A “Infalível” Publicação Científica

Um dos irrelevantes argumentos que os crentes ateus gostam de levantar contra os cientistas criacionistas é o de afirmar que os mesmos não publicam artigos em jornais e revistas científicas. Segundo os religiosos darwinistas, o facto do criacionismo Bíblico ser rejeitado pela elite científica é “evidência” para a falta de base científica do mesmo.

Para começar, isto é irrelevante. O facto dos cientistas criacionistas não publicarem artigos científicos em defesa do criacionismo em revistas evolucionistas, não só não é evidência contra o criacionismo, como apenas e só significa que eles não publicam nas tais revistas e nos tais jornais. Quem foi que determinou que para uma teoria para ser cientifica ela tem que ser publicada em jornais darwinistas?

Segundo, existe uma selecção artificial no que toca aos artigos que os “polícias do pensamento” aceitam como “científicos”. Artigos que ponham em causa a teoria da evolução (ou um dos seus frágeis pilares – milhões de anos, poderes criativos das forças não inteligentes, etc) são ideologicamente rejeitados pelos árbitros científicos. Os poucos que passam a censura darwinista são seguidamente alvo de ataques não-científicos.

Dado este cenário, os críticos da teoria da evolução ficam numa posição no mínimo curiosa:

1. O criacionismo ou o design inteligente não são teorias científicas porque não publicam artigos científicos em jornais arbitrados

2. Mesmo que tais artigos sejam submetidos a apreciação, os mesmos serão rejeitados por não estarem de acordo com a versão oficial da teoria da evolução.

Como se isto não fosse suficiente para se ver que a não-publicação em jornais arbitrados não é evidência para falta de rigor científico, nós lemos com frequência que mesmo aquelas teorias que são avaliadas e aceites por outros cientistas podem ser fraudes.

Foi exactamente isso que aconteceu na Coreia do Sul:

Promotores da Coreia do Sul pediram ontem uma pena de quatro anos de prisão para o cientista que caiu em desgraça após um escândalo envolvendo clonagem em 2005. Hwang Woo-suk, que publicou artigos fraudados na revista “Science” sobre clonagem humana, é acusado de desvio de verba pública, prevaricação e compra ilegal de óvulos para sua pesquisa.

Reparem que os ditos artigos sofreram avaliação científica e foram achados como suficientemente “científicos” para serem colocados na prestigiosa revista “Science”. Isso leva-nos a concluir que a avaliação científica pode cometer erros e aceitar o que não é ciência. Do mesmo modo, a mesma avaliação pode rejeitar o que é ciência.

É importante ver que com estas palavras não está a ser posto em causa a avaliação feita por outros cientistas, mas sim mostrar que a não aprovação por membros da mesma comunidade não é sinónimo de falta de valor científico.

Os crentes ateus tem que levar isso em conta da próxima vez que usarem o argumento da “falta de publicação cientifica” contra o criacionismo.


Ver também:

1. O Mito do Consenso Científico.

2. Michael Crichton: Ciência e Consenso Científico

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Ciência and tagged , . Bookmark the permalink.

2 Responses to A “Infalível” Publicação Científica

  1. Evo Lui says:

    “Os crentes ateus tem que levar isso em conta da próxima vez que usarem o argumento da “falta de publicação cientifica” contra o criacionismo.”

    Mats, a falta de publicações científicas criacionistas significa alguma coisa, ou os cientistas tem medo de apresentar algo, por dúvidas em relação a criação, idade da terra, etc… ou de fato não tem nada a apresentar a comunidade científica.

    Falando em medo, em especial de opiniões contrárias, o Sir Charles Darwin apresentou sua teoria em mundo populado por criacionistas, então qual o problema de cientistas criacionistas apresentarem suas teorias em mundo populado por evoluvionistas?

    Vejo dois problemas de imediato:
    1) Baseiam-se na bíblia para todas as explicações, e qualquer dúvida, consulte a bíblia de novo, não entendeu, está ali naquele versículo, como pode não enxergar, estava claro! (Isso não é ciência, é religião!)

    2) Ao adotarem, da forma que descrevi, as bases da “ciência” criacionista na bíblia, contrapõe-se a inúmeras áreas da ciência, e aí o bicho pega (mais ainda), o que a grande teoria criacionista tem a oferecer a físicos, astrônomos, químicos, etc? A grande teoria criacionista terá que desbancar toda uma rede de teorias e leis que se complementam, se explicam, se encaixam, (note que existem lacunas e a ciência trabalha para desvendá-las, e não é lendo a bíblia)

    Note, Mats, que o embate de idéias pode não estimular a religião, mas estimula a ciência, sendo assim mãos-a-obra, que apresentem a grande teoria criacionista.

    Like

  2. Mats says:

    Mats, a falta de publicações científicas criacionistas significa alguma coisa, ou os cientistas tem medo de apresentar algo, por dúvidas em relação a criação, idade da terra, etc… ou de fato não tem nada a apresentar a comunidade científica.

    Ou então existe censura dos artigos científicos que expõem a fragilidade da teoria da evolução, e de todas as crenças que a suportam. Por isso é que os cientistas criacionistas abriram revistas científicas próprias.

    Falando em medo, em especial de opiniões contrárias, o Sir Charles Darwin apresentou sua teoria em mundo populado por criacionistas, então qual o problema de cientistas criacionistas apresentarem suas teorias em mundo populado por evoluvionistas?

    O Darwin não expôs a sua teoria ao escrutínio científico, mas sim publicou as suas ideias num livro. Curiosamente, é o que muitos cientistas criacionistas fazem como forma de fazer chegar a interpretação Bíblica ao maior número de leitores.

    Vejo dois problemas de imediato:
    1) Baseiam-se na bíblia para todas as explicações, e qualquer dúvida, consulte a bíblia de novo, não entendeu, está ali naquele versículo, como pode não enxergar, estava claro! (Isso não é ciência, é religião!)

    Muda “Bíblia” por “Naturalismo” e tens a versão evolucionista.

    2) Ao adotarem, da forma que descrevi, as bases da “ciência” criacionista na bíblia, contrapõe-se a inúmeras áreas da ciência

    Inúmeras áreas da ciência ou inúmeras áreas evolutivas? A ciência em si não perde nada ao rejeitar as teorias evolutivas.

    o que a grande teoria criacionista tem a oferecer a físicos, astrônomos, químicos, etc?

    Um modelo que está de acordo com as observações, que é uma coisa que a teoria da evoolução não pode oferecer.

    A grande teoria criacionista terá que desbancar toda uma rede de teorias e leis que se complementam, se explicam, se encaixam,

    Excepto quando não se complementam, não se encaixam e contradizem-se uma a outra. Isto, claro, falando de teorias evolutivas.
    A ciência em si complementa-se e encaixa-se em si.

    Note, Mats, que o embate de idéias pode não estimular a religião, mas estimula a ciência, sendo assim mãos-a-obra, que apresentem a grande teoria criacionista.

    Por isso é que os cientistas criacionistas promovem a debate de ideias em torno da teoria da evolução, coisa que os evolucionistas não querem. Devem ter algo a esconder, certo?

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s