De que forma é que o ADN refuta a teoria da evolução?

“NO PRINCÍPIO era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.”

ADN AzulUm problema grave para a teoria da evolução é a questão da origem da informação biológica.

O ex-professor de engenharia Werner Gitt estudou a essência da informação e o resultado das suas pesquisas é um modelo informativo no qual são definidos “cinco níveis de informação”.

Para a informação em código, na qual ocorrem os cinco níveis, podem ser formuladas deduções e conclusões de grande alcance.

Os cinco níveis de informação, segundo Werner Gitt

1. Estatística

Aqui se incluem questões estatísticas tais como o número de caracteres e o número de palavras num determinado texto.

2. Sintaxe

Entendem-se por “Sintaxe” todas as características estruturais da apresentação da informação (código), inclusive as regras para a combinação de caracteres e para a cadeia de caracteres (gramática e vocabulário).

3. Semântica

Este termo grego (semantikós = característico, aspecto significativo) refere-se ao significo de uma sequência de caracteres.

4. Pragmática

A transmissão da informação acontece com a intenção do emissor de provocar uma determinada reacção no receptor (grego: pragmatike = “arte de agir correctamente”: aspecto da acção).

5. Apobética

A informação é enviada com o fim de alcançar um determinado objectivo. Com isso atingimos o nível mais elevado, ou seja, a Apobética (aspecto do objecto, aspecto do resultado; grego: apobeinon = resultado, êxito, efeito).

Leis Naturais da Informação (LNI)

Para o domínio escrito, Werner Gitt estabelece dez “Leis Naturais da Informação” (LNI)

1ª LNI: Uma grandeza material não pode produzir uma grande imaterial.

Sabemos por experiência que uma macieira produz maçã e uma pereira produz pêras. Assim também, cavalos geram potros, vacas geram bezerros, e mulheres dão à luz bebés. Do mesmo modo deduzimos por observação que de uma grandeza exclusivamente material nunca poderá ser gerado algo imaterial.

2ª LNI: A Informação é uma grandeza imaterial fundamental

Na nossa realidade podem-se distinguir claramente grandezas materiais (matéria e grandezas a ela correlacionadas, tais como a energia, a quantidade de movimento, a electricidade) e grandezas imateriais (por exemplo, informação, consciência, inteligência, vontade).

3ª LNI: A informação é a base imaterial de todos os sistemas técnicos controlados por programas e de todos os sistemas biológicos.

Existem inúmeros sistemas que não dispõem de inteligência própria, mas podem transferir e armazenar informação ou controlar processos. Tais sistemas existem tanto no campo do inanimado (por exemplo, computadores em rede, controle de processos numa indústria química, serviços de lavagem de automóveis) quanto no campo do animado (processos controlados pela informação na célula, dança das abelhas).

4ª LNI: Não existe informação sem um código.

Sempre que se armazena, transmite e se processa informação, é necessário um sistema codificado.

5ª LNI: Todo o código é o resultado de um acto livre e deliberado.

A característica essencial dum símbolo codificado (carácter) é que houve um momento em que ele foi livremente definido, evento que ocorreu mediante o uso de inteligência.

6ª LNI: Não há informação nova sem um emissor inteligente dotado de vontade.

O processo de aparecimento de nova informação (ao contrário de informação copiada) pressupõe inteligência e livre arbítrio.

7ª LNI: Toda a informação que é recebida no final de uma cadeia de transmissão pode ser rastreada até que se chegue a uma fonte emissora inteligente.

Na maior parte dos casos, o autor da informação não se encontra presente ou não é mais visível. O facto do autor não ser visível – no caso de documentos históricos ou no caso duma biblioteca com milhares de livros cujos autores nao são mais visíveis – não leva ninguém a concluir que não existe emissor algum. O mesmo aplica-se à informação biológica.

8ª LNI: Todos os cinco níveis de informação existem tanto do lado do emissor como do lado do receptor.

A informação tem sempre um emissor como fonte. O emissor concebeu a informação e deseja transmiti-la a um ou mais receptores. (…)

9ª LNI: A informação não se pode originar através de processos aleatórios

Para os defensores da Teoria da Evolução seria um grande éxito se eles conseguissem demonstrar com uma experiência real que a informação se pode originar a si mesma em matéria abandonada, sem a intervenção duma inteligência. Infelizmente para eles, isso nunca foi demonstrado ou documentado, apesar dos gigantescos e infrutíferos esforços por eles feitos a nível mundial.

O dilema que os evolucionista têm com a origem da vida prende-se precisamente no facto da matéria inorgânica não ter a capacidade de gerar vida biológica autoreplicante.

10ª LNI: Para armazenar a informação, é necessário um suporte material.

Se a grandeza imaterial “informação” tiver que ser armazenada, será necessário para tal papel, um quadro negro, ou um disco rígido (só para citar alguns métodos de armazenamento de informação). Do mesmo modo, também a informação presente nos seres vivos necessita dum suporte material; neste caso, esta informação “cavalga” sobre quatro ligações químicas que formam o ADN: as bases de nitrogénio adenina, citosina, guanina e timina. (…)

Resumo:

No que diz respeito à informação codificada dos seres vivos, os conhecimentos da Teoria da Informação apontam para o facto dela não se ter originado através de processos naturais (aleatórios), mas ser, sim, o efeito dum processo criativo propositado. Diante destas evidências científicas, a hipótese de que Um Criador Inteligente tenha organizado a matéria de modo a gerar informação genética faz muito mais sentido do que as alternativas naturalistas.

Enquanto os ateus evolucionistas não forem capazes de encontrar uma força natural com a capacidade de gerar informação em código, a sua teoria religiosa encontra-se cientificamente inválida.

