O segredo mortífero de Charles Darwin

Por  Noel Hornor

EpicuroEmbora a teoria da evolução hoje tenha ampla aceitação, as suas origens são mais sinistras do que a maioria das pessoas sabe. Charles Darwin deu início à evolução na esfera pública com as suas obras em relação a este tópico, mas a ideia não originou nele. As raízes da teoria da evolução são muito antigas.

O filósofo Grego Epicuro (341-270 B.C.) “olhava para o mundo e para a vida como um cosmos auto-criado, onde a vida apenas acontecia” (Marvin Olasky, “Staring at Death,” World, July 13, 2013).

O Epicurismo existiu durante muitos séculos depois da morte do Epicuro, e no ceu âmago, esta filosofia colocava ênfase no prazer físico como o objectivo principal da vida (para além de negar qualquer componente espiritual na vida). O poeta e filósofo Romano Lucrécio (99-55 B.C.) era um Epicureno e consequentemente acreditava que o prazer era o propósito maior da existência. Ele descreveu o ideal da vida desta forma:

Os homens podem-se deitar, lado a lado, na relva macia, sob os ramos duma árvore alta, perto duma ribeira, e facilmente, e agradavelmente, cuidar das necessidades da criatura. (On the Nature of Things, translated by Frank Copley, 1977, p. 29).

Lucrécio acreditava também que o ser humano não tinha qualquer hipótese de obter imortalidade. Ele escreveu “‘Adormecido na morte;’ é assim que vais estar durante o resto do tempo”. (p. 77). Ele acreditava que não havia coisas como intervenção Divina, milagres ou vida eterna. O ponto de vista que Lucrécio tinha do início da vida era espantosamente parecido com a geração espontânea:

Justificadamente a terra recebe o nome de mãe, visto que da terra todas as coisa nasceram. E mesmo hoje, muitas criaturas nascem da terra, moldadas pela chuva e pelo forte calor do sol (p. 131).

Darwin popularizou ideias antigas.

Charles Darwin não foi o primeiro evolucionista, nem mesmo em tempos modernos. De facto, o seu avô, Erasmus Darwin, era também um evolucionista (Paul Johnson, Darwin: Portrait of a Genius, 2012, p. 41). O que aconteceu foi que Darwin apenas popularizou a ideia da evolução com a publicação do seu livro “A Origem das Espécies”.

Eventualmente, o conceito da evolução iria varrer o mundo, e esta ideia não foi “inofensiva” visto que ela estava destinada a causar muitos malres – incluindo a morte de milhões de pessoas inocentes, tal como veremos já a seguir. A teoria da evolução é inimiga da vida civil, do amor, da religião e de Deus.

Muitos cientistas e professores mais não são que convertidos para o que nada mais é que a religião da evolução. Eis aqui o que um biólogo evolucionista escreveu:

A evolução é o mais importante conceito da biologia. Não há um único “Porquê?” dentro da biologia que não pode ser respondido de forma adequada sem levar em consideração a evolução. Mas a importância deste conceito vai para além da biologia. Quer nós nos apercebamos ou não, a forma de pensar do ser humano é profundamente afectada – eu estou quase tentado a dizer “determinada” – pelo pensamento evolutivo. (Ernst Mayr, What Evolution Is, 2001, p. xiii).

O professor Mayr está certo quando diz que o pensamento do “homem moderno” está profundamente afectado visto que esta ideologia [evolutiva] enganou milhões de seres humanos e levou-os a pensar que a vida não tem qualquer tipo de propósito transcendental. O famoso evolucionista e ateu Richard Dawkins disse que “não há design e nem propósito” na nossa existência, concluindo que os seres humanos mais não fazem que “dançar” ao ritmo da música do nosso ADN (River Out of Eden, 1995, p. 133).

Muitos seres humanos, de facto, já dançaram ritmos estranhos. A sua “insanidade espiritual” vai desde a anti-Bíblica discriminação, passando pela maligna eugenia, acabando no assassínio frio e calculado. Um dos próprios professores de Darwin, Adam Sedgwick, avisou que a humanidade sob a influência do pensamento evolutivo “iria abandonar oos códigos morais que permitiram que a civilização sobrevivesse” (Carl Zimmer, commentary within Charles Darwin, The Descent of Man, and Selection in Relation to Sex, 2007, p. 151).

E de facto, os códigos morais foram corrompindos, e com frequência o falhanço moral dos sers humanos pode ser directamente associado à teoria da evolução e a descrença em Deus. Os exemplos vão desde a discriminação simples à brutalidade total.

De Darwin a Hitler

Eis o que Viktor Frankl, sobrevivente do Holocausto [dos Judeus] , tinha a dizer da influência do pensamento evolutivo no desenvolvimento do holocausto:

Viktor_FranklOs campos de gás de Auschwitz foram a consequência final da teoria de que o ser humana nada mais é que o produto da hereditariedade e do meio ambiente – ou, como os Nacionais-Socialistas gostavam de dizer, “Sangue e Solo”.

Estou perfeitamente convencido que os campos de gás de Auschwitz, Treblinka, e Maidanek foram em última análise preparados não num Ministério ou noutro em Berlim, mas sim nas secretárias e nas salas de aula de cientistas e filósofos niilistas. (The Doctor and the Soul: From Psychotherapy to Logotherapy, 1986, p. xxvii).

Hitler alegou ser um promotor do Cristianismo; observe-se que a dada altura ele disse o seguinte a um grupo de pastores:

Senhores reverendos…..aceitei de bom grado o vosso convite como forma de esclarecer o meu programa para as igrejas. Gostaria de vos convencer que estou a trabalhar para a recuperação moral da nossa nação, tal como vocês estão. Desde a sua derrota que a Alemanha precisa mais e mais do seu Cristianismo. Ela [a Alemanha] precisa das suas igrejas. Temos que colocar um ponto final no movimento dos ímpios [ed: provável referência ao comunismo]. Precisamos do vosso apoio. Precisamos do apoio de todos que têm os interesses da Pátria no seu coração. (Leo Stein, Hitler Came for Niemoeller: The Nazi War Against Religion, 2003, p. 78).

Olhando para as coisas de forma retrospectiva, torna-se claro que o apelo de Hitler nada mais era que uma decepção. O autor William Shirer salienta que, longe de restaurar a moralidade Cristã para o país, “o regime Nacional-Socialista tinha como plano a eventual destruição do Cristianismo na Alemanha – se pudesse – e colocar em seu lugar o antigo paganismo dos deuses das antigas tribos Germânicas e o novo paganismo dos extremistas da Nacional-Socialista.” (The Rise and Fall of the Third Reich, 2011, p. 240).

Com o seu foco em ajudar o próximo, o Cristianismo era visto como uma fraqueza, especialmente quando esta fé era colocada lado a lado com a filosofia do “o poder faz o direito” nascido parcialmente da Darwiniana “sobrevivência do mais apto” e da violência presente na evolução das espécies.

O conceito da evolução foi também muito influente no desenvolvimento da eugenia visto que Hitler acreditava na superioridade do povo Alemão e que ele tinha o direito de melhorar a raça humana eliminada os grupos “inferiores”. (Richard Weikart, From Darwin to Hitler, 2004, p. 212).

A Nacional-Socialista estava determinada em garantir que os Judeus não sobrevivessem e não “evoluíssem mais ainda”, e devido a isto, em 1942 oficiais importantes do regime Nacional-Socialista levaram a cabo uma conferência em Wennsee – subúrbio de Berlim – como forma de expor a “solução final”, e informar os líderes administrativos dos departamentos responsáveis por várias políticas relativas aos Judeus.

Uma das declarações mais importantes da sua política oficial foi::

No decorrer da solução final e sob liderança apropriada, os Judeus têm que ser colocados para trabalhar no Este. Em colunas laborais grandes e unissexuais, os Judeus aptos para trabalhar irão trabalhar rumo ao Este construindo estradas. Sem dúvida que a maioria será eliminada por causas naturais.

Qualquer resto que sobreviva será sem duvida composto pelos elementos mais resistentes. Eles terão que ser tratados de forma apropriada porque de outra forma, e através da selecção natural, eles formarão as células germinativas dum novo renascimento Judaico. (Mark Roseman, The Wannsee Conference and the Final Solution, 2002, p. 101).

A contagem de mortos dos estados ateístas.

02 Crucificado CAmbodjaA declaração da Conferência de Wannsee conteve várias frases mostrando que a doutrina da sobrevivência-do-mais-apto proveniente da teoria da evolução foi usada como tentativa de exterminar grupos étnicos de pessoas, mas esta não foi a única “experiência” de exterminação em massa dos regimes totalitários do século 20.

Se por acaso fossemos examinas os três grandes regimes ateístas do século 20 – Mao na China, Estaline na Rússia, e Hitler na Alemanha Nacional-Socialista – iríamos descobrir que eles foram responsáveis pela morte de mais de 100 milhões de pessoas. O número nem inclui a contagem de mortos de outros regimes tais como as matanças em massa de Pol Pot no Cambodja. (Sean McDowell and Jonathan Morrow, Is God Just a Human Invention? 2010, pp. 138-139).

Obviamente que a ausência de fé no Deus Justo e Atento só criou uma maior violência e imoralidade mais intensa nestas sociedades. Os cidadãos mais vulneráveis eram aqueles que mais sofriam devido à visão do mundo que rejeita o Criador como a Autoridade Moral Suprema; esta é a realidade que se encontra na raiz de todas as sociedade seculares.

Disse o néscio no seu coração: Não há Deus. Têm-se corrompido, fazem-se abomináveis em suas obras, não há ninguém que faça o bem.  Salmos 14:1

Tal pessoa ou acredita em Deus ou não acredita. “Deus não é importate na minha vida”, saliente um comentário a essa passagem da Bíblia. “Essa pessoa fecha os assuntos deste mundo a qualquer intervenção Divina, e nega qualquer responsabilidade pessoal das suas acções perante Deus.” (Expositor’s Bible Commentary, Vol. 5, p. 143). E o problema encontra-se bem generalizado:

À medida que Deus observa a humanidade, Ele fica sobrepujado com a maldade que vê. Parece que todos “têm-se corrompido”, têm-se tornado “corruptos” ” não há ninguém que “faça o bem” (ibid., p. 145).

Era desta forma que as coisas estavam nos dias de Noé (ver Génsis 6:5), e o Senhor Jesus disse que é deste forma que as coisas estarão no final dos tempos (Mateus 24:7). Infelizmente, a humanidade continuará no seu caminho de auto-degradação à medida que vamos rejeitando a Deus.

Os efeitos do Darwinismo Social

Heilanstalt Schönbrunn, KinderOs evolucionistas Darwinianos acreditam que a vida é produto duma evolução; o Darwinismo Social é  ideia de que o egotísmo cruel e ateísta é a política mais bem sucedida.

Dito de outra forma, o melhor caminho a seguir é aquele onde cada indivíduo toma conta de si mesmo, independentemente das consequências nos outros. Para além disso, o Darwinismo Social defende que a vida evoluiu não só biologicamente, mas também intelectualmente e culturalmente. E aquelas pessoas consideradas superiores a outras através das variadas formas são consideradas como tendo um maior direito à vida.

Se a lei, o governo e a religião evoluíram, isso significa que não existem absolutos. Isto cria um tipo de sociedade onde “tudo vale”; podes fazer o que bem quiseres. Os superiores podem matar os inferiores inocentemente, como procede dessa forma de pensar (e essa tem sido a práctica dum certo número de governos genocidas).

O porquê de ser urgente que o Senhor Jesus regresse

Quando o Senhor Jesus Cristo reuniu os Seus discípulos, pouco antes da Sua morte, eles perguntaram-No em relação aos possíveis sinais do Seu eminente regresso O Senhor Jesus respondeu com uma lista de condições e eventos, começando com os problemas antigos existentes naqueles dias que se iriam agravar e intensificar mais para o final dos tempos:

Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. Mas todas estas coisas são o princípio de dores.  Mateus 24:7-8

Estas coisas têm estado a aumentar durante o último sécul, e ficarão ainda piores. O astrónomo e autor Martin Rees comentou que, embora os desastres naturais tenham sido a maior ameaça para os humanos durante a História, a sociedade moderna encontra-se mais ameaçada pela guerra e pelo genocídio:

Estima-se que em duas guerras mundiais e com as suas consequências, 187 milhões de pessoas morreram através da guerra, do massacre, da perseguição, ou da fome induzida. O século 20 foi talvez o primeiro durante o qual mais pessoas morreram como consequência de regimes totalitários do que como consequência de desastres naturais. (Our Final Hour, 2004, pp. 25-26).

Numa guerra, vale tudo. A teoria da evolução e o ateísmo e o Darwinismo Social que esta teoria causou são o resultado dum mundo que voltou as suas costas a Deus – mundo esse que está cambalear rumo a um período de grandes tumulto tal como antevisto pelo Senhor Jesus Cristo.

