Hitler era homosexual?

Os homosexuais gostam de pôr nomes famosos na sua lista de “grandes homens e grandes homosexuais” do passado, mas quando se descobre que alguns ditadores, assassinos e pedófilos do passado também eram homosexuais, estranhamente, esses nomes nunca aparecem nas listas de “grandes homens e grandes homosexuais do passado”.
Sinceramente, não sei se Hitler era homosexual ou não, mas se ele era homosexual, então isso pode explicar algum do ódio que ele tinha ao cristianismo Bíblico. Os homosexuais são totalmente aversos ao cristianismo, como se pode vêr no video em baixo.

……………………………………………………..
Uma nova biografia contendo testemunhos de ex-amantes de Hitler e documentos históricos ilumina os rumores que têm circulado por meio século: Hitler’s Secret: The Double Life of a Dictator, do historiador Lothar Machtan.

Ernst Röhm, líder do Sturm Abteilung (Storm Troopers), tentou fazer chantagem contra Hitler, ameaçando de revelar sua sexualidade. Röhm, também gay, foi assassinado por isso.

Em 1915, Hitler era um mensageiro no front de batalha na França. Anos depois mas antes de Hitler ser famoso, um de seus colegas de farda, Hand Mend, escreveu em suas memórias:
“De noite, Hitler se deitava com Schmidl, seu prostituto macho.”

Ernst Schmidt e Hitler foram “amantes inseparáveis” durante 5 anos e por causa desse caso, seus superiores hesitaram em promover Hitler apesar de sua disposição para o combate.

Relatórios policiais de Munique depois da Primeira Guerra também sugerem que Hitler fora abordado pela polícia por causa de sua orientação sexual.
“Como ativista ‘marrom’ [fascista], Hitler conseguia atrair muitos jovens para o seu lado, mas não apenas por razões políticas.”

De acordo com os registros em Munique, Joseph, um rapaz de 22 anos depôs: “Eu passei a noite inteira com ele”. Vários depoimentos de outros rapazes foram revelados por Otto von Lossow, um general do exército alemão que ajudou a impedir o golpe de Hitler em 1923.

O historiador Lothar Machtan diz que Hitler era particularmente atraído por Rudolf Hess, seu assessor, que era conhecido pelos membros do partido como “Emma negra” e com quem Hitler passou meses juntos na prisão em Landsberg.

Por que então os Nacional-Socialistas perseguiram os homossexuais, enviando centenas de milhares deles para a morte em campos de concentração e câmaras de gás?

O historiador responde: “Hitler mesmo jamais condenou a homossexualidade, mas ele permitia a perseguição de gays com o objetivo de disfarçar suas verdadeiras cores.”

Link para o artigo no Guardian:

http://www.guardian.co.uk/world/2001/oct/07/books.booksnews

About these ads

Sobre Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
Esta entrada foi publicada em Política com as etiquetas , , , , . ligação permanente.

66 respostas a Hitler era homosexual?

  1. Hitler foi um fulano no minimo peculiar. Era cristão e matou cristãos. Era homossexual e matou homossexuais. Era judeu e matou judeus.

    Gosto

  2. Joaquim Coelho diz:

    Que post mais asqueroso.

    Estúpido, cheio de ódio, homófico, mentiroso e cheio de apelos ao ódio.

    Existem imensos homosexuais cristãos.
    Embora muitos sejam rejeitados pelos seus “colegas” cristãos não deixam de professar a sua fé.

    Aliás o número de padres e pastores protestantes homosexuais é relevante.

    ESte tipo de conclusões “Os homosexuais são totalmente aversos ao cristianismo” para além de falso é cheio intenções secundárias de apelo ao ódio aos homosexuais.

    As tuas contradições são um hino à hipocrisia.
    Persegue cristãos é contra o cristinianismo. Persegue homosexuais é para disfarçar. ESTUPIDEZ ABSOLUTA.

    Defende a supressão de raças que ele considera inferiores, a culpa é da teoria da evolução. Defende a supressão dos judeus , e o cristianismo que apelou ao ódio secular aos judeus, incluindo a eliminação (como o fex o teu querido lider Lutero) e o cristianismo não tem nada a ver com o assunto.

    Mats deixa-te de parvoices e incoerencias. Não necessitas disso para defender os teus pontos de vista.

    Consideras que um cristão não pode ser homosexual. Tás no direito de ter essa opinião. Agora mentir e deturpar para apioar essa “tolice” é que não é aceitável.

    Eu sei que és muito mais inteligente do que as asneiras e burrices que alguns dos teus posts parecem demonstrar.

    Por isso deixa de te armar em PARVO e de tentares fazer dos outros PARVOS.

    PS. Ainda havemos de descobrir que afinal Hitler era testemunha de Jeová, só os perseguiu e matou, para disfarçar.
    E talvez também comunista, e devia também ter sangue cicgano.

    Haja bom senso, e pachorra para aturar as tuas demências.
    Quanto cristo te entra na cabeça, o teu cerebro parece que para de funcionar.
    Felizmente que a esmagadora maioria dos cristãos (protestantes ou não) não têm brancas destas.

    Gosto

  3. Joaquim Coelho diz:

    Se me permites Mats, vou também armar-me em PARVO.

    Tu alegas Os homosexuais são totalmente aversos ao cristianismo, como se pode vêr no video em baixo.
    O tiulo do video é: Homosexual ataca mulher de 75 anos.

    Então aqui vai a minha réplica PARVA:
    Eddie Thomas, pastor of St. Luke Baptist Church in Ringgold, LA., is arrested and charged with indecent behavior with a juvenile, aggravated incest and pornography involving a juvenile. (the Shreveport Times, July 17, 2003)

    Lake Wales, FL. The pastor at the Church of the Nazarene has been charged with sexually assaulting a male 17-year-old youth leader three times in 2001. The Rev. Gene Francis, 52, of Lake Wales, was arrested Tuesday and charged with unlawful sexual activity with a minor. (Sarasota Herald-Tribune, June 4, 2003)

    An associate pastor of a San Fernando Valley chapel was sentenced to 32 months in prison on Tuesday for failing to register as a sex offender. Ilger, a former second-grade teacher, was convicted in 1988 of molesting four students in his San Luis Obispo classroom. After being released from jail, Ilger and his family moved to Los Angeles, where he took a position with Hope Chapel of the Valley in Canoga Park. “We’ve lived and learned a painful lesson,” the Rev. Jeff Fischer of Hope Chapel said outside court. Fischer has said he and about 30 church elders knew that Ilger had molested young girls before he was hired.
    Sentencing (Associated Press, April 3, 2003)

    Na mesma linha PARVA que tu segues, eu concluo: os clérigos cristãos são violadores e/ou homosexuais, odeiam o cristinianismo. Os cristãos odeiam o cristianismo como o mostrram as citações acima.

    Pronot, agora volto a mim e digo:

    Esta afirmação que fiz é totalmente infundada, falsa, deturpante, demagoga, apela ao ódio, é descriminatória e TOTALMENTE PARVA.

    Não a subscrevo em nada, apenas me pus no teu lugar quando entras no sindrome da alucinação provocada por overdose de criacionismo.

    Mas se analisares com atenção verás que fiz exactamente o quye tu fizest neste post e que conclui exactamente o mesmo que tu.

    Bom agora vou tomar banho para me livrar desta chafurdice em que me meti momentaneamente.

    Gosto

  4. Arnaldo diz:

    Mats,

    (Cansei de postar como se usasse luvas de pelica).

    E você ainda quer que eu exiba tuas falácias?
    Cai na real. Observe seus argumentos bobos.
    Dizer que “homossexuais são contra o cristianismo” é uma forma tola e totalmente superficial de preconceito. Seu texto está repleto de preconceitos, falácias etc.

    Você atribui defeito moral em evolucionistas e qualquer outro que possa estar, em sua cabeça, contra sua crença. Mas será que atribuir falácias, enganações e ainda mais, preconceitos, não é um enorme defeito moral?

    Será que você não posta estas mentiras e deturpa tudo isto por medo de que você esteja errado?

    Mats, creio que no mínimo você está a ser um hipócrita, pois numa postagem comento que você está com argumentos falaciosos. Depois você diz que não e quer que eu aponte as falácias e, por fim, volta a cometê-las. Será que isso não é hipocrisia?

    Cai na real. Pra que serve este seu blog? Para tentar disseminar sua crença, deturpar argumentos, ou ainda, fazer que você mesmo acredite no que está escrito por medo de não acreditar?

    Quantos mais posts seus eu leio, mais penso o quanto uma pessoa pode se tornar alienada.

    Não tenho mais nada a dizer, pois já o foi dito pelo Joaquim Coelho.

    OBS.: Mats, quando é que irás postar algo com um mínimo de coerência e límpido de falácias e preconceitos? Acho que nunca.

    Arnaldo.

    Gosto

  5. Mats, ofendeste o herói dos ateus. Nunca mais faças isso senão ficas coberto com lençóis.

    Gosto

  6. Mats diz:

    Joaquim
    sim, é verdade que há cristãos que lutam para abandonar a vida (ou os desejos) homosexuais, tal como há cristãos que lutam para abandondar o tabaco, as drogas, a pornografia, a fornicação e tudo o mais. Isso não invalida o que o post diz:
    1. Os activistas homosexuais (Aqueles que forçam a sua visão da sexualidade sobre o resto da população) são aversos à verdade Bíblica que afirma que o casamento é entre um homem e uma mulher.

    2. O que tu disseste também não invalida a perseguição que os homosexuais estão a montar àqueles que defende a sexualidade normal

    3. Não é “ódio” ser-se contra a homosexualidade, tal como não é “ódio” ser-se contra o consumo de drogas ou de álcool. O que é ódio é tu tentares acabar com o debate catalongando quem difere da tua opinião como “odioso”. Isso, sim, é verdadeiro ódio uma vez que é uma forma de deslegitimar os meus argumentos sem os levar em consideração.

    Gosto

  7. Mats diz:

    Arnaldo,
    Não sou só eu que digo que os homosexuais são contra o cristianismo. Vê o post que apareceu hoje, sobre os homosexuais que invadiram uma igreja, e começaram aos beijos bem no meio dela, ignorando que poderiam haver crianças entre o público.

    Repito, há uma guerra ideológica entre os homosexuais e os cristãos, mas só uma das partes está legitimar as acções do lado errado da lei, e não são os cristãos.

    Quando um grupo de homens homosexuais ataca uma velhinha de 70 e tal anos apenas e só porque ele tinha na mão uma cruz, está tudo dito.

    Concordas com isso, Arnaldo? E tu, Joaquim, concordas? Se fosse o contrário, o que é que vocês diriam?

    Gosto

  8. Joaquim Coelho diz:

    O teu problema, Mats, é que tomas o exemplo pelo todo, quanto de tá jeito, e não o fazes (e bem) quando não te dá jeito.

    Porque um homosexual persegue cristãos ou é ateu não significa que isso seja válido para todos.

    Os exemplos que te dei são de cristãos crimininosos, alguns pedófilos. Isso não faz que todos os cristãos o sejam.

    Não sou homosexual, nem milito em nehuma actividade em prol dos seus direitos. Que eu saiba nem seuqer tenho amigos homosexuais.
    Agora irrita-me quando se classifica pessoas (seja como ateus, cristãos, homosexuais, etc) apenas com o intuito de genralizar a grupo com que não concordamos. É uma patetice, e uma mentira. E PERIGOSO, vê o que aconteceu com os JUDEUS.

    NInguém representa um grupo não assossiativo.

    Os atctos que invocas por parte desse grupo, são asquerosos mas só vinculam esse grupo.
    Em Portugal exsitem várias assossiações de homosexxuais cristãos. (e que não lutam contra ele como tu dizes) Certamente que não fariam isso.

    Os pastores protestantes que violaram crianças, são asquerosos, mas não vinculam todos os protestantes.

    Tens o direito de ser contra oi casamento gay (embora não perceba o que é que a religião tem de meter o bedelho nas leis civis), não tens o direito de mentir e de enxovalhar toda uma comunidade, pelos actos de alguns dos seus elementos.
    Mas para ti vale tudo: ser hipócrita, mentiroso, etc para defenderes as tuas ideias.
    Não te apercebes que só te enterras e que apenas os fanáticos como tu concordam contigo, e que só levas os mais moderados a fastarem-se desses absurdos.

    E sim é odio o que fanáticos como tu debitam sobre ateus e homosexuais.
    Os protestantes radicais como tu, detestam a liberdade individual dos outros se for contra as tretas da biblia.

    Se os protestantes disserem que não aceitam gay nas suas assossiações, embore discorde, aceito que o poedem fazer.

    Não podem é dizer que não acitam que existam gays na comunidade.

    E ser-se contra a homosexyalidade é ser-se contra pessoas, ao contrário do alcool e drogas.

