Sem Deus não há argumentos contra o incesto

O post “Suíça considera legalizar incesto” gerou algumas reacções surpreendentes por parte dos esquerdistas.

A ideologia cristã defende que quando se nega que Deus seja a Referência Moral Absoluta, o homem fica moralmente à mercê da arbitrariedade humana. A questão do incesto demonstrou-o de forma óbvia.

As seguintes citações foram feitas por pessoas que negam que o Deus da Bíblia seja a Ponto de Referência Absoluto para comportamentos morais. Segundo estes “iluminados”, cada sociedade deve decidir por si qual é o caminho moral que quer seguir.

Tendo isto como pano de fundo, vejamos o que eles respondem quando pressionados a declarar se um pai que tenha relações sexuais consentidas com as filhas adultas age bem ou mal. À medida que vão lendo as suas respostas, lembrem-se que estas são as mesmas pessoas que geralmente usam o que eles chamam de “argumento do mal” contra o Deus que eles pensam que não existe.

Comecemos pelas perguntas que deixei no blog do militante ateu

Qual é o argumento ateu contra o que os suíços querem fazer? Se a homossexualidade é permissível na base de que ninguém tem nada a ver com o que dois adultos fazem em privado e em consentimento, então quais os argumentos “laicos” contra um pai ter relações sexuais com a sua filha maior se ambos assim o quiserem?
………
PS: Antes que algum ateu tente desviar a conversa aludindo para eventos que ele não acredita terem acontecido:

1. Lot não teve a aprovação de Deus para o seu incesto. Reportar algo não significa aprovar algo.
2. Vêr este texto em resposta aos filhos de Adão e Eva.

Eis as respostas dos esquerdistas:
  • “O incesto – consensual entre adultos, repito – é uma questão muito complicada, mas de foro moral e não legal. E como todas as questões de foro moral, penso que cabe ao indivíduo decidi-la.” [Cristy]
  • “As pessoas não precisam de Deus para saber que o incesto é uma pratica a evitar. [jmoitacarrasco]
  • “O que me preocupa a mim o que decidem entre si dois adultos na plena posse das suas faculdades? Em que medida é mau para mim ou para a minha família, que tu gostas tanto de puxar à conversa?”[Cristy]
  • “Isto para te dizer que os casos diferem, não se pode avaliar todos pelo mesmo padrão. E, no fim, a decisão cabe ao indivíduo, porque este, repito, não é um assunto legal.” [Cristy]
  • “E o que eu acho é que o código penal não tem nada que ver com isso. Objectivamente, a única razão para evitar o incesto é o perigo de problemas genéticos.” (…) “Por isso também me parece difícil aceitar que a polícia se intrometa no incesto entre adultos.” [Ludwig]
  • “Para quem está sempre a condenar o intervencionismo de Estado como prática esquerdista e socialista, acho estranho que agora já julge que esse mesmo Estado tem o direito de se intrometer nas famílias” [Sérgio Sodré]
  • Livremente sem coacção entre adultos é entre eles, ou entre eles e Deus (para quem acredita no Deus Bíblico ou Alcorânico), e mais ninguém…”[Sérgio Sodré]
  • “O problema não é se o comportamento é moralmente correcto, o problema é se outrem (colectivo ou individual) tem o direito de se intrometer no seio das famílias pela força.” [Sérgio Sodré]
  • O Estado sem aspas que fique do lado de fora dos lares e das famílias se não houver crimes contra a liberdade individual de ninguém[Sérgio Sodré]
  • “Não sei o que o Estado deve fazer apenas sei que não o quero a espiolhar a vida interna das famílias, nem acho que ele tenha esse direito” [Sérgio Sodré]

Resumindo: segundo os “laicos”, o incesto é 1) “uma questão complicada”, 2) do “foro moral e não legal”, 3) moralmente qualificável apenas pelos “adultos” envolvidos (ninguém – nem o Estado – tem nada que se meter entre um homem e a sua filha adulta que decidam ter relações sexuais), 4) aceitável se não houver “problemas genéticos” mas ao mesmo tempo 5) “uma práctica a evitar”.

