Sete características dos saurópodes que refutam o gradualismo evolutivo

No ano de 1809, Jean Baptiste Lamarck especulou que os pescoços das girafas poderiam crescer mais, simplesmente esticando e tentando atingir as zonas mais elevadas das árvores, e que esta habilidade poderia ser passada aos seus descendentes. (1)

Meio século mais tarde, Charles Darwin sugeriu que as girafas nascidas com pescoços mais longos que os pescoços das suas rivais poderiam obter mais comida e, desde logo, encontravam-se mais aptas para sobreviver.

Se qualquer uma destas alegações estivesse correcta, os cientistas já deveriam ter encontrado fósseis de girafas “antigas”, reflectindo um padrão de crescimento transformacional do pescoço através do tempo. No entanto, e depois de muitas gerações em busca de tais evidências, os paleontólogos ainda não encontraram qualquer tipo de evidência de pescoços de girafa transicionais.

Mas o que dizer dos dinossauros com pescoços alongados – será que eles exibem algum tipo de crescimento evolutivo do pescoço?

Dinossauro_SauropodeUm estudo recente de dinossauros sauropodomorfos publicado na Peerj revelou segredos do seu maravilho design. (2) Os sauropodomorfos são normalmente referidos como os dinossauros de “pescoço longo” por um motiv simples: todos eles possuiam no mínimo 10 vértebras alongadas do pescoço, fazendo dos pescoços dos sauropodomorfos, no mínimo, seis vezes mais longos que o mais alto pescoço da girafa! (2) Por contraste, quase todos os mamíferos têm 7 vértebras no pescoço. (3)

Embora os pesquisadores tenham alegado que os saurópodes (o subgrupo mais comum entre os sauropodomorfos) tenham “herdado pescoços a partir dos seus basais antepassados saurópodes,” eles não disponibilizaram qualquer tipo de fóssil transicional para fundamentar esta alegação. O que eles apuraram, no entanto, foi que os pescoços dos saurópodes – alguns chegando a atingir os 14 metros de comprimento – tinham um conjunto de sete características especiais que facilitavam o facto de terem um pescoço extremamente longo:

1) Corpo para suportar o longo pescoço
2) Estabilidade esquelética da posição quadrúpede
3) Cabeças pequenas
4) Dez ou mais vértebras no pescoço
5) Vértebras do pescoço alongadas
6) Sistema respiratório com a aparência de saco aéreo
7) Vértebras construídas com “pneumaticidade”, isto é, com muitos buracos como forma de reduzir o seu peso. (2)

Sem esta combinação de características, o saurópode de pescoço alongado nunca poderia ter sobrevivido.

Um corpo enorme e uma posição corporal adequada são fundamentais para ter o pescoço longo visto que estabilizam apêndices enormes e literalmente previnem que o animal caia. (2) A pequena cabeça dos saurópodes reduzem também a energia necessária para levantar o pescoço.

Um sistema respiratório com sacos aéreos unidireccionais eliminaria o “espaço morto” nas traqueias do saurópode, o que geralmente acontece quando o ar é re-inalado antes dele poder ser totalmente exalado – um factor limitante do comprimento dos pescoços dos mamíferos. Permitindo apenas uma direcção do fluxo de ar através dos pulmões, tal como acontece nas aves existentes, este tipo de sistema sempre mantém ar recentemente inalado por todos os pulmões, eliminado o ar remanescente que é acumulado nos mamíferos. (4)

Finalmente, os autores determinaram que os saurópodes tinham ossos no pescoço que eram compostos de 50 a 70 por cento de volume de espaço para o ar, reduzindo de forma significante o seu peso.

No seu todo, os saurópodes possuíam o conjunto de características perfeitas para facilitar a posse dos seus longos pescoços. (2)

Estas sete características especiais tinham que se encontrar presente de modo simultâneo de modo a que os dinossauros de pescoço alongado crescessem, funcionassem, e sobrevivessem. A remoção de apenas um destes elementos faria com que o saurópode tivesse falhas como organismo, e não sobrevivesse.