O segundo selo da Revelação profetiza também dum tempo de guerra horrenda:

E, havendo aberto o segundo selo, ouvi o segundo animal, dizendo: Vem, e vê. E saiu outro cavalo, vermelho; e ao que estava assentado sobre ele foi dado que tirasse a paz da terra, e que se matassem uns aos outros; e foi-lhe dada uma grande espada.  Apocalipse 6:3-4

Esta visão sóbria descreve uma guerra sangrenta materializada pela rejeição a Deus por parte da humanidade, e pela premissa amoral e vazia da evolução Darwiniana. A mensagem de Deus, no entanto, é de esperança. A Bíblia diz-nos que o Senhor Jesus irá intervir como forma de prevenir que a guerra das guerras chegue ao ponto de aniquilar a humanidade:

E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias.  Mateus 24:22

O Senhor Jesus voltará durante a sétima trombeta para salvar a humanidade deste fim (Revelação 11:15). Alguns rebeldes e evolucionistas podem blasfemar contra Deus (ver Revelação 16:11), mas se eles se arrependerem profundamente, também eles podem receber a salvação Divina que eles tanto colocam em causa e desprezam.

No tempo respectivo, e segundo o propósito e o plano de Deus, a humanidade irá finalmente aprender o quão malignas as guerras e as outras ideias mortíferas que fluem da evolução Darwiniana realmente são. E então, a paz do Reino de Deus irá reinar para sempre!

http://goo.gl/1rc8ys

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

46 Responses to O segredo mortífero de Charles Darwin

  1. Raul says:

    O final foi a melhor parte: é uma pena que tantas pessoas rejeitem a mensagem Apocalíptica que, longe de ser algo para assustar, nos dá é esperança pelo Reino Vindouro, onde não vai haver darwinistas para blasfemarem, difamarem e zombarem do santo nome do Senhor.
    Mats
    http://genesisum.blogspot.com.br/ Vê isso, é um dos “conciliadores”. O dono se autodenomina criacionista progressivo e alega que Gênesis 1 lido de forma literal pode ser conciliado com a teoria da evolução, chegando ao ponto de usar versículos que indicam que homem e animal vieram do pó da terra como referência da ancestralidade comum universal! O sujeito também adora dizer que os seis dias da Criação têm grandes paralelos com a coluna geológica, ao dizer, por exemplo, que os períodos finais da mitológica Era Mesozóica foram no sexto dia. Tais paralelos não existem. Enquanto Gênesis diz que as aves vieram antes dos dinossauros, o uniformitarismo diz que foi ao contrário, e pra escapar disso, o cara diz que na verdade o fim de cada dia é apenas a origem das espécies atuais, e assim pode dizer que haviam animais já no terceiro dia!

    Like

  2. Raul says:

    Mats
    Concordas que o Evolucionismo Teísta e o Pelagianismo (heresia iniciada pelo monge Pelágio que dizia que o homem pode alcançar a graça divina por conta própria e que Jesus apenas serviu de exemplo, ler mais aqui https://padrepauloricardo.org/episodios/o-que-e-o-pelagianismo) estão de mãos dadas?

    Like

    • Miguel says:

      Mats
      Concordas que o Evolucionismo Teísta e o Pelagianismo (heresia iniciada pelo monge Pelágio que dizia que o homem pode alcançar a graça divina por conta própria e que Jesus apenas serviu de exemplo, ler mais aqui https://padrepauloricardo.org/episodios/o-que-e-o-pelagianismo) estão de mãos dadas?

      Estão de mãos dadas no erro, sim. Qualquer ideologia que contradiz a Palavra de Deus está errada.

      Like

      • Raul says:

        *”Estão de mãos dadas no erro, sim. Qualquer ideologia que contradiz a Palavra de Deus está errada.”
        – E um ponto importante é que o Senhor Jesus além de ser criacionista (isso está bem evidente) declarava ser o próprio Criador. Gente como Francis Collins por exemplo, têm de considerar que Jesus errou, porque se ele é Deus que se fez homem, e a evolução (supostamente) é um fato, ele deveria ser evolucionista. Mas não era assim, então a primeira alternativa (Jesus errou) é tudo o que podem declarar, mas se há um erro na Palavra de Deus, então ela não merece ser assim chamada, porque foi demonstrada como sendo falível.

        Like

  3. Anderson says:

    É isso mesmo, não há como conciliar o evolucionismo com cristianismo, são coisas antagônicas e enquanto primeiro leva a auto destruição o segundo leva a edificação.

    Há, no entanto, um erro teológico na parte final do texto que gostaria de comentar.
    É claro que antes assumam, quem for ler, que é de maneira respeitosa que falo e segundo o método historicista de interpretação das profecias pois, segundo a Bíblia, está é a maneira correta de interpretar as profecias uma vez que em Daniel 2 se vê uma progressão histórica de impérios consecutivos que se cumpriu fielmente com Babilônia (605 A.C.- 539 A.C.), Medo-Pérsia (539 A.C. – 331 A.C), Grécia (331 A.C. – 168 A.C.), Roma (168 A.C. – 476 D.C), Reinos Bárbaros 476 D.C. até os dias atuais (Alemanha, Portugal, Espanha, França, etc.). Logo, fazendo-se o mesmo com o Apocalipse, chega-se a conclusão de que o mundo realmente está numa descendente e haverá piora em todas as áreas antes da volta de Jesus, porém as guerras que foram causadas pelo evolucionismo, inclusive as 2 guerras mundiais, não se associam ao trecho de Ap 6:3-4 porque este trecho acontece logo após a primeira vinda de Cristo Ap 6:1,2 e se refere ao segundo selo, portanto a um período consecutivo ao nascimento, vida e morte de Cristo, ou seja, a fase mais sanguinária do império Romano.
    Relacionem cada selo com cada “igreja” de Ap. 2 e 3, e com cada “trombeta” de Ap. 8 e 9 para ampliarem os detalhes de cada período histórico e descobrirem que já estamos na sexta trombeta, ou sexto selo, e não no segundo.

    Abraços,

    Like

    • Raul says:

      Anderson
      Considero Apocalipse muito difícil de entender. O máximo que sei é que a primeira coisa a ser levada em conta é que Apocalipse tem um contexto simbólico e, portanto, devemos lê-lo como tal, ou senão podemos cair na mesma cilada que os evolucionistas teístas, que tentam alegorizar Gênesis (daí há aqueles que acabam por tornar Apocalipse algo muito mais literal do que realmente é). Transformar Apocalipse em algo literal poderia me levar a acreditar em cidades feitas de ouro transparente, por exemplo.

      Like

      • Anderson says:

        Prezado Raul,

        O livro do Apocalipse é sim simbólico. Aproximadamente 95% do seu conteúdo é escrito em símbolos. Porém Deus não colocou na Bíblia um livro que não possa ser entendido por nós, se em humildade de coração, oração e fervorosa busca nos dedicarmos a esse propósito.
        Quando comentei eu não expliquei os símbolos completamente, apenas disse que se o Mats considera que as guerras causadas pela inserção da doutrina evolucionista na política foram as guerras representadas pelo segundo selo, isso não está de acordo com o tempo em que isso deveria ocorrer. Na realidade, essas guerras fazem parte dum pacote que está no sexto selo ou sexta trombeta.

        Se queres entender melhor este livro recomendo a seguinte série (vídeos):
        http://novotempo.com/bibliafacil/page/2/?s=Apocalipse
        Comece por este, é capítulo a capítulo.
        http://novotempo.com/bibliafacil/videos/biblia-facil-apocalipse-programa-1/

        E que Deus o abençoe.

        Like

  4. dvilllar says:

    No vídeo, a partir de 3:30, é explicado pela diretora do Memorial de Hadamar, um esquecido laboratório nazista, como os cientistas nazis usaram a ciência de Darwin para justificar seus crimes.

    Felizmente a autoridade dos cientistas é limitada, pois loucos como Darwin ainda existem dentro da ciência; o fanático Richard Dawkins é o mais perfeito exemplo.

    Na opinião de Dawkins, portadores de Síndrome de Down não têm direito de nascer, deveriam ser abortados.

    A repórter Fernanda Honorato é a prova da insanidade de Richard Dawkins.

    Liked by 1 person

    • Raul says:

      Dvillar
      *”A repórter Fernanda Honorato é a prova da insanidade de Richard Dawkins.”
      – Ele, sendo o pitbull de Darwin, vai ser insano igualmente (senão até mais). Há quem negue que Darwin era um racista, porém fui me convencendo cada vez mais de que ele o era.

      Like

      • dvilllar says:

        A despeito da bibliografia racista de Darwin, para os evolucionistas, inclusive os ateus, ele fou uma espécie de anjo bondoso.

        Lendo a hagiografia de Darwin na wikipédia, fica a impressão que se está a ler a história de um heróico cavaleiro.

        Alguns trechos:

        – Em 1825, depois de passar o verão como médico aprendiz ajudando seu pai no tratamento dos pobres de Shropshire..

        – Darwin foi estudar medicina na Universidade de Edimburgo. Contudo, sua aversão à brutalidade da cirurgia da época levou-o a negligenciar seus estudos médicos…

        – ……a repulsa de Darwin pela escravidão e outros abusos que ele viu em vários lugares, tais como o tratamento desumano dos nativos por colonos ingleses na Tasmânia…

        Ainda, olhando as biográfias da wikipedia, apurei o seguinte:

        – Biografia de Mendel (genética) – 1100 palavras

        – Biografia de Pasteur (vacina) – 1450 palavras

        – Biografia de Alexander Fleming (antibiótico) – 1120 palavras

        – Biografia de Darwin – 7700 palavras

        Like

      • dvilllar says:

        Como parece que existe um tal de ateísmo Cristão, não poderia ser Charles Darwin o primeiro santo ateu?

        Que tragédia é o evolucionismo para a ciência.

        Like

  5. Marcelo says:

    Quanto equívoco em um único post. A teoria da evolução apenas explica fenômenos. Não é boa e nem má em si mesma. Se pessoas a usam para fazer o mal, problema delas, e não da teoria. Quanto aos ditadores genocidas que citastes, nenhum deles era evolucionista. Hitler era criacionista e os comunistas tinham sua própria biologia proletária. Tanto que os evolucionistas foram perseguidos nos governos deles. E o Darwinismo biológico e o Darwinismo social nada tem a ver um com o outro, exceto o nome.

    Like

    • Cícero says:

      Marcelo,
      para ser criacionista é preciso aceitar e seguir os ensinos da Bíblia notoriamente do NT, e Hitler estava muito,… muito longe dos ensinos de igualdade, justiça, bondade, amor, perdão exarados no NT.
      E pelas leis selvagens da seleção natural como prega a religião transformista darwinista dos mais fortes, capazes e aptos, deveríamos então incentivar a morte dos deficientes, fracos, doentes, pobres e indesejáveis da sociedade.
      Este era o cerne dogmático do darwinismo social.

      Like

    • dvilllar says:

      Marcelo

      “Quanto equívoco em um único post.”

      Será? Vamos ver

      “A teoria da evolução apenas explica fenômenos.”

      Isso é sua opinião. A ciência discorda.

      Se explicasse alguma coisa não teria sido necessário criar tantas fraudes para manter uma ideologia ateísta tão cruel.

      “Não é boa e nem má em si mesma.”

      A mentira tem consequências más.

      “Se pessoas a usam para fazer o mal, problema delas, e não da teoria.”

      A teoria foi criada e cultivadas por pessoas; não surgiu por acaso, até o momento.

      Também é problema dos que endossaram essa mentira, que teve desfechos trágicos para milhões de pessoas.A contagem de mortos ainda não terminou, pois aumenta, diariamente.

      “Quanto aos ditadores genocidas que citastes, nenhum deles era evolucionista.”

      Claro, claro…eram todos anjos que, por coicidência, rebeleram-se após a elaboração das teorias de Darwin e seus cupinchas.

      “Hitler era criacionista e os comunistas tinham sua própria biologia proletária.

      Hitler era um demagogo.

      “Tanto que os evolucionistas foram perseguidos nos governos deles.”

      Milhões de judeus, negros, cristãos e deficientes mentais eram todos evolucionistas.Vamos reescrever a história do século 20.

      “E o Darwinismo biológico e o Darwinismo social nada tem a ver um com o outro, exceto o nome.”

      Deve ser mais uma coincidência.

      É compreensível, vindo de alguém que baseia toda história natural e complexidade da vida na Terra no acaso.

      Like

  6. Raul says:

    Marcelo
    *”Quanto equívoco em um único post.”
    – Leu o post? Ele pelo menos cita as evidências para o ponto central: os perigos do darwinismo.
    *”A teoria da evolução apenas explica fenômenos. Não é boa e nem má em si mesma.”
    – Que fenômenos? Ou vai haver um raciocínio circular como “o fenômeno X explica a evolução e a evolução explica o fenômeno X?”E concordo que ela não é boa ou má em si mesma, apenas PODEM haver consequências más por causa desta.
    *”Se pessoas a usam para fazer o mal, problema delas, e não da teoria.”
    – Concordo parcialmente, porque a teoria em si tem elementos que podem levar uma pessoa a praticar o mal em casos mais extremos.
    *”Quanto aos ditadores genocidas que citastes, nenhum deles era evolucionista.”
    – Aquele vídeo que o irmão Dvillar publicou talvez te responda.
    *”Hitler era criacionista e os comunistas tinham sua própria biologia proletária. Tanto que os evolucionistas foram perseguidos nos governos deles.”
    – Tem algum caso para mencionar? Esse artigo http://creation.com/stalins-ape-man-superwarriors pode ser de interesse. E há ligações claras entre as ideias de Hitler e Darwin.
    *” E o Darwinismo biológico e o Darwinismo social nada tem a ver um com o outro, exceto o nome.”
    – Ambos são baseados nas ideias do naturalista inglês.

