5 Slogans Contraditórios Usados Pelos Ateus

Por Richard Bushey

Biblia_LuzUm ataque comum que é dirigido à Inerrante, Inspirada e Autoritária Palavra de Deus é que, segundo algumas pessoas, ela está cheia de contradições. Claro que após análise mais pormenorizada essas “contradições” mais não são que textos retirados do seu contexto. Em contraste, existem alguns slogans ateus que são claramente contraditórios. Os ateus dizem uma coisa, mas depois, do outro canto da boca contradizem o que haviam afirmado.

Eles guardam uma enorme quantidade de slogans sem seaperceberem que os mesmos são incompatíveis uns com os outros. Eu acho que existem pelo menos 5 slogans contraditórios que os ateus usam.Claro que nem todos os ateus dizem todas estas coisas e o ateísmo não alegar ser inerrante. No entanto, é interessante ver os erros básicos de lógica que os ateus são culpados de fazer sem se aperceberem que os estão a fazer.

1 – Os ateus dizem:
(a) A religião é maligna.
(b) Não existem valores morais absolutos.

É sempre interessante ver o que os ateus estão dispostos a alegar em prol da sua filosofia pessoal. Quando são confrontados com o facto da sua visão ateísta do mundo não justificar a existência de valores morais objectivos, eles respondem de modo enervado, “E depois?!!” Mas esta não é a posição dos antigos filósofos ateus que reconheceram a existência dum fundamento firme de desespero inflexível sob o qual a habitação da alma deve ser comodamente construída. Os ateus actuais, motivados pela sua filosofia de vida pessoal, alegam que não existem valores ou deveres morais absolutos mas eles não vivem dessa forma.

5_Slo_DawkinsOs mesmos ateus que dum canto da boca alegam que não existem valores morais absolutos, irão dizer com o outro canto da boca que “a religião é um dos maiores males do mundo.

A religião causa a mutilação genital, a opressão, e o sofrimento em larga escala.” Mas acho que, segundo a visão ateísta do mundo, a mesma questão por eles avançada pode-lhes ser devolvida: “E depois?!” E depois que a religião cause sofrimento? Segundo o ateísmo, não existem valores morais objectivos ou deveres.

Os ateus não se apercebem que defendem ambas as posições ao mesmo tempo: o mal é apenas uma construção da mente humana, e a religião é maligna.

2 – Os ateus dizem:
(a) Todos nascem ateus.
(b) Desconfio daqueles que afirmam serem ex-ateus.

Tradicionalmente, os filósofos reconheceram que 1) o ateísmo é a crença de que Deus não existe, 2) teísmo é a crença de que Deus existe, e 3) o agnosticismo é a falta de fé na existência de Deus. Tanto o teísmo como o ateísmo requerem algum tipo de justificação, e nomeadamente, temos que dizer “Eu acredito em Deus porque….” ou “Eu acredito que Deus não existe porque….”.

Uma vez que os ateus nunca foram capazes de oferecer algum argumento convincente, eles inventaram uma nova definição de “ateísmo”, e dentro desta definição, o ateísmo já não é a crença de que Deus não existe, mas sim a “ausência de crença em Deus”. Desta forma, todas as pessoas, até bebés, são “ateístas”. Devido a isto, eles dirão que todos nós nascemos ateus.

Mas do outro lado da boca eles dirão que ficam cépticos daqueles que afirmam serem ex-ateus. Se eu digo “Eu era um ateu mas agora sou Cristão”, os ateus irão imediatamente ficar cépticos dessa alegação. Mas como é que eles podem ficar cépticos se, segundo a sua visão do mundo, todos nós nascemos ateus? Ficar com dúvidas da alegação de que alguém é um ex-ateu é uma admissão de que os ateus não acreditam que todos nós nascemos ateus.

Apesar disso, e sacrificando a racionalidade, os ateus defendem ambas as posições.

3 – Os ateus dizem ao mesmo tempo:
(a) O que pode ser afirmado sem evidências, pode ser rejeitado sem evidências.
(b) Eu afirmo isso sem qualquer tipo de evidência em seu favor.

Este slogan de que o que pode ser alegado sem evidências pode ser rejeitado sem evidências foi usado inicialmente por Carl Sagan, se não me engano, e foi popularizado nas últimas décadas por Christopher Hitchens. Deixem-me dizer que, como princípio científico, isto é, no geral, verdadeiro. Se alguém faz uma alegação científica sem qualquer tipo de evidência, essa alegação pode ser devidamente rejeitada sem qualquer evidência. Olhando para as coisas segundo este prisma, os ateus podem estar certos, se aplicarem esta lógica aos princípios científicos.

5_Slo_HitchensMas não é isto que eles fazem. Eles pensam que este slogan se aplica de forma universal, com uma excepção, obviamente: eles fazem essa afirmação mas não oferecem qualquer tipo de evidência. Normalmente, eles dizem “O que pode ser afirmado sem qualquer evidência pode ser rejeitado sem se oferecer qualquer tipo de evidência“, mas afirmam isso sem fornecer qualquer tipo de evidência. Logo, se nós usarmos o padrão de evidências por eles avançado, seremos forçados a rejeitar essa frase.

Isto é uma proposição auto-contraditória se ela forma afirmada sem qualquer tipo de evidência em seu favor. Apesar disso, os ateus continuam a afirmar esta frase sem
oferecerem qualquer tipo de evidência.

4 – Os ateus dizem:
(a) Deus é maligno por permitir tanta injustiça no mundo actual.
(b) Deus é maligno por não permitir a injustiça na Bíblia Hebraica (“Antigo Testamento”).

