimento dum corpo celeste a cinco casas decimais ocupava todos os dvd s do mundo. É extremamente complexo e está sempre a mudar a velocidade e direcção.

    Pode ser descrito a muito grosso modo como um movimento uniforme e circular, a grosso modo como uma elipse com velocidade variável.

    Se quisermos ser rigorosos até às quatro ou cinco casas decimais o movimento da terra em relação a três outros corpos e apenas durante um dia e’ duma extrema complexidade. Sem uma intervenção inteligente e constante sobre todas estas variáveis não parece ser possível.

    Temos de ter em conta neste movimento a massa variável dos corpos, movimentos telúricos dos mesmos, efeitos da relatividade e quânticos.

    Eu inclino-me mais para que este super complexo movimento seja fruto do acaso e causas naturais. não me parece que acrescentar uma entidade reguladora do movimento do astro x venha acrescentar informação.

    Claro que se não fizéssemos a mínima ideia como as coisas funcionam esta entidade era uma boa explicação.

    E quanto so respeito :

    Ninguém é obrigado a ler o que aqui está e menos ainda a escrever.

    Quem o decide fazer é porque tem um mínimo de interesse.

    O mínimo que se espera é respeito.

    Às vezes gosto de ironizar….mas sem falta de respeito.

    Like

  9. jephsimple says:

    “É possível que assim tenha sido.”

    Mas se essa possibilidade é pequena , tem que se demonstrar pq ela é pequena, assim como eu acho muito remota a possibilidade de forças não inteligentes,sem cognição,sem direção, sem intenção produzirem um código, criar sistemas complexos de codificação e decodificação [informação imaterial funcional], assim acho pq é necessário atributos que forças cegas,irracionais,sem direção não possuem.Se o naturalismo poder sustentar o contrário, gostaria de saber.

    No momento, as mentes inteligentes são o único método verificável que demonstram que níveis não-triviais de informações funcionais são/e apenas por mentes, produzidos.

    2. Os genomas de vida contêm níveis não-triviais de informações funcionais.

    3. Portanto, a única explicação que temos no momento para a informação funcionais codificadas no genoma de vida é que ele foi produzido por uma mente inteligente.

    Quanto ao respeito, é pq vc já vem debatendo há um bom tempo, e como disse, há pessoas e pessoas, e já deparei com ateus muito mal-educados, assim como já vi muitos teístas mal-educados. Então gosto de salientar, que temos idéias divergências, mas reconheço que vc sabe manter o respeito (sei que ninguém é perfeito,isso não importa).

    Um abraço.

    Like

  10. Criatura says:

    O grande problema dos defensores da TE é que eles agem como os inquisidores (que se diziam cristãos) de outrora, Isto é, dizem fazer parte da ciência, acreditam ser os donos da mesma. Em parte devo concordar. Se a ciência considerou isso uma teoria, realmente eles devem ser donos da ciência. Ao menos os inquisidores proibiam a leitura dos textos bíblicos para não ser descoberta a farsa. E eles deixam a farsa visível pra quem quiser ver. Todos sabem que essa teoria está fadada ao esquecimento. Que o diga o Discovery Institute, acusado de fazer parte de alguma religião, quando a maioria deveria ser ateu. O proselitismo da causa os impele a dizer que ninguém tem melhores provas. Mesmo sem nem saber quais seriam elas, afinal eles nunca tiveram provas, chegaram a forjar fósseis para comprovar a teoria, basta pesquisar um pouco a história. É aquela máxima: Acuse seus inimigos do que você é!

    Passaram por cima do DNA. Alguns são tão desonestos intelectualmente que chegam a afirmar que o ponto de vista de um profeta é a voz de Deus. Eles não sabem diferenciar até hoje o que significa ser Palavra de Deus e conter Palavra de Deus. Afinal, o diabo fala nos Evangelhos e até uma jumenta no Velho Testamento. Quem disse que isso é Deus falando? E o pior, a jumenta se mostrou mais sensata que o homem. Certamente é de novo, e de novo e de novo.
    Eles dizem insistentemente que a Bíblia datou a terra em 6 mil anos. São papagaios milenares já dizia alguém em um blog. Mas até agora não explicaram em que sistema de calendário Deus contava os dias antes de ter criado o Sol e a Lua, que foram criados no QUARTO DIA (para que determinassem dias e anos do nosso calendário). Não Explicam porque os dias da criação não têm noites, só tardes e manhãs. Falta-lhes interpretação de textos. Seria causa do emburrecimento universitário em que vive o mundo desde a criação dos comunas, provenientes da esquerdopatia irreversível? Quem é que sabe. Uma pessoa que não sabe interpretar textos a falar de ciência é igual um humano tentando provar a inexistência do frio sentado nu na neve.

    Até hoje a única coisa que conseguiram foi demonstrar cientificamente o quanto são tolos.
    Parabéns ao texto. A propaganda evolucionista já durou tempo demais, está na hora da ciência “evoluir”.

    Like

      • Criatura says:

        Matts, Li o primeiro texto sugerido. Pelo que li, pretende-se desenvolver um texto difícil sob uma interpretação absolutista que visa encerrar a discussão sobre a idade da terra na própria Bíblia. Essa interpretação não tem sustentação na Bíblia. Não é caso de ficar com receio de apoiar os milhões de anos ou milhares. Se a Bíblia afirmasse que a idade da terra é de 6 mil anos, eu não ousaria titubear. Se afirmasse que tem bilhões de anos, ainda que isso fosse de encontro com a “teoria da evolução”, eu também não ousaria titubear. O que ocorre é que isso não tem sustentação alguma. Os 6 dias podem ser 6 segundos ou 6 trilhões de anos. Qualquer afirmação a respeito seria fraudar o texto bíblico com claras intenções de facilitar a crença. Não se deve fazer jamais interpretação pessoal dos textos bíblicos.

        E jamais eu seria suscetível a aceitar que a Bíblia é um texto mitológico, isso seria ridículo para qualquer cristão. A Bíblia é sim um livro histórico, comprovado diversas vezes pelas mais diversas escavações, e ainda que não fosse, pouco importa para quem crê. Agora dizer que é cronológica do ponto de vista da criação é algo que não se pode sustentar no próprio texto, seria fraude. O princípio é tempo e não pode ser medido. Os dias da criação não podem ser medidos, pois foram criados antes da criação do sol e da lua. Os dias da criação não possuem noites, e está claro: Onde está a luz de Deus não pode existir trevas. E isso não é tentativa de transformar a Bíblia em algo mitológico. Pelo contrário, fazer com que a Bíblia diga que a terra tem 6 mil anos é que se transformará em mitologia. Dizer que os dias da criação são de 24 horas pode ser dito em hipótese, com absoluta certeza, jamais!

        Constitui-se um risco gigantesco para haver sempre interpretação pessoal dos textos. Eu não me preocupo com o que evolucionistas vão lá dizer sobre a minha visão teológica dos textos bíblicos. Pouco me importa opiniões alheias. Se me consideram isso ou aquilo é problema deles. Existem aí grupos que tentam juntar uma interpretação bíblica com o evolucionismo. Não é o meu caso, e nunca foi. A evolução é uma crença idólatra em deuses celulares de uma sopa primordial. Não tenho nada com isso. Meu cuidado é para que não se venda falsificações bíblicas errôneas a respeito da idade da terra. Eles se propõe a datar a terra, iremos pelo mesmo caminho? Ou seja, só pra ter uma visão contrária. Se alguns querem isso, eu não quero. Fico com a minha posição. O Tempo de Deus e seus caminhos são superiores aos nossos. Não podemos entendê-lo. O próprio sábado jamais aconteceu.