Dinossauro_SauropodeOutro artigo recente apurou que o design único dos saurópodes estende-se até aos ossos dos seus membros. Os autores, publicando na revista científica PLOS One, descobriram que o gigatismo nos dinossauros foi conseguido através do espessamento da cartilagem que se encontra entre os ossos, algo que é o contrário do que acontece nos mamíferos, com o desbaste da cartilagem entre os ossos dos mamíferos à medida que eles vão aumentando de tamanho. Os pesquisadores suspeitam que este espessamento da cartilagem permitiu uma maior amortecimento ou “absorção de choque”, e uma redução do atrito das articulações ósseas. (5)

É esta combinação unificada e simultânea de características que tornam impossível a existência de alguma criatura intermédia, e confirmam que este animal, tal como todos, foram originalmente criados totalmente funcionais e operacionais, sem qualquer etapa evolutiva em nenhuma fase da sua existência. O Criador fez saurópodes totalmente formados, ao mesmo tempo que seres humanos e girafas, no Sexto Dia da Semana de Criação.

Porque falou, e tudo se fez; mandou, e logo tudo apareceu.
Salmo 33:9

Dinossauros_SauropodesFonte: http://www.icr.org/article/7838/

Referências
1. Wicander, R. and J. 2010. Historical Geology, 6th ed. Belmont, CA: Brooks/Cole Cengage Learning, 133-134.
2. Taylor, M. P. and M. J. Wedel. 2013. Why sauropods had long necks; and why giraffes have short necks. PeerJ. 1: e36.
3. Manatees and sloths are the only exceptions. Three-toed sloths have eight to 10, with nine being the most common. Two-toed sloths have five to eight, with six
being the most common. Manatees have six.
4. Wedel, M. J. 2003. Vertebral pneumaticity, air sacs, and the physiology of sauropod dinosaurs. Paleobiology. 29 (2): 243-255.
5. Bonnan, M. F., et al. 2013. What lies beneath: sub-articular long bone shape scaling in Eutherian mammals and Saurischian dinosaurs suggests different locomotor
adaptations for gigantism. PLOS One. 8 (10): e75216.

About Mats

"Posterity will serve Him; future generations will be told about the Lord" (Psalm 22:30)
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

29 Responses to Sete características dos saurópodes que refutam o gradualismo evolutivo

  1. Raul Costa says:

    Não ha como negar o design inteligente nos dinossauros sauropodes,fantástica é a obra de Deus,fico maravilhado ao comtemplar essas obras magnificas,não é a toa que ao terminar a criação de tudo,Deus disse :
    “Eis que é tudo muito bom”🙂

    Liked by 1 person

  2. jephsimple says:

    Estou bem interessado no cérebro. Ao meu ver o cérebro humano é uma das maiores obras primas do designer.

    Mas não somente o cérebro um humano é um designer fantástico. Vejamos os saurópodes, quem controla tudo é um cérebro sofisticado, o que de fato lhe é necessário.

    Agora mesmo estou lendo alguns trechos de ” Decifrando Códigos do Cérebro – Como o cérebro fala consigo mesmo?”

    http://www.uncommondescent.com/neuroscience/were-all-just-meat-puppets-right/ [um atalho para quem não conseguir acessar esse link http://www.technologyreview.com/featuredstory/528131/cracking-the-brains-codes/&usg=ALkJrhhrip857nr_feZsKtqw3tlvEbZDYA/%5D

    “…O cérebro tem muitas funções, de controlar nossos músculos e voz para interpretar as imagens, sons e cheiros que nos cercam, e cada tipo de problema exige seus próprios tipos de códigos…”

    E em toda a sua sofisticação, o cérebro consome uma taxa irrisória de energia.

    Liked by 1 person

    • Sodré says:

      É preciso ser “muito inteligente” para perceber haver uma única mudança de dentes, e idade muito jovem, revela um “desenho” humano imperfeito?….. Ou terá sido o “pecado adâmico” que nos afetou a mandíbula originalmente perfeitíssima?…

      Like

      • jephsimple says:

        Oras, se estas vendo imperfeição real no design humano, é porque deve existir um design perfeito?