    Like

  7. Raul says:

    Mats
    Qual tu acha que poderia ser a razão de os darwinistas se acumularem aos milhares em páginas para idolatrar Darwin, fazem publicações sobre ele nos jornais e revistas e ainda fazem toda uma festa no aniversário dele, mas não fazem tudo isso com os bons nomes da ciência, como Albert Einstein, Stephen Hawking, Lamaitre, Isaac Newton, Nicolau Copérnico, etc.?

    Like

  8. pb-voss says:

    O porquê de ser urgente que Jesus Cristo regresse:   JESUS CRISTO não retorna tão cedo, amado em Cristo.(Falta muita coisa se cumprir). MAS VOLTA. Só nos resta lutar, lutar, e lutar. E se a vitória é certa é únicamente pelos méritos do SENHOR DOS EXÉRCITOS, JESUS CRISTO, nosso Deus. Que o SENHOR tenha misericórdia de nós. ass. Paulo Voss

    Like

  9. Saga says:

    “Jesus além de ser criacionista (isso está bem evidente) declarava ser o próprio Criador”

    Quando houve essa declaração?

    Like

    • Raul says:

      Saga
      Não pretendia entrar em algum tipo de debate não relacionado com o post.

      “Quando houve essa declaração?”

      Para ser mais exato, não foi bem Jesus, mas sim João inspirado pelo Santo Espírito: “Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.”
      João 1:3
      Isso já é o suficiente, mas não te esqueças também de quando Cristo afirmou ser o “Eu Sou” e foi acusado de blasfêmia.

      Like

      • Saga says:

        Obrigado pela resposta.

        E Jesus não afirmou ser “eu sou” nenhum, a frase do texto em questão não está usada como um nome próprio, do tipo “o meu nome é Eu Sou” (ou eu sou fulano de tal), se fosse uma auto-identificação necessitaria de uma introdução e ficaria algo como ani hu Ehyeh (Eu sou aquele que virá a ser), ou em grego ego eimi Ho On (Eu sou o Existente), sendo que Ehyeh é o título que YHWH se rótula em Êxodo 3:14 no hebraico e Ho On sendo a palavra usada para transmitir o mesmo título neste mesmo verso no grego da LXX (A versão de Áquila usa Esomai). Mas a frase de Jesus serve para indicar como sua existência transcende muito mais do que 50 anos e como seria possível que ele conhecesse Abraão, então usa uma expressão que indica sua idade, mas não como um nome.

        Se fizessem a pergunta que os fariseus fizeram você nunca diria:
        “Deveras vos digo, antes que Abraão nascesse, Raul”.

        Like

    • Anderson says:

      Saga,

      Quando houve essa declaração?

      Eis a declaração:
      58 Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade eu vos digo: antes que Abraão existisse, EU SOU.” João 8:58
      30 Eu e o Pai somos um.” João 10:30
      14 Disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós outros.” Ex 3:14
      8 Lembra-te do dia de sábado, para o santificar.
      9 Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra.
      10 Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro;
      11 porque, em seis dias, fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o SENHOR abençoou o dia de sábado e o santificou.
      ” Ex 20:8-11
      6 porém, desde o princípio da criação, Deus os fez homem e mulher.” Mc 10:6

      Abraços,

      Like

  10. Anderson says:

    Saga,

    Jesus não disse só aquilo sobre Ele próprio, ele falou em diversas ocasiões também. Ele disse ser um com o Pai, ou seja, Ele é de mesma natureza, natureza divina como entenderam os fariseus (que quiseram apedrejá-lo por isso) e Ele próprio confirmou no contexto.
    Ele usou a expressão “EU SOU” pois sabia que os fariseus conseguiriam identificar como sendo uma atribuição a uma característica de Deus, a eternidade. Logo, Ele se disse Eterno como outros apóstolos e profetas também o fizeram, como Is 9:6:
    6 Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.

    Existem muitos exemplos na Bíblia disso, por último vou te dar outra citação dEle próprio e se isso não bastar lamento porque se Jesus não é Deus então todos os apóstolos acreditaram numa mentira e aí você diz que os apóstolos não foram inspirados pelo Espírito Santo, tu dizes que a Bíblia não é a Palavra de Deus.

    E virei-me para ver quem falava comigo. E, virando-me, vi sete castiçais de ouro;
    E no meio dos sete castiçais um semelhante ao Filho do homem, vestido até aos pés de uma roupa comprida, e cingido pelos peitos com um cinto de ouro.
    E a sua cabeça e cabelos eram brancos como lã branca, como a neve, e os seus olhos como chama de fogo;
    E os seus pés, semelhantes a latão reluzente, como se tivessem sido refinados numa fornalha, e a sua voz como a voz de muitas águas.
    E ele tinha na sua destra sete estrelas; e da sua boca saía uma aguda espada de dois fios; e o seu rosto era como o sol, quando na sua força resplandece.
    E eu, quando o vi, caí a seus pés como morto; e ele pôs sobre mim a sua destra, dizendo-me: Não temas; Eu sou o primeiro e o último;
    E o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno.

    Apocalipse 1:12-18

    Esta é a visão que João recebeu de Jesus em sua forma divina, glorificada. Tens alguma dúvida de que Ele e identificado como “Filho do Homem”? Que ele esteve morto mas hoje vive?
    E ele não diz “EU SOU o primeiro e o último”? Não é o mesmo que se dizer Eterno? Que outro ser é Eterno por si só?

    Abraços,

    Like

  11. Saga says:

    O que o Anderson tá fazendo aí no meio, com monte de textos sobre o sábado?

    “57 Disseram-lhe, pois, os judeus: Ainda não tens cinqüenta anos, e viste Abraão
    58 Respondeu-lhes Jesus:
    Em verdade, em verdade eu vos digo: antes que Abraão existisse, εγω ειμι [ego eimi].”
    João 8:57,58
    57 ειπον ουν οι ιουδαιοι προς αυτον πεντηκοντα ετη ουπω εχεις και αβρααμ εωρακας;
    58 ειπεν αυτοις ο ιησους
    αμην αμην λεγω υμιν πριν αβρααμ γενεσθαι εγω ειμι

    “14 Disse Deus a Moisés: Eu sou ο ων
    Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: ο ων [Ho On] me enviou a vós outros.” Ex 3:14
    (14 και ειπεν ο θεος προς μωυσην εγω ειμι ο ων
    και ειπεν ουτως ερεις τοις υιοις ισραηλ ο ων απεσταλκεν με προς υμας)

    Conclusão:
    A expressão Ho On é um dos nomes gregos usados para Deus, e no discurso sobre ter ou não a idade para conhecer Abraão não foi usado nome algum.

    “Saga,
    Jesus não disse só aquilo sobre Ele próprio, ele falou…”

    Está saindo do assunto.

    Minha questão com o Raul foi assim:

    “Saga says: 12/07/2015 at 20:03 “Jesus além de ser criacionista (isso está bem evidente) declarava ser o próprio Criador” Quando houve essa declaração?

    Raul says:12/07/2015 at 22:47 Saga […] Para ser mais exato, não foi bem Jesus […] mas não te esqueças também de quando Cristo afirmou ser o “Eu Sou” […]

    Saga says: 13/07/2015 at 21:52 […] Jesus não afirmou ser “eu sou” nenhum, a frase do texto em questão não está usada como um nome próprio, do tipo “o meu nome é Eu Sou” (ou eu sou fulano de tal)”

    Não adianta ficar me repreendendo por dizer a verdade. A existência de um “nome divino” chamado “Eu Sou” e que Cristo disser ser esse tal de “eu sou” é uma lenda inventada, que acabou pegando em idiomas modernos tais como o inglês e o português. Além de não funcionar no hebraico e no grego, é algo que não tem equivalência nem no aramaico e latim, ora no latim Dominus Deus não é o ego sum e sim o Qui Est (“Sic dices filiis Israël Qui Est misit me ad vos” – http://www.bibliacatolica.com.br/en/vulgata-latina/liber-exodus/3/)

    Isso é um erro amador em que mutos caem por ficarem ouvindo ser repetido por aí desde sempre e acaba “virando verdade” por doutrinação a la o método do Goebels, “vira verdade” por ser dito repetidamente, como uma tradição de muito tempo, por muita gente…

    Like

    • Anderson says:

      Saga,

      Não entendi a sua publicação mas acredito que tu estás tentando interpretar o texto de acordo com o que você acha que a tradução dele deveria ter. Ao invés de pegar o texto no seu contexto e ver o que todo o trecho com o texto tem a dizer (e se está em conformidade com o resto do conteúdo Bíblico) tu fica se prendendo nessa de hebraico-grego-português.

      Como eu disse, se tu não quer crer é tua escolha. Eu finalizo aqui até porque, como tu mesmo orientaste em outro tópico, não é o lugar para falarmos disso.

      Abraços,

      Like

      • Saga says:

        Acha que a tradução dele deveria ter? Falso!
        Jesus não está se identificando com nenhum nome próprio da Deidade, isso independente de tradução, é irrelevante. E eu não traduzi nada, apenas trouxe o que literalmente significa o título divino na passagem com Moisés, ο ων não é “eu sou” …

        “Ao invés de pegar o texto no seu contexto”
        O contexto fala sobre a idade de Cristo e não sobre qual o nome ou a identidade dele. Se vocês veem me dizer que “Cristo afirmou ser o Eu Sou” ao invés de pegar o texto no seu contexto e vão dizer que estão `pegando texto em contexto` é piada…

        ” tu fica se prendendo nessa de hebraico-grego-português”
        Tua tradução portuguesa diz algo em x e diz o mesmo algo em x, mas sendo que indo um pouco mais a fundo se vê que na verdade as duas passagens usam palavras diferentes, e o que vale mais? O português? Se a pessoa quer criar uma equivalência entre A do NT com B do VT, obviamente se precisa conferir se as palavras são as mesmas, ou se isso é invenção do português, decepcionante isso. Não é difícil, a internet permite a você ter ferramentas para dar uma conferida rápida no fraseados de ambos, o que falta é interesse.

        Ler “textos em seus contextos” envolvem ler o resto do livro, ler as palavras em volta, considerar o porque aquilo foi dito, quando, buscar se aquelas mesmas expressões foram usadas em outras passagens e quais foram as aplicações delas lá e observar os detalhes no grego e hebraico para não ficar preso a mera tradução do nosso idioma materno.

        Como a matéria não fala de eu sou, mas isso foi mencionado por um comentador (Raul) nos comentários, se vocês dois quiserem falar mais sobre tais coisas, estou no G+ onde tem um adventista lá a tempos defendendo o sabatismo e EGW e agora tá meio sumido: https://plus.google.com/u/0/communities/105741059231807148914

        Like

  12. Anderson says:

    Saga,

    Como eu lhe disse, não vou mais debater sobre Bíblia contigo.
    Você desmerece todo o trabalho das Sociedades Bíblicas que tem muitos eruditos e estudiosos que não só estudaram a língua mas também a cultura e a história dos povos para chegarem a traduzir os textos de determinada forma. É claro que não digo que nossa própria análise não deve ocorrer porém para tu chegares a desmentir um determinado texto, no mínimo, deveria ter o mesmo nível de estudo dos que fizeram este trabalho, que aliás é feito de igual forma por diferentes Sociedades Bíblicas espalhadas por todo o mundo.
    Mas ao que parece tu dá crédito a tua própria interpretação com base em ferramentas de pesquisa de línguas na internet e acha que isso é suficiente. Logo, todo o ensinamento Bíblico que qualquer um lhe disser estará sujeito a vossa própria interpretação e não ao que diz a própria Bíblia.
    Dizes ainda que considera o contexto, e que tem que ler o resto do livro coisa e tal. Só por curiosidade, não diz o contexto abaixo que Jesus é Deus? Há diferença entre as traduções da Sociedade Britânica e a Sociedade Portuguesa?

    30 Eu e o Pai somos um.
    31 Novamente, pegaram os judeus em pedras para lhe atirar.
    32 Disse-lhes Jesus: Tenho-vos mostrado muitas obras boas da parte do Pai; por qual delas me apedrejais?
    33 Responderam-lhe os judeus: Não é por obra boa que te apedrejamos, e sim por causa da blasfêmia, pois, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo.
    34 Replicou-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei: Eu disse: sois deuses?
    35 Se ele chamou deuses àqueles a quem foi dirigida a palavra de Deus, e a Escritura não pode falhar,
    36 então, daquele a quem o Pai santificou e enviou ao mundo, dizeis: Tu blasfemas; porque declarei: sou Filho de Deus?

    37 Se não faço as obras de meu Pai, não me acrediteis;
    38 mas, se faço, e não me credes, crede nas obras; para que possais saber e compreender que o Pai está em mim, e eu estou no Pai.
    39 Nesse ponto, procuravam, outra vez, prendê-lo; mas ele se livrou das suas mãos.
    ” João 10:30-39

    Versão King James:

    I and {my} Father are one.
    Then the Jews took up stones again to stone him.
    Jesus answered them, Many good works have I shewed you from my Father; for which of those works do ye stone me?
    The Jews answered him, saying, For a good work we stone thee not; but for blasphemy; and because that thou, being a man, makest thyself God.
    Jesus answered them, Is it not written in your law, I said, Ye are gods?
    If he called them gods, unto whom the word of God came, and the scripture cannot be broken;
    Say ye of him, whom the Father hath sanctified, and sent into the world, Thou blasphemest; because I said, I am the Son of God?