        A susceptibilidade para os que afirmam que a datação da terra é milionária ter maior propensão para acreditar em evolucionismo é verdadeira. O que defendo não é a datação milionária, mas a impossibilidade de QUALQUER DATAÇÃO pelo ato Criador de Deus. Espero que tenha entendido. Estou aberto a réplicas.

        Like

      • Mats says:

        Matts, Li o primeiro texto sugerido. Pelo que li, pretende-se desenvolver um texto difícil sob uma interpretação absolutista que visa encerrar a discussão sobre a idade da terra na própria Bíblia. Essa interpretação não tem sustentação na Bíblia.

        Ai não? Então dá-me uma interpretação não-criacionista para Êxodo 20:11.

        Não é caso de ficar com receio de apoiar os milhões de anos ou milhares. Se a Bíblia afirmasse que a idade da terra é de 6 mil anos, eu não ousaria titubear. Se afirmasse que tem bilhões de anos, ainda que isso fosse de encontro com a “teoria da evolução”, eu também não ousaria titubear.

        Ou seja, a evidência de que a Bíblia não ensina o que ela ensina é o facto de tu não aceitares a leitura contextual das palavras lá escritas. Se a Bíblia ensina-se a Terra Jovem, então tu acreditarias nisso. Que bom que te temos a ti para nos esclarecer tudo isto.

        O que ocorre é que isso não tem sustentação alguma.

        Tanto tem, que o mundmo Cristão nunca teve dificuldades em entender Génesis 1 ATÉ que se começaram a inventar histórias em torno dos mitológicos “milhões de anos”.

        Os 6 dias podem ser 6 segundos ou 6 trilhões de anos.

        Ou podem ser 6 dias. Certo?

        Qualquer afirmação a respeito seria fraudar o texto bíblico com claras intenções de facilitar a crença. Não se deve fazer jamais interpretação pessoal dos textos bíblicos.

        Exacto. Por isso é que tu não podes usar a tua crença pessoal como régua de medir em relação ao que a Bíblia diz.

        E jamais eu seria suscetível a aceitar que a Bíblia é um texto mitológico, isso seria ridículo para qualquer cristão. A Bíblia é sim um livro histórico, comprovado diversas vezes pelas mais diversas escavações, e ainda que não fosse, pouco importa para quem crê. Agora dizer que é cronológica do ponto de vista da criação é algo que não se pode sustentar no próprio texto, seria fraude.

        Ou seja, a Bíblia é um Livro Histórico e fiável EXCEPTO quando fala da Criação? Incrivel.

        O princípio é tempo e não pode ser medido. Os dias da criação não podem ser medidos, pois foram criados antes da criação do sol e da lua.

        Não é preciso o sol e a lua para medir os dias. Basta uma fonte de luz a incidir sobre a Terra e rotação da Terra sobreo seu exio.

        Os dias da criação não possuem noites, e está claro: Onde está a luz de Deus não pode existir trevas.

        Os dias da criação possuem noites.

        E isso não é tentativa de transformar a Bíblia em algo mitológico. Pelo contrário, fazer com que a Bíblia diga que a terra tem 6 mil anos é que se transformará em mitologia. Dizer que os dias da criação são de 24 horas pode ser dito em hipótese, com absoluta certeza, jamais!

        Tu tens a certeza absoluta de que não se pode dizer que Deus fez a Terra em seis dias, mas não aceitas que alguem tenha uma certeza absoluta contrária à tua. Temos que rejeitar toda a Bíblia e começar a consultar-te para estas coisas visto que tu sabes mais do que todos os profetas e santos descritos na Bíblia, e até mais que o Senhor Jesus que disse que “DEsDE O PRINCÍPIO Deus os fez macho e fêmea” (e não “depois de milhões de anos”).

        Constitui-se um risco gigantesco para haver sempre interpretação pessoal dos textos.

        Exacto. Por isso é qie n´so Cristãos rejeitamos a tua interpretação pessoal.

        Meu cuidado é para que não se venda falsificações bíblicas errôneas a respeito da idade da terra.

        Mas é exactamente isso que tu estás a fazer – ao negares a Palavra de Deus só no ponto onde Ela choca com o milhões de anos.

        O Tempo de Deus e seus caminhos são superiores aos nossos. Não podemos entendê-lo.

        Jamais TU irás entende-Lo. Qualquer pessoa que leia Génesis 1 vê logo que se tratam de dias normais.

        A susceptibilidade para os que afirmam que a datação da terra é milionária ter maior propensão para acreditar em evolucionismo é verdadeira. O que defendo não é a datação milionária, mas a impossibilidade de QUALQUER DATAÇÃO pelo ato Criador de Deus.

        Tens todo o direito de ter a tua opinião pessoal, embora ela choque com a Bíblia (Exodo 20:11 + Génesis 1) e a ciência. MAs o facto de tu pessoalmente não conseguires ver ou entender (ou aceitar) o que Deus diz não nos diz nada sobre a veracidade da Bíblia.

        Tu és mais um na longa linha de pseudo-Cristãos com fé fraca para aceitar o que Deus diz. Pessoas como tu são casualidades de geurra – irrelevantes para o Evangelho e até causadores de tropeço para os Cristãos genuínos. MAs fica sabendo que tanto tu como todos aqueles que atacam a Santidade da Palavra de Deus receberão do Próprio Deus o castigo devido.

        Se tens falta de fé na Bíblia, ora a Deus e pede a Ele que te dê entendimento de Gènesis1 e de toda a Bíblia. Ele assim fará (porque Ele não quer que ninguém se perca mas que todos venham a ter o conhecimento da Verdade que salva).

        Uma coisa podes ficar certo: tu estás errado e a Bíblia está certa. A Terra não tem milhões de anos.

        Like

  11. O universo ou uma simples gota de água são maravilhosos e extremamente complexos.

    O número de partículas numa gota de água, as interacções entre elas, a física envolvida numa simples gota de água é duma complexidade tal que todos os discos rigidos, livros impressos, dvds e blue rays todos juntos não chegavam para descrever o seu comportamento.

    Assim o que fazemos é tentar encontrar teorias que expliquem e prevejam comportamentos. Sempre como aproximação.

    No meio deste universo tão grande podem existir muitas coisas que não compreendemos. E que certamente devido às limitações do nosso cérebro nunca iremos compreender.

    Se existirem entidades que estejam intelectualmente para nós como nós para um cão nunca os iremos compreender.

    Se a diferença for como de nós para uma bactéria nem sequer temos receptores sensoriais para os reconhecer.

    Portanto parece-me que um universo povoado de entidades ou sem elas parece-me igualmente provável.

    A complexidade por si só não me parece um grande argumento.

    Sabemos que núcleos de hidrogénio com tempo e gravidade tornam-se estrelas, galáxias e elementos pesados.

    E sabemos como a gota de h20 é tão complexa.