        Apesar do design ser para mim surpreendente e superior, não implica que não se encontra em um estado imperfeito, parece que concordamos que está imperfeito?

        Like

      • Sodré says:

        Não é porque deve existir um “design” perfeito, mas apenas porque é concebível um “design” melhor e observamos outros animais em que ocorre uma substituição de dentes frequente.

        Like

      • jephsimple says:

        “Não é porque deve existir um “design” perfeito, mas apenas porque é concebível um “design” melhor e observamos outros animais em que ocorre uma substituição de dentes frequente.”
        Qual a diferença de um “design” melhor, para um design perfeito?Nós mesmo podemos melhorar nosso design [nosso corpo e mente].

        “…uma substituição de dentes frequente.”

        Enfim o designer [se para vc existir] errou nisso?
        Ah sim , deveria ser padrão? O design melhor é dos tubarões [exemplo]?

        Pois eu aguardo algo melhor ”

        …(…) A trombeta soará, os mortos ressuscitarão INCORRUPTÍVEIS [DESIGN PERFEITO] incorruptíveis, e nós seremos TRANSFORMADOS. Porque é necessário que este corpo corruptível se revista da incorruptibilidade, e que o corpo mortal se revista da imortalidade [DESIGN PERFEITO]. E, quando este corpo corruptível se revestir de incorruptibilidade, e o que é mortal se revestir de imortalidade, então, se cumprirá a palavra que está escrita: Tragada foi a morte pela vitória.” (1Coríntios 15:51-54).

        Enfim não apenas existira vida eterna como vida perfeita.Sem contar novo céu e nova terra… Um cosmos perfeito. Até porque o atual tbm não é perfeito.

        Eu não vejo incoerência entre os dados atuais e o teísmo cristão.

        Repito, o design que eu vejo na natureza é surpreendente, mas é inegável que se encontra longe de estar perfeito.

        … Oras, o que vemos agora é apenas um estado permissivo, nossa previsão é que passará para um estado perfeito, pq o Designer é perfeito.

        Like

  3. Danilo Alves says:

    No entanto, existem outras evidências que impossibilita de tal Teoria ser tão facilmente refutada. Talvez ainda possa ser encontrado tais elos perdidos desse animal.
    “Ausência de evidência não significa evidência de ausência”- Carl Sagan

    Like

    • Lucas says:

      No entanto, existem outras evidências que impossibilita de tal Teoria ser tão facilmente refutada. Talvez ainda possa ser encontrado tais elos perdidos desse animal.

      Aguardamos ansiosamente. Até lá, vamos colocando de lado essa “teoria”.

      <blockquote“Ausência de evidência não significa evidência de ausência”- Carl SaganNinguém disse o contrário. MAs uma coisa é dizer “não temos evidências e como tal não afirmamos nada” e outra é dizer “não temos evidências MAS SABEMOS que evoluímos porque sim!”

      Like

  4. A.Porto says:

    Sobre a girafa, Darwin concluiu que nem era certo perguntar porque este tipo de animal
    existe em uma região e não em outras, visto que secas e alimentos em lugares altos são comuns no mundo todo. Ou seja, era pra haver girafas em qualquer lugar do mundo.

    Like

  5. jephsimple says:

    “É difícil de acreditar que o nosso poder de raciocínio foi trazido, por processo de seleção natural de Darwin, à perfeição que parece possuir.”

    Eugene Wigner
    Prêmio Nobel de Física

    Like

  6. Ana Silva says:

    Mats:

    “O que eles apuraram, no entanto, foi que os pescoços dos saurópodes […] tinham um conjunto de sete características especiais que facilitavam o facto de terem um pescoço extremamente longo:
    […]
    6) Sistema respiratório com a aparência de saco aéreo”

    Está o autor do post publicado pelo Mats a defender que os saurópodes tinham um sistema de respiração semelhante ao das aves?

    “Um sistema respiratório com sacos aéreos unidireccionais eliminaria o “espaço morto” nas traqueias do saurópode, o que geralmente acontece quando o ar é re-inalado antes dele poder ser totalmente exalado – um factor limitante do comprimento dos pescoços dos mamíferos. Permitindo apenas uma direcção do fluxo de ar através dos pulmões, tal como acontece nas aves existentes, este tipo de sistema sempre mantém ar recentemente inalado por todos os pulmões, eliminado o ar remanescente que é acumulado nos mamíferos.”