    If I do not the works of my Father, believe me not.
    But if I do, though ye believe not me, believe the works: that ye may know, and believe, that the Father {is} in me, and I in him.
    Therefore they sought again to take him: but he escaped out of their hand,

    João 10:30-39

    Obs.: Não digo que o trabalho das Sociedades Bíblicas é infalível mas o erro deveria ser evidente em muitos textos se diferentes pessoas em diferentes localidades confrontassem as suas versões com o original. Como no exemplo acima, este trecho é idêntico em ambas as Bíblias. Esse é um dos pontos que certifica a confiabilidade de que a Bíblia hoje (traduzida) é de fato o que temos na língua original.

    Abraço,

    Like

  13. Saga says:

    Anderson,

    Minhas falas ao Raul não foram para debater sobre a Trindade, mas questionar quando Jesus disse um negócio, que Raul admitiu que não disse, e para dizer que Jesus não disse que seu nome era “Eu Sou”, ele pode ser a segunda pessoa da Trindade e mesmo assim não ter dito que seu nome era “Eu Sou” e nem assumir para s o título de Criador. Uma vez que o Raul concordou, o assunto deveria ter cessado ali, mas alguém quis extender para outros assuntos.

    => O seu argumento de autoridade é ótimo, eu tenho de ficar quieto, pois a SBB estudou mais e sei lá o que, igual os evolucionistas fazem quando dizemos algo com eles, que eles estudaram e tem diploma….que coisa triste de se dizer…

    Você quis um parecer sobre João 10:30-36, tudo bem, “Dizes ainda que considera o contexto, e que tem que ler o resto do livro coisa e tal”, sim tem de ler o resto do livro também, exemplificarei isso abaixo.

    CONTEXTO Histórico, Teológico e Literário DAS PALAVRAS DE JOÃO 10:30:
    – Em que sentido é usada a expressão sobre uma pessoa…ser um…com outra?
    – E qual sentido da acusação de “SER DEUS” dentro do dialogo ali proposto?

    O contexto de João 10:30 dentro do evangelho joanino coloca que Jesus se colocou como Filho de Deus que age em conformidade com o Pai, sendo que a expressão dos termos referentes a ser “um” nos escritos sagrados não envolvem ser o mesmo ser e nem ter “coigualdade” (Gênesis 2:24; 1 Coríntios 3:6-8; Romanos 12:4,5) , inclusive o termo usado para um neste verso é neutro ( ἕν – hen), porém como Theos (θεος) é uma palavra masculina, se Jesus quisesse dizer que ele e o Pai eram “UM DEUS”, teria formulado a frase toda no masculino (εις θεος) usando HEIS (“homoousios” também é masculino). Quanto a argumentação em cima dos pensamentos farisaicos e não em cima das declarações de Jesus, que se defende de maneira satisfatória. usando as próprias escrituras.

    Um Deus:
    (1 Cor 8:4,6) θεος ετερος ει μη εις…αλλ ημιν εις θεος ο πατηρ – HEIS
    (Efésios 4:6) εις θεος και πατηρ παντων – HEIS
    (1 Tim 2:5) εις γαρ θεος – HEIS
    (Tiago 2:19) συ πιστευεις οτι ο θεος εις – HEIS
    (Marcos 12:29) κυριος ο θεος ημων κυριος εις…ι εἷς ἐστιν καὶ οὐκ ἐστιν ἄλλος πλὴν αὐτοῦ· – HEIS

    Exemplos com HEN:
    (João 10:30.17:21,22) – εγω και ο πατηρ εν…ινα παντες εν ωσι καθως συ πατερ εν – HEN
    (1 Cor 3:8) ο φυτευων δε και ο ποτιζων εν εισιν – HEN
    (1 Cor 10:17) – οτι εις αρτος εν σωμα – HEIS para pão e HEN para a corpo
    PS: 1 Cor 10:17 é muito interessante neste sentido, quando Paulo fala do um só pão (εις αρτος) usa heis e quando fala do um só corpo (εν σωμα) usa hen, por causa da concordância entre as palavras gregas para pão e corpo.

    Não é necessário ficar adivinhando, especulando ou interpretando o que Jesus quis dizer pois o Senhor mesmo se explica, foi ele quem disse que seus seguidores deveriam ter a mesma unidade:
    (JOÃO 17:21,22) A fim de que todos sejam um, assim como tu, Pai, estás em união comigo e eu estou em união contigo, para que eles também estejam em união conosco…a fim de que sejam um, assim como nós somos um.

    Os seguidores de Jesus Cristo não deveriam ser um Deus junto ao Pai e ao Filho e nem serem todos um só homem, pessoa ou ser humano, nem mesmo serão todos iguais, nada assim tão misterioso ou místico…

    Jesus se defende dos fariseus evocando que as Escrituras se valem da palavra Deus (Elohim, El, Theos) para seres humanos, os juízes do Salmo 82.

    (Salmo 82:1-6) 1 Deus se põe de pé na assembléia do Divino; julga no meio dos deuses:…3 Sede juízes para com o de condição humilde e o menino órfão de pai. Fazei justiça ao atribulado…6 “Eu mesmo disse: ‘Vós sois deuses, e todos vós sois filhos do Altíssimo.
    (João 10:34-36) 34 Jesus respondeu-lhes: “Não está escrito na vossa Lei: ‘Eu disse: “Vós sois deuses”’? 35 Se ele chamou ‘deuses’ aos contra quem se dirigia a palavra de Deus, e, contudo, a Escritura não pode ser anulada, 36 dizeis a mim, a quem o Pai santificou e mandou ao mundo: ‘Blasfemas’, porque eu disse: Sou Filho de Deus?

    Assim ele se compara aos deuses (filhos do Altíssimo) do Salmo, dizendo aos fariseus que não tem como acusá-lo de alguma heresia ou transgressão, pois a escritura, que não pode ser anulada, prescreve o titulo de deidade para representantes de Deus em cargos de importância. Jesus como “Filho de Deus” (10:36) tem a mesma prerrogativa, será que um homem pode ser um deus? (Pergunta deles no 10:33) Segundo o Salmo 82, pode sim (Note o 82:7), pois é assim que o próprio Deus os identifica.

    Esse dialogo é tratado pela maioria das pessoas como uma afirmação de Yehoshua como sendo Yehowah, mas se fosse o caso a defesa de Jesus não faria o menor sentido, ele se coloca como digno de ser incluído na Assembleia Divina (Assembleia dos deuses, assembleia dos poderosos – בַּעֲדַת־ אֵ֑ל [Ìedah ´El] συναγωγη θεων – Ler o Sl 82:1) mas não como o Deus do salmo (ο θεος), os fariseus o estão acusando de politeísmo e não de “trinitarismo” (homoousios?), para eles o Senhor Jesus estaria se fazendo um outro deus e não o mesmo Deus de Israel, e é isso que os preocupa, ele estar se dizendo o mesmo Deus é demais pra cabecinha deles, pois não foram apresentados a este conceito de que pessoas distintas podem ao mesmo tempo ser o mesmo Deus, a acusação é de ser um segundo deus (como de fato muçumanos e judeus vez por outra acusam até hoje).

    Resumo:
    – Jesus disse ser um, como os discípulos deviam ser um, isso no mesmo livro.
    – Jesus não queria dizer que ambos eram um só Deus, senão teria usado HEIS e não HEN.
    – Jesus se comparou aos deuses que julgavam outros no Salmo 82.
    – Os acusadores de Jesus ainda não conheciam a ideia de Trindade, então a acusação deles não tinha o sentido de acusa-lo de se dizer “duas pessoas -ou mais- em um só Deus“ , de fato, ao politeísmo que eles queriam lhe implicar, Jesus respondeu adequadamente com o Salmo 82, dizendo que biblicamente falando eles não tinham base válida para repreende-lo. Ele poderia ter respondido por outra linha, uma que tentasse explicar o conceito de várias hipóstases em uma única ousia, ou na defesa da pluralidade de Yehowah como um Deus composto, mas não foi nada disso que fez, apenas apresentou que o termo deus pode ser utilizado para outros sem o sentido de um paganismo idolatra.

    O coração do contexto dessa passagem toda é a auto defesa de Jesus baseada no Salmo, incrível como alguém pode dizer que está “pegando o texto em seu contexto” IGNORANDO exatamente a linha de raciocínio seguida por Jesus. E a maior elucidação que se pode ter sobre a declaração que escandalizou aos inimigos do Senhor é como Ele usou a mesma expressão mais a frente no mesmo livro, isso são explicações dadas pelo PRÓPRIOo Senhor Jesus e não pela parcialidade do leitor.

    Anderson: “Dizes ainda que considera o contexto, e que tem que ler o resto do livro coisa e tal”

    Óbvio, 10:30 não está separado de 17:21,22; inclusive 14:10,11 (“Eu estou no Pai e o Pai está em mim”) não pode ser lido de maneira dissociada de 17:21,23 (“Pai em mim, e eu em ti; eles sejam um em nós. Eu neles, e tu em mim”), é principio da hermenêutica que a Bíblia explica a Bíblia, um texto aparentemente ambíguo ou misterioso pode ser esclarecido por outro.

    Like

    • Miguel says:

      para eles o Senhor Jesus estaria se fazendo um outro deus e não o mesmo Deus de Israel, e é isso que os preocupa, ele estar se dizendo o mesmo Deus é demais pra cabecinha deles, pois não foram apresentados a este conceito de que pessoas distintas podem ao mesmo tempo ser o mesmo Deus, a acusação é de ser um segundo deus (como de fato muçumanos e judeus vez por outra acusam até hoje).

      Totalmente errado. O conceito da Multiplicidade em Deus era bem conhecida pelos Judeus. Embora o conceito da Trindade não estivesse tão entendido na altura, os Judeus já tinham uma ideia da Plularidade Pessoal dentro da Essência Divina:

      “O Ancião de Dias tem três cabeças. Ele revela-Se através de três arquétipos, todos eles formando Um só. Ele é, portanto, simbolizado pelo número Três. Eles revelam-Se Um no Outro. [Estes são] primeiro, a “Sabedoria”, secreta, oculta. Acima vem o Santo Ancião; acima Dele, o Incognoscível. Ninguém sabe o que Ele contém; Ele está acima de todas as concepções.” (Zohar, iii. 288b)

      http://adalges.blogspot.pt/2014/02/os-judeus-e-trindade.html

      Note-se que isto de forma alguma valida o paganismo alegadamente presente no livro “Zohar”. isto só confirma que, quem diz que o conceito da Trindade não era conhecido pelos Judeus, não está na plena posse dos dados.

      Vocês agora têm que explicar como foi que os Judeus e os Cristãos chegaram à mesma conclusão que Deus é TriUno (embora hoje em dia os Judeus rejeitem o que eles mesmos acreditavam).

      Portanto, a frase dos Judeus, de que o Senhor Jesus Se estava a fazer igual a Deus, faz todo o sentido dentro do contexto Bíblico. Eles estavam a dizer que o Senhor Jesus estava-Se a colocar ao lado do DEUS DELES, e não a tomar o Seu lugar. Eles não tinham problemas nenhums com a Divindade do Messias (Dan 7:13-15); o problema deles é que para eles, Jesus de Nazaré não era o Messias.

      Mais ainda, Saga, convém não esquecer que o próprio Charles Taze Russel qualificou o Senhor Jesus de “O Todo Poderoso”. Será que ele se enganou?

      Like

      • Renato says:

        Miguel

        Você se equivoca ao considerar o Zohar como antigo. é um livro que foi “descoberto” muito recentemente, e do qual não existem manuscritos antigos, do qual não existe citações antigas.

        Like

    • Anderson says:

      Saga,

      => O seu argumento de autoridade é ótimo, eu tenho de ficar quieto, pois a SBB estudou mais e sei lá o que, igual os evolucionistas fazem quando dizemos algo com eles, que eles estudaram e tem diploma….que coisa triste de se dizer…

      Mas eu não disse na mesma publicação que você deve ter a sua própria análise? Eu não disse que por termos SBs isso os torna infalíveis? Isso também escrevi. Porém esclareci que grande parte das Bíblias se encontram traduzidas da mesma forma por diversas SBs, o que torna o texto confiável.
      Também disse que não podemos saber o que o autor do texto quis dizer com certa expressão apenas pela palavra usada. Vou dar um exemplo bobo mas suficiente.
      Se eu disser “Estou morrendo de fome”, tu acha que em todas as culturas isso será entendido como “estou com muita fome”?
      Logo, não basta saber a palavra usada no original, é necessário conhecer a cultura e a história dos povos antes de tirar conclusões sobre o texto.
      Coisa que o Miguel fez muito bem ao esclarecer o conceito de Deus ser constituído de 3 cabeças para os judeus.

      Você quis um parecer sobre João 10:30-36, tudo bem, “Dizes ainda que considera o contexto, e que tem que ler o resto do livro coisa e tal”, sim tem de ler o resto do livro também, exemplificarei isso abaixo.
      CONTEXTO Histórico, Teológico e Literário DAS PALAVRAS DE JOÃO 10:30:
      – Em que sentido é usada a expressão sobre uma pessoa…ser um…com outra?
      – E qual sentido da acusação de “SER DEUS” dentro do dialogo ali proposto?