    Acho que quanto às entidades não humanas temos de esperar por poder detecta-las de qualquer maneira.

    E que sejam detectáveis.

    Até porque podemos não ter qualquer maneira de as detectar.

    Até lá ficamos a aguardar.

    O que me aborrece e preocupa nas religiões não é o dizerem que sabem que as entidades que veneram existem.

    O problema é quando acham que sabem o que eles querem e não querem e quais os comportamentos aceites e os reprovados.

    A partir daqui dizem que conhecem normas éticas absolutas e válidas para todos.

    Claro que se colocarmos dois ou três detentores de verdades absolutas de confissões diferentes temos três conjuntos de normas absolutas diferentes e incompatíveis entre si.

    Se juntarmos dez ou doze temos dez ou doze morais absolutas diferentes…

    E o chato é que cada grupo destes quer impor ao resto da sociedade o seu absolutismo particular.

    Por isso se calhar o mais prudente e’ ignorar as tais entidades e as suas normas absolutas e procurar respostas noutro sítio.

    Like

    • jephsimple says:

      João,

      Existe uma diferença muito grande entre a complexidade de todo o universo, e a complexidade dos organismos vivos, e gritante, por exemplo, as moléculas da chuva não carregam dentro de si um código a ser decodificado, a ser controlado,instruído, corrigido e etc.É o mesmo que querer comparar um software e um hardware;comparar um sofá de madeira com um computador. Como se o hardware fosse produto da matéria e energia isoladas, e ambas (matéria e energia) e hardware produzissem o software sozinhos, sem projeto,intenção,inteligencia e etc.

      Não sei se está querendo comparar uma e outra.Ou se não sabes separar a vida da não vida.

      “Se existirem entidades que estejam intelectualmente para nós como nós para um cão nunca os iremos compreender.”

      Eu não vejo dificuldade em entender que por mais que a ciência operacional não possa demonstrar de forma 100% clara um Designer do universo [dentro de tal cosmovisão].Ela mostra que esse designer apesar de não ser 100% detectável pela ciência operacional; podemos através da lógica,das evidências, da matemática, suspeitar e sustentar que este Designer possui uma mente,vontade e é inteligente.Tais atributos são detectáveis, e são OBJETIVOS.

      Não vou entrar no escopo da física, embora entendo que a realidade física não é física no sentido da palavra.Nem podemos afirmar que vivemos em um lugar redutivelmente físico.E isso põe em xeque a cosmovisão naturalista reduzida ao materialismo e fisicalismo.

      Um abraço.

      Like

    • jephsimple says:

      Meu comentário não saiu…

      Existe uma diferença muito grande na complexidade do universo e da vida.

      Assim como uma é a complexidade do Hardware e outra a do software.

      O naturalismo [analogicamente] afirma que o hardware sempre existiu, e que acidentalmente ele provocou toda a complexidade do software, e também toda a complexidade do próprio hardware..

      Like

  12. Mats :

    O gozo de que te queixas começa logo nos seis mil anos da terra e universo.

    Nos últimos duzentos e picos anos TODAS as ciências, repara que são todas sem qualquer excepção, por métodos diferentes, independentes entre si tem chegado a valores completamente incompatíveis com uma terra assim jovem.

    Isto em TODOS os institutos, universidades, centro de pesquisa, aceleradores de partículas, quer em instituições privadas, quer públicas e mesmo religiosas.

    Mesmo sem uma parafrenália de instrumentos e com a obrigação de cálculos complicados podes fazer uma estimativa grosseira da idade da terra.

    Tens no Egipto monumentos feitos com pedra local e bem datados. As pedreiras de onde foi tirada a pedra estão lá.

    Basta uma comparação a olhómetro, isto é olhando simplesmeste para a erosão nas pirâmides com 4500 anos, monumentos romanos com cerca de 2000 e comparas com a erosão das pedreiras e vês logo que elas não tem o dobro nem o triplo da idade de Gizá mas muito, muito mais.

    Claro que depois dito tudo se tentas vir a uma instituição alegar que esta tralha toda tem seis mil anos e te gozam …..

    E nota que não foi a TE que postulou uma terra antiga.

    A TE, como o Lamarkismo e a teoria das criações sucessivas aparecem por causa da constatação da terra antiga e não o contrário.

    Like

  13. Criatura says:

    Matts, de modo algum houve de minha parte a conjectura de atacar a visão pessoal de outros, a não ser aquela que quer ser a única correta. A minha afirmação quando digo que não pode haver nada além de hipóteses não é uma hipótese. É o universo de todas as hipóteses reunidas. Ou seja, como tu mesmo disse: pode ser 6 dias também, sim. A Bíblia é um livro histórico em Gênesis 1 sim. Eu não disse o contrário. Disse que as variadas concepções acerca da medida temporal do princípio nomeado como fator temporal não tem como estar estar sendo medido. Ou diminuiremos a capacidade de Deus de criar o tempo que quiser. Aliás, a eternidade não é ausência de tempo, tal qual o conhecemos?

    Êxodo 20,11 pode ser sustentado como seis dias literais, até que chegue Pedro e diga para não sermos ignorantes e observarmos o seguinte, em II Pedro 2,8: “Mas, amados, não ignoreis uma coisa, QUE UM DIA PARA O SENHOR é como mil anos, e mil anos como um dia.” O contexto é óbvio, Deus trabalha o tempo de maneira diferente da nossa, o tempo é sua criatura. Ainda que queira que observemos o tempo como imagem do seu tempo, não quer dizer que o seu tempo seja o mesmo tempo nosso. Deus é atemporal, tanto que o futuro, passado e presente estão todos na mão dele, facilmente detectado em profecias.

    Em Êxodo 20,11 a visão é de que Deus tenha descansado ao sétimo dia, isso pode ser profecia. Jesus Cristo, nosso Senhor, ao qual você acredita agora só pertencer a você, porque sou um “evolucionista”, e pregador de heresias, mesmo sendo seu irmão, e tendo somente diferenças interpretativas, jamais afirmando categoricamente haver milhões de anos, diz o seguinte, após alguns ficarem revoltados porque ele fez um milagre em dia de sábado, em João 5,17: ” E Jesus lhes respondeu: Meu Pai TRABALHA ATÉ AGORA, e eu trabalho também.” Deus descansou? Obviamente, se alguém sustentar essa hipótese Jesus então mentiu. Como isso é Impossível, Deus não descansou, o caráter do descanso é figura do descanso de Deus ainda não efetuado. O próprio sábado torna-se objeto de difícil interpretação. Basta lembrar-se que Jesus Cristo permaneceu morto no sábado. E o plano de Deus para a humanidade, isto é juntamente com seu trabalho, que não é só construção de matéria, encontra finalização em seu Cordeiro e Filho Unigênito. Ou seja, o descanso de Deus é o sábado onde existe o convite para a humanidade encontrar redenção através de seu Filho, para poder também entrar em seu descanso, onde nós morremos para o mundo.

