Estudo Revela que Mulheres Preferem Patrões a Patroas

Elas são hormonais, incapazes de deixar a vida pessoal em casa e demasiado disponíveis para falar da vida alheia pelas costas. As patroas são um pesadelo no emprego, segundo uma pesquisa recente. E não são só os homens que pensam assim.

Dois terços das mulheres afirmaram que preferem ter um patrão em vez duma patroa porque a atitude masculina de ir direito ao assunto torna-os mais fáceis de lidar. Segundo o estudo, eles são muito menos susceptíveis de ter intenções escondidas, sofrer de mudanças de temperamento ou envolverem em políticas de escritório.

Pontos fortes do homem:

1. Directos.

2. Menos susceptíveis de se envolverem em “politiquices” no escritório.

3. Mais fácil de se chegar a um entendimento

4. Menos susceptíveis de refilar acerca dos outros.

5. Menos susceptíveis de sofrer mudanças de temperamento.

6. Capazes de deixar a sua vida privada em casa.

7. Sem “alturas do mês”.

8. Mais dispostos a partilhar interesses comuns.

9. Não se sentem ameaçados se os outros são bons no seu trabalho.

10. Mais razoáveis.

Artigo integral.


As feministas bem tentam eliminar as distinções biológicas, psicológicas e mentais entre os homens e as mulheres (afirmando que tais diferenças são “construções sociais”) mas acho que a maior parte da população mundial sabe que homens e mulheres são fundamentalmente diferentes.

Ainda bem que assim é, senão o mundo seria bem diferente (para pior).

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Sociedade and tagged , , . Bookmark the permalink.

5 Responses to Estudo Revela que Mulheres Preferem Patrões a Patroas

  1. Adalberto Felipe says:

    No Brasil (provavelmente em Portugal há), existe algo conhecido como “Entrevistas de emprego”, que consiste em psicólogas entrevistando as pessoas a serem contratadas em uma empresa.

    Só que na maioria das entrevistas, as psicólogas fazem perguntas totalmente absurdas, que não tem nada haver com o emprego, como:

    Se você fosse um animal qual seria?
    Você namora?
    O que você faz com seu parceiro nos fins de semana?
    Se você fosse um eletrodoméstico, qual seria?
    Você usa camisinha?
    Como foi o seu primeiro beijo?
    O que você faria se o mundo acabasse hoje?
    Se alguém pedir para você cair num buraco, você cairia?

    dentre outras… e até aquelas clássicas, como: “Quais são os seus defeitos / as suas qualidades?” (até parece que alguém vai ser sincero o suficiente de expor as próprias limitações ou falar as qualidades boas para a psicóloga pensar asneiras).

    Muitas psicólogas fazem outras coisas absurdas além das perguntas também como: pedir o aluno para dançar, estourar balões, falar de si mesmo com um palito de fósforo aceso até apagar, dançar boquinha da garrafa, imitar Sílvio Santos (um grande apresentador brasileiro), desenhar uma árvore, se enrolar num barbante ou corda no meio de todo mundo, beijar um boneco e depois pedir para beijar as pessoas que estão na sala fazendo o teste com você na mesma região onde você beijou o boneco, gritar, etc.

    As psicólogas insistem que isso adianta e que tem valor científico, mas não afirmam em quê e o que isso tem de científico.

    O quê que isso tem haver com o tópico?

    É que o mesmo se aplica aos homens: quando um homem entrevista a gente ao contratar em um emprego a maioria é mais lógico, mais sincero.

    Aqueles 10 itens citados, com destaque ao 1, 3, 4, 6 e 10, se aplicam perfeitamente aos homens na hora de contratar alguém: são mais diretos, mais fáceis de chegar a um entendimento, não se entrometem na vida dos outros, ao contrário das mulheres psicólogas que entrevistam os outros.

    Muitos psicólogos colocam os princípios da psicologia acima dos valores cristãos, achando que psicologia é a maravilha, sendo que não é bem assim não, vide o tanto de psicóloga falsa que tem por aí ainda mais nas agências de empregos!

    Neste tópico, não podemos generalizar as patroas, pois existem mulheres boas para serem patroas e dignas que sabem cuidar de sua loja que se dedicaram para criar, também não podemos generalizar as psicólogas, pois existe, mais uma minoria baixíssima de psicólogas que sabem entrevistar.

    Enfim, até afirmo que psicologia nem chega a ser ciência, e que é uma área com muitos furos, a começar com freud, que não era santo e cometeu fraudes.

    Se pesquisarmos no Google por: “Freud Fraude”, encontramos dezenas de artigos sobre isso.

    Like

  2. As entrevistas de emprego são feitos por uma metodologia que não tem nada,mas mesmo nada, a ver com a psicanálise.

    Na psicologia há diversos paradigmas e a psicanálise é apenas um deles.

    O contributo de Freud para a psicologia é inegável. Já passaram +e mais de cem anos sobre os seus textos.

    Quanto à validade da psicanálise já a história é outra.

    Like

  3. Adalberto Felipe says:

    João Melo,

    Sei que psicanálise não tem nada haver com isso, mencionei Freud, porque ele teve um papel nessa área e também a psicologia tem muito achismo, pois muitos psicólogos por mais que não admitem, julgam as pessoas.

    Em muitos casos, ao invés de ajudar, acabam atrapalhando, pois acham que é uma coisa que o paciente tem, sendo que é outra, falam que o paciênte não é capaz, não admitem que o caso do paciente requer outras coisas, os julgam pelo que falam, enfim, eu já sofri na mão de uma psicóloga, já sofri na mão de psicólogos que aplicam dinâmicas e perguntas na hora de emprego e já vi muita gente que sofreu nas mãos deles também.

    Sobre Freud, ele foi um charlatão, isso sim.

    Like

  4. Mats says:

    Coitados os bebés que vão morrer devido ao aborto que a Dilma vai quase de certeza apoiar. Mas que os ateus não se preocupam com os mais frágeis da sociedade já é notório.

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s