      Amigo, o fato de que Jesus se identifica como Filho de Deus não quer dizer que Ele é apenas um como os demais.
      Note que tem duas coisas a prestarmos atenção, e que os escribas e fariseus conheciam bem, a ponto de quer apredrejá-lo por “se considerar Deus”.
      A primeira é que Jesus era “um dos deuses” no sentido de porta-voz da Palavra de Deus, assim como foi Moisés a Arão:
      14 Então, se acendeu a ira do SENHOR contra Moisés, e disse: Não é Arão, o levita, teu irmão? Eu sei que ele fala fluentemente; e eis que ele sai ao teu encontro e, vendo-te, se alegrará em seu coração.
      15 Tu, pois, lhe falarás e lhe porás na boca as palavras; eu serei com a tua boca e com a dele e vos ensinarei o que deveis fazer.
      16 Ele falará por ti ao povo; ele te será por boca, e tu lhe serás por Deus.
      ” Ex 4:14-16

      A segunda é que Ele não se considerou apenas isso, pois disse Ele que foi “enviado ao mundo“, e só pode ser enviado ao mundo quem não pertence a este mundo.
      17 Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.” João 3:17
      32 Replicou-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: não foi Moisés quem vos deu o pão do céu; o verdadeiro pão do céu é meu Pai quem vos dá.
      33 Porque o pão de Deus é o que desce do céu e dá vida ao mundo.
      34 Então, lhe disseram: Senhor, dá-nos sempre desse pão.
      35 Declarou-lhes, pois, Jesus: Eu sou o pão da vida; o que vem a mim jamais terá fome; e o que crê em mim jamais terá sede.
      ” João 6:32-35

      Além do que nem os judeus consideraram apenas isso, pois eles disseram “sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo”, e Jesus não desmentiu isso mas é claro que Ele sabia que aquele grupo já o havia rejeitado como Messias.
      Certas coisas Ele só disse abertamente aos seus discípulos, como acima exemplifiquei.

      Não é necessário ficar adivinhando, especulando ou interpretando o que Jesus quis dizer pois o Senhor mesmo se explica, foi ele quem disse que seus seguidores deveriam ter a mesma unidade:
      (JOÃO 17:21,22) A fim de que todos sejam um, assim como tu, Pai, estás em união comigo e eu estou em união contigo, para que eles também estejam em união conosco…a fim de que sejam um, assim como nós somos um.

      Isso está correto. Jesus não é Deus Pai nem Deus Espírito Santo mas faz parte da Deidade chamada simplesmente por Deus.
      Ele orou nesse trecho para que seus filhos (de fé) fossem como Ele é com Seu Pai, ou seja, como uma única Unidade, embora sejam vários (no caso 3).

      Jesus se defende dos fariseus evocando que as Escrituras se valem da palavra Deus (Elohim, El, Theos) para seres humanos, os juízes do Salmo 82.
      (Salmo 82:1-6) 1 Deus se põe de pé na assembléia do Divino; julga no meio dos deuses:…3 Sede juízes para com o de condição humilde e o menino órfão de pai. Fazei justiça ao atribulado…6 “Eu mesmo disse: ‘Vós sois deuses, e todos vós sois filhos do Altíssimo.
      (João 10:34-36) 34 Jesus respondeu-lhes: “Não está escrito na vossa Lei: ‘Eu disse: “Vós sois deuses”’? 35 Se ele chamou ‘deuses’ aos contra quem se dirigia a palavra de Deus, e, contudo, a Escritura não pode ser anulada, 36 dizeis a mim, a quem o Pai santificou e mandou ao mundo: ‘Blasfemas’, porque eu disse: Sou Filho de Deus?
      Assim ele se compara aos deuses (filhos do Altíssimo) do Salmo, dizendo aos fariseus que não tem como acusá-lo de alguma heresia ou transgressão, pois a escritura, que não pode ser anulada, prescreve o titulo de deidade para representantes de Deus em cargos de importância. Jesus como “Filho de Deus” (10:36) tem a mesma prerrogativa, será que um homem pode ser um deus? (Pergunta deles no 10:33) Segundo o Salmo 82, pode sim (Note o 82:7), pois é assim que o próprio Deus os identifica.

      Amigo, pegue todo o Salmo 82 e leia atentamente. O que ele disse que os “deuses” deveriam fazer? Não era cuidar do órfão, da viúva, tirá-los das mãos dos ímpios?
      O clamor no final é para que Deus venha e faça justiça. Pois no contexto o começaram a acusar por causa de suas boas obras, que condiziam com o que Deus esperava que eles, judeus, fizessem mas não faziam.
      Isso foi na verdade uma grave repreensão à liderança eclesiástica pois assim, se tu não era como Deus para fazer boas obras então era do grupo:
      2 Até quando julgareis injustamente e tomareis partido pela causa dos ímpios?

      5 Eles nada sabem, nem entendem; vagueiam em trevas; vacilam todos os fundamentos da terra.
      6 Eu disse: sois deuses, sois todos filhos do Altíssimo.
      7 Todavia, como homens, morrereis e, como qualquer dos príncipes, haveis de sucumbir.
      ” Sl 82:2,5-7

      E isso os enfureceu pois tornou ainda mais claro que Ele se distinguia dos judeus que o interpelavam, pois não só “foi enviado pelo Pai ao mundo” como testemunhou das Boas Dádivas de Deus, condenando o comportamento daquele grupo que era pró ímpios.

      Resumo:
      – Jesus disse ser um, como os discípulos deviam ser um, isso no mesmo livro.
      – Jesus não queria dizer que ambos eram um só Deus, senão teria usado HEIS e não HEN.
      – Jesus se comparou aos deuses que julgavam outros no Salmo 82.
      – Os acusadores de Jesus ainda não conheciam a ideia de Trindade, então a acusação deles não tinha o sentido de acusa-lo de se dizer “duas pessoas -ou mais- em um só Deus“ , de fato, ao politeísmo que eles queriam lhe implicar, Jesus respondeu adequadamente com o Salmo 82, dizendo que biblicamente falando eles não tinham base válida para repreende-lo. Ele poderia ter respondido por outra linha, uma que tentasse explicar o conceito de várias hipóstases em uma única ousia, ou na defesa da pluralidade de Yehowah como um Deus composto, mas não foi nada disso que fez, apenas apresentou que o termo deus pode ser utilizado para outros sem o sentido de um paganismo idolatra.

      Resumo resposta:
      – Sim, é um ensinamento de unidade. Isso também está presente no Sl 133:1.
      – Poderia Ele ter usado qualquer. Se é no plural, faz diferenciação entre as demais pessoas da Divindade, se é no singular ainda assim é compreensível ao povo judeu que tinha clara a ideia da multiplicidade de Deus. Isso depende de conhecer a cultura para saber não apenas palavras.
      – Errado, Jesus veio para buscar e salvar o perdido. Ele está julgando no céu, no momento (iniciou-se no tempo do fim), e trará a recompensa a cada um na sua segunda vinda. O Sl 82 é um clamor por justiça pois Deus “ainda” não julgou e nem o Senhor Jesus quando veio a primeira vez.
      – Conheciam a ideia de trindade, e quando o acusaram diziam exatamente que Jesus se fazia Deus, ou parte da Divindade mesmo, aos seus olhos, sendo homem.

      O coração do contexto dessa passagem toda é a auto defesa de Jesus baseada no Salmo, incrível como alguém pode dizer que está “pegando o texto em seu contexto” IGNORANDO exatamente a linha de raciocínio seguida por Jesus. E a maior elucidação que se pode ter sobre a declaração que escandalizou aos inimigos do Senhor é como Ele usou a mesma expressão mais a frente no mesmo livro, isso são explicações dadas pelo PRÓPRIOo Senhor Jesus e não pela parcialidade do leitor.

      Leste mesmo todo o Sl 82? Considerou o contexto amplo das Escrituras para comparar quando Deus atribui este “título” a um ser humano?

      Óbvio, 10:30 não está separado de 17:21,22; inclusive 14:10,11 (“Eu estou no Pai e o Pai está em mim”) não pode ser lido de maneira dissociada de 17:21,23 (“Pai em mim, e eu em ti; eles sejam um em nós. Eu neles, e tu em mim”), é principio da hermenêutica que a Bíblia explica a Bíblia, um texto aparentemente ambíguo ou misterioso pode ser esclarecido por outro.

      Nisto tu estás correto. O que não compreendeste ainda é que Jesus (Deus Filho), Deus Pai e Deus Espírito Santo são parte de uma mesma Unidade: Deus.
      E não há nenhum erro do profeta Isaías em Is 9:6 ao declarar que Jesus, o filho, é Deus Forte, Pai da Eternidade. Pois Ele é tudo isso ainda que tenha se encarnado para cumprir o plano de salvação (João 1:1-14).
      Logo Ele é sim Criador (criacionista) como a princípio fora declarado pelo amigo Raul.

      Like

  14. Saga says:

    “Embora o conceito da Trindade não estivesse tão entendido na altura, os Judeus já tinham uma ideia da Plularidade Pessoal dentro da Essência Divina: “O Ancião de Dias tem três cabeças. Ele revela-Se através de três arquétipos, todos eles formando Um só. Ele é, portanto, simbolizado pelo número Três. Eles revelam-Se Um no Outro. [Estes são] primeiro, a “Sabedoria”, secreta, oculta. Acima vem o Santo Ancião; acima Dele, o Incognoscível. Ninguém sabe o que Ele contém; Ele está acima de todas as concepções.” (Zohar, iii. 288b)”

    Se você citou a Cabala só falta me falar de Lilith agora, O Ancião de Dias tem três cabeças?? Um mistério gnóstico de Sofia? O incognoscível Ain Soph? Miguel, honre seu nome e defenda a soberania de Deus, olha só o que tu vem me arranjar, apelar a magia judaica! Jesus do céu! Então tu amou aquele filme do Noah então cheio de mensagens gnósticas e mensagens cabalísticas né? Afinal o Zohar também foi mencionado ali, Tu sabe o que é este tal de incognoscível que eles mencionam? É o que eles tomam como acima e superior ao próprio Deus.

    “Note-se que isto de forma alguma valida o paganismo alegadamente presente no livro “Zohar””
    O Zohar além de ser mágico, filosófico e pagão ainda data da Idade Média, é tipo as fontes que a Acharyah S. usa para fazer paralelos de Jesus com Balder e Odin.

    “o conceito da Trindade não era conhecido pelos Judeus, não está na plena posse dos dados”
    Só se fosse de uma trindade egípcia, do tipo os três aspectos do mesmo deus-sol, até porque, tudo indica que no principio a religião egípcia era monoteísta.

    “Vocês agora têm que explicar como foi que os Judeus e os Cristãos chegaram à mesma conclusão que Deus é TriUno”
    Como foi que chegaram a conclusão que o antigo de dias tem três cabeças? O Zohar não é uma fonte confiável para rastrear as crenças do Judaísmo do século I, mas mesmo que fosse contemporâneo, é um misticismo com crenças tão estranhas e que deve tanto ao paganismo que sua idoneidade seria suspeita, tem quem diga que Yahweh tinha uma esposa baseado em achados arqueológicos o ligando a Asherá na Samaria, ou seja, usando o sincretismo idolatra como referência para definir o judaísmo antigo.

    “Eles estavam a dizer que o Senhor Jesus estava-Se a colocar ao lado do DEUS DELES, e não a tomar o Seu lugar”
    É possível. E não difere muito do que eu disse, um Deus ao lado do Deus deles, um tipo de politeísmo. Não, eles não pensaram que ele estava se dizendo a segunda cabeça do Ancião de Dias [!!!].

    “o problema deles é que para eles, Jesus de Nazaré não era o Messias”
    Sim!

    “O Todo Poderoso”
    Mateus 28:18 na King James menciona ALL POWER, no que se deduz que com ALL POWER se é ALL POWERFUL, ou Almigthy, então aceitou que desde a ressurreição ele se tornou todo-poderoso por receber todo o poder. É um pensamento errado, baseado numa tradução inadequada de πασα εξουσια (exousia). É um engano? É, até porque isso (ser Todo Poderoso) é um atributo que não se pode receber ou ganhar, senão logicamente deixa de ser considerado válido, existem coisas que ou você é ou não é, não dá pra se tornar aquilo.

    Sobre os embates de João cap. 10, Yehoshua se defendeu evocando as escrituras já tinham colocado homens como deuses antes, então um homem pode ser vir a ser um deus dependendo do caso, mas como bem observado, eles não julgavam que Yehoshua fosse o Cristo, sendo assim ele não tinha autoridade para reivindicar poderes que só Deus poderia conceder, então ele estaria se fazendo por si mesmo, por sua própria autoridade, o que seria blasfemo.

    Obrigado pela citação do Zohar, é muito interessante.

    Like

    • Lucas says:

      Se você citou a Cabala só falta me falar de Lilith agora, O Ancião de Dias tem três cabeças?? Um mistério gnóstico de Sofia? O incognoscível Ain Soph? Miguel, honre seu nome e defenda a soberania de Deus, olha só o que tu vem me arranjar, apelar a magia judaica!

      Só para tu veres que a Multiplicidade no Deus Único é algo que tanto os Judeus antigos como os Cristãos sempre aceitaram. O que tu tens que explicar é como é que estes Judeus e os Cristãos obtiveram esta ideia senão das Escrituras.