    Bastaria ver o tanto de figuras proféticas que há em cada versículo do Gênesis, para saber que inclusive o Anjo que Jacó lutou e não encontrou outro nome possível para nomeá-lo acaba por chamar de Deus. E esse já era Jesus Cristo. Isto é, não era Deus, pois Deus nomeia Jacó Israel no capítulo adiante, confirmando o que o Anjo já fizera. Jacó viu um diferencial nesse Anjo, ele não era um simples Anjo, tinha poder até de mudar nome e Abençoar. Esse anjo agia obviamente como procurador de Deus. A leitura Bíblica de maneira figurada não é algo proibido. Paulo fez isso até com o casamento, E Paulo estava em Espírito. Chegou a mostrar que o homem e a mulher e sua união sempre foi figura de Cristo e sua Igreja. Alguns Sábios Judeus afirmam que cada versículo da Bíblia tem só para homens que estudam 32 caminhos de interpretação. Ou seja, o Poder da Palavra de Deus é algo incomensurável. E isso, 32 caminhos, sem estar no Espírito.

    Êxodo 20,11 é um texto que demonstra ordens para Israel simular tudo aquilo que havia de vir. Toda a lei é símbolo do sacerdócio de Cristo. É isso que viu o escritor de Hebreus, ao ponto de chamar todos a verem os diversos exemplos até em Melquisedeque. Se fôssemos reduzir as interpretações dos textos bíblicos para somente históricos, não teríamos o livro de Hebreus, as diversas cartas de Paulo, e textos de Pedro, ou seja, era bem provável que todos eles fossem considerados heréticos. Dizer que se pode entender totalmente a Bíblia a ponto de determinar que Gênesis 1 só pode ser entendido de um único modo é sim fraude.

    Eu prefiro aceitar a verdade óbvia que, também pelo Espírito, diz Salomão em Eclesiastes 3:11; “Tudo fez formoso em SEU TEMPO; também pôs o mundo no coração do homem, SEM QUE ESTE POSSA DESCOBRIR a obra que Deus fez desde o princípio até ao fim.

    O homem não consegue descobrir nem com o mais elevado cérebro interpretativo a obra que Deus fez, muito menos seu tempo. Abraço.

    Like

    • Mats says:

      Matts, de modo algum houve de minha parte a conjectura de atacar a visão pessoal de outros, a não ser aquela que quer ser a única correta. A minha afirmação quando digo que não pode haver nada além de hipóteses não é uma hipótese. É o universo de todas as hipóteses reunidas. Ou seja, como tu mesmo disse: pode ser 6 dias também, sim. A Bíblia é um livro histórico em Gênesis 1 sim. Eu não disse o contrário. Disse que as variadas concepções acerca da medida temporal do princípio nomeado como fator temporal não tem como estar estar sendo medido. Ou diminuiremos a capacidade de Deus de criar o tempo que quiser. Aliás, a eternidade não é ausência de tempo, tal qual o conhecemos?

      Exodu 20:11 anula toda a interpretação que não esteja de acordo com a leitura contextual de Génesis 1 e os seis dias da criação.

      Êxodo 20,11 pode ser sustentado como seis dias literais, até que chegue Pedro e diga para não sermos ignorantes e observarmos o seguinte, em II Pedro 2,8: “Mas, amados, não ignoreis uma coisa, QUE UM DIA PARA O SENHOR é como mil anos, e mil anos como um dia.” O contexto é óbvio, Deus trabalha o tempo de maneira diferente da nossa, o tempo é sua criatura

      Nota que o texto diz “é como” e não “é”. Ele não diz “um dia são mil anos” mas sim “um dia É COmO”. Ou seja, é uma analogia em relação ao facto de Deus não estar Preso à dimensão do tempo. Esse verso logo a seguir diz que “mil anos são como um dia”. E agora?

      O contexto só quer indicar que Deus é Dono do tempo,e não que Ele criou em milhões de anos.

      E por fim, esse verso não está a falar da criação.

      Em Êxodo 20,11 a visão é de que Deus tenha descansado ao sétimo dia, isso pode ser profecia.

      Não é “profecia”. Esse verso quer dizer que Deus parou de criar ao sétimo dia, e como tal, Israel descançará ao sétimo dia também. Agora, se não são dias normais, quantos dias os Israelitas teriam que descançar?

      Êxodo 20,11 é um texto que demonstra ordens para Israel simular tudo aquilo que havia de vir.

      O dia de descanço de Israel era real e não simulado, tal como o dia 7ª foi o dia em que o Criador parou de criar.

      Toda a lei é símbolo do sacerdócio de Cristo. É isso que viu o escritor de Hebreus, ao ponto de chamar todos a verem os diversos exemplos até em Melquisedeque. Se fôssemos reduzir as interpretações dos textos bíblicos para somente históricos, não teríamos o livro de Hebreus, as diversas cartas de Paulo, e textos de Pedro, ou seja, era bem provável que todos eles fossem considerados heréticos.

      Mas ninguém quer dizer que os versiculos em torno da criação em seis dias são só históricos. Tu é que dizes que eles são tudo MENOS aquilo que eles claramente dizem – que Deus criou em seis dias. Ainda falas no “conjunto das hipóteses” mas isso são tudo mentiras demoniacas feitas com o propósito de desacreditar a Biblia.

      Génesis ensina que Deus criou em seis dias normais. Não há outra interpretação de acordo com o Hebraico, com o contexto e com as palavras do Senhor Jesus que disse que Abel foi morto na fundação do mundo, e que Satanás era um mentiroso desde o princípio da criação.

      Se as palavras do Senhor Jesus Cristo não são suficientes para tu parares de colocar em causa a criação em seis dias, então nada te fará mudar de opinião pessoal.

      Like

      • Criatura says:

        “Mas ninguém quer dizer que os versiculos em torno da criação em seis dias são só históricos.”

        Isso já basta. Só pra ratificar, eu não disse que pode ser tudo menos os 6 dias, Disse que pode ser tudo, inclusive os seis dias. Acredito que ambos nos entendemos mal, oro para que teu trabalho continue. Grande abraço e parabéns pelo conteúdo excelente até aqui apresentado, não sei se com colaboração ou não. Se o for, parabéns a todos. Também não sou dono da verdade, já li a Bíblia 45 vezes completa, e milhares de vezes de forma avulsa, mas posso ter me enganado, como já me enganei diversas vezes.

        Like

  14. Mats: tudo isso , como já te foi demonstrado, são opiniões de pessoas. Do tipo acho que vai chover.

    Nada daquilo são trabalhos científicos com a excepção dos micro halos.

    Já há muitos anos que foram melhor estudados.

    É natural que em todas as áreas da ciência haja áreas menos bem explicadas.

    A própria gravidade tem mais de obscuro que de explicado.

    O importante a reter é que todas as ciências, mesmo todas sem excepção, apresentam resultados, públicos, testados retestados, por meios, instrumentos e técnicas muito diversas que:

    Apresentam resultados muito consistentes entre si e que apontam para valores milhões de vezes maiores que os que defendes.

    Como já te disse se olhares para as pirâmides e para as pedreiras a erosão salta à vista. Aliás foi essa erosão que ainda no século XVII levantou a questão da idade da terra ser muito antiga.

    Portanto, de acordo com todos os estudos e análises feitos por investigadores e instituições de todo o mundo nos ultimos 200 anos parece ser altamente improvável que a idade da terra e dos seres vivos mede-se por milhões de anos.

    Qualquer explicação biológica da diversidade dos seres vivos tem de ter esse dado em consideração sob pena de estar em contradição com as evidências.