Um dos argumentos mais comuns contra a existência de Deus é o problema do mal e o sofrimento. Existem pessoas no mundo que parecem sofrer desnecessariamente, e segundo os ateus, Deus nada faz nada para disponibilizar algum tipo de conforto. Essencialmente, esta é a alegação de que se Deus é Bom, Ele deveria parar o mal, e se Ele é Poderoso, ele seria capaz de parar o mal; mas como o mal existe, então, dizem os ateus, isso significa que ou Deus não é Bom, ou então Ele não é Poderoso, ou então Ele não existe. Eu já demonstrei no meu artigo “5 Razões que Mostram como o Mal Não Desqualificam Deus” que este argumento é espúrio. Mas, tal como eu disse, os ateus queixam-se de que Deus não impede o mal.

No entanto, na Bíblia Hebraica há relatos da forma como Deus parou com o mal. Deus está constantemente a trazer justiça sobre a geração maligna visto que Ele é Um Deus Santo e Justo e estas são vidas que Lhe pertencem. Essencialmente, Deus está a dar aos homens o que eles merecem, impedindo o mal do mundo. Apesar disso, os ateus dizem que Deus está a ser “maligno” ao executar os Seus juízos. Mas no seu argumento do mal, os ateus avançam que Deus é “maligno” porque Ele não faz justiça!

Aparentemente, os ateus estão um bocado indecisos no que acreditar em relação a Deus. Eles estão zangados com Deus por fazer justiça, mas ao mesmo tempo, zangados por Deus não fazer justiça. Com estas queixas flutuantes, ficamos com a clara ideia de que a sua posição ateísta não se baseia na racionalidade mas sim na emotividade.

5 – Os ateus dizem:
(a) O universo não tem causa.
(b) Deus tem que ter uma causa.

Os ateus têm a tendência de fazer alegações grandiosas sobre o universo: “o universo pode ser ter criado a ele mesmo“; “o universo é auto-suficiente“; “o universo é eterno“. De qualquer das formas, o universo existe e pode até ter tido um inicio absoluto, mas em circunstância alguma o universo precisou duma Causa, e especialmente, o universo não precisa dum Movedor Inicial. Não, não, não. Em circunstância alguma isso será permitido!

5_Slo_DinoApesar disto, eles são rápidos a afirmar que Deus tem que ter uma causa. Se Deus existe, dizem eles, então claramente Ele tem que ter uma causa. Muitos ateus que fazem esta pergunta, pensando que estão a agir como pensadores de elite:Ah, sim, mas quem criou Deus?!! Eles são bastantes rápidos para dizer que Deus exige uma causa – a própria existência de Deus exige uma causa para além Dele – mas quando se chega à questão do universo, o seu argumento muda por completo.

Claramente, este padrão duplo demonstra que os militantes ateus são intelectualmente desonestos que usam a lógica da “Defesa Especial”, onde o padrão de casualidade é aplicado a Deus não é aplicado ao universo.

Fonte

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

38 Responses to 5 Slogans Contraditórios Usados Pelos Ateus

  1. Adalberto Felipe says:

    Outros exemplos de slogans contraditórios hipócritas dos ateus também:

    6 – os ateus dizem:
    (a) ser ateu é somente não acreditar em Deus, não tem nada a ver com o comunismo;
    (b) ser ateu é estar do lado da ciência, ser inteligente, questionar, buscar a ciência;

    Nesta eles ignoram os milhões de mortos nessas ditaduras ateias, o apoio claramente visto do ateísmo ao comunismo, aos movimentos de esquerda e coisas que a esquerda sempre apoia como o aborto, feminismo, liberação da maconha, etc.

    Ignoram também que muitos cristãos criacionistas foram os responsáveis pela ciência, pela criação de universidades no mundo afora, muitos inventos atuais e que a própria bíblia diz para buscarmos sabedoria e até analisarmos as escrituras.

    E vendo certos argumentos que os ateus usam, como aqui e aqui, bem como a hipocrisia deles, dá para ver o quanto eles “usam a ciência”.

    7 – os ateus dizem (e repetindo novamente o primeiro item do exemplo anterior):
    (a) ser ateu é somente não acreditar em Deus, não tem nada a ver com o comunismo;
    (b) ateus que costumam ficar do lado dos cristãos, criticar a forma que os ateus agem contra os eles e / ou defender parte de valores cristãos como o Luciano Ayan, o bluezão e a Sociedade de Ateus Conservadores não são ateus de verdade ou são religiosos se fingindo de ateus.

    Se ser ateu é somente não acreditar em Deus e não tem nada a ver com o comunismo, por que um ateu não pode defender causas conservadoras ou criticar a forma como muitos ateus agem na internet?

    Essa é incrível de se ver: eles negam constantemente sobre o envolvimento do ateísmo com o comunismo ou outros movimentos de esquerda, mas ao mesmo tempo, criticam os poucos ateus conservadores por não serem ‘ateus de verdade’ ou se fingirem, e no final, só confirmam que apesar de em teoria ateísmo ser uma coisa e comunismo ser outra, na prática há (e houve) muita aderência de ateus a causas comunistas sim e como há, é porque os cristãos estão certos nos perigos do ateísmo e na questão da moral.

    8 – outra coisa muito comum que os ateus dizem:
    (a) ser religioso é ser fanático;
    (b) ser ateu não tem nada a ver com fanatismo (ou até mesmo: não existe fanatismo ateu);

    Religioso e fanático não são sinônimos. De fato, existem religiosos fanáticos, mas o fanatismo é também alguém que está engajado em uma causa e como é isso, é óbvio que vão existir fanáticos por causas ateístas… ou será que não existem?

    Visite no youtube e veja a maneira agressiva que os ateus tratam cristãos nos comentários, o tanto que os vídeos em que os cristãos respondem aos ateus ou defendem seu ponto de vista de forma educada são negativados e a forma mal educada em que ateus, em maioria, agem.

    São tantos exemplos que se for postar aqui os comentários de ateus fanáticos, ficaria um bom tempo e nunca conseguiria postar todos. Este link tem uma pequeníssima amostra e temos até um exemplo de fanatismo ateísta com ateus famosos também.