      “o conceito da Trindade não era conhecido pelos Judeus, não está na plena posse dos dados”

      Só se fosse de uma trindade egípcia, do tipo os três aspectos do mesmo deus-sol, até porque, tudo indica que no principio a religião egípcia era monoteísta.

      Estou a falar da Trindade Bíblica – Um Deus, Três Pessoas.

      “Vocês agora têm que explicar como foi que os Judeus e os Cristãos chegaram à mesma conclusão que Deus é TriUno”
      Como foi que chegaram a conclusão que o antigo de dias tem três cabeças?

      Como foi que o Deus único que os Judeus adoravam Manifestava-Se numa “Tríade”.

      O Zohar não é uma fonte confiável para rastrear as crenças do Judaísmo do século I

      É fonte fiável para se ver que o conceito da Multiplicidade no Deus Único é algo que também os Judeus viam na Bíblia. Quem diz que os Cristãos inventaram a “Trindade”, tem que explicar o Zohar e muitos outrs textos Judaicos que falam do Messias (ou do Metatron ou do Anjo do Senhor) como Ser com a Mesma Natureza que YHWH.

      “Eles estavam a dizer que o Senhor Jesus estava-Se a colocar ao lado do DEUS DELES, e não a tomar o Seu lugar”
      É possível.

      Não é possível; é isso mesmo. Como eles eram monoteístas, eles só poderiam estar a falar no Deus Único no Qual eles acreditavam.

      E não difere muito do que eu disse, um Deus ao lado do Deus deles, um tipo de politeísmo.

      Mas isso é por que tu, tal como outras pessoas, rejeitam a noção da Trindade. Os Judeus não estavam a dizer que o Senhor Jesus estava a promover o politeísmo, mas a dizer que Ele não era o DIVINO Filho de Deus, o Messias. Leste o que eu disse? Vês a diferença?

      Quando nós dizemos que o Filho é Igual ao Pai na Natureza Divina, não estamos a promover o politeísmo, mas a dizer que o Deus Único Manifesta-se em Três Pessoas de maneiras distintas (mas em união).

      Vocês não podem forçar o VOSSO entendimento de Deus sobre nós porque cada vez que nós apontarmos para as inúmeras passagens da Bíblia que mostram a Divindade do Senhor Jesus, vocês rapidamente vão dizer que estamos a “promover o politeísmo”.

      Ou seja, segundo o vosso ponto de vista, ou Jesus não é Deus, ou então a Trindade é politeísta. Vocês deixam de fora a outra hipótese: a Trindade TAL COMO NÓS A ENSINAMOS, é = Um Deus em Três Pessoas.

      Repito: não forces o TEU conceito de “Deus” a nós. Se nós mostramos evidências de Divindade do Senhor Jesus, isso favorece o NOSSO conceito de Deus, e não o conceito que TU queres que nós ensinemos.

      Não, eles não pensaram que ele estava se dizendo a segunda cabeça do Ancião de Dias [!!!].

      Eles claramente viram que Ele se estava a fazer igual o Ancião de dias (em Natureza), o Divino Filho de Deus, *O* Messias (não *um* messias). Que os Judeus sempre viram o Messias como uma figura Divina é algo bem claro através dos seus escritos ANTIGOS, mas isso eu depois coloco no outro blogue.

      Depois disso, vai ser interessante ver como é que vocês explicam que os Judeus de antigamente viam o Messias da mesma forma Divina que os Cristãos vêem.

      Mas isso, tal como eu digo, não é problema nosso.

      “O Todo Poderoso”
      Mateus 28:18 na King James menciona ALL POWER, no que se deduz que com ALL POWER se é ALL POWERFUL, ou Almigthy, então aceitou que desde a ressurreição ele se tornou todo-poderoso por receber todo o poder. É um pensamento errado, baseado numa tradução inadequada de πασα εξουσια (exousia). É um engano? É, até porque isso (ser Todo Poderoso) é um atributo que não se pode receber ou ganhar, senão logicamente deixa de ser considerado válido, existem coisas que ou você é ou não é, não dá pra se tornar aquilo.

      Então é possível uma criatura ser toda poderosa? Concordo com a passagem “é um atributo que não se pode receber ou ganhar”. Verdade. Se Ele (Jesus Cristo) é Todo Poderoso, então Ele sempre foi Todo Poderoso. O “receber” tem que visto à luz disso.

      Para além disso, a Bíblia diz que no final dos tempos, o Filho vai entregar todo o reino ao Pai>

      Depois virá o fim, quando tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e quando houver aniquilado todo o império, e toda a potestade e força. 1 Cor 15>24

      Vamos usar a tua logica

      – Quando o Senhor Jesus recebe Todo o Poder, isso quer dizer que Ele nao era Todo Poderoso
      – Usando essa forma de pensar, então o Pai não é Deus porque Ele vai RECEBER o reino do Filho. Isso quer dizer que, ACTUALMENTE não é YHWH Quem reina, mas uma “criatura” chamada Jesus Cristo. Mas isso contradiz outra passagem da Bíblia que diz:

      “E da que coxeava farei a parte restante, e, da que tinha sido arrojada para longe, uma nação poderosa; e o Senhor reinará sobre eles, no monte de Sião, desde agora e para sempre.” – Miqueias 4:7

      Claro que para nós Cristão não há problema nenhum porque YHWH não é só o Pai, mas também o Filho. Mas para quem rejeita que o Filho também tem o Nome e a Essência Divina do Pai, tem que aceitar que quando o Pai receber o reino do Filho, Ele (o Pai) vai “regressar” a ser Deus (o que é falso) e que, actualmente, Quem reina no universo é uma”criatura” e não o Criador.

      Enfim.

      Voltemos a debater o evolucionismo.

      Mats

      Like

  15. Saga says:

    Anderson você escreveu muito, é isso, ficar se delongando sobre isso aqui nos comentários do darwinismo?

    “Porém esclareci que grande parte das Bíblias se encontram traduzidas da mesma forma por diversas SBs, o que torna o texto confiável”

    Com certeza que יהוה é Senhor, afinal diversas SBs colocam assim. O fato é que o nome grego de Deus no verso 14 do capitulo 3 do livro de Êxodo é ο ων, não interessa o que as SBs façam, elas podem traduzir, mas não podem mudar o texto grego, ele fica lá intacto. Na verdade, se a pessoa comprar obras de referência das SBs, ler as notas das bíblias de estudo que elas publicam, verá a mesma coisa.

    “Também disse que não podemos saber o que o autor do texto quis dizer com certa expressão apenas pela palavra usada”
    Não é preciso grego ou hebraico, em português mesmo já dá para entender o que eu mostrei, o que a tradução pode fazer é atrapalhar, por exemplo, colocar em maiúsculas algo que não deveria estar em maiúsculas para dizer que é um nome próprio, ou fazer referência cruzada com um texto que não tem que ver com aquele. De toda forma, Deus é ο ων, foi assim que pediu que Moisés dissesse aos filhos de Israel segundo a LXX, não foi que dissesse que ele era o grande εγω.

    “Coisa que o Miguel fez muito bem ao esclarecer o conceito de Deus ser constituído de 3 cabeças para os judeus”
    Cara, Deus não é constituído de três cabeças para os judeus, se tu quiser se aprofundar nisso, busque saber mais sobre a Cabala, mas eu nem recomendo, pois bruxaria não é edificante. Eu busquei fundamentar a citação e não consegui comprovar que a citação é verídica, um site adventista diz que não conseguiu encontrar essa parte no Zohar III, ou seja, está em aberto a autenticidade dela. (Você quer saber mais sobre o Judaísmo, estuda o Talmude, tem monte de erros e contradições, mas é mais confiável, antigo e relevante, e é tido como autoridade para os judeus religiosos)

    “Além do que nem os judeus consideraram apenas isso, pois eles disseram “sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo”, e Jesus não desmentiu isso”

    Ele replicou com uma citação bíblica. por bem da coerência gramatical em formato de antitese o sentido não é que “Sendo tu o Homem, te fazes o Deus” e sim “sendo tu um homem, te fazes um deus” ou menos polemicamente “sendo tu humano, te fazes divino”, o fato é que a defesa de Cristo não fazia sentido se a acusação fosse de se dizer o Deus Único, o Miguel concordou a questão não era de substituir Yahweh, mas de se colocar ao lado dele.

    “Isso foi na verdade uma grave repreensão à liderança eclesiástica pois assim, se tu não era como Deus para fazer boas obras então era do grupo”
    Sim, ele repreendeu os juízes judaicos, a liderança entre eles, por não julgarem com justiça.
    A SBB traz o seguinte na João Ferreira de Almeida (ARC, ARMT, AXXI):
    Ex. 21.6 – Então seu senhor o levará aos juízes
    Ex. 22.28 – Os juízes não amaldiçoarás e o príncipe dentre o teu povo não maldirás.
    Sendo que o texto hebraico literalmente diz que levará aos deuses (elohim), quer dizer, os deuses mencionados são os juízes do povo. Isso bate com a questão do Salmo 82.

    “– Poderia Ele ter usado qualquer. Se é no plural, faz diferenciação entre as demais pessoas da Divindade, se é no singular ainda assim”

    PLURAL? Não tem nada a ver ser plural ou singular, tem a ver com o gênero da palavra, não existe plural em hen ou em heis, tudo se refere a algo unitário. O ponto é que a palavra Deus é masculina, e ele não usou o um masculino, então não estava falando de um Deus. Deusa é feminino, então usaria a palavra feminina para se referir a uma Deusa. Tu não entendeu nada…

    “o povo judeu que tinha clara a ideia da multiplicidade de Deus. Isso depende de conhecer a cultura para saber não apenas palavras”

    Marcos 12:32 O escriba disse-lhe: “Instrutor, bem disseste em harmonia com a verdade: ‘Ele é Um só, e não há outro senão Ele

    Do que você tá falando cara? A Shemá é o mandamento mais importante para os judeus, e não há multiplicidade nenhuma, acima está bem colocado, ELE é um só e não outro senão ELE. Só falta dizer que o povo judeu pensava que Eles são um só e não há outro senão eles”….

    “– Errado” O que tem errado cara,tem nada errado.
    “Jesus veio para buscar e salvar o perdido” E ?
    “O Sl 82 é um clamor por justiça” Sim, é, e?
    “– Conheciam a ideia de trindade” Anderson agora é adivinho? Aproveita e me fala o nome dos fariseus que estavam debatendo com ele.

    “Leste mesmo todo o Sl 82?” Li a Bíblia inteira.
    “Considerou o contexto amplo das Escrituras” Sim. Só não considerei o Zohar escrito pelo herético De León mais de mil anos depois dos evangelhos.

    “Nisto tu estás correto”
    É, em todo resto estou errado, esse povo é muito hostil mesmo….

    “O que não compreendeste ainda é que”
    Isso não tem relevância quanto se eu sou era um nome próprio em Jo 8:58, ou se o nome divino em grego em Êxodo era ego.eimi ou ho.on, é um desvio de assunto.

    “Logo Ele é sim Criador (criacionista) como a princípio fora declarado pelo amigo Raul”
    Raul disse que Jesus disse ser o criador, eu perguntei onde e ele se corrigiu, dizendo que Jesus nunca disse isso, aí o assunto deveria ter acabado pois eu não ia postar mais nada (independente de qual a crença dele, pois isso não me interessa), aí vocês tão aí esperneando como que ofendidos pela pergunta. No Stress, people.

    Criador em hebraico se diz Bohré (em grego se diz Ktistes), e Jesus nunca reivindicou este título, foi apenas isso que eu disse (corretamente por sinal), ele até mencionou O Criador algumas vezes, mas não como sendo ele próprio e sim como Outro alguém, outras referências foram feitas a criação (ktisis), mas a Autoria não é atribuída a pessoa do Filho, é como diz a ACF em Efésios 3:9 “DEUS, que tudo criou por meio de Jesus Cristo” ou em Apocalipse 3:14 “Isto diz….[Cristo]…o princípio da criação DE DEUS”. Cabe mais debate em cima disso? Não cabe, simplesmente eu perguntei o Raul respondeu e todos ficam de bem.

    Tudo afirmado está biblicamente correto, mas talvez não esteja cabalisticamente correto né, afinal eu deveria ter lido o Zohar para pautar minhas leituras da Bíblia por ele….

    Like

    • Anderson says:

      Saga,

      Anderson você escreveu muito, é isso, ficar se delongando sobre isso aqui nos comentários do darwinismo?

      Me desculpe mas nessas discussões teológicas quanto mais curta for cada publicação mais dúvidas ficam para a próxima.
      De qualquer forma, vou parar com esta última na certeza que tu é estudioso e vou orar para que o Espírito Santo te guie a toda a Verdade.

      Com certeza que יהוה é Senhor, afinal diversas SBs colocam assim. O fato é que o nome grego de Deus no verso 14 do capitulo 3 do livro de Êxodo é ο ων, não interessa o que as SBs façam, elas podem traduzir, mas não podem mudar o texto grego, ele fica lá intacto. Na verdade, se a pessoa comprar obras de referência das SBs, ler as notas das bíblias de estudo que elas publicam, verá a mesma coisa.

      Ok Saga, mas eu mencionei justamente que as SBs traduziram os textos de determinada forma após muito tempo de estudo não só da língua como das culturas e história dos povos. Por exemplo, o nome de Deus em hebraico é יהוה (YHWH), impronunciável em português, razão pela qual na Bíblia consta “SENHOR” ou “Deus”. Isso muda a palavra mas não o sentido, para nossa compreensão.

