Evolucionista demite-se de escola Cristã por esta ensinar factos e não mitos ateístas.

Por Garret Haley

Professor de Filosofia associado a organizações promotoras do evolucionismo demitiu-se duma faculdade Cristã depois desta ter afirmado a sua aderência à interpretação Bíblica da criação de Adão e Eva. Dr. James Stump começou a ensinar na Bethel College em 1998, trabalhando como Professor de Filosofia durante vários anos. No mês passado a faculdade Bethel College emitiu uma declaração esclarecendo a sua posição em relação às origens. A declaração afirmou a crença da escola na criação singular de Adão e Eva por parte de Deus.

Esta afirmação é importante para distinguir a humanidade dos animais, como criados à imagem de Deus (Génesis 1:27, 2:7), para justificar a obra redentora de Cristo para expiar o pecado representativo da humanidade através de Adão (1 Cor 15:45), respeitar as genealogias de Lucas 3, justificar as inferências a Adão do Novo Testamento por parte de Paulo (Romanos 5:12-17), e outras coisas.

infiltracaoPara além desta declaração, a faculdade acrescentou que esperava que o corpo docente concordasse com ela.

No entanto. Stump anunciou que iria demitir-se da faculdade devido à interpretação Bíblica da escola. Citando “tensões” entre as suas crenças e a declaração da escola, Stump escreveu uma carta onde se lia que ele iria procurar “trabalho alternativo”.

Claramente, Stump duvida da leitura literal da criação tal como descrita em Génesis, e em vez disso acredita que a evolução humana é compatível com as Escrituras. Actualmente, ele é gestor de conteúdo na BioLogos – organização que promove evolução teísta, rejeita o criacionismo da Terra Jovem, e apela aos Cristãos para aceitar a crença de que a Terra tem “milhões de anos”.

Num post de Janeiro presente no blogue da BioLogos, Stump escreveu que “Nós humanos fomos moldados através da morte e do sofrimento causado pelos eons de evolução – formas de vida que vieram do pó da Terra e voltaram para ele.”

Depois da demissão de Stump, a BioLogos criticou a decisão da faculdade Bethel College de consolidar a interpretação tradicional de Génesis: Deborah Haarsma, presidente da BioLogos, escreveu:

Nós, aqui na BioLogos, estamos desanimados com esta decisão. Ela colocou Jim [James Stump] na dolorosa situação de ter que escolher entre a vida académica para a qual ele sente que foi chamado, e a comunidade académica dentro da qual ele se encontra há décadas. Para muitos Evangélicos, a posição cracionista evolutiva é-lhes pouco familiar, e até lhes parece impossível – eles não vêem como é possível alguém amar a Bíblia sem rejeitar a teoria da evolução.

Mas na BioLogos, nós não vêmos a teoria da evolução como inerentemente ateísta. Amamos a Bíblia e promovemos a criação evolutiva; nomeadamente, que Deus usou o processo natural da evolução para criar todas as diversas formas de vida, incluindo o ser humano, tal como é inferido através de abundantes evidências genéticas e fósseis.

Muitos outros Cristãos discordam da análise de Haarsma, afirmando que a Bíblia e a teoria da evolução são incompatíveis. O Dr John Morris, do “Institute for Creation Reserch”, afirmou:

A morte desempenha um papel proeminente dentro da teoria da evolução. De facto, para um evolucionista, a morte é algo de normal, bom e algo que disponibiliza o combustível para a mudança evolutiva.

A evolução e a Bíblia estão seriamente em contradição nesse ponto. Se a  evolução (ou mesmo o conceito da Terra antiga, com a morte e os fósseis a antecederem o pecado do homem), está correcta, então a morte é natural, a morte é normal, e a morte antecede o homem. Mais importante ainda, dentro desta visão do mundo a morte não é o salário do pecado visto ela antecede o homem e o seu pecado.

Mas se a morte não é o castigo pelo pecado, então a morte do Senhor Jesus Cristo não pagou o salário do pecado, nem a Sua Ressurreição sobre a morte disponibiliza a vida eterna.

Embora crença na criação e na Terra Jovem não sejam essenciais para a salvação (muitos Cristãos erradamente acreditam e fazem coisas condenadas pela Bíblia), se a teoria da evolução está correcta,, se a Terra é antiga, se os fósseis foram criados antes do aparecimento do ser humano, então o Crisitanismo está errado. Estas ideias [evolutivas] acabam com os fundamentos do Evangelho e negam a obra de Cristo na cruz.

A evolução e a salvação são conceitos mutuamente exclusivos.

* * * * * *

Esta última frase encerra em si tudo o que precisamos de saber sobre a utilidade ideológica da “teoria” da evolução. Nós Cristãos temos que nos aperceber que quem promove a teoria da evolução, está a promover uma religião alternativa, e tem que ser tratado de forma adequada. A harmonização entre a teoria da evolução e a Bíblia é impossível porque a primeira foi criada com o propósito de atacar a segunda:

O Cristianismo tem lutado, e ainda luta, e lutará, desesperadamente contra a ciênciadevido à teoria da evolução visto que a evolução destrói por completo o motivo pelo qual a vinda à Terra de Jesus era supostamente necessária.

Destruam Adão e Eva e o pecado original, e nos escombros irão encontrar os restos tristes do Filho de Deus. Acabem com o significado da Sua morte. Se Jesus não é o Redentor que morreu pelos nossos pecados, e isso é o que significa a teoria da evolução, então o Cristianismo não é nada.”

– Bozarth, G. Richard, “The Meaning of Evolution,” American Atheist (February 1978), page 30. – Capitalização por parte do tradutor.

Como é que se pode harmonizar aquilo que, por definição, tem que estar em oposição?.

Claro que há “Cristãos” que discordam desta afirmação e vociferam que é possível harmonizar  Génesis com os mitológicos “milhões de anos” e com a “teoria” da evolução. Mas se os pressionarmos um bocado, rapidamente iremos ver que a sua “harmonização” nada mais é que a distorção da leitura contextual da Génesis. Ou seja, eles “harmonizam”  a teoria da evolução com Génesis distorcendo Génesis.

Resumidamente, é importante não dar espaço para estes infiltrados porque a propagação do seu veneno pode pode levar outros a cair no erro de acreditar que ateus, piolhos, pulgas e bactérias têm um parente comum.

About Miguel

"Contempla agora o Beemoth, que Eu fiz contigo, que come a erva como o boi." (Job 40:15)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , . Bookmark the permalink.

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s