    As tuas posições, mais politicas (e de uma extrema-direita trauliteira) irritam-me muito mais que as tuas posições religiosas e criacionistas.
    Porque são demagógicas e perigosoas.
    A catalogação de pessoas apenas pela religião, orientação sexual, cor, ideologias) etc, e a generalização dos males individuiais a todo o grupo, é dos factos mais perigosos da história, e criou os caldos de cultura que permitiram os grandes massacres da história (alemanha, camboja, étc).
    Porque o que permitiu que isso acontecesse foi o facto de as populações aderirem em massa as arguemtações extremsitas dos lideres que os levaram a isso.
    E sem que te aperçebas estás a fazer parte de uma demagogia que pode ser perigosa se usada por pessoas sem preconceitos.

    Eu critico fortemente todos os que tentam usam argumentação falaciosas para criticar a religião.
    Por isso não tenho grande simpatia por Sam Harris, Dawkins ou o Luis Graves. E tu Mats és o espelho invertido deles, só que inifinitamente ampliado.

    Gosto

  9. Joaquim Coelho diz:

    Mats, ofendeste o herói dos ateus

    Quem é ?
    É que eu não conheço nenhum.

    Se te referes a Hitler, ele só poderá ser herói de uma extrema direita trauliteira, xenofoba e anti-semita, e que odeia o ateismo (quase todos são religiosos, dos que conheço pelo menos)

    Ultimamente antes em despique com o Mats a ver quem diz mais tolices por frase.

    Gosto

  10. Mats diz:

    O teu problema, Mats, é que tomas o exemplo pelo todo, quanto de tá jeito, e não o fazes (e bem) quando não te dá jeito.

    Amigo, quando eu digo que os homosexuais são aversos ao cristianismo, não o digo com o intuito de fomentar ódio ou perseguição, mas sim o de constatar um facto.
    A agenda homosexual tem como vista a destruição da casamento tradicional. O cristianismo defende o casamento tradicional. Não é preciso ser-se “odioso” para se vêr que a agenda homosexual é totalmente contra o cristianismo.
    Agora, que haja homosexuais que não são militantes isso é um facto, mas isso não invalida o que a agenda homosexual defende.
    Existem muçulmanos que não batem nas suas mulheres, mas isso não invalida que o Qur’an diga que os maridos tem autorização do deus deles para bater nas mulheres (Qur’an 4:34).
    Lembra-te do post que eu pus há um meses atrás em como os homosexuais militantes andavam a atacar cristãos e mórmons (mas não os muçulmanos) por estes terem votado a favor da “Prop 8″, que visa defender o casamento tradicional? Isso é uma evidência do que eu disse.

    Agora, se tu consideras “ódio” a constatação de factos claramente pesquisáveis, amigo, isso já não é do meu foro, mas eu não me vou calar de apontar o que a agenda homosexual tem feito aos cristãos.

    Mas para ti vale tudo: ser hipócrita, mentiroso, etc para defenderes as tuas ideias

    Qual foi a mentira que eu disse? Que homosexuais atacaram igrejas? Que a agenda homosexual está contra a verdae Bíblica? Que há homosexuais que se identificam como cristãos, mas que lutam para abandonar os desejos homosexuais?
    Por favor, elucida-me láquais foram as mentiras para eu concordar ou discordar.

    E ser-se contra a homosexyalidade é ser-se contra pessoas, ao contrário do alcool e drogas.

    É a tua opinião. A verdade é que ser-se contra a homosexualidade é ser-se contras actos, tal como ser-se contra o consumo de drogas e o uso do tabaco.

    As tuas posições, mais politicas (e de uma extrema-direita trauliteira)

    Não há nada de “extrema-direita” no que eu digo. O que eu digo é suportado por evidências médicas, psicológicas, biológicas, sociais, e acima destas todas, suporta pelA Palavra do Criador.
    Se estar-se do lado da verdade é ser-se de “extrema-direita”, então concordo contigo.

    E sem que te aperçebas estás a fazer parte de uma demagogia que pode ser perigosa se usada por pessoas sem preconceitos

    Isto vindo de uma pessoa que classifica de “mentirosos” aqueles que reportam factos reais!
    Tu estás a cair do lado da “extrema-esquerda” ao quereres catolgar toda e qualquer discussão do coportamento homosexual como “ódio”.

    Gosto

  11. Mats diz:

    O partido de Hitler chamava-se “Nacional… SOCIALISTA”.

    Gosto

  12. Joaquim Coelho diz:

    O partido de Hitler chamava-se “Nacional… SOCIALISTA”.

    E ?

    Mats Nacional Socialismo nada tem a ver com socialismo. Bem pelo contrário.

    Para que fique bem claro o meu posicionamento politico é entre a esquerda do PSD e o PS. Embora ultimamente não tenha votado, poruqe ambos me desiludem.

    Não gosto do comunismo nem do fascismo, nem de nenhuma ditarura.

    E sim mentes quando dizes que há uma agenda homosexual contra o cristinanismo porque querem casar. Eles querem leis civis, não religiosas.
    Não impede minimamnete que o casamento cristão continuer tal como está.
    Não é por haver casamento islâmico que não existe ou está em causa o casamento cristãos.
    Tu é que queres impor a tua visão a todos: cristãos ou não.

    É evidente que eu critico todas as manifestações de violência contra cristãos ou outros, vindas de quem vier.

    Critico os cabeças rapadas religiosos, mas não digo que existe uma conspiração contra o ateismo.

    Nos EUA existem imensos casos de marginalização e ostracização de ateus e filhos de ateus, e eu não digo que exste uma persiguição dos cristãos contra os ateus.

    Tui queres impor a tua visão a todos, eu não. É-me indiferente que sejas cristão, te ajoelhes e rezes, faças o que quiseres. Não aceito que tentes impor isso aos outros, recorrendo à mais pura e simples demagogia.

    A MENTIRA está na insinuação de que a homosexualidade é um mal que leva a titudes contra o cristianismo e que não podem existir cristãos conscientemente homosexuais.
    A MENTIRA está em tomares o todo pela parte.
    A MENTIRA está na descontextuyalização dos acontecimentos e na insinuação de que é uma luta contra o cristianismo e não de uma luta contra CERTAS posições do cristianismo.

    A MENTIRA está em dualidade que usas, enquanto assobias para o lado quanto cristãos coemtem crimes, acusas um grupo quando mcertos elemntos o fazem se não são cristaõs.

    Gosto

  13. Joaquim Coelho diz:

    Mais uns quanto moçitos cristãos, que falam falam falam mas ….

    WORCESTER, MA. A former pastor Andrew J. Bierkan, 54, at the First Congregational Church of Sutton who now heads a church in Ohio has been indicted here on charges of unnatural rape of a child and posing a child in a state of nudity. He is now pastor of St. Paul United Church of Christ in Cincinnati, according to Worcester District Attorney John J. Conte. (Worcester Telegram & Gazette, August 13, 2003)
    Ex-Sutton pastor charged with rape of girl from church

    MINNEAPOLIS, MN-An organization calling itself SNAP (Survivors Network of those Abused by Priests) will file a lawsuit against an Episcopal priest who abused a California youngster years ago, and still serves in a parish today. David Clohessy, 46, a national director of SNAP told VIRTUOSITY that he could not name the priest pending the suit, but would release the name shortly. Clohessy did express one serious concern. I fear that some 400 ex-Roman Catholic priests will surface in other denominations including the Episcopal Church. (Aug. 2, 2003)

    Eddie Thomas, pastor of St. Luke Baptist Church in Ringgold, LA., is arrested and charged with indecent behavior with a juvenile, aggravated incest and pornography involving a juvenile. (the Shreveport Times, July 17, 2003)
    Police seize videotape alleged to show sex with child

    South Austrailia, AUS. A South Australian police task force into child sex abuse within the Anglican Church had identified 217 victims and 48 possible offenders, police said today. However the number of victims could rise to more than 400 as investigations continued, Police Commissioner Mal Hyde said. Mr Hyde today likened the scale of police investigations into child sex abuse to those for the infamous Snowtown bodies-in-the-barrels murders in 1999. (The Age, July 16 2003)
    Major sex abuse uncovered in Anglican Church

    Vicar Rev Robin Everett of Castle Donnington, Leics, is convicted of indecently assaulting two young girls. (UK Telegraph, June 7, 2003)
    Vicar faces prison for sex assaults

    Lake Wales, FL. The pastor at the Church of the Nazarene has been charged with sexually assaulting a male 17-year-old youth leader three times in 2001. The Rev. Gene Francis, 52, of Lake Wales, was arrested Tuesday and charged with unlawful sexual activity with a minor. (Sarasota Herald-Tribune, June 4, 2003)
    Lake Wales minister arrested in sexual assault case

    Tuscon, AZ. The Rev. David Valencia, 47, assistant pastor of a Pentecostal church is expected in court Wednesday on rape charges issued by Pennsylvania authorities. In Pennsylvania, Valencia was an assistant pastor at Christ Church at Grove Farm, an interdenominational church that uses Anglican liturgy. The pastor of Christ Church, the Rev. John Guest, told the Pittsburgh Post-Gazette that Valencia was dismissed in late 2001 because he was found to have pornography on an office computer after he was warned about a similar incident months earlier. (Tucson Citizen, May 31, 2003)
    Rev. David Valencia allegedly had sex with a 17-year-old girl he was counseling

    PORTLAND, OR. Church volunteer pleaded innocent to 26 counts of rape, sodomy and sex abuse. Derrick Mayberry was indicted by a grand jury on Tuesday and entered the plea on Wednesday. Mayberry, 23, was arrested May 15 on accusations of raping two teenage girls he met while volunteering at the New Beginnings Christian Center in northeast Portland. The victims were 13 and 15 years old. (KOIN TV, May 29, 2003)
    Church Worker, Coach Enters Plea In Sex Abuse Case
    Church volunteer, coach faces sex abuse charges

    Queensland, AUS. In the small town of Seymour, townspeople are shocked to learn that the late Anglican Fr. Sapsford molested dozens of alter boys while he was married with children, and after his serial molestation at another church was revealed in 1996. There are allegations by the parents of the victim boys that the Archbishop covered up the original allegations. The church is not compensating victims while they consult with legal counsel. Anglican Father Walliker says he is not shocked as he has seen this before in the Anglican Church. (ABC online, May 8, 2003)
    Cover-up left paedophile to prey on Vic altar boys

    NEWARK, N.J. A convicted sex offender who was named pastor of a city church several weeks ago has been removed from the post. Shiloh Baptist Church leaders had hired the Rev. Chavalis T. Williams in mid-March, even though they knew he had pleaded guilty in Florida to charges of child abuse and using children in a sexual performance. (Newsday, May 7, 2003)
    Convicted sex offender removed as pastor of Newark church

    Unidentified clergyman in Norway defends himself by accusing boys of pestering him to provide pornography to them and pulling their pants down for him. Criminal defendants in Norway are not identified by name. (Nordlys, April 30, 2003)
    Clergyman says boredom led him to child porn

    An associate pastor of a San Fernando Valley chapel was sentenced to 32 months in prison on Tuesday for failing to register as a sex offender. Ilger, a former second-grade teacher, was convicted in 1988 of molesting four students in his San Luis Obispo classroom. After being released from jail, Ilger and his family moved to Los Angeles, where he took a position with Hope Chapel of the Valley in Canoga Park. We’ve lived and learned a painful lesson, the Rev. Jeff Fischer of Hope Chapel said outside court. Fischer has said he and about 30 church elders knew that Ilger had molested young girls before he was hired.
    Sentencing (Associated Press, April 3, 2003)

    Marty A. Hynes, 33, is charged with eight counts of criminal sexual contact of a minor, three counts of criminal sexual penetration of a minor and one count of attempted criminal sexual contact of a minor. Hynes was a youth pastor at the First Assembly of God church when the alleged incidents occurred, between July and December 2001. (Las Cruces Sun-News, March 24, 2003)
    Trial of former youth pastor begins

    Gosto

  14. João Gabriel diz:

    Joaquim Coelho,

    “vou também armar-me em PARVO”

    Finalmente dizes alguma coisa de jeito!

    “Os actos que invocas por parte desse grupo, são asquerosos…”

    São “asquerosos” porquê?

    “E sim é odio o que fanáticos como tu debitam sobre ateus e homosexuais.”

    Mesmo que assumamos que o “ódio” seja a motivação por trás do Mats debitar sobre “ateus e homosexuais”, as perguntas são: E daí? Dadas as tuas pressuposições acerca da realidade, como defines e identificas tais coisas como “ódio” e “fanatismo”?

    “Os protestantes radicais como tu, detestam a liberdade individual dos outros se for contra as tretas da biblia.”

    Ahh, isto é o jogo do afirma-afirma! Deixa ver se consigo fazer igual: Os ateus radicais como tu, detestam as directrizes de Deus, conforme apresentadas na Bíblia, se fôrem contra as pressuposições injustificadas deles. Afinal é fácil!

    “Não podem é dizer que não aceitam que existam gays na comunidade.”

