Criacionismo Científico: O Obstáculo da Educação

A apresentação de teorias contrárias à da evolução é essencial para a formação do pensamento crítico no meio académico.

Por Gabriel Stive

Não faz muito tempo que terminei meus estudos básicos. Passei pelo ensino fundamental, passei pelo ensino médio e nunca me foi apresentado o conceito de evolução como teoria, mas sim como um fato. Por mais que eu tenha crescido em uma família cristã, por um período, a teoria da evolução me mostrou uma segunda opção de crença, que modificou todo o meu raciocínio lógico sobre a vida.

Eu posso dizer que estudei em duas qualidades educacionais distintas. Estudei meu ensino fundamental em uma escola particular e o ensino médio em uma escola estadual do Rio de Janeiro, cidade onde moro, e sempre me apresentaram a evolução como um fato irrevogável.

Passei anos da minha vida mergulhando nos livros de Biologia, área onde pretendo me formar, e sempre me apresentaram o conceito de evolução como fato, nos apresentando as antigas ideologias acerca da evolução objetivando a mesma como uma realidade inquestionável. Em provas e trabalhos, éramos condicionados a aceitar aquela doutrinação, isso até eu conhecer o criacionismo científico.

Estive observando que há entre o meio acadêmico grande oposição quanto ao ensino do criacionismo científico nas escolas. Dentre suas justificativas está a declaração de que o criacionismo em sí é um religião disfarçada de ciência. Antes de adentrar-mos no assunto, precisamos esclarecer algumas vertentes do criacionismo:

Existe grandes diferenças entre as vertentes criacionistas, e dentre elas encontramos:

  • Criacionismo Religioso: Não depende de argumentos científicos.
  • Criacionismo Científico: Não se baseia em pressupostos religiosos.
  • Criacionismo Bíblico: Se baseia em argumentos científicos em correlação com a Bíblia.

_________________________________________________________

Muitos não sabem, mas quem criou as escolas públicas foi Napoleão. Napoleão criou no intuito de “adestrar” e doutrinar os indivíduos a serem cidadãos úteis, moldados em ideologias que introduziam um controle político e social sobre os cidadãos.

As escolas, se por assim dizer, eram um curso preparatório para sobrevivência nas fábricas, onde, até o sinal de encerramento das aulas, usado até os dias actuais, são os mesmos usados nas antigas fábricas da França. Da mesma forma, as escolas actuais são formatadoras de pensamentos, onde suas lições e matérias estão pré-programadas em um currículo, onde os alunos são obrigados a entender ou receber um número, denominado zero, como sinal de fracasso.

Porque não se pode ensinar o criacionismo científico nas escolas?

A desculpa de que o criacionismo científico seria uma religião disfarçada de ciência não passa de ignorância. O criacionismo científico não prova, nem pretende provar a existência de um Deus, muito menos correlacionar com texto sagrados, coisa que o criacionismo Bíblico faz. O criacionismo científico é uma ciência que busca evidencias, o que não deixa de ser uma teoria, assim como a evolução.

O que não entendo seria a hipocrisia do meio acadêmico em dizer que forma cidadãos com senso crítico, porém não existe o “outro lado da moeda” que poderia ser chamado de oposição, em relação a teoria da evolução. Aonde estaria os cidadãos que chegam em suas próprias conclusões?

Não se pode pensar se estamos formatados em uma única doutrina científica, se apenas lhes é apresentado uma peça de um gigante quebra-cabeça. Evidentemente há uma grande e reconhecida importância em se ensinar o evolucionismo nas escolas, como há em ensinar o criacionismo científico.

Recentemente eu pude estar acompanhando o 1° Congresso Brasileiro de Design Inteligente via internet, onde esteve presente 370 congressistas debatendo sobre a Ciência das Origens. No mesmo evento, houve a declaração de um manifesto público sobre o ensino da Teoria do Design Inteligente (TDI) nas escolas e universidades públicas e privadas. Leia um pequeno parágrafo:

“Entendemos, porém, que os alunos têm o direito constitucional de ser informados que há uma disputa já instalada na academia entre a teoria da evolução (TE) e a TDI quanto à melhor inferência científica sobre nossas origens. Inclusive há outras correntes acadêmicas, além da TDI, que hoje questionam a validade da TE oferecendo uma terceira via.” Sociedade brasileira do Design Inteligente

Esse congresso foi e é um grande avanço em relação a apresentação de novas teorias e pensamentos para educação do país, porém, apenas com uma nova compreensão da importância da apresentação de novas teorias para que haja um pensamento crítico no meio académico, será possível implementar esses conceitos científicos.

~ http://bit.ly/2rJ2WCY

* * * * * * *

 

Advertisements

About Mats

"Contempla agora o Beemoth, que Eu fiz contigo, que come a erva como o boi." (Job 40:15)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s