    Está pois! O autor do post do Mats está a defender que o sistema de respiração dos saurópodes permite “apenas uma direcção do fluxo de ar através dos pulmões, tal como acontece nas aves existentes”. Ou seja, está a defender que os saurópodes tinham um sistema de respiração semelhante ao das aves. Depreendo, assim, que o Mats concorda com este autor e defende que saurópodes e aves têm sistemas de respiração semelhantes.

    A questão é que na secção de comentários do post “Beemonte”, publicado pelo Lucas neste blogue a 8 de Junho (https://darwinismo.wordpress.com/2014/06/08/beemonte/) eu, o Lucas e o Miguel tivemos uma pequena discussão sobre o sistema de respiração de alguns dinossauros (therapodes e sauropodes).

    Na verdade este debate começou até com um comentário do Lucas, a 10 de Junho. Ai o próprio Lucas disse, depois de parecer indicar que, para si, os dinossauros são um tipo de répteis:
    “O sistema respiratório dos répteis é diferente do das aves, sendo o pulmão deste último de “sentido único” enquanto que o dos répteis é parecido com o nosso.”. E num comentário no dia seguinte o Lucas referiu: “Dizer que podemos associar um réptil com uma ave só porque Lineu associou um tigre com um leão é uma piada gigantesca.”.

    Este conjunto de comentários levou-me a concluir que para o Lucas, pelo menos até 11 de Junho dinossauros e aves tinham sistemas de respiração diferentes. Mais tarde, num comentário do mesmo dia, o Lucas diz: “O problema é que primeiro era preciso eles provarem que esses sacos aéreos funcionavam precisamente da mesma forma que os que se encontram nas aves”.

    No dia seguinte o Miguel acrescenta num comentário: “Mas [a análise de fósseis de dinossauros] não revelam nenhum pulmão igual ao das aves.” E acrescentou: “E lembra-te duma coisa importante: não ficou provado que o sistema respiratório é igual aos das aves. Apenas se observou que há ALGUNS traços parecidos e nada mais.”

    Agora, num texto postado (e depreendo que por isso aprovado) pelo Mats, pelos vistos nos saurópodes “alguns traços parecidos” corresponde a um sistema de respiração que permite “apenas uma direcção do fluxo de ar através dos pulmões, tal como acontece nas aves existentes”.

    Concordo com o Lucas e com o Miguel que o facto de alguns dinossauros (therapodes e sauropodes) terem um sistema de respiração semelhantes aos das ave não “confirma” (por si só) que as aves evoluíram de dinossauros. Mas é bom saber que pelo menos o Mats aceita que existem evidências de que saurópodes e aves têm sistemas de respiração semelhantes.

    Like

    • Lucas says:

      Ana Silva,

      Lucas = Miguel = Mats – Os “três” são a mesma pessoa.

      Está o autor do post publicado pelo Mats a defender que os saurópodes tinham um sistema de respiração semelhante ao das aves?

      Acho que no teu comentário e na discussão citada ficou dito que há ALGUNS traços de ALGUNS répteis que são PARECIDOS (não iguais) aos pulmões de ALGUMAS aves. Mas este meu comentário diz:

      “O facto de haver algumas semelhanças entre alguns répteis e algumas áves não quer dizer nada. Há muitas semelhanças entre animais que nunca poderiam ter evoluido um do outro. Os olhos humanos são muito parecidos aos olhos dos polvos, mas vocês nao se lembraram (ainda) de dizer que um evoluiu para o outro.”

      Liked by 1 person

      • Ana Silva says:

        Lucas:

        “Os olhos humanos são muito parecidos aos olhos dos polvos, mas vocês não se lembraram (ainda) de dizer que um evoluiu para o outro.”

