A mosca que refuta a teoria da evolução

Mosca da FrutaDesde o princípio do século passado que múltiplas gerações de moscas da fruta foram criadas um pouco por todo o mundo. Os cientistas que levaram acabo estas experiências sujeitaram as moscas da fruta a vários tipos de radiações e a vários outros factores criados com o propósito de produzir mutações (de modo a provar o evolucionismo).

Já foi ressalvado que mais de 3,000 novas mutações foram documentadas dentro do património genético destas moscas da fruta . Estas mutações (prejudicais e não benéficas) causaram características físicas como moscas sem olhos, moscas com olhos de cores diferentes, moscas com pernas a crescerem na sua cabeça, moscas com um par de asas extra, moscas com várias cores no corpo, moscas sem asas, moscas com asas anormalmente grandes, moscas com asas inoperacionais, moscas com asas torcidas, etc, etc. A lista poderia continuar por centenas de páginas.

As experiências com as moscas da fruta foram tão minuciosas que o número enorme de gerações produzidas, e as mutações geradas, poderiam ser equivalentes aos milhões de anos da alegada história evolutiva.

MoscaFrutaPara além disso, os cientistas agiram como o “agente selector”, acelerando a acumulação de mutações “benéficas”. Se a evolução através das mutações genéticas e da selecção natural pode realmente ocorrer, seria de esperar que a mosca da fruta se tivesse modificado para novos tipos de formas de vida que se haviam ramificado a partir da mosca da fruta original. Seria de esperar o aparecimento de criaturas que fossem parte moscas e parte outra coisa qualquer, mas o que é que nós observamos? Apenas moscas da fruta.

Após anos de experiências, milhares de mutações causadas em laboratório, e após a selecção inteligente dessas mutações, os cientistas mais brilhantes do mundo não foram capazes de produzir novos tipos de criatura a partir da Drosophila (mosca da fruta).

O que interessa reter de todas as experiências feitas é que as moscas da fruta permanecessem como sempre foram – moscas da fruta. Os resultados destas experiências “voam” na cara do evolucionismo, mas eles são exactamente o que seria de esperar se a Bíblia fosse a Palavra de Deus.

O modelo Criacionista declara de modo específico que todos os organismos se multiplicariam segundo o seu tipo (Génesis 1:11,21,24,25). Portanto, apesar do número de mutações introduzidas e seleccionadas, seria de esperar que as moscas da fruta se reproduzissem segundo o seu “tipo”. E é exactamente isto que os últimos 100 anos de pesquisas demonstraram.

Conclusão:

É espantoso como uma pequena mosca pode colocar em causa todo o frágil edifício evolucionista.

Fonte

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

10 Responses to A mosca que refuta a teoria da evolução

  1. Saga says:

    Escondendo as evidências contraditórias => Mats, tava ouvindo um video aqui sobre as estratégias granscianas e no caso, o evolucionismo neste seu artigo anterior claramente demonstra fazer uso dos métodos de Antonio Gransci. Dá certo com aquela frase “Não existe a verdade, o que existe é ideologia” e poderíamos modificar para “Não interessa se é um fato cientificamente comprovado, o que importa é manter a Teoria”, ou seja, não se busca a verdade última, apenas que as pessoas se convençam daquilo

    Like

  2. Azetech says:

    Como pode existir evolucionistas que ainda possuem fé que o acumulo de mutações podem ocasionar “algo bom”, mesmo quando um experiência, que ficou em vigência durante 100 anos, mostrou EXATAMENTE o contrário.

    Somente uma fé cega, onde os fatos são desconsiderados, poderiam leva-los a crer em algo REFUTADO EMPIRICAMENTE .

    Porém, se pensar bem, este comportamento não é novidade, visto que os mesmos proselitistas do darwinismo que defendem esta ideia refutada, também defendem a ideia da abiogênese por geração espontânea via processos naturais, igualmente refutado.

    Lamentável que pessoas com este tipo de pensamento, ainda permeie o meio científico.
    Isso nos deixa “empacado” a paradigmas infundados, não permitindo que o VERDADEIRO conhecimento venha a tona.

    Like

  3. Ricardo Nunes Ribeiro says:

    Com todo respeito e apreço por um debate são, creio que a exposição dos argumentos neste texto é falacioso. Radiatividade ainda não é capaz de conduzir mutações benéficas, devido aos danos causados nas estruturas celulares; gerando não outra coisa senão câncer.
    Outro detalhe é a argumentação de que as gerações das moscas somadas contariam tempo suficiente para evidenciar alguma possível mutação. Falso, pois as mutações percebidas na natureza demandam várias gerações capazes de copular (ou se dividir) para passar suas características para as proles – características essas que são adidas de forma lenta e gradual e não espetacularmente num relance. Além disso, são as as foças (gravidade, marés, vulcanismos, etc.) em atuação na Natureza que geralmente conduzem a evolução; e são muito mais lentas que uma exposição à radiação.

    “Tomé viu para crer. Não nos roubemos esse direito.”

    Like

    • Antonio Carlos de Carvalho says:

      Ou seja, o texto é falacioso e Azetech e Mats foram espertalhões aproveitadores.

      Like

  4. Leide Bastos says:

    O Darwinismo é pura especulação.
    Não se pode provar que Deus exista ( mesmo eu acreditando nele)
    Não se pode provar que Darwin estava certo.
    Elas por elas…

    Like

    • Roberto p carvalho says:

      Os princípios básicos das idéias de Darwin podem ser resumidos no seguinte modo:

      Os indivíduos de uma mesma espécie apresentam variações em todos os caracteres, não sendo, portanto, indenticos entre si.

      Todo organismo tem grande capacidade de reprodução, produzindo muitos descendentes. Entretanto, apenas alguns dos descendentes chegam à idade adulta.

      O número de indivíduos de uma espécie é mantido mais ou menos constante ao longo das gerações.

      Assim, há grande “luta” pela vida entre os descendentes, pois apesar de nascerem muitos indivíduos poucos atingem a maturalidade, o que mantém constante o número de indivíduos na espécie.

      Na “luta” pela vida, organismos com variações favoráveis ás condições do ambiente onde vivem têm maiores chances de sobreviver, quando comparados aos organismos com variações menos favoráveis.
      Os organismos com essas variações vantajosas têm maiores chances de deixar descendentes. Como há transmissão de caracteres de pais para filhos, estes apresentam essas variações vantajosas.

      Assim, ao longo das gerações, a atuação da seleção natural sobre os indivíduos mantém ou melhora o grau de adaptação destes ao meio.

      Like

  5. rodrigokbssa says:

    Nossa, quantas refutações! pena que a comunidade cientifica ainda não sabe disso… ¬¬ …

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk …………………..

    Like

  6. “Todos os organismos podem se adaptar, mas jamais transmitirão essa adaptação aos seus descendentes.”
    Assinando: Genética

    Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s