    Até agora s melhorzita que se conhece é TE.

    poderá ser substituida por outra mas até agora não se vislumbra nada.

    Like

  15. Sim. É verdade. Os métodos de datação apresentam muitas dificuldades técnicas. São métodos complexos.

    Eu até considero que na medição de 65 milhões de anos um erro de 10 milhões é muito bom. Os cientistas felizmente cada vez conseguem pelos diversos métodos combinados intervalos bem menores.

    Repara que o que eu te digo é que todas , sem excepção , estimativas de datas antigas indicam milhões de anos.

    Não há nenhuma ciência que estime a idade da terra, da humanidade ou de fenómenos geológicos a terem todos início há apenas 6000 anos como defendes.

    Assim qualquer teoria que pretenda ser cientifica tem de ter essas observações em consideração.

    Discutir se a grande extinção que levou a maioria dos dinossauros e de muitas outras espécies foi há 65 milhões de anos ou dez ou vinte milhões para trás ou para a frente é interessante. Venham as evidências.

    Agora isto não te ajuda nada quando queres propor qualquer alternativa à evolução não tendo os longos períodos de tempo envolvido.

    Repara que qualquer teoria em geologia que ignore que a terra não é plana está cindenada à nascença.

    O mesmo se passa com qualquer teoria que pretenda ignorar os largos tempos geológicos.

    A ciência é um corpo só. As teorias tem de ser coerentes com as observações.

    Afirmares no âmbito duma hipótese biológicas que a atmosfera há 4500 era muuti diferente pode ser testado. Há amostras até 100 000 anos enclausurados em gelo.

    Compara-se, não conduziz….descarta-se.

    O problema do YEC, e por isso já há muito que desistiram de fazer dele ciência, é que cilide com as observações.

    Daí terem saltado para o DI. que também não te deve agradar nada por lidar bem com os largos períodos geológicos.

    Do ponto de vista teológico nem me parece que tenhas muita razão.

    Os seis mil anos são uma invenção dum buspo. É portanto uma interpretação como outra qualquer.

    E não tem em consideração que na antiguidade se dizia que fulano gerou beltrano isto muitas vezes não significava wue ersm pai e filho. Significava que beltrano era de alguma forma descendente de fulano , muitas vezes por forma colateral ou até lendária, e que entre um e outro podia haver séculos.

    Mas de teologia não pesco nada…..

    [[“Os seis mil anos são uma invenção dum buspo. É portanto uma interpretação como outra qualquer.”

    Tal como a invenção dos milhões de anos é uma interpretação como outra qualquer? ]]

    Like

  16. Sim. Só que os longos períodos de tempo são fundamentados em observações e experiências.

    Desde as mais simples como a observação das pirâmides e pedreiras até métodos mesmo complicados como a dendrocronologia.

    O bispo Usher baseou a datação na interpretação da Bíblia só.

    Concordas que são métodos diferentes.

    E volto a lembrar que não foram a teorias biológicas que determinaram a idade da terra.

    Foi ao contrário. As teorias como a TE aparecem por se ter descoberto que a terra era muito antiga.

    Antes de te arreliares com a biologia tens de fazer o trabalho prévio que é apresentar argumentos e evidências a todas as outras ciências que afinal a terra só tem seis mil anos. Depois disto feito, e como a ciência é uma só, se tem de renovar a biologia para se adaptar a esta nova realidade.

    Até lá as teorias biológicas tem de partir do princípio que a terra não é plana e que é muito antiga. Se não entravam em contradição com ciências bem estabelecidas.

    Não é ?

    Like

    • Mats says:

      Só que os longos períodos de tempo são fundamentados em observações e experiências.

      Não há uma única observação que confirme a tese de que os “longos períodos de tempo” são factuais.

      Like

    • Azetech says:

      João Melo

      “”Só que os longos períodos de tempo são fundamentados em observações e experiências.””

      Quais?? Cite apenas UMA.
      A conclusão para a suposta “longa era” da Terra baseia-se apenas em pressuposição fundamentado em fé.
      Sem esta fé e crença a priori neste suposto argumento, não há nada, absolutamente nada, que possa corroborar tal idéia.

      Like

      • Está tudo no google earth:

        Ve a erosão do granito da grande pirâmide.depois compara com os monumentos romanos do egipto que tem 2000 anos.

        Compara com a erosão das pedreiras de onde foi tirado o granito.

        Podes fazer a mesma experiência com a muralha de Trajano em Inglaterra. Aliás foi essa observação que levantou as primeiras suspeitas.

        Se achares que foi o dilúvio que desgastou as pedreiras compara-as com granito exposto à acção mecânica da água.

        Sem grandes instrumentos podes comprovar que é muito pouco provável que a pedreira tenha uma idade aproximada das piramides

        Podes fazer a mesma observação em muitos locais. Regra geral a pedra não vinha de muito longe.

        Como vês nem são precisos instrumentos muito sofisticados.

        Como se o Google earth e a Internet não fossem maravilhas da técnica.

        Like

      • Azetech says:

        João Melo

        Está tudo no google earth

        Então esta é a tua “evidência cabal” pelo qual comprova definitivamente as “longas” eras da Terra? Erosões nas pirâmides visualizadas pelo google earth, comparados com as erosões de granito O.o ?!?

        Os cientistas de diversas áreas da ciência tem muitos trabalhos vistos e revistos, experiências várias, muito material publicado e isto nas mais diversas áreas da ciência.

        Mostre UMA evidência indicado por estes supostos “milhares e milhares” de cientistas do mundo todo, pelo qual comprove empiricamente a fé na suposta “longas eras”

        Desde a história, passando pela geologia, pela física, química, astronomia e tantas outras.

        “Elephant Hurling” é outra de sua “evidência cabal” pelo qual comprova definitivamente as “longas” eras da Terra?

        João Melo, sem rodeios, mostre apenas UMA evidência empiricamente comprovada (onde não necessita FÉ a priori para crer) pelo qual comprova a suposta idade antiga da Terra.
        Se tens alguma, é hora de revela-lo.

        Like

  17. Os cientistas de diversas áreas da ciência tem muitos trabalhos vistos e revistos, experiências várias, muito material publicado e isto nas mais diversas áreas da ciência. Desde a história, passando pela geologia, pela física, química, astronomia e tantas outras.

    Tu és de opinião que eles estão todos errados. Que a NASA, Harvard, o Mit, o museu de história natural, a faculdade de história de s. Paulo, Lisboa e pequim estão equivocados.

    Até pode ser.

    Parece-me pouco provável que tantos métodos diferentes, feitos por cientistas de áreas tão díspares e em instituições tão diferentes cheguem todos a valores consistentes por mero acaso.

    Portanto entre uma mera opinião e trabalho científico com mais de cem anos parece-me que a escolha nem é difícil, não é ?

    Like

  18. Azeteck:

    Como interpretas os diversos graus de erosão de que falei ?