    Não podem, diz ele! ;)

    “Eu critico fortemente todos os que tentam usar argumentação falaciosa para criticar a religião.”

    No máximo, poderias acusar o Mats de usar a falácia da indução (partindo de particulares, afirmar-se proposições universais). Certamente que o Mats se saberá defender, mas parece-me que tu assumes que o Mats está a dizer que, “sendo o caso de que, em todas as reportagens ou notícias que vi, os homosexuais atacarem cristãos e o cristianismo, logo, segue-se que todos os homosexuais odeiam os cristãos e o cristianismo”. Agora, será que o Mats está realmente a dizer isso? Será uma forma indutiva de raciocínio, a base das afirmações do Mats? Duvido. Tu afirmas que “criticas fortemente todos os que tentam usar argumentação falaciosa para criticar a religião”, dizendo que o “Mats” é o “espelho invertido” de “Sam Harris, Dawkins”, etc., esquecendo-te que eu apontei algumas falácias cometidas por ti numa interacção recente comigo, aqui neste blogue (algumas identifiquei explícitamente, como as falácia naturalista e da indução; outras implícitamente, como raciocínio circular, ataque a um homem de palha, afirmar o consequente, etc.).

    Gosto

  15. Mats diz:

    Joaquim,
    Para te poupar o trabalho, deixa-me dizer isto: há muitos “cristãos” por esse mundo fora que falam contra a homosexualidade (e outros pecados) mas que eles mesmo estão envolvidos nesse pecado. Dito isto, podes parar de citar os ditos “cristãos. Mas, olha, se queres continuar a chover no molhado, força.

    E sim mentes quando dizes que há uma agenda homosexual contra o cristinanismo porque querem casar. Eles querem leis civis, não religiosas.

    Há uma agenda contra aqueles que se opõe ao “casamento” homosexual, e na linha da frente dos que se opõe estão os cristãos. Vezes e vezes sem conta os próprios homosexuais dizem isto. Queres que te arranje artigos onde eles mesmo assim o afirmam?

    Não impede minimamnete que o casamento cristão continuer tal como está.Não é por haver casamento islâmico que não existe ou está em causa o casamento cristãos.Tu é que queres impor a tua visão a todos: cristãos ou não.

    O que eles querem é impôr à sociedade (não só às igrejas) a sua visão do casamento. Porque é que achas que eles vão a escolas públicas dar palestras sobre a “vida homosexual”? Se quereme spaço na arena pública, então o público (composto por cristãos e não cristãos) tem a liberdade de criticar a sua agenda bem como as suas preferências sexuais.

    Nos EUA existem imensos casos de marginalização e ostracização de ateus e filhos de ateus, e eu não digo que exste uma persiguição dos cristãos contra os ateus.

    Ao contrário do lobby ateu, os cristãos são os primeiros a defender a livre escolha das pessoas em acreditar ou não no Senhor Jesus. O lobby homosexual nem sequer permite que uma pessoa opine sobre a sua “sexualidade”. Quem assim o faz é considerado de “extrema-direita” e “odioso”. Se me conheces pessoalmente, haverias de saber que eu seria a última pessoa a querer alguma coisa com grupos da extrema-direita.

    Tui queres impor a tua visão a todos, eu não.

    Claro que queres. Tu queres que toda a gente concorde contigo quando tu dizes que não há nada de mal com a homosexualidade.

    A MENTIRA está na insinuação de que a homosexualidade é um mal que leva a titudes contra o cristianismo e que não podem existir cristãos conscientemente homosexuais.

    1) A homosexualidade é má para quem o practica (doenças médicas, problemas do foro psicológico, e muitas outras coisas) e para a sociedade no geral.
    2) Há cristãos homosexuais que tentam abandonar os impulsos homosexuais porque sabem que isso é pecado. Isto não é mentira, mas um facto. Se quiseres links, pede que eu encontro, se Deus quiser.

    A MENTIRA está em tomares o todo pela parte.

    Negas que a agenda homosexual tem como propósito redefinir o casamento de forma a encorporar o “casamento” homosexual?
    Negas que a agenda homosexual é vincadamente contra a definição cristã de casamento?
    Negas que activistas homosexuais, com a permissão do lobby homosexual, ataca verbalmente e fisicamente os cristãos?
    Se não negas, onde está a mentira?

    A MENTIRA está na descontextuyalização dos acontecimentos e na insinuação de que é uma luta contra o cristianismo e não de uma luta contra CERTAS posições do cristianismo.

    Bolas, Joaquim. Claro que a homosexualidade é uma luta contra certas posições do cristianismo, tal como o ateísmo luta contra certas posições do cristianismo.

    A MENTIRA está em dualidade que usas, enquanto assobias para o lado quanto cristãos coemtem crimes, acusas um grupo quando mcertos elemntos o fazem se não são cristaõs.

    Amigo, eu não assobio nada quando os cristãos fazem a mesma coisa. É tão deplorável um “cristão” ser “contra” a homosexualide em palavra, mas no escuroi da noite fazer os mesmos actos que ele supostamente condena.
    Mas repara, a inconsistência humana não anula a verdade Bíblica, as evidências médicas, a biologia, a sociologia e tudo o mais que está contra a homosexualidade.

    Gosto

  16. Joaquim Coelho diz:

    João não tenho pachorra para esse tipo de argumentação circular e da treta.
    Mas em palavras do povo, simples e direcats aqui vai:

    SE não achas a violência asquerosa, para mim, podes ir dar uma volta ao bilhar grande…

    Mas é verdade “Os ateus radicais como tu, detestam as directrizes de Deus, conforme apresentadas na Bíblia,”

    E podes tirar o radical, mesmo sem ele estou-me borrando para as directizes de deus e capangas.

    E quem as segue que seja muito feliz e que por cada fornicação tenha uma criancinha linda que é para isso que a queca serve

    Agora não venham é vender a banha da cobra e querer que as suas regras relogiososa sejam transformadas em leis civis.

    Eu sou ateu e não aceito que as morais religiosas sejam transformadas em eli que todos tenham de seguir.

    Se os religiosos as querem seguir, óptimo bom proveito. Eu não.

    Por exemplo o divórcio civil, que tanto tempo a pedido da Igreja foi proibido.

    Se os religiosos preferem viver denas de anos infelizos, aos gritos e maltratarem-se (isto clro nos caos em que o casamento não resulta), tudo bm, estão no seu direito.
    Agora não me venham impor isso a mim.

    Se os homosexuais se querem casar, que o façam. Não tenho problema com isso. Falamos de casamento civil. Eu posso gostar ou não, mas é lá com eles. Não me afaeta a mim nem á minha familia. Não impede casamentos heterosexuais, não limita a liberdade de ninguém, por isso qual o problema ?

    E porque carga de água é que os cristãos hão-de ter o direito de o proibir segundo a lei civil ?
    Que o façam nos casamentos cristãos tudo bem.
    Que apelam aos cristãos para o não fazerem tudo bem.

    Mas porque raio o têm de impor a quem não se reve neles, na sua religião ou na sua interpretação da biblia ?

    E já agora podes meter as tuas falácias num saco (ou onde quisereres) que eu estou-me nas tintas para elas. Estou a dar a minha opinião e é perfeitamente legivel o que penso.
    Quando acuso o Mats de falacia é apenas no sentido da contradição. É mesmo sem palha ou sem circulos filosoficos. A minha linguagem é mais como o porra alentejano ou o popular fo…., deixo a filosofia para os filosofos e os que ser armam em tal…

    Gosto

  17. Joaquim Coelho diz:

    As minhas respostas anteriores respondem as tuas novas dissertações.

    Tu é que interpretas a biblia de certa forma e dizes que se alguém a interpreta de forma diferente é contra o cristianismo. Existem várias assossiações cristãs homosexuais e teologos não homosexuais que têm outra visão.

    E se o casamento é civil e não obrigatório não é um ataque ao cristianismo.
    Ninguém o impoe aos cristão, apenas o querem permitir a quem o deseje.

    A ateismo não luta contra certas partes do cristianismo, o ateismo rejeita a veracidade de tudo o que tem a ver com deuses, mas aceita que haja quem acredite nessa patranha.

    Por favor tenta lá desbloquer a minha resposta ao João, que não aparece, e já não tenho pachorra para repetir.

    Gosto

  18. Mats diz:

    Nacional Socialismo nada tem a ver com socialismo. Bem pelo contrário.

    Alguns pesquisadores afirmam que o Hitler era de facto um socialista.

    O Partido de Hitler chamava-se “National Socialist German Workers Party”.

    Se isto não é um nome socialista, então não sei. Mas olha, de alguma forma concordo contigo que os nomes nem sempre refletem as políticas. Por exemplo, os partidos “cristãos” europeus são tudo menos cristãos.
    No entanto, as políticas de Hitler, bem como a sua vida, estão bem de acordo com a esquerda.

    11. That all unearned income, and all income that does not arise from work, be abolished.

    12. Since every war imposes on the people fearful sacrifices in life and property, all personal profit arising from the war must be regarded as a crime against the people. We therefore demand the total confiscation of all war profits whether in assets or material.

    13. We demand the nationalization of businesses which have been organized into cartels.

    14. We demand that all the profits from wholesale trade shall be shared out.

    Hitler era de facto um socialista.

    Gosto

  19. Mats diz:

    Joaquim
    A resposta já foi activada.

    Tu é que interpretas a biblia de certa forma e dizes que se alguém a interpreta de forma diferente é contra o cristianismo. Existem várias assossiações cristãs homosexuais e teologos não homosexuais que têm outra visão.

    Existem várias pessoas que dizem que o holocausto nunca aconteceu. E depois? O facto de haver pessoas que pensem de forma diferente não é evidência contra a posição que eu mantenho. A não ser que tu penses que a teoria de evolução é refutada pelo simples facto de existirem criacionistas

    E se o casamento é civil e não obrigatório não é um ataque ao cristianismo.

    Estás a confundir a práctica com a filosofia. A filosofia homosexual é contra a verdade Bíblica. O que eles é exercitar/legar a práctica que ramifica da filosofia. O facto de o “casamento” ser civili não invalida que 1) esteja contra a Bíblia, medicina, biologia e sociologia e que 2) os cristãos tenham todo o direito de se opôr a redefinição do casamento para incorporar a homosexualidade.

    Ninguém o impoe aos cristão, apenas o querem permitir a quem o deseje.

    Permitir na esfera pública, onde toda a gente tem o direito de se opôr. Os cristãos pagam impostos como toda a gente.

    A ateismo não luta contra certas partes do cristianismo, o ateismo rejeita a veracidade de tudo o que tem a ver com deuses, mas aceita que haja quem acredite nessa patranha.

    O homosexualismo não luta contra certas partes do cristianismo, o homosexualismo rejeita a veracidade de tudo o que tem a ver com a normalidade da heterosexualidade, mas aceita que haja quem acredite nessa patranha.

    Gosto

  20. Joaquim Coelho diz:

    O que eles querem é impôr à sociedade (não só às igrejas) a sua visão do casamento. Porque é que achas que eles vão a escolas públicas dar palestras sobre a “vida homosexual”? Se quereme spaço na arena pública, então o público (composto por cristãos e não cristãos) tem a liberdade de criticar a sua agenda bem como as suas preferências sexuais.

    Mas claro que os cristãos têm o direito de dizer o que pensam. De pedir aos cristãos que não o façam. De dizer à sociedade que acham errado. Na televisão, nos blogues, nas escolas em debates, na rua, nos jornais, nos blogues, onde quiserem.
    Não tê é o direito de impor de forma civil uma orientação religiosa.
    Não me oponho a proibição no casamento religioso, é lá com eles. Mas oponho-me à proibição no casamento civil.
    Tal como o divo´rcio.

    Ao contrário do lobby ateu, os cristãos são os primeiros a defender a livre escolha das pessoas em acreditar ou não no Senhor Jesus.

    Falso. Nos EUA há ostracização evidente sobre os ateus. Ainda há dias num talkshow os adolescentes expulsaram da cidade (era um jogo) a banqueira porque não tinha religião.

    Há vários relatos de pessoas que são interpletadas por não irem á igreja e que a sociedade lhes volta as costas.

    Este problema é mais premente e visivel nas pequenas cidades do Sul dos EUA. Existe sem qualquer dúvida uma ostracização dos ateus em aplnas zonas da sociedade americana, que leva muitos ateus a esconderem o facto.

    1) A homosexualidade é má para quem o practica (doenças médicas, problemas do foro psicológico, e muitas outras coisas) e para a sociedade no geral. Não vou entrar no debate disto, deixo-o para quem saiba.
    Mas o facto de algo provocar alguns problemas não significa que deva de ser abandonado ou rejeitado.
    As relações sexuais homo ou hetero podem transmitir doenças, e eu não acho que devamos evitá-las. Devemos ser prudentes e minimizar o risco mas não evitá-las.