    Madalyn Murray O’Hair foi a fundadora da sociedade ‘Ateístas Americanos’ e era uma mulher conhecida há tempos pela sua defesa do ateísmo e críticas ferrenhas a bíblia. Ela teve dois filhos e um deles (Willian J. Murray) se converteu ao cristianismo e quando ele se converteu ela disse algo repugnante:

    “Podemos chamar isso de aborto pós-natal por parte da mãe, eu acho; eu o repudio inteira e completamente agora e todos os tempos… ele está além do perdão humano.”

    Há outros exemplos também como um ateu que invadiu a igreja e ofendeu os cristãos ou um que matou três pessoas por acreditarem em Deus e tudo isso comprova mais uma hipocrisia e desonestidade intelectual dos ateus.

    Um ateu pode argumentar: “mas religiosos atiram aviões em prédios, se explodem e criaram revoltas no mundo todo, bem como ameaças de morte e até ataques por causa de charges de Maomé”, daí, é só contra-argumentar:

    “De que religião você acha que são as pessoas que fizeram isso? O que isso tem a ver com o cristianismo? Feministas zombam a todo momento da fé católica, esfregando crucifixos e imagens em seus genitais, quebram imagens e cruzes, vandalizam igrejas. Ateus fazem filmes de mau gosto aos cristãos e criam charges horríveis dos cristãos em seus sites. Gays se fantasiam de Jesus e de santos cristãos e também zombam da fé católica e muito mais e não estou vendo cristãos se atirando em prédios, explodindo ou criando revoltas no mundo todo devido a isso.”

    9 – outra também:
    (a) religiosos tem suas verdades absolutas e não mudam de opinião;
    (b) só nós podemos mudar de opinião;

    Essa não passa de uma afirmação desonesta para tentarem se promover. Foi totalmente refutada aqui: http://lucianoayan.com/2010/06/22/tecnica-so-nos-podemos-mudar-de-opiniao/

    Sem contar que vendo o que os ateus falam na internet, seus ataques, suas opiniões a respeito do aborto, feminismo, dos perigos da homossexualidade e outras coisas, dá para ver que nada disso acontece, mesmo fornecendo fatos reais, o que mostra que é uma afirmação vazia e que eles tem suas verdades absolutas também.

    10 – para finalizar:
    (a) quem acredita em Deus não pensa;
    (b) ateus pensam;

    Será que vale apena refutar essa imbecibilidade? Se eles pensam mesmo devem saber como o ser humano é, independente do que acreditam, devem saber dos cristãos que pensam e tanto colaboraram para a ciência e para o desenvolvimento de novas tecnologias, que ateu é só não acreditar em Deus e o “quão tolerantes” e “sem preconceitos os ateus” são.

    E é por isso que muitos ateus perdem o debate nos cristãos: por ficarem vendo demais essas ‘ATEAs’ e ‘Bules Voadores’ da vida, muitos acabam pensando assim e achando que a ciência depende do naturalismo, mas depois se impressionando com o conhecimento que muitos cristãos tem sobre a ciência, lógica, história, matemática, filosofia e muito mais.

    Fazer o quê, se Deus está ao nosso lado e nos orienta a questionar e buscar o conhecimento!

    Like

  2. Todas as sociedades conhecidas tem normas de conduta. Basicamente podemos dizer que tem um conceito de bem e de mal.

    Este conceito de bem e mal é interiorizado pela grande maioria das pessoas dessa sociedade.

    Claro que as normas são muitas vezes violadas mas numa dada sociedade há um enorme consenso quanto a classificar de bom ou mau um comportamento.

    Se no império romano a escravatura não era vista como um mal na nossa sociedade há um enorme consenso quanto à escravatura ser um mal.

    Outra característica das normas morais é que são vistas pelos membros duma sociedade como melhores que todas as outras e até absolutas.

    O que também se constata é que as normas e o conceito de bem e mal vão sofrendo alterações com o tempo.

    O que era mau numa época pode vir a ser bom noutra.

    Não parece haver comportamentos que em todas as épocas sejam considerados sempre bons ou maus.

    Segundo Freud a proibição do incesto mãe filho é universalmente considerada má.

    Claro que há normas que forçosamente tem de surgir numa sociedade.

    Se há propriedade privada tem de se proibir o furto ou roubo e vê-los como um mal. Caso contrário era o caos.

    Eu estou convencido que as normas e o conceito de bem e mal são uma construção colectiva, como uma língua, e que vão sendo refinadas com o tempo.

    O facto é que na nossa sociedade partilhamos a interiorização de regras e distinguimos com facilidade o bem do mal.

    Se fossemos parte doutra sociedade noutro tempo interiorizariamos outras normas e tinhamos outro conceito completamente diferente de bem e de mal.

    Portanto só faz sentido dizer que o Jeová do Velho Testamento é mau se houvessem regras imutáveis para distinguir o bem do mal.

    As regras vão mudando. No tempo do VT certamente os apedrejamentos ou a venda dos filhos como escravos não eram percebidos como um mal. Eram vistos como um bom comportamento.

    Estas regras vinham de Deus e este era percebido como bom.

    Com a evolução do pensamento humano esses comportamentos são consensualmente percebidos como muito maus. Independentemente de sermos ou não crentes.

    O facto de admitir que o bem e mal são relativos a épocas e sociedades não tem nada a ver com a interiorização das normas que interiorizamos.

    E no fundo uma moral absoluta também depende da interpretação de textos. E essa interpretação vai mudando com o tempo.

    A moral absoluta cristã até ao século XVIII não proibia a escravatura e agora proíbe.

    Também é relativa à interpretação que vai variando com a evolução da sociedade.

    No fundo não se distingue uma moral absoluta duma relativa.

