Âmbar com insetos pode mudar história geológica

Um grande depósito de âmbar de 50 milhões de anos [segundo a cronologia evolucionista] encontrado na Índia pode mudar a história geológica da Terra e adiantar o surgimento [sic] de algumas espécies no planeta.

Tudo porque os insetos encontrados presos no material mostram que o subcontinente não ficou tão isolado como antes se achava. Pesquisadores indianos, americanos e alemães passaram dois anos no nordeste da Índia examinando o que pode ser o maior depósito de âmbar já encontrado.

O material encontrado na província de Gujarat está extremamente bem preservado e repleto de animais. Além disso, como a resina não foi completamente fossilizada, os pesquisadores conseguiram dissolvê-la de novo e ter acesso aos animais. Até agora, foram achados mais de 700 artrópodes de 55 gêneros diferentes; a maioria é de insetos (como abelhas e moscas), mas também aranhas, ácaros e partes de plantas.

Uma das teorias mais aceitas sobre a formação moderna dos continentes diz que o sub-continete da Índia “se separou” do leste africano há cerca de 160 milhões de anos [idem] e flutuou pelo oceano, isolado, à velocidade de 20 centímetros ao ano. Somente há cerca de 50 milhões de anos a Índia teria colidido com a Ásia em um impacto que resultou na formação da cadeia de montanhas do Himalaia.

Se fosse verdade, a Índia teria ficado completamente isolada do restante do mundo por 100 milhões de anos [idem], dando tempo para o surgimento de uma flora e uma fauna únicas. Sendo assim, o âmbar achado, que possui 53 milhões de anos [idem], mostraria como era a vida na Índia antes de sua ligação ao continente asiático. As espécies encontradas nele deveriam, portanto, ser diferentes das de quaisquer outros lugares.

Mas este não foi o caso. Insetos parecidos aos achados em Gujarat já foram encontrados na Europa e America Central, indicando um grande intercambio de espécies antes de o âmbar se formar. Os pesquisadores especulam então que poderia ter existindo uma série de ilhas continentais, como o Japão e Indonésia são hoje, que teriam permitido aos insetos passarem à Índia.

Outra descoberta interessante está na formação do âmbar, que vem de uma planta da família das Dipterocarpaceae. Os pesquisadores acreditavam que essa família havia surgido há 25 milhões de anos [idem], porém a datação do âmbar mostra que, na verdade, elas existem há pelo menos 50 milhões de anos [idem].

O trabalho foi publicado na Proceedings of the National Academy of Science.

Fonte: Info – 26/10/10

Nota do blog Criacionismo.com.br: Que tal este cenário: havia um único continente (Pangea) que passou por um tremendo cataclismo hídrico acompanhado de enormes derrames de lava, fragmentação continental (tectônica de placas), tsunamis e consequente soterramento por água e lama de incríveis quantidades de animais e vegetais, que posteriormente se tornariam fósseis.

O evento não durou mais do que semanas (ou mesmo poucos meses, se considerarmos eventos menores decorrentes da grande inundação), mas foi capaz de alterar drasticamente a configuração do planeta, originando em pouco tempo cadeias de montanhas, depressões (onde se acumularam imensas quantidades de água) e outras formações. Assim, os animais que acabaram aprisionados em âmbar ou sob a terra seriam provenientes de um mesmo ambiente antediluviano.

As maiores variações verificadas nos seres vivos (microevolução) foram decorrentes dos ambientes diversificados surgidos após a catástrofe. Parece um cenário bastante razoável e compatível com as evidências observadas na Índia e em praticamente todas as partes do mundo. Aliás, plantas e animais fossilizados há supostos milhões de anos são muito parecidos com os atuais (quando não idênticos), variando mais no tamanho (geralmente maiores).[MB]

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Geologia and tagged , , , , . Bookmark the permalink.

One Response to Âmbar com insetos pode mudar história geológica

  1. Karina says:

    Ah, eu acho fantástica toda essa coisa de encontrar animais “presos” em âmbar. É lindo. E, de fato, nunca vi nenhum aninal absurdamente diferente dos que encontramos hoje… Será por que?!

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s