    Não vejo como carga de água prejudica mais a sociedade que a heterosexualidade. Ela existe e não se impoem sobre as outras formas de sexualidade.
    Só poderia ser um risco se se tornasse universal e sem heterosexuais eh eh eh

    Negas que activistas homosexuais, com a permissão do lobby homosexual, ataca verbalmente e fisicamente os cristãos?

    Tenho sérias dúvidas sobre a permissão do lobby, sobre o que é o lobby, e quem representa .

    Não nego ataques individuias ou de grupos, tal como existem ataques verbais e fisicos de cristãos a homosexuais.

    Esta é dificil: foi um ataque a um homossexual ou a um cristão ?
    A actual onda anti-padres gay (alimentada não só pelo Vaticano, mas também pelos sectores anglicanos mais conservadores) fez a sua primeira vítima. O Reverendo Barry Rathbone (anglicano), abertamente homossexual, foi atacado ontem em Bournemouth, Inglaterra. Resultado, partidas duas costelas e vários dedos. A polícia classificou o incidente de ataque homofóbico deliberado.

    Gosto

  21. Mats diz:

    O dito “padre” estava a sair de um bar gay quando foi atacado.

    He told the BBC News website he had spent the evening at the Exchange gay bar when he was attacked on his way home.

    Quando se vive em ambientes perigosos, coisas perigosas podem acontecer.

    MAs olha, eu sou totalmente contra agressão física a homosexuais. Só é pena que eles (ou muitos deleS) não pensem o mesmo sobre mim, por eu ser contra o comportamento homosexual.

    Gosto

  22. Joaquim Coelho diz:

    11. That all unearned income, and all income that does not arise from work, be abolished.

    12. Since every war imposes on the people fearful sacrifices in life and property, all personal profit arising from the war must be regarded as a crime against the people. We therefore demand the total confiscation of all war profits whether in assets or material.

    13. We demand the nationalization of businesses which have been organized into cartels.

    14. We demand that all the profits from wholesale trade shall be shared out.

    Ora aqui está um bom exemplo de como excertos podem ser usados para manipular opiniões.
    Aqui ficam todos os pontos
    O Programa do Partido Nacional Socialista Alemão dos Trabalhadores (NSDAP) pode ser resumido em 25 pontos-chaves:

    “Nós pedimos a constituição de uma Grande Alemanha, que reúna todos os alemães, baseados no direito dos povos a disporem de si mesmos.
    Pedimos igualdade de direitos para o Povo Alemão em relação às outras nações e a revogação do Tratado de Versalhes e do Tratado de Saint Germain.
    Pedimos terras e colônias para nutrir o nosso povo e reabsorver a nossa população.
    Só os cidadãos gozam de direitos cívicos. Para ser cidadão, é necessário ser de sangue alemão. A confissão religiosa pouco importa. Nenhum judeu, porém, pode ser cidadão.
    Os não cidadãos só podem viver na Alemanha como hóspedes, e terão de submeter-se à legislação sobre os estrangeiros.
    O direito de fixar a orientação e as leis do Estado é reservado unicamente aos cidadãos. Por isso pedimos que todas as funções públicas, seja qual for a sua natureza, não possam ser exercidas senão por cidadãos. Nós combatemos a prática parlamentar, origem da corrupção, de atribuição de lugares por relações de Partido sem importar o caráter ou a capacidade.
    Pedimos que o Estado se comprometa a proporcionar meios de vida a todos os cidadãos. Se o país não puder alimentar toda a população, os não cidadãos devem ser expulsos do Reich.
    É necessário impedir novas imigrações de não alemães. Pedimos que todos os não alemães estabelecidos no Reich depois de 2 de Agosto de 1914, sejam imediatamente obrigados a deixar o Reich.
    Todos os cidadãos têm os mesmos direitos e os mesmos deveres.
    O primeiro dever do cidadão é trabalhar, física ou intelectualmente. A atividade do indivíduo não deve prejudicar os interesses do coletivo, mas integrar-se dentro desta e para bem de todos. É por isso que pedimos:
    A supressão do rendimento dos ociosos e dos que levam uma vida fácil, a supressão da escravidão do juro.
    Considerando os enormes sacrifícios de vidas e de dinheiro que qualquer guerra exige do povo, o enriquecimento pessoal com a guerra deve ser estigmatizado como um crime contra o povo. Pedimos por isso o confisco de todos os lucros de guerra, sem exceção.
    Pedimos a nacionalização de todas as empresas que atualmente pertencem a trusts.
    Pedimos uma participação nos lucros das grandes empresas.
    Pedimos um aumento substancial das pensões de reforma.
    Pedimos a criação e proteção de uma classe média sã, a entrega imediata das grandes lojas à administração comunal e o seu aluguer aos pequenos comerciantes a baixo preço. Deve ser dado prioridade aos pequenos comerciantes e industriais nos fornecimentos ao Estado, aos Länder ou aos municípios.
    Pedimos uma reforma agrária adaptada às nossas necessidades nacionais, a promulgação de uma lei que permite a expropriação, sem indemnização, de terrenos para fins de utilidade pública – a supressão de impostos sobre os terrenos e a extinção da especulação fundiária.
    Pedimos uma luta sem tréguas contra todos os que, pelas suas atividades, prejudicam o interesse nacional. Criminosos de direito comum, traficantes, agiotas, etc., devem ser punidos com a pena de morte, sem consideração de credo religioso ou raça.
    Pedimos que o Direito romano seja substituído por um direito público alemão, pois o primeiro é servidor de uma concepção materialista do mundo.
    A extensão da nossa infra-estrutura escolar deve permitir a todos os Alemães bem dotados e trabalhadores o acesso a uma educação superior, e através dela os lugares de direção. Os programas de todos os estabelecimentos de ensino devem ser adaptados às necessidades da vida prática. O espírito nacional deve ser incutido na escola a partir da idade da razão. Pedimos que o Estado suporte os encargos da instituição superior dos filhos excepcionalmente dotados de pais pobres, qualquer que seja a sua profissão ou classe social
    O Estado deve preocupar-se por melhorar a saúde pública mediante a proteção da mãe e dos filhos, a introdução de meios idôneos para desenvolver as aptidões físicas pela obrigação legal de praticar desporto e ginástica, e mediante um apoio poderoso a todas as associações que tenham por objetivo a educação física da juventude.
    Pedimos a supressão do exército de mercenários e a criação de um exército nacional.
    Pedimos a luta pela lei contra a mentira política consciente e a sua propagação por meio da Imprensa. Para que se torne possível a criação de uma imprensa alemã, pedimos que:
    Todos os diretores e colaboradores de jornais em língua alemã sejam cidadãos alemães.
    A difusão dos jornais não alemães seja submetida a autorização expressa. Estes jornais não podem ser impressos em língua alemã.
    Seja proibida por lei qualquer participação financeira ou de qualquer influência de não alemães em jornais alemães. Pedimos que qualquer infração estas medidas seja sancionada com o encerramento das empresas de impressão culpadas, bem como pela expulsão imediata para fora do Reich os não alemães responsáveis. Os jornais que forem contra o interesse público devem ser proibidos. Pedimos que se combata peã lei um ensino literário e artístico gerador da desagregação da nossa vida nacional; e o encerramento das organizações que contrariem as medidas anteriores.
    Pedimos a liberdade no seio do Estado para todas as confissões religiosas, na medida em que não ponham em perigo a existência do Estado ou não ofendam o sentimento moral da raça germânica. O Partido, como tal, defende o ponto de vista de um Cristianismo construtivo, sem todavia se ligar a uma confissão precisa. Combate o espírito judaico-materialista no interior e no exterior e está convencido de que a restauração duradoura do nosso povo não pode conseguir-se senão partindo do interior e com base no princípio: o interesse geral sobrepõe-se ao interesse particular.
    Para levar tudo isso a bom termo, pedimos a criação de um poder central forte, a autoridade absoluta do gabinete político sobre a totalidade do Reich e as suas organizações, a criação de câmaras profissionais e de organismos municipais encarregados da realização dos diferentes Länder, de leis e bases promulgadas pelo Reich.
    Os dirigentes do Partido prometem envidar todos os seus esforços para a realização dos pontos antes enumerados, sacrificando, se for preciso, a sua própria vida.

    Munique, 24 de Fevereiro de 1920″.

    Isto não é socialismo. A única coisa que junta socialismo (note-se que socialismo aqui deve ser lido como comunismo) e nazismo é a ditura e o poder todo ao estado.

    Mesmo nos aspectos economicos há difrenças substanciais, enquanto no comunismo abole-se o sistema privado, o nazismo apoio-ao, apenas com a condição de partilhar dos lucros.

    As nacionalizações são reclamads em caso de perigo de partilha das empresas por estrangeiros.

    O socialismo reclama que o estado deve estar ao serviço do povo (coisa que nunca fez), o nazismo reclama que o povo deve estar ao serviço do estado (coisa que sempre fez).

    De qualquer forma os extremos tocam-se sempre e os metodos ditatorias são semelhantes de esquerda ou de direita.

    Gosto

  23. Joaquim Coelho diz:

    O dito “padre” estava a sair de um bar gay quando foi atacado.

    Quando se vive em ambientes perigosos, coisas perigosas podem acontecer.

    Lindo Mats

    Isso significa que se eu for agredido ao sair de um bar de meninas é normal.

    Faz-me lembrar o juiz que considerou factos atenuantes para um violador as mulheres hoje vestirem-se de forma provocante que estão mesmo a pdei-las.

    Mais uma pe´rola de raciocinio.

    Mas eu queria era saber se foi um cristão um gay a ser atacado.

    Gosto

  24. “João não tenho pachorra para esse tipo de argumentação circular e da treta.
    Mas em palavras do povo, simples e direcats aqui vai:

    SE não achas a violência asquerosa, para mim, podes ir dar uma volta ao bilhar grande…”

    Cá está… o ateu nunca sabe dizer onde é que baseia as duas definições de “mau”, “bom”, “asqueroso”, “horrendo”. Apenas se limita a afirmar que é mau, bom, asqueroso e horrendo. Cada vez que o Joaquim diz isto está a confirmar a existência de uma entidade superior.

    Gosto

  25. João Gabriel diz:

    João não tenho pachorra para esse tipo de argumentação circular e da treta.
    Mas em palavras do povo, simples e direcats aqui vai:

    SE não achas a violência asquerosa, para mim, podes ir dar uma volta ao bilhar grande…

    Mas é verdade “Os ateus radicais como tu, detestam as directrizes de Deus, conforme apresentadas na Bíblia,”

    E podes tirar o radical, mesmo sem ele estou-me borrando para as directizes de deus e capangas.

    E quem as segue que seja muito feliz e que por cada fornicação tenha uma criancinha linda que é para isso que a queca serve

    Agora não venham é vender a banha da cobra e querer que as suas regras relogiososa sejam transformadas em leis civis.

    Eu sou ateu e não aceito que as morais religiosas sejam transformadas em eli que todos tenham de seguir.

    Se os religiosos as querem seguir, óptimo bom proveito. Eu não.

    Por exemplo o divórcio civil, que tanto tempo a pedido da Igreja foi proibido.

    Se os religiosos preferem viver denas de anos infelizos, aos gritos e maltratarem-se (isto clro nos caos em que o casamento não resulta), tudo bm, estão no seu direito.
    Agora não me venham impor isso a mim.

    Se os homosexuais se querem casar, que o façam. Não tenho problema com isso. Falamos de casamento civil. Eu posso gostar ou não, mas é lá com eles. Não me afaeta a mim nem á minha familia. Não impede casamentos heterosexuais, não limita a liberdade de ninguém, por isso qual o problema?

    E porque carga de água é que os cristãos hão-de ter o direito de o proibir segundo a lei civil ?
    Que o façam nos casamentos cristãos tudo bem.
    Que apelam aos cristãos para o não fazerem tudo bem.

    Mas porque raio o têm de impor a quem não se reve neles, na sua religião ou na sua interpretação da biblia ?

    E já agora podes meter as tuas falácias num saco (ou onde quisereres) que eu estou-me nas tintas para elas. Estou a dar a minha opinião e é perfeitamente legivel o que penso.
    Quando acuso o Mats de falacia é apenas no sentido da contradição. É mesmo sem palha ou sem circulos filosoficos. A minha linguagem é mais como o porra alentejano ou o popular fo…., deixo a filosofia para os filosofos e os que ser armam em tal…

    “João não tenho pachorra para esse tipo de argumentação circular e da treta.”

    Onde eu argumentei de forma circular?

    “Se não achas a violência asquerosa, para mim, podes ir dar uma volta ao bilhar grande…”

    Quer dizer, eu pergunto-te porque achas a violência “asquerosa”, e tu, ao invés de responderes, inferes a possibilidade de eu não achar a violência asquerosa, sem eu ter sequer expressado a minha opinião sobre esse assunto. Tu és brilhante!

    “Mas é verdade “Os ateus radicais como tu, detestam as directrizes de Deus, conforme apresentadas na Bíblia”

    Não te esqueças do “se fôrem contra as pressuposições injustificadas deles”.

