Qual é o segredo do pinguim para nadar de forma tão eficaz?

Quem é este que escurece o conselho, com palavras sem conhecimento? Agora cinge os teus lombos, como homem; e perguntar-te-ei, e tu responde-me. Onde estavas tu, quando Eu fundava a terra? Faze-mo saber, se tens inteligência
38:2-4

PenguinsOs pinguins são nadadores exímios mas devido à resistência gerada pela fricção hidráulica – que deveria ser enorme – não era suposto eles serem tão rápidos a serpentear pela água e para cima dos blocos de gelo. Os pesquisadores, familiarizados  que estão com as tentativas recentes de usar o ar como lubrificante para os barcos, repararam nas bolhas de ar que os pinguins “vestem” durante as suas subidas turbolentas. Tendo essa observação como base, os cientistas questionaram-se se os pinguins usam o ar como acelerador subaquático.

A National Geographic reportou recentemente a forma como Roger Hughes (Biólogo na Bangor University), inspirado por um documentário da BBC de 2001 que exibia pinguins imperadores a saltar para fora da água1, associou-se com um engenheiro dinamarquês e outros dois pesquisadores para investigar a forma como os pinguins conseguiam levar a cabo tal proeza. Os seus resultados, publicados na revista científica Marine Ecology Progress Series em 2011, revelaram o design único e espantoso presente nos corpos dos pinguins.2

Os autores do estudo admitiram que sem um pinguim de “controle”, isto é, um que não liberte bolhas de ar enquanto nada, eles não podem provar cientificamente a hipótese de que o pinguim imperador – e por extensão, os outros pinguins com habilidades similares – usam penas bolhas de ar para acelerarem enquanto se encontram debaixo de água. No entanto, eles encontraram inúmeras evidências em favor desta ideia.

Pinguim Bolhas de arQuando os pinguins se encontram fora da água, eles alisam as suas penas e aveludam-nas ao longo do seu corpo, aumentando cerca de 2,5 cm de ar entre a pele e parte mais externa das penas. O alisamento acrescenta também óleo de impermeabilização às penas, o que, junto com o resto, faz com que o pinguim transporte consigo um revestimento (ou um “casaco”) de ar quando mergulha nos oceanos.

Os pesquisadores estudaram cuidadosamente as imagens de pinguins a mergulhar e a emergir, e estimaram que eles se elevam, em média, a uma velocidade “2,8 vezes mais rápida que a sua velocidade descendente.2 Quando os penguins mergulham a flutuabilidade do seu revestimento de ar requer mais energia do que quando eles nadam na direcção ascendente. Essencialmente, os pinguins armazenam essa energia e usa-na mais tarde para acelerar em direcção à superfície.

Os autores do estudo conjecturam que os pinguins trancam as suas penas sobre o ar comprimido em profundidade. Quando eles nadam para cima, o ar expande, mas eles permanecem com as penas para baixo contra a força de ar em expansão, que “irá automaticamente ser liberto na forma de pequenas bolhas.”2

PinguimEstas pequenas bolhas retiram grande parte da fricção entre as penas e a água – chegando aos 100%. Experiências levadas a cabo contra folhas planas representando os lados do tanque, mostraram uma redução da fricção que chegou aos 80%, segundo Hughes e os seus co-autores do estudo. O pinguim desliza  através do “casaco” de ar que gera, deixando para trás as bolhas de ar. Esta talvez seja a razão que leva os pinguins a “disparar” para fora de água a 29 quilómetros por hora!

Como é que os pinguins gerem os “casacos” de ar? Primeiro, eles têm que saber como os alisar. Eles precisam também dum corpo aerodinâmico, formado para permitir que os seus bicos atinjam muitas penas corporais enquanto se alisam. Adicionalmente, “a plumagem dos pinguins é diferente das outras áves.”2 As suas penas encontram-se espalhadas de maneira uniforme por todo o seu corpo numa pequena malha de fios finos.

Elas têm toda a aparência de terem sido intencionalmente criadas para “prender” o ar.

Os pinguins precisam também de produzir o óleo específico que lhes permita preparar e impermeabilizar as suas penas. Para além disto, o “pinguim imperador precisa de ter um controle considerável sobre a sua plumagem.”2 Com músculos anexados a cada uma das penas, é perfeitamente razoável acreditar que os pinguins possuem tal controle. Todas as partes interligadas  não só estão perfeitamente ajustadas, como são todas elas necessárias. Se uma das partes não funciona, todo o sistema entra em colapso.

Hughes e os seus co-autores poderiam testar empiricamente a ideia de construir um modelo de pinguim, mas “tecnicamente, isto seria uma tarefa difícil uma vez que a complexidade da plumagem do pinguim seria difícil de replicar através duma membrana ou malha porosa.”2 E o que é tecnicamente difícil de construir para homens inteligentes, é totalmente impossível de ser feito através de forças naturais não-inteligentes.

Mas, claro, isso é um problema para os evolucionistas, que, apesar da inexistência de evidências em favor disso, acreditam religiosamente e militantemente que aquilo que mentes inteligentes não conseguem fazer, as forças não-inteligentes da natureza conseguiram fazer através dos cientificamente errados “milhões de anos.” Para nós Cristãos, a extraordinária complexidade das características do pinguim não são um problema visto que nós estamos cientes que Nele, no Senhor Jesus Cristo (o Eterno Deus), ” todas as coisas subsistem” – até as penas dos pinguins.3

Referências
  1. Hodges, G. Escape Velocity. National Geographic. Posted on ngm.nationalgeographic.com November 2012, accessed November 27, 2012.
  2. Davenport, J. et al. 2011. Drag reduction by air release promotes fast ascent in jumping emperor penguins — a novel hypothesis. Marine Ecology Progress Series. 430: 171-182.
  3. Colossians 1:17.

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

2 Responses to Qual é o segredo do pinguim para nadar de forma tão eficaz?

  1. Darcy says:

    Mats,

    Apenas para agradecer as excelentes postagens deste blogue, desejar a você e a todos os amigos que o visitam as ricas bênçãos do Senhor no novo ano e divulgar, porque interessante, que a Lição da Escola Sabatina (guia trimestral de estudo diário da Bíblia usado em nível mundial pelos adventistas do sétimo dia) projetou treze semanas de estudos do tema “Criacionismo/Origens”. Vejam o link abaixo.

    http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2013.html

    A Lição completa também está disponível em um excelente aplicativo, desenvolvido para iPhone e Android (procurem a versão mais recente). Bons estudos!
    O Senhor te abençoe e te guarde.
    Um grande abraço!

    “Temei a Deus, e dai-lhe glória; porque é vinda a hora do seu juízo. E adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.”
    Apocalipse 14:7

    Like

  2. Hugo Costa says:

    Caros amigos,
    estou envolvido num projecto de partilha e documentação do mundo subaquático, beneficiando do conhecimento dos cidadãos que mergulham um pouco por todo o mundo.

    visitem e dêem a vossa opinião

    http://skaphandrus.com

    Com os melhores cumprimentos,
    Hugo Costa

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s