Ficou mais uma vez patente o quão à deriva nós humanos ficamos quando removemos o Deus da Bíblia como a Autoridade Moral Suprema neste universo. As pessoas citadas em cima estão mais do que cientes de que há algo de fundamentalmente errado no incesto, mas sem Deus, elas não tem como classificar esse comportamento de moralmente errado (para além da sua subjectividade pessoal).

As palavras supra-citadas são um lembrete poderoso do quão baixo nós podemos cair quando nós humanos nos colocamos no lugar de autoridade moral vigente.

Sem Deus, o homem fica a mercê do maior tirano que existe sobre a Terra: o nosso pecado.

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Bíblia, Pecado, Sociedade and tagged , , . Bookmark the permalink.

32 Responses to Sem Deus não há argumentos contra o incesto

  1. Sérgio Sodré says:

    “Sem Deus não há argumentos contra o incesto”.

    A discussão provou que o axioma acima é falso. Foram apresentados argumentos biológicos ligados à preservação e propagação da família.

    Daí, em vez de bater no mesmo, devia decorrer, pelo menos, uma alteração para uma nova fase da discussão:

    “Sem Deus não há argumentos MORAIS contra o incesto”.

    Sempre direi que para além dos argumentos ligados à descendência é preciso ter em conta impactos psicológicos negativos nos intervenientes que podem afectar a sua vida futura e o seu relacionamento com terceiros… não sou psicólogo, mas talvez um especialista pudesse ser útil nesta conversa.

    Like

    • Ricardo says:

      O Ser Humano é um ser racional e moral por natureza, portanto não é preciso que ninguem lhe ordene, como que num regime totalitário, que ele seja moral. Ele é moral porque sabe que é correto, por livre e espontânea vontade. Os escritores e intelectuais do Iluminismo desenvolveram extensas teses sobre a moral humana e os valores que nós livremente escolhemos seguir. Qualquer fanatismo e sistema de crenças não te dá escolha, você acredita e obedeçe, você não entende a realidade. O Ser Humano é biologicamente um ser racional e moral. Podemos ser o que quisermos. Ou podemos obedecer ao líder totalitário ou a um líder religioso e fazer tudo o que nos for mandado, e isso acaba com qualquer pensamento crítico e racional da pessoa, o que é de bastante interesse de certas classes dominantes da sociedade, inclusive daquelas que adotaram a religião como doutrina de opressão do estado por milhares de anos.

      Like

  2. Nuno Dias says:

    Não conheço o suficiente sobre a Bíblia para afirmar que esta nega o incesto mas conheço o suficiente sobre os humanos para afirmar que são uns hipócritas para se acharem com valores morais superiores aos restantes.

    Afinal de contas onde estão as referências em como Deus rejeita o incesto?

    Segundo o ateísmo: Deus não existe.
    Segundo a ciência a probabilidade de haver genes prejudiciais aumenta em relações incestuosas.
    Segundo a religião http://listverse.com/2008/05/26/top-6-incestuous-relationships-in-the-bible/

    Like

  3. Mats says:

    Sodré,

    “Sem Deus não há argumentos contra o incesto”.

    A discussão provou que o axioma acima é falso. Foram apresentados argumentos biológicos ligados à preservação e propagação da família.

    Mas o homem ou a mulher incestuosa pode muito bem encontrar outros argumentos biológicos em suporte do incesto. Por exemplo, preservação dos genes familiares.
    Além disso, a existência de argumentos biológicos contra o incesto não implica que é um imperativo moral seguir o que a Biologia diz.

    Ficamos na mesma: sem Deus, não há argumento contra a práctica do incesto.

    Sempre direi que para além dos argumentos ligados à descendência é preciso ter em conta impactos psicológicos negativos nos intervenientes que podem afectar a sua vida futura e o seu relacionamento com terceiros…

    Se for entre adultos e em consentimento, o ateísmo não se opõe a isso.

    Like

  4. Mats says:

    Nuno,

    Não conheço o suficiente sobre a Bíblia para afirmar que esta nega o incesto mas conheço o suficiente sobre os humanos para afirmar que são uns hipócritas para se acharem com valores morais superiores aos restantes.

    No post em cima está um link onde podes ver mais sobre a posição Bíblica sobre o incesto.

    O teu ateísmo é contra, neutro ou a favor do incesto?