    “E podes tirar o radical, mesmo sem ele estou-me borrando para as directizes de deus e capangas.”

    Inicialmente era para escrever “idiota”. E realmente “idiota” soa melhor com “parvo”.

    “E quem as segue que seja muito feliz e que por cada fornicação tenha uma criancinha linda que é para isso que a queca serve”

    Como tu sabes que é para isso que a “queca serve”?

    “Falamos de casamento civil. Eu posso gostar ou não, mas é lá com eles. Não me afecta a mim nem à minha familia. Não impede casamentos heterosexuais, não limita a liberdade de ninguém, por isso qual o problema?”

    Claro que os problemas são: 1) assumir, sem justificação e sem argumento, que deve existir uma separação entre a religião e a política, e que as leis civis podem ser justificadas racionalmente aparte da ética bíblica, baseada nas Leis e no carácter de Deus, e 2) assumir, sem justificação e sem argumento, que coisas como o impedimento de casamentos heterosexuais, limitações da liberdade de alguém, etc., sejam coisas MÁS!

    “E já agora podes meter as tuas falácias num saco (ou onde quisereres) que eu estou-me nas tintas para elas.”

    Mas tu é que disseste: “Eu critico fortemente todos os que tentam usar argumentação falaciosa para criticar a religião.” E, não são as “minhas” falácias, mas tu é que as cometeste.

    Gosto

  26. Arnaldo diz:

    Generalização apressada. Isso é um tipo de falácia.
    É um erro indutivo ao considerar “um grupo de homossexuais invadiram uma igrega, e são contra seus ideiais, logo todos homossexuais são”. Isto é uma falácia. Não tem vergonha de usar isto?

    Outra falácia tua:
    Achar que existe um OU exclusivo num argumento em que não há. Por exemplo:
    Quando vc diz se eu “concordo, ou não” com a sua conclusão de que “OU se aceita que homossexuais são contra o cristianismo OU não se aceita” é um OU EXCLUSIVO. Você sabe o que é um OU EXCLUSIVO? Quer que eu desenhe com cuidado? OU exclusivo é quando você diz que um grupo lógico exclui totalmente o outro.
    Impor OU EXCLUSIVO nesta argumentação além de proporcionar a falácia (falácia é um método de enganação meu caro Mats) de generalização apressada, proporciona a falácia do OU EXCLUSIVO.

    Um exemplo de generalização apressada. Mats é religioso. Mats comete falácias argumentativas. Todos os religiosos devem cometer portanto falácias argumentativas. Lógico que isto é um absurdo. Não é porque você é embotado que outros religiosos o sejam.
    E mais: se eu digo que deve haver um OU EXCLUSIVO, posso criar um exemplo no teu estilo. OU concorda com Mats OU estás a favor de atrocidades mundanas.

    Gente é tão fácil enxergar essas falácias. Pra mim você está sofrendo do seu tão falado MAL MORAL que julgas que os ateus ou evolucionistas têm. Deixas de ser embotado e veja que nem todo evolucionista é ateu e nem todo mundo que rebate tuas alegações falaciosas são ateus ou têm defeitos morais que você atribui em seus posts.

    O outro “alogicadosabino” parece mais que é um conselheiro seu. Estranho, julga que sou ateu porque defendi o evolucionismo dos argumentos pobres de reflexão e baratos (mediocres) que vocês dois apontam em seus blogs superficiais como pires.

    “alogicadosabino” olha, não sou ateu. E nem o idiota do Hitler é heroi. ESTAVA ALERTANDO QUE A FORMA DO ARGUMENTO ESTABELECIDO é falaciosa e coloca que homossexuais são contra o cristianismo. Olha, simplesmente podem haver grupos homossexuais que são contra o cristianismo. Mas nem todos são. Por exemplo na sua igreja devem existir muitos homossexuais reprimidos (ou não) e que não são contra o cristianismo.

    O que me deixa encafifado não é o fato de falarem mal de personalidades históricas (sejam elas como o embotado do Hitler ou o astuto Darwin).

    A minha cisma com seus argumentos gira em torno da forma como costrói seus argumentos. Poderiam estar falando de Obama, Darwin, Osama, Hitler, Gandi, Schopenhauer: a partir do momento em que falácias forem pronunciadas acerca da verdade, contra a história ou o conhecimento, irei sim me levantar para argumentar. Agora é muita burrice achar que só porque eu comentei o seu post contra você logo eu tenho que ser atéu, ou ser simpatizante de algo que você acha que sou. É muita bobeira de pensamento.

    Pare e pense que não existem apenas sim e não. Existe algo mais do que o “0” ou “1”. A verdade pode ser mais difusa do que acreditas que seja.

    Portanto não sou ateu e nem nada mais. Apenas estou indignado que religiosos como vocês que dizem ter algo tão profundo para falar, falam de forma VERBORRÁGICA, IDEOLÓGICA e falaciosa (por que não dizer enganatória?).

    Querer atribuir um MAL específico (ateu, homossexual, evolutivista etc etc) é uma bobeira de pensamento. Sim Hitler matou homossexuais, cristãos, ciganos, judeu etc. Pode ser que ele fosse um destes também, ou também todos, mas o que importa é que além destas titulações (rótulos) ele e outras pessoas eram PESSOAS. Humanos são assim. Não me assustaria se ele fosse homossexual ou não fosse. Não me assustaria se ele fosse religioso ou não; sabe porque? Porque pessoas são complicadas e muito mais do que essa atribuição que você faz.

    O que me incomoda não é que você tenha falado de Hitler, mas é querer generalizar que um grupo de pessoas devam ser todas ruins. Da mesma forma que se me disserem que todos os testemunhas de jeová são mentirosos eu fico indignado. Porque sei que existem pessoas boas e más em diversos grupos e ambientes. Existem pessoas pevertidas e não em todos os lugares, tempos e grupos.

    Sim em tua igreja possui pessoas que valem cada minuto de conversa, e existem outras que não valem nem o chão que pisa. Mas tenho esperança…

    Repito, há uma guerra ideológica entre os homosexuais e os cristãos, mas só uma das partes está legitimar as acções do lado errado da lei, e não são os cristãos.

    Quando um grupo de homens homosexuais ataca uma velhinha de 70 e tal anos apenas e só porque ele tinha na mão uma cruz, está tudo dito.

    Concordas com isso, Arnaldo? E tu, Joaquim, concordas? Se fosse o contrário, o que é que vocês diriam?

    Será que você e o “alogicadosabino” são tão embotados que não percebem que estou falando de suas argumentações e não das personalidades que vocês atacam? Será que, se vocês têm uma verdade e uma inclinação tão profunda para nos mostrar, terão que continuar usando falácias?

    Olha, não tenho mais paciência para este tipo de discussão, pois aponto que estão sendo falaciosos e enganadores e vocês continuam o sendo.

    Construa um artigo mais rico e profundo. Argumente de forma mais lógica. Não misture grupos e nem faça conclusões precipitadas. Senão será apenas mais um blog falando bobagens porque acreditava estar falando de algo profundo. Se é algo tão verdadeiro, não use falácias, pois a verdade não precisa de muletas que são as falácias.

    Arnaldo.

    PS: Se eu for excluído para spam como em meus primeiros comentários, não me importo, pois penso que foi um erro enorme entrar neste site e outro erro maior foi achar que você poderia corrigir estas sua atitude hipócrita de cometer falácias quando achas que está falando alguma verdade.
    Creio que não entrarei mais neste site, pois creio que estás mais para cascalho do que uma terra boa (não entendeu? leia outra vez).

    Arnaldo.

    Gosto

  27. Joaquim Coelho diz:

    Não Sabino, é a minha opinião. Eu não acredito em morais absolutas.

    É com base no que eu acho melhor para a sociedade e para mim, e que corresponde ao que grande parte da sociedade em que me insiro acredita.

    São os valores humanistas. Podes não concordar, tás no teu direito, mas parece que eles fizeram da sociedade algo melhor, na opinião da esmagadora maioria das pessoas.
    E se as afecta a elas, têm o direito de lutar em prol do que acham melhor.
    Toda e qualquer moral é feita pelas sociedades para as sociedades e muda em função da experiências e sentimentos das pessoas.

    Há uma coisa que não podes negar, sofrimento é sofrimento, em qualquer lugar ou tempo.

    Se há quem ache que isso é bom e correcto, ok tão no direito deles, tal como eu estou no direito de lutar contra essa visão.

    Se consideras a viloência uma coisa fixe, ok, junta-te a outros que pensem o mesmo, e comecem á batatada uns com os outros. Deixem-me é a mim e todos os que concordam que a violência é asquerosa de fora.

    Eu não quero impor o que penso, só quero que quem pensa diferente de mim não me imponha as suas visões.
    E estou no direito de adjectivar como quiser essas pessoas, em fuinção do que acredito.

    Se os nazis tivessem feito o que fizeram apenas a quem queria e concordava com o que fizeram, eu acharia uma parvoice e asqueroso, mas era lá com eles.
    Querem lutar e sofrer, ok, é lá com eles, mas não venham é impor isso aos outos.

    Gosto

  28. Mats diz:
    O dito “padre” estava a sair de um bar gay quando foi atacado.
    Quando se vive em ambientes perigosos, coisas perigosas podem acontecer.

    Lindo Mats
    Isso significa que se eu for agredido ao sair de um bar de meninas é normal.

    Espera lá. Nao concordas que quando se movimenta em círculos duvidos é normal que coisas más possam acontecer? Não é justificar a agressão, nem legitimá-la. Se eu tenho o hábito de andar pelo Casal Ventoso à noite, e se um dia fôr agredido e assaltado, o que é que vais dizer?

    Faz-me lembrar o juiz que considerou factos atenuantes para um violador as mulheres hoje vestirem-se de forma provocante que estão mesmo a pdei-las.

    Não há analogia.

    Gosto

  29. Arnaldo diz:

    ERRATA AO MEU COMENTÁRIO ACIMA:

    Olha, no meu comentário acima uma citação tua era para estar “entre aspas” e não ficou. Ficou parecendo que era texto meu. Longe de mim. Apenas queria te citar.

    Perdão ao postar o comentário com erro supracitado. Favor descartar e ler abaixo o correto:

    A postagem do comentário correto está abaixo:
    **********************************************

    Generalização apressada. Isso é um tipo de falácia.
    É um erro indutivo ao considerar “um grupo de homossexuais invadiram uma igrega, e são contra seus ideiais, logo todos homossexuais são”. Isto é uma falácia. Não tem vergonha de usar isto?

    Outra falácia tua:
    Achar que existe um OU exclusivo num argumento em que não há. Por exemplo:
    Quando vc diz se eu “concordo, ou não” com a sua conclusão de que “OU se aceita que homossexuais são contra o cristianismo OU não se aceita” é um OU EXCLUSIVO. Você sabe o que é um OU EXCLUSIVO? Quer que eu desenhe com cuidado? OU exclusivo é quando você diz que um grupo lógico exclui totalmente o outro.
    Impor OU EXCLUSIVO nesta argumentação além de proporcionar a falácia (falácia é um método de enganação meu caro Mats) de generalização apressada, proporciona a falácia do OU EXCLUSIVO.

    Um exemplo de generalização apressada. Mats é religioso. Mats comete falácias argumentativas. Todos os religiosos devem cometer portanto falácias argumentativas. Lógico que isto é um absurdo. Não é porque você é embotado que outros religiosos o sejam.
    E mais: se eu digo que deve haver um OU EXCLUSIVO, posso criar um exemplo no teu estilo. OU concorda com Mats OU estás a favor de atrocidades mundanas.

    Gente é tão fácil enxergar essas falácias. Pra mim você está sofrendo do seu tão falado MAL MORAL que julgas que os ateus ou evolucionistas têm. Deixas de ser embotado e veja que nem todo evolucionista é ateu e nem todo mundo que rebate tuas alegações falaciosas são ateus ou têm defeitos morais que você atribui em seus posts.

    O outro “alogicadosabino” parece mais que é um conselheiro seu. Estranho, julga que sou ateu porque defendi o evolucionismo dos argumentos pobres de reflexão e baratos (mediocres) que vocês dois apontam em seus blogs superficiais como pires.

    “alogicadosabino” olha, não sou ateu. E nem o idiota do Hitler é heroi. ESTAVA ALERTANDO QUE A FORMA DO ARGUMENTO ESTABELECIDO é falaciosa e coloca que homossexuais são contra o cristianismo. Olha, simplesmente podem haver grupos homossexuais que são contra o cristianismo. Mas nem todos são. Por exemplo na sua igreja devem existir muitos homossexuais reprimidos (ou não) e que não são contra o cristianismo.

    O que me deixa encafifado não é o fato de falarem mal de personalidades históricas (sejam elas como o embotado do Hitler ou o astuto Darwin).