    Like

  19. Hezio says:

    1) A Teoria Geral da Evolução (TGE) é promovida como uma teoria científica …
    1)… a promoção da TGE foi algo necessário para ela, como forma de gerar a aparência de que ela é a teoria-rainha da ciência.
    A teoria da evolução é como qualquer outra na ciência, nem melhor nem pior, nem rainha nem plebéia. É apenas a melhor explicação. Simples assim.
    2) Quando algum tipo de evidência é revelada ao público, a TGE têm prioridade quando se trata de acomodar os dados com uma teoria. Ou seja, as únicas interpretações dos dados que são aceites são aquelas que estão de acordo com a teoria da evolução. Se algo não está de acordo com a TGE, então isso é rejeitado.
    As interpretações aceitas na ciência são as que dão conta das evidências de maneira coerente, consistente e convincente. A evidência é a suprema côrte na ciência. Se uma teoria não explica os novos dados ela é modificada e isto é feito todos os dias, não apenas a teoria da evolução, mas todas as teorias da ciência. Portanto, não existe essa história de descartar dados porque não se ajustam à teoria. Não são bem os cientistas que têm o hábito de descartar ou distorcer evidências que não lhes agradam.
    3) A teoria da evolução recebe tratamento especial através de protecção especial. Não interessa se és um criacionista ou um ateu; se te atreves a colocar em causa a teoria da evolução, as consequências são essencialmente as mesmas:
    O que os cientistas, a ciência e a humanidade ganham defendendo e dando “proteção especial” a uma teoria que não explica os fatos e os dados do mundo? Porque então escolas, universidades e governos perdem tempo e dinheiro ensinando uma teoria “inútil” que não explica os dados? Será que todos esses cientistas e instituições vivem um gigantesco equívoco que só os criacionistas percebem? Que razões haveria então para “proteger” esse paradigma a um custo tão alto para a humanidade?
    Isto, naturalmente, levanta a questão do porquê os evolucionistas protegerem a teoria da evolução duma forma muito pouco científica:
    E qual seria a forma “científica” de proteger a teoria da evolução? E porque ela precisaria ser “protegida”, e de quê?
    4) Os evolucionistas gostam de alegar que a TGE é um facto confirmado, o que implica algum tipo de conhecimento absoluto.
    Teorias e fatos são coisas muito distintas. Fatos são dados do mundo; teoria é o corpo de idéias que explica os fatos. Dizer que a teoria da evolução não é um fato é equivalente a dizer que a equação que fornece a velocidade de queda livre de um objeto não é um fato. O fato é o objeto cair com velocidade crescente, um dado do mundo; a equação, uma idéia abstrata, é a teoria que explica porque e como a velocidade aumenta durante a queda.
    O método científico requer que nunca se assuma nada como verdade final…
    Ninguém assume “verdade final” em ciência. A verdade em ciência é sempre relativa.
    … (especialmente quando se trata de eventos que nunca foram observados).
    Observar eventos em ciência não significa necessariamente ver com os próprios olhos, eventos podem ser inferidos. É possível saber que o sol é constituído principalmente de hidrogênio e hélio sem que ninguém precise ir lá colher uma amostra para análise. Ninguém jamais viu um elétron na vida, nem mesmo um átomo. Entretanto, por causa disso, ninguém questiona se a eletricidade é um fato quando usufrui de todo o conforto e facilidades proporcionadas por ela em nossos lares. Porque tem que ser diferente com a teoria da evolução?
    Com a teoria da evolução, os dados ou se adaptam a ela ou os mesmos serão rejeitados.
    Que dados até agora foram rejeitados pelos cientistas porque não se “adaptaram” à teoria da evolução? Poderiam dar exemplos.
    2) Promover uma teoria para um nível que ela não merece (teoria científica) faz com que os seus proponentes a defendam e a protejam de formas não-científicas (ridicularização, ataques verbais, etc….) na esperança de que as suas muitas falhas não sejam questionadas.
    Quem tem competência para decidir se uma teoria é ou não científica são os cientistas, o que é feito de acordo com critérios bem definidos, amplamente aceitos e estabelecidos na ciência. A teoria da evolução atende a todos esses critérios, e por isso é ciência sim, gostemos disso ou não. A maneira de questionar falhas em teorias científicas é apresentando novas evidências, novos fatos e novos dados que a teoria vigente não explica, os quais serão exaustivamente examinados, discutidos e avaliados. Se forem mesmo inequívocos, a teoria será modificada, ou até mesmo descartada. Isso qualquer pessoa pode fazer, nem precisa ser cientista.
    Se a teoria fosse tão robusta como os seus defensores afirmam, os evolucionistas inundariam o mundo com tais evidências. Mas não é isso que observamos, o que confirma que as alegações em favor da TGE são largamente exageradas.
    O mundo já está inundado com essas evidências, não precisa de mais. Basta uma caminhada de 10 minutos por uma floresta tropical para ver dezenas delas. Existem montanhas de evidências que corroboram de maneira admirável a teoria da evolução e provindas das mais diversas áreas da ciência. Todas coerentes e consistentes entre si, como as peças de um quebra-cabeças que se encaixam. Olhar para todas essas evidências e alegar que elas não dizem aquilo que elas dizem não vai mudar os fatos do mundo. A verdade do mundo é o que é, e não a que gostaríamos que ela fosse.
    3) Ao fazer com que as pessoas fiquem receosas de criticar a teoria da evolução, e ao defendê-la da forma como a defendem, os evolucionistas fazem com que a TGE se torne infalsificável …
    Teorias científicas se estabelescem é pela qualidade com que explicam as evidências, os fatos e os dados do mundo e não pela atuação ferrenha de defensores. Teorias científicas não precisam de defensores porque são edifícios sólidos, cercados por fortalezas de todos os lados, não se trata de simples palpite ou chute. É muita ingenuidade achar que uma teoria científica é baseada em fraquezas tão óbvias de raciocínio e de idéias. Mesmo assim, os cientistas não hesitarão em explorar qualquer fraqueza que possam abalá-la. Quem já defendeu uma tese de doutorado sabe muito bem disso.
    – o que rapidamente nos mostra que não é ciência …
    Mais uma vez, não compete a leigos decidir o que é e o que não é ciência.
    Só para concluir. Não seria mais sensato ler e aprender pelo menos o básico sobre a metodologia da ciência e sobre a teoria que tanto criticam, pelo menos para questioná-la com conhecimento de causa? Que credibilidade poderia ter opiniões que demonstram um conhecimento tão pobre em ciência e a respeito da teoria que tanto abominam? O dia em que fizerem isso, as opiniões aqui postadas poderão ser levadas mais a sério. As pessoas saberão que as críticas provieram de pessoas que pelo menos sabem do que estão falando.

    Like

    • Mats says:

      O dia em que fizerem isso, as opiniões aqui postadas poderão ser levadas mais a sério. As pessoas saberão que as críticas provieram de pessoas que pelo menos sabem do que estão falando.

      Nunca vão ser “levadas a sério” porque o próprio acto de criticar a sagrada teoria da evolução é motivo para desqualificar quem a critica. Mas repara que ninguém aqui quer convencer os crentes evolucionistas de nada. O que se faz aqui é demonstrar o quão baixo uma pessoa pode descer quando se trata de aceitar o que Génesis diz (seja ela “Cristã” ou não). Tentar mudar a cabeça dum evolucionista usando a ciência é tempo perdido porque o evolucionista não liga ao que a ciência diz. Se ele ligasse, ele não seria evolucionista.