      De toda forma, Deus é ο ων, foi assim que pediu que Moisés dissesse aos filhos de Israel segundo a LXX, não foi que dissesse que ele era o grande εγω.

      Ok, mas o fato é Deus Se deu um nome o qual Jesus usou da mesma forma, para se identificar.

      Cara, Deus não é constituído de três cabeças para os judeus, se tu quiser se aprofundar nisso, busque saber mais sobre a Cabala, mas eu nem recomendo, pois bruxaria não é edificante. Eu busquei fundamentar a citação e não consegui comprovar que a citação é verídica, um site adventista diz que não conseguiu encontrar essa parte no Zohar III, ou seja, está em aberto a autenticidade dela. (Você quer saber mais sobre o Judaísmo, estuda o Talmude, tem monte de erros e contradições, mas é mais confiável, antigo e relevante, e é tido como autoridade para os judeus religiosos)

      Obrigado pela informação. Eu sei que a Cabala é bruxaria, condenável na Bíblia. Porém não é necessário sair desta para chegar a esta conclusão. Gn 1:2 apresenta o Espírito de Deus, Gn 1:3 apresenta Deus, Gn 1:26 diz, no plural, “façamos”, então daí dá para admitir ao menos 2 pessoas divinas pois “fazer” ou “criar” somente Deus pode. Gn 11:7 também mostra Deus falando no plural. Is 9:6 fala do filho que também é Deus, Dn 7:9-13 fala do Ancião de Dias e do Filho do Homem.
      Isso sem usar o NT não é suficiente para chegar à conclusão que são 3 (Pai, Filho, Espírito Santo)?

      Ele replicou com uma citação bíblica. por bem da coerência gramatical em formato de antitese o sentido não é que “Sendo tu o Homem, te fazes o Deus” e sim “sendo tu um homem, te fazes um deus” ou menos polemicamente “sendo tu humano, te fazes divino”, o fato é que a defesa de Cristo não fazia sentido se a acusação fosse de se dizer o Deus Único, o Miguel concordou a questão não era de substituir Yahweh, mas de se colocar ao lado dele.

      Nem eu discordo disso.

      Marcos 12:32 O escriba disse-lhe: “Instrutor, bem disseste em harmonia com a verdade: ‘Ele é Um só, e não há outro senão Ele
      Do que você tá falando cara? A Shemá é o mandamento mais importante para os judeus, e não há multiplicidade nenhuma, acima está bem colocado, ELE é um só e não outro senão ELE. Só falta dizer que o povo judeu pensava que Eles são um só e não há outro senão eles”….

      Amigo, se eu te disser que tenho um carro, tens algum problema de imaginar que ele tem 4 rodas? Qual é o problema de Deus ser constituído por 3 diferentes pessoas Divinas e plena harmonia e com os mesmos poderes, tendo funções diferentes?
      E há de entender que Deus optava por falar assim porque ao redor do povo de Israel existiam muitas culturas pagãs politeístas. Logo não é de se admirar que Deus não deixou confundir a cabeça do povo falando “Eu sou 3 em 1”, embora essa conclusão chegue através do estudo da Sua Palavra.

      – Errado” O que tem errado cara,tem nada errado.
      “Jesus veio para buscar e salvar o perdido” E ?
      “O Sl 82 é um clamor por justiça” Sim, é, e?

      Bom, eu expliquei porquê. Se Deus já fez justiça com Jesus então a justiça dele é imperfeita ou a missão de Cristo não era essa. Ainda vejo muitas calamidades, indiferença, fomes, guerras. Se isso é justiça pra ti então eu prefiro esperar a promessa conforme Pedro.
      13 Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça.” 2 Pe 3:13

      É, em todo resto estou errado, esse povo é muito hostil mesmo….

      É o que há no seu coração. E se eu falei “em todo o resto” tu estás errado, não me recordo. Mas perdão se pensou assim.
      Por isso, acredito que cheguei ao limite segundo Tito 3:9,10, e espero que possamos continuar juntos no debate contra o Evolucionismo conforme é a finalidade do blog.

      Abraços,

      Like

  16. Saga says:

    “Só para tu veres que a Multiplicidade no Deus Único é algo que tanto os Judeus antigos como os Cristãos sempre aceitaram”

    O Zohar apareceu na idade média pelas mãos de Moises De Leon no século XIII d.C. Chamar de obra de judeus antigos é como chamar o livro de Mormon de obras dos cristãos antigos.

    “Estou a falar da Trindade Bíblica – Um Deus, Três Pessoas”
    Você acha que o Zohar ensina que Deus é três pessoas? O ser supremo na Cabala é o Ain Soph.

    “vocês rapidamente vão dizer que estamos a “promover o politeísmo”“
    Não vou dizer isso.

    “O “receber” tem que visto à luz disso”
    O texto diz que ele recebeu, então não se pode entender que ele recebeu onipotência, isso seria absurdo.

    “Para além disso, a Bíblia diz que no final dos tempos, o Filho vai entregar todo o reino ao Pai>
    Este outro texto que você faz alude (1 Cor 15:24-28) menciona que o todas as coisas, como o todas as coisas de Mateus 28:28 não é realmente “todas as coisas”, se exclui o Pai e mais ninguém (Nem o espírito santo). Então eles se autoexplicam um ao outro.

    “Usando essa forma de pensar, então o”
    Ele não devolveu o atributo de “onipotência” e sim o Reino, segundo 1 Cor 11:3 ele j[a está sujeito ao seu chefe, o que a passagem está falando que ao cumprir sua missão ele abdicou do cargo em vez de tentar se manter no mesmo indefinidamente a força, seu mandato acabou.

    “Claro que para nós….não há problema nenhum porque…”
    O Reino não tem a ver com ser ou deixar de ser Deus, de todo jeito, o Senhor reinava em Sião através de Davi, Salomão e os reis de Judá, e o fato de existir um Rei humano ungido em Jerusalém não impedia que Deus continuasse sendo o rei deles, não se pode criar contradição ou oposição entre dois reis como se fosse rivais que detraem o domínio um do outro.

    Não vou me delongar, o fato é que o Zohar é um documento tardio, que não difere dentro do Judaísmo para o que é o livro de Mórmon dentro do Cristianismo. Os espíritas gostam de citar escritos da Cabala para ensinar que o judaísmo ensinava a reencarnação e que sendo assim mais tarde a Igreja Romana eliminou essa crença do Cristianismo!!! Pelo menos tinham de escolher algo de antiguidade comprovada.

    Vocês tão se doendo, com eu tendo dito nada demais, se fosse só eu e o Raul o assunto já tinha acabado logo de cara, ficam tentando armar pegadinhas para ver se me constrangem.

    Like

    • Miguel says:

      “Só para tu veres que a Multiplicidade no Deus Único é algo que tanto os Judeus antigos como os Cristãos sempre aceitaram”

      O Zohar apareceu na idade média pelas mãos de Moises De Leon no século XIII d.C.

      Não deixam de ser Judeus antigos. Mas se quiseres, podem-se encontrar outras referências da visão dos Judeus (ainda mais antigas) sobre a Divindade do Filho de Deus, o Messias.

      “Estou a falar da Trindade Bíblica – Um Deus, Três Pessoas”

      Você acha que o Zohar ensina que Deus é três pessoas?

      Sim, tal como se viu na minha citação. Mais eis aqui mais:

      [Zohar vol.III]…The Ancient and Holy One is revealed and described as being Three; it is because the Other Lights are Two complete Ones, yet is the Ancient and Holy One described and complete as One, and He is One, positively One; thus are the Other Lights united and glorified in One, because They are One…
      ……

      [Rabbi Simeon further states]…Thus are the Three Lights united in One. The Spirit which is downward, Who is called the Holy Spirit the Spirit which is the Middle Pillar, who is called the Spirit of Wisdom and Understanding, also called the Spirit below. The Upper Spirit is hidden in secret; in Him are existing all the Holy Spirits [the Holy Spirit and the Spirit that is the middle pillar], and all that is light.”.
      .
      [Rabbi T. Nassi on Rosh HaShannah] . . . the three-fold sound of the ram’s horn which is sounded on Rosh Hashanah, is an emblem of the Three-fold nature of G-d.

      http://adalges.blogspot.pt/2011/12/trindade-no-judaismo.html

      Eles poderiam ter falado em 2, 4, 5 ou 6, mas falaram PRECISAMENTE em Três. Tal como eu já disse, o que não faltam são citações de Judeus antigos a falar do Messias como Divino, e a falar da Multiplicidade no Deus Único.

      “O “receber” tem que visto à luz disso”

      O texto diz que ele recebeu, então não se pode entender que ele recebeu onipotência, isso seria absurdo.

      Mas o texto diz que Ele (Jesus) tem TODO O PODER no universo. Pode uma Criatura ter TODO O PODER? Tens que ver à luz disso.

      Embora nós possamos encontrar uma explicação para o “receber” (por exemplo, na incarnação o Senhor teve qye “perder” alguma da Glórai Divina, etC), é muito mais difícil explicar como é que uma “Criatura” poder ser Toda Poderosa e não ser YHWH. Seria interessante saber isso.

      “Para além disso, a Bíblia diz que no final dos tempos, o Filho vai entregar todo o reino ao Pai

      Este outro texto que você faz alude (1 Cor 15:24-28) menciona que o todas as coisas, como o todas as coisas de Mateus 28:28 não é realmente “todas as coisas”, se exclui o Pai e mais ninguém (Nem o espírito santo). Então eles se autoexplicam um ao outro.

      Não respondeste o que eu disse. O Pai vai RECEBER O REINO DO FILHO, mas Miqueias diz que YHWH reina para sempre. Como aparentemente o Pai não está a reinar agora (porque só mais tarde Ele vai “receber o reino”), então Ele não é YHWH.

      Só tens duas hipóteses:
      1) Ou o Pai não é YHWH
      2) Ou o Filho é YHWH en união com o Pai.

      “Usando essa forma de pensar, então o”
      Ele não devolveu o atributo de “onipotência” e sim o Reino

      Mas a Bíblia diz que YHWH reina para sempre. Como é que o Pai, que segundo vocês é o Único que é YHWH, pode “receber” algo que já é DELE por Ele ser Deus?

      O Reino não tem a ver com ser ou deixar de ser Deus, de todo jeito, o Senhor reinava em Sião através de Davi, Salomão e os reis de Judá, e o fato de existir um Rei humano ungido em Jerusalém não impedia que Deus continuasse sendo o rei deles, não se pode criar contradição ou oposição entre dois reis como se fosse rivais que detraem o domínio um do outro.

      Mas o reino do Senhor Jesus não é bem igual ao reino do Rei David. A Bíblia fala do reino total, do controle de TODAS AS COISAS. Segundo a vossa visão, esse reino de TODAS AS COISAS vai ser “devolvido” ao Pai. Mas se só o Pai é YHWH, então Ele não reinou TODAS AS COISAS durante muito tempo, o que contradiz Miquéias.

      A forma de resolver isto é ver que o filho também tem sobre Si o Nome de YHWH. O reino SEMPRE esteve vom YHWH.

      Mats

      Like

  17. Saga says:

    Valeu (Y)

    Não é a única forma de “resolver”, de fato resolver uma “contradição” que nem existe, que a figura do rei ungido de alguma forma afete a realeza do Deus que o entronizou…

    Like

  18. Saga says:

    ” יהוה [… ]razão pela qual na Bíblia consta “SENHOR” […] muda a palavra mas não o sentido, para nossa compreensão”
    Muda o sentido totalmente.
    Sobre ser impronunciável, também não é verídico, os nomes dos servos de Deus, inclusive de Jesus todos endossam alguma forma de pronuncia, as vogais de Y-H-W-H segundo o texto hebraico são “E” e “O” para o inicio e “A” para o final (Nomes teofóricos começam com YeHo e terminam como YaH ou YaHu, por isso existem nomes hebraicos grafados para pronunciar como Yehoshuah e Eliyahu). A questão de evitar pronunciar é uma superstição.

    “Me desculpe mas nessas discussões teológicas quanto mais curta for cada publicação mais dúvidas ficam para a próxima”
    Não existia discussão teológica alguma, eu fiz uma pergunta ao Raul e ele me respondeu, ponto. A “discussão teológica” começou depois.

    Quanto mais se escreve é que se tende a ter uma réplica maior ainda, até por causa do quote. Se eu escrevo muito e você me quota todo, sua reply sai maior ainda do que o comentário que escrevi e vice-versa assim por diante, com postagem cada vez maiores e maiores poluindo os comentários do site.

    “SBs traduziram os textos de determinada forma após muito tempo de estudo não só da língua como das culturas e história dos povos”
    Os estudos do criticismo bíblico são recentes, as traduções tradicionais mais populares são antigas de antes de todo esse estudo, quero dizer que uma NVI ou BJ é resultado de mais estudo do que uma King James ou JF Almeida. É nas NVI ou BJ de estudo que verás muitos detalhes que ficam ocultos usando as arcaicas versões tradicionais.