    A minha cisma com seus argumentos gira em torno da forma como costrói seus argumentos. Poderiam estar falando de Obama, Darwin, Osama, Hitler, Gandi, Schopenhauer: a partir do momento em que falácias forem pronunciadas acerca da verdade, contra a história ou o conhecimento, irei sim me levantar para argumentar. Agora é muita burrice achar que só porque eu comentei o seu post contra você logo eu tenho que ser atéu, ou ser simpatizante de algo que você acha que sou. É muita bobeira de pensamento.

    Pare e pense que não existem apenas sim e não. Existe algo mais do que o “0″ ou “1″. A verdade pode ser mais difusa do que acreditas que seja.

    Portanto não sou ateu e nem nada mais. Apenas estou indignado que religiosos como vocês que dizem ter algo tão profundo para falar, falam de forma VERBORRÁGICA, IDEOLÓGICA e falaciosa (por que não dizer enganatória?).

    Querer atribuir um MAL específico (ateu, homossexual, evolutivista etc etc) é uma bobeira de pensamento. Sim Hitler matou homossexuais, cristãos, ciganos, judeu etc. Pode ser que ele fosse um destes também, ou também todos, mas o que importa é que além destas titulações (rótulos) ele e outras pessoas eram PESSOAS. Humanos são assim. Não me assustaria se ele fosse homossexual ou não fosse. Não me assustaria se ele fosse religioso ou não; sabe porque? Porque pessoas são complicadas e muito mais do que essa atribuição que você faz.

    O que me incomoda não é que você tenha falado de Hitler, mas é querer generalizar que um grupo de pessoas devam ser todas ruins. Da mesma forma que se me disserem que todos os testemunhas de jeová são mentirosos eu fico indignado. Porque sei que existem pessoas boas e más em diversos grupos e ambientes. Existem pessoas pevertidas e não em todos os lugares, tempos e grupos.

    Sim em tua igreja possui pessoas que valem cada minuto de conversa, e existem outras que não valem nem o chão que pisa. Mas tenho esperança…

    Você disse: ”
    Repito, há uma guerra ideológica entre os homosexuais e os cristãos, mas só uma das partes está legitimar as acções do lado errado da lei, e não são os cristãos.

    Quando um grupo de homens homosexuais ataca uma velhinha de 70 e tal anos apenas e só porque ele tinha na mão uma cruz, está tudo dito.

    Concordas com isso, Arnaldo? E tu, Joaquim, concordas? Se fosse o contrário, o que é que vocês diriam?”

    E eu te pergunto Mats, acha certo usar este tipo de falácias?

    Será que você e o “alogicadosabino” são tão embotados que não percebem que estou falando de suas argumentações e não das personalidades que vocês atacam? Será que, se vocês têm uma verdade e uma inclinação tão profunda para nos mostrar, terão que continuar usando falácias?

    Olha, não tenho mais paciência para este tipo de discussão, pois aponto que estão sendo falaciosos e enganadores e vocês continuam o sendo.

    Construa um artigo mais rico e profundo. Argumente de forma mais lógica. Não misture grupos e nem faça conclusões precipitadas. Senão será apenas mais um blog falando bobagens porque acreditava estar falando de algo profundo. Se é algo tão verdadeiro, não use falácias, pois a verdade não precisa de muletas que são as falácias.

    Arnaldo.

    PS: Se eu for excluído para spam como em meus primeiros comentários, não me importo, pois penso que foi um erro enorme entrar neste site e outro erro maior foi achar que você poderia corrigir estas sua atitude hipócrita de cometer falácias quando achas que está falando alguma verdade.
    Creio que não entrarei mais neste site, pois creio que estás mais para cascalho do que uma terra boa (não entendeu? leia outra vez).

    Arnaldo.

    Gosto

  30. Joaquim,

    “É com base no que eu acho melhor para a sociedade e para mim, e que corresponde ao que grande parte da sociedade em que me insiro acredita.”

    Lá está. E os outros também se baseiam no que acham que é melhor para a sociedade e para eles. Portanto, como o ateu consistente que deveras ser, não tens por que estar a “condenar” as atitudes dos outros. Cada vez que o faças estaras a ser incoerente com a tua posição e, como tal, o outro não terá de sentir a obrigação de se defender da tua inconsistência.

    Gosto

  31. Joaquim Coelho diz:

    Mats

    Espera lá. Nao concordas que quando se movimenta em círculos duvidos é normal que coisas más possam acontecer?

    Um bar gay ou de meninas é mais duvidoso que um bar no bairro alto ?

    Que saiba, e frequentei a noite muitos anos, o risco existe mas de forma normal. É tão seguro andar na zona do bairro alto, ou 24 Julho, como no marquês ou duque de Loulé.
    Há um risoc acrescido por ser à noite e devido ao alcool, mas nunca notei diferenças entre zonas de bares “normais” e bares de “meninas”.

    Mas o padre foi atacado por ser gay.

    O padre não foi atacado por circular numa zona perigosa mas por ser gay.
    Outras pessoas frequentam a zona e não foram atacdos. Foi injuriado por ser gay.
    Priest hurt in homophobic beating

    The Rt Rev Dr Barry Rathbone is openly gay
    A priest has been beaten with a metal baseball bat in what police say was an unprovoked homophobic attack.
    The Rt Rev Dr Barry Rathbone, 37, was sitting in Bournemouth Central Gardens eating a burger after a night out, when he was approached by a man and a woman.

    The man began shouting homophobic abuse and hit Dr Rathbone, who is openly gay, leaving him with two broken ribs and several broken fingers.

    He said his dog collar was hidden under a scarf at the time of the attack.

    I admit I am an openly gay priest but [my sexuality] doesn’t define me

    Rt Rev Dr Barry Rathbone

    Police said the assault, in the early hours, was “totally unprovoked”.

    Dr Rathbone, of Winton, is an International Community of St John the Divine priest for the Beacon Project at Boscombe’s East Cemetery Chapel.

    He told the BBC News website he had spent the evening at the Exchange gay bar when he was attacked on his way home.

    The assailant also shouted expletives relating to Dr Rathbone’s sexual orientation, he said.

    “I admit I am an openly-gay priest but [my sexuality] doesn’t define me,” Dr Rathbone said.

    “Being gay is just part of my personality. I don’t look gay, if there is such a thing. I was just sat on a stone wall eating a burger.”

    Dr Rathbone, who is a well-known figure in the area where he works promoting safe sex in the gay, lesbian, bisexual and transgender community, said he wanted others to learn from his experience.

    ‘Cowardly attacker’

    “I have chosen to have my name published [after the attack] because a lot of people know me and they can now put a face to the person that’s been attacked.

    “Quite often people empathise when they hear someone’s been attacked, but they don’t know them.

    “Hopefully, by being named, it will make people more careful when they go out.”

    Det Con Trevor Hughes, of Bournemouth police, said: “It’s quite likely that this cowardly attacker went out with the weapon looking to cause someone injury and it’s vital that I speak with anyone who has any information at all about this incident.”

    Foi um atacaque homófico, planeado e com um visado: o padre gay.
    Não foi casaul senão não tinha sentido o que eu disse.

    E a analogia faz todo o sentido: uma mulher vestida de forma provocante está mesmo a pdi-las (segundo o juiz)

    Um padre assumidamente gay está mesmo a pedi-las (segundo os agressores)

    Gosto

  32. Joaquim Coelho diz:

    Sabino, poe de lado as tácticas demagogas em que t especializaste e repete o meu post todo.

    Eu não me oponho a que os outros apliquem os seus critérios a quem concorda com eles. Acho uma parvoice mas admito-o.
    Também admito que não concordem comigo.

    O que não aceito é que imponham a sua moral a quem não concorda com ela.

    Eu não imponho a minha ninguém.

    Se se querem matar, façam favor.
    Se naão aceitam homosseuxuais nas suas religiões, é com vocês.
    Se não se divorciam, vivam a porrada o resto da vida.

    Obviamente que em relação a crimes, do ponto de vista do direito, as coisas não podem ser assim. A lei tem de ser universal e estabelecer normas. Obviamente que também são criticáveis e contestáveis.

    Mas para mim e para a minha moral se o querem fazer, são adultos e fazem-no entre eles de comum acordo, força.

    E eu continuo a achar que são parvos e asquerosos. Podem achar o mesmo de mim.

    Gosto

  33. Arnaldo diz:

    “E a analogia faz todo o sentido:”

    Sim Joaquim. A analogia faz sentido. E explicita com clareza o ponto de vista. Apenas o Mats que não quer ver. Não entendo porque ele (Mats) não aceita analogias legítimas, mas cria falsas analogias em outras postagens. É no mínimo sofismático da parte dele.

    Arnaldo.

    Gosto

  34. Joaquim Coelho diz:

    Mats, desculpa lá mas ficou retida mais uma resposta ao Sabino, se puderes desbloqueia lá.

    Será que existe um tempo minimo entre postagen de dois posts ?

    É que sempre que envio dois muito juntos o último não maparece.

    Só que com os erros todos de digitação que costumo dar e o facto de não reler, sou ultra rápido a digitar :-)
    Mea Culpa

    Gosto

  35. João Gabriel diz:

    No meu último comentário, esqueci-me de apagar toda a resposta que o Joaquim Coelho me deu! Desculpem! :)

    Gosto

  36. Mats diz:

    Joaquim,

    Um bar gay ou de meninas é mais duvidoso que um bar no bairro alto ?

    Um bar para onde se vai à procura de sexo é o mesmo que um bar para onde se vai beber e conviver com amigos?

    Que saiba, e frequentei a noite muitos anos, o risco existe mas de forma normal. É tão seguro andar na zona do bairro alto, ou 24 Julho, como no marquês ou duque de Loulé.

    E é tão seguro andar no Casal Ventoso como andar na 24 de Julho?

    Mas o padre foi atacado por ser gay.

    Ninguém disse o contrário, e é lamentável.

    Gosto

  37. Joaquim Coelho diz:

    Mats, não fales do que não sabes.

    Vi muito mais problemas e brigas em bares normais do que em bares de meninas.

    E a explicação é simples: menos droga, menos alcool, pessoas mais idosas.

    Embora não fosse assiduo desses bares, no fim do circuito normal gostava de ir lá beber umas cervejas e conheço bem ambos os circuitos.

    E garanto-te que a probabilidade de existencia de uma briga é maior no circuito normal.
    Regra geral quando há problemas no circuito da meninas são mais graves, mas menos frequentes.

    E como o que aqui se falava era de segurança, não tens lá muita razão.
    Mas percebo que desconheças, pois os bares alternativos devem ser tabu para ti :-)

    Gosto

  38. Joaquim Coelho diz:

    João, no meio de muita parvoice e delirios pseudo filosóficos conseguiste expressar uma opinião: parabéns, é pena é ser tão tola.

    Claro que os problemas são: 1) assumir, sem justificação e sem argumento, que deve existir uma separação entre a religião e a política, e que as leis civis podem ser justificadas racionalmente aparte da ética bíblica, baseada nas Leis e no carácter de Deus, e 2) assumir, sem justificação e sem argumento, que coisas como o impedimento de casamentos heterosexuais, limitações da liberdade de alguém, etc., sejam coisas MÁS!

    1. O estado representa toda a população e nãoi católicos, judeus, ateus, etc.
    A lei e as politicas devem ser transversais a todos e não forçar ninguém a seguir normas religiosoas. Há muito que a generalidade dos países ocidentais separa religião de estado, facto aceite pela maioria dos religiosos.
    (Não parece que faça mal: estão ntre os paises mais livres, democráticos e desenvolvidos do mundo)

    A leis não tem de provir de deuseco nehum nehum de calhamaços das mentiras em que muitos não acreditam. As lei servem para regular a convivência dos cidadãos entre si. Partem de propostas votadas pelos seus representados eleitos livremente. As leis mudam, surgem, desaparecem consoante as necessudades da sociedade. É obvio que não são prefeitas, mas bem melhores que as que existiam quando mandava a toda-poderosa Igreja ou os seus mui beatos Salazares.

    No ponto 2 voltas às perguntas parvas, que a minha mãe se fosse viva diria que era só para desconversar.

    Quando vou cagar não tenho de justificar e arranjar argumentos. Sei mesmo que tenho de ir, senão quiser borrar-me todo.

    Não tenho de justificar todas as palavras e virgulas, há coisa que são aceites de forma geral e por quase todos que não estão a desconversar e que merecem o minimo de respeito para debater com eles.
    A liberdade ser um factor fundamental é um dos patamares.

    E escusas de vir com a treta de que não disseste a tua posição, só perguntaste porquê.
    É um dos assuntos em que para mim a simples colocação da pergunta é ridicula e reveladora de desconversa.

    Como te julgas filoso remeto-te para os livros que deves conhecer bem, e colacres aqui as justificações do contrário. Eu não vou perder tempo a justificar uma coisa evidente e que qualquer pessoa que passou por ela sabe.

    Gosto

  39. João Gabriel diz:

    JC: “A lei e as politicas devem ser transversais a todos e não forçar ninguém a seguir normas religiosas.”