      Like

      • Hezio says:

        Mais uma vez, a TE não é a melhor nem a pior, nem rainha nem plebéia, nem sagrada nem profana. É apenas a melhor explicação, só isso. A ciência aceita é o que natureza diz e não o que o Gênesis diz, a natureza não dá a mínima para o que o Gênesis diz e insiste teimosamente em mostrar uma verdade diferente.

        [[Mats diz: A natureza revela que os animais se reproduzem segundo o seu tipo – exactamente o que Génesis diz – e não que peixes passam a ser pescadores passados que estão alguns “milhões de anos”.]

        Like

    • Carlos says:

      “Observar eventos em ciência não significa necessariamente ver com os próprios olhos, eventos podem ser inferidos. É possível saber que o sol é constituído principalmente de hidrogênio e hélio sem que ninguém precise ir lá colher uma amostra para análise.”

      Vendo cinzas podemos inferir fogo, através de uma espectrometria é possível saber a composição do Sol. Porém antes de saber que qualquer cinza indica que deve ter havido fogo vimos ao menos uma vez fogo resultar em cinzas. Não é aleatoriamente que se associa cada dado duma espectrometria a um elemento, antes se viu qual radiação cada um emite.

      [b]”Ninguém jamais viu um elétron na vida, nem mesmo um átomo. Entretanto, por causa disso, ninguém questiona se a eletricidade é um fato quando usufrui de todo o conforto e facilidades proporcionadas por ela em nossos lares. Porque tem que ser diferente com a teoria da evolução?”[/b]

      Assim como a biodiversidade existente, podemos observar a eletricidade agindo. Agora não se observa nenhuma evolução ocorrendo. Não é preciso evolução para a biodiversidade existente. Pode ocorrer seleção e nesta ter várias divisões, como os diversos tipos de cachorros que continuamos a modificar. E elétrons, além de ter diversas teorias(que muitas ainda permeiam o campo das especulações, como muito acontece atualmente entre físicos teóricos) que descrevem eventos que são observados, já foram detectados e bombardeados contra alvos.

      Like

    • Carlos says:

      E teorias científicas não fortalezas, essa postura dogmática que há no evolucionismo e é anticientífica. Teorias científicas podem ser falseadas a qualquer momento e pouco passam de especulação sob um paradigma para tentar explicar o porque de um determinado experimento. Acreditar que é possível um porque admite que há relações de causa e efeito, coisa que a ciência não consegue lidar atualmente. Como se prova cientificamente que um dado evento advêm de um motivo em particular? O que a ciência consegue fazer com maior maestria é mostrar “Como”, não “Porque”, assim como Ernst Mach dizia.

      Like

      • Hezio says:

        Com certeza, mais de 99% de todos os homens de ciência do mundo estão convencidos do processo evolutivo pelo que os dados e evidências do mundo mostram. O restante, menos de 1%, não concorda por motivos puramente religiosos. Se esses 99% estão mesmo errados, então teremos também que admitir que vivemos em um universo totalmente enganoso, e que nada nesse mundo é o que parece. E as coisas só são como as vemos por uma incrível, extraordinária e inacreditável coincidência.

        Like

      • Mats says:

        Ainda bem que Galileu não levou em conta o “consenso” da altura senão nem sei onde estaríamos.

        Repito: a validade duma teria não depende do número de cientistas que acredita nela.

        Like

      • Azetech says:

        Hezio

        Enquanto vocês evolucionistas se apegam a consensos, nós criacionistas nos apegamos aos DADOS.
        O que vale mais para a VERDADEIRA ciência, consensos ou DADOS??
        Preciso responder?

        Like

  20. Cristiano says:

    Fútil!!!! A palavra mais evidente para a TGE, um pensamentos sofismático que está alicerçado na falível teoria científica, que certamente não passa de uma teoria sem fundamento e ilógica, dado o fato de que o Universo e tudo o que existe nele e sua complexa formação não provém de pensamentos teóricos, mas sim de uma origem eterna e inteligente!!!!

    Sempre que há um debate público sobre o ensino das origens do universo e dos seres vivos, a alegação acima é uma das que mais ecoam. Todavia, por alguma razão, os evolucionistas nunca são rotulados de fanáticos religiosos. Em conseqüência disso, o ponto de vista evolucionista domina o debate sobre a questão das origens. Uma vez que a separação entre Igreja e Estado é um dos fundamentos constitucionais dos EUA [e da maior parte dos países ocidentais], os defensores do ponto de vista criacionista enfrentam uma luta desigual, até mesmo para serem ouvidos no âmbito público. O campo de jogo não parece equilibrado. Afinal, pressupõe-se que a ciência evolucionista é neutra e objetiva, enquanto a ciência criacionista não passa de um dogma religioso disfarçado.
    Será que essa história mudaria se a evolução fosse tratada como uma religião? Até que ponto a evolução é apenas o ensino errôneo de que toda manifestação de vida na Terra se originou numa progressão natural a partir de seres vivos menos complexos para seres vivos mais complexos? Na verdade, os evolucionistas fazem isso soar como se uma força superior estivesse em operação para levar adiante o processo evolutivo. Alguns deles chegam a tratar essa força invisível como se fosse um deus.

    A filósofa Mary Midgley demonstra esse fato com muita propriedade em seu livro Evolution as a Religion [A Evolução Como Uma Religião]. Sua pesquisa revelou que na maioria dos textos científicos sobre evolução há afirmações que não são científicas, mas sim religiosas. Midgley comenta sobre esses textos: “Eles fazem insinuações espantosas sobre uma vastidão de assuntos tais como a imortalidade, o destino humano e o sentido da vida”.[2] Querendo ou não, os autores desses textos fizeram uma combinação de análise científica e aplicação espiritual. Aí está o sinal evidente de uma religião! Embora Midgley não demonstre nenhuma simpatia pelo cristianismo, ela inteligentemente identificou a hipocrisia daqueles que negam a natureza religiosa do evolucionismo.

    Like

  21. Cristiano says:

    A Fonte da Teologia da Evolução

    Darwin revelou quem era o seu deus. Numa carta escrita a um amigo, ele chegou a denominar e escrever com todas as letras: “Minha divindade ‘a seleção natural’”.

    Não é preciso ir muito além dos escritos de Charles Darwin, o pai da moderna teoria evolucionista, para encontrar a fonte da teologia da evolução. Em dado momento, Darwin cogitava ingressar no clero da Igreja Anglicana, mas essa trajetória mudou radicalmente depois que ele passou cinco anos (1831-1836) navegando e explorando a diversidade de seres vivos nas ilhas Galápagos, localizadas próximo à costa do Equador. Em sua autobiografia, Darwin escreveu que nessa época estava num conflito para aceitar a presença do mal num mundo criado por Deus, conforme explica:

    Parece-me que há muita miséria no mundo. Eu não consigo me convencer de que um Deus benevolente e onipotente tenha intencionalmente criado a Ichneumonidae [i.e., espécie de vespa] com o expresso propósito de parasitar larvas vivas de outros animais para delas se alimentar, nem criado um gato com a finalidade de caçar um camundongo.[3]

    Em 1859, Darwin publicou seu livro intitulado The Origin of the Species by Means of Natural Selection [A Origem das Espécies Por Meio da Seleção Natural], no qual expõe detalhadamente sua concepção de que a vida, em todas as suas manifestações, não provém da mão de um criador, mas origina-se no processo de sobrevivência do mais apto. Dessa forma, Darwin revelou quem era o seu deus. Numa carta escrita a um amigo, ele chegou a denominar e escrever com todas as letras: “Minha divindade ‘a seleção natural’”.[4]