    Segundo a ciência a probabilidade de haver genes prejudiciais aumenta em relações incestuosas.

    E depois? Deve-se seguir o que a Medicina mostra?

    Like

  5. Nuno Dias says:

    @Mats
    não vejo nada, estou a assumir que se encontre em “Suiça considera legalizar o incesto”

    O meu ateísmo diz-me que Deus não existe. É a definição. O teu cristianismo o que diz sobre batatas fritas?

    E depois? Deve-se seguir o que a Medicina mostra?
    Deve-se fazer avaliações psicológicas.

    Like

  6. Mats says:

    Nuno,

    http://lgfonevolution.blogspot.com/2010/12/cain-married-one-of-his-close-relatives.html

    O meu ateísmo diz-me que Deus não existe. É a definição.

    Mas eu não perguntei sobre a definição de ateísmo, mas o que o mesmo diz sobre esse comportamento. Não vocês que dizem que o ateísmo é moralmente superior à Bíblia? Então o que é que esse mesmo ateísmo diz em relação a um pai que tem sexo consensual com a sua filha?

    “E depois? Deve-se seguir o que a Medicina mostra?”

    Deve-se fazer avaliações psicológicas.

    Deve-se fazer avaliações psicológicas a quem practica o incesto?

    Like

  7. Nuno Dias says:

    Não vocês que dizem que o ateísmo é moralmente superior à Bíblia? Então o que é que esse mesmo ateísmo diz em relação a um pai que tem sexo consensual com a sua filha?
    Diz tanto quanto sobre batatas fritas.

    Está esclarecido.
    http://www.godrules.net/library/SAmerican/portuguese/portugueselev18.htm
    Só é pena Moisés não ter perguntado: “porquê?”

    Like

  8. Mats says:

    Nuno,
    Obrigado pela tua não resposta em relação à posição do ateísmo no que toca ao sexo entre pai e filha ou entre irmãos. Ficamos a saber portanto que o teu ateísmo não serve para análise de tais coisas.

    Like

  9. Nuno Dias says:

    @Mats
    De nada. O meu ateísmo está mais virado para a análise de
    http://www.godrules.net/library/SAmerican/portuguese/portugueselev20.htm
    associado à referência de moral absoluta

    Like

  10. Hebert says:

    Ludwig [Von Mises] é de esquerda aonde, cara?! LOL

    Like

  11. daniel says:

    Eu gostaria de fazer algumas observações:

    1-Há sim argumento contra o incesto sem precisar de Deus. Basta lembrar-mos das consequências do ponto de vista genético que isso traria. Logo, aquele que quer uma família e uma sociedade saudáveis, não fará e não aconselhará o incesto.
    2-Como reforço à observação 1 eu poderia citar também as complicações jurídicas. Repartir a herança entre os decentes, por exemplo, geraria uma enorme confusão. Portanto, juridicamente falando, é absolutamente inviável este tipo de ato.
    3- É preciso também falar, infelizmente, do preconceito denotado em suas palavras. O fato de sermos ateus não significa que somos desalmados e sem escrúpulos. Sou ateu, sou contra o aborto, contra o incesto e contra a união legal de gays. Sigo as leis e respeito para poder exigir o mesmo. Como eu existem muitos. É bastante maldosa essa tentativa de generalizar a opinião de ateus como se todos pensassem da mesma forma. É preciso lembrar que ateu significa somente não acreditar em deus, mas não quer dizer nada no que diz respeito a outros temas.

    POR FIM: Acredite no que desejar, o estado laico te dá esse direito, mas não julgue e nem generalize as pessoas.

    Boa noite.

    Like

    • dvilllar says:

      Daniel

      “1 – Há sim argumento contra o incesto sem precisar de Deus. Basta lembrar-mos das consequências do ponto de vista genético que isso traria.”

      Há muitos filhos nascidos de uma relação incestuosa que não apresentam nenhum problema genético mortífero.

      além disso, a ciência pode, num futuro, intervir e resolver, ou minimizar esses problemas.

      “2 – Como reforço à observação 1 eu poderia citar também as complicações jurídicas. Repartir a herança entre os decentes, por exemplo, geraria uma enorme confusão. Portanto, juridicamente falando, é absolutamente inviável este tipo de ato.”

