Porque é que as reticências ainda não foram substituídas com nomes de animais?

Por Brad Marshall

Quando eu estava na escola, lembro-me de ter ficado fascinado com algumas árvores evolutivas presentes nos meus livros escolares. Esses gráficos mostravam progressões  de vários tipos de animais que supostamente haviam evoluído. No topo encontravam-se varias categorias de animais, e olhando gradualmente mais para baixo de cada categoria, víamos nomes que caracterizavam os tipos de animais dessa categoria.

Grafico_EvolutivoNa base de cada nome encontrava-se uma linha fina, ou uma linha com reticências, que mostrava como todo os grupos estavam ligados através duma evolução. Os desenhos dos animais eram imperfeitos, mas a minha fascinação não se centrava nos desenhos, mas nas muitas linhas finas e nas reticências.

Foi dito à nossa turma que as linhas condutoras e as reticências ou eram conexões ainda incertas ou ligações cujos fósseis ainda não haviam sido encontrados. As reticências e as linhas finas representavam os fósseis intermédios que deveriam existir à medida que um animal ia evoluindo para outro.

Os evolucionistas acreditavam que essas linhas e reticências revelavam uma progressão evolutiva genuína, mas a maior parte das evidências eram fracas ou inexistentes.

De facto se removêssemos essas linhas e essas reticências – as partes imaginárias – teríamos a colecção de animais que realmente existiu sem qualquer tipo de evidência de evolução alguma; só a sua existência.

Seria de esperar que se a evolução fosse verdade – tal como somos constantemente lembrados por parte de Richard Dawkins e por parte de outros evolucionistas –  todos aquelas reticências e todas aquelas linhas cujas evidências em seu favor se encontravam ausentes há anos atrás já tivessem sido substituídas com nomes de animais
verdadeiros.

Certamente que com a quantidade de fósseis que já foram encontrados durante os 150 anos que já se passaram desde que Darwin publicou o seu livro “A Origem das Espécies – A Preservação das Raças Favorecidas” seria de esperar que já fosse possível gerar confiadamente um gráfico evolutivo sem reticências e sem linhas conectoras (que representam a imaginada evolução em vez da evolução baseada nas evidências).

Encontrei o vídeo que se segue ontem no Youtube, e nele vemos como Richard Dawkins explica a forma como as baleias evoluíram de um biungulado terrestre. Reparem na maneira clara como as árvores evolutivas se encontram nos dias de hoje, ausentes de reticências unificadoras, e tomem especial atenção à forma “conclusiva” que é a ligação entre as baleias e os hipopótamos!

Modificado a partir do original: http://bit.ly/SZn7Li

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

2 Responses to Porque é que as reticências ainda não foram substituídas com nomes de animais?

  1. Cicero says:

    Linhas e reticências = mágica.
    Ora, nada mais lógico, racional, coerente e científico que um animal terrestre vire baleia por mágicas!😀

    Like

  2. Marcos

    O Cícero adora usar falácias para conseguir argumentos: apelo à ignorância, apelo ao ridículo, incredulidade pessoal e espantalho. Só nessa frase, você deu um show de falácias.

    Na verdade ele foi irônico. Ironia não é, pelo menos até o momento, considerado uma falácia.

    Não foi ‘mágica’ animais que passavam a maior parte da vida na água terem evoluído aos cetáceos

    Concordo. Nenhuma mágica poderia tornar algo impossível (Seres unicelulares “transformando” em seres pluricelulares) em uma realidade.

    mesmo porque é isso mesmo que a evolução faz,

    A “evolução” Faz???? Evolução é uma entidade para fazer alguma coisa???
    Como sabe que esta “deusa” (que supostamente, sem nenhuma observação e com evidências contrárias, formou o universo e a vida) existe?

    ela adapta os seres vivos ao seu ambiente, principalmente quando esses ambientes são novos.

    Adaptação não é adição informacional ou aumento de característica INEXISTENTE
    no genoma.
    Informação não surge, nem mesmo por mágica, por processos aleatórios.
    Informação é fruto de inteligência. Este fato é comprovado empiricamente.
    Mas se tu discordas, mostre as evidências. Cite um (apenas um) exemplo de alguma informação em códigos elaborados por processos não inteligentes.

    Se uma população de uma espécie vivia a maior parte da vida na água, se alimentava na água, etc, nada de anormal essa população ter adquirido características para viver cada vez mais na água.

    Esta “adição” de característica fenotípica não é sinônimo de adição de informação no genoma do ser.
    Não estamos mais no século XIX para pensarmos desta maneira atrasada.