        Na verdade os olhos dos polvos e os olhos dos humanos têm muitas diferenças entre si. Os olhos dos polvos não têm um ponto cego nem uma córnea, ao contrário do que acontece com os olhos dos humanos. Esta diferença é uma consequência de os olhos dos polvos e os olhos dos humanos terem origem e se formarem de forma diferente nos embriões. Os olhos dos polvos têm origem na derme e formam-se por invaginação da superfície do corpo e os olhos dos humanos formam-se a partir a partir de tecido nervoso que também da origem ao cérebro.

        Não parece ser este o caso da relação entre o sistema respiratório das aves e o sistema respiratório de alguns dinossauros (therapodes e saurópodes).

        “Acho que no teu comentário e na discussão citada ficou dito que há ALGUNS traços de ALGUNS répteis que são PARECIDOS (não iguais) aos pulmões de ALGUMAS aves.”

        O que o texto postado refere é: “Permitindo apenas uma direcção do fluxo de ar através dos pulmões, tal como acontece nas aves existentes, este tipo de sistema sempre mantém ar recentemente inalado por todos os pulmões, eliminado o ar remanescente que é acumulado nos mamíferos.” E como tinha referido antes, o que os vários estudos dos dinossauros therapodes e sauropodes demonstram é que estes animais tinham (a nível dos ossos) estruturas idênticas às que as aves actuais utilizam para respirar, o que leva a concluir que muito provavelmente estes dinossauros tinham um sistema respiratório muito semelhante ao das aves actuais.

        As estruturas encontradas nos ossos de dinossauros therapodes e saurópodes indiciam que o sistema respiratório destes dinossauros partilha com o sistema respiratório das aves não só a função de respirar e a forma de respirar mas também a PRÓPRIA estrutura do sistema respiratório.

        Like

    • jephsimple says:

      “Está o autor do post publicado pelo Mats a defender que os saurópodes tinham um sistema de respiração semelhante ao das aves?”

      Design sofisticado comum?

      Tal como morcegos e cetáceos?

      Mas não deve existir muitas diferenças entre dinos e aves, e podemos chamar aves de dinos, e dinos de aves, pois as diferenças são irrelevantes, nada que a eficiente evolução não resolva.

      _______________________________________________________________

      E a evolução das aves?

      Ps: Asas flexíveis são difíceis de fazer , isso claro referindo a designers engenheiros,mas obviamente que para a evolução isso não é problema, independente dos processos envolvidos…

      http://www.evolutionnews.org/2014/06/flexible_wings087111.html

      Like

  7. Ana Silva says:

    Lucas/Miguel/Mats:

    “Lucas = Miguel = Mats – Os “três” são a mesma pessoa.”

    O Azetech já tinha referido isso num comentário anterior. Mas resolvi manter uma separação entre Lucas, Miguel e Mats nos meus comentários porque acreditava que você, (Lucas/Miguel/Mats) tinha uma razão própria e pessoal para manter a existência destes três pseudónimos, como é comum à maioria dos autores que mantêm um ou mais pseudónimos,

    Geralmente os autores criam diferentes pseudónimos com propósitos específicos. Por exemplo o autor português Rómulo de Carvalho foi um famoso historiador e divulgador de ciência em Portugal, mas também é reconhecido pela sua obra poética. Rómulo de Carvalho fazia uma separação entre a sua “vida” como divulgador e a sua “vida como poeta: assinava as suas obras de história e divulgação de ciência com o seu nome próprio, mas assinava a sua poesia com um pseudónimo, António Gideão.

    Por esta razão considerei que você tinha criado estes três pseudónimos também com um propósito específico. Senão para quê todo o trabalho extra de manter três contas diferentes (uma para o Lucas, outra para o Miguel e outra para o Mats)? Porquê manter um sistema de três pseudónimos que pode confundir quem não sabe que os três são a mesma pessoa?

    Aliás esta minha opinião também se baseava na forma das respostas e comentários que você parece ter para cada pseudónimo: O Mats raramente me responde, o Miguel é cordial mas frio e o Lucas é agressivo e várias vezes toca (e por vezes ultrapassa) o limiar da boa educação.