      Legisladores podem, com extrema facilidade, criar leis específicas que tornariam o incesto juridicamente viável.

      “3 – Sou ateu, sou contra o aborto, contra o incesto e contra a união legal de gays. Sigo as leis e respeito para poder exigir o mesmo. Como eu existem muitos. É bastante maldosa essa tentativa de generalizar a opinião de ateus como se todos pensassem da mesma forma.”

      O ateu Richard Dawkins é favorável ao aborto de portadores de síndrome de Down.

      Segundo Dawkins, portadores da síndrome de Down são um fardo para a sociedade.

      Agora eu pergunto: por que a escolha moral de Dawkins, que tem uma lógica econômica bastante razoável, seria inferior ou pior que a sua, Daniel?

      A tal “tentativa de generalizar a opinião de ateus” é uma decorrência lógica da visão de mundo materialista que os ateus têm em comum.

      Like

      • eiffel65 says:

        Dvilllar:
        “Há muitos filhos nascidos de uma relação incestuosa que não apresentam nenhum problema genético mortífero.”
        Mas o risco é bastante mais elevado. Para quê corrê-lo se podes facilmente evitá-lo?

        Vc também disse:

        “O ateu Richard Dawkins é favorável ao aborto de portadores de síndrome de Down. Segundo Dawkins, portadores da síndrome de Down são um fardo para a sociedade.”
        E qual é o problema disto?

        Like

      • dvilllar says:

        eiffel65

        “Mas o risco é bastante mais elevado. Para quê corrê-lo se podes facilmente evitá-lo?”>/i>

        Se usar preservativo o risco praticamente é eliminado.

        dvilllar
        “O ateu Richard Dawkins é favorável ao aborto de portadores de síndrome de Down. Segundo Dawkins, portadores da síndrome de Down são um fardo para a sociedade.”

        Eiffel65
        “E qual é o problema disto?”

        Os nazista já responderam milhões de vezes no século passado.

        É bom lembrar que os nazistas praticaram a eugenia defendida por Darwin e Dawkins.

        Se não há problema com a eugenia, é incompreensível a perseguição aos nazistas após o fim da guerra.Afinal, eles praticaram o que Darwin defendeu por escrito.

        Like

      • eiffel65 says:

        Mais ainda, se não fosse por essas razões lógicas o que tem o incesto de tão ruim assim?

        Like

      • dvilllar says:

        “Mais ainda, se não fosse por essas razões lógicas o que tem o incesto de tão ruim assim?”

        Para um ateu evolucionista não deve haver problema algum.

        Você conhece algum ateu que tenha relações sexuais com seu pai, mãe, irmã, irmão, avós, tios e tias?; com uso de preservativo, é claro, para evitar o nascimentos inesperados.

        Gostaria de ver o resultado desse tipo de comportamento.

        Like

      • Pilgrim says:

        Esse eiffel é demais, sério.

        Antes de tudo, quero que perceba que primeiramente usou os “riscos mais elevados” para argumentar contra o incesto, já que poderia gerar uma criança defeituosa, e agora pergunta “qual o problema” com o aborto dos portadores de síndrome de Down.
        Percebe que seu segundo comentário pode muito bem refutar o primeiro? Como riscos mais elevados podem servir de argumento contra o incesto se de acordo contigo, basta abortar se for “defeituoso”?

        “E qual é o problema disto?”

        O principal problema, caro amigo de intelecto avançado, não é Dawkins ser a favor do aborto, mas ser a favor do aborto especificamente de portadores de down.
        Tem a mínima ideia de como isso pode não só soar ofensivo aos portadores, como também é claramente uma forma de discriminação contra essas pessoas? E Dawkins não para por ai, ainda alega ser “imoral” dar à luz bebês com a síndrome (como se nosso amiguinho Richard tivesse alguma base moral)
        Será que existe algum evolucionista aqui que não se baseie só em fatos biológicos para falar de moralidade quando o assunto é aborto?

        “Mais ainda, se não fosse por essas razões lógicas o que tem o incesto de tão ruim assim?”

        Tem razão. Sem essas “razões lógicas”(não acho que as que você apresentou podem ser chamadas assim) e as questões morais, não existe forma de objeção contra o incesto.