    É lógico sim, Cícero, pois temos vários fósseis intermediários na evolução dos cetáceos

    Não há um único fóssil sequer transicional entre seres unicelulares e cetáceos. Existem espécies COMPLETAS com suas estruturas FORMADAS, nas quais vocês, sem nenhuma prova, os colocam em uma “fila indiana” sugerindo, também sem nenhuma prova, que um gerou o outro.

    temos também a anatomia e a genética

    A Anatomia (fenótipo) não prova nada (pois aparência não conota descendência) e a genética refuta tal crença, pois ela mostra que a estrutura do ser é formado por INFORMAÇÃO CODIFICADA, e mostra também a entropia genética, ocasionada por uma falha na transmissão (mutação) promove o seu DECLÍNIO estrutural (com PERDA de informação)

    tanto que pesquisas moleculares concluíram que baleias, golfinhos e botos ainda possuem genes para criar pernas

    Esta conclusão foi retirada sob qual EVIDÊNCIA EMPÍRICA??? Poderia citar esta evidência?

    Uma simples mutação fez eles perderem suas pernas, através da desativação de genes, e ao longo do tempo desenvolverem nadadeiras, já que o ambiente aquático requer isso.

    Qual é a evidência empírica desta alegação fundamentada em fé?
    Sei que esta doutrina é professada entre os crentes em Darwin, porém achar que tomaremos estas crenças como verdades absolutas, sem nenhuma corroboração in loco, é um pensamento ingênuo.

    Novamente pergunto, qual EVIDÊNCIA EMPÍRICA possui de tal alegação?

    Se você acha que observação direta é um requerimento decisivo para algo ser científico, Cícero, então não apenas a teoria da evolução estaria errada, mas muitas coisas em Meteorologia, Geologia, Astrofísica e Física Subatômica também estariam erradas, pois muitas coisas nessas áreas não podem ser observadas diretamente, e experimentos laboratoriais são quase impossíveis.

    Parte da teoria da evolução (na qual envolve a MACRO-evolução) está ERRADA e muitas das “coisas” em Meteorologia, Geologia, Astrofísica e Física Subatômica também estão.
    As EVIDÊNCIAS EMPÍRICAS descobertas com o avanço da ciência, revelaram o erro nelas.

    Tu não acredita cegamente que as “coisas” em Meteorologia, Geologia, Astrofísica e Física Subatômica, assim como a Teoria da Evolução estão 100% certos, acredita?

    Existem processos naturais, além da evolução, que duram milhões ou até bilhões de anos para provocar eventos que possam ser notados, mas os cientistas estão dispostos a considerá-los, caso hajam boas evidências e pesquisas.

    Milhões e Bilhões de anos A FRENTE eu concordo contigo. Por exemplo o Sol, daqui a alguns Bilhões de anos A FRENTE vai deixar de existir.
    Não preciso ter fé nisso, pois posso observar o seu destino natural (caso não haja nenhuma mudança sobrenatural)
    Agora o que dizer sobre o SUPOSTO e NÃO OBSERVADO milhões de anos atrás??? Bom.. neste caso somente com a adição de fé, algo na qual evolucionistas possuem de sobra (neste aspecto).

    Ora, nada mais lógico, racional, coerente e científico que uma cobra falante

    Maravilha… entraste no âmbito teológico. Esta é uma das minhas áreas preferida.
    Bom, para começar, logo de começo, identifiquei milhares de erros teológicos incríveis (literalmente) de tua parte (o que era de se esperar, visto que és assumidamente um crente evolucionista, adepto do “São” Darwin).

    Primeiro, a Bíblia não fala de “cobras” (no plural) e muito menos refere a serpente original como as que conhecemos hoje (pois A SERPENTE ORIGINAL era dotada de toda “astúcia” dos animais, ou seja capacidade de fala mais apurado do que os psitaciformes e uma sagacidade maior do que símios ou primatas antropóides)

    Segundo, A SERPENTE ORIGINAL, não atuou sozinha. Ou ela foi possuída por satanás ou ela era a própria personificação dele.
    Há correntes teológicas que se diferem em argumento.

    convencer uma mulher feita da costela de um homem

    A medula óssea, encontrado dentro do osso (no caso, a costela), é uma das fontes principais de células-tronco.
    Sabe em que tipos de pesquisa a ciência tem se utilizado desta célula? CLONAGEM
    A Bíblia narra o primeiro caso de clonagem em toda história (com um cromossoma alterado), quase 4000 anos atrás.