    Like

    • Maria Teresa says:

      Distingue-se sim. A questão é que para nós humanos, mesmo os cristãos muitas vezes não é fácil de entender a sabedoria de Deus e a Sua Justiça. O próprio Apóstolo Paulo disse:”Ó profundidade da riqueza da sabedoria e do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são
      os seus juízos e inescrutáveis os seus caminhos! “Quem conheceu a mente do Senhor?
      Ou quem foi seu conselheiro?” “Quem primeiro lhe deu, para que ele o recompense?” Pois dele, por ele e para ele são todas as coisas. A ele seja a glória para sempre! Amém” (Romanos 11:32-36). Outra questão é que os homens têm má vontade para aprender as coisas espirituais de Deus. Mas é pela fé que cremos que Deus é Perfeito e Justo. A mensagem da cruz é loucura para quem não crê porque Deus sacrificou-se a si mesmo e derramou o Seu sangue para salvar o mundo da Sua ira e da perdição eterna; “visto que, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por meio da sabedoria humana, agradou a Deus salvar aqueles que crêem por meio da loucura da pregação”(1Co.1:18, 21). O cristão deseja conhecer Deus e Ele revela-se ao contrito de coração mas para aquele que insiste em permanecer no caminho da impiedade e ouve a Palavra com má vontade, resta-lhe a ignorância espiritual e um fim do qual não poderá nunca acusar Deus de ser injusto. Ninguém pode dizer que não tem como O conhecer, mas pode dizer que não O aceita como Ele diz que é; na Sua justiça Ele diz que todo o joelho se dobrará e toda a língua confessará que Ele é Deus.

      Like

  3. Sodré says:

    Outros exemplos de slogans contraditórios hipócritas dos ateus também:
    6 – os ateus dizem:
    (a) ser ateu é somente não acreditar em Deus, não tem nada a ver com o comunismo;

    Onde está a “contradição hipócrita”? Talvez fosse melhor definir “comunismo” para ver se isto faz algum sentido… Para mim, os “comunistas” e “ateus” no Império Romano foram precisamente os cristãos de então…, subversivos que não respeitavam aos deuses (foram mesmo acusados de ateísmo) e bem pouco as autoridades e o Estado.e os proprietários….

    Like

    • Paulo Macabeu says:

      Caro Sodré,

      Tudo o que você tem de fazer é ler Marx. (…) Será que teríamos razão em negar que o comunismo foi uma ideologia ateísta?

      O comunismo exige a eliminação da classe exploradora, exalta a violência em nome do progresso social e pede que se use qualquer meio necessário para se alcançar a utopia ateísta. Não só Marx foi ateu, mas o ateísmo também é o ponto central da doutrina marxista. (…) Marx argumenta, como todos sabem, que a religião é o ópio das massas, ou seja, a religião é uma droga. Ela cega para as injustiças sociais. Portanto, você não poderá criar o “novo homem” e a nova utopia até que liberte as pessoas da religião. Vejo o ateísmo como parte central [do marxismo], e não é coincidência que toda sociedade marxista perseguiu igrejas, matou religiosos etc. Tudo isso é parte do esquema ideológico. (…) O ateísmo tornou-se um componente central da ideologia oficial da ex-União Soviética, ainda é a doutrina oficial da China. (…) [Todos os estados comunistas do passado e do presente foram ou são oficialmente estados ateus.] Todos os regimes comunistas são energicamente antirreligiosos, sugerindo que seu ateísmo é intrínseco, e não acidental, à sua ideologia. (…)

      Estima-se que Stalin seja responsável pela morte de 55 milhões de pessoas — mais vítimas que em todas as guerras religiosas somadas. Mao Tse Tung teria assassinado 70 milhões, e a matança continua… (…) Até aqui, não contei os homicídios e assassinatos ordenados por outros ditadores soviéticos, como Lenin, Khrushchev, Brezhnev, e por aí vai. Nem incluí uma legião de tiranos “menos” ateus: Pol Pot, Enver Hoxha, Nicolae Ceausescu, Fidel Castro, Kim Jing-il. (…) Os regimes ateus mataram mais pessoas em uma semana do que a Inquisição em três séculos. E por quê? Por causa de uma máxima escrita por Dostoievski no livro “Os Irmãos Karamazov”: “Se Deus não existe, tudo é permitido”. (Dinesh d’Souza, “A Verdade Sobre o Cristianismo”, capítulo 19 — editora Thomas Nelson Brasil, e textos avulsos do mesmo autor.)

      E quanto à segunda parte de seu comentário, caro Sodré, onde o senhor pretende de algum modo nivelar os cristãos do Império Romano aos comunistas do Século XX, não vou retrucar. Não tenho tempo nem paciência para discutir asneiras.

      Like

  4. Joana Souza says:

    Uma perguntinha:
    Os mesmos ateus que afirmam A, afirmam B?

    Like

    • Mats says:

      (A) e (B) são frases que são avançadas por ateus, mas não quer dizer que todos os ateus digam (A) e (B). Incrível como é preciso explicar estas coisas tão básicas.

      Like

      • Antonio Carlos de Carvalho says:

        Se você quer doutrinar as pessoas, terá que ter toda a paciência do mundo, ou será que esse seu DEUS particular não lhe ensinou a mansidão? Ou será que um ateu terá que lhe ensinar? Menos arrogância aí, blogueiro!

        Like

    • Paulo Macabeu says:

      Cara senhora,

      Logo no começo da matéria, o autor diz: “Acho que existem ao menos cinco slogans contra-ditórios que os ateus usam. Claro que nem todos os ateus dizem todas estas coisas e o ateísmo não alega ser inerrante. No entanto, é interessante ver os erros básicos de lógica que os ateus são culpados de fazer sem se aperceberem que os estão a fazer”. Creio que isso responde à sua pergunta.