        Você acaba de deixar bem claro a verdade de que trata toda essa discussão: Sem Deus não há argumentos contra o incesto.

        Like

      • eiffel65 says:

        «Como riscos mais elevados podem servir de argumento contra o incesto se de acordo contigo, basta abortar se for “defeituoso”?» Nem todas as doenças genéticas são detectadas assim tão facilmente que se possa abortar. Os testes para a maior parte destas são muito caros e raramente realizados. Nas análises comuns procuram-se coisas ‘grandes’, fáceis de detectar, tipo trissomias?? percebeu, caro amigo de intelecto retardado??
        E para que é que a sociedade precisa de argumentos teístas (esses é que normalmente não tem lógica nenhuma quando se trata destes assuntos).

        Like

      • eiffel65 says:

        Espero que tenha ficado claro pq é que um comentário não refuta o outro: repito, não dá para detectar facilmente e de um modo económico a maioria das doenças genéticas para que se possa abortar.

        Like

      • dvilllar says:

        Eu também repito:

        Aqueles que desejam praticar o incesto, mas têm medo do resultado, usem o preservativo.

        Like

      • dvilllar says:

        Mas o uso do preservativo nas relações sexuais intrafamiliares é extremamente ecônomico.

        Por que tanta preocupação com dinheiro?

        Faça como sugeriu Dawkins:

        “Pare de se preocupar e aproveite a vida”.

        Like

      • Pilgrim says:

        “Nem todas as doenças genéticas são detectadas assim tão facilmente que se possa abortar. Os testes para a maior parte destas são muito caros e raramente realizados.”

        Uma vez que se libera o aborto de portadores de down, o aborto geral tem caminho livre. Pode ser que você, jovem maduro, compartilhe da mesma opinião do nosso amigo Dawkins e seja a favor do aborto APENAS dos portadores de deficiência. Se for esse o caso, fica fácil entender o porquê de você ter tardado tanto a entender o problema apontado pelo post, que trata-se de moralidade.

        CASO discorde e ache o aborto um ato imoral em todo caso, seu resumo é basicamente: “Uso as maiores probabilidades de “problemas genéticos” como argumento contra o incesto, mas aprovo o aborto”. O fato de haver doenças genéticas que não são facilmente detectadas não muda isso, de qualquer forma um comentário REFUTA SIM o outro.

        Legalize o aborto(de qualquer forma de seja) e suas “razões lógicas” contra o incesto somem. Discordar disso é claramente uma forma de discriminação por motivos biológicos, o tipo de coisa que só um evolucionista cego e de moral confusa acharia. É a isso que me referi em meu primeiro comentário, caro amigo.

        “E para que é que a sociedade precisa de argumentos teístas?”

        É cientificamente comprovado que a religião não só faz bem ao individuo, mas para a sociedade como um todo. Nunca houve uma única sociedade que tenha evoluído(cuidado para não confundir com evolução biológica) sem religião. Sabe a razão disso? É simples: Se Deus não existe, a moral é relativa, goste você ou não.

        A sociedade precisa dos tais “argumentos teístas”, exatamente para evitar que evolucionistas saiam pregando o tipo de coisa que Dawkins disse, mesmo sem ter base moral para tal.

        Like

      • eiffel65 says:

        Não, com esta explicação (que só teve que ser dada por eu estar a debater com um ignorante sobre genética) não se refutam um ao outro.

        «Legalize o aborto(de qualquer forma de seja) e suas “razões lógicas” contra o incesto somem.» – Não. Porque assim iria haver mais probabilidades de nascerem pessoas doentes. Repito: vc é ignorante de genética. Muitos casos de doenças genéticas não são facilmente detectados. Os que são detectados normalmente até são os problemas cromossómicos (no numero de cromossomas, por ex.) que têm mais a ver com a idade da mãe e não com transmissão de doenças genéticas.

        Like

      • Pilgrim says:

        Inacreditável a incapacidade do grande geneticista que temos aqui de entender alguns argumentos simples.