    Darwin expressou suas concepções religiosas numa carta que escreveu quando já estava velho e doente:

    A ciência não tem nada a ver com Cristo, exceto na maneira pela qual a pesquisa científica torna o homem mais cauteloso em reconhecer a evidência. Quanto a mim, não creio que tenha existido alguma revelação. No que diz respeito à existência de uma vida futura, cada ser humano deve julgar, por si mesmo, entre probabilidades remotas e conflitantes.[5]

    Não é de admirar que ele tenha escrito o seguinte:

    Nessa época, ou seja, entre 1836 e 1839, eu gradativamente chegara à compreensão de que o Antigo Testamento não era mais confiável do que os livros sagrados dos hindus […] Aos poucos, passei a desacreditar no cristianismo como uma revelação divina […] Assim a descrença lentamente penetrou em mim até que me tomasse por completo. O processo foi tão devagar que nem cheguei a sentir angústia.[6]

    Há pouquíssima evidência, para não dizer nenhuma, de que Darwin tenha mudado de idéia. O caminho que ele percorreu está descrito em Romanos 1.21-23:

    “Porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o coração insensato. Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis”.

    Deus criou todas as pessoas com um conhecimento nato sobre Ele. Porém, devido ao fato de que o ser humano se dispôs contra Deus, as pessoas O rejeitam e passam a fabricar suas próprias divindades para adorar. Os seres humanos são instintivamente adoradores, contudo muitos adoram ídolos. O declínio de Darwin, ao deixar de professar o cristianismo para se tornar o pioneiro da evolução, tem atraído muitos seguidores. Não há nada mais conveniente do que substituir a consciência do Deus único e verdadeiro pelo postulado divino da seleção natural.

    O Caráter da Teologia da Evolução

    O deus da evolução é a estupenda força da natureza que, segundo se supõe, conduz gradativamente todos os seres vivos ao aperfeiçoamento. Essa divindade é impessoal, complacente e isenta dos constrangimentos inerentes a um relacionamento pessoal. Ninguém faz orações ao deus da seleção natural. Embora os livros didáticos não definam a doutrina da teologia da evolução, seus contornos e pontos culminantes podem ser identificados de três maneiras.

    Em primeiro lugar, a teologia da evolução forma a base para o dogma do humanismo secular, segundo consta no Manifesto Humanista I e Manifesto Humanista II. O documento do Manifesto Humanista I, escrito em 1933, inicia com uma conclamação para a necessidade de se criar uma nova religião que se adapte à era vindoura. Seus dois primeiros pilares de fé consideram “o universo como auto-existente e não criado” e propõem que o ser humano “é uma parte da natureza, o qual surgiu como resultado de um processo contínuo [i.e., evolução]”.[7]

    Ao partir do pressuposto de que o ser humano é simplesmente um “animal superior”, o estudo do comportamento animal interpreta elementos de equivalência para o comportamento humano.

    Quarenta anos mais tarde, em 1973, acrescentou-se ao documento a necessidade de se depositar fé no progresso humano, apesar do surgimento do nazismo e de outros regimes totalitários que emergiram após a primeira edição do Manifesto Humanista em 1933:

    Os humanistas ainda crêem que o teísmo tradicional, particularmente a fé no Deus que ouve orações e que, supostamente, ama e cuida das pessoas, escuta e entende suas orações, e que é capaz de fazer algo em favor delas, é uma fé reprovada e obsoleta. O salvacionismo […] ainda se mostra nocivo, distraindo as pessoas com falsas esperanças de um céu após a morte. Mentes racionais confiam em outros meios para sobreviver […] Nenhuma divindade nos salvará; temos que nos salvar a nós mesmos.[8]

    A religião dos humanistas é a fé na evolução e, para eles, somente os mais aptos sobreviverão.

    Em segundo lugar, Darwin acreditava que a moralidade se originou a partir do mesmo processo que originou todos os seres vivos, a saber, através daquilo que ele admitiu ser o seu deus, a seleção natural. Na luta pela sobrevivência, vencem os mais aptos pelo simples fato de que esses demonstram elevados valores morais, não necessariamente valores corretos. Portanto, a moralidade depende de determinada situação e não possui nenhum fundamento externo que regule aquilo que é certo ou errado.

    A maioria dos cientistas sociais considera a seleção natural como a doutrina fundamental que orienta suas pesquisas no campo da moralidade. Ao partir do pressuposto de que o ser humano é simplesmente um “animal superior”, o estudo do comportamento animal interpreta elementos de equivalência para o comportamento humano. “As ciências biológicas continuam a revelar novas descobertas sobre a natureza dos seres humanos em sua relação com o restante do mundo animal”.[9] Tal mentalidade gera uma ética situacionista e uma moralidade que se baseia no momento. Não é de admirar que nos Estados Unidos se leia nos adesivos de pára-choque dos carros os dizeres: “Não fique surpreso se nossos filhos agirem como animais, já que eles aprenderam que são descendentes destes”.

    Em terceiro lugar, alguns teólogos desejam fazer a união da evolução com o Deus da Bíblia. Leia estas palavras de acomodação:

    Uma visão de futuro biblicamente inspirada oferece uma estrutura mais adaptável tanto para a ciência evolutiva quanto para a busca religiosa por significado […] Em vez de atribuir a Deus um plano “inflexível” para o universo, a teologia evolucionista prefere considerar a “visão” de Deus para o mesmo […] O Deus da evolução não determina as coisas de antemão, nem egoisticamente esconde apenas para Si a alegria de criar. Pelo contrário, Deus compartilha com todas as criaturas da própria abertura destas quanto a um futuro indeterminado.[10]

    Mais uma vez, o ser humano cria um deus à sua imagem e semelhança. Faça uma comparação com aquela época caótica do período dos Juízes em Israel, quando “…cada um fazia o que achava mais reto” (Jz 21.25).

    Like

    • Hezio says:

      É inútil descarregar o ódio contra Charles Darwin. Se ele não tivesse descoberto que as espécies evoluem, com certeza outro, ou outros, já teriam há muito tempo desempenhado esse papel; coisa que aconteceu até mesmo na mesma época de Darwin por Alfred Wallace. Este chegou exatamente às mesmas conclusões de Darwin mediante observações em lugares bem diferente daqueles onde Darwin fez suas observações. O fato de duas pessoas descobrirem a mesma coisa e chegarem à mesma explicação sem que um soubesse do trabalho do outro, por si só já é algo espantoso. O que mostra que com observação atenta e questionamento inteligente a verdade do mundo cedo ou tarde se revela. É apenas uma questão de tempo. Porque será que cada povo, cada civilização em diferentes épocas não chegaram aos mesmos mitos religiosos? Os mitos religiosos hindus são diferentes dos árabes, que por sua vez são diferentes dos chineses, que são diferentes dos ameríndios, que são diferentes dos aborígenes, que são diferentes dos polinésios. Quando todos dizem ter a verdade e essa verdade não é a mesma para todos, é muito mais provável que todos estejam errados do que apenas um esteja certo.

      Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s