      Like

  5. Paulo Macabeu says:

    Caro blogueiro,

    Achei que neste blog não teríamos que aturar com irrelevâncias e insultos à inteligência. Assim, solicito que o comentário de Antonio Carlos de Carvalho seja excluído, por ser demagógico, de um pseudomoralismo irritante, citar Deus com insolência ofensiva e ainda por cima não acrescentar conteúdo nenhum.

    Like

  6. Paulo Macabeu says:

    Eu gostaria de acrescentar mais um exemplo contradição ateia:

    11 — Os ateus dizem:
    (a) Não existem valores morais absolutos.
    (b) Posso ser moralmente íntegro sem ser forçado por uma deidade.

    Ora, se não há Deus, não há pecado. Se Deus não existe, não há, nem pode haver mandamentos estabelecendo quais ações são pecaminosas. O ateismo é amoral por natureza e relativista por necessidade. Num mundo ateu, o máximo que poderia haver seriam convenções humanas, passíveis de mudar uma vez a cada semana conforme os interesses políticos da ocasião.

    Como é possível ser moralmente íntegro sem acreditar em valores morais objetivos? Como é possível ser moralmente reto dentro de uma visão de mundo intrinsecamente amoral?

    Like

    • Sodré says:

      “Num mundo ateu, o máximo que poderia haver seriam convenções humanas, passíveis de mudar uma vez a cada semana conforme os interesses políticos da ocasião”.

      Exatamente como num mundo religioso teísta…., com os deuses, os escritos sagrados, e as formas de interpretar as suas vontades e de aplicar os escritos, a mudarem conforme as convenções humanas, o resultado das guerras, a evolução do conhecimento, etc…
      Desde que o homem é religioso, quanto deuses já teve? quantos escritos religiosos foram produzidos? quantas religiões surgiram e já desapareceram? etc… Só subsiste o que convém às ditas “convenções humanas”…

      Like

  7. Paulo Macabeu says:

    Um acréscimo necessário ao comentário anterior:

    No teísmo, um indivíduo é justificado ou reprovado segundo critérios morais externos e superiores. Esses critérios não podem ser alterados por nenhum líder religioso e nem mesmo por Deus, já que refletem sua própria natureza: Deus é perfeito, e portanto imutável (só o que é imperfeito precisa mudar). Assim, tudo o que reflete sua natureza perfeita é igualmente imutável.

    Já os ateus se justificam ou reprovam segundo critérios próprios. Como são criaturas imperfeitas, seus valores refletem sua imperfeição, e por isso estão sempre sujeitos a mudança (daí a necessidade do relativismo moral). Ou seja, os ateus só são justos aos seus próprios olhos. E isso é ilusório, visto que ninguém é bom juiz em causa própria.

    Like

    • Sodré says:

      “No teísmo…” é uma ideia do divino criada pelo homem, tal como outras (deísmo, panteísmo, panenteísmo, ateísmo….), de modo nenhum prova que algum Deus real esteja em conformidade com a ideia teísta. Tudo muda Tudo se transforma, essa é a perfeição da realidade… as próprias ideias humanas do que seja o divino vão mudando…Em nenhum lado a imutabilidade é sinónimo de perfeição.

      Like

      • Paulo Macabeu says:

        Vamos esclarecer algumas coisas:

        Primeiro: No caso do catolicismo, só para exemplificar, os dez mandamentos não foram inventados pelo Papa, nem por qualquer teólogo cristão. Eles transcendem a própria Igreja. E nem o Papa, nem ninguém, tem autoridade para mudar ou revogar um só mandamento. Mais ainda: o Papa está tão sujeito a eles quanto qualquer um. Logo, a autoridade dos mandamentos está acima da autoridade do Papa. Conclusão: os mandamentos são critérios morais externos e superiores aos quais os católicos têm que se submeter. As regras que os justificam ou condenam não vêm deles mesmos.

        Segundo: “Tudo muda, tudo se transforma, essa é a perfeição da realidade…” — isso é uma simples frase de efeito, tão bombástica quanto vazia. Só o que é imperfeito requer transformação. Se “tudo muda”, é porque tudo é imperfeito. Então, que raio de “perfeição da realidade” é essa? Mais uma contradição ateia… E se as ideias humanas do que seja o divino se aperfeiçoam com o tempo, isso não prova necessariamente que Deus seja imperfeito ou um mero fruto da imaginação, mas sim que as percepções humanas é que são limitadas.

        A propósito, imutabilidade não é sinônimo, e sim atributo da perfeição.

        Terceiro: Caso ainda não tenha notado, este é um blog cristão e eu sou um cristão. Não tenho preparo, nem interesse, nem procuração das outras religiões para falar em seu nome, e o que o deísmo, panteísmo ou o panenteísmo pensam da vida é problema deles. Meu compromisso é unicamente com Jesus Cristo. Só posso e só vou falar da parte que me compete. Assinalo ainda que as religiões são independentes umas das outras, que cada qual responde unicamente por suas ações, e que julgá-las coletivamente — um hábito muito comum dos ateus — não só é ingênuo e temerário, como também é algo que os regimes totalitários que os ateus espalharam pelo mundo sempre fizeram com extrema desenvoltura, e cujos efeitos todos conhecemos muito bem.

        Like

      • Maria Teresa says:

        No Cristianismo é pois o justo viverá pela fé, como tal temos confiança (fé) de que o nosso Deus é Perfeito, Soberano, Justo; Amoroso, Fiel e Atemporal, cuja Lei moral é absoluta, imutável, justa e confiável. A questão fundamental é que todos os falsos deuses serão destruídos pelo Senhor Jesus Cristo no último dia , e todos os crédulos nesses falsos deuses serão julgados pelos seus maus actos nesse dia de juízo final.