    JG: Mas “devem” porquê?

    JC: “Há muito que a generalidade dos países ocidentais separa religião de estado, facto aceite pela maioria dos religiosos.”

    JG: Raciocínio circular: simplesmente assumes o que tens de justificar. Tu não deves apenas mostrar qual é o caso, mas mostrar porque DEVE ser esse o caso.

    JC: “Não parece que faça mal: estão entre os paises mais livres, democráticos e desenvolvidos do mundo.”

    JG: De novo raciocínio circular: simplesmente assumes o que tens de justificar. Tu deves mostrar porque liberdade, democracia e desenvolvimento tecnológico, etc., são coisas “boas”.

    JC: “As leis não têm de provir de deus e… nenhum d(os) calhamaços das mentiras em que muitos não acreditam.”

    JG: Raciocínio circular: tu tens de mostrar (e não apenas afirmar), lógicamente, porque as leis promulgadas por x governo, não têm provir de Deus.

    JC: “As leis servem para regular a convivência dos cidadãos entre si.”

    JG: A formulação dessas leis pressupõe um ideal de convivência entre os cidadãos. Qual a base (fundamento) para esse ideal?

    JC: “Partem de propostas votadas pelos seus representados eleitos livremente.”

    JG: Essas propostas pressupõem o mesmo ideal de convivência dos cidadãos entre si. A mesma pergunta do ponto anterior se aplica aqui.

    JC: “É obvio que não são perfeitas, mas bem melhores que as que existiam quando mandava a toda-poderosa Igreja ou os seus mui beatos Salazares.”

    JG: Por qual padrão de “perfeição” tu determinas se uma lei é ou se aproxima, da perfeição? Justifica a tua resposta.

    JC: “No ponto 2 voltas às perguntas parvas, que a minha mãe se fosse viva diria que era só para desconversar.”

    JG: São questões fundamentais em filosofia, que, querendo ser racional, terás de responder. Proposição A é justificada por proposição B, B por C, C por D, e como não pode haver uma regressão infinita, tens de começar em algum lado. É aí que quero chegar.

    JC: “Quando vou cagar não tenho de justificar e arranjar argumentos. Sei mesmo que tenho de ir, senão quiser borrar-me todo.”

    JG: É precisamente por não justificares com argumentos as coisas que dizes, que elas se tornam umas “cagadas” autênticas.

    JC: “Não tenho de justificar todas as palavras e virgulas, há coisas que são aceites de forma geral e por quase todos que não estão a desconversar e que merecem o minimo de respeito para debater com eles.”

    JG: Talvez não consigas é justificar. Quanto às coisas que são aceites de forma geral, se calhar são cridas injustificadamente de forma geral e por quase todos. Quem sabe a minoria que discorda não esteja correcta? Como sabemos? Quanto a desconversar, é óbvio que o único aqui a fazer isso és tu.

    JC: “A liberdade ser um factor fundamental é um dos patamares.”

    JG: Pois, tu afirmas que x deve ser o caso. Quando questionado porquê, tu transformas-te em super-parvo, argumentas num círculo e repetes que x deve ser o caso.

    JC: “E escusas de vir com a treta de que não disseste a tua posição, só perguntaste porquê. É um dos assuntos em que para mim a simples colocação da pergunta é ridicula e reveladora de desconversa.”

    JG: Claro que tu não mostras como a(s) pergunta(s) é reveladora de desconversa. Simplesmente afirmas.

    JC: “Como te julgas filósofo remeto-te para os livros que deves conhecer bem, e colocares aqui as justificações do contrário.”

    JG: Terei imenso prazer em justificar (argumentando) a minha posição.

    JC: “Eu não vou perder tempo a justificar uma coisa evidente e que qualquer pessoa que passou por ela sabe.”

    JG: Ela não é evidente para mim! :(
    Como tu sabes que “qualquer pessoa que passou por ela sabe”? Sabe o quê?

    Gosto

  40. Joaquim Coelho diz:

    João

    Ultima resposta.

    Quando um gajo ser arma em filoso sem bases só dá merda.

    Nunca vi nenhum filoso debater desta forma, e tenha acompanhado imensos debates de filosofos.

    Como é evidente, tudo o que dizes poderia remeter para as tuas respostas ou do Mats ou outro qualquer.

    Portanto deixa de te armares no que não és, e fala como as pessoas normais.
    Apresenta opiniões.

    Para pseudo-filosofias de merda já chegam as tretas do ID.

    A partir de agora só respondo a opiniões e comentários da tua lide e não a parvoices, embrulhadas em pseudo-filosofia.

    Alias não te vejo fazer a mesmas questões (e ainda bem) a outros comentadores.

    Se a liberdade não é evidente para ti, recomendo-te meia dúzia de anos na prisão.
    A parvoice (disfarçada de sabedoria) tem limites.

    Diverte-te e reza muito. Umas aves maris e uns padres nossos, são filosoficamente comprovados uma benção para ti.

    Gosto

  41. Joaquim Coelho diz:

    Mats, mais uma resposta ao João retida, desbloqueia lá por favor.

    Gosto

  42. ““Como te julgas filósofo remeto-te para os livros que deves conhecer bem, e colocares aqui as justificações do contrário.””

    Vai remeter para livros que ele nunca leu :D

    Gosto

  43. João Gabriel diz:

    Este Joaquim Coelho é falacioso até à espinha!

    O último comentário dele é mais um exemplo de ataque ad hominem. Mesmo que fosse verdade que eu me estivesse a armar em filósofo sem bases, a questão é encerrada se eu perguntar: E daí? O que uma coisa tem a ver com a outra? É com as minhas questões que ele tem de lidar (de mostrar que são irrelevantes, irracionais, parvoíces ou seja lá o que ele queira chamar), e não com as minhas motivações, pois isso é irrelevante para o debate.

    Gosto

  44. Mats diz:

    Apelar as supostas motivações “maldosas” dos cristãos é práctica comum em alguns átrios ateus. Curiosmente, estas são as mesmas pessoas que negam qualquer base absoluta para qualificações morais.

    Gosto

  45. Joaquim Coelho diz:

    É muito simples caro João.

    Os debates podem ser feitos de várias formas. Filosóficamente, correntemente, cientificamente, com base em experiências, etc.

    Como já disse, não tenho conheciemntos de filosofia para entrar num debate filosofico (mas atenção que a filosofia não é o supra sumo da verdade absoluta, coloca questõies para ponderar que muitas vezes ficam sem resposta).
    Assim num debate não preciso de justifica-lo filosoficamente, para poder ter opiniões.

    No entanto, penso conhecer o suficiente o discurso filosofico, para ver que tu não estás a ser sério. Tentas enredar em perguntas, que poderão ser interssantes filosoficamente mas que são quase irrelevantes para o que se discute.
    Recorres consistentemente a “argumentaçãso” do meu sobrinho quando tinha 4 anos (e porquê, e quem, e porquê, quemdisse, etc), sem nunca emitires um comentário ou opinião ´propria.

    Os teus comentários levam-me a supor que és um interessado ou estudante de filosofia (o que é óptimo), mas que ainda te falta comer muita sopinha par poderes entrares em debates filosoficos (comigo não será porque eu sou zero em filosofia)

    Além disso insinuas que a filosofia é capaz de responder a estas questões que debatemos, e isso é falso, no máximo pode traçar balizas.

    Não é um ataque irrelevante, porque insinuo que não tens qualificações para para entederes o debate que propoes e isso é relevante.
    Como sabes que eu não posso entrar no debate filosofica, fazes perguntas, que não tenm qualquer relevancia, e quase de certeza que não farias a um filosofo.

    Esou convicto (e posso estar errado) que não tens bagagem suficiente para um dialogo filosofico sério e profundo, com quem a tenha, sobre este assunto.
    E mais, estou convicto que as questões que colocas são em absoluto irrelevantes para o cerne do assunto que trataamos.

    E peço-te que respondas sem perguntas, mas com opiniõies tuas.

    Não te armes em meu sobrinho e perguntes porque não são relevantes ?, e diz logo antes porque são relevantes.

    Gosto

  46. João Gabriel diz:

    JC: “Assim num debate não preciso de justificá-lo filosóficamente, para poder ter opiniões.”

    JG: Tu opinas Y e deves saber porque opinas Y. As minhas questões procuram desvendar o fundamento para Y, e se ele se segue necessariamente desse fundamento – se não, o resultado será seres achado arbitrário e internamente inconsistente no teu sistema (cosmovisão).

    JC: “No entanto, penso conhecer o suficiente o discurso filosófico, para ver que tu não estás a ser sério. Tentas enredar em perguntas que poderão ser interssantes filosóficamente mas que são quase irrelevantes para o que se discute.”

    JG: Mais uma vez tu afirmas que o são e não mostras como. Eu discordo, e considero as questões fundamentais para uma subsequente discussão significativa.

    JC: “Recorres consistentemente a “argumentação” do meu sobrinho quando tinha 4 anos (e porquê, e quem, e porquê, quem disse, etc.), sem nunca emitires um comentário ou opinião própria.”

    JG: Se calhar o teu sobrinho era mais inteligente que tu.

    JC: “Os teus comentários levam-me a supor que és um interessado ou estudante de filosofia (o que é óptimo), mas que ainda te falta comer muita sopinha para poderes entrar em debates filosóficos (comigo não será porque eu sou zero em filosofia).”

    JG: As minhas credenciais são irrelevantes para a presente discussão. Se calhar eu sou um tremendo ignorante e idiota que simplesmente acertou nas questões que havia de fazer. É com elas que tens de lidar.

    JC: “Além disso insinuas que a filosofia é capaz de responder a estas questões que debatemos, e isso é falso, no máximo pode traçar balizas.”

    JG: Conheces todos os sistemas filosóficos? Já os estudaste? Qual a base da tua afirmação universal de que “é falso” que a filosofia (entendo por filosofia, os vários sistemas filosóficos da história) pode responder às questões que debatemos? És omnisciente?

    JC: “Não é um ataque irrelevante, porque insinuo que não tens qualificações para entenderes o debate que propões e isso é relevante.”

    JG: Mesmo sendo verdade que eu não tenho as qualificações de um filósofo profissional e reconhecido, te garanto que entendo bem as questões que te proponho. E mais uma vez, tu simplesmente assumes isso – o que constitui de novo um exemplo de raciocínio circular.

    JC: “Como sabes que eu não posso entrar n(um) debate filosófico, fazes perguntas, que não têm qualquer relevância, e quase de certeza que não as farias a um filósofo.”

    JG: As questões são simples. A minha intenção não é de forma alguma demonstrar alguma superioridade intelectual (quer a tenha ou não), mas simplesmente levar-te às pressuposições mais básicas da tua cosmovisão, obrigar-te a sair do armário e verificar se és internamente consistente. Com respeito a fazê-las a um “filósofo” (profissional) – essas são questões que qualquer sistema proposto tem de responder.

    Gosto

  47. Joaquim Coelho diz:

    João, o que eu gostava de saber é o que tu pensas dos assuntos que me questionas, e não o que pensas do que eu penso do assunto.

    Quem lê tem cabecinha para pensar nas várias argumentações e tirar conclusões.

    O resto para mim é treta, relativamente ao fulcral da discussão.

    Tu não questionas a opinião do Mats (que usa o mesmo tipo de debate que eu), mas questinonas as minhas opiniões sobre a opinião do Mats.

    Portanto ou concordas com o Mats, e tens de dizer porquê e porque não a minha, ou tás apenas no gozo.

    Eu não respondo a perguntas tuas, que me pareçam irrelevantes para validar a minha opinião.

    Se fizeres questões que ue ache interessantes, ou emitires opiniões sobre os temas que falo, então posso dialogar contigo.

    No jogo dos porquês, respondo como fazia com o meu sobrinho depois de 20 e poquê: porque sim, porra que és chato.

    Gosto

  48. Melissa diz:

    Sinto afirmar, mas crianças, por exemplo, que sofrem abuso sexual, na sua maioria, são por homens, normais e heterossexuais; homossexuais e pedófilos são minoria.

    Gosto

  49. 1. Homens que abusam de crianças não são normais.
    2. Se a criança é um menino, e o abusador é um homem, então trata-se evidentemente de uma relação homossexual.
    2. Em proporção, estatisticamente os homossexuais tem maiores tendências de serem pedófilos do que heteros.

    Gosto

  50. "Mozart" diz:

    Os idiotas úteis que entregam a patria à subversão, promovendo uma ditadura proletarial, parecido com o Nazismo, engolem aos litros o “politicamente correto” e, se embriagando, não enxergam a realidade imoral por de trás da militancia (criminosa) gay, que quer, inclusive,que a PEDOFILIA deixe de ser crime, daqui a pouco o estupro não será crime também, pois, até o presidente parece ser simpatizante desta prática, segundo o artigo de Cesar benjamin à FOLHA DE SÃO PAULO.