    Não questiono a sua necessidade de manter três pseudónimos. No entanto, para facilitar a nossa comunicação, tenho um pedido: Se não pretende estabelecer nenhuma diferença entre os seus três pseudónimos, Lucas, Miguel e Mats, é importante para mim saber como você prefere ser tratado. Imagino que não quer que o trate por Mats, visto que raramente responde aos meus comentários com esse pseudónimo. Ficam assim duas alternativas: prefere que use o pseudónimo Lucas ou o pseudónimo Miguel?

    Like

    • Lucas says:

      Se não pretende estabelecer nenhuma diferença entre os seus três pseudónimos, Lucas, Miguel e Mats, é importante para mim saber como você prefere ser tratado. Imagino que não quer que o trate por Mats, visto que raramente responde aos meus comentários com esse pseudónimo. Ficam assim duas alternativas: prefere que use o pseudónimo Lucas ou o pseudónimo Miguel?

      Por mim, tanto faz.

      Like

    • Ana Silva

      Sempre o chamo de “Mats”, independentemente do pseudônimo que ele utiliza.

      Like

  8. jephsimple says:

    Eu fico a me perguntar como o Estado sustenta essa “hipótese” em escolas e universidades.

    Como são gastos bilhões com algo tão inútil, tão cheio de erros, buracos, equívocos.
    A culpa está em quem não joga a toalha? Pois os dados estão muito claros, não existe esse negócio de evolução darwiniana.

    “O problema com a evolução é que, porque ela é sempre errada, estar errado não conta contra ela. De fato, a evolução é tão errada que até mesmo os seus erros têm erros.”

    http://darwins-god.blogspot.com.br/2014/06/more-fossil-molecule-contradictions-now.html

    Like

    • Nicolau de Aquino says:

      Eu fico me perguntando, como alguém pode chamar a evolução das espécies em 2016 de “hipótese”?

      Like

      • Miguel says:

        Eu fico me perguntando, como alguém pode chamar a evolução das espécies em 2016 de “hipótese”?

        Concordo. Essa teoria nem deveria ter o estatuto de hipótese.

        Mats

        Like

  9. Nicolau de Aquino says:

    O artigo não possui qualquer base científica, há centenas de fósseis que comprovam a evolução das espécies. Eu fico me perguntando, a quem interessa mascarar a realidade e negar o óbvio? Darwin expôs sua teoria há mais de 100 anos, após isso milhares de artigos científicos e pesquisas de campo debruçaram-se sobre seu trabalho: biólogos, zoólogos, paleontólogos são todos categóricos ao explicar a evolução das espécies. As diferentes raças de cães são exemplos simples de que a seleção genética gera indivíduos distintos (todas as raças vieram do lobo e foram desenvolvidas pelo homem, qualquer criador de cães pode explicar isso tranquilamente). Quem são as pessoas que sem qualquer base científica tentam enganar as outras e negar a evolução das espécies? O que ganham propagando a mentira? E mais, com tanta informação que temos hoje, como é possível que esses enganadores tenham campo fértil? Como é possível que as pessoas acreditem que um ser criou os animais prontinhos se há tantos especialistas que comprovam o contrário? Me sinto triste ao ver que se estes homens conseguem enganar tanta gente em um assunto que está amplamente comprovado cientificamente, como seria fácil enganá-los em temas que não é possível comprovar com pesquisas. Só a educação, os livros, a curiosidade salvará essas pessoas das mentiras desses homens de má-fé.

    Like

    • Nicolau

      O artigo não possui qualquer base científica

      O artigo é embasado em amplos estudos científicos.
      A prova está nas REFERENCIAS indicadas logo abaixo do texto.

      há centenas de fósseis que comprovam a evolução das espécies.

      Não há um fóssil sequer que corrobore a suposta fé na “evolução” das espécies, porém há centenas de evidências (e este blogue demonstra com seus posts) de que este mito é falso.

      Eu fico me perguntando, a quem interessa mascarar a realidade e negar o óbvio?

      A resposta é óbvia, os crentes ateus e evolucionistas mascaram a realidade e negam o óbvio para que nesta obviedade seja igualmente negado o relato de Gênesis. Simplês assim.