Fonte: “Criação”, Alexander vom Stein (páginas 140 e 145)

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

11 Responses to De que forma é que o ADN refuta a teoria da evolução?

  1. heliocolombe says:

    Querido Matt, você tem um material de fácil linguagem que fala forte da Terra Jovem? Uma publicacação en espanhol ou português? Creio que a melhor maneira de refutar todos esses retardados da “Evolução” é exatamente a Teoria da Terra Jovem. Saludos desde MX. Fique com Deus!

    Like

  2. muito bom, na imaginação vale tudo, como dizer que já “fomos” uma “ameba”… Quero ver mostrar isso por processos naturais.

    Like

  3. Matheus says:

    Mats, sou cristão e creio fielmente nas palavras do Senhor Jesus, bem como de toda a Bíblia. Porém em meu cotidiano ( creio que na maioria dos cristãos ), estou cercado de materialistas céticos e ateístas. A maioria das pessoas que eu conheço acreditam na TE, porém eu já cheguei a acreditar também, mas deixei tal crença após conhecer ao Senhor Jesus. A Bíblia diz: “O qual nos tirou da potestade das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu amor; Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados;
    O qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; Porque nele foram CRIADAS todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele. E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele.” Colossenses 1:13-17. Tendo esta passagem como base, pela fé, cremos que Deus, com Cristo, criou todas as coisas. (João 1:1-3, Hebreus 1:1-2). Em relação a Biologia, por ver a tamanha complexidade que cerca a vida e a matéria em geral. Pretendo ser historiador e teólogo (se Deus quiser!), e algo que tenho percebido na história, é a plena falta de evidências para todas as afirmações que cercam a chamada “Pré-História”, a minha pergunta é: Se não houvesse a Teoria da Evolução, o que teria acontecido antes a invenção da escrita ? A Resposta de imediato, podia ser: “Nada!”, porém fico nesta indagação, porque os evolucionistas tem mais fé do que eu! Todavia, a nossa fé vem de Deus (Efésios 2:8). Acompanho o seu blogue constantemente, um grande abraço, Deus te abençoe e te dê sabedoria.

    Like

  4. jephsimple says:

    Não bastasse a informação codificada dos seres vivos…

    [Trecho]
    “”O cérebro humano tem mais opções do que todos os computadores na Terra…”

    Uma sinapse, por si só, é mais como um microprocessador – tanto com memória de armazenamento e elementos de processamento de informação – do que um mero interruptor on / off. Na verdade, uma sinapse pode conter na ordem de 1.000 interruptores [escala molecular]. Um único cérebro humano tem mais opções do que todos os computadores e roteadores e conexões de Internet na Terra.”

    http://www.cnet.com/news/human-brain-has-more-switches-than-all-computers-on-earth/

    Tem que possuir um profundo desejo de um Sábio, Inteligente, Poderoso Designer não existir para crer que processos desgovernados criem uma única proteína .. Pior ainda, o cérebro humano!

    Impressionante! …. o.O

    Like

  5. Everton Araujo says:

    Boa noite,

    Nao sao 4 ligaçoes quimicas que seguram as bases no seu devido lugar, sao interaçoes do tipo Ponte de hidrogenio que asseguram o par de cada uma.

    Like

  6. jephsimple says:

    “Pois tu formaste os meus rins; entreteceste-me no ventre de minha mãe.
    14 Eu te louvarei, porque de um modo tão admirável e maravilhoso fui formado; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem.
    15 Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado, e esmeradamente tecido nas profundezas da terra.
    16 Os teus olhos viram a minha substância ainda informe, e no teu livro foram escritos os dias, sim, todos os dias que foram ordenados para mim, quando ainda não havia nem um deles.”

    Salmos 139;14,15 e 16

    “Como poderíamos criar a vida – A chave para a existência será encontrada não em lodo primordial, mas na nanotecnologia da célula viva – Paul Davies – 11 de dezembro de 2002

    Trecho: Em vez disso, a célula viva é melhor pensada como um supercomputador – um processamento de informação e sistema de replicação de complexidade surpreendente. DNA não é uma molécula que dá vida especial, mas um banco de dados genético que transmite suas informações usando um código matemático. A maior parte dos trabalhos da célula são melhor descritos, não em termos de coisas materiais – hardware – mas como informação, ou software. Tentando fazer a vida através da mistura de produtos químicos em um tubo de ensaio é como soldar interruptores e fios em uma tentativa de produzir o Windows 98. Isso não vai funcionar, pois ela aborda o problema no nível conceitual errado. ”

    http://www.theguardian.com/edu…..ucation.uk

    Pesquisadores reconhecem várias vantagens para os computadores de DNA .

    Uma delas é a capacidade de executar um grande número de operações ao mesmo tempo (em paralelo), em oposição a um de cada vez (em série), como exigido pelos computadores baseados em silício.. Em segundo lugar, o DNA tem a capacidade de armazenar uma grande quantidade de informação. Um grama de DNA pode abrigar tanta informação; quase 1 trilhão CDs. E um terceiro benefício é que a computação em DNA opera perto da capacidade teórica no que diz respeito à eficiência energética.

    Like

  7. Everton Araujo says:

    Desde quando a TE se preocupa com origem da vida, seria melhor reescrever esse post com o outro titulo, pq ta incoerente.

    Like

    • Lucas says:

      A TE sempre se preocupou com a origem da vida. O que se passa é que como as evidências não apoiam a origem da vida naturalista, os evolucionista fingem que “são assuntos diferentes” mas não são. Por mais que vocês gritem, a origem da vida é parte fundamental da teoria da evolução. E assim vai ficar.

      Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s