        Like

  8. Sodré says:

    Primeiro: O facto da Igreja e o seu Papa se sujeitar a critérios externos como os 10 mandamentos em nada prova que esses critérios sejam de origem externa à humanidade em vez de terem sido produzidos por outros homens antes do surgimento da Igreja. Também nenhum dirigente comunista atual pode alterar os antigos escritos de Lenine que se impõem, por exemplo, que são um critério externo a qualquer partido que se diga comunista… E tanto os cristãos quanto os comunistas atuais interpretam e aplicam os seus “critérios externos” ao modo que lhes convém segundo as circunstâncias…(apesar o “não matarás” a igreja apoia ou recusa a pena de morte conforme a época histórica).

    Segundo: O perfeito tem de ter capacidade de adaptação permanente, o imutável morre quando as circunstâncias e o ambiente mudam…, não há nada de “vazio” nesta análise. Por isso a Natureza está viva e é dinâmica… A totalidade do que existe está em permanente transformação…, apenas a mente humana julga conseguir imaginar uma perfeição imutável.

    Terceiro: Foi você que falou “no teísmo” em vez de dizer “no cristianismo”…

    Like

    • Paulo Macabeu says:

      “O facto da Igreja e o seu Papa se sujeitar a critérios externos como os 10 mandamentos em nada prova que esses critérios sejam de origem externa à humanidade em vez de terem sido produzidos por outros homens antes do surgimento da Igreja.” E nem eu tive essa intenção. Só quis demonstrar que padrões externos, superiores e estáveis são possíveis. Mas a comparação com o comunismo não é válida. Primeiro, porque os critérios deles não vinham de fonte externa; vinham deles mesmos. Lenin era membro do Partido Comunista, como muitos outros ideólogos, talvez todos. Embora muito prestigiado, Lenin era apenas mais um entre eles; não era assim tão superior a ponto de suas ideias se imporem como inquestionáveis. Além do mais, se é preciso “ter capacidade de adaptação permanente”, e se essa crença é compartilhada pelos ateus em geral, por que diabos os comunistas não reveem suas ideias de vez em quando, mas se apegam a elas como a dogmas?

      O catolicismo, por exemplo, muda suas doutrinas por conveniências espúrias? Não que eu saiba. Não sei de nenhum caso em que a Igreja Católica tenha errado enquanto seguiu fielmente suas doutrinas. Até onde sei, os problemas sempre começaram com algum desvio doutrinário. Quando você fala de interpretações, subentendo interpretações equivocadas ou malandras. Quando aconteceram, foram sempre obra de uma minoria, impostas à Igreja como um todo por um certo tempo, e depois rejeitadas justamente por não serem vistas como fiéis à ortodoxia (creio que um exemplo bom e recente é o da chamada Teologia da Libertação). Mas não se pode culpar o todo pelos erros de uma parte. E se está escrito “Não matarás” e alguém fica inventando desculpas para matar, isso não é uma revisão doutrinária. É a negação da doutrina. De todo modo, quem desvirtua admite implicitamente que a doutrina em si deve ser virtuosa. Se fosse incorreta, não seria desvirtuada. Seria substituída. Por outro lado, muitos foram martirizados por sua fidelidade à ortodoxia — pessoas de todas as classes e níveis culturais, leigos e clérigos. Seria muito conveniente modificar a doutrina ou mesmo descuidar-se dela para aliviar a pressão, mas essas pessoas preferiram antes morrer, e duvido que alguém se disponha a tanto por algo vil, que mude o tempo todo conforme interesses de ocasião. E mesmo hoje a Igreja vem sendo muito injuriada por se recusar a negociar seus princípios morais, até porque não pode fazê-lo, já que eles a transcendem. (Já os ateus nem têm princípios morais para negociar, pois se Deus não existe, não há em cima nem em baixo.)

      “O perfeito tem de ter capacidade de adaptação permanente?” Ora, o cristianismo tem princípios imutáveis, mas deve aplicá-los a realidades mutáveis. Ponto para nós. “O imutável morre quando as circunstâncias e o ambiente mudam.” Será? Pois vejamos: está escrito “Não matarás” (princípio imutável). Mas nem todo homicídio é em primeiro grau (realidade mutável). Se alguém matar em legítima defesa, a Igreja não nega que houve um assassinato ou violação do quinto mandamento. Mas nega que tenha havido pecado. Isso porque aquele que se defendeu pretendia apenas preservar sua vida. Quem agiu com dolo não foi ele. Foi seu agressor. E não existe pecado sem dolo (outro princípio imutável). Então, mesmo tirando uma vida, quem matou em legítima defesa está isento de culpa (interpretação). Embora possa parecer contraditório matar e não ter culpa, essa não é uma interpretação marota. Ela é válida, porque está em conformidade com a essência dos preceitos. Conclusão: a realidade mudou, mas o imutável não morreu.

      E me perdoe se não expliquei o óbvio: sou teísta, mas também sou cristão. Quando falo do teísmo, falo apenas pelo ponto de vista cristão. Cada religião tem sua própria doutrina e estatutos, e cada qual responde unicamente por seus atos. E acho injusto querer tratar diferentes como se fossem iguais. Tudo isso me parece tão evidente que julguei desnecessário explicar. Ocasionalmente posso opinar em termos mais genéricos, sem me sentir comprometido de modo mais amplo. Mas fora isso, não tenho procuração para responder pelos outros — cada um que fale por si.

      Like

  9. jephsimple says:

    E esses racistas medíocres atiradores de banana… Seriam aqueles que creem que o homem é chegado dos chimpas, onde os negros sao mais chegados ainda…Como já cria o papai Darwin?