        «Legalize o aborto(de qualquer forma de seja) e suas “razões lógicas” contra o incesto somem.» – Não. Porque assim iria haver mais probabilidades de nascerem pessoas doentes. Repito: vc é ignorante de genética. Muitos casos de doenças genéticas não são facilmente detectados. Os que são detectados normalmente até são os problemas cromossómicos (no numero de cromossomas, por ex.) que têm mais a ver com a idade da mãe e não com transmissão de doenças genéticas.”

        Rapaz(se é que já tem idade para ser chamado assim), você se focou em uma parte do meu comentário que não deveria ser isolada do restante.

        “Legalize o aborto(de qualquer forma de seja) e suas “razões lógicas” contra o incesto somem. Discordar disso é claramente uma forma de discriminação por motivos biológicos, o tipo de coisa que só um evolucionista cego e de moral confusa acharia. É a isso que me referi em meu primeiro comentário, caro amigo.”

        Repare que não lhe tirei a possibilidade de DISCORDAR da ideia proposta pela frase que você isolou, algo que acaba de fazer.

        Dei-lhe um ponto de vista: “Legalize o aborto(de qualquer forma de seja) e suas “razões lógicas” contra o incesto somem”
        E a consequência de discordar do ponto de vista: “Discordar disso é claramente uma forma de discriminação por motivos biológicos, o tipo de coisa que só um evolucionista cego e de moral confusa acharia.”

        Você voltou a repetir as mesmas asneiras sobre as maiores probabilidades de nascerem indivíduos com problemas. Não se deu conta que eu basicamente argumentei que tais probabilidades não servem de argumento contra o incesto pois, caso ache que sirvam, é claramente uma forma de discriminação por motivos biológicos.

        E pode ter certeza que caso seu próximo comentário não sirva nem como contra-argumento para o meu argumento COMPLETO, eu não me darei ao trabalho de responder-lhe.

        Mas você tem razão em algo, não sou especialista em genética como você(já que fala com tanta autoridade), mas nunca disse que era e não fiz nenhuma alegação do gênero, aceitei a base que você deu e formulei meu argumento em cima disso. Não vi em meus comentários anteriores nada que merecesse um “você é ignorante de(em) genética” =)
        Meus conhecimentos em genética resumem-se em coisas extremamente básicas, mas li seu primeiro argumento sobre probabilidades e o compreendi, não sei o que te fez pensar que repeti-lo de uma forma diferente iria mudar minha opinião.

        Tente manter o foco eiffel, é fácil. Vou te dar uma ajuda:
        1- Você acha que as maiores probabilidades sejam um argumento contra o incesto e que o aborto nesses casos deveria ser permitido? Ótimo, então EU o considero uma pessoa cuja moral baseia-se simplesmente em fatores biológicos. Sinta-se livre para defender-se.
        2- Você acha que as maiores probabilidades sejam um argumento contra o incesto e é a favor da legalização geral do aborto? Ótimo, boa sorte para impedir um homem(ou mulher) e sua filha que queiram ter relações sexuais com esse seu argumento de maiores probabilidades, sendo que o aborto é permitido.

        ______________________
        E só pra refletir: Não existe só um caminho eiffel. Se você acha realmente que vale a pena viver em uma sociedade onde humanos pensam que não são nada além de máquinas geradas pelo acaso e que inevitavelmente terão um fim tão sem significado quanto suas vidas, em um mundo onde o conceito de família e moral é relativo, boa sorte cara…por que eu sinceramente não acho que vale.

        Like

      • eiffel65 says:

        Acho que não percebeu o que eu lhe tentei explicar, mas tudo bem….

        Like

      • eiffel65 says:

        Dvilllar: Isso faz com que os casais não tenham filhos biológicos e isso pode ser frustrante. Você pode dizer o mesmo dos homossexuais, é verdade ou dos trans, é verdade, mas eu não estou aqui a defender a proibição, mas sim que esse tipo de relações pode não ser das melhores opções – e enquanto que para essas pessoas isso é uma opção, para os homossexuais e trans isso não é bem assim. A alternativa é sentir-se ainda pior e mais frustrado a longo prazo (vs. a curto prazo por não poder casar com a irmã ou ter uma relação séria com ela).