    Homofobia é o nome dado por um psiquiatra ao estudar o ódio de morte que algumas pessoas têm aos homossexuais, agora, chamar de homofóbico quem acredita que o comportamento homossexual é inadequado é uma afronta à moral que desenvolveu todo o ocidente desde as eras pós medievais, é lutar contra 2000 anos de construção civilizacional e acusar de doença os judeus, mulçumanos, cristãos, se não o próprio Cristo ou a Bíblia. Nenhum Estado Cristão perseguiu e matou, ou prendeu, homossexuais por sua “orientação sexual”, isso acontece, hoje em dia, nos países comunistas como Cuba, Romênia(cujo código legal ainda é dos tempos do comunismo)e China, para dar uns exemplos, ou nos países de um islamismo extremo e ditatorial, que são aliados desde a época da URSS de todo o comunismo, onde os homossexuais são mandados à forca, ou na coréia do Norte, outro país comunista, onde, também, são mortos. Um homossexual que luta contra o cristianismo é um “idiota, útil”, para a revolução comunista/pseudoislamica, além de ser um suicida. O único Estado que protegeu a liberdade e o direito de todos é o Estado cujo fundo civilizacional é cristão, todos os outros há perseguição sumária e, por vezes, declarada, do próprio Governo contra minorias. Agora, dar o status por vias legais (PLC 122/06) e “morais”(“politicamente correto é ser contra “homofobia” “), é querer causar desorganização dos alicerces civilizacionais que, no Brasil, são cristãos, por conseguinte, desestabilizar toda ordem e, por fim, fazer surgir um governo centralizador e totalitário para reorganizar o país e construi-lo à sua imagem e semelhança,a isso dá-se o nome de “processo revolucionário”. Isso é ensinado por Antonio Gramsci, o grande guru do PSDB e PT, e isso ocorreu em todos as grandes ditaduras do século XX, a saber: Nazismo Alemão, Fascismo italiano, Comunismo Russo, Comunismo Chinês, etc. Depois, esses que lutaram contra o fundo civilacional da pátria, os causadores da desordem, serão erradicados, como foram nesses outros países totalitários, pois, por causarem caos, não o vão querer. Quererem desestabilizar nosso sistema já tão agredido desde a proclamação da República, mas, por terem sido projetados e manipulados como causadores de problemas não obterão espaço na nova ordem que ajudaram a construir, a esses a,findada, KGB chamava de “idiotas úteis”. Lutar contra a pátria, e seus valores e costumes primeiros, é loucura, traição e suicídio.

    Gosto

  51. philgeland diz:

    Existem muitos boatos a respeito da homosexualidade de Hitler. Mesmo assim, basta concentrar-se nos “relacionamentos” que ele obteve com pessoas como Hess, Röhm e Speer. É historicamente comprovado que estes três eram “pertos” dele, cada um do seu jeito.
    Aliás, o único que era considerado um amigo dele era Röhm. Certos documentos e testemunhas comprovam que eles eram “intimos”, usando o “du” que é a forma informal de “você” de falar com alguém. (Até hoje, não é considerável, de direcionar à um “Alemão desconhecido” desta forma – eis uma diferença significante, comparado com o jeito como as pessoas usam o “você” no Brasil – tal como na Espanha, onde se distingue entre o “tú” e o “usted”.
    Resumo da ópera: Hitler sem dúvida era alguèm que não gostava de proximidade pessoal / íntima. Isso e o jeito como ele tratava Eva Braun abre espaço para teorias que ele pode ter sido um homosexual mesmo: um cara doente que transmitíu este desejo reprimido para a política.

    Gosto

  52. Mats diz:

    Homofobia é o nome dado por um psiquiatra ao estudar o ódio de morte que algumas pessoas têm aos homossexuais, agora, chamar de homofóbico quem acredita que o comportamento homossexual é inadequado

    Devido ao uso (e abuso) da palavra “homofobia”, eu também vou começar a usar uma palavra que outros já usam lá por fora: cristofobia.

    Basicamente, cristofóbico é todo aquele que ataca uma ou mais crenças da cristianismo, ou não concorda com comportamentos cristãos.

    Gosto

  53. philgeland diz:

    @Mozart
    Afirmar que nenhum estado cristão jamais perseguiu os homosexuais não combina com certas realidades históricas. Acho que você se precipitou nessa. Veja um exemplo: na Inglaterra, o ato homosexual era considerado um crime até os anos ’60 do século XX.
    Quanto aos cristãos em geral: acho que especialmente os fundamentalistas alimentam seu ódio contra os homosexuais até hoje. Este ódio não se manifesta nas leis mas nas atitudes e em atos de violência. Quero dizer que isso não seja um “privilégio” de algums países totalitários. Isso vai além.
    Acho bem interessante os comentários neste blog e ambém acho engraçado que toda esta discussão por aqui surgiu por causa da possibilidade que Hitler era homosexual.
    De repente, virou um discurso entre ateus e crentes, conservadores e liberais, etc. …

    Gosto

  54. Adim diz:

    Hitler é mesmo um ´´gato morto“ historico, ninguem o quer em seu quintal, todos o jogam p quintal do vizinho. :o

    A Fe cristã não prega odio aos homosexuasis, ela prega contra a pratica do homosexualismo.
    Uma coisa é, por exemplo, discriminar os fumantes, atitude obviamente reprovavel, outra bem diferente é combater o tabagismo.
    Ser ou não ser fumante ou homosexual depende da escolha pessoal de cada um.

    Gosto

  55. Mats diz:

    Afirmar que nenhum estado cristão jamais perseguiu os homosexuais não combina com certas realidades históricas.

    Depende do que entendes por “perseguição”. Geralmente os promotores do comportamento homossexual catalogam de “perseguição” todo o acto que visa rejeitar a normalização do comportamento homossexual. Com definições destas, todos aqueles quese opõe à homossexualidade são “perseguidores”.

    Acho que você se precipitou nessa. Veja um exemplo: na Inglaterra, o ato homosexual era considerado um crime até os anos ‘60 do século XX.

    Considerar uma práctica como crime não é “perseguição”.

    Quanto aos cristãos em geral: acho que especialmente os fundamentalistas alimentam seu ódio contra os homosexuais até hoje.

    Ser-se contra a práctica homossexual não é “ódio”:

    Este ódio não se manifesta nas leis mas nas atitudes e em atos de violência.

    Que, diga-se, são feitos NÃO por “fundamentalistas”, mas por pessoas que se movimentam nos mesmos círculos violentos onde se movimentam muitos dos assassinados, ou fisicamente agredidos homossexuais.
    Se tu andas em meios violentos, não é de admirir que estejas mais susceptível de ser alvo de violência.
    Infelizmente os promotores do comportamento usam os assassínios de homosssexuais como forma de aumentar o seu estatuto de “vítimas”, e exigirem mais complacência com as suas prácticas sexuais.

    Gosto

  56. philgeland diz:

    Talvez deveriamos distinguir entre “perseguição política” e “perseguição criminal” Não sei se é termo legal correto em português (me corrige se eu estiver errado) mas no Inglês e no Alemão é assim: criminal prosecution / Strafverfolgung).
    Neste sentido, tal lei inglês “rejeitou a normalização do comportamento homosexual” e aqueles que eram homosexuais naquela época eram sujeitos possíveis de perseguição sim: eram estigmatizados como criminosos.
    Mas, tudo bem, isso foi a mais de 40 anos atrás.
    Aliás, entendo uma outra colocação sua. Hoje em dia, se percebe uma certa “histeria” do “outro lado”. É óbvio que alguém que se opõe a homosexualidade não se torna um “perseguidor”, automáticamente. Acho que tais exageros mostram “o lado absolutista” da political correctness.
    Quanto à violência: existem vários motivos para assassinos, você concorda? Um motivo pode ser que a vítima seja homosexual, mas não é o único. Meios violentos criam pessoas violentas. Não importa tanto a orientação sexual.
    A orientação sexual, de fato, não diz muito a respeito do caráter de uma pessoa. Hitler era homosexual. Stalin, Pol Pot e Sadam Hussein provávelmente não eram. Mas todos eram ditadores. É a mesma história nas discussões sobre vegetarianismo.

    Gosto

  57. philgeland diz:

    P. S. Correção: provávelmente, Hitler era homosexual. Sem dúvida, alguns dos seus companheiros eram. Mas isso não diz nada a respeito da orientação política deles e nem da orientação política de qualquer homosexual “contemporâneo”.
    Alguns exemplos: os prefeitos de Berlim, Hamburgo, Paris e São Paulo são homosexuais, mas eles não criam onda. Não afeta ou não deveria afetar o trabalho deles.

    Gosto

  58. Mats diz:

    Neste sentido, tal lei inglês “rejeitou a normalização do comportamento homosexual” e aqueles que eram homosexuais naquela época eram sujeitos possíveis de perseguição sim: eram estigmatizados como criminosos.

    Então a teu ver, procurar e prender pessoas que violem a lei é uma forma de “perseguição”?

    Gosto

  59. philgeland diz:

    Técnicamente sim. O poder executivo persegue o criminoso. Isso ainda não diz nada a respeito, se a perseguição é justa nos termos da lei ou não. De certa forma, o sentido desta palavra pode ser visto tanto negativo quanto positivo, dependendo do contexto.
    Quanto à Hitler dá pra perceber o absurdo: após de assumir o poder, a NSDAP criou uma pilha de leis que permitiram a perseguição de adversários políticos, As autoridades nazistas e o “aparelho executivo” agiram conforme às leis (!!) naquela época.

    Gosto

  60. Mats diz:

    Portanto, aplicar-se a lei a alguém que viola a lei é “perseguição”.

    Ok.

    Gosto

  61. philgeland diz:

    No sentido legal sim.
    Perseguição política é outra coisa, embora que de vez em quando certas leis preparam a mesma. Mas, atualmente, nos estados do “ocidente” eu não vejo tal coisa.

    Gosto

  62. Jorge Augusto diz:

    ” Alguns pesquisadores afirmam que o Hitler era de facto um socialista. ”

    Sim Hitler era socialista.
    Hitler era liberal . Nunca foi conservador . E como disseram mais em cima ” o nazismo era uma ideologia de extrema direita ”
    Mentira . O nazismo era ideologia liberal , é bem fácil provar isso .

    Nos arquivos sexuais nazistas encontramos …

    * Nazistas eram a favor de orgias e incestos .Inclusive faziam-se inúmeras orgias com milhares de pessoas com o “puro sangue ariano “.
    ( conservadores de direita são contra orgias e incestos / liberais de esquerda são a favor )

    Gosto

  63. Jorge Augusto diz:

    Encontrei isso hoje , e na hora me lembrei daqui .

    “Leftism, From de Sade and Marx to Hitler and Marcuse”,
    (Esquerdismo: a partir de Sade e Marx a Hitler e Marcuse)
    Quem quiser fazer o Download .

    http://mises.org/resources/6581/Leftism-From-de-Sade-and-Marx-to-Hitler-and-Marcuse

    O partido nazista era assumidamente socialista .

    Gosto

  64. Jorge Augusto diz:

    Outro livro mostrando como o nazismo era socialista de esquerda .
    “Esquerdismo Revisited: De Sade e Marx a Hitler e Pol Pot .

    “O autor explica longamente a origem esquerdista do nacional-socialismo, assim como o comunismo. Ele disseca metodicamente a mentalidade de esquerda, enquanto rastreamento basicamente tudo o que ele vê como de esquerda, de volta para a Revolução Francesa e é rescaldo . Ao contrário da crença popular, o fascismo é um movimento de esquerda. Uniformidade imposta e a exaltação do estado acima de tudo é uma invenção de esquerda que tem as mesmas origens como o comunismo. Mussolini era um ex-socialista. Os nazistas viam todos os comunistas alemães como recrutas em potencial. Eles também foram aristocrata, anti-tradição e anti-capitalista. As regras direito pela autoridade, as regras deixadas por coerção. Há uma diferença. materialismo, do racismo igualitarismo, o nacionalismo exacerbado, totalitarismo e são todos de esquerda.”

    Gosto

  65. Guilhermy Pereira diz:

    De modo algum Hitler era gay. Ele não foi promovido pois era austríaco e não alemão e por isso só ficou como Cabo. Hitler odiava Gays pois eles eram fracos e preguiçosos e não estavam dispostos a trabalhar. Os soldados da Alemanha na PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL implicavam com Hitler o tempo todo, deve ser por isso que tal soldado disse que Hitler se deitava de noite com outro nome. É um absurdo falar isso. Não estou defendendo Hitler, não sou Neo Nazista, porém, conheço os conceitos e idéias de Hitler e pelo meu ponto de vista e da maioria, Hitler não era Gay!

    Gosto

  66. mami diz:

    fale por si! sou lesbica e nao vejo as pessoas pela Orientação sexual. Há homossexuais bons e maus como há heterossexuais bons outros maus lol.. É normal que como em tudo na vida gostamos de ver o lado bom! .

    Gosto

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s