    Depois, esses atos são objetivamente errados? Ou ficamos com a época ?Quiça os negros (como eu sou) vão entender que são os priminhos mais chegados do chimpas ou os bonobos…

    Eu não sei como anda aí pela Europa, mas aqui no Brasil não entendemos como podem existir tantos idiotas … Devem ser fundamentalistas q acham q a evolução humana é um fato tanto quanto a terra gira em torno do sol… E devem achar os negros tão inferiores a eles como os chimpas o são …

    Fica o meu protestos contra esses medíocres em pensamentos…

    Like

    • Sodré says:

      Não percebo bem a quem você se dirige…, mas também lhe queria lembrar os religiosos cristãos que afirmavam que os negros descendiam de Caim e os brancos de Abel e que, obviamente, não acreditavam em Darwin e na evolução… Ou será que você nunca ouviu falar desta teoria entre organizações cristãs? Não existe ou existia racismo entre os cristãos?

      Like

      • Miguel says:

        Não existe ou existia racismo entre os cristãos?

        Sem dúvida que houve pessoas que se identificavam como “Cristãos” que olharam para outras etnisas como inferiores. A diferença é que, enquanto que a Bíblia refuta essa tese (todos nós somos descendentes do mesmo pai e da mesma mãe), a teoria da evolução foi contextualmente usada para classificar os não-brancos de inferiores.

        Like

    • jephsimple says:

      Sodré, foi vc quem jogou a banana na direção do Daniel Alves [Barcelona]???

      “Não percebo bem a quem você se dirige…”

      Se vc acha que negros e chimpas são muito chegados e vc não consegue se controlar e fica a jogar banana em negros então a carapuça lhe serviu… Sorry … Agora se tem suas crenças mas sabe respeitar os negros então fica tranquilo…

      Matei dois coelhos de uma vez … Tem relação com o post e ainda deixo meu protesto contra esses racistas medíocres, que devem mesmo achar que negros serem mais chegados dos chimpas é um fato tanto quanto a terra gira em torno do sol… Isso porque eles adoram jogar bananas naqueles que eles julgam ser raça inferior a eles…

      “mas também lhe queria lembrar os religiosos cristãos que afirmavam que os negros descendiam de Caim e os brancos de Abel”

      Mas isso é objetivamente repudiante? Nojento? Ou apenas temos duas formas diferentes de mentes interpretando a realidade? Agora isso tem valor real? O ser humano agora tem valor real?

      Eles poderiam afirmar que eram cristão, mas o fato deles suporem que os negros eram amaldiçoados mostrava que nisso eles não eram cristão, e se por conta disso cometiam atos estúpidos de racismo já era prova que se declaravam cristãos mas não eram de fato cristão … Pois a Bíblia não dá nenhum suporte ao racismo … Somos todos iguais perante Deus, com capacidades cognitivas para discernir bem e mal, ou mesmo com o potencial de vir a discernir…

      O racismo alem de idiota é injusto e ilógico.

      [aliás diz a Bíblia que ele amou tais criaturas que deu aquilo que era superior aos humanos para ter os humanos para si]

      Impossível conciliar Jesus Cristo e racismo …

      Like

      • Sodré says:

        OK! agora percebi de que estão a falar…., mas como tendo a ser cético sempre pergunto se vocês têm a certeza de que foi um ato racista e não uma ação para desestabilizar o jogador psicologicamente para que marcasse mal o pontapé de canto (ou era um livre? Tenho muitas dúvidas nas leituras simplistas e literais…, nos campos de futebol muitos atos que parecem racistas, fascistas, ou algo de semelhante, não passam de ações de provocação para afetar psicologicamente os adversários sem que eles percebam qual o verdadeiro objetivo…, pelo menos é o que me parece….

        Like

  10. jephsimple says:

    E tbm deixar bem claro que nao descendo de ancestral de macaco nenhum …Meu “tatatata” avô não é “pai” do meu pai e “pai” do pai da chita…

    Enfim… Sim, gosto de macacos, sao seres criados, dignos de respeito, mas eu nao sou parente de macacos, nem negro algum, nem os africanos …

    Like

  11. jephsimple says:

    Sodré,

    Não entendi muito bem esse fato ser uma forma de desestabilizar [me parece não deixar de ser racismo] o adversário, eles devem ser muito burros pq o Dani não é de longe fundamental para o Barça, que jogassem bananas na direção do Messi ou do Iniesta … Mas já fiquei sabendo que pegaram o imbecil e ele está banido dos estádios…

    Agora se eles fossem aplicar essa regra no Peru eles iam banir um bocado de gente, pois quase que por inteiro o estádio imitava o som de macaco quando o jogador tinga do Cruzeiro [Brasil] pegava na bola em jogo valido pela Libertadores da América…

    Like

  12. Paulo Macabeu says:

    Eis mais uma papagaiada dos ateus, esses pretensos monumentos à racionalidade.

    12. Duas atitudes ateias:

    (a) Primeiro os ateus fazem tudo ao seu alcance para excluir Deus de todos os aspectos da vida pessoal, familiar, social e política.

    (b) Depois, quando a imoralidade e a corrupção se instalam, crimes medonhos viram rotina, guerras começam a pipocar e a decadência moral vira epidemia, os ateus perguntam aos religiosos: “Onde está o seu Deus?”.

    Like

    • jephsimple says:

      Pois é Paulo.

      Como se um mundo imoral, corrupto fosse contraditório a cosmovisão teísta-cristão.

      Mas …

      Bíblia King James Atualizada [Mateus 7:13]
      Entrai pela porta estreita, pois larga é a porta e amplo o caminho que levam à perdição, e muitos são os que entram por esse caminho.

      Contexto

      Entrai pela porta estreita, pois larga é a porta e amplo o caminho que levam à perdição, e muitos são os que entram por esse caminho. Porque estreita é a porta e difícil o caminho que conduzem à vida, apenas uns poucos encontram esse caminho! Pelo fruto se conhece a árvore.

      Referência Cruzada
      Isaías 35:8
      Ali haverá uma estrada, um caminho que será conhecido por Caminho de Santidade. Os impuros não passarão por ele; servirá tão somente aos que são do Caminho; os ímpios e insensatos escolherão não seguir por ele.