        Like

      • eiffel65 says:

        Dvilllar: Usar preservativo faz com que os casais não tenham filhos biológicos e isso pode ser frustrante. Você pode dizer o mesmo dos homossexuais, é verdade ou dos trans, é verdade, mas eu não estou aqui a defender a proibição, mas sim que esse tipo de relações pode não ser das melhores opções – e enquanto que para essas pessoas isso é uma opção, para os homossexuais e trans isso não é bem assim. A alternativa é sentir-se ainda pior e mais frustrado a longo prazo (vs. a curto prazo por não poder casar com a irmã ou ter uma relação séria com ela).

        Like

      • eiffel65 says:

        Não, os Nazis praticaram o genocídio de um povo inteiro sem qualquer outro defeito ou problema que não fosse serem judeus. Isto é apenas os controlo da prevalência de doenças (atente nesta palavra: doenças) e o direito que uma mãe tem de não ter um filho com doenças que são para a vida e que causam sofrimento aos pais e às crianças e até despesas extra para eles e para o estado. Agora, ela pediu conselho e teve-o. Mais nada.

        Like

    • Pilgrim says:

      Como acho que meu comentário original não vai sair, vou resumir em um mais curto só pra não deixar o geneticista sem resposta.

      “«Legalize o aborto(de qualquer forma de seja) e suas “razões lógicas” contra o incesto somem.» – Não. Porque assim iria haver mais probabilidades de nascerem pessoas doentes. Repito: vc é ignorante de genética. Muitos casos de doenças genéticas não são facilmente detectados. Os que são detectados normalmente até são os problemas cromossómicos (no numero de cromossomas, por ex.) que têm mais a ver com a idade da mãe e não com transmissão de doenças genéticas.”

      Repare, caro amigo, que pegou uma afirmação tirada do meu comentário e focou-se somente nela, como se eu tivesse em algum momento dito que é isso e pronto. Se você ler o meu comentário completo, vai ver que não lhe tirei a possibilidade de DISCORDAR dessa afirmação.

      Veja bem:
      “Legalize o aborto(de qualquer forma de seja) e suas “razões lógicas” contra o incesto somem. Discordar disso é claramente uma forma de discriminação por motivos biológicos, o tipo de coisa que só um evolucionista cego e de moral confusa acharia.”

      Você só está repetindo que “muitos casos de doenças genéticas não são facilmente detectados” e insistindo na balela de que sou um ignorante em genética(o que cá entre nós, não tem nenhuma base concreta, já que em momento algum disse que suas afirmações sobre genética eram falsas). Eu simplesmente assumi que aquilo que você disse sobre maiores probabilidades de doença seja verdade e fiz meu argumento com base nisso.

      Reescrevendo de uma maneira que você (talvez)entenda: “Discordar disso(legalize o aborto de qualquer forma de seja e suas razões lógicas contra o incesto somem) é claramente uma forma de discriminação por motivos biológicos.”

      Tente manter o foco eiffel, não é difícil. Vou te ajudar:
      1- Considera o incesto errado, mas acha que nos casos de “crianças defeituosas” o aborto deveria ser legalizado? Ótimo, então EU o considero um individuo cuja moral baseia-se simplesmente em fatores biológicos. Sinta-se a vontade para defender-se.
      Ou
      2- Considera o incesto errado, mas acha que o aborto deve ser legalizado de forma geral? Ótimo, boa sorte pra tentar impedir um homem e sua filha de terem relações sexuais com esse “argumento” de probabilidades.

      _______
      Obs: Pode ter certeza de que se seu próximo comentário for só mais um resumo de repetições e ofensas, nem me darei ao trabalho de responde-lo.

      Like

  12. daniel says:

    Com relação à suas resposta à minhas observação 1 vc cai novamente na falácia da amostra insuficiente. O fato de alguns não terem problemas não esconde o fato do que acontece na maioria das vezes. Quanto a intervenção da ciência entramos em outro debate ético. Portanto, seus argumentos não se justificam.

    Com relação à sua resposta à minha observação 2: Não sei se seria tão facilmente, talvez fossem necessárias décadas para aperfeiçoar algo que, como já disse, vai contra a boa saúde da sociedade.

    Like

  13. eiffel65 says:

    Sim, eu não vejo problema nenhum em legalizar o incesto, mas dizer que não há argumentos contra (no geral, como o título parece querer implicar) sem recorrer à religião é falso.

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s