    “Ok, mas o fato é Deus Se deu um nome o qual Jesus usou da mesma forma, para se identificar”
    Em Jo 9:9 o cego diz: EU SOU, a mesma palavra que Jesus usou em 8:58 (εγω ειμι – ego eimi).
    Por isso que eu disse “eu sou” (εγω ειμι) não é nome, é um termo normal que todas as pessoas usam para se referir a si mesmas, porém o mesmo título grego usado em Êxo 3:14 (ο ων – Aquele Que É ou O Existente) este sim é reutilizado em Apocalipse 1:4.11:17 como um tipo de nome para Deus (com aplicação de Aquele Que É, Que Era e Que Virá A Ser ou seja O Existente, Que Existia Antes e Que Continuará Existindo Depois).

    Eu já falei, falei e você não entendeu isso ainda.

    “Amigo, se eu te disser que tenho um carro, tens algum problema de imaginar que ele tem 4 rodas?”
    Ótima ilustração!! Agora pega sua Almeida Revista e Atualizada abre de novo em Marcos 12:32-34, pense, reflita, faça umas três orações me responda a você mesmo o que tem a ver o carro com quatro rodas e a sua analogia com o fato de Jeová ser um só (Deut 6:4) e não existir outro senão Ele, significa que יהוה são vários eles … assim como o carro tem quatro rodas? É que elas quatro são um carro, ou ele que é quatro rodas? Marcos 12:29,32,34 fala de um ser singular ou plural? Unitário ou Composto? No dia seguinte, pense nisso de novo e repita o processo, até porque é o mandamento das escrituras mais importante de todos (12:28,31) segundo o próprio Jesus, que é a o Caminho que leva a Verdade sobre Deus.

    “Por isso, acredito que cheguei ao limite segundo Tito 3:9,10…Abraços”
    Tito 3:10 – Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evita-o, 11 sabendo que esse tal está pervertido e peca, estando já em si mesmo condenado.

    Putz, quanto amor o Anderson tem no coração….

    Eu não sou ninguém, o que eu tenha dito você pode conferir por você mesmo em qualquer lugar, mas diretamente em manuscritos e nas Escrituras e não nas palavras da interpretação de haters e outros homens parciais e pré-conceituosos. Gálatas 4:16 é mais bonito que Tito 3:10. Lembrando que quem quis discutir e debater não fui eu e sim você.

    . Pausa nisso para falar sobre o ZOHAR.
    http://www.adventistas.com/trindade/judeus/maimonides03.htm
    http://www.adventistas.com/trindade/judeus/maimonides01.htm
    O Zohar estabelece “Israel, a Torah e o Santo, Abençoado seja Ele, são Um”
    A frase acima vem de um autor cabalista falando baseado no Zohar.
    http://www.adventistas.com/trindade/judeus/maimonides02.htm
    O Zohar, base do kabalismo, pode se alegrar em dizer que “Israel a Torah e D’us” são um, porque isto define que qualquer judeu pode realizar…tarefas semelhantes, ou até melhores, que as de Moisés.
    http://www.adventistas.com/2014/04/09/filme-noe-o-show-de-cabala-e-gnosticismo-que-quase-ninguem-percebeu/
    “Noé”, a nova e épica produção cinematográfica de Darren Aronofsky […] Esta versão não é a da Bíblia, é claro. […] Evangélicos conservadores se queixaram de que o filme toma muitas liberdades com o texto do Gênesis. […] Aronofsky não tomou liberdade alguma com o texto bíblico. O filme simplesmente não foi baseado na Bíblia […] uma tradição mística […] chamada cabala (que a cantora Madonna popularizou há cerca de uma década), teria certamente conservado uma visão semelhante […] ela é, essencialmente, uma forma de gnosticismo judaico. […] O Zohar, [é] um dos textos sagrados da cabala […] O universo do “Noé” de Aronofsky é completamente gnóstico […] anjos caídos nunca são totalmente caídos nesse tipo de misticismo. Para citar de novo o Zohar, um texto central da cabala […] no filme, quando a família de Noé vai caminhando por uma terra desolada, Sem pergunta ao pai: “Esta é uma mina Zohar?”. Pois é: o nome do texto sagrado da cabala. O filme inteiro é, figurativamente, uma mina Zohar. E, se havia alguma dúvida sobre os “Vigilantes”, Aronofsky dá nome a vários deles: Samyaza, Magog e Ramil. Todos são demônios conhecidos da tradição mística judaica, não só da cabala, mas também do livro de Enoc. O quê? Demônios redimidos? Adolphe Franck explica a cosmologia da cabala: “Nada é absolutamente mau; nada é maldito para sempre, nem mesmo o arcanjo do mal ou, como ele é chamado às vezes, a fera venenosa. Chegará um tempo em que até ele recuperará o seu nome e a sua natureza angelical”. […] Alguns acharam que esta passagem era uma espécie de profunda reflexão sobre o mal que existe em todos nós. Mas aqui vai outro trecho do Zohar, o texto sagrado da cabala: “Dois seres [Adão e Nachash, a serpente] tiveram relações com Eva [a segunda mulher] e ela concebeu de ambos e deu à luz dois filhos. Cada um seguiu um dos progenitores masculinos e seus espíritos se separaram, um para um lado, o outro para o outro, assim como, similarmente, seus caráteres. No lado de Caim estão os da espécie do mal; no de Abel, uma classe mais misericordiosa, mas não ainda totalmente benéfica: são vinho bom misturado com vinho ruim”.
    Soa familiar? […] Faço algumas advertências depois de tudo isso. Primeiro, a especulação gnóstica tem várias perspectivas. Alguns grupos se mostram radicalmente “dualistas”, com “O Criador” sendo de fato um “deus” completamente diferente. Outros são mais “monistas”, com Deus existindo em uma série de emanações descendentes. Outros, ainda, consideram que a divindade inferior pode “crescer”, “amadurecer” e ascender na “escala” do ser, rumo a maiores alturas. Noé, provavelmente, se encaixa um pouco em cada categoria. É difícil dizer. Minha outra advertência é esta: há uma tonelada de imagens, citações e temas da cabala neste filme e eu não conseguiria citar todas elas neste único texto. Por exemplo: a cabala geralmente se baseia em letras e números hebraicos; os “Vigilantes” pareciam ter, deliberadamente, a forma de letras hebraicas.
    Eu não veria este filme de novo para escavar detalhadamente todas essas referências, nem sequer se você me pagasse […] O que posso dizer, tendo visto a produção somente uma vez, é o seguinte: Darren Aronofsky produziu uma releitura da história de Noé sem embasamento algum na Bíblia. É uma releitura totalmente pagã da história de Noé, baseada em fontes gnósticas e da cabala. […] Agora deixem-me dizer qual é o verdadeiro escândalo em tudo isso. Não é o fato de que o filme foge à versão bíblica. Não é o fato de que os críticos cristãos, decepcionados, tinham expectativas altas demais. O escândalo é este: de todos os líderes cristãos que fizeram um grande esforço para endossar este filme (pelo motivo que fosse: “porque é um início de diálogo”, “porque Hollywood está pelo menos fazendo alguma coisa ligada à Bíblia”, etc.) e de todos os líderes cristãos que o condenaram por “não seguir a Bíblia”, nenhum conseguiu identificar uma subversão flagrantemente gnóstica da história bíblica, por mais que ela estivesse bem debaixo dos seus narizes. Eu acho que Aronofsky se propôs a experiência de nos fazer de bobos: “Vocês são tão ignorantes que eu sou capaz de colocar Noé (Russell Crowe!) nas telas e retratá-lo literalmente como a ‘semente da serpente’ e, mesmo assim, todos vocês vão assistir e apoiar”. Aronofsky está dando risada. E todos os que caíram no trote deveriam se envergonhar. E olhem que foi uma experiência gnóstica impressionante! No gnosticismo, somente a “elite” possui “o saber” e o conhecimento secreto. Todo o resto das pessoas é um bando de ingênuos e tolos ignorantes. O “grande evento” deste filme é ilustrar esta premissa gnóstica: nós, “o resto”, somos ingênuos e tolos. Será que a cristandade poderia acordar, por favor?”

    O Zohar é misterioso, de difícil de compreender, pagão e perigoso! Cabalistas tem um vocabulário próprio e secreto onde as palavras tem sentido diferente do que tem para outros religiosos, inclusive para que apenas os professores entre eles entendam aquilo. Considero tão algo “judaico” quanto chamar maçonaria de “cristã”, mesmo nível essas duas coisas….

    Não sei se o Matts falou contra o filme Noé do Aronofsky avisando a todos que ele não tem o menor embasamento bíblico e sim cabalístico, não tendo nada com o Gênesis e sim com o Zohar e assim deveria ter sido frontalmente evitado mas como o tema do dilúvio tem tudo a ver com o criacionismo deveria ter feito isso.

    Like

    • Miguel says:

      Saga

      O Zohar é misterioso, de difícil de compreender, pagão e perigoso!

      Ninguém disse o contrário. Mas note-se que não há nada de “misterioso” sobre o que eles dizem em relação à Natureza TriUna de Deus. Tu queres anular o que eles dizem sobre a Natureza de Deus só porque outras partes do Zohar falam de coisas pagãs (que ninguém negou e tal como eu disse logo no meu primeiro comentário). Isso é o mesmo que eu anular a ciência dum homem só porque o que ele diz sobre música está errado.

      Considero tão algo “judaico” quanto chamar maçonaria de “cristã”, mesmo nível essas duas coisas….

      É a tua opinião. O que conta é que a visão TriUna de Deus era bem aceite pelos Judeus do antigamente, e não o que tu pessoalmente achas que é judaico ou não.

      Mas, tal como eu disse, há várias fontes Judaicas MAIS ANTIGAS que claramente falam na Trindade e na Divindade do Messias (ou do “Anjo do Senhor”), e essas fontes não só são um problema para os Judeus actuais, como para quem quer afirmar que a Trindade é uma “invenção Cristã”.

      Como sempre, a História refuta os mitos anti-Cristãos.

      Mats

      Like

  19. Anderson says:

    Saga,

    Vi que seu último comentário foi destinado a mim contudo não vou ler para não responder.
    Mats já nos alertou 2 vezes sobre o conteúdo a ser publicado aqui é para combater o evolucionismo. Já dei meu ponto de vista e respeito o de vocês.
    Peço desculpas ao Mats quanto ao prolongamento do diálogo e aqui encerro.

    Abraço a ambos.

    Like

  20. Saga says:

    Matts, não quero anular o Zohar, pois não o considero, estou chamando atenção de alguém que parece não conhecer muito sobre o mesmo da gravidade de seu conteúdo. O que ele disser não me afeta, pois o deus da Cabala é falso e blasfemo, mas estou prestando um serviço de informação, pois quem tiver lendo pode ter curiosidade com relação ao mesmo.

    Anderson, é um post advertindo sobre a influência do Zohar no anti-bíblico filme Noé de Aronofsky . Você pensa que é uma postagem de debate que geraria réplica, não foi.

    Like

    • Anderson says:

      Saga,

      Estou contigo, e também com o Matts, quanto ao Zohar. Não confio, apenas também não trato como “fonte de informação nenhuma” por ser de categoria contrária ao que o cristão deve ter em mente.
      No entanto, já respondi que não é necessário sair da Bíblia para chegar a esta mesma conclusão que está explícita no Zohar. Para não estender de novo o texto vou me deter a falar isso e se quiseres lê de novo o que escrevi acima, no meu último comentário.

      Aproveitando: Me referi ao limite de advertências e não à condenação implícita no contexto de Tito 3:9,10. O texto pode ser tanto para um lado quanto para outro, tanto para mim quanto para ti, depende do que está sendo debatido e se está coerente com o resto da “lei” ou da “Bíblia”. Na minha visão, estou correto, na tua estou errado, e assim não foi o ponto tentar ofendê-lo, apenas concluir que não adianta mais debatermos sobre o tema visto que nada mudou desde o início.

      Abraços,

      Like

    • Miguel says:

      Saga,

      Matts, não quero anular o Zohar, pois não o considero, estou chamando atenção de alguém que parece não conhecer muito sobre o mesmo da gravidade de seu conteúdo.

      Eu sei da gravidade do Zohar e foi isso mesmo que eu disse logo no meu primeiro comentário. O que eu disse também é que, para a discussão decorrente, não é relevante tudo o resto que o Zohar diz, e que o que interessa é ver o que os Judeus defendem (ou defendiam) em relação à Natureza de Deus (e ela está bem mais próxima da Trindade do que as pessoas pensam).

      Eu também disse que o Zohar é apenas uma das muitas fontes Judaicas do passado que falam na 1) Multiplicidade em YHWH, e 2) Divindade do Messias.

      Por alguma razão, tu ficaste agarrado ao Zohar, embora eu tenha dado outras duas citações a mostrar essencialmente o mesmo (que os Judeus tinham uma visão de Deus mais próxima da Trindade).

      Mats

      Like

  21. Saga says:

    Não falei de Rabbi Simeon e Rabbi T. Nassi porque não faço ideia de quem são, de onde são ou do que estão falando. Então não tenho nada para falar desses carinhas aí. (Mas eu podia falar do Zohar, pois é algo que já tinha ouvido falar, o que é e de onde saiu, algumas coisas que ensina e da influência que tem até hoje, inclusive entre famosos, já tinha lido até sobre essa citação e uma tentativa de esclarecimento sobre o três na cabalá) Simeon e Nassi disseram isso aí em algum lugar, não sei onde, não sei quando, não sei porque e não sei quem são…

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s