      Darwin expôs sua teoria há mais de 100 anos, após isso milhares de artigos científicos e pesquisas de campo debruçaram-se sobre seu trabalho: biólogos, zoólogos, paleontólogos são todos categóricos ao explicar a evolução das espécies.

      Esta fábula tinha mais força no período em que ela foi elaborada, pois naquele tempo não haviam métodos e ferramentas científicas mais apuradas.
      Com um conhecimento “fraco” das estruturas que compõem a vida, a imaginação “fertil” prevalecia, e os mitos em torno de sua estrutura e origem prevalecia.
      Hoje, com o avanço da ciência, muito do que se acreditava foram refutados pelas observações. Nem com o esforço constante de “xiitas” evolucionistas, esta fábula (antes “teoria”) está conseguindo s estabelecer, pelo contrário, ela está se “desnudando” a cada dia e mais e mais ela é desacreditada.

      As diferentes raças de cães são exemplos simples de que a seleção genética gera indivíduos distintos (todas as raças vieram do lobo e foram desenvolvidas pelo homem, qualquer criador de cães pode explicar isso tranquilamente).

      Cães que se tornam…. cães, não corrobora a fábula de que um suposto (e nunca observado) ser, INFERIOR a uma ameba, chegou a se tornar humano.

      Quem são as pessoas que sem qualquer base científica tentam enganar as outras e negar a evolução das espécies?

      Não são as pessoas que negam a fábula evolutiva, mas sim as EVIDÊNCIAS científicas, que se acumulam dia após dia.
      Somente com uma fé extremamente forte, e plenamente cega, uma pessoa, mesmo diante das evidências que claramente “gritam”, continuam a acreditar em uma crença que já foi refutada.

      O que ganham propagando a mentira?

      A falsa ilusão de que o Deus Bíblico não existe? A falsa ilusão de que a pessoa poderá “aprontar” o que quiser, sem ser condenado pelos seus atos?
      Estes dois pontos estão bons para ti?

      E mais, com tanta informação que temos hoje, como é possível que esses enganadores tenham campo fértil?

      Os enganadores VIVEM por meio de seus mitos, que embora já tenham sido refutados, ainda continuam a propagar a fraude.
      É muita inocência de sua parte achar que um “estudioso” evolucionista, no qual VIVE do seu proselitismo darwinista, iria abandonar esta fábula ao pereber que a sua crença está errada.

      Como é possível que as pessoas acreditem que um ser criou os animais prontinhos se há tantos especialistas que comprovam o contrário?

      Rapaz…. tu está bem desatualizado… nenhum criacionista acredita no FIXISMO. Este teu comentário não apenas demonstra uma ignorância a respeito das evidências científicas, como ignorância a respeito da proposta criacionista.
      Todas evidências científicas, hoje encontrada, corroboram a proposta dos seres por TIPOS BÁSICOS, ou seja a suposta “arvore evolutiva”, por meio das evidências, não se originou pelo tronco, mas sim por galhos distintos.

      Me sinto triste ao ver que se estes homens conseguem enganar tanta gente em um assunto que está amplamente comprovado cientificamente, como seria fácil enganá-los em temas que não é possível comprovar com pesquisas.

      Também me entristeço. Infelizmente homens caminham ao abismo por apregoar fábulas e levam ao abismo aqueles que os escutam.

      Só a educação, os livros, a curiosidade salvará essas pessoas das mentiras desses homens de má-fé.

      Não acho.
      Hoje, a educação, livros e curiosidades permeiam a humanidade, porém mesmo assim, muitos continuam a se iludir com as fábulas.
      A minha opinião é que somente CRISTO e o desejo de segui-lo é que poderá salvar essas pessoas das mentiras desses homens de má-fé.

      Like

Todos os comentários contendo demagogia, insultos, blasfémias, alegações fora do contexto, "deus" em vez de Deus, "bíblia" em vez de "Bíblia", só links e pura idiotice, serão apagados. Se vais comentar, primeiro vê se o que vais dizer tem alguma coisa em comum com o que está a ser discutido. Se não tem (e se não justificares o comentário fora do contexto) então nem te dês ao trabalho.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s