    que foi feito de barro

    A argila contém uma série de minerais, como alumínio, silício e oxigênio, e sua composição forma uma substância chamada “hidrogel”.
    Trata-se de um polímero que forma um conjunto de espaços microscópicos capazes de absorver líquidos, tais como uma esponja, em que são produzidas as reações químicas para a síntese de proteínas, DNA e as células vivas.
    Preciso ressaltar que há mais de 4000 anos a Bíblia já revelava os elementos que compunham os seres humanos?

    por um ser que surgiu do nada

    Este erro, em minha opinião, foi o mais grotesco de todos. Como que, pela lógica, uma entidade ETERNA possa ter uma origem???
    Diga para mim, Marcos… por mais que me esforce, não consigo entender este raciocínio totalmente irracional e ilógico.
    Poderia um quadrado ser redondo? poderia um solteiro ser casado?
    Segundo “lógica” de tua alegação, sim.

    a comer o fruto da árvore mágica!

    Não há necessidade de uma arvore “mágica” para possuir a capacidade de dar a vida eterna a um corpo humano. Basta ela oferecer um fruto na qual oferece nutrientes e elementos que eliminam a ação entrópica no corpo, causado pelo tempo (envelhecimento)

    Nada mais lógico, racional, coerente e científico que plantas e a Terra surgirem antes do sol e das estrelas

    Qual o problema? As plantas precisam da LUZ e não do sol ou das estrelas.
    Vais dizer que não sabia disso?
    Achas mesmo que apenas a PRESENÇA do sol e a PRESENÇA das estrelas é quem fazem as plantas viverem?

    ou até mesmo um Deus tão amoroso matar milhares de inocentes, incluindo bebês, crianças, grávidas e idosos, em um dilúvio,

    Mostre aí na Bíblia, na qual diz supostamente diz que no período PRÉ-DILUVIANO existiam bebês e mulheres grávidas.
    Esta é a tua acusação. porém eu pergunto, consegues embasar evidencialmente o que fala?
    Caso não, então, como um bom crente darwinista, adepto do “São” Darwin, está apenas a utilizar o subterfúgio linguístico muito peculiar na maioria das pessoas que pertencem a vossa “irmandade” : a CALÚNIA.

    Outra coisa, ser idoso ou criança é sinônimo de ser inocente?
    Digite no google “assassinos juvenis” e veja a “inocência” que aquelas crianças tiveram ao cometer tais atos “inocentes”.

    e antes disso se arrepender de ter criado tudo, apesar de que a Bíblia dizer que Deus não se arrepende!

    Sério mesmo que retirará o texto fora de contexto, desconsiderando os sentidos e as diferenças nas palavras hebraicas, apenas para embasar o teu argumento falso?
    Por estes motivos aparentes que percebemos que muitos de vocês, crentes darwinistas, são excelentes caluniadores.

    Bom… “Os vocábulos “arrepender-se” e “arrependimento” são raramente usados no Antigo Testamento com referência aos homens. Como traduções da raiz hebraica nãham (םחניו), essas palavras são mais freqüentemente aplicadas a Deus”.
    No hebraico, quando a palavra arrependimento está relacionada ao homem é shübh (בשיו) e a Deus é nãham (םחניו).
    Shübh = Está sempre aplicada ao pecado, ao erro, ao remorso. Ou seja, o homem reconhece o seu erro e se arrepende do que fez.
    Nãham = Está ligada a relação de Deus para com o homem. Por exemplo: Deus diz que vai destruir o homem se ele não se arrepender. Porém, o homem se arrepende. Então a Bíblia diz que Deus se arrependeu do que disse. Ou seja, Deus não destruiu o homem porque este se arrependeu. O arrependimento aqui não está dizendo no sentido como se Deus reconhecesse o seu erro e se arrepende. E sim, que Deus não mais destruiria o homem. Ou seja, a sua atitude de destruir o homem foi anulada pelo arrependimento deste.
    Quando os textos acima dizem que Deus não se arrepende está dizendo que a sua atitude para com o pecado não mudará sem o arrependimento do ser humano. E quando Ele “se arrepende” está dizendo que a sua atitude é de não mais fazer o que faria sem o arrependimento do homem.

    Marcos, se tiver algum outro argumento “brilhante”, peço para que não se reprima ao expressa-lo. Com muita satisfação e prazer que busco refutar tais pensamentos, não para ti (visto que não está interessado na verdade), mas para outro cristão, na qual necessita de “armas argumentativas” contra desonestos como tu.😉

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s