      Provérbios 9:6
      Abandonai a insensatez e vivei; andai pelo Caminho do arrependimento!

      Isaías 55:7
      Abandone o ímpio o seu caminho, e o homem mau as suas maquinações, e volte para Yahweh, pois ele terá misericórdia dele; retornai ao nosso Deus, pois ele dá de bom grado o seu perdão.

      Ezequiel 18:27-32
      Mas, se um ímpio se desviar de sua maldade e fizer o que é reto e justo, ele conservará a sua própria vida.…

      2 Coríntios 4:4
      O deus, desta presente era perversa, cegou o entendimento dos descrentes, a fim de que não vejam a luz do Evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus.

      Like

      • Paulo Macabeu says:

        Caro Jephsimple,

        Essa eu não entendi.

        Primeiro você afirma que um mundo imoral, corrupto, não contradiz a cosmovisão teísta-cristã, sugerindo que ela de algum modo é leniente com a imoralidade e corrupção. Em seguida, transcreve uma série de passagens bíblicas que demonstram exatamente o contrário.

        Por favor, avise quando decidir de que lado do muro você quer ficar.

        Like

      • jephsimple says:

        Paulo,

        O que eu disse é que o fato de existir a corrupção e maldade não contradiz com a cosmovisao crista.

        Mas com afirmou o Apóstolo Paulo que os últimos dias seriam difíceis …

        Isso não implica em eu ter dito que o cristianismo é conveniente .

        Oras, eu creio piamente no Juizo Final… Nao entendi a objeçao o.O

        Like

  13. Adalberto Felipe says:

    Há um outro slogan super contraditório do ateísmo também que é muito, mais muito comum vermos e até já peguei no pé de ateus em relação a isso: sobre o agnosticismo:

    Alguns acham que agnóstico é uma pessoa que está na dúvida;

    Outros discordam e acham que agnóstico é um religioso com dúvidas;

    Outros já discordam e acham que agnóstico é um ateu com dúvidas;

    Mas alguns discordam e acham que agnóstico é uma pessoa que está no meio termo entre o existir e não existir;

    Mas outros já acham que agnóstico é uma pessoa que acredita que com a ciência e a razão, nunca poderá ser provado se Deus existe ou não;

    Alguns acreditam que existem ‘agnóstico ateu’;

    Já outros discordam e dizem que agnóstico é uma coisa e ateu é outra;

    … e assim, vai.

    Há também uma coisa muito curiosa sobre agnósticos, facílima de ser observada na internet: a maioria age mais como ateu do que como pessoas que estão na dúvida, no “não sei” e há muitos que são mais fanáticos do que muitos ateus que tem por aí.

    Em vídeos de ateus famosos, é muito comum colocarem pessoas que se declaram como agnósticas e vai questionar isso lá para você ver as más respostas que você vai levar.

    Outra coisa curiosa são as discussões a respeito disso: há enormes discussões em fóruns ateístas se existe agnóstico ateu ou não, se um agnóstico pode acreditar em Deus ou não e um monte de definição discordante sobre o que é agnóstico.

    Charles Chaplin se declarava agnóstico e alguns ateus adoram colocar uma frase que Charles Chaplin pode não ter dito, em que ele supostamente diz: “Por simples bom senso, não acredito em deus. Em nenhum.”… mas Charles Chaplin era agnóstico… e nenhum questiona se essa frase realmente foi dita por Chaplin e se o fato dele ser agnóstico pode fazer com que ele diga algo contraditório.

    Independente disso, como falei, é fato: 99% das pessoas que se declaram agnósticas, agem mais como ateus, sempre atacando os cristãos e seus valores, nunca discutindo contra os ateus, nunca dando motivos do porquê estão na dúvida, do porquê temos que questionar o ateísmo também, etc., além de haver muitas discussões nos fóruns ateístas sobre isso, como se os agnósticos fossem algo que nem eles mesmos sabem o que é.

    Se encontrarem alguém que se diz agnóstico e ele estiver atacando a existência de Deus como os ateus, o questione sobre isso, fale sobre a verdadeira definição de agnosticismo, mostra a quantidade de definições diferentes que os próprios ateus e agnósticos dão, faça-o questionar o ateísmo também e se ele vier atacando, faça o mesmo e ria da cara dele, mostrando que ele é algo que nem ele mesmo sabe o que é, como muitos agnósticos parecem ser também.

    Like

  14. 1 – Os ateus dizem:
    (a) A religião é maligna.
    (b) Não existem valores morais absolutos.

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Inquisi%C3%A7%C3%A3o

    Like

  15. 2 – Os ateus dizem:
    (a) Todos nascem ateus.
    (b) Desconfio daqueles que afirmam serem ex-ateus.

    Vocês fizeram catecismo ou escola dominical ou aprendeu o cristianismo por revelação apenas?

    Like

  16. 3 – Os ateus dizem ao mesmo tempo:
    (a) O que pode ser afirmado sem evidências, pode ser rejeitado sem evidências.
    (b) Eu afirmo isso sem qualquer tipo de evidência em seu favor.
    Joao, cite UM ateu que fale EXATAMENTE isso!

    Like

  17. 4 – Os ateus dizem: (a) Deus é maligno por permitir tanta injustiça no mundo actual. (b) Deus é maligno por não permitir a injustiça na Bíblia Hebraica (“Antigo Testamento”).
    Joao, cite UM ateu que fale EXATAMENTE o item b!

    Like

  18. 5 – Os ateus dizem: (a) O universo não tem causa. (b) Deus tem que ter uma causa.
    Quem alega que o universo TEM que ter uma causa são os religiosos, logo se eles alegam que Deus tem que ter uma causa, por que Deus não precisa de uma??

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s